_Destaque BMW Sedãs Segredos-Flagras

BMW: próxima geração do Série 3 estreia em 2018 e terá produção no México

BMW 340i M Sport 1

Lançada em meados de 2012, a atual geração do BMW Série 3 terá mais dois anos de mercado. De acordo com um divulgado da montadora nesta semana, a próxima geração do sedã tem lançamento previsto para meados de 2018 e inclusive será produzida na nova unidade fabril da empresa no México, algo previsto para um ano após sua apresentação mundial.

A nova planta terá investimentos de US$ 1 bilhão e estará localizada na cidade de San Luis Potosí, sendo o segundo centro de produção da BMW no continente norte-americano.

A exemplo de outros fabricantes europeus, a BMW está construindo uma nova fábrica no México devido aos trabalhos de baixo custo, crescente rede de fornecedores e acordos de livre comércio. Além disso, a montadora não será obrigada a pagar impostos locais e estaduais por 10 anos, devido um acordo com o governo.

A empresa alemã planeja produzir de início 150 mil carros por ano no novo local, volume que será dividido entre a nova geração do Série 3 e outro modelo, ainda não divulgado. A previsão é de que 70% da produção da unidade mexicana seja destinada aos países da NAFTA (Estados Unidos, México, Canadá e Chile).

No entanto, ainda não se sabe se os mercados dos outros 30% incluem o Brasil – atualmente, a BMW produz o Série 3 na planta de Araquari (SC). É certo que este montante inclui a África do Sul, já que o sedã deixará de ser montado por lá com o início das operações da unidade mexicana, passando a ser responsável pela fabricação do crossover X3.

Quanto a próxima geração do Série 3, todavia, a BMW não divulgou quaisquer detalhes. Sabe-se que o novo modelo será construído a partir da nova plataforma CLAR (Cluster Architecture) e terá visual mais refinado, melhores dinâmica e estabilidade e uma série de novas tecnologias, como sistema de condução semi-autônoma.

[Fonte: Automotive News]





  • CanalhaRS

    “Lançada em meados de 2012, a atual geração do BMW Série 3 terá outros quatro anos de mercado…tem lançamento previsto para meados de 2018… ”
    Estamos em 2014 e eu não sabia? Que bom, podemos evitar que a Dilma se reeleja…huahuahuahua!!!
    Esse pessoal da Automotive News matava a aula de matemática para comer merenda…

    • Pacheco

      Como eu gostaria de estar em Junho de 2014. Faria tudo totalmente diferente… kkk

  • Detector de Mentiras

    Vou ditar a verdade aqui:
    É o mais bonito, o mais esportivo, o mais legal.
    Mas não tem o prestígio do Classe C. Também não tem a Classe do Mercedes.
    E o A4? Coadjuvante… Jettão tecnológico. Ótimo e bonito, mas só valeria se não custasse um preço tão acima dos rivais.
    Iria de Classe C… Quando comprei meu último carro procurei uma usadinha 13/14, mas não deu coragem de ir num resto de rico sem me inteirar melhor do assunto.

    • TunAV

      BMW e Mercedes estão um passo atrás em tecnologia nesse segmento. Vão ter que correr para se igualarem em sofisticação e modernidade ao A4 passatão.

      • fbl

        E o a4 apesar de muito legal vai continuar com cara de vw melhorado em seis meses de lançado, enquanto o classe c vai continuar com o prestígio de um mercedes e o bmw vai continuar bem também, so que um pouco mais datado. Audi corre atras de mercedes e bmw.

        • Alessandro Rodrigues

          Audi foi a campeã de vendas no ano passado e teve 40% de crescimento. BMW cresceu meros 5% e ainda emplacou 2 mil carros a menos. E olha que o A4 nem tinha sido lançado.
          Mercedes vende bem com méritos para o interior de ótimo acabamento. Com o A4 a classe C poderá ter um concorrente a altura, pois atualmente a Série 3 deixa muito a desejar no design interior que, apesar de achar bonito, sendo sincero e olhando os concorrentes, está aquém do segmento premium.

          • fbl

            Pode vender bem (por causa do a3 sedan provavelmente) mas sinceramente nao vejo o a4 brigando cabeça a cabeça com classe c e talvez nem com o serie 3. Existe uma preferência pela mercedes e bmw, nao querendo dizer obviamente que o a4 tecnicamente é inferior, ate pq acabou de chegar e é tao refinado quanto seus rivais diretos mas carrega certo ranso de vw para essa clientela de premium alemãs. É como se passasse um tempinho e vc ja o visse como um passat, ao contrario da classe C e serie 3 que remetem diretamente aos seus fabricantes e mais nenhum. De qq forma eh bom para o consumidor que tem mais uma baita opção.

            • Alessandro Rodrigues

              Creio que não brigava por ser bem defasado perante aos concorrentes. Agora, eu consigo imaginar o A4 vendendo muito mais. Mas você tem certa razão quanto a Audi remeter à VW. Isso se deve principalmente a forte vinculação da VW com a Audi. Coisa que ficou profunda, se vermos o painel do novo Passat e do A4, que são em boa dose, iguais. A VW já é cara de um focinho de outro dentro do próprio portfólio e agora extende isso até mesmo dentro da Audi…

    • Alexandre

      Só para constar. A Classe C tem preço sugerido de 158k hueais, o A4 tem preços sugeridos de 160k. Ou seja, faixa de valores são iguais. A BM não está mais cobrando os valores tão próximos a esses porque está defasado, já que foi lançado em 2012.
      Obs.: o A4 First Edition tem valores de 172k mas tem mais opcionais que o de “entrada”.

      • Alessandro Rodrigues

        BMW ainda compra 168k por uma 320i. Sinceramente, apesar do conjunto mecânico ser um dos melhores, não está valendo tudo isso não. Ainda mais com aquela telinha horrível da versão de entrada. Sonhemos com um futuro de touchscreen para todas as três premiuns…

        • Alexandre

          Verdade! Esqueci que ela recebeu um pequeno facelift na dianteira e traseira, dando um folego a mais ao modelo. Quanto ao touchscreen, acho que a tendência (pelo menos por parte dos alemães) não é o touch na tela, mas sim no console central, onde geralmente fica o câmbio nos carros de menor valor.

          • Alessandro Rodrigues

            Então… mas BMW Serie 7 usa o touch. Acho que as germânicas tentaram colocar o seu modo de ser, nas multimídias, mas acaba que o touch além de mais barato, é mais prático. A exemplo da nova série 7, ela adiciona controle por gestos, também. Mas acho difícil que esse cenário mude, o A4 mesmo, sendo o mais novo da santa trindade germânica, veio sem o touch. Acho que isso vai se arrastar como a Ferrari para mudar de câmbio manual para dupla embreagem…

      • Pacheco

        Lembro que em 2014 eu achei um Classe A top preto 0km por 89 mil e achei caro.

        • Alexandre

          Lembro quando vi uma Série 1 a esse preço também. A3 a 116k, Classe C a 120k, Série 3 a 120k, A4 (modelo defasado) a 110k. Tudo isso em 2013/2014 mais ou menos.

          • Pacheco

            Sim, esses eram os carros acima de 100 mil na época.

            Tinha um conhecido que comprou um Focus Hatch Titaniun e ficou bravo quando viu essa promoção do Classe A.
            Foi bem naquela época que ele vendeu muito bem e popularizou. Agora sumiu das ruas.

            Pode ver que encontra muitos usados e num preço bom. O problema é mante-lo acima de 50 mil km.

  • Eduardo Brito

    Acredito que a fabrica aqui sera responsável pelo Série 1 e X1, talvez alguns modelos da Mini, enquanto lá deve ficar com o Série 3 e X3.

  • V12 for life

    Com o foco na plataforma UKL na planta nacional o melhor seria trazer o Série 3 do México e produzir aqui o Série 1 sedã, mas enquanto a produção nacional continuar sendo CKD, tanto faz.

  • Resendemaster

    Tecnologicamente a série 3 está defasado, só vive de nome…

    • Alessandro Rodrigues

      Tecnologicamente, sim. Mas o conjunto mecânico ainda é ótimo. O problema é que a BMW cobra com sal um carro que perante as concorrentes deveria custar menos afim de balancear a idade.

    • Pacheco

      Pra mim, ficou grande demais.



Send this to friend