Elétricos Mercado Montadoras/Fábricas

Brasileira WEG quer converter carros comuns em elétricos

Brasileira WEG quer converter carros comuns em elétricos

A WEG é uma empresa catarinense que produz motores elétricos e componentes para veículos eletrificados, incluindo híbridos. A companhia é mais conhecida por fornece o powertrain de ônibus elétricos e híbridos que circulam em corredores exclusivos em São Paulo e Grande ABC.


Agora, a WEG pretende converter carros comuns em elétricos. Para isso, a empresa fechou parceria com a FuelTech, que é especializada em injeção eletrônica, mas que agora vai produzir o kit de conversão junto com a catarinense. Esta segunda companhia tem sede no Rio Grande do Sul e escritório nos EUA.

As duas empresas também pretendem desenvolver carros de competição elétrica. WEG e FuelTech esperam por uma redução nos custos do transporte com menor consumo de combustível, obviamente, alcançando altos níveis de eficiência energética.

Manfred Peter Johann, diretor superintendente da WEG Automação, disse: “Com o movimento da eletrificação, existe no Brasil um nicho a ser explorado”. Ele completa: “Esse mercado de conversão de automóveis pode surgir com o tempo”.

VEJA TAMBÉM:

Brasileira WEG quer converter carros comuns em elétricos

Anderson Frederico Dick, diretor geral da FuelTech, disse: “A gente está diante da maior revolução da indústria automobilística e a gente vê como isso está impactando o mundo”. Ainda assim, especialistas observam que o maior potencial para esta tecnologia é a conversão de carros clássicos em elétricos.

A WEG tem parceira com Volkswagen, Metra (ônibus híbrido) e Embraer para o desenvolvimento de veículos de transporte urbano. No novo negócio, um modelo deverá ser definido para uma rede inicial de 1.000 pontos de recarga.

A estratégia é atingir um consumidor que deseja manter seu carro, mas com eficiência superior do uso de energia elétrica. Como os carros elétricos novos são caros, aqui no Brasil brincam na faixa de R$ 150.000, já a conversão elétrica tem custo menor, que é bem inferior nesse caso. A estimativa lá fora fica entre US$ 7 mil e US$ 16 mil.

[Fonte: Época Negócios]

[Imagens ilustrativas]

 

 

Ricardo de Oliveira

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 23 anos. Há 12 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.

                                                                                Quem somos

                                                                                O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por 15 anos. Saiba mais.

                                                                                Notícias por email