BMW Manutenção

BMW 320i Active Flex: Proprietários reclamam de dois detalhes

bmw-320i-active-flex-branco-6-700x466 BMW 320i Active Flex: Proprietários reclamam de dois detalhes

O BMW 320i Active Flex é o primeiro carro com motor turbo flexível do mundo e é exclusivo do mercado brasileiro, onde será produzido em breve na fábrica da marca alemã, que está sendo finalizada em Araquari/SC.



No entanto, segundo reportagem da revista Quatro Rodas de agosto, o sedã germânico anda gerando reclamações de alguns proprietários. Dois detalhes estão sendo apontados pelos donos: Sistema de alerta de revisões que quilometragem variável e Start&Stop que não funciona com etanol.

Em um dos relatos, o proprietário do 320i Active Flex o sistema de alerta de revisões estava programado para 12.000 km na primeira parada para manutenção, mas após 880 km rodados, o computador de bordo já indicava manutenção em 9.000 km. Já com 5.000 km rodados, o display mostra que a revisão tem de ser feita em 6.800 km.

Em outro caso de alerta de revisão, o computador do 320i Active Flex apontava parada aos 12.000 km, mas após 2.600 km percorridos, a programação já indicava 6.000 km. Um relato interessante diz que a concessionária mencionou a primeira revisão com 8.000 km e o veículo indicava 4.000 km. No fórum BMW Brasil, há depoimentos que falam em 3.000 km.

Além da Série 3, a Série 1 também estaria com o mesmo problema. Por fim, o Start&Stop que não funciona com etanol é também reclamação de alguns donos do 320i ActiveFlex. O dispositivo de desligamento automático do motor não atua com mistura de 30% ou mais de etanol.

No entanto, especialistas em BMW explicam que o Start&Stop não ativa com etanol para evitar danos ao sistema de lubrificação do motor, já que o etanol contém água, o que poderia comprometer a durabilidade e funcionamento do propulsor.

A BMW explicou que o alerta de revisões funciona conforme o modo de condução de cada proprietário, pois o sistema Key Reader (presente na chave), avalia automaticamente as condições de uso do veículo e assim determina a quilometragem mais adequada para a revisão. No caso do Start&Stop, ela confirma que funciona apenas com menos de 30% de etanol na mistura.

  • Louis

    Se a revisão programada muda conforme o modo de condução do motorista, então não é problema, é característica do carro.

    • Hiboria

      Isso que eles utilizaram para se defender. Porém uma variação de 50% para a realização da revisão é um exagero, não? O que será que causaria isso, viajar a 200Km/h? Participar de arrancadas? Combustível adulterado? Acredito que variar para a próxima revisão é racional, porém deve ter algum limite, pois senão a marca anuncia revisões a cada 15000Km e na verdade só se o carro rodar no máximo a 40Km/h, sem chuva, com gasolina 100%… caso contrário será a cada 5000Km e te vire!

      • FerSaccon

        Pode ser que a revisão esteja programada para acontecer após um determinado número de horas, independente da quilometragem. Assim, quem mora em uma cidade com congestionamentos constantes terá rodado menos do que quem pegou rodovia. A quantidade de horas do motor em funcionamento será a mesma.

        • Hiboria

          Pode ser essa a razão então, mas isso deve ficar claro no momento da compra “o combinado não sai caro”, pois uma marca como essa não pode ter sua qualidade/durabilidade questionada.

          • Pacheco

            Concordo… vendedor fala uma coisa e quando vc vai usando o carro vai reduzindo o tempo?

            • iagorz

              Se você usasse o carro e não fosse reduzindo o tempo, seria perfeito, pois não haveria revisão nunca, não concorda? Não vejo problema nenhum, nem no mais crítico dos casos de revisão aos 6000km. Tenho carro turbo de fábrica e não ando mais do que 5000km sem trocar óleo, acho totalmente normal essa questão da revisão.

          • Martini Stripes

            Manual do proprietario sempre diz sobre uso severo. Aí fica a dúvida, alguns desses bacanas leram o manual?

            • CorsarioViajante

              Alguém lê manual? rs
              Eu leio, mas pq gosto de carros, mas na vida real ninguém lê. Meu sogro perdeu a garantia do versa por isso.

              • Martini Stripes

                Eu leio pô!! hahahah. mas de fato poucas pessoam leem, mas deveriam.

                • Thiago

                  kkkk ler manual e uso severo, claro!!! todos os donos colocam suas bmw para trabalhar na roça… Lá fora se faz revisão nesse mesmo carro com 10 MIL milhas!

                  • Martini Stripes

                    La fora a gasolina não tem 20-25% porcento de álcool.
                    La fora, nao tem 320 flex.
                    E vc sabe o que caracteriza uso severo? Pelo visto também não leu o manual.

                    • Thiago

                      Pra isso tem gasolina Podium; e não digo só BMW FLEX e sim a COMUM 13/14, severo né?

                    • Martini Stripes

                      Então, mas mesmo a Podium tem de 20-25% de álcool. É lei e aplicável a todas as Gasolinas vendidas no Brasil. Pode pesquisar. O que continua a ressecar o motor. Rodando só no álcool, aí acelera ainda mais a próxima troca.
                      Esses problemas tbm ocorrem com a 320 Mono? Se ocorrerem ta mais que provado que é por causa do combustível. Rodando com podium, 12.000km, outros casos, decai. Qual o problema? O motor deles não suporta o nosso combustível de maneira satisfatória de acordo com os engenheiros alemães, e estes optaram em ser conservadores, como sempre são.

                    • Thiago

                      Sim, ocorre o mesmo problema com a mono, só que na Argentina não tem essa degradação absurda, lá faz a primeira revisão acima de 15.000 km, sendo assim acho pouco provável ser por causa do combustível.

                    • alixgracus

                      Só que a gasolina portenha não tem álcool. De repente, por conta disso, os BMW “brasileiros” sejam programados para solicitar antecipadamente essas checagens no concessionário.

                    • Martini Stripes

                      Faz tempo que foi essa mas salientando, a Toyota baixou o prazo de revisão de seus veículos quando passou a vender o Corolla Flex. O álccol é mais corrosivo. Não tem o que discutir nesse ponto.

                  • Eduardo CWB

                    Uso severo é cidade .. anda e para … anda e para … o melhor cenário é estrada.

                  • Rodrigo R

                    Se esse carro é usado na Marginal Tietê ou aqui no Rio na Linha vermelha/Dutra Av. Brasil, no anda e para diário, que se leva 3 horas para percorrer 40km, é uso severo !

                    Uso severo não é fazer OFF Road de Paris a Dakar.

                  • Leonardo Oliveira Silvano

                    Uso severo não é trabalhar na roça. É manter o carro andando a pequenas distâncias, de forma que o motor não esquente o suficiente para chegar à temperatura ideal de trabalho. Nos carros que eu tive, populares, diga-se, caracteriza uso severo distâncias inferiores a 5 km, se eu não me engano.

                    • Thiago

                      Acha?? Isso é irrelevante, pois já ouvi donos que anda só em rodovias e a revisão ainda fica em 5 mil km mesmo andando no Ecopro.
                      Continuam vocês achando que isso é por causa do uso severo (inocentes).

                  • Daniel

                    Quem não lê manual acha que uso severo é trabalhar na roça…

                    Todo mundo que leu um manual sabe que uso severo é congestionamento ou viagens muito curtas (qdo não dá tempo do motor atingir a temperatura ideal de trabalho)…

                  • Dragoniten

                    E desde quando uso severo é utilizar em estrada de chão? Pelamor hein, tá super bem informado.

                  • Alessandrex

                    Só pra reforçar o que os colegas disseram acima. Uso severo é quando o carro anda poucos KM e o motor não atinge a temperatura ideal. kkk

        • Rubem

          correto, as ECUs tem a quantidade de horas trabalhadas de um motor ( a maioria dos fabricantes se não forem todas)

      • Túlio Leal

        É o contrário. É o cara que fica duas horas num congestionamento, e anda apenas 3 km. É o cara que liga o carro, anda 1 km e para o carro antes do motor esquentar. Isso aí tudo diminui bastante a vida útil do óleo.

        • Rodrigo Pasini

          Isso mesmo, esse tipo de uso é considerado uso severo, e geralmente está especificado no manual do veículo, indicando que nesse tipo de uso as revisões e troca de óleo devem ser antecipadas.

          • Pacheco

            Mas que motor é esse q com uso severo sai de 15 mil km para 4 mil km a revisão?

            • Rodrigo Pasini

              Pode ser que a BMW tenha percebido que com a mistura etanol + gasolina, o uso severo é pior do que o normal, não temos como saber o que o programa de controle deles considera para calcular o tempo de troca de óleo/revisão.
              Pode ser inclusive que estão considerando o número de vezes que o start-stop é acionado, imagina que sem esse recurso você sai de casa e até chegar no trabalho você pára o veículo 10x (sinal, ou esquina com preferencial, ou qualquer situação que seja), sem start-stop o carro não seria desligado nunca, já com start-stop, é bem provável que seja desligado as 10x e ligado novamente, isso deve gerar um desgaste muito maior dos componentes.

              • Gustavo73

                Isso não acontece só no Brasil.

            • Martini Stripes

              Qualquer motor amigo, depende do uso. Muitos comprando semivivos acham aquela tia que o carro tem 20 mil km, “ai filho, uso só pra ir no mercado e ir pra padaria.” Vc acha que esta fazendo um super negocio e na vdd o motor está pior do que um com 60 mil só pista.

              • Gustavo73

                Muito melhor um carro mais rodado, mas que faz isso principalmente nas estradas.

              • João Cagnoni

                Luis, você tocou em um ponto importante. Muitas pessoas ignoram o “uso severo” descrito no manual. Isso está ligado aos comentários de proprietários que rodam dentro de SP no horário de rush e dizem que o carro é gastão…

            • Zergling

              Pode ser que isso aconteça com todos os motores, mas os da BMW são inteligentes o suficiente pra avisar o condutor, enquanto outros não.

              • Edson Fernandes

                Bem… eu nunca vi alguem (exceto Fiat Marea e o Gol atual sem facelift) em que a indicação de troca de oleo estabelecida não é correta. Partindo disso, ler o manual sobre uso severo não faz o motor ter que trocar o oleo que poderia rodar 10000km, para 4000km. É uma diferença sensivel demais para ignorarmos.

                • Túlio Leal

                  Há que se considerar que esses novos motores demandam muito mais do sistema de lubrificação que os antigos. Muito mais potência e economia de blocos cada vez menores. Só para dar um exemplo, a turbina é lubrificada no mesmo óleo do cárter. Assim acho natural que esses motores sejam mais exigentes quanto aos intervalos de troca que um AP2000 da vida.

                  • Edson Fernandes

                    Vc tem ciencia que esse BMW tem um tempo maior de trocas em outros países né? Na realidade, tudo influi no tempo da troca… mas parece bizarro trocar aos 3000km rodados em 9 meses. O tempo do oleo é de 1 ano principalmente para oleos especificos como desse BMW.

                    • Túlio Leal

                      Estou falando apenas hipoteticamente, ja que nao conheco o caso concreto que vc mencionou. De todo modo, nao estranharia esse intervalo. O oleo se degrada por diversos fatores, como tempo, horas de uso do motor e tipo de uso. Imagina entao a situacao dum cara em sampa que pega engarrafamentos cavalares todos os dias… Pode ser que o carro nao tenha dado nem o prazo, nem a quilometragem, mas em termos de numero de horas trabalhando, apenas 3000km poderiam configurar uma situacao de troca de oleo.

                    • Edson Fernandes

                      Eu entendo e mesmo citando que é um motor moderno, esse motor também precisa ser adequado para rodar em nosso país.

                      Porque se novo ele tem trocas precoces por sofrer com combustivel e também o dia a dia, creio que no futuro a longo prazo, os componentes sofrerão muito para lidar com isso. Ok, é o oleo, mas como será que as peças moveis sofrem com isso?

                      E não muito distante, algumas empresas acabam por ter que reforçar alguns detalhes do motor (virabrequim por exemplo) devido ao excessivo trabalho que sofrem em alguns tipos de uso.

                    • Túlio Leal

                      Mas aí Edson, se a pessoa realmente se incomoda de ter que trocar de óleo com mais frequência, é o caso de pensar em comprar outro tipo de carro, com outro tipo de motor, com menos tecnologia, não?

                    • Edson Fernandes

                      Negativo.

                      Só citando apenas um exemplo, vc não vê essa necessidade de antecipação tão exagerada em carros da Audi. Eu procuraria na verdade mudar de marca, ver uma que seja mais compativel com o meu dia e que trouxesse dentro do aceitavel, um custo menor.

                      Claro que não dá para ficarmos sempre pensando dessa forma, mas se eu estou tendo gastos exagerados, é sinal que algo não anda bem como eu espero. E então procuraria sim mudar.

                    • abelardotoze

                      pois é, o cara paga 140 mil num carro e fica enchendo o saco pq vai ter que trocar o óleo…

                      e óleo em uso severo é 6 meses dentro do motor… imagina nesses motor turbo cheios de tecnologia… eu não rodaria mais que 5 mil km. considerando ainda nossa gasolina de péssima qualidade

                      povo quer ficar 1 ano com óleo dentro do motor compra um carro com motor simples e jurássico, sem grandes aparatos tecnologicos. aí a hora que juntar borra é só desmontar no zeca da esquina limpar e montar denovo

                • Dragoniten

                  Não sei se você já ouviu falar do Lubricheck, um aparelho que mede as características dielétricas do óleo, como acúmulo de limalha do bloco/pistões/anéis, etc, mas o sistema da BMW possui um sistema semelhante que verifica periodicamente o óleo pra saber a troca mais exata. E outra, mesmo que esteja desregulado este sistema, melhor pecar por troca antecipada do que troca muito tardia. Imagine o conserto de um motor desses. O ADG da HighTorque já fez o teste com o Lubricheck em carros com 4~5 mil km que já estavam com o óleo contaminadíssimo, na hora da troca, mas também lembro de um carro de uma Strada, utilizada especialmente em rodovia, que o dono simplesmente esqueceu de trocar o óleo e já tinha rodado 13~14 mil km (não lembro exatamente agora), o cárter estava com deficiência de 1,5 litros de óleo, mas ainda assim o óleo se encontrava em ótimo estado. Existe sim uma variação ABSURDA na troca do óleo conforme o uso.

                  • Edson Fernandes

                    Alias, como Fiat adora beber um oleo…. impressionante. Os Etorq então? cachaceiros!

                    Eu nao sabia nao. Agora, pode acontecer dependendo da situação. O que eu estou dizendo é que as reclamações já ocorreram com o cara que roda sem uso pesado e que daria sim para rodar os 8000km. Mas mesmo assim para algumas pessoas, ainda é necessário a troca com uma quilometragem baixa. Mas eu sou a favor sim de antecipar a troca, como fiz com meu Xsara por exemplo. Troquei a ultima vez com 5000km rodados porque fiz uso pesado do carro (trajeots curtos)

                    • Dragoniten

                      Logo farei a troca do óleo do Ka com 3~4 mil km de antecedência por conta dos trajetos curtíssimos (e com trânsito pra ajudar). De casa até a faculdade são apenas 3,4km e ainda aqui em Curitiba que de manhã, no inverno, o motor está em 14~16ºC, mal dá tempo de aquecer até chegar lá 8h. Desde março o carro sofre com esses trajetos bestas de seg a sexta, dá até dó, rs. Óleo fino é isso aí. O Rocam, apesar de ser um projeto antigo, bebe pouquíssimo. Mesmo nas trocas de 10 mil km o nível nunca ficou perto do mínimo.

                      Só aproveitando o momento pra falar sobre algumas mudanças: Sistema de freios da Ecosport no Ka. Discos de 258mm (contra 239,5mm original) e 22mm de espessura (20mm original). Foi só colocar as pinças da Eco, totalmente plug and play, e colocar os discos e pastilhas novos. Agora sim eu tenho um sistema de freio condizente com a performance do carro, rs. Quero ver esse disco desgraçado empenar agora.

                    • Edson Fernandes

                      Hehehehe

                      O do C3 apesar de não empenar é pessimo. É terrivel sair do Xsara para pegar o C3 porque sempre tomo o susto na primeira frenagem…rs

                      No começo (quando adquiri o C3) achava que era para evitar travamento das rodas (por não ter ABS), mas depois percebi que era ruim de frenagem mesmo.

                      Na Citroen eles te ferram nesse aspecto porque os carros sofreram pequenas mudanças técnicas em que torna a colocação dos discos de um carro que em teoria é superior, adaptaveis e não plug and play. Mas depois de 6 anos…. eu já não tenho mais interesse… agora seria pensando num futuro carro mesmo….rs

                      No C3, ele é tem um motor impressionante de como é ideal para uso no Brasil. Desde que tirei ele 0km, NUNCA vi sequer o oleo escurecer. As propriedades dele eram impressionantes de boas (tanto que os caras quando tiram não sempre, mas questionam se eu nao estou trocando precocemente…rs)

                      Já o Xsara deu dó… saiu PRETO. Fiquei até assustado já que rodei 7000km. Mas também, fui me dar conta que rodei exatos 1 ano com ele. (e o cara ainda falando que poderia rodar mais 1000km).

                      Sério… economia de palito não dá. Tanto que vou antecipar a troca do oleo se continuar com meus trajetos atuais (só faço trajeots maiores, para ir passear, casa dos meus pais ou ainda ver detalhes para a casa), caso contrário não chega também a 5km numa ida ao trabalho.

                    • Túlio Leal

                      Os 2.0 TSI da VW parece que também são bem bebedores de óleo…

        • Marcos Pastori

          Falou tudo amigão! É a explicação mais racional. Quantos não rodam pouco por ano e tem que fazer a revisão por tempo e não por quilometragem ? Não são poucos.

          Aposto que o sistema calcula a quantidade de horas rodadas por semana/mês e soma ao tipo de uso e quilometragem rodada. Ou seja, ele tá falando claramente: Você tá rodando 2mil km à cada 6 meses então, logicamente, terá que fazer revisão à cada 2mil km.Óbvio, todos os carros têm que trocar óleo pelo menos de 6 em 6 meses, porque fica velho e forma borra. Só os donos porcos e pão duros não se dão conta disso.

          Não entendi o motivo da reclamação dos proprietários. Querem rodar 10mil km para fazer revisão ou trocar o óleo, nem que dure 2 anos para tal ??

          Compra carro popular então pô, para não gastar dinheiro com manutenção.

      • Marcelo Alves

        50% está ok quando é uso severo… Pegue um caso genérico, com trocas de óleo a cada 1 ano ou 10000km, porém em uso severo a troca cai pela metade do período (6 meses ou 5000km), pra mim está ok para um carro que roda a maior parte do tempo em cidade.

        • Edson Fernandes

          Eu discordo. Meu carro eu troco sem uso severo a cada 10000km e no uso severo a cada 7000~8000km e nunca me deu problemas. E ele tbm é flex.

          • Marcelo Alves

            Entendo. No meu caso é uso severo 99% do tempo, só cidade, trajetos curtos (10 – 20 min em trajetos curtos de 3 a 6 km) mas muito anda e pára nesse meio e eu troco a cada 7 mil km ou 10 meses. Como é difícil eu rodar 7 mil km num ano, a troca acontece na maioria dos casos aos 10 meses mesmo. Nunca tive problemas também…

            Mas o fabricante nunca vai correr o risco e sempre vai preferir nivelar pelos piores casos, daí a recomendação de reduzir 50% no tempo ou na distância percorrida…

            • Edson Fernandes

              Bem…. aí eu acho justo. Porque é a media de trocas dos meus carros tbm.

              O problema é que ue imagino uma certa maldade tirando a BMW caso as outras fizessem isso. eu prefiro que isso seja isolado pois teriamos problemas inclusive com as fabricantes.

      • m_Ferrari

        Maioria dos veículos reduz o espaço das revisões em 50% quando o carro é submetido a uso severo(pode verificar no manual do seu carro). Acredite, andar em alta velocidade não é considerado uso severo, mas andar muito devagar nos engarrafamentos é, usar frequentemente em estradas não pavimentadas. O maior causador de danos ao lubrificante é quando o veículo anda por curtos espaços e depois fica parado por algum tempo, o motor não atinge a temperatura ideal de uso.

      • Rodrigo R

        Eu tenho dois carros, um uso fim de semana, viagens, férias… o outro uso todos os dia da semana.

        O que uso todo dia troco no máximo entre 5mil km e estourando a 7.5km ou 6 meses, semi sintético, pois é quando o óleo já queimou todo ou já baixou muito. Esta indo apra 200 mil km rodados em 10 anos e nunca fiz motor, esta redondo, sem borra, nada, nunca nem fiz flush. cada troca de óleo 15w40sl e filtros me custa por volta de 180 reais.

        O segundo carro esta com 1 mil rodados somente, comprei em Junho 2014. MAs esta lá no manual, óleo sintético, troca com 1 ano ou 10 mil km rodados ou em caso de uso severo (estradas com engarrafamento, centro urbano, anda e para de sinal…), reduzir pela metade o tempo de troca/revisão, então será 6 meses ou 5mil km rodados, pelo perfil que uso esse carro, só vou fazer a revisão daqui 1 ano.

        Foi nessa besteira de só trocar óleo com 15 mil km rodados ou 1 ano, que quase meio milhão de motores da VW fundiram no GOL, FOX e Voyage 1.0 usando óleo 5w30 !

        Óleo se troca de acordo com o que ocorrer primeiro a km atingida ou no máximo de 6 em 6 meses, dependendo como a pessoa dirije o carro.

      • leosena

        Essa variação da quilometragem é a só a metade do problema. No início do ano cogitei adquirir uma 320i e, além deste fato, outro que me fez desistir da compra foi que a BMW não tem uma tabela de valores das revisões do modelo. Pesquisando tomei conhecimento que cada CSS pratica os valores que entende devidos e li relatos de proprietários que chegaram a pagar mais de R$ 900,00 por uma simples troca de óleo. Inadmissível na minha concepção para um modelo que é considerado de entrada da marca, mesmo sendo ela “premium”.

    • ENP

      Cara, há VÁRIOS relatos nestes foruns em que os proprietários testaram dirigindo só na “maciota” e mesmo assim a quilometragem para a troca vai caindo assustadoramente. Mesmo cuidando, há esta queda absurda. E se for para ficar cuidando em não passar de 2500rpm em um carro deste nível, qual o sentido de comprar um BMW? E tem mais: tem países que o 320i sai setado de fábrica para fazer troca de óleo com 25000km. Não é motor flex, mas tem algo de errado aí, não achas? Trocar óleo a cada 3 ou 4k km? Tô fora! E olha que adoro a marca…

      • DevXav

        Deve ser porque no Brasil, tudo é carnaval..
        Óleo, combustível, etc…

        A BMW está apenas “repassando” para o cliente a realidade das condições do país, tentando evitar que seus produtos sejam simplesmente destruídos por tais condições.

        Obviamente deveriam mesmo é produzir um motor especifico para o Braziu ziu ziu, mas isso eu duvido muito que ocorrerá por enquanto.

        Uma rápida análise de mercado não deve favorecer em nada esse tipo de “pesquisa” e “desenvolvimento” “de motores especiais para a república das bananas” dentro da BMW.
        Já fizeram foi muito em adaptar esse ActiveFlex…

        Isso sem contar que essa “téquinologia Fréquis” sinceramente não é nem um pouco visionária ou verdadeiramente sustentável, é apenas uma maquiagem, uma vez que existem outras soluções EXTREMAMENTE melhores e mais viáveis.
        A Fréquis incentiva apenas os grandes produtores de cana do país que não querem nada além de se manter no poder; dinheiro.

        Enfim, viva a república das bananas e, por hora, evite esse tipo de carro Flex, dando preferência à versão normal (se disponível) e abasteça apenas com PODIUM. :)

        • CorsarioViajante

          “deveriam mesmo é produzir um motor especifico para o Braziu ziu ziu, ”
          APzaun!!!!! kkkkkkkkkkkkkkk

          • DevXav

            Fato huaehueahuehauae
            Só o bom o velho APzaum pra aguentar isso aqui huaehueauhaehuea

        • Edson Fernandes

          Eu já acho que o sistema flex para um BMW é uma saida interessante do ponto de vista financeiro. Esqueça meio ambiente, o negocio é avaliar o bolso do consumidor. E o cara pode pensar nisso e conocrdar que gastará menos.

          Agora, vai me desculpar… assim como já tivemos outros importados, ou taxa um valor minimo de troca ou tira isso. Eu acho muito exagerado um rodar normal em que a pessoa recebe inicialmente 12000km para rodar e depois recebe outro de 6000km com o mesmo tipo de rodar.

          • DevXav

            Sim, eu também não acho correto o que eles fizeram pois quem perde, no fim das contas, é o consumidor..
            Isso sem falar que “queima” a marca atoa..

            Com certeza tem algum bug no sistema deles, isso é certo.

            O problema é que eles querem repassar isso ao cliente e, a grosso modo, eles pensam: “O país é de vocês, a legislação é de vocês, vocês querem o carro “Fréquis”, mas financeiramente a BMW não vai arcar com isso.. Cada um com seus problemas..”

            :(

            • Edson Fernandes

              Mas sabe qual é o outro problema que eu vejo?

              É que se esse problema afetasse uma marca como a Fiat por exemplo, os comentários seriam: “Ah, mas ´so poderia ser Fiat mesmo”.

              Quando é uma marca que tem um conceito superior, é o consumidor que é mão de vaca e se queixa de algo que o sistema faz correto. Não que eu tenha dito isso para todos que me contraargumentaram, mas tem alguns que babam o ovo e acham que a engenharia alemã é isenta de problemas.

      • Diego Nameko

        Está na cara que é a “destequinologia fléquici”, incluir em um motor que inicialmente é mono combustível 3 tipos de combustíveis sendo 1 não explosivo, ferra tudo mesmo. Foi erro da BMW fazer esta adaptação, que nem funciona direito.
        Me surpreendi onde diz que o Start & Stop não funciona.

        • Hiboria

          Só para ficar claro, motores da série 1 também estão apresentando e não são flex! Certo?

          • Diego Nameko

            Start & Stop não funcionando?
            Outro fator pode ser o uso do combustível incorreto.
            Tem uns modelos que consta no manual que deve ser usado gasolina com 91 octanas.

            • GPE

              Não. Vc tem que saber qual é o padrão da medida. Segundo consta no manual do carro, o ideal é usar combustível com octanas 91 no método AKI ou 95 no RON e o mínimo indicado é 89 AKI ou 91 RON, o que se encaixa no padrão da gasolina comum aqui.

              • Diego Nameko

                entendi, valeu.

                • GPE

                  O método utilizado pela Petrobrás é o IAD. Procura aí tabelas de conversões RON, AKI e IAD. Uma vez postei sobre isso, mas não tenho como saber onde está.

              • Edson Fernandes

                E ainda… só para ajudar nessa análise, quando o cara coloca alcool, a octanagem aumenta expressivamente (e tem maior valor de queima)

      • FerSaccon

        O próprio combustível contamina o óleo. Logo, é de se esperar que as revisões sejam antecipadas por aqui, vista a qualidade da gasolina e do álcool. A partir do momento em que acende a luz no painel, quantos km o proprietário tem para fazer a revisão sem perder a garantia?

        • Edson Fernandes

          Onde isso acontece? Porque o alcool faz isso?

        • GPE

          1000km, se não me engano.

    • Martini Stripes

      Discordo plenamente… Alguem que rode na estrada sempre a 2.500 rpm no motor, é uma coisa. Outro que rode na estrada sempre a 5.000 rpm no motor é completamente diferente!!! Lembrando que cidade e transito pesado tbm é muito prejudicial. A conta da BMW mostra o que seria aconselhável de acordo com a utilização do modelo. Acho justo.

      • Paulo Varchavtchik

        Eu tenho uma BMW 320i mono 13/14. O problema é a variação na km que sai setado da ccs com a efetiva troca do óleo. Lembrando que o óleo usado é 100% sintético. Meu carro saiu setado para 8.000km e a troca se deu com 5.600km. Nos USA o carro, hoje, sai setado para 16.000km e nunca vi um relato de dono dizendo que o carro pediu troca de óleo antes de 20.000km. O que acontece é que aqui no Brasil somos explorados e aceitamos e lá os caras brigam. Lá eles não pagam as trocas de óleo até 80.000km. Aqui pagamos R$ 600,00 (no meu caso) por troca. Tenho que mencionar que a efetiva revisão do meu carro está apontando para 50.000km no computador de bordo, e isso acho bem razoável. Fora essa questão, que sinceramente não considero um grande absurdo, o carro é totalmente excelente. Só a título de informação, meu carro a 180km/h a rotação do motor está em 3.000rpm e consumindo 12,5km/l. Fico com ele sem reclamar.

    • Netovski

      Avalia pelo estado do motor, com intervalos menores para uso severo.

      Eu acharia até bom, elogiaria o carro por isso.

      • GPE

        Só não acharia bom quando tivesse que pagar mais de 700 reais numa troca de óleo ou mais de 1000 numa revisão simples de filtro de ar e de combustível + óleo.

        • Zergling

          É o preço da qualidade.

          • GPE

            Definitivamente, não. Ele cobram 80 reais num litro de óleo que custa 50 em qualquer lugar e 300 de mão de obra. Nunca vi nenhuma CCS parecer loja de conveniência de posto, onde as coisas custam 50% a mais que no mercado.

            • Zergling

              Sério? Todas as concessionárias que já fui ( VW, Peugeot e Fiat, em Brasília ) cobram desse jeito que você falou, uns 50% mais que em outros lugares.

              • GPE

                EU nunca vi isso.
                Na GM, o preço de óleo sintético 5w30 SN não passa de 35 reais, ou seja, preço de mercado. Mineral 5w30 SL menos de 24.
                O mineral 20w50 é na faixa de 17 (esse sim, um pouco mais caro que nos postos de gasolina).

                Na Honda o 0w20 sintético (SM ou SN, não me lembro ao certo) é menos de 40 reais

                • Zergling

                  Acho meio contraditório isso. Afinal, é por esse motivo que existem milhares de oficinas que não sejam as de concessionárias. Se fosse o mesmo preço, não teria motivo algum alguém levar o carro em outra oficina que não seja a autorizada da marca.

                  • GPE

                    A grande diferença das oficinas comuns para as de ccs é o preço da mão de obra. Se vc for usar peças originais nas oficinas de rua, o preço da peça será bem próximo ou até maior que o da CCS (já vi isso) e vc ganha na mão de obra. Por exemplo, vc quiser cuidar de um BMW, o preço dos filtros de óleo, ar, etc… será próximo ao da CCS, mas vc vai economizar bastante na mão de obra.

                    Agora se vc for usar peças paralelas, seja um popular ou um importado, o preço realmente cai.

                • fschulz84

                  Na própria Ford, o óleo 5W30 Sintético Motorcraft custa basicamente o mesmo preço do mercado (média de R$ 27,00/litro).

                  Mas se for trocar lá, a mão de obra assusta…

                  • GPE

                    Na GM se cobra cerca de 40 reais de mão de obra pra trocar o óleo e filtro. É o preço do carimbo. Porém, tem algumas ccs que não cobram

                • Dragoniten

                  Auto peças você encontra fácil 5w30 100% sintético SN por 23~24 reais. Por 32~34 reais você já encontra Valvoline aqui em Curitiba nessas mesmas especificações. É absurdo a concessionária, que deve pagar o mesmo ou até um menor preço que uma loja de auto peças, vender por 50% mais caro e ainda cobrar M.O. em cima de uma troca de óleo. Por essas e outras que essas trocas eu faço em casa.

    • CorsarioViajante

      O problema, inclusive, seria do modo de condução do motorista.
      Por exemplo, um cara que dirige de forma extremamente agressiva vai precisar fazer manutenção de forma mais intensa. UM outro, que só pega estrada e anda tranquilamente, provavelmente conseguiria os 12.000km.
      Mas esta revisão “flutuante”, embora seja correta do ponto de vista técnico, ainda é estranha.

      • GPE

        Impossível chegar aos 12mil km. O carro qnd 0km aponta a revisão para 8mil KM. Esse cara da reportagem deve ter se confundido.

        • CorsarioViajante

          Obrigado pela correção, me fiei no texto.

          • Coutinho

            A reportagem está correta. As novas 320 saem com 12mi km

    • Paulo B.

      Se ela muda conforme o tipo de condução do veículo, então nem é tão programada assim né?

    • Rodrigo R

      Ao meu ver é a forma mais honesta para se fazer revisão em um carro.

      Se vocÊ usa seu carro só no fim de semana para ir a padaria, o gasto de óleo, lubrificação, filtros… é um, agora se usa o carro todos os dias para ir e voltar do trabalho, ou faculdade, ou fica no anda e para da cidade, vocÊ temq ue fazer na metade do tempo de quem só usa raramente o carro.

      Dai vem o uso severo e “condições normais”.

      Parabéns a BMW por ter um sistem aque “lê” a forma que o veículo é usado, e não apenas se toma como base o tempo e km rodada.

  • Marcos Lopes

    > cagada o flex nestes carros ! sem a < necessidade !

  • pedro

    Nossa.. REALMENTE o povo não lê manuel, nao presta atenção quando retira o Carro

    1- Não e problema a mudança da estimativa de revisão!!! e fato, a BMW deixa EXTREMAMENTE CLARO que nos novos carros, o carro conforme o uso elabora uma metrica de uso e condições das peças para ajustrar a melhor KM de revisão, ISTO e claro

    2- O Povo novamente não “Le manual”, lá e claro a observação do Alcool e uso no Stop Start..

    PQP… .. cada um que me aparece

  • Marcos Vinicius Bittencourt

    Comprar é fácil, quero ver manter.

    • Gustavo Cruz

      Usualmente quem tem 130K para desembolsar numa BMW tem sim, grana pra manter!

      • Marcos Vinicius Bittencourt

        Então a reportagem esta equivocada. Pelo que eu entendi os “proprietários” estão reclamando que estão tendo que fazer revisões em intervalos não convencionais.
        Certamente é um inconveniente, mas quem tem uma com certeza não deixará de fazer a manutenção, por mais “cara” que ela seja.

        • GPE

          Não vai deixar de fazer, agora pode pesar no bolso, caso a pessoa rode muito com o carro (mais de 20mil KM por ano). Imagina vc fazer 4 revisões por ano a módicos valores acima de 700 reais. Pesa muito!

  • Mateusw

    Carro flex é uma furada.. Cai fora dessa BMW!

  • só eu acho besteira carro flex?
    qual o real beneficio? eu nao vejo nenhum, alem de ser um combustivel mais “seco” e nao lubrifica o motor como a gasolina, ainda por cima está tao caro que nao compensa o uso do mesmo.

    • Diggo

      Benefícios ambientais e o meio ambiente é um só. O dinheiro podemos ganhar mais.

      • Martini Stripes

        Entao pq nao motores a alcool?

        • João Cagnoni

          Porque a produção de etanol não é suficiente.

          • Diego Nameko

            fácil de resolver.
            de 100 gols produzidos.
            vamos produzir 70 movidos a gasolina e 30 movidos a etanol.
            E assim as montadoras lucram menos com menos revisão, Os usineiros lucrarão mais por ter mais carro a alcool e a Petrobrás terá que importar mais gasolina. hehe

          • Thiago_NCO

            Nem a de gasolina. Por isso importamos, embora nossa produção de petróleo seja alta. Mesmo assim há motores exclusivamente à gasolina.

    • Minerius Valioso

      É uma gambiarra à brasileira que inventaram no Série 3.

      Isso sem contar que o etanol não tem o mesmo poder de lubricidade da gasolina, coisa que influencia na durabilidade dos componentes do motor.

      • Diego Nameko

        fora a água que vem junto no Etanol.

      • Dragoniten

        Utilize Etanol V-Power pra solucionar os problemas de lubricidade então. Já leu sobre o combustível?

    • Dragoniten

      Não generalize. Aqui em Curitiba a relação de preços entre Etanol e Gasolina sempre fica na casa dos 65~75%. Considerando ainda que a % de etanol na gasolina está cada vez maior, a regra dos 70% começa a “virar” a regra dos 68~66%, rs. E considerando ainda que eu tenho um carro com taxa de compressão bem alta, fazendo com que a relação de consumo Etanol/Gasolina fique na casa dos 80~85%, compensa sim a utilização do etanol. Lubrificação? Não tem problema, aqui em Curitiba é fácil de encontrar o Etanol Aditivado da Shell, que supre essas deficiências do Etanol comum.

  • Minerius Valioso

    “No entanto, especialistas em BMW explicam que o Start&Stop não ativa com etanol para evitar danos ao sistema de lubrificação do motor, já que o etanol contém água, o que poderia comprometer a durabilidade e funcionamento do propulsor.”

    Há ainda quem defenda esse lixo de águanol. Definitivamente, nem deveriam ter feito essa gambiarra no Série 3.

    Existe até uma matéria da QR mostrando que se usar muito álcool, mesmo no flexível, posteriormente dá problemas.

    • Mazembe 2X0

      Mas a culpa não do combustível derivado da cana e sim dos motores que não são projetados para seu uso , e claro , o preço perante a gasolina .

    • Edson Fernandes

      Qual é esse tempo de problemas? Porque eu tenho um carro flex por 6 anos e até hoje nunca tive problemas na linha de combustivel. Só faço a revisão como deve ser feita até hoje.

      • Minerius Valioso

        Não sei lhe explicar em detalhes. Talvez o ADG possa te responder.

        • Edson Fernandes

          Então… não é tirando onda com vc, só estou dizendo isso, pois nãi sou apenas eu que nunca teve problemas e eu acho que sim, nosso combustivel ferra uma série de itens no carro, mas que fica longe da forma que dizem por ai.

          É uma realidade que temos uma série de manutenções precoces se comparado a outros mercados, mas ainda assim, acho que atualmente essa coisa de problemas de alimentação já nao são tão em massa (nesse caso é uma leitura de pesquisas, não somente o Edson falando).

  • afonso200

    entao o UNO 2015 nao pode desligar , pois com nossa gasolina benzida com mais de 25% de etanol, vai ferrar com o carro,,,,quero só ver todos reclamando desse start stop da fiat

    • Z.

      Pensei a mesma coisa. Se em um motor BMW não conseguem fazer o S/S funcionar, imagina em um carro de entrada da Fiat HAHAHAH

      • DevXav

        Um motor BMW faria muito melhor que isso.

        O problema é: Você acha mesmo que seria viável para a BMW investir em pesquisas de motores especiais para a republica das bananas?

        • Marcos Vinicius Bittencourt

          Motores específicos para nós não, más pesquisas para adaptações sim. Afinal uma fábrica está prestes a sair do forno.

        • Diego Nameko

          Com certeza a BMW se achou obrigada a implantar esta adaptação, já que as taxas para carros mono combustíveis são surreais. E depois de a BMW investir em fábrica aqui veio o governo com o “VOUTEROUBAR AUTO” dar mais um empurrãozinho dentro da b…a da BMW e outras montadoras.
          Com certeza a BMW vai perder sua credibilidade por falta de pesquisa nesta adaptação.

      • Edson Fernandes

        E então, eu me lembro daquela falacia da Honda que CVT não aguentaria para motores Flex e depois veio a Nissan e colocou o tal CVT.

        Eu vou ser ousado no que vou dizer: Mas tenho praticamente certeza que outros turbo-flex que vierem não terão esse problema. E digo mais: Se esse da Fiat funcionar a contento… eu quero ver.

        • Z.

          Na verdade veremos o real potencial disto daqui uns 2~3 anos, que é quando os Unos que serão vendidos hoje com S/S flex já terão alguns kms rodados.

          • Edson Fernandes

            O que me chateia é vir com esse bordão porque´e uma Fiat.

            Isso aconteceu com o cambio TCT dela e hoje, esse comporta até mesmo motores com um torque alto.

            Só que o comportamento dele não é para ser um cambio bem rapido, mas sim evitar consumo e dar o conforto de um cambio automatico.

  • zekinha71

    Ou seja virou flex pra ficar uma b…, ou porcaria.

  • sheldonDS3

    Ou seja, estragaram o bom motor, tornando-o flex e com isso levaram junto o start-stop que ficou uma porcaria utilizando etanol.

  • Jayme Júnior

    Acabei levar a 320i flex da minha mãe para a troca de óleo. O painel acusando que estava na hora. O carro está com apenas 3.000KM e 9 meses de uso. Estão cobrando um absurdo de R$ 1.045,00 pelo serviço de troca de óleo. Falaram também que está incluso nesse preço uma inspeção eletrônica geral do carro. Eu contestei o valor e falei com o gerente, mas me informaram que o preço é esse mesmo. Não abaixaram 1 centavo. É totalmente fora da realidade esse valor e a troca de óleo ser com apenas 3.000km

    • João Cagnoni

      O pior é que qualquer marca premium pratica estes valores no nosso querido país. Por eles a troca de óleo seria toda semana, fariam um pátio pra receber todos os BMW da cidade todo sábado.

    • Miguel Lima

      Sem querer entrar no mérito do sistema ou defender a BMW, acho q 3 mil km realmente é pouco, mas 9 meses não (VW e Ford por exemplo, a troca é em 10mil km ou 6 meses, o que ocorrer primeiro) Dessa forma, pelo tempo (9 meses) não estaria tão fora da realidade – até pq uso severo reduz os tempos pela metade nas outras marcas que teriam a troca anual, como Fiat, PUG, Citroen, etc. Desconheço a sistemática da Audi e da Merc, mas deve ser parecida com a da BMW

    • Martini Stripes

      Cara, 3.000 km em 9 meses? Trajetos rápidos e curtos, caracteriza uso severo.

      • Márcio Sousa Rocha

        Sempre vejo uma história de que o óleo lubrificante tem validade de 6 meses.
        Não sei até que ponto isso seja relevante, visto que a maioria das revisões são feitas com mais de 6 meses. A Ford que tinha alterado a periodicidade para 6 meses está mudando para 1 ano, a partir da segunda.

        • GPE

          Óleo mineral, sim (apesar da Honda ter usado esse tempo todo óleo mineral e revisões a cada 10mil KM ou 1 ano).

          O sintético pode durar 1 ano.

          • Márcio Sousa Rocha

            Opa, valeu pelo esclarecimento.

      • Jayme Júnior

        Minha mãe anda bem pouco com o carro. E eu quase não o utilizo. Mas o que realmente me assustou foi o preço cobrado

    • Marlo Gomes

      Olha, no caso do carro da sua mãe, não deve ser os km e sim os noves meses! Até nossas montadoras especificam “tantos” km ou seis meses, o que vier primeiro.

    • Louis

      Talvez a troca no seu caso seja mais pelo tempo do que pela km, pelos trajetos curtos… Mas seu relato é um “tapa na cara” dos que falam que manter um premium alemão é quase mesma coisa que manter um Corolla.

      • Jayme Júnior

        Meu pai tem um Corolla 13/13, e já teve outros e não troca por outra marca, muito menos importado. Realmente é muito diferente para manter, as revisões são bem mais em conta. Mas o seguro da BMW não achei muito assustador, ficou na casa de R$ 3.500,00

        • Edson Fernandes

          O problema é o custo de peças. Se a revisão já tem preço alto, imagina o de peças… e é isso que muitos aqui no site vem com aquela velha: “Ah com esse dinheiro dá para pegar um BMW Serie 3 2001”.

          Sério, o cara não tem noção do quanto custa para comprar um amortecedor, freios, oleo….

          • Jayme Júnior

            Concordo, Edson. Já tive amigos que tiveram essa idéia de comprar um usado como vc citou e foram bem infelizes na hora de comprar uma peça.

    • Antonio Pacheco

      Eu ia comentar justamente isso. O problema, da quilometragem variável para as revisões é que você sai para fazer uma viagem longa, e não sabe se vai ser obrigado a procurar uma concessionária para fazer revisão. E o pior, se tiver que fazer a revisão, depois de 3 mil km, o preço é uma facada.
      Outras marcas, como a concorrente Mercedes, prevê revisões a cada 8 mil km, o que acho mais coerente.

      • Jayme Júnior

        Eu tenho um Audi Q5 13/13 e as revisões são a cada 6 meses ou 10mil km. Fiz a primeira com 6 meses esse ano e ficou em torno de 600 reais. Fazendo as devidas comparações, o preço da BMW tá muito elevado. Fora que o atendimento da concessionária Audi da minha cidade é bem melhor, oferece serviço de transporte ao cliente, nem isso a BMW oferece. Parece pouca coisa, mas já é um agrado ao cliente

        • Edson Fernandes

          Alias, isso que caracteriza um atendimento a imagem da marca.

          Eu deixaria de ter um produto com essas manutenções aparentemente precoces.

          Ainda que tenham siido 9 meses já… ocorreu comigo e acredito que com muita gente de poder trocar o oleo nas indicações recomendadas.

        • Marcelo Henrique

          Cara, não é por nada não mas até as concessionárias Fiat, Chevrolet e Volkswagen oferecem o serviço de leva e trás no DF.
          Imagino que a BMW tem este serviço também.

          • Jayme Júnior

            Aqui em Goiânia infelizmente a BMW não oferece

    • Marcos Pastori

      O problema não é a troca de óleo ser com ”apenas 3.000km”. O óleo está há 9 meses dentro do cárter colega. Vai formar borra e entupir tudo. Óleo tem prazo de validade, e são 6 meses, no máximo. Ou por quilometragem; normalmente 10mil para carros ”populares” e 5 mil para esportivos. Até um Uno 1.0 8v faz a troca dentro desse prazo.

      Quanto ao valor de revisão, vocês não perguntaram quanto seria o serviço de revisão no ato da compra ? A BMW cobra isso mesmo de mão-de-obra, em qualquer lugar.

      Deve estar tudo isto que eu falei lá naquele livrinho de instruções que a BMW fez, até em português. Se chama manual.

    • Danilo

      Ta louco!! mao de obra de ouro heim!!!! o oleo em si na sai mais do que 400 reais.

    • Marcelo Henrique

      Todos que conheço que compraram BMW falam mesmo que a manutenção é uma facada violenta.

    • Dragoniten

      Não é por nada, mas com uma média de 11km/dia, não me impressiona nem um pouco que já tenha dado o tempo de troca.

  • Dionatan

    Quer ostentar um BMW ! esse é o resultado , se for por conforto e esportividade vários carros fazem isso por menos .

    • João Cagnoni

      Típico comentário de pobre. Por que você acha que alguém não tem o direito de ter um carro melhor?

      • Martini Stripes

        Não é isso não, ele só falou que o cara deveria ter visto preço de manutenção antes de comprar. Comprou BMW e vai reclamar do preço de revisão em CC? Não faz sentido.

        • João Cagnoni

          Os preços cobrados por eles são abusivos. Não é só BMW, pior é a Porsche que cobra 20k por qualquer coisa que vc precisar deles.

          • Martini Stripes

            O que abusivo? Quer comprar um Rolls Royce e pagar revisão tabelada Nissan? Não dá né. hahahah.
            Sem contar que tudo pra esses carros deve ser importado. E quando vc deixa o carro pra revisão eles te oferecem uma limousine pra voltar pra casa. Faz parte jovem… Faz parte do mundo capitalista.

            • Edson Fernandes

              Isso eu discordo.

              Eu não vejo sentido a nao ser que o oleo seja especial, de cobrar por algo que custa uma mixaria em outros carros. A exemplo da Ford, já houveram peças em ue eles cobravam mais por ser um Focus.Qual o sentido?

              Em qualquer lugar do mundo, se vc usa um oleo em um Ford Ka e se esse oleo fosse indicado para uma Ferrari, ele seria usado no mesmo preço… só aqui que ele custaria mais por ser uma Ferrari.

              Eu entendo qdo a coisa é especifica… um freio, amortecedor, mas coisas de uso comum como o oleo? Filtro de oleo? Tenho certeza que não.

              • Martini Stripes

                Entendo seus argumentos, muitas vezes injustificáveis, só acho que ele pode alegar que a M.O. envolvida é especializada e o cara foi treinar na Alemanha (ou Inglaterra, Itália, etc…) para realizar a troca de óleo de acordo com os procedimentos da marca. E aÍ? Ele põe o valor da peça normal, mas a MO é cara. Sem contar os serviços “cortesia” que devem estar envolvidos numa compra de um carro como esse.

                • Dionatan

                  De fato que esse carro de luxo tem que ter um valor bem diferenciado de manutenção agora esses modelos de entrado das marcas Premium que não muita coisa além dos modelos nacionais esses sim tem valor mais carro apenas pelo nome

                • Edson Fernandes

                  Eu entendo Luis, sei como funciona no nosso mercaod. Só disse algo que eu não concordo. Aqui no Brasil é bem aquela cultura de que se vc tem um Iphone, vc tem que pagar pelos gadgets dele. Se vc tem um BMW tem que pagar pela manutenção porque é um BMW.

                  Entendo quem estudou e exige o retorno, o que não concordo é com um exagero gigante para coisas simples. Vamos ser justos… uma troca de oleo mesmo de um BMW não exige nem ferramental especial… te digo tranquilamente que o que exige tal conhecimento é o sistema de arrefecimento e os controles eletronicos. Isso sim o buraco é mais embaixo. O problema no Braisl é que qualquer coisa que vc seja leigo, vc será totalmente devorado pelo custo.

                  Eu me sinto ultrajado de não ter um carro superior, pq os mais simples custam o preço de otimos carros em outros mercados. São coisas mais de indignação do que exatamente a realidade que convivemos.

                  • Martini Stripes

                    Quanto a valores de carros, sao questões econômicas que não são tao simples assim. UM Golf aqui custa o mesmo que na Europa, e um engenheiro aqui ganha algo bem parecido, talvez em paises onde o desemprego esteja melhor o engenheiro ganhe mais. O que acontece é que todo mundo compara preços com EUA, ou até mesmo Chile onde não há montadoras, aí é covardia. Enfim, quanto a valores dos carros, faça as contas e vc vai ver que é isso mesmo. Ainda somos 3 mundo, temos um déficit grande com menos de 1 carro por habitante, o que torna isso um bem de luxo.

                    Quanto a valores de revisão, não acredito que isso só ocorra aqui não, eu não pesquisei os valores de revisões lá fora mas acredito que sofrem o mesmo tratamento. E sim, se vc comprou um BMW vai pagar mais por coisas que são mais baratas na terra do vizinho pobre. Tire esse complexo de que tudo aqui é pior que lá e me mostre números, aí seu argumento será válido.

                    • Edson Fernandes

                      É ai que mora o problema. No Brasil as peças para serem vendidas, precisam serem feitas tudo a parte porque o brasileiro não troca o conjunto.

                      Eu dou o exemplo da correia dentada em que o pessoal troca apenas a correia sem o rolamento e isso pode trazer problemas futuros. Em outros países eles só trocam o kit. Só que para trocar, eles rodam 90000km para cima.

                      O custo de manutenção é inferior em qualquer situação.

              • GPE

                A GM cobra 30 num popular (Celta, Classic), 40 num melhorzinho (Cobalt, por exemplo) e 50 de mão de obra do Cruze pra cima, sendo que o serviço é idêntico.
                O do Cruze, inclusive, é mais simples que os outros carros pq é apenas um refil do filtro de óleo. Ou seja, cobrança sem sentido, só pq o carro é mais caro

                • Edson Fernandes

                  Concordo.

                  Alias, esse motor Ecotec tem a mesma arquitetura do familia I no sentido técnico para com o oleo. Ou seja, não faz sentido ser mais caro só porque e um Cruze mesmo.

          • Guest

            se tem ente que paga vai continuar assim, o meu dinheiro tem melhores aplicações do que ficar ostentando !

          • Dionatan

            Se eu fosse dona da concessionária e tivesse gente pagando não teria porque baixar .

      • Dionatan

        Pobre olha o meu Golf GTi antes de fala mais nada
        Dois meses atrás ao invés de ter comprado GTI poderia ter pego uma 320i ou 118i sport um fator determinante foi o valor da manutenção ao contrário de muita molecada nova que gosta de ostentar !

  • Victor Fernandes

    Eu tenho uma 320i há aproximadamente 6 meses adquirida 0Km na AutoBahn em Santos SP, existem aspectos à serem comentados;
    Primeiro o uso do etanol realmente diminui o tempo de revisão drasticamente e o start stop realmente não funciona por nada na vida, fato que NEM a própria concessionária conhecia;

    Segundo se vc tiver o pé pesado vai se dar mal na hora da revisão tb, qqr brincadeirinha no modo “SPORT” com o câmbio no “SPORT” vc vai perder km de revisão.

    Meu carro era pra fazer revisão com 8000km inicialmente e vou fazer com 6000km, devido voltar a utilizar gasolina e controlar o pé.

    Porém, o carro é excelente, com etanol fica muito mais esperto (fato mencionado na Full Power), mas sinceramente é ruim vc ter que se podar com uma nave dessas na mão.

    Esse é o meu primeiro BMW e nessas condições eu começo a repensar o fato de adquirir um semelhante nas próximas trocas.

    • João Cagnoni

      O consumo no Etanol cai pra quanto nessas aceleradas com sport? 1km/L?

      • Victor Fernandes

        João, o consumo médio com etanol na cidade ficava na casa de 7,8km/l e 12km/l na estrada, mas quando afunda o pé pelo instantâneo ficava na casa de 5,5 a 6 km/l.
        Mas te digo, é outro carro, fica bruto #bompracaralho rs

        • João Cagnoni

          Perguntei por curiosidade mesmo. O carro parece bem econômico, o meu tem 150cv e faz 8km/L na GASOLINA na cidade, mas quando afundo o pé cai pra 4~5km/L. Pensei que a perda seria maior na BMW, pois o motor é mais bruto. Eu sei que é humilhante, mas meu carro tem literalmente metade das marchas do seu… hahaha

          • Victor Fernandes

            Sem problemas, com gasolina na cidade é 11,2km/L e na estrada a 110km/h ele faz IMPRESSIONANTES 19km/L realmente é algo fora do comum, qdo viajei até tirei foto do painel para não acharem que era história de pescador…rs (Segue em anexo)

            • GPE

              Informação procedente. Em reta o carro faz exatamente isso. A dica é ligar o limitador de velocidade, pois ele corta a injeção e evita que vc pise mais que o necessário pra manter a velocidade.

              • Victor Fernandes

                Exatamente GPE, limitador acionado no momento da foto ;)

                • João Cagnoni

                  Pelo menos no meu carro, andar pisando com o limitador ligado é pior do que rodar com o piloto automático. Com o piloto automático consigo médias bem melhores.

                  • GPE

                    No BMW é o contrário. Limitador é bem melhor, apesar dela não ter o piloto AT.
                    Digo isso pq, apesar o piloto AT dar conforto, ele sempre quer tirar o máximo de desempenho pra manter a velocidade programada e isso aumenta o consumo mais do que se a pessoa tiver o pé controlado (caso não tenha limitador)

                • GPE

                  Colega, fica apenas o conselho pra desligar o farol de neblina traseiro (a luz amarela ao lado do farol de neblina dianteiro) caso não esteja passando por área com muita neblina, pois aquilo f0de quem vem atrás, além de parecer que o carro tá com problema na parte elétrica pq fica parecendo que a luz do freio tá acesa o tempo todo.

                  • Victor Fernandes

                    Valeu pela dica, mas no dia foi necessário!

                  • Gustavo Cruz

                    Isso realmente é bizarro.

                    E o pior é que eu vejo aos montes Gol bolinha com aquela luz ridícula de um lado só do para-choque ligada, e o infeliz achando que tá bonito na fita.

            • Antonio Pacheco

              Consumo da 320i turbo é melhor do que muitos populares. Ainda vou ter um 320i, parabéns pelo carro.

              • Victor Fernandes

                Valeu Brother.
                É o meu primeiro BMW, sonho de consumo realizado.

              • Boris

                eu já ficaria contente com uma 116i

        • Marcelo Alves

          Consumo muito bom, dá tristeza quando comparo com meu Polo 1.6, que mal faz 7km/l na cidade e 11,5km/l na estrada (no álcool) e se pisar muito não dá nem 6km/l na cidade hahahaha

        • fschulz84

          Nossa… 7,8km/l no etanol na cidade é de deixar muito 1.0 com inveja!!!

          E na gasolina?

          • Victor Fernandes

            Caro, do comentário acima “com gasolina na cidade é 11,2km/L e na estrada a 110km/h ele faz IMPRESSIONANTES 19km/L” (tem foto mais pra cima do velocímetro).

          • Edson Fernandes

            1.0???? Qualquer carro!!!

            Eu prefiro ter um 320i com esse consumo do que um up por exemplo.

    • duhehe

      Qual o valor das revisões +- ?

      O meu carro possui revisões relativamente baratas, então não sei julgar como iria pensar se as revisões fossem caras a ponto de impactar a conta bancaria do mês e muito frequentes.
      Mas sou da cultura que em alguns casos, mas vale um gosto que o dinheiro no bolso.

      • Victor Fernandes

        Meu caro, o sofrimento será esse mês ainda não liguei na concessionária para saber…rs
        Mas quando souber comento aqui.

      • GPE

        Pelo menos 700 reais uma troca de óleo

    • Diogo Rengel Santos

      É algo interessante. Entretanto algo me deixa de certa forma com a pulga atrás da orelha…. Estas quedas de quilometragem só acontecem no modelo flex?

      Outro ponto intrigante…. Era esperado que o carro com estes recursos “sport” não sofresse alterações de validade das revisões. Fico com as seguintes impressões – ou o carro não é tão robusto assim, ou a engenharia está simplesmente esclerosada ou ainda pode ser artimanha da marca para levar o carro do cliente mais cedo para a oficina…

      Isto não me agrada nem um pouco

      • Victor Fernandes

        Diogo, também não me agrada não…rs
        Mas essas surpresas só aparecem depois que compramos.
        abraços

      • GPE

        A “queda da quilometragem”, como vc falou, acontece na flex e na mono e não é exclusivo da 320i. Todos os BMW são assim

  • Raimundo M.

    Os questionamentos sobre a manutenção variável são pertinentes, mas sem saber como é feita a programação deste, não tem muito o que reclamar. Já é sabido que veículos que circulam pouco, ou seja, percursos pequenos ou mais parados que rodando estão no mesmo grupo de aplicação severa, então são forçados a antecipar as revisões. Se esse sistema da BMW é varíavel e não se sabe quantas variáveis ele analisa e baliza para determinar o tempo para a próxima manutenção, o dinamismo é amplo.
    O Start/Stop não funcionar se o etanol estiver acima dos 30% acho um valor baixo, afinal nossa gasolina já fica na casa dos 25%, e os mono combustíveis com o sistema estariam funcionando. 5% faz tanta diferença? Se fosse acima dos 40% ou 50%, concordo, pois neste o caso o veículo já passa a ter dificuldades em dar a partida dependendo da situação e nos que não tem o tanquinho, o sistema de partida é mais exigido e para ter o Start/Stop este é reforçado para suportar os liga e desliga.

  • Gustavo73

    Características do produto. Melhor para o motor. Mas então porque muitos reclamam que Ford e VW fazem revisão a cada 6 meses. Não seria por motivos parecidos.

  • GPE

    Realmente essa questão da revisão é f0da!
    Mesmo andando muito leve, não tem como passar de 7mil KM.
    Se andar esticando de vez em quando é normal pedir troca a cada 5mil KM

  • EVsutil

    Start/stop não funciona com etanol, então… vamos ver se o da Fiat tbm não vai funcionar. Aí, o sr. etanol pode ser jogado no lixo, junto com a quadrilha coronelista que nele está escorada há décadas.
    Outro detalhe: a fábrica da BMW já está sendo concluída?! E as chinesas que estão há 5 anos “se instalando” no país, nada…

    • Tosoobservando

      Tecnologia alemã é outra historia, a seleção alemã por ex construiu sua propria concentração la na Bahia, por isso ganharam de lavada do Brasil il il hehe

  • Sics César

    Complicado mesmo é permitir que um carro desses use etanol, infelizmente são feitas adaptações para receber o combustível e o motor é feito para usar gasolina de excelente qualidade, o que não ocorre no brasil a não ser que seja abastecido só com podium.

  • compadre

    se as montadoras do brasil descobrirem como fazer este sistema de revisao o cliente vai sair da loja virar o quarteirao e o carro ja vai informar para voltar e faze revisao

    • Antonio Pacheco

      Nem brinca com isso…rsrsrs

    • Jorge Osório Cortese Magalhães

      Não dá a ideia!

  • Vitor

    Como esperado, o “PRIMEIRO TURBOFLEX” dando problema…
    Esperem quando for fabricado aqui…

    • GPE

      Não tem problema algum. O start/stop não funciona com etanol pq a fábrica programou pra ser assim e o sistema de revisão variável (apesar de ruim pro bolso) é usado em todos os modelos já faz um tempo.

      • Edson Fernandes

        Eu só discordo que o problema seja técnico em relação ao combustivel. Como qualquer outro motor e modelo, a maior dificuldade de se manter o motor ligado é maior no alcool e esse tipo de desgaste que deve ser maior e não exatamente o combustivel em sí.

  • Bruno Silva

    Os problemas não tem nada a ver com o sistema flex. Claro, que mesmo se tivesse, seus feito algo a respeito, pois é o primeiro turbo flex.

  • Marcos Pastori

    Analisando bem à fundo as reclamações, já deu para formar uma opinião sobre o perfil dos consumidores da BMW 320i.

    • GPE

      Fala aí

      • Marcos Pastori

        Que, em sua maioria (não podemos generalizar) não fazem idéia do produto que estão comprando. É comprar BMW por ser BMW. É um produto caro, refinado, com muita tecnologia agregada. Não sabem o que tem, para que tem, como funciona e os custos compatíveis com um veículo deste nível.

        O conhecimento do consumidor sobre este veículo, deveria ser proporcional àquilo que ele entrega.

        • GPE

          Eu já penso o oposto.
          Pra mim, quem compra dessa forma são alguns tipos de consumidores que adquirem carros das marcas asiáticas pq são “inquebráveis”, tem ótimo valor de revenda, passam a impressão de ser mais caro do que parecem e devem custar mais que os outros concorrentes mesmo qnd tem menos equipamentos simplesmente pq “são superiores”.
          Aí vc pode encaixar de monovolume até pick-up diesel.
          Quem vai pra um alemão, é quase certo que sabe que o carro terá uma manutenção mais cara, seguro, melhor dirigibilidade, acabamento, entre outras coisas. E geralmente são pessoas bem informadas.

          Aí vc vê, por exemplo, o cara comprar uma SW4 pra andar na cidade ao invés de um X3 ou Q3/Q5, GLK, por exemplo, pq sabe que a manutenção será barata, é “inquebrável” e todos os blábláblá.

          Até ano passado a x1 18i custava o mesmo preço de um CR-V top e hj chega a ser mais em conta que algumas versões da Rav4. Caso eu não precisasse de espaço e tivesse cacife pra bancar a manutenção mais alta, escolheria o X1 ao invés dos japas sem pensar. Mesmo sendo a X1 básico, com powertrain mais fraco que a X1 20i, é superior ao motor da Honda e da Toyota e o acabamento tbm é melhor. A BMW só perde no teto solar e no GPS.

  • Junoba

    A pessoa compra um carro de alto valor, e ainda enfrenta alguns problemas ridículos, e ainda a montadora não parece dar importância, como se fosse normal.

  • HenriqueHJ

    Lendo o texto e comentário de alguns usuário que tem os BMW Flex. tive a impressão de que a BMW fez uma tecnologia flex gambiarra. pior é que a BMW sabe de problemas com alcool nos seus motores há pelo menos uns 15 anos.

    para quem quer um pouco do assunto. coisa de 10, 15 anos atrás tinha muitos BMW de importção oficial que com pouco tempo de uso ficava a borra dentro do motor. descobriram que era o revestimento do bloco que ia pro saco por causa da adição do alcool da nossa gasolina. acho que era revestimento de Aluil ou Nikasil (algo do genero).

    não é possível que depois de quase 1 década a BMW ainda não tenha resolvido essa questão. se é para ter que dosar o pé, não funcionar o start-stop. melhor devolver essa tecnologia FLEX-BMW. ainda mais essas empresas top utilizam óleo sinteticos de ultima geração.

    podem até jogar pedra em mim. pode esta no manual e etc… mas tenho uma leve impressão de que a BMW quer tirar o corpo fora caso a tecnologia FLEX-BMW der algum problema.

  • Danilo

    jaja vem a VW com Golf 1.4 TSi flex pra me trinca o grao. Quero paga a lingua se o Golf fizer 14km/l de alcool na estrada. Sei de gente que fez 17 de media na pista e 11 na cidade. Flex pra que?

  • Diego Nameko

    Táca-le pau nesta BM Marcos!!

  • Guest

    Tem muitos falando ******, lá fora a revisão é de 10.000 milhas

  • Chronosky

    Só tem um detalhe acho que o primeiro motor FlexTurbo é da koenigsegg =P

    • GPE

      Já ocorreu esse debate aqui. Se não me engano, esse motor é E85, ou seja, não roda 100% com etanol

  • Francisney Cadore

    Não adianta, ou é motor com etanol ou motor com gasolina. Fazer motor para funcionar com os 2, além de estragar o motor, traz projuizo. E detalhe, quem abastece com etanol? é viável abastecer com etanol em apenas 2 ou 3 estados ‘-‘

  • Mr. Car

    Não tinham absolutamente nada que enfiar essa “tecnologia” gambiarraflex em um BMW, isto sim.

  • FaloNaCara ¯ _ (ツ) _ / ¯

    Meu pai comprou um 320i GP MONO pouco tempo depois o Active Flex ter sido lançado. Era uma unidade “encalhada”(foi do último lote das que não são flex) porque os tontos que iam atrás do 320i quando sabiam que ela era monocombustível não queriam, só se interessavam pelo “fréx”. Como aqui o etanol não compensa NUNCA e só trouxa prefere ele ao invés de gasolina, meu pai não fez questão, e até pagou um pouco abaixo do valor cobrado pelas unidades flexíveis. Quanto as revisões, nunca ouvi ele reclamando. Vou averiguar.

  • Boris

    Se com 30% a parada já desliga, se depender do “governo” com sua “política” de combustíveis, logo logo esse start-stop nao funcionará mais

  • ultimate_rr

    Essa BMW flex era realmente necessariamente impreterivelmente profundamente necessária?

    • Marcos Vinicius Bittencourt

      “Com certeza” ass: alcooleiros
      “Com certeza, menos impostos” ass: financeiro bmw
      “Com certeza, primeiro turbo flex” ass: mkt bmw
      “É bom, um opção a mais” ass: potenciais clientes
      “É uma gambiarra, não presta, acabaram com o carro” ass: quem sonha em ter um

      Cada um tem sua opinião

      • GPE

        Top!

  • Clayton Martins

    Isso é o que dá comprar esses pseudo-alemães!
    Carro bom é VW Gol!

  • RFGV

    Não vejo motivo nenhum pra comprar uma BMW Flex.

  • luciano carvalho

    Tenho uma 125i M, e a variaçao nos tempos de revisao acontecem nela e em todas as BMWs. Isto se da pois é computado a quantidade de ciclos de aquecimento completo, além do uso severo, o que muitos confundem com arrancadas bruscas ou andar a 200 Km por hora. É considerado uso severo nao completar ciclo de aquecimento (quando se anda em curtos percursos), arranca e para tipico de nosso transito, uso em locais muito empoeirados ou estradas de terra. Diversas marcas de carro recomendam que as revisões sejam feitas com a metade do tempo do manual quando em uso severo, o que engloba 80 por cento do uso urbano no Brasil, com transito caotico.

    • GPE

      MAs vc já percebeu que basta passar uns 10min fazendo umas acelerações que o SERVICE diminui fácil 100km

    • Dionatan

      Engraçado como a BMW mete a mão em vcs ……

  • Marcelo Manera

    O problema das trocas de óleo ocorre também nas BMW monofuel. E nas 328 também, meu caso, não apenas nas 320 como relatado. Palhaçada essa resposta da BMW!!! Quer dizer que a forma de dirigir é a culpada por ter que trocar o óleo com 3000 ou 4000 km? Motorcinho ruim esse heim?? As outras marcas não sofrem desse problema porque?

  • Fabio Marquez

    Tem que conferir se no circuito urbano com trânsito pesado e lento, compensaria usar o etanol, já que o motor não desliga quando parado, diminuindo a vantagem dele em relação a gasolina.

  • frangocomkiabo

    Isto é pura enganação….é notório que as marcas Premium, no Brasil, metem a mão no bolso dos proprietários nas revisões, apenas para manter o fluxo de caixa das concessionárias…. carro de última geração não precisa de revisão e nem para trocar óleo do motor antes dos 10 mil km nunca…..

    • Fabio Marquez

      Talvez com a melhora de nossa gasolina este ritmo de trocas recomendados pelas montadoras e concessionários diminua, mas eu não confiaria de deixar de fazer as trocas de óleo de forma preventiva se fosse recomendado.

  • shdn2010

    Problemas?? Caracteristicas?? No brasil dá para desconfiar de tudo pq a maioria sempre faz nós brasileiros ficarmos com a “bomba” depois que o dinheiro está na conta da CS…

  • Mr. On The Road 77

    Esse é problema de uma marca premium: tudo é premium, inclusive o valor das manutenções.
    Aí, volta aquele dilema: comprar um premium ou um generalista?

  • Leandro Santos

    Desculpas após as vendas só mostram que a montadora está no mesmo patamar do que as outras que aqui estão. Cobertas de lixo.

  • Lucas de Lucca

    Compre um AUDI mono e seja feliz…

  • kikofar

    Tenho um familiar dono de uma Z4 2012. Ele nunca a levou na concessionária para as tais trocas de óleo. Se tem que pagar caro para ter garantia, preferiu deixá-la de lado. Mas… lembrando, ele tem boa situação financeira, compra quase tudo pela internet (importado, via E-bay) com conhecimento já acumulado por ter uma 328 e, por fim, como o carro é pouquíssimo usado, provavelmente não haveria desgaste no intervalo coberto pela garantia a ponto de acioná-la.

    No MEU caso, não sei se eu mandaria a garantia às favas, mas mais de 1.000 R$ pra trocar óleo basicamente é de lascar!!!

  • EduBH

    Esse alerta de manutenção deve ser nada mais que um monitoramento das características do oleo, como se fosse uma manutenção preditiva. Como o álcool tem água e os proprietários devem fazer trajetos curtos a água contamina o oleo e por isso acusa a troca em menor tempo que o a gasolina. De qualquer forma deve ser um erro ou mal configuração do sistema. Certamente vão sanar isto pois os primeiros a comprar estão servindo de cobaias. Por isso lançaram aqui no Brasil primeiro ainda com o status de 1 turbo flex do mundo, kkkkk

  • TijucaBH

    Galera, é isso mesmo. O carro faz um algoritimo que de acordo com a quantidade de partida a frio, consumo medio de combustivel, etc. Com base nesses dados ele calcula quando o oleo precisará ser trocado. Carretas Mercedes AXOR também sao assim. É muito mais evoluido que nossos carros.
    E ainda tem gente achando que isso é desculpa da BMW… Vai andar de kombi!

  • JCS_2000

    É muito bom ficar sabendo disso. Adeus BMW, vou de Mercedes Benz. Será que lá também tem isso? Pois eles estão utilizando a mesma tecnologia, só que ainda não é flex.

  • LeandroBalmant

    Esse sistema de revisão funciona conforme o motorista anda. Se ele anda normal, as revisões são de mais ou menos 10.000 km, mas se anda dando tudo do motor, o sistema pede mais rápido.
    P.S.: Estão chegando nas concessionárias a 328i Active Flex para a linha 2015.

    • GPE

      Colega, impossível chegar a 10mil KM, pois o carro 0km já acusa o SERVICE aos 8mil. Desafio alguém a ter conseguido chegar a 7mil km

  • luiztiago

    Na verdade isso tudo é má fé da marca. Tenho uma 320i, a revisão está marcando para 5900km e meu carro está com 5800km. Alguns membros do fórum BMW Brasil afirmaram que é possível “zerar” essa km da revisão, fazendo uma sequência de comandos no computador de bordo. Isto prova que a marca está agindo de má fé, visto que se fosse feito realmente análise do uso do carro, ao conseguir zerar este marcador, ele rapidamente voltaria à km “correta” para a revisão. Esta km despenca de maneira absurda. Com menos de 1000km rodados, meu veículo já marcava apenas 8000km para revisão. Rodando sempre com etanol, que segundo a concessionária, é melhor devido a presença menor de poluentes.

    • GPE

      Onde vc viu isso? Será que não afeta a garantia? Esse carro é cheio de frescura eletrônica, se tiver uma alteração talvez ele acuse no sistema qnd for colocada a chave.

      • luiztiago

        Divulgaram no ForumBMWBrasil. Tem vários vídeos no Youtube. Também fiquei com receio de fazer isso.

  • Rubem

    ando para o manual no ponto troca de óleo. troco o óleo como sempre troquei: 5mil km e 10 mil o filtro, seja sintético ou mineral. e meus carro sempre passaram dos 150 mil km numa boa ( o máximo que já fiquei foi com 220 mil e ironicamente está comigo até hj como “xodó”)

    • GPE

      Vc não acha que a economia de não trocar o filtro de óleo é desnecessária? (desconsidere isso se vc rodar mais de 30mil km por ano)

      • Rubem

        não sei. So sei que nessa receita nunca tive dor de cabeça. Tvz pq troque o óleo bem abaixo do recomendado pelo manual

  • Ricardo Gasparino

    Se fosse um Fiat era problema, o carro não presta, isso e aquilo. Como é BMW, então é detalhe. O meu Cruze a revisão é a cada 10.000 km, pronto e acabou. Ainda bem que ele não problemas de autoafirmação como a 320.

  • Eduardo

    Eu tenho uma 320i (F30 Turbo) mas do modelo somente à gasolina. Só abasteci com Podium e uso o carro predominantemente em rodovias. As revisões estão ocorrendo a cada 10.000 km, já fiz 2.

  • André Flandres

    Essa porcaria de tecnologia FLEX, propagandeada aos quatro ventos até por publicações especializadas, que em tese deveriam proteger o consumidor, é o pior flagelo que já se abateu sobre o cenário automotivo nacional, o qual, como todos sabem, nunca foi grande coisa!!!

    Quantos anos vamos ter de aguentar essa m#@$%#¨ de tecnologia FREX estragando nossos carros até que alguém tenha a decência de acabar com essa palhaçada!!!

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 11 anos. Saiba mais.

Notícias por email

Send this to a friend