*Destaque Mercado

Brasileiro relata como foi a experiência de ser um vendedor de uma concessionária no Canadá

canada-cherokee Brasileiro relata como foi a experiência de ser um vendedor de uma concessionária no Canadá

Antes de iniciar meu relato, gostaria de salientar que nunca havia trabalhado em uma concessionária no Brasil e, a única experiência que tinha, era como consumidor. Estou aqui em um visto de estudos/trabalho e, na época, estava há menos de 1 mês no país (Canadá). Apliquei para uma vaga administrativa e, quando fui chamado para a entrevista, me ofereceram a oportunidade como vendedor.



Segundo o gerente, entenderam que meu perfil era muito mais para vendas, gostaram muito de mim, poderia ganhar muito mais, etc. Antes de aceitar a oferta, pedi para descrever como seria a função, sendo me dito que eu faria muitas, mas muitas ligações e se teria problema com isto.

Começando o trabalho, primeiro passo seria a fase de “treinamento”. Assim mesmo, entre aspas, pois gastei alguns dias lendo brochuras e catálogos dos veículos, alguns treinamentos online e, basicamente, nada sobre o modus operandi do time de vendas. Segundo o sub-gerente, era para eu ficar próximo, mas não junto, dos vendedores e tentar escutar como eram as negociações e processos.

canada-cherokee Brasileiro relata como foi a experiência de ser um vendedor de uma concessionária no Canadá

O meu choque com o processo de vendas de carros, foi infinitamente maior do que o choque cultural com o país. Esqueçam valores, taxas, carros, entre outros. A técnica para vender um veículo (embora ainda discorde), eu tive de aprender e colocar em prática.

Se tiverem um tempo, pesquisem por Grant Cardone, tido como um guru das vendas automotivas, seus vídeos e livros eram repassados diariamente nas reuniões matinais. Antes que perguntem, não é um autor motivacional, mas um profissional de sucesso (começou como vendedor e hoje é um milionário coach) e de técnicas extremamente agressivas.

Nenhum vendedor tem sua mesa fixa ou um computador. Os pertences do vendedor são sua prancheta, com a lista dos estoques e alguns formulários.

O processo básico desde a entrada do potencial comprador é o seguinte:

  1. O vendedor da vez aguarda o cliente estacionar e, quando este sai do carro, o aborda no estacionamento, convidando-o para entrar.
  2. Preenche-se um formulário, questionando dados de contato, informações sobre o veículo atual (dados e comentários) e, por fim, qual veículo gostaria (para qual uso e itens importantes).
  3. Seleciona-se 3 veículos diferentes, juntamente com o gerente, às vezes diferentes tipos (exemplo: van, SUV, picape) e leva o cliente para vê-los.
  4. Se o cliente gostou de algum, vamos para o test-drive, caso contrário, busca-se outros modelos até achar algum que ele queira dirigir.
  5. Retornando do test-drive, pergunta-se ao cliente se aquele é o carro ideal, sendo a resposta positiva, entramos e iniciamos a “negociação”. Preenche-se um outro formulário, com oferta versus proposta, avaliação do usado (caso aplicável) e, a cada rodada, há uma ida à mesa do gerente para aprovação do negócio, vide POSSÍVEIS condições propostas.
  6. Batido o martelo, o cliente paga uma caução de mil dólares canadenses e ele é encaminhado ao escritório de negócios. Pense em algo como um mini-banco / caixa da concessionária.
  7. A venda ainda não foi concluída, caso seja um pagamento à vista (raro) será rápido e, em cerca de 1h30m, o cliente sairá de carro novo. Para financiamentos e leasing, o histórico de crédito do cliente é investigado (algo rápido) e são apresentadas as REAIS condições de pagamento.

canada-cherokee Brasileiro relata como foi a experiência de ser um vendedor de uma concessionária no Canadá

Todo este processo faz parte da técnica do tal Cardone, pois segundo ele, se o cliente se apaixonar pelo carro, ele vai compra-lo. Era repetido diariamente pelo proprietário e gerente da concessionária: “Você não vendeu, porque o cliente não encontrou o carro certo” e “Nunca deixe a negociação ser focada no valor a ser gasto, mas no carro certo!”.

Em 80% das vezes, tal afirmação fazia sentido, pois entravam procurando por um Jeep Cherokee usado de 22 mil e saiam com um 0km de 40 mil. Ouvi repetidas vezes, “Se o cliente gostar do carro, ele vai pagar!”. Por que tamanha certeza?
A resposta está no poder de compra do consumidor e nas “facilidades” da negociação. Todos os carros 0 km podiam ser financiados em até 96 meses (!!!), sem entrada e com prestações baixas (190 dólares canadenses por um Renegade e 300 por um Cherokee).

No entanto, tais condições só seriam aplicadas se você tivesse um histórico de crédito razoável. Eu, por exemplo, para comprar tais modelos, precisaria fazer um depósito de segurança de 25%, sendo descontado no final do financiamento.
Minha primeira venda foi um Jeep Cherokee 0 km, que estava com 8 mil de desconto!

canada-cherokee Brasileiro relata como foi a experiência de ser um vendedor de uma concessionária no Canadá

O cliente pagou a caução num sábado, mas foram 5 dias até definirem como seria financiar a venda, juntamente com o escritório de negócios. Alguns dias depois, recebi a comissão, equivalente a 20% da margem bruta da negociação. O carro estava sendo ofertado por 32 mil e a margem foi de 2,9 mil.

Agora observem, após 8 mil de desconto, ainda houve 9% de margem… Quando a venda era enxuta, abaixo de 8% de margem bruta, nossa comissão era fixada em 150 dólares, algo para desestimular o cliente que barganhava. Em uma negociação com uma Grand Cherokee, o cliente conseguiu barganhar muito e, para piorar, com o carro dele no negócio, me renderam o mínimo.

Vendi uma RAM 1500 (Top de linha, mas amarela!!!), com um preço original de 62 mil, no entanto, com um desconto de 14 mil dados pelo fabricante e, mesmo assim, faturei os 20%.

canada-cherokee Brasileiro relata como foi a experiência de ser um vendedor de uma concessionária no Canadá

Além do atendimento aos clientes, é exigido um mínimo de 75 contatos telefônicos por dia! No início, foi algo estranho, mas confesso que acabei me acostumando e tirando de letra. Inicialmente eu não acreditava que, ligar para alguém que visitou a revenda há 6 meses, pudesse ser de alguma efetividade, até um destes contatos vir até a loja e me procurar para ver um carro.

Novamente, é um procedimento distinto do que conhecemos, mas muito parecido com corretores de imóveis.
Para nós brasileiros, é algo totalmente diferente do que estamos acostumados. Visto que nosso poder de compra é muito menor, nem sempre nos deixamos levar apenas pela emoção.

Pessoalmente, sempre fui extremamente racional nas minhas aquisições de carros (tenho formação em finanças) e, confesso que, por discordar da filosofia de vendas e estar atuando fora da minha área, entendi que seria melhor me desligar. Tudo numa boa, saindo pela porta da frente, após 25 dias de trabalho.

Curiosidades e fatos:

  • Vendedores ganham salário mínimo + comissão. O valor do mínimo aqui é de 10,85 dólares/hora.
  • Em geral, trabalha-se 40h/semana em 5 dias. Ali estávamos trabalhando cerca de 50h/semana em 6 dias, tudo compensado devidamente com horas extras.
  • A média de vendas do time era de 6 carros por mês.
  • Vendedores e funcionários podiam adquirir carros pelo valor de NF, ou seja, descontada a margem bruta. Devendo permanecer com o mesmo por, no mínimo, 6 meses.
  • Carros 0 km são usados, normalmente, para test drive.
  • O fabricante cede algumas unidades “demo”, mas estas são usadas pela gerência e, após determinado período, são revendidas com enormes descontos, mas com garantia e status de 0 km (são excelentes negócios, geralmente com 1 mil km).
  • As taxas de 0 km variavam entre 0% e 3,49% a.a.

Agradecimentos ao Frederico Klamt.

COMPARTILHAR:
  • Fábio Henrique

    Muito interessante a materia, só achei um pouco burocrático demais todo o processo, provavelmente nao funcionaria tao bem aqui no Brasil.
    Será q la tem clientes sem paciência que ja chegam decididos pela compra e só querem negociar, pulando a apresentacao das 3 opcoes e o test drive?

    • Stroka

      Se você achou isso burocrático, não sei em que Brasil você vive. Aqui tem até despachante pra facilitar o emplacamento.
      Somos os reis de criar burocracias(problemas) e vender soluções(facilidades).

      • Fábio Henrique

        Ue, mas me refiro aon processo de venda. Ja trabalhei em css e duvido q a maioria dos clientes iam preencher formulario para q eu mostrssse 3 carros

        • zekinha71

          Se chego em uma ccs e pedem pra preencher formulário, só pra ver um carro, nunca mais entro lá.

          • pois é, penso o mesmo. mas é que aqui é muito mais difícil vender carro, então a venda tem q ser muito mais agressiva, um vendedor de carros com 5 anos de experiência no brasil, provavelmente ficaria milionário no canada vendendo carro, vide a agressividade brasileira ser muito maior e com menos burocracia pra venda (agora para documentação, emplacamento e etc é 1000x maior).

            • Tosoobservando

              Dificil pq la tem os gordos descontos, provavelmente nao tem o tal “agio”, nem os clientes que aceitam qq coisa, concorrencia alta, margem de lucro nao tao alta.

          • Ricardo

            Não sei em que Brasil vcs vivem. Primeira coisa que o vendedor faz ao sentar com vc é colher seu nome, telefone, email, endereço… ali ele já está preenchendo o formulário. Aqui a burocracia é muito maior. Aonde vc consegue sair com um carro novo em 1h30?

            • th!nk.t4nk

              Ricardo, já comprei carro em menos de 2 horas sim. Já tinha definido anteriormente o modelo e o quanto estaria disposto a pagar. Na terceira concessionária que entrei tinha o modelo exato no estoque (inclusive a cor), e cobriram a oferta dos concorrentes na hora. Dei uma volta no carro, e enquanto lavavam acertei a papelada. Pra pagamento à vista em 15 minutos a grana tá na conta da concessionária (tinha agência bem pertinho). Como eu mesmo fiz o registro, só tive o trabalho de ligar pro meu corretor, que transferiu o seguro em poucos minutos. Hoje em dia comprar carro no Brasil é ridículo de fácil, se você estiver com a grana na mão e souber o que quer. Tomou mais tempo o emplacamento no dia seguinte, quase uma manhã toda, mas foi sossegado também.

        • fdklmt

          Não é o cliente q preenche, mas o vendedor…e há uma técnica para isso, não é mecânico

        • Cmenusi

          Já fui em CSS que pediam nome e celular antes de encaminhar ao vendedor (e depois ficaram 6 meses ligando, mesmo eu já sem intenção de compra) e já preenchi formulário pra fazer test drive (Kicks). No caso do formulário, acho que enquanto fui fazer o test drive já fizeram a simulação de financiamento, pois na volta a vendedora foi conversar com a moça do financeiro e voltou Beeeem mais animada do que durante o test drive …

          • RED883

            Eu sempre digo o celular errado para não ficarem me ligando depois, se me interessar volto na ccs…

      • Marcelo Ceno Dutra

        Brasileiro tem tesão em enfrentar filas e ir sempre pelo caminho com dificuldades, e na maioria das vezes este não é o correto.

    • invalid_pilot

      Burocrático lá? Em 1h30 tu sai com o carro emplacado e pronto.
      Aqui tem que recolher taxas e taxas, marcar data de vistoria no Detran e só depois emplacar.

      • Fábio Henrique

        Me refiro aos formularios q eles preenchem só pra poder apresentar as opcoes de carro

        • Hater x Haters

          Preencher formulário é pouco (aposto que não leva mais de 5 min) perto das taxas, vistorias e outras burocracias enjoadas do Barsil.

        • invalid_pilot

          Olha, aqui não é muito diferente dependendo da concessionária, eles criam um cadastro de potenciais clientes… É geração de dados

          • Fábio Henrique

            Sim, qd eu trabalhei ja tinha isso, mas era somente depois da ‘negociacao’ e mesmo assim mtos se recusavam.

        • a diferença é que, la fora, eles não perdem tempo, se você preencher um formulário, sinal que você realmente está procurando um carro e não só “olhando’.

          • Ricardo

            Creio que seu conceito está equivocado. Lá não existe o tal do preconceito para quem está “olhando”. Todos são tratados como potenciais clientes. Aqui, pelo visto, ter é mais importante que ser.

          • Fábio Henrique

            Sim, pensei por esse lado tb. Para o primeiro contato é uma boa selecao

      • th!nk.t4nk

        Que vistoria? O carro é novo. É só colocar a placa em qualquer loja, fazem em poucos minutos. E no Detran é tranquilo também, tem sempre um caixa pra pagamento do lado. Tem que entrar em 2 filas diferentes, concordo, mas é isso e acabou. Poderia ser ainda mais fácil, mas horrível o processo também não é não.

        • invalid_pilot

          Depende do Estado… E emplacamento/lacração só no Detran aqui em SP

      • pedro rt

        pois e aqui se demora 2 semanas pelo menos pra receber um carro por causa da burrocracia…

    • AugustoSeide

      Também achei,, quando era vendedor suava para conseguir fazer o cliente preencher uma avaliaçao do test drive, e olha que eram só 5 perguntas de sim ou não.

    • fdklmt

      Em vários casos, há clientes pesquisando, especulando, etc. Há também os sem paciência e aqueles (como eu) focados na negociação/valor…por isso que não concordei 100% com a abordagem. No entanto, funciona muito bem para os que não sabem o que querem.

      • Ainnem Agon

        Perfeitamente. Lá (USA e Canadá) as opções são ENORMES, então quem vai comprar um carro novo simplesmente vai sem noção nenhuma muitas vezes. Daí que faz sentido a estratégia descrita acima. É mais como um meio de acolher o cliente indeciso e guia-lo para um desejo específico, concluindo a venda.

  • Alessandro

    As taxas de financiamento de lá grita para o cara não comprar a vista.

    • Elfo Safadão.

      Até mesmo por que, se der problema com o carro ele poder exigir a suspensão do pagamento (no caso do financiamento) até que problema seja sanado, simples assim, entra com ADV e pronto, suspende o pagamento, mas raramente eles deixam de resolver algum problema que o veículo venha a ter…

      • RED883

        Não faz muito sentido, pois o defeito no carro deve ser reclamada na relação consumidor/fornecedor do veículo, e o pagamento deve ser discutido na relação entre o cliente e a instituição financeira.
        O que o banco tem a ver se o carro tem defeito?

        • Elfo Safadão.

          Mas se o o defeito não tiver solução? Ninguém é obrigado a pagar por um produto/serviço que não está em perfeitas condições para uso, ou ainda, que não atende as especificações de fábrica, isso, até mesmo os gringos sabem, as pessoas ainda teimam em achar que gringo é panaca de continuar a pagar uma coisa que ele vai ter prejuízo, alguns exigem até um reembolso por danos que venha ter sido causados por um produto/serviço defeituoso ou adulterado ou ainda fora dos padrões de fábrica, vou citar um exemplo, “Dieselgate by V.W. DAS AUTO”, alguns donos pediram a recompra dos carros que tiveram os valores de emissões adulterados pelo software malicioso da V.W….
          Também ouvi falar em cancelamento de compras, já que não havia uma solução para sanar as adulterações, alguns cliente exigiram que as parcelas que foram pagas fossem devolvidas, já que, houve prejuízo financeiro…

          • Edson Fernandes

            Que para o consumidor o dieselgate demorou bem.

            Sobre outros clientes, tem cliente que até botou fogo no carro porque não conseguia resolver os problemas do carros.

            Não é porque vc está em leasing que a pessoa pode simplesmente suspender o pagamento. Só que lá se vc suspende, eles irão atrás de voce.

            • Elfo Safadão.

              Por isso que faz parte do processos contratar um ADV e buscar medida leigais.

    • th!nk.t4nk

      Sim e não. Quem compra financiado normalmente tem limitaçoes de quilometragem, dependendo do contrato (é bem diferente do Brasil nesse aspecto). Pra muita gente é apenas negócio comprar à vista pra não ter nenhuma limitação.

      • GABRIELCSFLORIPA

        Essas “limitação” só ocorrem no Leasing. que é a forma mais comum de compra por lá.

    • Wagner

      as taxas de carro 0km aqui sao parecidas com essas na verdade, procure por exemplo “ofertas renault” no google que vai ver que bem dizer a linha inteira deles é vendida com taxa 0%, mas em um financiamento de carro 0km, dificilmente a taxa fica maior que a apresentada na materia, só que la os carros sao mais baratos.

      • Edson Fernandes

        Só que virou moda a tal taxa 0% aqui, tem a “taxa de valor efetivo” normal. Ou seja, é um engana trouxa isso.

        • Wagner

          só que se voce for ver, de fato a montadora te cobra taxa 0, esses custos geralmente são impostos, o governo nunca deixa de ganhar, as vezes tem a tal taxa de abertura de credito mas ate onde sei é ilegal e facilmente se entra na justiça.

          • Edson Fernandes

            Pera… a tal tava efetiva é financeira mas geralmente da propria concessionaria ou melhor, do banco que patrocina a concessionaria. Esse custo não está diretamente ligado a impostos.

            • GPE

              Tem financiamento de juros zero sim. Porém, o CET nunca é 0% pq existe o IOF, q é obrigatório em toda operação de crédito. E as montadoras mts vezes empurram uma taxa de abertura de crédito na faixa de 500/800 reais, que se a pessoa questionar na justiça, recebe com correção e em dobro ou majorada.

  • Haggard

    Eu sei que iria gostar muito de ser vendedor em uma concessionária dos EUA / Canadá, mas uma coisa que não conseguiria me acostumar é nas 75 ligações por dia no mínimo.

    • Carlos H. Ferreira

      Considerando 6 horas de trabalho , seria como 12 ligações por hora, achei um pouco exagerado pois cada ligação teria que ter no máximo 5 minutos , isso desconsiderando o fato de que se chegasse algum cliente e você parasse para atender iria perder um tempo valioso.

      • Zergling

        Tem um motivo de eles serem um país rico… A produtividade é alta. Lá, as pessoas trabalham muito mesmo…

        • Depende, se for olhar a média de seis carros vendidos por vendedor não chega a ser algo tão produtivo assim. O trabalho sim é alto, mas o resultado nem tanto. Também conta a diferença que lá o vendedor ganha salário fixo mais comissão, enquanto aqui ganha somente comissão (exceto quando a comissão não atingir o salário minimo da categoria).

          • fdklmt

            A concorrência é muito grande, numa cidade 1,7M de habitantes, tem umas 8 css da marca. Dizem que nos outros meses do ano, as vendas são melhores, mas preferi relatar o que presenciei.

    • Gabriel

      É bom para treinar o inglês… Tira de letra!
      1 ligação a cada 2 minutos = 30 ligações por hora… (3 horas ao todo, contando 30 minutos de pausas). As outras 3 horas restante, para atender aos clientes.

      • Só uma observação. No Brasil a cada 10 ligações que você faz fala com 1 cliente, e olhe lá. Primeiramente muitos clientes nem vão atender o telefone pois você liga no horário de trabalho onde a maioria só atende telefone se conhece quem liga. Depois muitos que atenderem vão simplesmente falar que não podem lhe dar atenção naquele momento e desligar. Por que o objetivo é ligar e falar com o cliente em potencial e falar do teu produto, não é só ligar. Experiencia própria de quem já trabalhou com vendas.

        • Gabriel

          Aí já enxergo uma oportunidade: Dê a ideia ao gerente de começar a realizar esses contatos por WhatsApp. Afinal, a probabilidade de sucesso é bem maior e assim não irrita aquele cliente que não gosta de receber ligações no horário de trabalho!
          Se a mudança refletisse efeito positivo, provavelmente ele receberia uma promoção e/ou mais oportunidades… Além de ter uma taxa maior de retorno dos clientes!

          • Edson Fernandes

            Posso eu estar enganado… mas isso já acontece hoje. Esses meios de comunicação são bem comuns. O problema é que qdo vc pega um vendedor que não sabe o que vende, aí fica dificil procura-lo para perguntar algo a respeito do carro (porque o interessado vai querer saber do produto e não sempre das condições da venda).

    • saulo

      Aqui no Brasil a maioria das css tem uma equipe de telemarketing que fazem esse trabalho das 75 lig/dia……vendendor aqui normalmente só atende cliente.

    • fdklmt

      É tranquilo, aqui quando vc liga de um PABX, aparece o nome da concessionária. Muitos nem atendem e deixa-se somente um voicemail. Tempo médio de cada ligação é de 50s para voicemail e 1’30” a 2min para quando atendem.

  • Jacarandá Mimoso

    Muito bom o relato.
    Pergunto: qual é o desconto médio para quem insiste em pagar à vista?

    • fdklmt

      Não tem um valor definido, mas uns 5% é razoável…tem carro que não tem desconto nenhum. A intenção é sempre vender financiado.

  • Snoop Dogg

    Vendedores no Brasil nem com chicote fazem 75 ligaçoes por dias, contato leads etc..

  • Tiago

    3.49 ao ano. E pra chorar.

  • o rude

    poder de compra. coisa que brasileiro não consegue ter, seja porque trabalha e ganha miséria, seja porque tudo custa o olho da cara, seja porque alguns não querem nem trabalhar.

  • CharlesAle

    Invejável taxa de juros anuais, não conheço nada, nem imóvel, que chegue perto de tais baixíssimas taxas.

    • Bruno_O

      Essa deve ser a taxa comum, pois eh facil achar promocoes com taxa 0-2% a.a pra ate 60 meses.
      Duro do Canada eh a historia do credito, tem q ter bom historico. Aqui na NZ soh checam o qto vc ganha por mes e sem tem divida no nome, paga os mil dolares a ja era hehe

      • CharlesAle

        Boa Bruno..Aliás, parabéns por estar morando em um País sério de verdade, e em não uma “zona” de tamanho continental( com corrupção e canalhices ainda maiores!!)..

        • Bruno_O

          Mudei esse ano mesmo, com muita ajuda, mas obrigado anyway =)
          Mesmo sendo fa da Subaru (e Mazda), acabei comprando um Mit Outlander aqui devido ao enorme desconto de lancamento (do facelift) q estavam dando, fora a facilidade do financiamento. Ate pensei em fazer um relato pro site, mas como o modelo daqui difere no cambio (CVT8 novo da Jatco) e motor (2.4 gasolina 4cc) e eh fabricado no JP, nao sei se agregaria muito. Uma coisa que surpreendeu foi o consumo. No Br tinhamos um Tiida 1.8 AT4 que fazia, com muito custo e andando bem suave, 9km/l na cidade e 13 na estrada, sempre gasolina – isso com seus 50mil km rodados e manutencao perfeita. O Mit com <2 mil km fez 10-10.5 na cidade e ~14 na estrada. Concordo que o CVT ajudou muito, mas ambos motores sao muito similares (sem injecao direta ou turbo, bloco e etc de alumino, corrente). Mesmo assim, um 2.4 de 1530kg 4×4 batendo um 1.8 FWD de 1230kg eh impressionante, gasolina de verdade eh outro mundo (comum 91 octanas com 0% de etanol).

  • Tosoobservando

    Imagina aqui um Renegade por R$17 mil? kkkk

    • Raimundo A.

      O problema não é valor do Renegade lá, mas da renda aqui. Lá, em em dois anos, com salário mínimo, tirando os descontos, o cara consegue comprar um Renegade à vista se juntar todo o dinheiro. Aqui, pelo menos 8 anos.
      Com renda maior, como é dito na matéria, o poder de barganhar é maior, e as pessoas se sujeitam a pagar mais. Além disso, os preços estão mais acessíveis a realidade do mercado e as taxas de financiamento muito melhores. Enquanto é citado valores ao ano, os mesmos aqui são ao mês. Taxa zero, aqui, se pagar alto valor do veículo, e não tem isso de taxa zero, vide sucessivos aumentos que estão dando, lucro alto nas operações. Etc.

      Veja que o texto cita altos descontos e isso num mercado bastante competitivo. Fico pensando quanto não é aqui? Você ver outros bens de consumo como eletroeletrônicos com preço, às vezes, variando mais de 100%, fora lucro sobre o menor preço, tributos elevados, temos uma cadeia que torna o preço final alto demais.

      Belo dia, um simples biscoito Cream Cracker 400g, ao preço de R$ 2,20. Em promoção comum, R$ 1,79. Na Black Friday, R$ 1,49. Em todos os casos, paga-se em torno de 40% de tributos, além da margem de lucro, que pode ser mínima, mas há.

      • Andrei Vieira

        Olha, minha cunhada trabalha no Canadá e ganha o mínimo, que dá uns 1700 dólares canadenses (já com descontos e IR). Precisa de apenas 10 meses para comprar uma Renegade guardando todo o dinheiro.

      • Tosoobservando

        Eu entendo, estava so divagando, como seria aqui se tivessemos uma realidade desse tipo.

  • Fanjos

    Mas aqui tem HuE hue Hue Hue br br? Gibi moni….
    Carnaval e timão nanu!
    Então está tudo certo

    • ObservadorCWB

      Vamos boletar ???

  • IPZ.4

    Vish…já não tenho paciência com lorota de vendedor. Voce mal respira e o cara já gruda em você logo quando você estaciona.

    Sem contar que só saio de casa depois de saber exatamente quais modelos de carros me interessam como opção e os prós e contras de cada um.

    E imagine ainda você passar seus dados assim, de graça, para todas as lojas que vc for visitar…

    É, nem a pau, Cardone. Não ia rolar.

    • zekinha71

      Não gosto desse tipo de vendedor, nem nos salões de carro, que vc para pra ver é já vem alguém falando um monte de coisas.
      No último salão, parei pra olhar um Peugeot e colou um carinha que começou vomitar informações sem parar, tive que deixar ele falando com minha mão, enquanto apreciava o conceito.

    • Dia

      Qual é a sua profissão?

      • IPZ.4

        Qual seria a relação da minha profissão com esse esquema de abordagem de ruído?

    • Edson Fernandes

      Então qdo o cara te abordar creio eu que vc já iria no produto de seu interesse e pronto. Com certeza o vendedor não iria achar nada ruim vc já dizer o que tem de interesse. Ele iria ganhar a comissão dele mais facilmente…

  • Juliano

    “A média de vendas do time era de 6 carros por mês”. Seria 6 carros por vendedor, certo?

    Bom.. salário de 10 dolares/hora e carro financiável por 300 dolares / mês. Meia semana do seu trabalho era suficiente para pagar a prestação do carro. Inveja.

    • Gabriel

      50h semanais ao mínimo de $10,85 = $ 2.170,00 mês + 6 carros vendidos aos mês (média de $250,00 por carro) = $ 3.670,00 mês!

      Compra um carro zero, se quiser, come bem, se diverte, tem qualidade de vida e vive com dignidade, mesmo sendo um vendedor de carros! Assim como um pedreiro, lavador, lixeiro, jardineiro, encanador, e assim por diante…

      • Edson Fernandes

        Lembrando ainda: Eles recebem semanalmente por lá.

  • Rafael

    Caramba! Taxa de 3.49% ao ano? Aqui seria ao mês tranquilamente efetivamente! Kkkkk Brasileiro sofre mesmo.

    • Junoba

      Você deveria estar surpreso com a taxa 0. Se o crédito do cliente for bom, ele financia em 72 vezes sem pagar juros.

    • th!nk.t4nk

      Isso que o Canadá passa por uma crise, por conta da queda no preço do petróleo e do débito de moradia. Imagina se não tivesse em crise. E na Europa é muito difícil financiamento cobrar mais de 2,0% ao ano, mesmo pra quem tem crédito meia-boca (se tiver crédito bom leva taxa zero como dito).

      • 4lex5andro

        O Canadá tem seus méritos (lógico), com uma cultura de valorização do ensino, do direito individual e do trabalho.

        Mas também usufrui de ser praticamente um 51. estado americano com farto acesso á maior economia mundial.

  • Louis

    Banânio paga juros altos porque merece. Também paga impostos altos porque merece. Paguem meus juros.

    • dallebu

      Banânio paga juros altos por causa da inadimplência, só isso…

      • Louis

        Também tem a Selic alta, porque o governo gasta mais do que pode.

  • Gabriel

    Quase não, dependendo do banco, é isso!

  • zekinha71

    Não gostei nem um pouco dessa técnica de vendas.
    A pessoa mal desse do carro é já é abordada e tem que preencher fichas.
    Quando entro em alguma loja e já vem aquele chato dizendo: posso ajudar, quer alguma coisa; já falo que não preciso e já saio.
    Tem que deixar a pessoa se ambientar com o local, ficar próximo caso a pessoa dê sinal que quer alguma ajuda ou informação.

    • Gutemberg Ferreira

      Pobres canadenses. Não sabem de nada, mesmo…

    • Ernesto

      Eu também não gosto dessa abordagem, mas isso é cultural.

    • Jose Borges

      Pelo contrário, prefiro ser bem atendido e ter um vendedor interessado em me vender.
      Bom é no Brasil ne, que você entra na css, abre o carro, entra nele, rodeia o carro, e se o vendedor te acha com cara de pobre nem levanta da cadeira pra te atender, mesmo sem saber se você tem dinheiro pra comprar.
      Já passei por isso algumas vezes, meu pai também, e não é nada bom ser julgado pela aparência.

      • Uma diferença que vi lá é que o vendedor ganha salário fixo mais comissão, e convenhamos que ganhar 10 dólares por hora de fixo deve lhe dar mais motivação em trabalhar. No Brasil, vendedor é uma das poucas profissões em que você pode atender 10 clientes em 1 dia e não ganhar nada. É como você ser advogado e só ganhar honorários se ganhar a causa, muitos advogados simplesmente iriam largar aqueles clientes com baixa possibilidade de ganhar a causa, lembrando que no Brasil você paga o preço da consulta até para tirar uma simples dúvida com um advogado.

    • O problema é o vendedor saber o que o cliente quer. Pega teu exemplo, tem cliente que entra em uma loja e se não for abordado por vendedor em no máximo 20 segundos sai falando que o atendimento da concessionária é péssimo. Já trabalhei com vendas, via de regra não existe como você fazer o que todos os clientes querem, mas no Brasil a tática de abordar o cliente ao entrar em qualquer tipo de concessionária (ou loja) é quase unanime.

  • Junoba

    Até quem recebe um salário mínimo pode ter um bom carro 0km. Diferenças gritantes de um país para o outro.

    • invalid_pilot

      Na real a diferença entre pobre e rico é minúscula

      • Junoba

        Claro que não, quem é rico mesmo mora em mansões, do contrário…

        • invalid_pilot

          Menos do que aqui onde nego mora na favela enquanto outros moram em mansoes tão grandes quanto no Canada

        • Tosoobservando

          As casas mesmo baratas do Canada tem praticamente tudo que uma “mansão” tem, e são aconchegantes, da uma pesquisada pra tu ver..

  • Interessante que dá a impressão que o consumidor de lá chega na concessionária sem saber ao certo o que quer comprar.
    Aqui a gente já chega praticamente decidido pelo modelo ou pelo menos pelo segmento do carro que pretendemos comprar. Aí vai depender de cada marca oferecer um preço melhor.

    • Andrei Vieira

      a diferença é essa!! quantas vezes tu foi comprar algo, como um smartphone, uma tv, ou mesmo uma garrafa de vinho e saiu com algo melhor do que tinha em mente? Lá ocorre até com veículos, pois o poder de compra é muito grande, é 10x maior que o nosso!!

      Aqui o cara faz 200 cálculos para chegar no valor daquele carro que pode pagar, e já chega na concessionária sabendo que não pode extrapolar muito aquele valor para não se endividar.

      • Verdade. Fazemos 200 cálculos e ainda chegamos na concessionária na dúvida se vamos conseguir comprar.

        • Edson Fernandes

          Só um detalhe: Sabemos das coisas aqui porque a concorrencia é pequena por incrivel que pareça.

          Vamos colocar a quantidade de picapes, vans e suvs nos EUA: Na boa… vc iria ver o tamanho de opções existentes. E além disso tem aquela versão de topo ou aquela de entrada que vc pode equipar e praticamente equiparar em itens de uma de topo. O que é mais vantajoso? O quanto vc está disposto a pagar? As vezes era um valor e eles te fazem pagar x2.

  • RKK

    Se a comissão do vendedor é equivalente a 20% da margem bruta da negociação no Canadá, das 2 uma: Ou o lucro sobre veículos é enorme também no Canadá ou as montadoras tomam um belo prejuízo neste país.

    • Marcos Vinicius Bittencourt

      Deve ser 20% do lucro da concessionária, e não sobre o valor da venda. Vende um carro de $20mil e que custa $18mil, o lucro é de $2mil e sobre isso devem incidir os 20%.

      • RKK

        É possível, realmente o cara menciona margem de 8 a 9% sobre a margem bruta da negociação do preço total do veículo.

  • Sandro Furtado

    Não vi tantas diferenças do que acontece com o Brasil. O processo de “empurrar” um produto é comum aqui da mesma forma. As concessionarias, através do vendedor sempre tentam convencer o consumidor indeciso. É natural e até mesmo o papel do vendedor.
    E também é óbvio que um cliente que chegue decidido pode muito bem optar por não fazer o test drive. A única parte que se mostrou um pouco estranha é o fato do vendedor não ter poder algum de barganha. ter de passar toda a negociação pelo tal escritório de vendas deve ser frustrante.
    Obviamente a concessionaria errou ao avaliar o perfil de nosso amigo, pois ele claramente não mostra inclinação alguma para vendas no seu relato. Não que isso seja um defeito pessoal, mas ele claramente tem o perfil de escritório. Ao salientar que trabalhava mais horas do que os turnos comuns(apesar de receber hora extra) e que trabalhar por comissão e metas não lhe agradava, fica evidente. A grande vantagem desse tipo de trabalho está no fato de que você é o responsável pelo seu salário todo mes, a desvantagem é que voce é responsável pelo seu salário todo mes. A maioria das pessoas preferem no entanto trabalhar por um valor fixo.

    Ao meu ver, parece uma coisa excelente voce poder comprar um carro novo e sair guiando o veiculo em 1 hora meia. Bem diferente do nosso amado país, onde depois de negociar um carro, voce tem de perder tempo com despachantes, detran, seguradora, fabrica de placas, etc.

  • GABRIELCSFLORIPA

    “As taxas de 0 km variavam entre 0% e 3,49% a.a.”
    Igual ao Brasil

    • João Silva

      Só que ao mês heuaehuaehuaheua

  • João Silva

    Brasileiro não tem cultura de consumo, não sabe o que é bom ou ruim, não tem base de comparação e é estupidamente mal informado

  • pedro rt

    quase 29mil reais por mes de salario nao e nada mal!

  • fdklmt

    Só lembrando que a renda fixa aqui, não passa de 1,5%a.a., isto para valores muito significantes. Na média é 0,05% a.m.

  • BrPb

    Na verdade o processo de venda varia de marca para marca, de concessionária para concessionária, de vendedor para vendedor e de estados físicos/emocionais do mesmo no momento.

    Na verdade esse esquema de ligar existe também no Brasil. Mas o que mais impressiona mesmo é que o clientes lá tem condições para comprar. É tipo a gente aqui no Brasil passar em frente a uma lanchonete e ver aquela coxinha chamando. Quem não tem 5 conto no bolso?

    Por isso que lá o foco é achar o carro certo e torná-lo desejável para o cliente. Ele nem precisa dos 5 conto pra levar a coxinha.

    Já sobre o salário e comissões, estão boas. Em 3 meses um vendedor já consegue comprar um Renegade à vista. Aqui no Brasil são 3 anos.

    Agora algo não muda em lugar algum do mundo: para o vendedor, o carro que ele está oferecendo é sempre melhor do que o da concorrência.

  • Kenedy

    Parabéns pelo relato, curioso e interessante…
    Mas eu, ficaria um tempo a mais, 25 dias é muito pouco tempo.
    Mesmo não sendo na área de sua formação, é uma experiência incrível…
    Até por que conheço vendedores de carros, e os mesmo tem uma lábia surreal, que foram ganhando com o tempo de trabalho.

  • Douglas

    Em vez de ficar dando descontos, deveriam colocar logo um preço de tabela menor e uma margem fixa para o vendedor, barganhar é chato para cliente e vendedor.
    E odeio isso de vendedor ligar para a pessoa, ai é que não volto mesmo, ir até o estacionamento acho outra bizarrice.

  • Kessia Pinheiro

    Eu comprei um carro aqui em Toronto há poucos meses, o processo foi relativamente diferente do relatado. Eu já fui sabendo o modelo que gostaria de testar, o vendedor foi bem solicito, sem encher o saco. Já depois de mostrar as opções, pedi o test drive, demos uma volta perto da concessionária e ele foi mostrando os detalhes. Nada forçado, fui embora e ele pediu meu contato. Alguns dias depois decidi ir fazer o leasing, peguei a documentação e voltei pra negociar. Aqui tem sites que te dão o valor de invoice e foi baseado nele que negociamos. O vendedor foi bem claro eles precisam ter algum lucro, fechamos uns 3% acima do invoice, leasing com 0% de juros, documentos foram apenas identificação e cartão de crédito, 3 dias pra me entregar com placa, lavado e com tudo arrumado. O vendedor raramente me ligava, foi muito por SMS. Detalhe que aqui a placa é sua, não tem isso de ir lacrar nada, tem um adesivo que vc cola e pronto.

  • yurieu

    Fake. sem fonte.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 11 anos. Saiba mais.

Notícias por email