Chery Mercado Montadoras/Fábricas

CAOA Chery revela detalhes sobre início das operações

CHERY-NEW-QQ-13-1 CAOA Chery revela detalhes sobre início das operações

A CAOA Chery já começou a revelar seus planos operacionais em conjunto, que deverão iniciar-se em janeiro de 2018. A nova joint-venture entre o grupo brasileiro e a montadora chinesa foi criada em novembro com a aquisição de 50,07% das ações da filial brasileira do fabricante de Wuhu, que passará gradualmente o controle da operação para a empresa nacional.



Para atuar no mercado nacional, a CAOA Chery fará uso das duas plantas existentes, tanto a da chinesa em Jacareí-SP quanto a da brasileira em Anápolis-GO. A CAOA diz que a planta de Goiás produzirá modelos da Chery, mas ao mesmo tempo fará também produtos da Hyundai, embora o mercado diga o contrário. Comenta-se que os direitos de produção serão devolvidos para o fabricante sul-coreano.

De acordo com Mauro Correia, presidente da CAOA, cada fábrica terá gestão própria e seus diretores serão mantidos. No entanto, as plantas não compartilharão os mesmos produtos, sendo que uma delas será focada em carros compactos e a outra em utilitários esportivos. O chefe da empresa brasileira fala em produção “dividida por plataforma”.

Ainda não se sabe o papel de cada uma das fábricas, mas a de Jacareí continuará fazendo no momento os modelos New QQ e Celer. Correia diz que nesta fase estão sendo analisados os ciclos de vida dos dois modelos e ainda não foi definido se eles continuarão a serem feitos no país por mais tempo. Como se sabe, ambos não decolaram em vendas, embora o New QQ tenha reagido recentemente por conta do preço chamariz, mas a greve no Vale do Paraíba atrapalhou a performance do pequenino.

Para fazer novos produtos, a CAOA Chery investirá US$ 2 bilhões, mas de forma igual entre as partes. No entanto, tal investimento não envolverá a planta de Anápolis, apenas Jacareí. Marketing, distribuição, rede autorizada, lançamento de produtos, entre outros, terão a verba oriunda de cada um dos sócios.

A empresa adianta que a gama de produtos terá não só produtos nacionais, como também importados. A Chery disponibiliza uma boa variedade de produtos no cenário internacional, que pode ser conferida no site global da marca. No entanto, além do Tiggo 2, já certo para o mercado brasileiro, o segundo modelo mais cotado é o Tiggo 7, que já roda em teste. Com base nesse portfólio, outros dois prováveis modelos são os sedãs Arrizo 5 e Arrizo 7. Na China, o Tiggo 5x seria uma opção intermediária muito interessante entre os SUVs citados.

Por ora, o que se espera é que o casamento entre as duas empresas crie raízes profundas no mercado nacional, assim como aconteceu com Renault e Hyundai, que hoje possuem operações locais próprias, mas que inicialmente chegaram pelas mãos da CAOA. Além disso, a operação é vista como plataforma de exportação para a América Latina, desejo dos chineses.

 

  • Bruno Silva

    Chega ser um pouco frustrante uma montadora que veio via distribuidora, conseguiu assumir as operações e agora retornar para as mãos novamente de intermediário. No entanto, no momento da Chery Brasil hj não vejo melhor alternativa. Mais curioso para ver o posicionamento da HMB com a linha Hyundai importada é fabricada em Anápolis.

    • Debraido

      Dessa vez não são intermediários, más sócios. Existe uma diferença enorme nisso.

    • Pedrob

      A linha vem importada de Anápolis??

      • Tosca16

        Eles montam alguns lá, mas pelo visto é puro CKD; nunca ví a planta por dentro, mas duvido que tenham toda a linha de montagem… e desta nova linha da CHERY já falaram que a estamparia virá toda montada da China, então, vão apenas montar aqui, quem sabe pegar mais uns incentivos. Chery apesar de ter toda a linha de montagem, com estamparia e pintura, em Jacareí só tinha 25% e 20% de nacionalização no Celer e QQ, resumi-se a montagem então no Brasil.

        • Luciano RC

          Se não me engano, é tudo produção local mesmo. E acredito que a CAOA administrando a Chery, o crescimento será grande.

          • Tosca16

            Tem que ser muito hater pra dizer o contrário… odiadores dos chineses se juntaram aos que odeiam a CAOA kkkk.

            • Luciano RC

              Hahahaha… a CAOA tem muitos defeitos, mas temos que assumir que os caras são bons na gestão da rede. Então não entraram nisso de brincadeira. Acredito que a Chery vai estar no nível da PSA em menos de 2 anos.

              • Tosca16

                PSA ? Eu não duvido mais que isso… ao menos em vendas, ficar perto de marcas como Jeep.

                • Luciano RC

                  Digo inicialmente… já seria um grande passo para uma marca que estava completamente apagada e desconhecida no mercado. Quem sabe em 5 anos esteja brigando pelos tais 5% do mercado.

                  • Tosca16

                    Eu acredito que em cinco anos ela poderá ter de 3-4%, mas acharia possível disputar a liderança de um segmento ou outro, se muito bem administrada.

                    • Luciano RC

                      Acredito que em alguns segmentos ela pode conseguir destaque.

                • oscar.fr

                  Acho tão engraçado pessoas que defendem a Chery e menosprezam a PSA. Queria a Chery ter a qualidade dos PSA.

                  • Tosca16

                    Eu sempre gostei dos PSA, mas falando de mercado por N motivos o grupo patina, as vezes até não entendo porque alguns Citroen e Peugeot vendem tão pouco, especialmente os THP… Mas teve erros como ausência de automático, insistir num câmbio antigo, pós-venda…

                    • Melhorar qualquer coisa exige investimento, e isso a PSA não quer fazer.

                  • Russel Riehle

                    Acredito que o menosprezo quanto à PSA não é referente à qualidade da mesma. Isso é indiscutível e está muito à frente da Chery.
                    Ele está relacionado à gestão empresarial.

                    Nisso, poucas empresas conseguiram ser tão ineficientes no cenário brasileiro quanto a PSA.

      • Bruno Silva

        Saiu é ou invés de e, corretor automático.

  • Tosca16

    Estão confiantes e sabendo como são, não duvido nada, especialmente a rede de mais de 100 concessionárias no país prometida para a Chery… e observando que seria o caro-chefe, não duvidaria também apesar das negativas do grupo CAOA a mesma canibalizar com a linha Hyundai, porque se vão entrar no segmento de SUV’s não tem como não pegar um ou outro comprador de Creta, IX35 ou até mesmo New Tucson.

    • carroair30

      Se essa CHERY tivese que dar certo ja tinha acontecido,o Brasileiro ja disse NAO a ela,essa CHERY vai “morrer” nas maos da CAOA

      • Pedrob

        Pergunta se nos anos 2000 alguém queria um Hyundai Atos Prime.
        Tudo depende do acerto dos produtos para o gosto e bolso brasileiro.
        Ao meu ver a CAOA pode ser muito importante para uma “massificação” da chery através de uma rede de concessionárias mais capilarizada.

        • carroair30

          A HYUNDAI esta consolidada em toda parte do mundo,inclusive nos EUA onde o consumidor é ultra exigente,a industria SUL COREANA tem qualidade,muito difrente da industria CHINESA,a CHERY tem mercado PIFIO,tirando a CHINA nao tem representatividade em nenhum pais,outras montadoras sempre tem alguns paises que tem boa representatividade,nao torço contra a CHERY mas fazendo uma analize do que é mercado hoje e o gosto do Brasileiro ,é questa de tempo pra CAOA mudar as operaçoes.Brasileiro acima de tudo gosta de CONFIABILIDADE,pois por nosso atual status financeiro,nao permite arrependimentos no que diz respeito ao que é investido em um carro

          • Tosca16

            Está hoje, estava nos anos 90 ?

          • Pedrob

            A Hyundai não era consolidada nos EUA nos anos 2000 ou 1990.
            As francesas não tem mercado nos EUA e ainda sim estão consolidadas no Brasil (não que vendam muito, mas que há uma confiança de que as operações não serão encerradas num futuro próximo).
            Cada mercado tem peculiaridades e por isso não dá pra usar o seu argumento (de que, se não tem mercado fora da china HOJE, não vai se estabelecer em mais lugar nenhum).
            O ponto é que montadoras tradicionais estão em posição de conforto e as montadoras mais novas têm que correr atrás para conseguir mercado. Esse é um processo de amadurecimento e ganho de confiança que leva tempo e necessita ter uma estratégia bem acertada (de produto e preço). Não afirmo que a Chery vai se sair bem sucedida desse processo, apenas acho que a estratégia é coerente e tem potencial.

          • Angelo Silva

            Tu só pode estar de sacanagem!!! Brasileiro não gosta de confiabilidade. Isso aqui não existe no Brasil. Mora aonde, mano!?!? Em Marte? Brasileiro gosta de luzinha no painel. Brasileiro de beleza… compra carro pra impressionar o vizinho mesmo que isso lhe custe comer miojo diariamente. O mercado brasileiro é o mercado das aparências. Qualquer montadora sabe disso. Tanto é que Ônix é o mais vendido do país mesmo após as divulgações de seu crash test… mesmo estando careca de saber que compra um carro caro com motor ultrapassado da década de 90. Desde quando um carro nota ZERO no Latin NCap é confiável? Pelo menos o Celer foi 4 estrelas no CNCap. A Chery não deslanchou aqui por vários motivos, mas eu confio muito mais num carro da Chery do que num carro da GM (equiparando os custos, é claro). Brasileiro enche o peito pra cagar que carro chinês não confiável… mas muitos sequer sabem o que é um teste de colisão e muito menos desconhecem que o Qorus 3, feito pela Chery, já foi eleito o carro mais seguro do mundo. Brasileiro, além de besta, é burro!

            • carroair30

              VCs estao delumbrados e fascinados pelanoticia da CHERY ter sido incorporada aqui pela CAOA ,ate comprrensivel,otimismo consegue mudar cituaçoes no imaginario,porem te digo com toda sinceridade,vai ser quase impossivel a CHERY passar sequer as francesas ,Brasileiro é conservador,as 4 montadoras maiores,sao passadas ate de Pai pra filho como as melhores escolhas,agora se Brasileiro é BURRO ? ai depende,se for na escolha de seus representantes politicos ,eu concordo com vc.

              • Angelo Silva

                Burro em vários sentidos. Politicamente, nem se fala… Mas quando o assunto é automóvel, o negócio chega a ser pior. Uso o Ônix como exemplo mais contundente. É um carro feito quase de papelão… frágil, motor antiquado… e é o mais vendido do país por meses seguidos apenas porque tem uma telinha meia boca touch colorida e um painel colorido. Mas bateu, morreu.

                • carroair30

                  ONIX é o mais vendido por outros fatores mais relevantes assim como:rede de CCS bem numerosa,manutençao barata,facil revenda,seguro barato,qualquer mecanico sabe “mexer” e por uma marca tradicional no mercado Brasileiro,sem falar na parte de negociaçao que é bem agressiva por parte da GM ofereçendo generosos descontos e taxas para financiamento competitivas,fora que o ONIX é um carro espaçoso por isso pode ser usado pra quase tudo que uma familia necessita,embora seja um motor ultrapassado tecnologicamente ainda sim consegue ser um motor economico ate mais que muitos motores mais modernos ai sim acrecento a perfumaria da telinha porcamente toch e um painel com iluminaçao que agrada ,essa é a RECEITA que fez do ONIX um sucesso

            • MMM

              Pro cara que comprou um Effa M100 ou um Chery Face, deve fazer muita diferença a fabricacao do Qorus 3. É o mesmo que comprar um Onix pq a GM fabrica Corvette.

          • Vinícius

            Brasileiro é burro e desinformado, não se atualiza, uma informação de 20 anos atrás eles utilizam até hoje. Por isso algumas marcas e veículos são consolidados, mesmo sendo racionalmente inferiores aos concorrentes. Exemplo disso são os Peugeot, 208 e 2008 são top 20 na Europa todo ano, mesmo concorrendo com mais veículos de qualidade do que aqui. Já aqui no Brasilzão, brigam na fileira de tras e perdem para Onix, Ka e até Etios.

        • Tosca16

          Deixa esse hater falar, não responda a ele não.

          • carroair30

            Aqui quando vc tem uma opiniao diferente ou vc aponta erros ou vc analisa sob os aspecto de uma optica diferente somos TAXADOS DE HATERS E DE GOLPISTA mas como disse uma ADVOGADA :EU NAO ME CALO!!!

            • Tosca16

              “Uma advogada”, já devo até saber quem é kkkk. Podemos debater mas quando vc vem com inúmeros preconceitos não chegaremos a nada, só perca de tempo… As chinesas tem muito a evoluir, fato, mas estão no caminho certo; Chery contratou bons designers, tem parcerias globais com marcas de renome internacional como Bosch; está investindo forte para entrar em mercados mais exigentes como os europeu e norte-americano. Não será do dia pra noite mas o caminho eles vem trilhando a um tempinho já, colherão é lógico os frutos, não podemos negar que os chineses tem tudo que precisam, $$$$ não lhes falta. Se faltava no Brasil aquele jogo de cintura, terão com a CAOA, então uniu o útil ao agradável; uma rede de distribuição forte e um produto promissor.

              • Pedrob

                O ponto chave eu acho que é exatamente isso que você citou: $$$$!
                A china é um mercado imenso e há diversas fabricantes de lá tem muito dinheiro (além de incentivos do governo chines).
                Com recursos, acho que o mais provável é que sim, haja um amadurecimento das montadoras chinesas em termos de Design (não cópia de outros modelos), Qualidade (nível de acabamento) e Confiabilidade (Durabilidade do conjunto mecânico e peças internas). Eu nem considero a compra de uma marca chinesa nesse momento mas acredito que haverá uma fatia de mercado considerável para essas montadoras num futuro próximo.

                • Tosca16

                  Observando a atual gama de produtos da Chery; Tiggo7 e Arrizo5 por exemplo, mesmo faltando um ou outro acerto, não vejo muito inferior, digo, inferior a outras marcas, especialmente as coreanas.

    • TijucaBH

      Cliente de New Tucson? Acho quase impossível!
      O que eles vao pegar é a turma que tinha Weekend e Idea Adventure e que nao tem $$$ suficiente pra subir de nível pro Creta, HRV, Kicks e Renegade.

      • Tosca16

        Não duvide, o mesmo falam em outros mercados como o Chileno, e o Tiggo7 tá lá, vendendo bem.

  • Tosca16

    Mauro Correia falou muito em “idade dos projetos, longevidade dos produtos” então observando isso eu chutaria, os que já estão confirmados Tiggo2 e Tiggo7, mais o Arrizo5; podendo ter mais uns Tiggo’s que seriam o inédito Tiggo9 e o Tiggo5X (descartando o atual Tiggo5 justamente por está em fim de linha, mudando-se pra marca subsidiária da Chery na China). Tiraria o Arrizo 7 pelos mesmos motivos, e não veria muito espaço hoje para os dois sedans na gama, ficaria apenas com o Arrizo5 mais novo e mais moderno visualmente.

    • Não duvido que o Arrizo5 virá com outro nome, talvez até como outro produto CAOA.

      • Tosca16

        Os nomes eu não sei, por mim acho que as duas famílias deveriam continuar com os nomes; pelo visto terão as TIGGO e a linha Arrizo, mas sinceramente não queria ver “CAOACHERY” nos carros, apenas Chery mesmo.

  • Peter Bishop

    Sinto cheiro de empréstimo do governo vindo aí…

    • Tosca16

      Não, CAOA pode ter todos seus contras e falcatruas mas não está desta vez usando um centavo do BNDES.

      • durango

        Já usou o suficiente para não precisar mais?

        • Mr. Pennybags

          Nunca usou BNDES.

      • Edson Fernandes

        Até porque não faz sentido pegar do BNDES algo para compra da CAOA en ão para o mercado. Não faria sentido mesmo.

    • CanalhaRS

      Não precisa, ela faz lobby e altera as leis, como já vimos em outros capítulos.

  • Tosca16

    A matéria do Automotive Business tá um pouco diferente, lá eles falaram em duas plataformas, uma de SUV’s e outra de Sedans (não falaram compactos); e sobre os investimentos também está diferente; CAOA ficaria com o investimento em rede e marketing, mais o que fosse investido em Anápolis-GO; Chery investiria metade metade dos investimentos em Jacareí com a CAOA.

    • Eng Turbo

      Vc que é a nossa pessoa especialista em Chineses aqui no NA, qual volume que vc acredita? Esses 150k/ano não estão muito otimistas? Mesmo considerando isso em 2022

      • Tosca16

        Também estou otimista, creio que dá pra chegar a 3% de participação de mercado; 80 mil unidades por aí… somando a uns 20-30 de exportação, quem sabe pouco mais de 100 mil unidades ano.

    • Márcio Motta

      mas acho que tem espaço para o new QQ continuar. pois chegou a vender 500 unidd em um mes. se tiver propaganda e lojas para venda, pode vender bem com o chamariz de preço.

      • Tosca16

        Tem espaço mas sinceramente eu tiraria de linha pra deixar a linha mais moderna e atrativa como chamariz da marca, elevando-a de patamar, desvinculando-se da antiga gama de produtos.

        • Luciano RC

          Quem sabe uma melhorada nele, não seria um bom concorrente para o Mobi e o up!

          • Tosca16

            É mas tô como o Correia lá do grupo CAOA, longevidade dos produtos tem que ser observada; primeiro que a nacionalização é quase nada, 20%; não perderiam muito com o fim da “importação” de peças, segundo que o modelo é de uma antiga Chery, ainda com produtos mais baratos, de menor qualidade… Quer mudar a identidade da marca perante o consumidor ? Tem que ir aos poucos distanciando as gamas de produtos, e porque não tirá-los de uma só vez!

            • Luciano RC

              Por isso primeiro ela deve investir em novos modelos via importação e fazer uma atualização na linha nacional. Buscar modernizar e atrair o consumidor com diferenciais.

              • Tosca16

                Só trazer o que tem lá fora e descontinuar o que temos aqui, simples kkk.

                • Luciano RC

                  Não acredito que ela vá tirar de linha de vez, mas deve tirar até o ano que vem e lançar modelos novos nacionais até 2019.

          • Tosca16

            A não ser que desenvolvam algo “brasileiro” creio que QQ terá seus dias contatos e sem substitutos na China.

            • Luciano RC

              Então devem pensar em algo nacional… melhorar o atual nos pontos que o mercado deseja e colocar o carro na mídia.

        • Estou achando que o “novo QQ” virá já sob a marca CAOA, “100% brasileiro”, para se diferenciar dos demais.

          • Tosca16

            Creio que o Celer se tivesse versões 1.0 e 1.5, mais conectividade e opção automática teria bem mais mercado que o atual QQ, QQ só de mudarem muita coisa, fazer sei lá, um “Tiggo1” kkk

            • Pode ser, não duvide de nada – principalmente porque o CAOA dá a entender que quer ter um carro “brasileiro”.

  • Cincinato

    Acredito no sucesso da Chery.
    A capa sabe crescer marcas então dará certo.

  • Munn Rá : O de Vida Eterna

    Uma pena o Celer e o QQ não terem decolados : Muito bonitos e dentro dos parâmetros brasileiros carros muito bons !

    Infelizmente pelo visto trará/fabricará SUVs : direito dela mas o portifólio de modelos dessa marca é muito diversificado

  • Fernando Bento Chaves Santana

    Os SUV estão acabando com os hatchs no mundo todo e no Brasil a tendência parece mais acentuada. A Chery não ficará alheia a este movimento e por isto provavelmente o QQ não terá sucessor sequer na China.

    Apenas de suas limitações devido a idade base do projeto, trata-se um derivado distante do Suzuki Alto III de 1988, em especial a suspensão traseira, é um modelo com potencial para o mercado brasileiro.

    • Tosca16

      QQ já não tem sucessor na China, Celer também… pelo que vejo no lugar de um sub-compacto destes os chineses querem um elétrico, por isso tem modelos como EQ (QQ elétrio) e o EQ1 outro compacto de propulsão elétrica. Mas não duvido vir algo do tipo JAC T20, um “suv compacto” alá Renault kkkk.

      • Fernando Bento Chaves Santana

        Sim. Tanto o QQ quanto o Celer aparecem na categoria “outros” no site internacional da Chery e deverão sair de linha em breve. Mas qui no Brasil faz sentido manter a produção dos dois modelos (digo, QQ e Celer, por que considero o Celer o Tiggo 2 como o mesmo modelo) por uns três ou até quatro anos para a passar confiança ao consumidor visto que a Chery ja teve dois ou três modelos de vida muito curta no mercado brasileiro. Além disto o investimento em ferramental e no desenvolvimento de fornecedores locais já foi feito. São produtos na média do mercado, com algum nome, em especial o QQ que é uma espécie de mascote da marca. Assim ão valeria a pena suspender tudo, mas utilizar como teste para aferir as capacidades da fábrica em suprir uma demanda. Penso que no futuro o carro chefe da marca será um eventual sucessor do Tiggo 2, um crossover pequeno, com no máximo 4m de comprimento. Ja o QQ poderá servir como base para o primeiro carro elétrico produzido em larga escala no Brasil. É uma possível oportunidade para a CAOA-Chery, mas que depende de regulamentações para ser efetivada.

        • Tosca16

          Postei no grupo do QQ e Celer “Ainda acho mais senttido manter o Celer ao QQ, veja que a GM também não tem compactos, coloca o Onix Joy como carro de entrada, sabendo do poder aquisitivo das famílias brasileiras e o uso de apenas um carro como veículo familiar e de trabalho, acharia bom um Celer renovado, com opções de 1.0 à 1.5L. Faria bastante sucesso nas mãos da CAOA!”

        • Tosca16

          Postei também nos grupos “O Celer, primeiro Chery fabricado no Brasil, poderia continuar na gama de produtos; só precisaria de pequenos acertos especialmente mecânicos como a adoção do motor 1.5VVT, opções de conectividade como central multimídia com Android Auto e Apple Car Play, mais opções de acabamento e versões. Além disso a tão esperada versão automática do modelo, algo que fora prometido por Luis Curi no passado, que segundo ele seria do tipo CVT. Também faria sentido uma versão 1.0, de entrada, para junto a versão 1.5 completar a gama do Celer.”

  • JCosta

    Agora vai… os melhores Cherys, do mundo!

    • Tosca16

      Eu começaria com o “Líder em vendas na China nos últimos 14 anos consecutivos” E nas letras miúdas tá lá, “Líder em exportações” kkkk.

    • CanalhaRS

      Hahahahaha…senta que lá vem mais mentiras….

  • Silvio Vasques

    Tiggo 2 chegando e virando o novo queridinho do Brasil!

  • delvane sousa

    Se focarem em SUV de shopping vai bem, pois grande parte do mercado so pensa nisso.

  • José Vitor Andrade

    A Chery precisa melhorar o quesito interior, acredito que o design exterior do carro já está bom, mas por dentro deixa a desejar. A CAOA deve oferecer a penetração de mercado que faltava e vai precisar ficar um tempo investindo na imagem para reverter a ideia de ‘baixa qualidade’ que se tem hoje. Provavelmente, daqui uns anos vamos ver um Chery New QQ como um Hyundai Atos Prime hoje, um carro que não deu certo, mas uma marca que deu, após anos de insistência e melhoria contínua.

  • José Vitor Andrade

    PS.: Acho o New QQ sensacional para a cidade, o preço é justo nas três versões. Até me aventuraria em um para andar por aí na cidade, mas a falta de concessionários e serviços é impeditivo. Vamos ver se a CAOA reverte isto.

  • Jesse James

    Tudo indica que em breve Hyundai e CAOA nao terao mais relaçao nenhuma ????

  • 1945_DE

    CAOA + CARRO CHINES – TÔ FORA.

  • Jose Antonio

    Boa sorte ao pessoal da CAOA gerar emprego nesse país é difícil, até porque o Brasileiro gosta mesmo é de baba ovo de estrangeiro por isso que não temos nenhum fabricante genuinamente nacional, além do mais gostamos é de criticar apoiar jamais.

  • oscar.fr

    Ultimamente, tem me faltado otimismo, tenho vindo aqui no NA buscá-lo. Pois basta sair qualquer notícia sobre o casamento CAOA e Chery, que tem gente já acreditando em liderança de mercado em cinco anos. Calma, torcedores.

  • Marcio Lenz

    Espero que a Chery possa crescer no Brasil, os produtos não são ruins.

  • Gilberto da Silva

    cada comentário mais descabido…

  • Luiz Felipe

    Legal, quem sabe agora a Chery decola!

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 11 anos. Saiba mais.

Notícias por email

Send this to a friend