Caoa Chery: justiça suspende demissões em Jacareí

chery jacarei

Mais um capítulo surge na novela do fechamento da fábrica da Caoa Chery em Jacareí. Uma liminar da justiça suspendeu a decisão da montadora de demitir 580 funcionários, tomada na semana que se encerrou.


O Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região, entrou com um pedido de liminar na Justiça do Trabalho para suspender as demissões em Jacareí.

A liminar foi concedida pela justiça na sexta-feira (27), mas o sindicato só divulgou a informação neste sábado (28).

Decisão do juiz Lucas Cilli Horta, da 2ª Vara do Trabalho de Jacareí, a liminar considera que as dispensas coletivas devem ter prévia negociação, considerando-se o impacto social que causam.

Como foi uma ação tomada unilateralmente por parte da Caoa Chery, após a ocupação da planta pelos trabalhadores, que durou duas horas, a justiça acatou o pedido.

Nesse ato, que a montadora classificou como invasão, ela teria alegado que houve danos à infraestrutura das instalações fabris.

Por conta disso, a decisão de demitir 580 pessoas foi tomada, inclusive com número maior que o proposto anteriormente.

jacarei arrizo5

Sem acordo, inclusive com mediação do Ministério Público do Trabalho, o aviso de demissão coletiva foi emitido na quarta-feira (25).

Agora, uma nova reunião ocorrerá no dia 1 de junho às 14 horas para resolver o impasse.

Os empregados querem a manutenção da operação da fábrica, com cinco meses de layoff e mais três de estabilidade no emprego.

Para quem decidiu sair da empresa, o sindicato busca indenização de 20 salários e mais 18 meses de benefícios.

Contudo, a Caoa Chery quer pagar de 7 a 15 salários sem nenhum benefício extra.

Tendo alegado mau desempenho do Tiggo 3x, assim como mudanças na planta para produzir carros eletrificados a partir de 2025, a Caoa Chery decidiu fechar temporariamente a fábrica de Jacareí.

Estranhamente, em paralelo, anuncia que sua gama será totalmente eletrificada com uma proposta híbrida para breve.

No anúncio, a fábrica da CAOA em Anápolis é o centro das atenções da montadora para este novo portfólio, a ser iniciado com o Tiggo 8 Pro.

[Fonte: Estadão]

Autor: Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 26 anos. Há 15 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações.