Bugatti Veyron: manter o hiperesportivo também é para poucos

Bugatti Veyron: manter o hiperesportivo também é para poucos

O Bugatti Veyron é uma super máquina não só em preço astronômico, mas também em custos de manutenção exageradamente altos.

Quando novo, um Bugatti Veyron custava em torno de US$ 2 milhões, mas isso lá fora.

Mesmo nos usados, os preços não caem assim tão facilmente, variando de US$ 1,5 milhão a US$ 1,9 milhão. Então, se ele é um bólido realmente para poucos, sua manutenção também não fica atrás.

Bugatti Veyron: manter o hiperesportivo também é para poucos

Ter um Bugatti Veyron custa quase o mesmo de ter um bom avião na garagem. Aliás, ele “voa” também, mas sobre o asfalto.

Com um propulsor W16 de óbvios 16 cilindros, contando ainda com 64 válvulas e 8 litros de volume, o Veyron entrega de 1.001 a 1.200 cavalos e alcança 100 km/h em 2,4 segundos.

Chegando a 408 km/h, o hiperesportivo exige um plano de manutenção de aviação, com custo anual que pode chegar a US$ 102.000, dependendo da rotina que o dono tem com o super carro.

Bugatti Veyron: manter o hiperesportivo também é para poucos

Para se ter uma ideia, devido ao estresse elevado de se andar em alta velocidade, a Bugatti recomenda trocar os pneus a cada 4.000 km ou 2 anos e eles são o melhor que a Michelin tem para a missão, ou seja, o Pilot Sport Cup 2.

O jogo custa US$ 38.000. Contudo, a conta sobe para US$ 70.000. O motivo? É que para montar os pneus nas rodas com segurança, é necessário enviá-los para a Bugatti.

Para um carro que alcança mais de 400 km/h, levar no auto center da esquina não é a melhor ideia. Isso apenas para lembrar que as rodas aro 21 polegadas do Veyron precisam ser trocadas a cada 12.000 km.

Bugatti Veyron: manter o hiperesportivo também é para poucos

Isso mesmo, elas não suportam as altas tensões durante a condução em velocidade extrema por muito tempo e precisam ser substituídas. O jogo custa US$ 50.000.

Se apenas o material rodante fosse o custo do Veyron, muitos estariam felizes, mas não. Após 16.000 km, é preciso substituir os 16 litros de óleo Castrol Edge 10W60 com titânio líquido.

Não fica apenas nisso não. A Bugatti recomenda a troca de todos os fluidos do super carro e isso inclui 55 litros de líquido de arrefecimento do motor e dos intercoolers, chegando a um custo total de US$ 21.000.

Em caso de quebra de um dos quatro turbos, cada um custa US$ 6.400, mais a mão de obra de US$ 4.500.

Bugatti Veyron: manter o hiperesportivo também é para poucos

Estranho, contudo, é o custo de um dos quatro comandos de válvulas, que sai por apenas US$ 800. Talvez o semelhante de seu carro custa o mesmo ou até mais…

Outros valores? Os tanques de combustível custam US$ 42.000 com a mão de obra, enquanto a caixa de dupla embreagem de sete marchas necessita de US$ 120.000 para ser substituída.

No final, você perceberá que um seguro, em média de US$ 3.800, é uma pechincha para um Veyron e que muitas peças custam proporcionalmente ao valor venal, muito menos que semelhantes do carro em sua garagem…

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 25 anos. Há 14 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações.