BMW Elétricos Híbridos

BMW lança sub-marca “i”

A sub-marca da BMW não ganhou o nome i-Setta como muitos acreditavam, mas sim apenas a letra “i”. Se trata de uma gama especial de modelos híbridos e elétricos. Dentre os primeiros modelos a serem lançados sob essa nova marca estão os i3 e i8, que serão produzidos em 2013.

O chefe de pesquisa e desenvolvimento da BMW, Klaus Draeger, comentou que esses modelos foram criados especificamente para seus sistemas alternativos. Muita tecnologia está sendo empregada para reduzir sensivelmente o peso das baterias e também o peso total dos veículos.

A nova arquitetura, chamada de LifeDrive, usa um chassi de alumínio e a célula da cabine é feita de fibra de carbono reforçada com plástico. O BMW i3, conhecido anteriormente como MegaCity, será o primeiro modelo da marca alemã a ser feito especialmente para um ambiente urbano.

Ele terá um sistema similar ao encontrado no Série 1 ActiveE, que tem motor elétrico de 170 cavalos combinado com baterias de íon de lítio e autonomia de 160 quilômetros. O BMW i8, previsto no conceito EfficientDynamics de 2009, terá motor 1.5 de três cilindros e o mesmo sistema elétrico do i3.

Os dois serão feitos nas instalações da BMW em Leipzig, que está recebendo um investimento de 400 milhões de euros para tal.





  • RSM

    Poxa, chutei mal então… então não é nova marca, é apenas uma divisão dentro da própria marca como SS da chevrolet e DS da citroën.

  • Romulo_Max

    Apesar de ter achado meio estranho uma sub marca da BMW utilizar o nome de uma marca italiana, era mto legal ver a Isetta ressurgir… Uma pena q não foi pra valer.
    Achei pouco original e criativo ser apenas "i", mas já existe a divisão "M"…então faz sentido.

  • BlueGopher

    Chassis de alumínio, fibra de carbono.
    Bonito, mas e o preço?
    Pena que muitas montadoras não trabalham com o apelo de popularizar os carros "verdes", mas sim em criar grifes verdes.
    Tudo bem que é uma BMW, mas mesmo assim, estamos falando de carros urbanos, não é?

    • Guilherme_M

      O pessoal vai comprar pelo Status. Se bem que com a escala maior, o preço venha a diminuir.
      Ainda mais agora que existe fibra de carbono injetada, processo usado no Lamborghini Sesto elemento, que é bem mais rápida e barata de produzir que o método tradicional, com várias camadas de fibra trançada e resina eopxy.

      • Bem… mas pensando no material utilizado, ainda ter como criação plasticos e aço ainda fica mais barato. Realmente esses carros não serão feitos visando ser carros baratos e sim ecologicametne correto e só. Porque o preço não será de carro "comum", mesmo para os Europeus.

  • vini_c_a

    Que droga, isetta ia ser muito loko!

  • engineer

    Barato nunca vai ser. Não nessa geração, utilizando estes materiais. Quem esperava uma linha de compactos relativamente acessíveis, pode cair do cavalo. Vem aí mais uma geração de compactos premiums vendidos a preço de ouro.



Send this to friend