Etc Governamental/Legal Matérias NA Trânsito

Buzina: o que a lei fala sobre ela?

buzina-1024x576 Buzina: o que a lei fala sobre ela?

Você consegue se lembrar de algum dia ter saído com seu carro e não ter ouvido nenhum motorista usando a buzina, mesmo que não tenha sido para você?



Essa é uma situação cada vez mais comum no trânsito, especialmente em cidades maiores. Com o aumento de veículos circulando, e o crescente desrespeito às leis de trânsito, o uso errado da buzina se tornou uma prática corriqueira, seja para carros, motos ou veículos maiores.

O que muitos não sabem (ou preferem ignorar), porém, é que o uso indevido da buzina é proibido por lei e pode gerar uma multa ao condutor. Mas aí surgem algumas perguntas: o que é considerado incorreto quando se trata do uso da buzina? Quando é permitido por lei usar esse equipamento? E qual pode ser a consequência se essa lei não for respeitada? Antes de entrar nesse aspecto, vamos falar um pouco sobre a história e o funcionamento da buzina.

Quando a buzina surgiu?

Muito tempo atrás, quando o trânsito caótico que vemos hoje não era nem imaginado, alguns países obrigavam os motoristas a ter alguém andando em frente ao seu carro, equipado com uma buzina em uma mão e uma bandeira vermelha na outra, alertando outros condutores que um carro se aproximava.



Como você pode imaginar, isso não era nada prático. Percebeu-se que seria melhor ter um sistema instalado no próprio carro, algo que o condutor poderia operar. Isso aconteceu entre o final do século 18 e o início do século 19, quando os primeiros carros foram produzidos. Mesmo antes de sua história moderna, com a introdução dos motores a gasolina, já havia um sistema composto por um pequeno balão de borracha, acoplado a uma trompeta, que servia como buzina. Claro que naquela época o uso era limitado, servindo apenas para alertar animais e pedestres desavisados.

E a buzina elétrica? Bem, essa só apareceu muito tempo depois, e em duas etapas. A primeira tem como responsável o inventor norte-americano Miller Reese Hutchison (que trabalhou com ninguém menos que Thomas Edison), que produziu a famosa buzina externa Klaxon. Ela podia ser operada por manivelas ou por baterias motorizadas, e tinha um som alto e direcional, o que permitia aos pedestres identificar facilmente de onde estava vindo o veículo.

Depois disso veio a segunda etapa, graças ao britânico Oliver Lucas, que desenvolveu a primeira buzina elétrica. Ela transferia o som de forma mais eficiente e podia ser ouvida de uma distância maior, e com um funcionamento bem parecido com as buzinas atuais. Mas como as buzinas instaladas nos carros de hoje funcionam?

Como as buzinas funcionam?

As buzinas modernas tem como base as duas etapas citadas acima, e boa parte de seu funcionamento ainda é o mesmo. Esse equipamento está ligado à bateria do carro. Quando você aciona a buzina, um pino de metal é puxado, graças ao campo magnético produzido, interrompendo a corrente elétrica e fazendo com que o processo se repita muitas vezes por segundo. Essa repetição faz uma bobina, ligada a um diafragma de metal, vibrar e produzir o som da buzina, de acordo com a frequência desejada.

O que a lei diz sobre o uso da buzina

É claro que a invenção desse equipamento trouxe benefícios para condutores e pedestres. Seu uso indevido, porém, é uma das principais causas de estresse e outros problemas que vemos no trânsito. Mas o que a lei diz sobre isso?

Primeiro é bom destacar o que o Código de Trânsito fala sobre o uso correto da buzina. Segundo o Artigo 41, são apenas dois:

Art. 41. O condutor de veículo só poderá fazer uso de buzina, desde que em toque breve, nas seguintes situações:

I – para fazer as advertências necessárias a fim de evitar acidentes;

II – fora das áreas urbanas, quando for conveniente advertir a um condutor que se tem o propósito de ultrapassá-lo.

Logo de cara percebemos que a grande maioria das “buzinadas” que ouvimos não se encaixa nesses dois aspectos, que são os únicos permitidos. Além disso, o início do artigo cita que isso deve ser feito “em toque breve”. Ou seja, aquelas longas buzinadas, que normalmente indicam um motorista bem irritado atrás do volante, são proibidas por lei.

Isso é citado claramente quando olhamos para o Artigo 227, que fala sobre várias situações onde é proibido o uso da buzina:

Art. 227. Usar buzina:

I – em situação que não a de simples toque breve como advertência ao pedestre ou a condutores de outros veículos;

II – prolongada e sucessivamente a qualquer pretexto;

III – entre as vinte e duas e as seis horas;

IV – em locais e horários proibidos pela sinalização;

V – em desacordo com os padrões e freqüências estabelecidas pelo CONTRAN.

Pense em quantas vezes você já viu outros motoristas usando a buzina nas situações mencionadas acima, como em locais proibidos (onde aparece a placa indicando essa proibição, como na frente de escolas, hospitais ou dentro de túneis) ou num horário inapropriado (entre as 22h00 e as 6h00).

Mas, sem dúvida alguma, a principal maneira errada de usar a buzina que vemos no trânsito é a citada no ponto 2. Muitos alegam que fazem uso prolongado ou sucessivo por causa da maneira de dirigir dos outros à sua volta.

É fato que isso acaba acontecendo (quem nunca buzinou mais forte para evitar uma fechada?), mas também é verdade que muitos se apoiam nisso para justificar uma atitude agressiva em sua condução, o que acaba tendo um efeito dominó, resultando em mais problemas. Independentemente de qualquer coisa, a lei acima deixa claro que não respeitá-la implica em multa leve, de R$ 88,38, além de 3 pontos na CNH.

Além disso, a resolução Nº 35, de 21 de maio de 1998, determina os níveis de decibéis permitidos para as buzinas. O nível mínimo é de 93 decibéis – dB(A) (para modelos produzidos a partir de 01/01/2002) e o máximo é de 104 decibéis – dB(A) (para modelos feitos a partir de 01/01/1999).

E as buzinas eletrônicas?

Talvez você já tenha ouvido sons diferentes saindo de um automóvel, como o barulho de um animal, o grito do Tarzan ou uma voz pedindo passagem. Essas são as buzinas eletrônicas, facilmente encontradas em lojas de auto peças.

Engraçada para alguns, mas irritante para outros, ela pode ser comparada e instalada por até R$ 200, no caso das mais completas. O fato é que muitos desaprovam seu uso pelo efeito que isso tem em outros motoristas. Se uma buzina convencional já pode gerar uma briga de trânsito, imagine ouvir uma voz dizendo “barbeiro!”. Isso sem falar nas brincadeiras ofensivas, especialmente com mulheres.

O Código de Trânsito não fala especificamente sobre esse equipamento, por isso elas continuam sendo vendidas em todo o país. Mesmo assim, há um detalhe importante: segundo o artigo 4º da resolução nº 35, citada acima, a buzina não pode reproduzir sons semelhantes às sirenes de ambulâncias, bombeiros ou polícia.

COMPARTILHAR:
  • Louis

    Pelo menos no interior de SP, o pessoal não buzina muito.
    Agora, em Buenos Aires, os hermanos buzinam muuuuito. Até quando tem fila no pedágio, começa um buzinaço, como se isso resolvesse algo…

    • Davi Millan

      Em Lima é a mesma coisa. Muita buzina, carros amassados e cada um por si!

  • cefaf

    Aqui no Rio, o que tem de idiota que ama sentar a mão numa buzina não está escrito… Fico P da vida.

  • Diego Ventura

    no art 227 ja diz que nÃO pode buzinas eletrÔnicas, pois a mesma foge do padrao do CONTRAN

    V – em desacordo com os padrões e freqüências estabelecidas pelo CONTRAN.

    ;)

    • Luciano RC

      Lembrando que aquela Buzina Marítima também é considerada Eletrônica e não é permitido. Tomei uma multa terrível por causa disso uma vez.

  • em Curitiba, os motoqueiros tem mania de usar buzina ao passar pelo corredor … se for analisar a lei … nao poderia ser usado pra isso.. .somente se estive “ultrapassando” de fato … creio que em SP ainda o uso da busina para esse fim é maior ainda … estou correto ou não ? Motociclista pode utilizar a buzina quando esta passando pelo corredor ?

    • rkimwb

      Em São Paulo isso já é de praxe. Me lembro de uma entrevista em que um instrutor de autoescola (e funcionário da CET) disse que os motociclistas deveriam dar leves buzinadas enquanto andam entre carros para alertá-los (para que não sejam fechados). Mas nesses casos em que a lei não especifica determinados atos, vale usar o bom senso.

      • Luciano RC

        Uma coisa que odeio é motoqueiro que anda buzinando e não tem coragem de reduzir um pouco a velocidade quando um carro que está dando seta tem a oportunidade de entrar.

        Pego muito a Dultra e vejo isso diariamente. Por causa de 3 segundos, o cara arruma uma confusão tremenda.

    • ObservadorCWB

      E oq eu falar dos escapamentos…quase TODOS com níveis de ruído nitidamente fora das especificações.

    • A buzina da ao motociclista o mesmo poder que o pisca alerta da aos motoristas de carro kkkk.

    • Snaro

      Em Porto Alegre é igual, mas percebo que já foi pior há alguns anos.

  • Quer ver usarem a buzina de forma incorreta, é só ir para Nova York. Lá o povo buzina full time, sem critério nenhum.

    • Christian Balzano

      Eu ia falar isso agora… NY é o lugar mais bizarro em relação ao mal uso da buzina. Eu não entendo como não sai porrada! Se fosse aqui ia dar muita treta… Na China também é semelhante.

      Queria entender culturalmente esse comportamento. Parece que a buzina em certo lugares é como buzina de videogame, bicicleta, pode usar a vontade. No Brasil a buzina é uma ofensa, é substituição de um palavrão “Vaiii p****! Anda Caral***!!!” … Então o sujeito fica ofendido com uma buzinada e algumas situações de ânimos aflorados a buzina se torna o ponta pé inicial de uma treta que envolve violência física.

      No meu caso tento usar pequenos toques, principalmente aqueles que ficam no whatsapp e não prestam atenção no semáforo. Mas confesso que algumas vezes minha vontade é de grudar a mão na buzina.

      Digo isso porque acho um tremendo desrespeito com o próximo e a todos envolvidos na segurança do trânsito o sujeito digitar enquanto dirige, já vi carros invadindo faixas, zig-zagueando pelas ruas, andando a 20km/h… tudo em função do celular. A buzina nesse caso vira um protesto!

      • T1000

        A própria lei fala que buzina é para sinalizar, mas sempre tem uns jumentos que se sentem ofendidos.
        Brasileiro é uma b o s t a

      • Snaro

        “No Brasil a buzina é uma ofensa, é substituição de um palavrão”

        Perfeito!

        Por mais que eu buzine, nunca encaro como uma ofensa. Às vezes é para chamar a atenção e, em outras, como forma de protesto.

        Eu não me ofendo se buzinam para mim (raríssimas vezes tomei buzinadas).

    • Ricardo Blume

      É algo meio cultural, sei lá. Vá para alguns países da Asia como o Vietnam se quiser conhecer o inferno.

  • Lucia C.

    Motoboy buzina duas vezes a cada meio metro. Tem alguma lei que permite isso?

    • Luciano RC

      O problema é: Como fiscalizar?

  • Raimundo A.

    Aqui, é um bando de mal educado. Basta demorar um pouco para acelerar quando sinal abre e o povo já buzina. Quando usam os smart***** dirigindo, só buzinando para o indivíduo se tocar, porque se dependesse de alguns com um veículo capaz de esmagar o da frente, passava por cima.

    No Reino Unido, beira a falta de educação buzinar em situações como o veículo da frente demorar a se movimentar, muito comum aqui. Não à toa que aqui tem muito mal educado por m2. São as necessidades pessoais numa via pública acima da coletividade.

    • T1000

      Quando eu vejo que o sinal abriu e a dondoca da frente está distraída no WhatsApp enfio a mão na buzina com gosto

      • Lucas g.

        Aí é que eu buzino mesmo!!!! Odeio gente distraída no trânsito mexendo no celular.

        • Edu

          Aí não tem outra opção.

  • Edu

    Aqui se buzina quando tem casamento, quando o time ganha, quando o candidato desfila, quando passa em túnel, quando político vai preso ou não, etc, etc. Só não se buzina nas situações previstas na lei.

    • Davi Millan

      Quando se passa em túnel? Essa desconheço.

      • Luciano RC

        Isso dai é sempre… quem pega os túneis de SP sabe que tem uns engraçadinhos que adoram buzinar e uns motoqueiros que amam tirar as motos de giro e ficar dando aqueles estalos.

        • RIP Brazil

          E quando os motoqueiros fazem aquela manobra “superman”, na frente do seu carro? Isso é de deixar qualquer um p*to.

          • Luciano RC

            Isso eles fazem em rodovias. Normalmente quem faz, está andando em moto 125 ou 150 e busca mais velocidade ou melhorar o consumo.

      • Edu

        Quem mora em SP e desce para o litoral em feriadão conhece bem.

  • Nelson

    Também merecem ser buzinados aqueles motoristas que ficam no semáforo com sinal verde ou no engarrafamento vendo ou digitando mensagens ou Facebook no celular!!!!

  • Pedro Henrique

    uma buzinada curta já salvou meu parachoque e talvez alguma coisa mais do meu carro na BR…
    sempre usei leves toques, alguns bem levinhos só pra da um barulhinho de agradecimento quando me dão a vez, tem carros que tem essa função na buzina, um toquinho leve e sai uma buzina de cortesia kkkkk
    alguns outros toques mais fortes quando o cidadão fica empacado enfiado no bendito celular cm a sinaleira aberta, ou quando é direita livre e ele decide parar, tem que da um toquinho pra avisar o alien

  • Luano Tanaka

    Quem tem VW tá lascado. É impossível dar a “buzina de cortesia”

    • Luciano RC

      VW é até fácil… problema é fazer isso num Citroen. KKKKK

    • Pedro154

      Verdade kkkkkkkkk passo isso no meu VW, e olha que ele é 17/18 heheh

  • Snaro

    Eu tento não buzinar muito, mas não é fácil, hehe!

    Se não fosse por buzinadas longas, já teria sofrido vários acidentes (especialmente em situações nas quais sou fechado).

    Uso buzina, e muito, quando há retardados andando deliberadamente no meio da rua (calçada está aí para isso) e quando param em fila dupla e trancam completamente o tráfego

    Mas buzinar em engarrafamentos eu não faço, pois não fará com que os carros à minha frente transformem-se em helicópteros. Já em semáforos, só dou um breve toque se a pessoa levar mais de 5 segundos para arrancar (o que considero MUITO tempo).

  • Zé Mundico

    A buzina é uma extensão do pensamento e da palavra. É a maneira de expressar ansiedade e falta de preparo para convívio em coletividade.
    Ok, há casos onde a buzina é necessária, mas estou me referindo á carga emocional com que se usa esse instrumento.
    É o “sai da frente que eu quero passar” mais democrático que existe nas mãos de gente inculta e ignorante. Não vai mudar nunca, brasileiro é mal educado por opção própria, conformem-se.

    • RIP Brazil

      E você esqueceu de falar (digitar, rsrsr) uma coisa, Zé Mundico.

      “Que as buzinas eletrônicas só serão proibidas também quando acabarem o estoque das mesmas”
      ;)

      • RIP Brazil

        … pois já foi-se ganho o dinheiro daquilo que é inútil no trânsito: as tais buzinas eletrônicas.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 12 anos. Saiba mais.

Notícias por email

receber-noticias Notícias por email