Caminhões Volkswagen terão motores Scania em 2028

scania solar 1

A Traton, divisão de veículos comerciais do grupo Volkswagen, deverá compartilhar plataforma e componentes entre as marcas dos caminhões da empresa, que hoje reúne VWCO, Scania, MAN, Navistar e RIO.


Serão desenvolvidos novos produtos, compras e custos, além do compartilhamento de uma base comum, chamada CBE (Common Base Engine).

O CBE é uma arquitetura modular de motor diesel que atuará em todas as marcas de pesados do grupo, mas aparentemente será o último investimento em motores a combustão.

O primeiro produto nascido dessa arquitetura é um novo motor diesel de 13 litros da Scania, que equipa o modelo R460 Highline.

Esse novo propulsor será disponibilizado para a Navistar em 2023, assim como a MAN oferecerá o motor em 2024 para seus caminhões.

Por fim, a Volkswagen Caminhões e Ônibus (VWCO) usará essa nova linha de motores diesel em 2028.

volkswagen meteor 1

Segundo a Traton, “o objetivo é que todas as marcas Traton usem componentes e peças em comum, principalmente no trem de força, cabine, plataformas de software e chassis. Ao mesmo tempo, cada marca manterá e fortalecerá sua identidade e oferta individual para o respectivo grupo de clientes”.

Com compartilhamento de motores e componentes, o grupo Traton reduzirá em muito os custos de desenvolvimento e produção de veículos pesados do grupo alemão.

Christian Levin, CEO do Grupo Traton, diz: “A colaboração aprimorada no Grupo com base em uma aplicação inteligente de modularização, também permitirá ganhos de eficiência e amortecerá os investimentos necessários e custos mais altos de tecnologias futuras, como transmissões elétricas e direção autônoma”.

Levin completa: “Interfaces padronizadas permitirão troca de tecnologia muito mais rápida. Seremos capazes de usar soluções idênticas para as mesmas necessidades e, assim, atingir o máximo foco no cliente e preços máximos”.

Annette Danielski, CFO do Grupo Traton, comenta: “Com nossas quatro marcas fortes e suas estratégias de crescimento claramente definidas, buscamos metas ambiciosas de lucratividade. Garantimos a competitividade futura da Traton com investimentos direcionados em componentes comuns, novos modelos de negócios e novas tecnologias, mantendo uma alta disciplina de custos”.

Autor: Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 26 anos. Há 15 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações.