Combustíveis Finanças Governamental/Legal Mercado

Caminhoneiros bolivianos cruzam a fronteira em busca de gasolina barata

 







gasolina-preco-rio1 Caminhoneiros bolivianos cruzam a fronteira em busca de gasolina barata

A carga tributária brasileira mais uma vez mostra sua cara, desta vez em Senador Canedo, região metropolitana de Goiânia. Na distribuidora da Petrobrás, o preço para a gasolina exportada sai por menos da metade do preço da cobrada dos postos de combustíveis no estado.

A constatação veio através da grande presença de caminhões-tanque de origem boliviana presentes em Senador Canedo. O sindicato dos donos de postos de combustíveis obteve notas fiscais que demonstram a grande diferença de preço, pois os bolivianos à compram por R$ 1,59 o litro contra R$ 3,39 para os estabelecimentos locais.

A discrepância entre os valores é ampliada pelo fato da gasolina exportada ser pura, enquanto a “versão brasileira” tem adição de 27% de etanol que, em teoria, reduz o valor do derivado de petróleo. A Petrobrás afirma que o preço da gasolina é o mesmo para os dois destinos, mas ressalta que aqui são cobrados diversos impostos, tais como ICMS, PIS, Cofins, etc.

Por conta da pesada carga tributária nacional, a gasolina – mesmo com 27% de etanol – sai por mais que o dobro do preço para os postos brasileiros. Para os bolivianos, mesmo há 1.300 km da fronteira e com até seis dias de viagem, o preço de R$ 1,59 por litro ainda é vantajoso.

[Fonte: G1/TV Anhanguera]

[Imagem ilustrativa]




Send this to friend