BYD: conheça alguns modelos que poderão chegar ao Brasil

BYD: conheça alguns modelos que poderão chegar ao Brasil

A BYD decidiu mudar as coisas no mercado brasileiro e também na América Latina. Um dos maiores fabricantes de carros elétricos, a marca chinesa é destaque no cenário internacional há bastante tempo, mas aqui atuava discretamente.

Contudo, com a chegada do BYD Han, a marca deixa o passado com o ainda desconhecido e6 e o antiquado e5, entrando no segmento premium com um sedã rival direto (em preço) do Tesla Model 3.

BYD: conheça alguns modelos que poderão chegar ao Brasil

Já tendo registrado carros por aqui, a BYD tem um portfólio que se encaixa bem hoje em suas aspirações no Brasil e região. Longe dos clones da Toyota, modelos como Dolphin, Qin, Song e Tang poderão fazer a diferença por aqui.

O BYD Dolphin é um monovolume com proposta parecida com a do VW ID.3, porém, tem baterias Blade, medindo de 4,07 m a 4,15 m, dependendo da versão, tendo ainda 1,77 m de largura, 1,57 m de altura e 2,70 m de entre-eixos.

BYD: conheça alguns modelos que poderão chegar ao Brasil

No Dolphin, a tração é dianteira com motor de 95 cavalos, mas tem a versão AWD com 176 cavalos. A autonomia é de 400 km no ciclo NEDC, usando células Blade de 44,9 kWh. Ele tem pacote ADAS+ e conexão 4G com Wi-Fi, entre outros.

Custa 121.500 yuans sem incentivo, ou R$ 108 mil, mas aqui sairia pelo menos na faixa dos R$ 200 mil ou perto disso (sem AWD). Acima, a linha DM-i (plug-in) é composta pelos modelos Qin Plus e Song Plus, este já registrado no INPI.

BYD: conheça alguns modelos que poderão chegar ao Brasil

O Qin Plus é um sedã médio híbrido de 4,76 m e com 2,72 m de base, tendo motor 1.5 a gasolina e motor elétrico, com 178 ou 196 cavalos.

A autonomia no modo elétrico é de 55 km no primeiro e 120 km no segundo. Já o Song Plus DM-i tem a mesma mecânica e alcance de 51 ou 110 km, além de 4,70 m e a base igual.

Em ambos, o motor 1.5 tem somente 110 cavalos, mas eles vão de 0 a 100 km/h de 7,3 a 8,5 segundos, dependendo do modelo e versão.

BYD: conheça alguns modelos que poderão chegar ao Brasil

O Qin Plus parte de 129.800 yuans e o Song Plus de 158.800 yuans, mas com incentivos. Os dois têm versão 1.5 Turbo, mas com autonomia menor.

Os preços começam em 112.600 yuans no Qin Plus DM-i e 153.600 yuans no Song Plus DM-i, ambos sem incentivos, equivalentes a R$ 99,9 mil e R$ 136,3 mil. Pense nesses valores em dobro por aqui.

BYD: conheça alguns modelos que poderão chegar ao Brasil

Por fim, o BYD Tang se posicionaria no topo da gama dos SUVs da marca, com versão elétrica assim como o Han, embora tenha versão DM-i também.

No EV, seu motor traseiro tem 270 cavalos, mas na versão AWD, adiciona um dianteiro com 244 cavalos.

Com este último, vai de 0 a 100 km/h em 4,4 segundos, usando células de 86,4 kWh e com autonomia de 565 ou 505 km (AWD). Sem incentivo, os preços começam em 295.800 yuans ou R$ 262,5 mil, com preço mais alto de 314.800 yuans ou R$ 279,4 mil.

BYD: conheça alguns modelos que poderão chegar ao Brasil

Aqui, certamente custaria bem acima disso, assim como o Han Majestic, anunciado pela BYD na região, que custa 295.800 yuans sem incentivo, equivalente a R$ 262,5 mil em conversão direta.

A BYD promete preços competitivos e uma rede de concessionários tradicional no Brasil. Com uma gama dessa, só faltaria anunciar fábrica no Brasil. Camaçari-BA, sem dúvidas, seria interessante para alcançar toda a América Latina, mas a planta da Ford é enorme.

BYD Dolphin, Qin Plus, Song Plus, Tang e Han 2022 – Galeria de fotos

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 25 anos. Há 14 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações.