*Destaque América Latina BMW México Mercado Sedãs

BMW Série 1 Sedan é confirmado para a América Latina, segundo site mexicano

bmw-serie-1-sedan-china-1-1 BMW Série 1 Sedan é confirmado para a América Latina, segundo site mexicano

O BMW Série 1 Sedan (F52) é um produto que surgiu originalmente na China para ser a porta de entrada dos sedãs da marca naquele mercado. Com porte semelhante ao do Audi A3 Sedan, o modelo começou a ser visto em vários lugares ao redor do mundo, aumentando as especulações sobre sua carreira mundial.



Mas, logo de cara, a BMW apressou-se em dizer que ele seria exclusivo da China, assim como as versões longas dos Série 3 e 5, por exemplo. Aqui no Brasil, o BMW Série 1 Sedan é visto regularmente em teste que, de acordo com a empresa, é somente para avaliar sistema de conectividade e auxílio do condutor.

bmw-serie-1-sedan-china-2-1 BMW Série 1 Sedan é confirmado para a América Latina, segundo site mexicano

Agora, o site mexicano Auto Cosmos, publica que o BMW Série 1 Sedan foi confirmado para a América Latina, citando Alexander Wehr, presidente e CEO da BMW Group Latin America. Em Frankfurt, o executivo teria revelado que o sedã compacto alemão será vendido no México e que estariam avaliando outros países da região. Vários fatores pesam na decisão, por isso ainda muita coisa não está definida em relação ao modelo no continente.

A questão é que a BMW quer ampliar os horizontes em busca de fidelização de novos clientes, visto que é essa a função do BMW Série 1 Sedan dentro da gama. A ideia não é vazia, visto que a Audi foi a primeira a perceber que podia emplacar um sedã pequeno no mercado mundial com o mesmo objetivo. E mais, a Daimler também viu que há futuro nisso e prepara o Mercedes-Benz Classe A Sedan, já visto várias vezes rodando em testes na Alemanha.

bmw-serie-1-sedan-china-5-1 BMW Série 1 Sedan é confirmado para a América Latina, segundo site mexicano

No México, a BMW tem um mercado de acesso fácil, pois pode importar da China o Série 1 Sedan, mas a empresa prepara uma fábrica em San Luis Potosí – que foi motivo de ameaça de Trump – para produção do Série 3 em 2019. A mesma, por exemplo, poderia fazer também o sedã menor para o mercado interno, EUA, Canadá e demais países da América Latina. O país tem acordos comerciais com 41 nações, o que facilitaria sua exportação.

Aqui, o BMW Série 1 Sedan encontraria a planta da empresa em Araquari-SC, apta para faze-lo ao mercado interno. Essa fábrica até exporta o X1 para os EUA, o que reforça sua importância na região, que também pode receber em breve a produção do novo SUCV X2, que concorre com o Novo X3 para ser feito localmente. Por enquanto, podemos – com alguma sorte – apenas ver o pequeno sedã rodando pelas estradas da região sul.

bmw-serie-1-sedan-flagra-4 BMW Série 1 Sedan é confirmado para a América Latina, segundo site mexicano

Com 4,45 m de comprimento, 1,80 m de largura, 1,44 m de altura e 2,67 m de entre eixos, o sedã tem na China as motorizações 1.5 Turbo com 136 cv (118i), 2.0 Turbo com 192 cv (120i) ou 231 cv (125i), todas com câmbio automático de oito marchas e tração dianteira ou integral, chegando a alcançar 250 km/h e indo de 0 a 100 km/h em 6,8 segundos. A plataforma é a mesma UKL usada nos MINI e X1, por exemplo.

[Fonte: Auto Cosmos]

Agradecimentos ao Haroldo Caprillo.

  • Vanderley Almeida

    Poderá ser um sucesso em nosso mercado! A preço de A3 vai ser um concorrente difícil de bater.

    • Eu não esperaria preço de A3 viu… a lógica hoje das montadoras premium é colocar um modelo menor no preço do maior anterior. Vide CLA e C, hoje o C180 tá custando 170.000.

      • Vanderley Almeida

        Considerando que o 320i Sport ActiveFlex custa por volta de 165.000 a versão de entrada…

        • Leon Gonçalves

          Em Belo Horizonte série 3 zero por 149 mil, com taxa zero.

          • Daniel dos Santos

            Taxa zero é pura balela!!! Nao existe almoco gratis

            • mjprio

              Na verdade vc paga as diversas taxas pra fazer o financiamneto. Fui cotar um Logan e dava uma diferença de 3 mil reais em relação ao custo com a taxa zero.

        • Mas esses são preços de final de vida… o modelo já está aí no mercado por quase 5 anos, quando vier a geração nova, mais ou menos na mesma época em que vier o Série 1, aí os preços com certeza serão realinhados, vide MB Classe C que só por causa de um câmbio novo de 9 marchas e por estar sendo o modelo mais vendido dos premium, já tá custando mais de 170.000.

          É claro que eu gostaria que viesse a preço de A3, apenas é difícil acreditar que acontecerá.

          • OtarioBrasileiro

            O classe C é o melhor sedã médio premium do mercado. Por isso vende muito!

            • Lucas

              Na verdade vende muito por conta das revisões anuais e baratas.

              • OtarioBrasileiro

                O preço das revisões está compatível com o mercado na categoria que concorre. A BMW é exceção com revisões variáveis de acordo com o uso do veículo.

                Não se vende muito somente por revisões. Acreditar nisso é ser ingênuo e pormenorizar a capacidade intelectual de quem adquire um automóvel de 170k em diante.

                • Lucas

                  Está compatível coisa nenhuma, já que custa METADE do valor pedido pela concorrência. Tive 320i 12-13 e o computador pediu revisão com apenas 4 mil km. Leia bem: QUATRO mil km. Nesse ano tive que fazer 3 revisões, se não me engano, foi fácil mais de 5 mil reais.
                  A Audi pede revisões semestrais ou de 7500 em 7500km, Lembro o valor da quarta, já que tive também um A4 Ambiente 14-15: 3200 reais, sendo cerca de 1000 reais acima do descrito na tabela.
                  Enquanto isso, a Mercedes possui uma política bem mais agressiva nesse aspecto: Manutenções anuais ou de 10 mil em 10 mil km e muito mais acessíveis.
                  Vou falar mal de BMW e Audi até o último dia da minha vida, não apenas pelos valores cobrados, mas pelo desrespeito que sofri em ambas mesmo sendo cliente e comprando tudo à vista, apenas por me vestir de forma simples (entenda bermuda, camiseta e chinelo).
                  Não levar o valor da manutenção é pormenorizar a capacidade intelectual de quem, em tese, estudou, trabalhou e economizou bastante para adquirir condições de comprar um carro melhorzinho. Achar que quem compra carro “caro” não liga pro pós-venda é a maior das ingenuidades.

                  • OtarioBrasileiro

                    Amigo, como falei, a BMW é exceção. E olha que eu já tive um Volvo(s)! Isso mesmo, tive varios Volvos e cada revisão de cada carro, após o término da garantia me custavam 10.000 reais cada. Isso em 2012, 2013, 2014, 2015.

                    Hoje tenho um classe C e sou feliz. Mas nao escolhi o carro pelo valor das revisoes. Inclusive negociei as 2 primeiras “de graça” no momento da compra.

                    Escolhi pelo conjunto da obra, que me desculpe, era superior aos concorrentes da mesma categoria.

                    Por isso repito: “Não se vende muito somente por revisões. Acreditar nisso é ser ingênuo e pormenorizar a capacidade intelectual de quem adquire um automóvel de 170k em diante.”

                    • Lucas

                      Peço desculpas pelo tom exaltado, é que eu realmente tenho algo pessoal contra essas duas montadoras.
                      Observando sua opinião, realmente admito que há outros motivos além do fator valor de manutenção, mas também não devemos esquecê-lo. Atualmente eu só compraria um C180 mesmo justamente pelo pós-venda um pouco melhor, já que isso é relevante pra mim. Tenho certeza também que a maioria dos frequentadores do fórum da da BMW no Brasil também não voltarão pra marca, já que a reclamação sobre valores e idoneidade da empresa foram enormes. Os donos de Audi A4 da antiga geração idem, já que somado a tudo isso ainda entra a desvalorização absurda do veículo.
                      Quanto à superioridade do C-180 perante os concorrentes, bom, isso merece outra discussão hehe.
                      Abraço.

              • Se bem que mês passado subiu né, agora é 1.150 a revisão A e 2.100 a B, já não tá mais tão assim atraente perante a concorrência.

                • Gabriel Loio

                  Tem planos na Mercedes de que vc compra um pacote de 5 anos de revisão por R$5.7mil. Pelo menos pro GLA é assim… Isso faz com que o preço fique mais barato do que de um Q3, por exemplo, em termos de manutenção. Isso tudo é conversado na css, bzsta saber barganhar na compra do carro

                • Lucas

                  Subiu, mas ainda custa metade de BMW que chega a pedir revisões em 4 mil km! (eu tive uma 320i 12-13) e de Audi que pede duas revisoes por ano, sendo a quarta custando 3200 reais (tive um A4 Ambiente 14-15). Então sim, mesmo cara, ainda é consideravelmente mais em conta que a concorrência.

                • OtarioBrasileiro

                  Isso mesmo NA!!!

                • Thiago

                  A 2 anos atrás quando comprei era R$750,00 a A e R$1.400,00 a B para as classes A/B/CLA/GLA e R$850,00 a A e R$1.600,00 a B para a classe C (exceto AMG e motores 6 cilindros). Era possível comprar o pacote de até 5 revisões por preços ainda menores, cada revisão acabava saindo por uns R$900,00 aproximadamente. Também era possível estender a garantia até 5 anos (R$1.500,00 por ano aproximadamente). Na época o carro custou 137 mil, hoje está 175 mil. Nas revisões de 10, 20 e 30 mil km sempre autorizei troca do filtro do ar condicionado e higienização, rodízio, balanceamento e geometria. Apenas na de 30 mil km fizeram rodízio e não cobraram nada (nunca caí em buracos grandes), nas outras vezes sempre disseram que não era necessário tais serviços. Sempre entregavam o carro lavado e não era cobrado nada por isso.

                  • Veja só, então em questão de um ano subiu de 850/1600 para 950/1900 e então para 1.150/2.100… complicado né, a gente vai pagando revisão mais cara a cada dia que passa.

        • Gran RS 78

          Em São Paulo o 320 está custando 149 mil reais.

      • Ericson Lorenzetti Düsmann

        Desculpe mas isso pouco tem relação com tabela de montadoras premium, e sim com aumento de preços de automóveis. Há alguns anos C4 custaca entre 35 e 45 mil e C4 custava entre 50 e 65, hoje um C3 fica entre 50 e 65. Golf custava 65, agora um Fox sai por esse valor, e um golf parte de 80. Aumento de preços e não estratégia de montadoras premium… todas aumentaram valor.

      • Gran RS 78

        O C180 está custando 157 mil reais no estado de São Paulo.

  • Marcio Mendes

    Para aqueles que acharam que o 320 fabricado no Brasil seria mais acessível…Não se iludam… Mesmo sendo um modestíssimo carro de entrada, vai ser para uma minoria mais abastada.

    • OtarioBrasileiro

      Isso aí. Acabamento fraco e com visual já cansado

  • Felipe Gonçalves

    Eu sei, você sabe, a BMW sabe, todos nós sabemos que vai ser comercializado aqui, mas eles insistem em negar hahaha

  • Esse Série 1 sedan vai chegar aqui a preço de 320i, que por sua vez saltará de preço quando vier a nova geração.

  • Diogo Augusto

    Do jeito que a BMW é famosa, tenho certeza que vai ser um sucesso, afinal todo mundo vai querer comprar uma BMW ”barata” pra poder falar que tem uma BMW…
    (Menos eu porque prefiro uma BMW de verdade kkkk)

    • Marcos A. Hayttginzer

      BMW de verdade?? se é um carro fabricado pela BMW com o logo da Montadora estampado de que marca vc está falando ??

      • th!nk.t4nk

        Até porque o Série 1 é um carrinho premium muito bom. Pode ser um pouco durão, mas é muito bem construído e tem um espírito esportivo que seus concorrentes nao têm (A1 e Classe A). É um carro bem jovial e de espírito forte. Hoje já tenho gosto diferente (priorizo conforto), mas pra quem tem menos de 30 acho uma excelente opçao.

  • mjprio

    O grande problema e a degradação que o requinte desses carros vem sofrendo pra tentar angariar os clientes de sedas orientais e SUVs. Esses modelos “premium de entrada” sao coisas extremamente desprovidas de requinte parecendo algo demasiadamente comercial, estando distantes ate mesmo dos modelos tradicionais das marcas.
    A despeito da excelente montagem desses veículos, entrar num A1 ou num CLA e ver aquele painel sem.graça monocromático e feito em.plástico e realmente broxante. Eu sei que esses carros tem versões peladas e bem racionais em outros mercados. Mas (infelizmente ) essas marcas sao ditas premium e pertencem a nível mais elevado. E levando se em conta o preço que e pago por eles, deveriam ter mais valor agregado. Fica difícil , pelo menos na minha humilde opinião vender um veículo desses sem CMM, ar automático ou ate mesmo um simples sensor de estacionamento.
    Isso sem dizer o fato de que por serem plataformas compartilhadas, essss veículos, exceto os Audi, nao possuem tração traseira, que para muitos puristas, representam uma experiência diferenciada de dirigir.
    Ficara na saudade as gerações 190E e Série 3 de outrora, que proporcionavam esse prazer em versões de entrada.
    A escalada de preços, ja visível no Classe C e no Audi A4 alcançará o serie 3 que hoje, mesmo com estilo datado ainda, pra mim e lindo e tem precos competitivos.

    • th!nk.t4nk

      Cara, eu nao concordo tanto. Todas essas marcas sempre tiveram versoes mais simples. Sao versoes que vendem bem pouco, mas têm seu público. O que ocorre é que na Europa especificamente tem muita gente que coloca a qualidade da marca em primeiro lugar, e nao liga tanto pra luxo. Ou seja, oferecer uma versao pelada nao queima a marca sabe. No Brasil é o oposto. O que concordo: simplificar os materiais é furada. Mas nesse ponto a Mercedes a meu ver convence desde o Classe C basicão. Mas gosto é gosto, eu também nao compraria versao pelada dessas marcas nunca.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 11 anos. Saiba mais.

Notícias por email

Send this to a friend