Captur 2019: preços, versões, consumo, manutenção, ficha técnica

O Captur 2019 foi o modelo do crossover da Renault que mais teve versões, mas também aquele que perdeu também. Lançado em 2017, o utilitário esportivo chegou com uma proposta mais premium em relação ao Renault Duster.

Compartilhando a mesma plataforma com este último, o Captur nasceu manco no Brasil e tentou corrigir alguns erros de meio curso, mas ainda fica a desejar em muitos aspectos, apesar de vender mais que o irmão popular.


Ele havia recebido a versão Life um ano antes para clientes PCD, assim como a versão Bose, com as duas opções de motor, porém, perdeu a Zen manual, versão indigesta que surgiu com o modelo por aqui.

Quando chegou, o Captur 2019 apresentava um bom motor 1.6 SCe, que era suficiente apenas para sua proposta de acesso, entretanto, ainda sem câmbio CVT X-Tronic, que chegaria alguns meses depois.

Demorar em indexar essa caixa de relações infinitas da Nissan foi um dos erros do crossover no mercado nacional. O outro, mais grave até, foi usar o já longevo 2.0 16V Flex com o câmbio automático de 4 marchas do Duster.

Foi um tiro no pé, já que o Renault Fluence tinha esse motor 2.0, mas com transmissão CVT, ficando assim muito mais eficiente com isso. O mesmo poderia ter sido feito no Captur 2019, que teria assim um conjunto muito melhor.

Como utiliza a plataforma B0 do Duster, algumas inconveniências dessa base foram herdadas pelo Captur 2019, entre elas a falta de ajuste de profundidade na coluna de direção, apesar de o Duster antigo ter somente esse ajuste.

Rasa, a plataforma tem piso interno elevado, o que não favorece um porta-malas verticalizado. Por conta disso, a Renault precisa empurrar o banco traseiro para frente, a fim de obter os 437 litros no SUV e ficar dentro da média do mercado.

Essa característica, que permitia tração 4×4 na Rússia, onde é vendido como Kaptur, também suporta o estepe do lado de fora. Assim, o espaço para quem vai atrás é reduzido.

Para não ficar mais apertado ainda, a engenharia da Renault aplicou um limitador aos assentos dianteiros, evitando assim que fiquem próximos demais do traseiro. Contudo, isso limita o espaço na frente, especialmente para o motorista.

Com até 120 cavalos no 1.6 e alcançando 148 cavalos no 2.0, o Captur 2019 acabou perdendo o segundo motor, por motivos óbvios, na linha 2020, incluindo o antiquado câmbio automático de 4 marchas.

Agora a Renault só usa o F4R apenas no Sandero R.S. 2.0 e na picape Duster Oroch, inclusive com o mesmo câmbio automático. Ele deve ser substituído nela pelo novo 1.3 TCe com 160 cavalos.

Aliás, para o futuro do Captur, esse motor de quatro cilindros e 1.332 cm3, com turbocompressor e injeção direta, deverá ser mais que suficiente para deixa-lo bom para andar, mesmo com CVT. Ele também irá para o Novo Duster.

Nascido como uma releitura do antigo Captur europeu, que era menor, o modelo feito para mercados emergentes aproveitou a base de baixo custo da Dacia e estreou no mercado russo como Kaptur.

Foi para a Índia e África, assim como Brasil, só que no primeiro já saiu de cena, devido ao preço alto e oferta fraca. A boa ideia da Renault gerou um SUV compacto (quase médio) com entre-eixos longo e suspensão bem elevada.

Fluído, o Captur 2019 trouxe um visual atraente e acabamento em tecido bem chamativo na versão Intense, que chega a ser melhor em estilo que o próprio couro sintético.

Na próxima geração, o Captur global deve receber a plataforma CMF-B com opção híbrida leve e totalmente elétrica para retornar à Índia e atuar em outras regiões cruciais.

Captur 2019 – detalhes

O Captur 2019 é um crossover compacto com carroceria longa, que chama atenção por ter uma altura reduzida em relação às rodas, o que o torna estranhamente elevado em sua suspensão, com o assoalho acima do centro das rodas traseiras.

Com vão livre mais generoso que o do Duster, o Captur 2019 mescla esta característica com um corpo fluido e elegante, que chama atenção pela frente arredondada, dotada de faróis com projetores duplos e design que transmite movimento.

Outro ponto é a grade da Renault, que destaca o losango enorme e acabamento preto brilhante no alto da grelha. Já o para-choque adota luzes diurnas em “C”, bem como grade inferior ampla e protetor de cor cinza.

Com capô curto, o Captur tem um teto longo e reto, com cor preta (existem outras cores) contrastando, assim como nas colunas. Os retrovisores pretos com repetidor de direção e basculamento elétrico se destacam.

Nas portas, além de maçanetas na cor da carroceria, o crossover tem ainda protetor estilizado na base das laterais, tendo este detalhes cromados. A área envidraçada é boa e tem vigias entre as colunas C e D.

Atrás, as lanternas em LED são compactas e envolventes, sendo cortadas pela tampa do bagageiro. Esta vem com moldura cromada sobre a placa, enquanto o para-choque dispõe de protetor em cinza e formato robusto.

No teto, apenas antena é oferecida, sendo que não há opção de teto solar elétrico ou panorâmico. Por dentro, o ambiente é ainda moderno em relação ao Novo Duster, mas reflete mais o baixo custo do projeto.

Difusores de ar circulares e com fechamento externo, bem como saídas de ar verticais  ao centro, deixam o conjunto mais vistoso. Já o cluster mescla dois mostradores analógicos com display digital.

Este vem com velocímetro digital, nível de combustível, temperatura da água, entre outras funcionalidades. No alto do painel, há uma tampa para guardar acessórios e itens pessoais, enquanto na parte inferior, fica a multimídia.

Ela é a Media Evolution, que tem tela de 7 polegadas sensível ao toque, bem como entrada USB e auxiliar. O dispositivo traz o Apple CarPlay com Siri, tal como o Google Android Auto com Waze, Google Maps e Spotify e câmera de ré.

Também vem com Bluetooth e toda a moldura central tem cor preto brilhante. Logo abaixo, fica o botão de partida, lembrando que o Captur 2019 tem chave-cartão eletrônica, como do antigo Renault Fluence.

Há um slot para recarga da chave-cartão, mas diferente do sedã médio, não é necessário que seja colocado neste local para que a partida seja dada. A alavanca de câmbio tem pomo com acabamento cromado e indicações de marchas.

Com freio de estacionamento mecânico, o Renault Captur tem ainda volante que pode ter acabamento em couro, além de comandos do controle de cruzeiro e limitador de velocidade parcialmente na direção.

O comando para estes dois recursos ficam num lugar muito ruim, entre os bancos dianteiros e sob a alavanca de freio de mão. Ali também fica o botão do modo Eco, recurso para ajudar na economia de combustível.

Com vidros elétricos nas portas e retrovisores ajustáveis em comando próximo, o Captur 2019 tinha ainda ajuste elétrico de altura dos faróis e de iluminação do quadro de instrumentos no painel.

O banco do motorista tinha ajuste de altura, mas os cintos de segurança não. A padronagem do Captur Intense é interessante porque, quando em tecido, possui um bom revestimento com tons de branco e preto, além de costura dupla.

A padronagem tem um impacto visual superior ao do revestimento em couro, que é preto e apenas com costuras claras. Com limitador, os bancos dianteiros não recuam muito para evitar o apertamento das pernas de quem vai atrás.

Para os passageiros de trás, o banco é bipartido e tem três apoios de cabeça, além de Isofix e cintos de 3 pontos. No teto, luzes de leitura e iluminação geral, assim como espelhos nos para-sóis.

Já o porta-malas de 437 litros é raso, não tendo assim profundidade como geralmente se vê nos utilitários esportivos, que possuem carroceria mais alta. O estepe fica na parte externa, preso por um suporte com trava.

O assoalho alto é uma característica da plataforma do Captur, que é a mesma do Duster. No Kaptur russo, quando com tração 4×4, esse volume fica ainda menor, com pouco mais de 300 litros de capacidade.

Na versão Bose, o sistema de som premium possui alto-falantes maiores e de qualidade superior, assim como tweeters no painel. Já no porta-malas, um subwoofer foi introduzido no revestimento para não roubar espaço das bagagens.

Os bancos em couro e tecido possuem padronagem diferenciada, enquanto a carroceria pode ter teto prata e pintura em cinza, por exemplo.

O Captur 2019 tem quatro airbags de série, mas não possui opção de airbags de cortina. Também vem com controles de tração e estabilidade, assim como assistente de partida em rampa.

Captur 2019 – versões

Captur 2019: preços, versões, consumo, manutenção, ficha técnica

  • Renault Captur Life 1.6 CVT
  • Renault Captur Zen 1.6 MT
  • Renault Captur Zen 1.6 CVT
  • Renault Captur Intense 1.6 CVT
  • Renault Captur Intense 2.0 AT
  • Renault Captur Bose 1.6 CVT
  • Renault Captur Bose 2.0 AT

Equipamentos

Renault Captur Life 1.6 CVT – Motor 1.6 SCe com transmissão CVT, além de airbag duplo, airbags laterais, controles de tração e estabilidade, assistente de partida em rampa, controle de cruzeiro, ar condicionado, direção eletro-hidráulica, vidros elétricos, retrovisores elétricos, travamento central elétrico, rodas de liga leve aro 17 polegadas, lanternas em LED, faróis com luzes diurnas em LED, volante multifuncional em couro, computador de bordo, alarme perimétrico, freios com ABS e EDB, Isofix, chave-cartão, comandos de mídia e telefonia na coluna de direção, volante ajustável em altura, entre outros.

Renault Captur Zen 1.6 MT – Itens acima, mais câmbio manual de cinco marchas.

Opcional: multimídia MediaNav com Bluetooth e USB, além de câmera de ré.

Renault Captur Zen 1.6 CVT – Itens acima, mais câmbio CVT.

Opcional: multimídia MediaNav com Bluetooth e USB, além de câmera de ré.

Renault Captur Intense 1.6 CVT – Itens acima, mais retrovisores com rebatimento elétrico, rodas aro 17 com acabamento diamantado, multimídia MediaNav, apoio de braço retrátil para o motorista, ar condicionado automático, sensor de chuva, sensor crepuscular e faróis de neblina com função curva.

Opcional: bancos em couro.

Renault Captur Intense 2.0 AT – Itens acima, mais motor 2.0 e câmbio automático de quatro marchas.

Opcional: bancos em couro e pintura bi-ton.

Renault Captur Bose 1.6 CVT – Itens acima, mais sistema de som Bose com dois tweeters, quatro alto-falantes e um subwoofer. Traz ainda soleiras cromadas, logotipia específica e detalhes personalizados.

Opcional: bancos em couro e pintura bi-ton.

Renault Captur Bose 2.0 AT – Itens acima, mais motor 2.0 litros.

Opcional: bancos em couro e pintura bi-ton.

Preços

No Captur 2019, a gama de versões começa pela proposta PCD, chamada Life, que basicamente tem conteúdo da Zen, exceto pela opção de multimídia. A Zen manual saiu de cena.

Já a Intense vem bem mais completa, mas também perdeu o motor 2.0, assim como a versão Bose. Esta versão vem com sistema de som premium, bancos em couro e detalhes exclusivos.

  • Renault Captur Life 1.6 CVT – R$ 69.990
  • Renault Captur Zen 1.6 MT –  R$ 78.990
  • Renault Captur Zen 1.6 CVT – R$ 80.450
  • Renault Captur Intense 1.6 CVT – R$ 90.690
  • Renault Captur Intense 2.0 AT – R$ 91.690
  • Renault Captur Bose 1.6 CVT – R$ 95.990
  • Renault Captur Bose 2.0 AT – R$ 96.990

Captur 2019 – motor

Captur 2019: preços, versões, consumo, manutenção, ficha técnica

O Captur 2019 usa motor e câmbio da Nissan na versão 1.6 CVT. A Renault sabiamente tirou de cena o vetusto K4M, substituindo-o pelo H4M, que é a sigla para HR16DE. Este é o motor fabricado pela japonesa em Resende-RJ.

Com algumas modificações feitas pela montadora francesa, o H4M é essencialmente o mesmo propulsor dos Nissan March, Versa e Kicks, fabricados também no Brasil.

Feito em alumínio, ele tem cabeçote com duplo comando de válvulas variável com acionamento por corrente lubrificada no lugar da correia dentada do antigo K4M.

No cabeçote, a variação de abertura e fechamento de válvulas, lembrando que ele mantém 4 delas por cilindro, é feita somente no comando de admissão.

Apesar de ser um motor moderno, a Renault manteve o tanquinho de combustível (gasolina) para partida a frio com etanol. Dotado de injeção eletrônica multiponto, o H4M garante ao Captur 2019 o mesmo torque nos dois combustíveis.

Assim, ele entrega 16,2 kgfm a 4.000 rpm, nesses casos. Já a potência fica em 118 cavalos no derivado de petróleo e 120 cavalos com o combustível vegetal, ambos a 5.500 rpm.

O SUV tinha câmbio manual de cinco marchas na versão Zen, que saiu de cena em 2019. O CVT X-Tronic se tornou a principal transmissão da aliança Renault-Nissan em todo o mundo, tendo conversor de torque e simulação de 6 marchas.

Ele não traz opção esportiva e nem paddle shifts, sendo suas mudanças manuais feitas na própria alavanca. Junto com ele, o SUV tinha o longevo câmbio automático de 4 marchas da Renault, que serviu muitos modelos no passado.

Este tinha conversor de torque e também tinha opção de mudança de marcha de forma manual, sempre na alavanca. Tinha calibração com relações longas e não servia direito com o velho F4R, que não era atualizado.

Com bloco de ferro fundido e cabeçote de alumínio, tem duplo comando de válvulas com variação apenas na admissão, além de 16 válvulas. Este propulsor é o “Família II” da Renault, tendo sido lançado originalmente em 1982.

Já ineficiente em consumo e emissão, chegou a ter a produção suspensa no Brasil para a marca se adequar às normas ambientais, fechando com média positiva.

Tendo 143 cavalos na gasolina e 148 cavalos com etanol, o F4R 2.0 consegue esses números a 5.750 rpm com torques de 20,2 e 20,9 kgfm, respectivamente a 4.000 rpm. Forte, é um motor bem robusto e que se tornou gastão a bordo do Captur.

Desempenho

Captur 2019: preços, versões, consumo, manutenção, ficha técnica

  • Renault Captur 1.6 MT – 11,9 segundos e 169 km/h
  • Renault Captur 1.6 CVT – 13,1 segundos e 169 km/h
  • Renault Captur 2.0 AT – 10,9 segundos e 179 km/h

Consumo

O Captur 2019 tem média de consumo mediano com motor 1.6, tanto com transmissão manual e CVT, tendo números bem próximos em cidade e estrada, fazendo em média 8 km/l no álcool e 11 km/l na gasolina.

Já o motor 2.0, com câmbio automático, tinha médias piores, com média de 7 km/l na álcool e 10 km/l na gasolina, com números igualmente próximos entre ciclo urbano e rodoviário.

  • Renault Captur 1.6 MT – 7,6/8,0 km/l e 10,9/11,3 km/l
  • Renault Captur 1.6 CVT – 7,3/8,1 km/l e 10,5/11,7 km/l
  • Renault Captur 2.0 AT – 6,2/7,3 km/l e 8,8/10,8 km/l

Captur 2019 – manutenção e revisão

Captur 2019: preços, versões, consumo, manutenção, ficha técnica

A revisão do Captur 2019 é feita a cada 10.000 km ou 12 meses, sendo feitas as substituições necessárias como óleo lubrificante, filtro de óleo, filtro de ar, filtro de combustível, correia em V, velas, fluído de freio e refrigeração.

O pós-venda da Renault para o Captur tem custo até 60.000 km de R$ 3.058,44 para a versão com motor 1.6, enquanto o motor 2.0 exigia um custo de R$ 3.734,41.

Revisão 10.000 km 20.000 km 30.000 km 40.000 km 50.000 km 60.000 km Total
1.6 R$ 459,09 R$ 513,34 R$ 513,34 R$ 896,58 R$ 567,59 R$ 567,59 R$ 3.058,44
2.0 R$ 519,99 R$ 574,24 R$ 574,24 R$ 808,96 R$ 628,49 R$ 628,49 R$ 3.734,41

Captur 2019 – ficha técnica

Captur 2019: preços, versões, consumo, manutenção, ficha técnica

O Captur 2019 mede 4,33 m de comprimento e 2,67 m de entre-eixos, sendo pouco maior que a média, com 437 litros no porta-malas. Feito sobre a plataforma B0 da Renault, vem com suspensão McPherson na frente e eixo de torção atrás.

Com assoalho raso no bagageiro, o crossover tem estepe externo para retirada sob o veículo. A estrutura de aço estampado tem bom volume interno, mas um arranjo ruim dos assentos.

Motor 1.6 2.0
Tipo
Número de cilindros 4 em linha 4 em linha
Cilindrada em cm3 1597 1998
Válvulas 16 16
Taxa de compressão 10,7:1 11,2:1
Injeção eletrônica Indireta Flex Indireta Flex
Potência máxima 118/120 cv a 5.500 rpm (gasolina/etanol) 143/148 a 5.750 rpm (gasolina/etanol)
Torque máximo 16,2 kgfm a 4.000 rpm (gasolina/etanol) 20,2/20,9 kgfm a 4.000 rpm (gasolina/etanol)
Transmissão
Tipo Manual de 5 marchas ou CVT de 6 marchas Automática de 4 marchas
Tração
Tipo Dianteira Dianteira
Direção
Tipo Eletro-hidráulica Eletro-hidráulica
Freios
Tipo Discos dianteiros e tambores traseiros Discos dianteiros e tambores traseiros
Suspensão
Dianteira McPherson McPherson
Traseira Eixo de torção Eixo de torção
Rodas e Pneus
Rodas Liga leve, aro 17 polegadas Liga leve, aro 17 polegadas
Pneus 215/60 R17 215/60 R17
Dimensões
Comprimento (mm) 4.329 4.329
Largura (mm) 1.619 1.619
Altura (mm) 1.813 1.813
Entre eixos (mm) 2.673 2.673
Capacidades
Porta-malas (L) 437 437
Tanque de combustível (L) 50 50
Carga (Kg) 449 449
Peso em ordem de marcha (Kg) 1.273 (MT) 1.286 (CVT) 1.352
Coeficiente aerodinâmico (cx) 0,34 0,34

Captur 2019 – fotos

 

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 25 anos. Há 14 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.