Usado da semana

Carro da semana, opinião de dono: Chevrolet Corsa Sedã Joy 2006

Carro da semana, opinião de dono: Chevrolet Corsa Sedã Joy 2006

Eu estava procurando por Celta e Classic, quando adquiri este carro, ele foi comprado para ser utilizado para trabalho. Porém, também o uso para o particular. Eu sempre fui apaixonado pelo CORSA SEDAN (G2), mas quando comprei, minha realidade só dispunha de Celta ou Classic, pelo menos 3 anos mais novos que meu carro. Então, na época, ele estava avaliado por R$ 22300,00, mas o dono dele, estava vendendo, por R$ 19500,00.


Porém negociamos até fechar por um preço aceitável (R$ 18500,00), o carro estava em bom estado, mas nada impressionante, tinham algumas coisas pra fazer. O antigo dono, havia o adquirido 0km, era um senhor de 82 anos, mas como ele havia adquirido um New Civic e tinha um Clio Sedan Si 1.6 16v Completo, teve de se desfazer do Corsa. Comprei ele em Abril/2012, época em que o IPI estava no auge. Logo depois despencou e hoje, ele está avaliado por R$ 19850,00 na tabela Fipe e preço de mercado varia entre R$19000 a R$21000 aqui em Santo André.

Desempenho, motor e câmbio

Consegui certa vez, fazer o teste de 0 a 100 km/h em 14,5 segundos, com etanol e tanque quase vazio. Excelente para um carro Sedan, de 1030 KG, com motor 1.0.

Motorização:


77/79 cv a 6400 rpm.
9,3/9,4 kgfm a 5200 rpm.

Quando comprei o carro, pensei que ele seria lento e beberrão, mas me surpreendi. O motor 1.0, apesar de tudo, está adequado a ele. Eu fico imaginando o desempenho desde carro na motorização 1.4 (99/105cv e 13,2/13,4kgfm) e no motor 1.8 (112/114cv e 18,2kgfm), deve ser um avião – ainda mais na versão SS.

O câmbio deste carro é muito curto, exigindo trocas constantes, torna cansativo, mas ao contrário do que pensava, torna o carro econômico. Os engates são duros e às vezes, entra marcha errada. Quem não está acostumado a dirigi-lo sofre um bocado.

1ª – 37 Km/h a 6800 rpm.
2ª – 69 Km/h a 6800 rpm.
3ª – 102 Km/h a 6800 rpm.
4ª – 147 Km/h a 6800 rpm.

Apesar do torque máximo ser obtido somente com 6000 RPM, o carro começa a ficar um aviãozinho a partir dos 3000 rpm. Em subidas, utilizo tranqüilamente a 3ª Marcha mesmo com mais de 2 pessoas dentro. Essa é uma vantagem do câmbio curto.

Despesas

Logo que comprei o carro, eu estourei a embreagem por “nó-cegagem”. Eu reduzi de 4ª para 1ª a 90 Km/h e não estourei o câmbio. Isso me custou R$ 754,00. Meu mecânico é meio careiro, mas faz o serviço muito bem feito. Foram (R$ 454,00 em peças e R$ 300,00 de manutenção). Um defeito grave desse carro, é a embreagem ser hidráulica.

– Troca de pastilhas de freio: R$ 40,00.
– Troca de discos de freio: R$ 200,00.
– Troca de velas, cabo de velas e limpeza de bicos: R$ 230,00 (Ao total).
– Óleo: R$ 81,00 (Ele usa 3L – R$ 27,00×3).
– Pneu: R$ 199,00. (Goodyear 165/70/14) – O Pirelli era mais barato, mas é péssimo.
– Vidro Elétrico: R$ 30,00 (Já estava com defeito. Tinham duas engrenagens quebradas, porém, não precisou trocar o motor).

Esse meu carro tem um problema grave, ele sempre fura o pneu dianteiro do lado do passageiro. Em 7 meses, furou 5 vezes. Leva-se em conta que rodei 12000km em 7 meses.

Defeitos

Algumas vezes, já me largou na mão… Certa vez apagou do nada, quando ainda estava com 61000 KM (Setembro/2012) e não voltou a marcar a KM no painel. Então, controlo pela KM auxiliar (onde também marco o consumo de Gasolina/Álcool). Engasgos entre 1500 a 2500 rpm, solucionei com a limpeza de bico e troca de velas e cabos de vela.

Dirigibilidade

Classifico como cansativa. Não é um carro que faz com que o motorista tenha o prazer em dirigi-lo. O câmbio é muito curto, o volante é pesado (leva-se em consideração que este não tem Direção Hidráulica), o banco é muito baixo. Eu tenho 1,69 de altura e a GM sempre teve fama de fazer carros para anões, mas esse CORSA é excelente para pessoas com mais de 1,85.

Algo que eu acho sensacional nesse carro é o giro de volante, nunca vi algum carro tão formidável nessa característica. Se eu avaliar de AGILE, PUNTO e LOGAN classifico como péssimos, do CrossFox, Palio Economy, Uno Mille, Corsa (Antigo), Escort, Gol G4, C3, Gol G5, Escort SW são razoáveis, do Monza, Astra e Vectra são bons. Mas ele não é tão confortável quanto ao AGILE. São os dois carros que mais dirijo. Faltou a GM colocar regulagem de coluna de direção e de profundidade e também regulagem de altura do banco.

Corsa x Agile

Tudo bem que é complicado comparar um carro 1.0 básico com um carro 1.4 completo, mas queria destacar isso. O Corsa nas arrancadas é muito mais esperto, mesmo tendo 77/79cv contra 97/102cv do Agile. E também com 4 kgfm a menos de torque. Existe aquela teoria de que: “O câmbio manda em tudo”. O câmbio do Agile, além de ruim – apesar dos engates suaves – é muito longo para o motor que tem.

No quesito dirigibilidade, nem se compara, o AGILE dá um show, pela posição do banco com regulagem de altura, do volante (apesar da regulagem de altura ser modesta), conforto e visibilidade. No AGILE, a Coluna B é uma grande inimiga, no CORSA, os retrovisores são péssimos e dificilmente em manobras, dá para ver a traseira, um erro grave da GM. Já o AGILE, no quesito, giro de volante, só consegue ser melhor que o LOGAN. E o CORSA dá um banho nele. Nesse comparativo, temos um AGILE LTZ Completo 2010 contra um CORSA SEDAN JOY Básico.

Corsa x Corsa

Antes do AGILE, minha mãe tinha um CORSA SUPER MPFI 4 Portas 1997. Motor de 60cv e 8,3 kgfm de torque. A retifica do motor foi feita com 94000 km. Ela realmente judiou daquele carro. Comparando ao meu CORSA JOY 2006, o antigo tinha um acabamento muito melhor, vidro elétrico nas quatro portas, a direção era mais leve. Mas perdia – e feio, no consumo (O antigo fazia 8,8 KM/L na cidade), desempenho (Apesar do antigo correr bem também, mas o câmbio era mais longo), espaço interno e para pessoas altas – que não é meu caso, o antigo é quase impossível de dirigir.

Consumo cidade

O consumo dele sempre variou entre 10,4 a 10,7 Km/L na Gasolina. Certa vez chegou a fazer 11,2 Km/L e o pico foram 12,6 Km/L na cidade. Porém, nos últimos tempos ele estava desregulado e precisando de troca de velas, cabo de velas e limpeza de bicos, nesta fase, onde o carro não estava regulado, ele ficou beberrão e chegou a fazer 9,2 Km/L, foi sua pior média. No Álcool, testei apenas duas vezes, a primeira fez 7,8 Km/L e quando já estava com o bico sujo e as velas precisando ser trocada, 6,6 Km/L. Achei muito, afinal, meu pai tem um MONZA GL 1995 2.0 EFi Álcool e ele faz 6 Km/L com o dobro de motor.

Consumo estrada

Há um bom tempo, quer dizer, desde quando comprei o meu carro, queria fazer a avaliação dele e do consumo deste na estrada. Então, tive a oportunidade de testá-lo. Enchi o tanque, para viajar de Santo André para Ubatuba, porém, dei uma passada em Paraty/RJ e rodei um pouquinho nas cidades, mas nada considerável, um total de 70km em Ubatuba/Paraty.

Na ida, de Santo André para Ubatuba, foi apenas ¼ de Tanque. E 234 km rodados. Levando em consideração que o tanque deste carro tem 49L (Sim, achava que era 44L, mas uma vez, acabou toda a gasolina e coloquei os 49L), ele teria feito 19,10 Km/L. Mas também lembramos, que os marcadores de gasolina da GM são os piores do mercado. Bom, na ida, em cerca parte da Estrada, mantive a velocidade em 120 Km/h a 4250 rpm em 5ª Marcha, na maior parte do tempo. A 100 Km/h, o regime era de 3250 rpm.

Lembrando-se de que o câmbio deste carro é muito curto. Finalizando a parte da Estrada, na volta, me deparei com inúmeras subidas, a Serra em Caraguatatuba é complicada e muitas vezes, tive de reduzir a marcha, chegando em trechos, rodar a 40 Km/h em 3ª Marcha e utilizando, a maioria desse trecho, a 4ª Marcha. O trecho contém muita neblina e o tempo todo na volta, estava chuvoso.

A extensão dessa serra é de mais de 12 KM, ou seja, ele bebeu bem. Ao final, do teste de estrada, por precaução, enchi o tanque e disse ao frentista: “Enche até o talo” e realmente, ele encheu. Resultado final: 640,6 Km rodados e 38,889L. Ou seja, consumo de 16,47 Km/L. Eu esperava entre 14 a 15 Km/L no máximo. No álcool, não imagino quanto ele faça.

Batida/roubo

Certa vez, bati o carro em um SUZUKI SX4. A lataria do Corsa é frágil, amassou bastante, inclusive, com a tampa do porta malas, sem fechar, por conta das borrachas. O Suzuki não amassou, mas quebrou a lanterna e abriu AirBag. Certa vez, fui seqüestrado. Acharam o carro inteiro, em Itaquera, a polícia logo chegou, mas não encontrou os indivíduos.

Seguro

Utilizo a ALIANZ e pago R$ 1400,00. O carro e o seguro estão em nome do meu pai, mas meu nome está vinculado no contrato, tenho 23 anos. Todas as vezes que eu precisei desta, fui bem atendido, mas com um pouco de demora.

O carro

* Uso: Comprei com 54000 km em 8 de Abril de 2012. É um CORSA SEDAN JOY Flexpower VHC 2006/2006. De Maio para cá, quando comecei a usá-lo, rodei 12000 Km. Está com 66000 Km.
* Acabamento/Equipamentos: Pela categoria dele, de ser um compacto Premium e não um popular, o acabamento dele é péssimo. Tecidos de má qualidade, painel escuro, muitos plásticos, é um padrão OPEL. Sendo inferior ao CLASSIC, que na minha opinião, não passa de um Chevette Remodelado (Claro, que é outra plataforma, outro carro, mas a proposta do Classic é essa, diferente desse CORSA).
Ele por ser a Versão JOY, tem um acabamento horrendo. O automóvel possui Alarme, Vidros Elétricos Dianteiros, Travas Elétricas, Ar Quente, Desembaçador Traseiro, Cinto de Três pontos traseiro, Regulagem de Altura do Cinto de Segurança, CD Player e Brake Light (Que é um detalhe que chama a atenção nesse Corsa).
* O que poderia melhorar: Deveria ser obrigatório, ele conter Direção Hidráulica e Computador de Bordo desde aquela época. E sim, um acabamento melhor. Já andei no PREMIUM SEDAN 1.4 Completo (ABS+AirBag) e parece outro carro… A espuma do banco do Joy é dura e o banco do motorista não agarra em nada o Corpo. Além disso, os apoios de cabeça traseiros, são fixos, isso é péssimo e não há banco bipartido, só a partir da Versão MAXX, que não melhora muita coisa em termos de acabamento.
* Design: Quando falo para as pessoas que tenho um CORSA SEDAN, todo mundo imagina um Classic. Então, quando mostro, dizem: “Esse carro é bonito e não parece um Corsa”. – Apesar de tudo, o Design dele, é enjoativo. A frente do Corsa não é nem um pouco imponente, mas a traseira dele, ainda chama a atenção, mesmo se comparar aos nosso coreanos/chineses da GM.
* Espaço Interno: Com 2,49m de entreeixos, é totalmente diferente do CORSA Antigo. Os passageiros do banco traseiro andam de forma confortável, até mesmo quem passa de 1,80 de altura. Apesar de eu ser baixinho, eu gosto de usar o banco para trás da COLUNA B. É muito mais espaçoso, que o PRISMA, por exemplo. Além do espaço interno, o porta-malas, pode levar bagagem além da conta de qualquer popular.

Recomendaria?

Em vezes sim, mas se fosse comprar outro CORSA, gostaria de uma versão mais equipada e com uma motorização mais forte, de preferência o SEDAN PREMIUM 1.8, já que o SS, é só maquiagem e não tem Air Bag e ABS. Mas se fosse escolher, iria de VECTRA ou ASTRA e não de CORSA.

Ainda sou da seguinte opinião, o corte de custos no BRASIL é tão grande, que carros como FIESTA, FOX, SIENA e CORSA (G2) jamais deveriam utilizar motorização 1.0. É um carro bom para o dia a dia. Eu rodei mais de 12000km. Deu alguns defeitinhos chatos, mas no geral é econômico, espaçoso e tem um bom desempenho.

Pelo preço dele e pelo que oferece – apesar de mal acabado. O compraria de novo, mas pensaria duas vezes, para não comprar novamente de um dono relaxado.

O leitor pediu para não ser identificado.

Carro da semana, opinião de dono: Chevrolet Corsa Sedã Joy 2006
Nota média 4 de 1 votos

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 12 anos. Saiba mais.

Notícias por email