BMW Conversíveis Esportivos Lançamentos

BMW Z4 2019 estreia nova geração com motor de 340 cv

BMW Z4 2019 estreia nova geração com motor de 340 cv

Depois de muito mistério, a BMW, enfim, revelou a nova geração do Z4. O roadster está sendo apresentado nesta quinta-feira, 23, em Pebble Beach, e estreia na versão topo de linha M40i com motor de seis cilindros a gasolina. Como dá para reparar, a nova geração do roadster segue praticamente o mesmo estilo do conceito mostrado pela fabricante alemã em meados do ano passado.


Entre os destaques, há a grade frontal de duplo rim mais larga com detalhes em preto brilhante, faróis com recorte mais agressivo, para-choque com formato mais imponente, capô longo mais “musculoso”, laterais com tomada de ar e vincos marcantes na lataria e traseira com lanternas em LED com formato afilado invadindo a parte central.

BMW Z4 2019 estreia nova geração com motor de 340 cv

Além disso, ao contrário da geração anterior (dotada de uma capota rígida), o novo Z4 2019 é equipado com uma capota de tecido operada eletricamente. Detalhes internos não foram divulgados, mas é possível notar um novo volante esportivo de três raios, painel de instrumentos totalmente digital, sistema de entretenimento iDrive com tela tipo “flutuante” no painel, entre outros.


Haverá ainda iluminação ambiente, head-up display, sistema de som premium Harman Kardon, pedais em aço inox, detalhes de acabamento metálicos, entre outros.

BMW Z4 2019 estreia nova geração com motor de 340 cv

O novo Z4 M40i First Edition, que marcará a estreia da nova geração do roadster da BMW no mercado, trará carroceria pintura em tom Laranja Frozen metálico, capota em tecido preto, capa dos retrovisores em preto brilhante, faróis adaptativos de LED, rodas de liga-leve de 19 polegadas e bancos em couro Vernasca preto.

A configuração M40i será equipada com um motor 3.0 litros turbo de seis cilindros a gasolina, capaz de desenvolver até 340 cavalos de potência. A BMW diz que o novo esportivo conseguirá acelerar de 0 a 100 km/h em 4,6 segundos.

BMW Z4 2019 estreia nova geração com motor de 340 cv

O conjunto terá também suspensão esportiva com amortecedores controlados eletronicamente, freios M Sport, diferencial traseiro M Sport e distribuição de peso 50:50.

Galeria de fotos do novo BMW Z4 2019

 

BMW Z4 2019 estreia nova geração com motor de 340 cv
Nota média 3.5 de 4 votos

49 Comentários

Clique aqui para postar um comentário

    • Até um pouquinho mais em conta (34 mil, contra 35 mil do TT). É um esportivo bem acessível, mas só vale a pena como segundo carro mesmo. O legal do BMW é a qualidade do HuD e o acerto esportivo, vamos ver como ficou essa nova geraçao.

    • Ninguém nem sabe o que é um Tiggo aqui na Europa. Vocês só oham detalhes do visual, não andam no carro não? Porque aqui no NA só se comenta de design, em toda matéria. Nem parece blog de carro. Um é tarado pelo formato do volante, o outro analisa o velocímetro, e logo vai aparecer alguém pra analisar o formato da tela. O que interessa num veículo desses é a dinâmica e desempenho em primeiro lugar. O resto deveria estar no rodapé dos comentários no máximo.

      • Espera que daqui a pouco falam da “pobreza” dos materiais da BMW.

        Negocio é isso… falar mal. Eu já fiquei feliz com essa mudança. Uma mudança necessária no produto e que enfim retira aquele painel ambar super antiquado.

        • A BMW é muito conservadora pra interior mesmo, embora os materiais sejam excelentes (o detalhe da “costura” nas emendas dos painéis é sensacional). Mas é aquela história: se a gente só olhar detalhes do visual eu diria que 90% dos melhores carros vamos ter que ignorar (até mesmo Porsches).

          • Entendo. Mas no meu caso, eu achei uma evolução totalmente aceitavel e necessária. Ela não chegou a perder o timing da atualização e deixou mais atrativo.

            Creio que isso deva acontecer aos poucos com os demais. E será bem vinda.

      • Descordo do amigo… Quem compra um conversível (principalmente no Brasil) compra sim design em primeiro lugar. Obviamente desempenho e comportamento são importantes, mas se é só isso vamos para o autódromo…

        • Concordo plenamente com você. se design não fosse importante a Porsche não manteria seu Legacy Design em todos os carros, a Lambo não criaria carros em forma de caças de guerra e a Ferrari jamais faria uma F-40, uma vez que as ferraris sempre foram conhecidas por suas formas arrendondadas e suaves.

          • Olha, ninguém está dizendo que design nao seja importante. Mas definitivamente nao deveria ser o quesito número 1 nesse caso. Pra mim no Brasil é exagerada a importância que se dá pro visual, deixando totalmente de lado as demais qualidades do carro. Parece que sempre imagem é tudo.

      • Eu não duvido que esse modelo, assim como todos os outros BMW’s, seja tão delicioso quanto os outros. Mas não tem como não destacar que o design exterior do veículo é algo igualmente importante. Já tive a oportunidade de dirigir uma z4 35i 2012 e não tenho do que reclamar, nem esteticamente, nem dimâmicamente. O meu ponto é o seguinte: Todo o conjunto da obra tem de estar em harmonia. Basta olhar para o AMG GT, eu pessoalmente acho o design desse carro lindo e bem resolvido, mas outras pessoas vão discordar.

  • 6 bocas, tração traseira e 340 cv, diversão garantida… E ficou bonito, só de fato o painel de instrumentos que acho que poderia ser mais legal, até podia ter o digital no centro, mas os relogios podiam ser mais caprichados, mais para os classicos mesmo, acho que fica mais legal neste roadsters…

  • Acho que estou ficando velho, porque eu não consigo ver atrativo nenhum em um design tão cheio de ângulos e vincos sem nexo para todos os lados! Cada vez eu gosto mais dos carros dos anos 90 e 2000, me referindo a limpeza das linhas, sem exageros, penso que a Audi e a Mercedes ainda tem um pouco disso, espero que não se percam nessa agressividade excessiva!

    • Acredito que seja o momento. Carros com linhas marcantes tem estado em voga atualmente. Repare que mesmo os conservadores alemães, tem mudado o conceito de desenho dos produtos para dar uma certa agressividade.

      Eu te confesso que me agrada. Mas só acho que não é todo produto que combina com muitas linhas. A maior dureza de tudo isso em minha opinião é dar continuidade a essa mudança de estilo. Me parece que essa coisa de impressionar em um primeiro momento pode accabar com a historia do produto. Portanto as empresas precisam ter muito cuidado (eu mesmo acho que o Elantra de atual geração, só foi feliz antes dos facelifts, visualmente falando) pois podem botar a perder um produto devido a uma mudança drastica a cada geração. Quem está ficando num limiar perigoso ao meu ver é a Honda.

    • Também pudera, a BMW perdeu qse toda sua identidade neste carro, a começar por sua estrutura ser a mesma do falido Toyota Supra, nos faróis, os dois elos marcantes em TODOS os veículos da marca até então foram esquecidos nisso aí, o painel perdeu toda a tradição dos círculos vermelhos para esta cópia do chinês Tiggo2. Enfim, lá se foi um icônico alemão nascido como Z3, sucesso nas mãos do 007, onde mantinha sua identidade com toda beleza em design, para este japonês com chinês segurando etiqueta alemã. Lamentável… Até penso que com a mudança dos tempos as características sejam aos poucos estilizadas, mas sem abandoná-las. Que a BMW limite seu erro a isso, um carro a menos para os apaixonados pela marca ambicionar.

  • Sou um feliz proprietário de uma seminova 2014 adquirida recentemente. Tesão de carro. Sem palavras. Gosto muito mais do modelo atual do que dessa nova geracao aí. Pra mim parece que perdeu um pouco da identidade da marca e da z3 que foi onde me apaixonei por esse carro no filme do 007.

  • A BMW viu a burrada que fez ao sair do segmento de roadsters, felizmente. Lembro que quando a geração anterior saiu de linha em 2016 foi divulgado que não havia previsão de estreia de um sucessor.

    A capota de lona eu acho um charme. Pena que no Brasil ter um carro com esse tipo de capota é implorar para ter problemas.

    • A capota de lona tem muitas vantagens (peso, espaço, manutenção). E além de tudo é um charme mesmo. E o material das atuais é excelente, não fica devendo nada pras capotas rígidas de antigamente (até o isolamento acústico melhorou muito).

  • Enquanto isso, do outro lado do planeta, os americanos continuam fazendo motores enormes com o dobro da potência deste carro mas pouco controláveis e consequentemente menos rápidos. Americano só quer torque e cavalos, que se dane como chegará ao chão.

    Eu acho que quem inventou o controle de tracção usava carros americanos…

    • Culturas diferentes , nos eua c tem espaço coisa que na eu ropa nao , sem falar que americano e louco por quarto de milha e ovais , enquanto os europeus sao fans de dtm e ralis . Simplesmente isso cultura , aqui temos uma salada das duas culturas , carros grandes com motores pequenos mas acredito mais pelo preço a gasolina que por gosto mesmo .

  • Sei que muitos irão discordar, mas achei essa linguagem visual do novo Z4 muito esquisita. O interior é, como de praxe, primoroso mas essas lanternas dianteiras ficaram muito estranhas, destoando do visual limpo e bem elaborado da traseira. Ele meio que me lembra um Z8 que foi repaginado, externamente claro. Sou um fã assumido da MB, mas nesses últimos meses a Beemer tem me surpreendido com o design de seus carros. Esperemos para ver como irá ficar a nova geração do SLC.

  • Rapaz, que aconteceu com a BMW?

    Um dos BMW’s mais feios de todos os tempos?

    Qual era o problema do desenho do conceito que serviu de base pra esse Mazda alemão?

  • Ficou muito parecido com o desenho comum da Mercedes. Perdeu o grande capô que era sua marca, assinatura. Ficou um roadster normal, como F-Type, Mercedes SLK.

  • “…. faróis com recorte mais agressivo…”

    Recorte mais agressivo tinha o conceito, esses faróis da versão de produção ficaram arredondados demais. Lembra aquele Fiat Spider.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 12 anos. Saiba mais.

Notícias por email