BMW Hatches História

BMW 118i: a versão de entrada do hatch premium alemão (em 2 gerações)

BMW 118i: a versão de entrada do hatch premium alemão (em 2 gerações)
BMW 118i 2012

Pelo menos no mercado brasileiro, os automóveis de marca premium sempre foi sinônimo de status frente aos demais modelos disponíveis no País. O “cardápio” de modelos premium é bastante variado, indo de carros menores como Mercedes Classe A e BMW 118i, a até superesportivos bem caros. E todos eles acabam tendo preço acima da média.

Todavia, aos poucos as fabricantes premium começaram a oferecer modelos por cifras menores para atingir um público que até então era consumidor de veículos de marcas tradicionais. Um dos melhores exemplos é justamente a versão de entrada do BMW Série 1, o BMW 118i, que estreou por aqui em meados de 2010 com preço abaixo de R$ 100 mil – indo na contramão dos demais carros “de luxo” da época.


Claro que hoje em dia já é raro desembolsar menos que seis dígitos por um veículo de marca premium. O Audi A3 Sedan nacional, que chegou em novembro de 2015 por a partir de R$ 99.990, hoje já custa aproximadamente R$ 120 mil em sua configuração mais em conta.

Utilizamos o A3 Sedan para comparação, pois o BMW 118i já não é mais comercializado por aqui. A atual linha do BMW Série 1 é composta por versões que partem de R$ 139.950 na versão 120i Sport, podendo chegar a R$ 269.950 na M140i.

Ainda assim, o BMW 118i pode ser uma boa opção para quem busca por um modelo de marca premium no segmento de usados. Confira abaixo todos os principais detalhes do carro:


BMW 118i: a versão de entrada do hatch premium alemão (em 2 gerações)

BMW 118i – história

A primeira geração do BMW Série 1 fez a sua estreia no mercado em meados do ano de 2004. Ele apareceu para ocupar o lugar do BMW Série 3 Compact e, além da carroceria hatch, pode ser encontrado em sua primeira geração nas carrocerias hatch de duas ou quatro portas, cupê e conversível. Já a segunda geração pode ser encontrada nas opções hatch e sedã, sendo que o cupê e o conversível passaram a ser oferecidos como Série 2.

O BMW Série 1 foi lançado mundialmente em setembro de 2004, com aparição no Salão do Automóvel de Paris. Antes disso, a marca havia antecipado boa parte das linhas do hatch por meio do conceito CS1 Concept, um modelo conversível que foi uma das principais atrações do Salão do Automóvel de Genebra de 2002.

Assim como acontece em praticamente todas as outras fabricantes, a BMW utilizou uma série de itens e recursos já presentes em outros modelos de sua linha para desenvolver o Série 1. A primeira geração do carro compartilha uma série de itens com o Série 3 E90 de quinta geração, o que inclui o conjunto de suspensão dianteira e traseira, motorização, componentes eletrônicos e outros recursos estruturais.

No visual, o BMW Série 1 de primeira geração seguiu bem o padrão dos demais veículos ofertados pela empresa bávara na época. A dianteira é marcada pela característica grade de duplo rim, com faróis mais espichados e formato mais ovalado na parte inferior, além de para-choque com formas mais limpas.

As laterais, por sua vez, exibem linha de cintura mais alta e um vinco marcante na parte superior das maçanetas. Por fim, a traseira tem lanternas que acompanham o desenho do vidro e da tampa do porta-malas.

Muitos acabam vendo o Série 1 de primeira geração como um carro baixo demais. Esse aspecto é evidenciado pela dianteira com capô bastante longo e pelas rodas posicionadas mais nas extremidades da carroceria. Por conta disso, o carro tem entre-eixos de nada mais, nada menos que 2,66 metros, uma diferença brutal frente aos demais modelos do segmento – para se ter uma ideia, o Audi A3 da época tem 2,51 metros.

BMW 118i: a versão de entrada do hatch premium alemão (em 2 gerações)

Pulando para o interior, o BMW 118i tem um painel com formas mais tradicionais e acabamento mais sóbrio. Na realidade, por se tratar de uma configuração de entrada, o carro acaba devendo em diversos pontos, como um acabamento mais esmerado e uma lista de equipamentos mais recheada.

Porém, ainda assim, há um esmero nos encaixes das peças e nos materiais, com plásticos emborrachados e outros pontos com texturas para dar um aspecto melhor ao habitáculo.

O primeiro BMW 118i foi lançado lá fora com o mesmo motor 2.0 litros aspirado de quatro cilindros usado no BMW 120i, mas com 136 cavalos de potência e 18,4 kgfm de torque, contra os 150 cv e 20,4 kgfm entregues pela versão mais cara. A marca oferecia o carro com câmbio manual ou automático de seis marchas.

Ele utiliza uma base com tração traseira, motor longitudinal e suspensão traseira do tipo multilink. Um dos pontos interessantes é que o Série 1 conta com um equilíbrio de peso de 50:50 (ou seja, metade do peso na parte frontal do carro e a outra metade na traseira).

Este modelo foi comercializado até meados de 2011. Neste mesmo ano, a BMW lançou a segunda geração do Série 1, que manteve a versão de entrada 118i. Conhecido também como BMW F20/F21, o novo hatch evoluiu em diversos sentido. Ele surgiu durante o Salão do Automóvel de Frankfurt, em setembro de 2011.

A nova geração do BMW Série 1 recebeu um visual mais agressivo, mas ainda com a característica de ser um carro baixo e com capô longo. As laterais mantiveram a linha de cintura elevada e o vinco marcante na lateria. Todavia, a aparência da dianteira é de gosto um tanto quanto duvidoso e ainda não agrada uma parcela do público.

O interior recebeu uma série de aprimoramentos, sobretudo no quesito acabamento. Os materiais foram trocados por outros mais agradáveis ao toque e a cabine adotou alguns detalhes extras, como detalhes em alumínio.

Nas dimensões, o carro também evoluiu, com 11 centímetros a mais no comprimento, 2 cm na largura e 3 cm na distância entre-eixos. Agora ele conta com 4,32 metros de comprimento, 1,76 m de largura e 1,42 m de altura, com entre-eixos de 2,69 m. O porta-malas também ficou maior, passando a acomodar 360 litros de bagagens, contra os 330 l da geração anterior.

BMW 118i: a versão de entrada do hatch premium alemão (em 2 gerações)

De acordo com a BMW, essas alterações renderam um aumento no espaço para as pernas dos ocupantes do banco traseiro. Todavia, sobretudo o que viaja no meio acaba sofrendo pelo túnel elevado demais por conta do sistema de tração traseira.

No conjunto mecânico, o Série 1 de segunda geração manteve a arquitetura de motor dianteiro longitudinal com tração traseira. A plataforma, inclusive, seguiu sendo a do Série 3, mas de geração mais recente.

Todas as versões a gasolina adotaram um motor 1.6 litro turbo de quatro cilindros a gasolina. Portanto, o modelo 118i evoluiu consideravelmente no quesito potência e força, passando a desenvolver 170 cavalos de potência e 25,4 kgfm. Estes números resultaram em um melhor desempenho, eliminando as reclamações de donos da antiga geração do BMW.

A transmissão automática passou a ser de oito velocidades. Lá fora, ele foi comercializado também com uma caixa manual de seis marchas.

Em março de 2015, o BMW Série 1 passou por sua primeira reestilização, apresentada ao público no Salão de Genebra. Entre as alterações, ele recebeu uma cara mais agressiva, composta pelos faróis maiores e mais espichados e para-choque mais marcante, além das novas lanternas traseiras horizontais e para-choque traseiro mais agressivo.

Todavia, o BMW 118i não “participou” da reestilização da linha. Pelo menos não aqui no Brasil. Ele chegou ao nosso mercado em outubro de 2015 e passou a ser produzido localmente na planta de Araquari (SC), ao lado de modelos como Série 3, X1 e X3 e também do MINI Countryman.

A linha reestilizada do BMW Série 1 estreou com as versões 120i Sport ActiveFlex e 120i Sport GP ActiveFlex, além do 125i M Sport e do M135i. Os preços começavam em R$ 109.950.

Portanto, o BMW 118i fez parte da gama do BMW Série 1 até a chegada da linha reestilizada. Com isso, o carro atuou cerca de oito anos no mercado nacional.

BMW 118i: a versão de entrada do hatch premium alemão (em 2 gerações)

BMW 118i – primeira geração no Brasil

No mês de julho de 2009, a BMW anunciou a chegada da primeira geração do 118i ao mercado brasileiro. O modelo chegou para se posicionar como o automóvel mais em conta da marca no Brasil, sendo o seu primeiro produto com preço inferior a R$ 100 mil.

O BMW 118i fez a sua estreia por aqui custando exatos R$ 95 mil. Este valor representa uma diferença de R$ 23 mil frente ao BMW 120i, que até então era a configuração mais barata da gama, com preço de R$ 118 mil.

Porém, como você já deve imaginar, o BMW 118i era inferior ao BMW 120i em diversas questões. Entre elas, ele contava com um motor 2.0 litros aspirado de quatro cilindros menos potente e “torcudo”, além de uma lista de equipamentos mais enxuta.

Sob o capô, ele tem um propulsor 2.0 litros Valvetronic de 16 válvulas, que consegue desenvolver 136 cavalos de potência, a 5.750 rpm, e 18,4 kgfm de torque, a 3.250 rpm, atrelado a uma transmissão automática de seis marchas com opções de trocas sequenciais e também sistema de tração traseira.

Para efeito de comparação, o BMW 120i com o mesmo motor rende 156 cv e 20,3 kgfm.

Com o motor de 136 cavalos, o BMW 118i consegue acelerar de 0 a 100 km/h em 10,1 segundos. A velocidade máxima é limitada a 204 km/h. A marca destacava ainda o baixo índice de emissão de poluentes do carro, de somente 140 gramas de CO2 por quilometro rodado.

BMW 118i: a versão de entrada do hatch premium alemão (em 2 gerações)

Como forma de enxugar ainda mais o preço, o BMW 118i cortou também o ar-condicionado digital, faróis de xenônio, teto solar com acionamento elétrico e sensor de estacionamento traseiro.

Porém, ele manteve outros bons recursos, como airbags frontais, laterais e de cortina (seis no total), freio a disco ventilado nas quatro rodas com sistema ABS (antitravamento), distribuição eletrônica de frenagem (EBD) e assistência de frenagem de emergência (BAS), sensor de chuva, faróis com acendimento automático, retrovisores externos e interno com sistema anti-embaçante e ar-condicionado analógico.

Há ainda bancos revestidos em couro e tecido, volante multifuncional com regulagem de altura e profundidade da coluna de direção, rodas de liga-leve de 16 polegadas com pneus 205/55 R16, banco traseiro bipartido, sistema de som BMW Professional com entrada auxiliar, bancos dianteiros com regulagem de altura, vidros, travas e retrovisores elétricos, controle de cruzeiro, entre outros.

A intenção da BMW era comercializar até 800 unidades somente do 118i no mercado nacional entre julho e dezembro de 2004. Naquele ano, a marca havia emplacado 383 exemplares do BMW 120i e outros 18 do BMW 130i nos cinco primeiros meses.

De início, o BMW 118i competiu diretamente com modelos como o Audi A3 Sportback com motor 1.6 MPI de 101 cv e 14,2 kgfm, que tinha preço inicial de cerca de R$ 102,5 mil, e também o Mercedes-Benz Classe B 170, dotado de um motor 1.7 litro de 116 cv e 15,8 kgfm, disponível na época por a partir de R$ 97,5 mil.

No entanto, para acirrar ainda mais a briga, a Mercedes-Benz lançou logo depois o Classe B 180 por R$ 99,8 mil, ocupando o lugar do B 170, que oferecia mais equipamentos e o mesmo motor 1.7.

BMW 118i: a versão de entrada do hatch premium alemão (em 2 gerações)

BMW 118i – segunda geração no Brasil

No mês de março de 2012, os brasileiros conheceram a segunda geração do BMW Série 1. O modelo foi apresentado meses após ter sido mostrado lá fora e chegou por aqui, de início, somente na configuração de entrada BMW 118i. Assim como aconteceu lá fora, o novo 118i ofertado por aqui (que era importado) apresentou um salto considerável em diversos quesitos.

Uma das evoluções foi a adoção do motor 1.6 litro turbo de quatro cilindros a gasolina, equipado com injeção direta de combustível e sistema eletrônico Valvetronic de controle de abertura variável de válvulas. São 170 cavalos de potência, a 4.800 rpm, e 25,5 kgfm de torque, entre 1.500 e 4.500 rpm.

Este propulsor está combinado ao câmbio automático Steptronic de oito marchas e sistema de tração traseira. O conjunto inclui também um seletor de modos de condução, com as opções Normal, Comfort, Sport e Super Sport, além de sistema start/stop que desliga o motor em paradas curtas para poupar combustível.

Tal conjunto garantiu um fôlego extra ao novo BMW 118i, que passou a acelerar de 0 a 100 km/h em 7,5 segundos e alcançar velocidade máxima de 222 km/h. A emissão de poluentes também melhorou, agora de 134 g/km de CO2.

Além disso, o carro recebeu um visual mais agressivo e interior com acabamento mais esmerado e ficou mais recheado, sobretudo nas configurações com pacotes opcionais.

Por outro lado, tudo isso tem um preço. E bem mais alto que o da geração anterior. O novo 118i chegou custando R$ 113.370. Ou seja, abandonou a casa abaixo dos R$ 100 mil para voltar a ser um premium digno de nota, inclusive no preço.

BMW 118i: a versão de entrada do hatch premium alemão (em 2 gerações)

A lista de equipamentos do carro era bastante generosa, com direito a airbags frontais, laterais e de cortina, freios regenerativos com sistema ABS, controle eletrônico de estabilidade, controle de tração, controle de frenagem em curvas, sistema multimídia iDrive com tela de sete polegadas no centro do painel, Bluetooth e USB, acabamento interno em tecido, direção elétrica, volante multifuncional esportivo, computador de bordo, rodas de liga-leve de 16 polegadas, entre outros.

Porém, como opcional, o carro ofertava o pacote Urban Line, que elevava o preço final para R$ 119.220. Tal kit incluía iluminação ambiente na cor azul, bancos esportivos com faixa de couro, rodas de liga-leve de 17 polegadas com desenho exclusivo, detalhes cromados, ponteira de escapamento cromada, soleiras de porta, novas tomadas de ar, frisos exclusivos, entre outros.

Havia ainda o BMW 118i Sport Line, disponível por R$ 122.900 e com diferenciais como as rodas de 18 polegadas, soleiras e detalhes internos de acabamento na cor vermelha, iluminação interna branca, grade frontal com oito filetes, ponteiras de escape e detalhes no para-choque na cor preta, seletor de modos de condução com o modo Sport Plus, entre outros.

Posteriormente, a BMW lançou o 118i Full por salgados R$ 134.950. Esse preço era “justificado” por bancos com ajustes elétricos, ar-condicionado automático, sensor de estacionamento traseiro, acabamento interno em couro, paddle shifts atrás do volante para trocas manuais de marcha, teto solar elétrico, entre outros.

Entre os concorrentes, o BMW 118i fazia frente a nova geração do Mercedes-Benz Classe A, que custava a partir de R$ 99.900 no modelo A 200 Style com motor 1.6 turbo de 156 cv, com câmbio automatizado de sete marchas e dupla embreagem.

Havia também o Audi A3 com carroceria Sport de duas portas ou Sportback de quatro portas, ambas com motor 2.0 TFSI de 200 cv e câmbio S tronic de seis marchas e dupla embreagem, que partia de R$ 110 mil.

BMW 118i: a versão de entrada do hatch premium alemão (em 2 gerações)

BMW 118i – preços

Confira abaixo os preços das duas gerações do BMW 118i no mercado de usados:

  • BMW 118i 2.0 duas portas: de R$ 49.852 (2011) a R$ 52.969 (2012)
  • BMW 118i 2.0 quatro portas: de R$ 44.797 (2010) a R$ 53.998 (2012)
  • BMW 118i Full 1.6 turbo: de R$ 67.783 (2012) a R$ 80.271 (2014)
  • BMW 118i Urban/Sport 1.6 turbo: de R$ 66.659 (2012) a R$ 84.086 (2015)

*Preços com base na tabela Fipe em dezembro de 2018.

BMW 118i: a versão de entrada do hatch premium alemão (em 2 gerações)

BMW 118i – ficha técnica

Motor

E87 2.0

Tipo

Dianteiro, longitudinal e gasolina

Número de cilindros

4

Cilindrada em cm3

1.995

Válvulas

16

Taxa de compressão

10,5:1

Injeção eletrônica de combustível

Multiponto

Potência Máxima

136 cv a 5.750 rpm

Torque Máximo

18,4 kgfm a 3.250 rpm

Transmissão

Tipo

Automático de seis marchas

Tração

Tipo

Traseira

Freios

Tipo

Discos ventilados

Direção

Tipo

Eletro-hidráulica

Suspensão

Dianteira

Independente, McPherson, com molas helicoidais

Traseira

Independente, multibraço, com molas helicoidais

Rodas e Pneus

Rodas

Alumínio de 16 polegadas

Pneus

205/55 R16

Dimensões

Comprimento total (mm)

4.239

Largura (mm)

1.748

Altura (mm)

1.421

Distância entre os eixos (mm)

2.660

Capacidades

Capacidade de carga (kg)

500

Tanque (litros)

53

Peso vazio em ordem de marcha (kg)

1.300

Coeficiente de arrasto (Cx)

0,31

 

Motor

F20 1.6 Turbo

Tipo

Dianteiro, longitudinal e gasolina

Número de cilindros

4

Cilindrada em cm3

1.598

Válvulas

16

Taxa de compressão

10,5:1

Injeção eletrônica de combustível

Direta

Potência Máxima

170 cv a 4.800 rpm

Torque Máximo

25,5 kgfm a 1.500 rpm

Transmissão

Tipo

Automático de oito marchas

Tração

Tipo

Traseira

Freios

Tipo

Discos ventilados (dianteira) e discos sólidos (traseira)

Direção

Tipo

Elétrica

Suspensão

Dianteira

Independente, McPherson, com molas helicoidais

Traseira

Independente, multibraço, com molas helicoidais

Rodas e Pneus

Rodas

Alumínio de 17 polegadas

Pneus

205/50 R17

Dimensões

Comprimento total (mm)

4.324

Largura (mm)

1.765

Altura (mm)

1.421

Distância entre os eixos (mm)

2.690

Capacidades

Capacidade de carga (kg)

530

Tanque (litros)

52

Peso vazio em ordem de marcha (kg)

1.200

Coeficiente de arrasto (Cx)

0,32

BMW 118i – fotos

BMW 118i: a versão de entrada do hatch premium alemão (em 2 gerações)
Nota média 5 de 4 votos

  • globonaotemjapa

    BMW fazendo carro com a Toyota

  • Domenico Monteleone

    Entrega somente o status de um BMW, pois é simples e não é exatamente bem equipado. Manutenção e seguro salgados, e antes que falem em peças paralelas, a qualidade delas é inferior as originais.

    • Douglas Biângulo

      Essa já é simples, agora pensa numa 116, aquilo lá é simples. 135 é até massa, já as outras tem que ser muito apaixonado por BMW pra ter.

      • Eng Turbo

        A 135i está no meu radar…faz tempo….. mas as contas ainda não fecham pra colocar uma na garagem

      • Gabriel Araujo

        Depende da versão da 116i que vc está falando. As 116i que não possuem iDrive realmente são tristes, mas as que tem iDrive são pau a pau com as 118i de entrada. Perdem em desempenho, o volante é mais simples e não tem as abas laterais reguláveis nos bancos dianteiros, em compensação oferecem luzes internas de LED e aquelas luzes de cortesia nos puxadores de portas, que as 118i não tem (exceto na Full). Vai entender o que se passa na cabeça da BMW quando decidiu o que colocar ou não nessas versões da Série 1?!

        • Douglas Biângulo

          Pra mim o mais difícil da 116 é não ter sensor de nada e banco de tecido, BMW de entrada tem status só no nome, pq em equipamento é osso.

          • Gabriel Araujo

            Novamente está enganado. TODAS as 116i com iDrive tem sensor de estacionamento e TODAS as 116i e 118i (exceto a full) possuem banco de tecido, e as 120i angry birds (abaixo da Sport GP) tb. A partir de 2015 que a BMW adicionou bancos de couro nas 120i Active Flex, a 118 saiu de linha e a 116 tb. Só que várias ccs mandavam colocar bancos de couro para não vender carros premium sem bancos de couro. Se vc pegar os Audi A3 nacionais, são bancos de tecido tb, e é um tecido bem inferior ao dos BMW Série 1. Mas concordo com vc que cobram muito e oferecem menos. Vc paga a mais por acabamento, segurança e status. Quer acessórios? Vá de carro coreano ou francês.

            • Douglas Biângulo

              Tenho um amigo que tem uma 116 2014 eu acho, e ela não tem nada, não tem câmera de ré, não tem banco de couro, nenhum sensor, não tem borboleta e o iDrive é uma tela bem pequena, é um carro bem racional. Eu tenho BMW e curto muito, mas acho que não teria a linha 16 e 18i só por conta do renome da marca, prefiria pegar um de marca popular só que mais equipado.

    • PEDAORM

      A versão Full da 118k é muito bem equipada. Tudo depende da versão.

      • Gabriel Araujo

        Exatamente! Tem mais itens que as 120i e até mesmo as 320i de entrada (abaixo da Sport GP) da mesma época dela. A 118i Full é show.

    • Oliveira

      verdade.. fui conferir agora, mais de R$6 mil de seguro.. tá maluco..

      • Que isso, rapaz: isso é para estuprar um rim! :P

      • Gorlami

        Fake News.
        eu pago 2700

        • Oliveira

          utilizei o carrosnaweb como parâmetro.. e isso varia de acordo com o perfil..

    • Sabe quanto custa um seguro desse BMW para um perfil de um senhor de 75 anos com garagem em casa e no trabalho?

  • PEDAORM

    118i full é um carro que eu namoro bastante, da geração angry birds

    • Gabriel Araujo

      Somos 2! Ou 118i Full ou então uma 125i, mas ambas são mais raras que mosca branca e de olhos azuis!

      • Marcos Megda

        A 125i ja achei algumas bem legais na Webmotors. E um preço não tão elevado. Tinha vontade de comprar uma pra mexer. Namorei e pesquisei durante um tempo, mas vi em vários lugares que um GTI é mais negócio pra poder fazer esses upgrades.
        Ainda assim, um carrão filé. Sem Contar a 135i bengadora do aceleradoa

  • Charlis

    Gosto demais, desde a primeira geração!
    Uma pena o motor N46 ser uma bomba relógio.
    Tenho fortes intenções de ter uma 120i da geração atual… acho um carro fantástico e único!

    []s

    • MKB

      É uma “bomba” entre aspas mesmo. Existe um reparo, que custa cerca de 5 mil reais, que você faz no motor e evita os problemas prematuros com queima e vazamento de óleo. Feito isso, só alegria!
      abs

      • Charlis

        Mas o reparo é bruto, tem que abrir o cabeçote, punk comprar um carro sabendo que vai passar por isso.
        E mesmo assim, tudo funcionando, ela vai continuar sendo lerda e bebendo muito.
        Eu passo longe de qualquer BMW com o N46.

        []s

        • Thiago

          Acho que esse era o mesmo motor da X1, não andava nada, bebia um monte e quando dava treta no motor era uns 8 mil o conserto. Dava para identificar de fora porque o motor começava a fumar (a gente apelidava de X1 fumacinha) igual àqueles carros antigos da década de 80 kkkk.

          • Charlis

            Exatamente… sai a fumaçona branca azulada do escape…
            O N46 equipou aqui no BR a 118i, 120i, 318i, 320i e a X1 de entrada.

            []s

  • Delarus Splex

    aaa se tivesse uma grana ai sim compraria sem duvida

  • Oliveira

    um 2.0 de 136 cv é meio triste..

  • leitor

    Acho lindos os BMW sedans, esportivos, peruas e até os SUVs. Mas esses modelos não me encantam, pelo menos por fora. Com certeza um carrão.

  • fsjal

    Lembro quando entrei em uma 118i da primeira geração. Fiquei bem decepcionado com a simplicidade.

    Na época eu tinha um i30 e rolava aquelas propagandas da Hyundai comparando o carro com a Série 1 e todo mundo achava um exagero.
    Mas quando entrei, confesso que fiquei mais feliz com o meu. O carro tinha um acabamento bem simples e faltavam coisas que eu tinha no meu Hyundai, como por exemplo uma simples entrada USB. O modelo também não tinha teto solar, tinha rodas 16″ e bancos de tecido.
    Obviamente não estou comparando a qualidade de construção e de rodagem, mas eu sempre achei um absurdo o que a BMW cobra pelo Série 1…

  • Guilherme Martins

    A primeira é na minha opinião O CARRO MAIS BEM DESENHADO DO UNIVERSO.Lembra um Bugatti royaly typ 41, enfim… uma carruagem motorizada… A segunda ficou frente meio “Frida Kahlo “ e traseira muito “sem Graça pra uma bmw “

  • Gorlami

    Quando a galera descobrir q dá pra comprar uma 116i usada por 60-70k, remapear e fazer 320i passar mal……….

    • Ítalo Figueirôa

      70k já compra 320i F30 2012…

      • Gorlami

        70k numa 2012 é golpe

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 12 anos. Saiba mais.

Notícias por email