Elétricos Hatches Mercado Renault

Brasil também terá Renault Kwid elétrico, segundo site

renault-kwid-2018-apresentação-NA-9 Brasil também terá Renault Kwid elétrico, segundo site

A Renault-Nissan havia se adiantado à tendência dos carros elétricos ao iniciar sua jornada nesse novo mercado em 2010. Aposta de Carlos Ghosn era de que o futuro seria reservado aos veículos movidos apenas por energia elétrica e até atrasou a introdução em maior escala dos híbridos e de outras tecnologias, a fim de focar mais atenção nesse novo tipo de carro.



Aplicando US$ 5 bilhões entre 2010 e 2011, Ghosn estava isolado no grupo dos grandes fabricantes de veículos na ideia de promover o carro elétrico, quando quase todo mundo ainda ignorava essa tendência, incluindo montadoras chinesas. Com o Leaf de um lado, pela Nissan, e a linha ZE (Zero Emission) da Renault, pelo outro, o grupo franco-nipônico até apostou na interessante ideia da Better Place, que planejava diversas estações robotizadas para troca de bateria.

Mas, ninguém contava com a rápida evolução das baterias. Hoje, a ideia de uma estação de troca de bateria já caiu por terra. O negócio é o aumento de autonomia e nisso, a Renault-Nissan aprendeu que é melhor não gastar com infraestrutura para um comércio de baterias, mas entregar o pacote completo ao cliente. Tanto é que a proposta de aluguel de baterias para o Zoe já tem seus dias contados.

E a partir de agora? Ghosn quer avançar sobre o mercado de carros elétricos com força, afinal, experiência de sete anos nisso, a empresa tem. Antes das outras, a Renault-Nissan já trilhava o caminho, agora é pavimenta-lo. Para isso, 12 novos modelos elétricos surgirão até 2022. Essa gama será composta por modelos de três marcas, lembrando que a Mitsubishi também está envolvida.

A rapidez nesses lançamentos é crucial para a Renault-Nissan, mais que para as outras empresas. O motivo é óbvio: eles começaram com isso, então devem manter-se na vanguarda da tecnologia. Isso porque Volkswagen, BMW e outros fabricantes estão eletrificando suas gamas com objetivo de dominarem o mercado, tanto de massa, quando de luxo.

Nessa nova onda elétrica, Carlos Ghosn pensa não só nos níveis acima, mas especialmente na gama de entrada desse novo mercado. Para isso, prepara um carrinho elétrico de US$ 8.000 para o mercado chinês. Mas não é qualquer carro e nem mais um produto exclusivo daquele país.

Trata-se do Renault Kwid, o “SUV dos compactos” feito no Brasil e inicialmente na Índia. A proposta anteriormente divulgada falava que o pequenino elétrico seria feito para os mercados chinês e indiano, mas agora sabe-se que também para o Brasil, de acordo com o site Automotive News Europe. Por conta dos encargos tributários brasileiros, dificilmente o modelo alcançará um preço de pouco mais de R$ 26 mil. Mas, se custar 50% mais que no mercado chinês, ainda conseguiria ficar abaixo de R$ 40 mil. Se pensarmos ainda no dobro do preço, seu valor seria equivalente ao do limitado carrinho da HighTec.

A ideia parece absurda, dada o custo dos carros elétricos atualmente, mesmo fora do Brasil, mas a Renault já sabe que sem ser rentável, o produto nunca sairá do papel. A dúzia de modelos elétricos planejados para 2022 não serão de carros de nicho, promete a empresa. Serão veículos de alto volume e o Kwid faz parte desse time de massa. Outro ponto importante é o custo de produção, que será compartilhado dos carros comuns, já que a Renault-Nissan-Mitsubishi pretende vender 9 milhões de carros em apenas quatro plataformas daqui a seis anos.

[Fonte: Auto News Europe]

  • Louis

    Se conseguissem lançar aqui por cerca de R$ 40k, eu reservava um na hora. Até por R$ 50k dá para se pensar, dependendo dos equipamentos e autonomia.

    • Pipo pipo

      Exato. Eu focaria em manter o carro pelo prazo de validade das baterias. Se fosse 10 anos e eu rodasse 15.000 km por ano. Quanto em manutenção e combustível eu economizaria em relação ao carro normal?

      • Louis

        Isso sem contar que, daqui 10 anos (quando a bateria já não estiver mais 100%), os preços das baterias novas serão muito mais baixos, e elas já terão evoluído para maiores capacidades. Ou seja, trocar a bateria não será nenhum sacrifício.

      • leandro

        Em um fórum americano um proprietário disse “at hyway speed, a model S will travel about 295 miles, at 70 deg F, on flat roadways on a full charge. A full charge is about 76 KWH (the other is a buffer to get to 85). So that is 3.88 miles or 6.25 Km per 1 Kwh of electricity”

        Ou seja 15000/6,25= 2400 kWh por ano, dependendo do estado seria algo em torno de R$ 2.040 por ano… Muito pouco considerando que a outra única despesa seria pneus e alinhamento.

        Esse valor num tesla model S que deve pesar o dobro de um Kwid

        • Cesar

          Acho que essa conta sua está meio furada. A revisão do Kwid custa R$ 385,33.

          • Gabriel Loio

            Carro elétrico não dá manutenção de absolutamente nada além de amortecedor, alinhamento e roda. Por isso, a conta n é furada.

          • D136O

            a conta ta certa pelo divulgado pela tesla ele gasta 0,16kWh/km (que é exatamente o numero que ele usou invertido), mas realmente depende o estado aqui no RS o kWh ta quase R$1 na bandeira vermelha e já estão querendo mudar a tarifa da bandeira vermelha que subiria para R$1,15.

            • FrankTesl

              com geração distribuída e kits fotovoltaicos a questão de bandeira fica irrelevante.

        • Rafael Santos

          praticamente metade do valor gasto em combustível.

    • Rafael Santos

      o problema é que se o GM Bolt custa quase 300 mil, esse Kwid custaria facil uns 80 a 90 mil.

    • Zergling

      Esquece esse valor hoje. Quem sabe daqui há 2 anos…

  • Bruno Leite

    40k para se livrar dos postos de combustíveis, eu topo. tendo uma autonomia de 50 – 100km / dia, podendo carregar em casa, excelente.

    • Louis

      Sem precisar se preocupar com troca de óleo, filtro de óleo, filtro de ar, líquido de arrefecimento, embreagem… Eu também topo.
      Depois instalo placas foto-voltaicas em casa, e ando praticamente de graça.

      • Bruno Leite

        acredito que esses fluidos serão sempre necessário fazer manutenção. Tanto carro a combustao ou eletrico, pois é necessário para o funcionamento do mesmo

        • Uranium

          Oi??? Onde você quer por óleo de motor, água do radiador e embreagem em carro elétrico?

          • Bruno Leite

            Opa, verdade. vao ter coisas mais básica como filtro do ar, alinhamento e balanceamento, e checkup do sistema eletrico. oléos não precisa mesmo. talvez o do freio?

            • RPM

              Filtro de ar no motor elétrico???

              • Bruno Leite

                ar condicionado

                • RPM

                  Aí sim….rsrs

          • Zé Mundico

            Calma, amigo. Você acha que um motor apenas por ser elétrico não vai precisar de manutenção e eventual troca de peças ou componentes?
            E você acha que essas peças e componentes para motor elétrico serão baratinhas e fáceis de encontrar?
            E você acredita que a mão de obra para esses reparos não terá que ser altamente especializada e terá que usar ferramental específico e, portanto, cara?
            É o erro que todos cometem: achar que o carro elétrico nunca quebrará, será econômico e de manutenção barata e fácil de manter.
            Claro que será melhor, mais confiável e terá menos problemas, até mesmo pela ausência de mecanismos e engrenagens. Sem falar que será menos poluente e mais silencioso.
            Mas não vai ter nada de barato, pode acreditar. Eventuais reparos só poderão ser feitos por pessoal altamente especializado que cobrarão conforme a complexidade do sistema e dos altos custos de formação e operação de unidades de reparo.
            Então vamos com calma com isso, que o choque pode ser grande….

            • RPM

              Um carro elétrico teria manutenção em sistema de freios e suspensão basicamente…..

            • Bruno Leite

              Seria uma mão de obra mais especializada (e mais cara) pelo menos vc tira o dinheiro da gasolina para cobrir esse custo e não polui o ar (caso carregue com placa solar).

            • José Barbosa

              Nem tanto. O caro em termos de matéria prima é o motor em si, que para queimar teria que ser algo realmente excepcional. Os circuitos de apoio são relativamente simples, claro que seriam bem mais caros que uma placa de uso doméstico, posto que em situações extremas, mas de custo semelhante à eletrônica embarcada de um carro à combustão. Literalmente, acho que a comparação mais justa é um pendrive x aparelho de videocassete. Pendrive queima, mas bem menos que fitas, e quando dá pau, é muito mais barato de reparar que um video.

              • D136O

                Em geral teria menos manutenção periódica filtros, fluidos, correias velas etc. Porem continua tendo freios pneus, rolamentos, ar condicionado, direção elétrica, e suspensão. Quanto a analogia do pendrive realmente a parte eletrônica pode apenas queimar é mais raro, mas ai seria bem salgado.

            • Samluzbh

              Se for Toyota, feio e caro, não terá manutenção, sera eterno! Sem brincadeiras, conheço motores elétricos funcionando a mais de 10 anos que só precisou de limpeza e rolamentos. O liquidificador daqui de casa tem 12 anos! Não tem nada a ver mas motores elétricos tem uma durabilidade incrível.

            • Diego Franco

              Acho q errou de longe aí, motores elétricos são em sua concepção muito simples e se espera q a manutenção nestes seja zero ou simples.
              Outro ponto é q o custo não está no motores e sim nas baterias, em tese motores elétricos c a popularização serão descartáveis , estragou coloca outro.

              • Zé Mundico

                Manutenção zero e simples,…
                Estragou,coloca outro……
                tá certo….rsrsrsrsrs

              • D136O

                Cara tem motores elétricos bem complexos e caros, e o usados em veículos não são os mais simples.

                • Diego Franco

                  Sugiro que deem uma olhada no processo de construção de um motor elétrico veicular, existem vídeos que cobrem todo o processo na internet, são MUUUUIIIIITTTTO mais simples que um motor a combustão interna, não existe a menor comparação entre eles.
                  Um meio mais simples de comparar é só olhar o cofre de um carro 100% elétrico e o de outro carro movido a combustão.
                  Por fim, tente imaginar ao seu redor quantos motores elétricos existem (guardadas as proporções e diferenças, c/ escovas ou sem, indução, etc…) impressora, dvd, microondas, portão, brinquedos …, enfim, o principio é o mesmo e por isso a concepção e o fato de que em algum tempo serão descartáveis é simplesmente uma constatação baseada na situação em que já vivemos.
                  Mais um vez, o desafio nos carros elétricos não está no motor e sim nas baterias.

                  • D136O

                    Estamos falando de motores de 700cv e que atingem 10000rpm, controlados por um drive que modula freqüência e amplitude da tensão aplicada em 3 fases a partir de uma corrente continua dizer que serão descartáveis… a que custo?
                    A bateria também tem suas limitações ai é outro porem.

                    • Diego Franco

                      Infelizmente não, estamos falando de motores bem mais fracos, cerca de 100cv a 150cv, mas claro que isso é uma conversão de potência tendo em vista que motores elétricos tem a medição em watts, por exemplo o Nissan Leaf tem 80kW algo em torno de 107cv.
                      Voltando ao tópico manutenção, não vai importar de fato, a manutenção entre um motor elétrico de 10cv ou 700cv será 99% igual. Tudo questão de conceitos.

                    • D136O

                      Certo, o exemplo que dei era de um tesla S, bem pra ser mais especifico quero dizer que o custo dele é maior, não sera igual a de um motor elétrico convencional. Na industria temos motores bem parecidos, mesmo rara eles dão manutenção ainda que com potencia menor não são jogados fora e mesmo manutenções simples como troca de rolamentos são salgadas.

            • leandro

              Precisa de uma mão de obra super especializada para dar manutenção do motor elétrico.. ainda bem que aqui do lado de casa o Sr Zé que conserta tanquinho e enceradeira é muito bom de serviço

            • Acredito que se bater o carro será um problema maior, mais isso vai depender de como as seguradoras tratarão o assunto. Acredito que as manutenções citadas sejam as preventivas. Sei, na prática, que nesse caso o motor elétrico é de manutenção zero. Na verdade a conta poderia recair sobre as baterias, mas essas costumam ter generosas garantias de até 10 anos pelos fabricantes, o que deixaria de ser um impeditivo para quem vai comprar zero. A desvalorização poderá ser maior por conta disso também. Mesmo assim teremos revisões periódicas, especialmente por conta do sistema de freios. As pastilhas duram bem mais, devido ao sistema regenerativo, mas isso não garante o bom funcionamento do sistema que deve ser revisado. Meu híbrido, com 4 anos de uso (quase 5), nunca fez nenhuma manutenção na parte elétrica, bateria ou motor elétrico. Apenas leituras na central eletrônica. E não tem sinal de que vá ter algum problema. Já no motor a combustão, fez uma manutenção na bomba de combustível, em recall, além das necessárias trocas de óleo, filtros, velas, cabos, etc. Além disso, fora o “Power Split Device” (que é o sistema de transmissão desses híbridos), acredito que a manutenção do sistema elétrico será bem simples e baseado apenas em trocas de peças. Quanto aos custos dos componentes, devem diminuir com a popularização e escala.

            • leomix leo

              A manutenção de um motor elétrico é a mesma de uma parafusadeira. Nada de outro planeta, nada que um bom eletrotécnico não resolva.

              • Zé Mundico

                depende se for 110 ou 220…..rsrsrsrs

            • Daniel

              Zé mundico, acho que vc não tem ideia da simplicidade de um motor eletrico. A manutenção é extremamente mais simples e infinitamente mais barata.
              O pessoal “altamente especializado” é basicamente o cara que faz manutenção no alternador do seu carro, ou o cara que faz manutenção em motor eletrico de bomba d’água.
              A manutenção de um motor a combustão sim, precisa de pessoas muito mais especializadas, por ser bem mais complexo.

            • FrankTesl

              motores elétricos de indução trifásicos existem há décadas, só agora estão sendo usados em carros.
              Duas peças móveis.
              Não é nenhum motor de dobra alienígena, a mão de obra pode ser treinada e aproveitar conhecimentos já existentes de outras áreas.

              a maior das correções e atualizações a Tesla manda remotamente

              • Zé Mundico

                Não estou dizendo que será um bicho de 7 cabeças, mas parece que tem gente que acha que motor elétrico:
                1 – NUNCA vai precisar ser reparado.
                2 – As peças serão super baratinhas.
                3 – Qualquer eletricista de geladeira vai “mexer” usando uma chave de fenda e um alicate.
                4 – Que uma oficina automotiva vai cobrar pelo conserto de um motor automotivo a mesma coisa que o Zé da esquina cobra para consertar ventilador.
                O cara acha que motor elétrico é tudo igual, de parafusadeira a enceradeira, esquecendo que TODA nova tecnologia é por definição, CARA.
                O motor a explosão está com os dias contados e o motor elétrico é o futuro, mas não será essa maravilha toda, a começar pelo preço, que será caríssimo, pelo menos nos primeiros anos.
                É esse tipo de ingenuidade e inocência que costuma se deslumbrar com novas tecnologias para logo depois quebrar a cara.

          • Romulo Rostand

            Opss, Bruno, engano seu. Carro elétrico necessita, sim, de refrigeração para motor e baterias. Verdade que, comparativamente, bem menor que o dos automóveis movidos por motores a combustão, vez que o rendimento do motor elétrico é bem superior a estes.

            No Nissan Leaf, automóvel elétrico mais vendido, o sistema de refrigeração das baterias é feita a ar, já o conjunto motor/inversor/carregador possui refrigeração líquida, água.

            Você pode conferir a informação, com várias ilustrações, no link que se segue: http://articles.sae.org/11993/

            Complementando, o Chevrolet Volt e os carros da Tesla possuem sistema de refrigeração líquida para as baterias.

            • José Barbosa

              E ao tropicalizar certamente vão precisar de melhor refrigeração. Física básica: quanto maior à temperatura, maior a resistência elétrica, e menor a eficiência.

            • Romulo Rostand (Voz Verso e Pr

              Me enganei quanto ao nome do destinatário da minha mensagem reposta, que é Uranium e não Cláudio.

          • Eng Turbo

            A parte da água no radiador ele acertou. As baterias e principalmente o motor, geram calor e precisam ser “controlados” e resfriados.

          • FrankTesl

            talvez água em radiador, se o motor tiver refrigeração líquida

        • Julio

          Vai ter o carvão pra trocar, rsrs

  • Tosca16

    Duvido que venha com preços abaixo dos 50 mil reais, mas se tiver uma autonomia de 120-150km com carregamento de no mínimo 50% da bateria em 3-4h seria uma opção bem atrativa.

  • Mauro Moraes

    Em tempo, gostaria de saber o que está acontecendo com as vendas da Renault. Segundo um blog aí, a montadora ocupa a oitava posição no ranking geral no primeiro decêndio de novembro. O “fenômeno” Kwid sumiu, e está atrás até do natimorto up!. Em contrapartida o Mobi acordou de repente e é o quarto no ranking. O esperado Novo Polo se arrasta e vende menos que 1.000 unidades no lançamento da maior rede de concessionárias do País (são mais de 600, façam suas contas). Comentam que está decepcionando muitos fãs da marca e que alguns até desistiram da pré-venda.

    • No_Name

      A FIAT reduziu os preços do Mobi e tem muito mais “tradição” que a Renault no mercado, já era de se esperar que fosse melhorar as vendas. O problema de muitos carros do mercado brasileiro é um só: preço! Baixa que vende!

      • Mauro Moraes

        Mas a VW está fazendo promoções com o up! agora em novembro, a preço de Kwid, mas mesmo assim o bichinho não vende. Portanto o problema não é só preço.

        • No_Name

          É preço sim. O Up ainda é extremamente caro. Esse a “preço de Kwid” é uma vergonha, pelado de tudo. E no caso do Up ainda pesa o fator design que não agrada o brasileiro.
          Sabe por que é preço que manda? A Ford quando tinha o Ka “G2” que era um carro que não agradava os brasileiros, decidiu ser agressiva nos preços e passou a oferecer ele com AC de fábrica por R$ 24 mil, passou a ser o popular mais barato a época e viu as vendas melhorar substancialmente.

          • Mauro Moraes

            Acho que o maior problema do up! é o design mesmo. E talvez seja o problema do novo Polo também, já que é um Gol melhorado. Agora no Brasil, se não tiver um design arrojado não vende. A VW ainda está em terceiro porque é a maior rede de concessionárias do Brasil. Acredito que a Renault vai tirá-la do posto em breve.

        • SDS SP

          O Up mais barato está saindo por 40k com o kit dignidade, ainda sim quase 5k de diferença para um Mobi ou Kwid com equipamentos similares.
          Aqui em casa acabamos escolhendo o Renault, justamente pelo preço.

    • marc west

      Parece que a Renault teve que parar as vendar do Kwid por mais um problema mecânico. Acho que saiu algo publicado sobre essa nova parada de vendas.

    • Bruno Batista

      Acho que é algum problema com a fabricação ou entrega, pois nesse começo do mês os carros não estão nem no Top 30, e tem um conhecido que comprou um kwid a uns 20 dias e até hoje não foi entregue.

    • Cesar

      Com relação ao Kwid, estão com problemas de fabricação. Apareceu um outro problema, agora nos freios dianteiros.
      https://quatrorodas.abril.com.br/noticias/renault-kwid-tem-novo-bloqueio-das-entregas-por-defeito-nos-freios/

      • José Barbosa

        E com isto a imagem do carro vai indo ladeira abaixo. Como disse anteriormente, o 2o lugar foi um resultado artificial, alcançado por uma política de preços agressivos + boa estratégia de pré-venda, mas longe de ser um veículo a ser considerado por boa parte dos consumidores mais conservadores, pelo menos até ele fazer uma boa fama.

        • Cesar

          Pois é. A Renault está perdendo uma chance de ouro de subir algumas posições. Estes problemas não deveriam ocorrer. Ela teve pelo menos 1 ano depois do lançamento do Kwid na Índia para maturar o projeto dele.

      • SDS SP

        Pois é, o nosso foi comprado em Agosto com previsão de entrega para o início de Novembro e até agora nada. O novo prazo foi para até o dia 30 deste mês.

        • Cesar

          Como disse ali embaixo, o tempo entre o lançamento do Kwid na Índia e no Brasil, foi de pelo menos um ano ou seja tempo suficiente para corrigir estas falhas e fazer estoque, mas… Parece que a turma está no amadorismo feio e perdendo a chance de liderar.

    • SDS SP

      As entregas do Polo começaram em novembro. Não esperava muita coisa.
      Bicho, como tu gosta de pegar no pé da VW. Em quase tudo quanto é matéria sempre tem que falar alguma coisa. Vira o disco.

  • SK15

    Bem já fui ver um Kwid e na minha opinião é apenas ‘OKzinho’, hoje não compraria mas uma versão elétrica pelo mesmo preço ou pouco mais cara do que temos hoje eu compraria fácil … sorte que sonhar não paga porque se chegar será no fim do Rota 2030 quando eles querem falar do Rota 3000 e deve custar uma fabula 300.000 deve ser pouco.

  • Júnior Nascimento

    Um Kwid elétrico abaixo de 50k eu compraria sem pensar duas vezes. Você vê o e-Up! na Europa por 120 mil reais em conversão direta, e um Kwid por 40k, 50k, é um preço extremamente competitivo.

  • afonso200

    Kwid eletrico de 90mil, kkkkkkkk

    • José Barbosa

      Pagaria fácil 90k num kwid elétrico. Em alguns anos a diferença estaria paga.

      • ViniciusVS

        Em breve vão pagar isso no Flex…

      • Kenedy

        Se tem Tesla nos USA que a bateria com 2 anos pifa, que dirá um Kwid… isso sem contar que para você “pagar” essa diferença aí você teria que utiliza-lo em demasia, e isso tem mais chance ainda de viciar a bateria prematuramente.. vai pagar sim, hahhaha povo acha que elétrico é se mover de graça… kkkkkkk da só uma olhada no mercado de usados de elétrico nos USA, carros do mesmo patamar, um elétrico e um a combustão, os elétricos são mais caros na hora de comprar 0km, média de 13% mais caros e quando vão se vender, caem em média 20%…

        • tjbuenf

          O povo não faz conta, acha que elétrico é só os R$ 0,85 do Kwh.

          • carroair30

            Esse TROÇO de CARRO ELETRICO NAO FUNCIONA,é CARO,NAO TEM AUTONOMIA,BATRIAS entram em FADIGA,e PASMEM é um projeto mais antigo que motor a combustao,que,ate hoje a engenharia nao conseguiu deixa-lo atrativo em termo de PREÇOS,e FUNCIONALIDADE

      • Stéfano

        NUN-CA

  • Maycon Farias

    Nessa faixa de 40 eu compraria na hora, mas desde de que passe por um facelift, já vi vários na rua e além do desenho geral não ser harmônico as rodas finas são assustadoras. De qualquer forma parabéns a marca com planos ambiciosos assim. Que venha logo.

  • Natán Barreto

    Se conseguir trazer num preço razoável e fizer um bom marketing em cima, acaba obrigando todas as outras fabricantes de carros de entrada a terem o seu player.

  • Ricardo

    O Kwid até que é bonitinho, mas esta suspensão alta e pneus fininhos o deixam muito estranho, deveriam fazer uma versão mais de cidade também.

    • Alexandre Viotto

      Mas aí deixaria de ser o “SUV dos compactos”! Kkkkk

      • Ricardo

        Pois é! Brasileiro burro, prefere um SUV micro a um carro pequeno realmente ideal para a cidade. Um pneu lameiro mais largo ficaria melhor, mas daí ficaria mais pesado e beberrão!

  • julio

    Revisão não será feita por mecânicos, mas por eletricistas. KKK!

  • Silvio Vasques

    Eles tem o Twizy montado no Brasil e nunca lançaram aqui! Vc acha mesmo que vão lançar o Kwid elétrico? A mesma historia de “SUV dos compactos”!

  • José Lopes

    Esse Renalt KWID É UMA ENGANAÇÃO GERAL.
    O o “SUV dos compactos” é pura mentira, de alto!!! não tem NADA, de espaçoso!!! não tem NADA, de robusto!!! não tem NADA.
    O Volkswagen Up É MUITO MELHOR, mesmo sendo um pouco mais caro, o UP é MUITO MELHOR. É muito mais espaçoso e bem mais alto que o Kwid.
    O Renalt Clio era muito melhor que esse KWID “MENTIROSO”. Dentro de um Clio o espaço era muito melhor que o Kwid.
    Não demora muito, o consumidor IRÁ PERCEBER que esse KWID É UMA ENGANAÇÃO GERAL.
    Era muito melhor ter feito um facelift no Clio do que ter trazido para o Brasil essa ENGANAÇÃO que se chama Kwid.

  • FrankTesl

    mais uma para a conta dos luditas anti carro elétrico…
    que o motor elétrico é tão complexo quando um motor de dobra da USS Enterprise, que vai demandar mão de obra altamente especializada caríssima treinada em outro quadrante da galáxia, que vai depender de peças feitas de um liga de vibranium com adamantium…
    o repertório de piadas, digo, argumentos, anti inovação estão ficando mais interessantes.

  • Diogo Augusto

    Será que finalmente teremos um carro elétrico por um preço acessível? Acho uma excelente ideia, ainda mais agora que o preço da Gasolina disparou…

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 11 anos. Saiba mais.

Notícias por email

Send this to a friend