AVL e Tupy desenvolvem motor a hidrogênio mais eficiente

AVL e Tupy desenvolvem motor a hidrogênio mais eficiente

O hidrogênio é considerado como o combustível do futuro, porém, seu uso atualmente está passando longe dos carros e se concentrando nos veículos de transporte de cargas e passageiros.


Tendo quase perdido a batalha para os elétricos, ele agora pode ser mais uma alternativa para o setor. Na Tupy, empresa multinacional sediada no Brasil, desenvolveu de um novo motor movido por hidrogênio.

A alegação é que o mesmo seja o mais eficiente do mundo no uso do hidrogênio, que nesse caso seria usado como gás veicular, ou seja, para seus queimados em um motor de combustão de ciclo diesel.

O foco é usar o combustível para uso em caminhões e ônibus, reduzindo assim o impacto ambiental causado pelos motores movidos por óleo combustível.

Esse projeto é liderado pela austríaca AVL List (a mesma que desenvolveu os motores da Chery e JAC, por exemplo), Tupy (que fornece blocos de motores e outras usinagens para a indústria automotiva) e Westport Fuel Systems, que atua em combustíveis alternativos.

AVL e Tupy desenvolvem motor a hidrogênio mais eficiente

Na busca pelo carbono neutro, o propulsor a hidrogênio pode reduzir mais rapidamente o impacto das emissões por conta do uso de propulsor a combustão, já difundido no mundo.

Mas, para usar o hidrogênio de forma eficiente, o motor tem que ser totalmente novo, com usinagem complexa e injeção direta de alta pressão, coisas que Tupy e AVL sabem fazer.

Fernando de Rizzo, CEO da Tupy, disse: “Acreditamos que nosso conhecimento técnico e colaboração com clientes e universidades nos permitem desempenhar um papel importante no processo de descarbonização. Estamos estudando novos materiais, geometrias e usinagem que visam melhorar o desempenho de novos combustíveis alternativos de baixo carbono. Nessa busca por uma solução de transporte carbon-free e com custo viável, fazer parceria com empresas como a AVL e a Westport é gratificante”.

O desenvolvimento se deu com a Universidade de Graz, que contribuiu para o chamado AVL HydrogenEngine. Espera-se para 2022 mais resultados de testes e a conclusão do projeto. Além da combustão, o hidrogênio é usado atualmente em veículos comerciais através de células de combustível.

[Fonte: Automotive Business]

 

 

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 25 anos. Há 14 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.