China Elétricos EUA Europa Finanças Mercado Montadoras/Fábricas

Carro elétrico demandará US$ 90 bilhões em investimentos dos principais fabricantes

ford-mach-1 Carro elétrico demandará US$ 90 bilhões em investimentos dos principais fabricantes

O anúncio da Ford de investir US$ 11 bilhões apenas para desenvolver e produzir carros elétricos nos EUA, sem dúvida, chamou a atenção do mercado americano. O fabricante de Dearborn aproveitou ainda a ocasião para revelar o nome de seu primeiro produto criado para esse segmento, um crossover chamado Mach 1.



O plano da Ford é ter 40 modelos eletrificados no mercado americano até 2022, incluindo modelos híbridos. Ou seja, daqui a quatro anos, uma boa parte do portfólio da marca estará sendo plugado na tomada. Antes, a Ford havia divulgado que gastaria “apenas” US$ 4,5 bilhões até 2022. Agora, seus planos mudaram radicalmente. Mas de onde sairá o dinheiro? A Ford planeja cortar US$ 14 bilhões em despesas até 2023. A ideia é eletrificar os modelos mais populares para atrair o consumidor.

ford-mach-1 Carro elétrico demandará US$ 90 bilhões em investimentos dos principais fabricantes

A marca do oval azul nem está entre as que mais se aplicaram nos últimos anos no desenvolvimento de carros elétricos. Embora tenha alguns modelos híbridos e híbridos plug-in, a Ford tem apenas o Focus Electric como um produto de imagem global. Até agora, a empresa não havia manifestado tanto interesse em jogar bilhões de dólares em projetos relacionados com veículos que portam baterias e motores elétricos.



A virada de mesa da Ford em Detroit não parece surpreender. Uma análise recente da Reuters, revelou que os principais fabricantes mundiais gastarão nada menos que US$ 90 bilhões em carros elétricos e híbridos plug-in nos próximos anos. Nada de uma década e sim um período de cinco anos para a grande maioria dos investimentos. Se a Ford vai injetar US$ 11 bilhões, a Daimler disse que gastará US$ 11,7 bilhões. E a corrida pelo carro elétrico não para por aí.

ford-mach-1 Carro elétrico demandará US$ 90 bilhões em investimentos dos principais fabricantes

A Volkswagen anunciou um plano de US$ 40 bilhões, mas isso até 2030. De qualquer forma, mais da metade disso será investido nos primeiros anos de sua estratégia de eletrificação, que começa em 2019. Não por acaso, a marca quer ter 300 modelos com energia até o final da próxima década. Mais modesta, a GM quer ter 20 modelos elétricos até 2022, mas assusta mais que o gigante alemão ao unir essa tecnologia com os carros sem motorista de seu negócio futuro.

Com relação às origens dos investimentos, os EUA são os que menos terão investimentos na área: US$ 19 bilhões. A China vem em segundo com US$21 bilhões e a Alemanha, domina com US$ 52 bilhões, a maioria deles por conta da Volkswagen. Mas, boa parte desse mega investimento será direcionado para a China, que no momento é o país que mais benefícios fiscais está concedendo para os carros elétricos.

ford-mach-1 Carro elétrico demandará US$ 90 bilhões em investimentos dos principais fabricantes

Por lá, não há só incentivos fiscais, pois já existe uma imposição aos fabricantes mediante cotas obrigatórias nos próximos anos. O consumidor acabará aceitando as propostas por falta de opção no futuro, mas em mercados como o americano, os clientes terão que ser atraídos naturalmente para o segmento. No caso da Ford, a empresa está mais do que comprometida com os carros elétricos, mas Bill Ford Jr. deixa uma preocupação no ar: “A única questão é, os clientes estarão lá conosco?”.

[Fonte: Business Insider]

COMPARTILHAR:
  • TunAV

    Isso vai dar tão errado, aguardem.
    Quando a farra dos subsídios acabar quero mesmo ver quem vai pagar 50% a mais por um elétrico. kkkkk

    • Daniel dos Santos

      …eu ouvi algo parecido ao que falaste isso, quando inventaram a injecao eletronica.

      • TunAV

        Nossa, que comparação tosca. Troféu joinha pra você.
        Quanto de subsídios as montadoras ganharam para introduzir injeção eletrônica? Qual impacto ambiental dela? Ela alterou o planejamento da matriz energética? Ah é, você é daqueles que caiu no conto dos carros elétricos “limpinhos”. Melhore, colega. Estude mais, e não saia acreditando na primeira bobagem que lê na mídia!

        • Antonio

          Certeza absoluta que milhões de pessoas usando carros elétricos abastecidos com painéis solares em suas casas ou com grandes usinas eólicas ou solares vão deixar o planeta muito melhor. Em todos os sentidos.

          • th!nk.t4nk

            Onde moro esse processo já iniciou. A maior parte das casas na minha vizinhança tem painéis fotovoltaicos. Em algumas 100% do telhado é coberto por elas. O preço dessas placas despencou e continua caindo, vale muito a pena pra quem tem carro elétrico. Outra coisa que está começando a disseminar são os acumuladores residenciais. A Tesla deu o primeiro passo com o Powerwall, e agora estão pipocando startups oferecendo sistemas concorrentes (e mais baratos). Pode ter certeza de que em 10 anos o mercado de energia estará irreconhecível. E quem vai perder com isso é quem insiste que nada está acontecendo, que nao vai dar certo e blablabla.

            • Antonio

              Fato! E inquestionável!

            • BlueGopher

              th!nk.t4nk, não seria possível que a maioria destes painéis sejam para sistemas de aquecimento (de água) solar?
              Painéis fotovoltaicos verdadeiros são bastante raros, pelo menos aqui na minha região.
              Abs.

              • FrankTesl

                O preço dos painéis fotovoltaicos é realmente mais caro que os painéis de aquecimento de água, mas o preço dos fotovoltaicos está caindo fortemente.

                Mesmo com a cotação do dolar bem mais cara que em 2012-2013, aqui no Brasil um kit fotovoltaico para uma casa com 4 pessoas caiu mais que a metade do preço. Se o câmbio tivesse se mantido estável, o preço dos kits fotovoltaicos estaria 1/4 ou 1/5 do valor do que era em 2012. Sem contar que instalações maiores, como galpões, instalações comerciais e industriais o custo por kWh instalado é ainda menor , pela questão de escala.

                No caso do colega, esse processo é muito mais acentuado no país em que ele mora, se não me engano na Europa.

                Aqui no Brasil, já era para os painéis de aquecimento solar de água já estarem plenamente universalizados, pois o preço de compra deles é perfeitamente acessível dada economia e a durabilidade que oferecem, sendo que o investimento neles se paga em menos de 2 anos de uso, tendo em vista que muita gente ainda usa chuveiros elétricos de 6.000 W.
                Pelo menos em casas de construção nova ou quando se vai fazer uma reforma, é altamente compensador instalar o encanamento separado para a água aquecida e o kit de aquecimento solar de água => a economia pode ser de mais de 150 kWh por mês, considerando uma família de 4 a 5 pessoas que tome um banho quente por dia.

                Associado a um kit fotovoltaico para geração de eletricidade, uma família reduz fortemente seu consumo elétrico.

                E dá um chega para lá nos luditas que dizem que Angra vai explodir e Itaipu vai secar (só para constar, Itaipu está vertendo excesso do reservatório simultaneamente por todos os vertedouros pela primeira vez em vários anos…)

                • BlueGopher

                  Está explicado, não sabia que ele mora fora do Brasil.
                  Complementando a questão, as baterias usadas de veículos elétricos poderão ser plenamente utilizadas em instalações residenciais para “estocagem” de energia.
                  Mesmo que já sejam Inadequadas ao agressivo uso veicular, são eficientes por longo tempo adicional ao moderado uso residencial
                  Darão um grande incentivo ao uso de energia fotovoltaica.

                  • th!nk.t4nk

                    Perfeito BlueGopher, essa é a ideia e já está entrando em prática aos poucos. Sao 3 pilares: 1) a evoluçao da tecnologia das baterias; 2) a revenda das baterias automotivas pra empresas que usam como acumuladores industriais ou residenciais (normalmente quando a capacidade de carga chega a uns 60%); 3) o desenvolvimento de kits de gerenciamento eletrônico da energia de sua casa, transferindo de forma inteligente entre o acumulador residencial e as baterias do automóvel (e se necessário plugando na rede externa nos momentos em que a tarifa de energia é mais barata, sempre que possível). Como disse já tem várias startups trabalhando no setor, e grandes empresas como a Bosch já comercializam o sistema pra indústrias. O próximo passo é a comercializaçao em passa por essas grandes empresas pra residências nos próximos anos. Eu creio que o Brasil vai entrar na onda também, se o estado nao interferir mais uma vez. Seria uma alavanca pra eletromobilidade no país.

                • João Holmes

                  Estudo da EPE mostra que geração solar em residências e comércios já é viável economicamente em todas as distribuidoras de energia por conta do preço cobrado pelo kwh. A título de curiosidade hoje existem 20.000 unidades residenciais e comerciais com geração solar. Ainda é bem pouco, mas esse número está crescendo exponencialmente. Além da área privada, órgãos públicos estão investindo nisso também, porque as restrições orçamentárias estão obrigando medidas racionais de economia e o investimento em solar é uma delas. O TSE em Brasília inaugurou sua usina solar em novembro passado. São 3.000 painéis. Pesquisem no google para ver a instalação.

            • Raul Pereira

              Curiosidade, onde você mora?
              COncordo, pra usarmos carros elétricos (porque o petróleo já morreu, a longo prazo) precisaremos de uma matriz que aguente, e não dá pra deixar com o Estado (independente do país). O melhor, e que em grande parte só não aconteceu antes por boicotes (apesar dos problemas com as baterias) é que as casas gerem sua própria energia e possam armazená-la, desafogando a matriz coletiva. Assim fechamos o ciclo, gero minha própria energia (uma pá eólica e os paineis ou mesmo telhas + powerwall ou semelhante), uso um pouco da pública e abasteço o próprio carro. E quem falar que isso vai acabar com os empregos de quem trabalha com energia, é falácia, pois imagine os serviços de manutenção e instalação que serão gerados a partir dessa renovação, vai ter trabalho a rodo.

              Só fico pensando em quem mora em prédio, mas se cobrir as fachadas de painéis nos últimos 4 andares, já salva a pátria.

              • th!nk.t4nk

                Raul moro em Bayern. Aqui nao é a regiao mais ensolarada do mundo, mas nao é tão ruim quanto nos países nórdicos. No verão tem sol até as 22 h, entao isso compensa a incidência solar menor. Já no Brasil seria perfeito. Nao vejo a hora dessa onda chegar com força no BR e o povo poder dar uma banana pra dependência da política no setor.

                • Raul Pereira

                  Olha, podem querer barrar e tudo, como sempre, vai ser uma encebação a liberação das vendas, mas acho que no mundo globalizado de hoje você pode até tentar atrasar, mas não não pra barrar o progresso. Até pode demorar, mas uma hora essas fontes mais sustentáveis vão chegar aqui.
                  O que vejo muitas vezes é que mesmo que haja uma mudança (de qualquer coisa) a população ainda é muito lenta pra absorver e tende a ficar na zona de conforto “porque não sei… essas coisas novas, melhor esperar e ver o que os outros vão fazer”, minha família mesmo já falou muito isso com relação a novas tecnologias.

          • TunAV

            E vamos todos dar as mãos, correndo pelos campos e purpurina cairá dos céus….hehehe

            • Antonio

              Que assim seja!

            • th!nk.t4nk

              TunAV nao seja tão pessimista. O problema do Brasil é basicamente político, e nao financeiro. A tecnologia já está disponível e seu custo vem caindo ano a ano. Nao precisa dar as maos e orar nao, o que é preciso é votar certo em primeiro lugar. Meu grande medo com o país é que o povo continue se vendendo pra candidatos populistas e corruptos mesmo após tudo o que aconteceu. Mas nesse caso nem com muita reza a situaçao mudaria.

        • Raul Pereira

          Mas é fato que hoje enfrentamos uma crise da abastecimento e precisamos mudar a matriz energética, tanto a nível de produção quanto de consumo por fontes mais limpas e renováveis.

          • TunAV

            Crise de abastecimento? Quando? Onde? Em que planeta você vive?

    • FrankTesl

      falaram coisas parecidas quando quiseram trocar as liteiras carregadas por escravos por carruagens puxadas por cavalos, e estas por “carruagens sem cavalos”
      Ou quando quiseram trocar as velas de sebo e os lampiões de óleo de baleia, por lampiões à gás e depois por lâmpadas elétricas

      • TunAV

        Esse é o único argumento que vossas energumecidades têm? Melhorem… todas essas tecnologias disruptivas sobrepujaram suas antecessores porque tinham vantagens comerciais óbvias, não viviam de subsídios e regulamentações.

        • th!nk.t4nk

          A médio prazo os subsídios já são desnecessários. Tudo está ligado ao preço das baterias, que está caindo fortemente a cada ano. Nao é preciso ser um Einstein pra sacar que logo o custo x benefício do elétrico se tornará tão evidente, que a maioria dos consumidores optará por migrar. É preciso um empurrão inicial pra dar volume e incentivar investimentos em P&D, mas a partir de certo ponto a tendência é que o carro elétrico seja até mais barato que o tradicional, já que utiliza bem menos componentes e necessita também de menos mão-de-obra.

          • TunAV

            Se já são desnecessários, cortem eles para ver o que acontece. :)

        • Daniel

          Dizer que o carro elétrico não tem vantagens comerciais óbvias sobre o carro a combustão é uma tremenda ignorância. Vai lá no tio google dar uma pesquisadinha no assunto antes de vir todo nervosão aqui desrespeitar as outras pessoas, que estão debatendo civilizadamente.

          • TunAV

            Você está precisando de uma daquelas cartilhas de abecedário. Não entendeu patavinas.

            • Daniel

              blablablabla blablablabla….

              • TunAV

                Chegou no Bla. Que feito notável. Daqui a pouco começa o C e o bicho pega. Hahahaha

        • FrankTesl

          o único que se mostra um energúmeno por aqui, e ainda por cima pateticamente orgulhoso da energumecidades que profere, é V. Sa., o Ludita

          • TunAV

            Melhor comprar um gravador, rapaz. Poupa sua voz de repetir sempre as mesmas abobrinhas. Hehehe.

            • FrankTesl

              Já de volta, Mr. Car??

              • TunAV

                ???

                • FrankTesl

                  a moderação deveria ser mais ativa para conter clones de usuários já banidos, ainda mais quando voltam repetindo as mesmas sandices que faziam antes. O trejeitos (heheeh) e os métodos baixos continuam os mesmos

                  • TunAV

                    Hem? Você é tão estúpido que cria paranóias em vez de argumentar. Vá se tratar.

                    • FrankTesl

                      Moderação precisa agir contra esse tipo de gente que só sabe debater com ofensas pessoais.

                    • TunAV

                      E com os loucos que criam paranóias sobre os outros comentaristas? Ah é, nesse caso é a saúde pública que deve agir para internar compulsoriamente.

    • Louis

      Suponho que você utilize uma carroça puxada a cavalo. Porque é bem mais barato que um “moderno” carro a combustão.

      • TunAV

        Oh cérebro de minhoca, vai estudar para não passar vergonha!

        • Louis

          Ah, e também espero que você recolha a sujeira do seu cavalo quando este defecar nas ruas, porque cavalo também polui.

          • TunAV

            Pelo visto faltou vaga pra você, hem? Já tentou o EJA?

    • Angelo_RSF

      Quando a farra dos subsídios acabar a China vai estar fabricando tanto carros elétricos, baterias e componentes, que o preço já vai ter caído e os preços dos veículos já vão ser bem próximos.

    • No_Name

      A bateria mais cedo ou mais tarde se tornará barata o suficiente para equipar até um Renault Kwid. É tudo uma questão de demanda e escala. Então lá na frente mesmo que não haja mais subsídio os carros já terão os mesmos preços dos com motores a combustão. E não custam 50% a mais. É por volta de 30%, exclusivamente pela bateria, uma vez que só ela chega a custar US$ 10 mil dólares. Não tem mais volta. Exceto pela bateria, o carro elétrico é mais barato do que o com motor a combustão para as fabricantes.

  • Antonio

    Buáááá´!!!!!!!!
    Carros a gasolina e a diesel vão acabar.
    Infelizmente (SQN).

  • SDS SP

    É inevitável que aos poucos à eletrificação obtenha seu lugar ao sol.
    À empresa onde trabalho cujo o core business é componentes para motores à combustão, já está se arrumando para desenvolver componentes para eletrificação. Será um desafio e tanto, além de uma oportunidade de ganhar experiência em outra área.

    E para aqueles que tem alguma aversão, eu costumo imaginar como era à situação no final do século 19, quando começou a aparecer os primeiros ICE e penso na reação dos entusiastas dos veículos à tração animal rs

    • BillyTheKid

      Eu acho engraçado como os entusiastas conseguem transformar desvantagens em pontos considerados positivos, as vezes até obrigatórios para que o produto seja “de verdade”.

      O barulho do motor virou música para os ouvidos. A transmissão manual, pouco conveniente para o trânsito do dia-a-dia, virou “uma melhor conexão com o carro”. A levíssima direção elétrica anestesia demais a “leitura da pista”, bom mesmo era direção mecânica! E a eletrônica ajudando na segurança então, que palhaçada… Carro meu, dirijo eu!

      Pra ser sincero, não acho ruim ser apaixonado por uma tecnologia antiga. Tem gente que gosta de CD e fita VHS num mundo de Spotify, Netflix e YouTube, por exemplo. O que é chato é quando essas pessoas ficam criticando o futuro como se todos fôssemos obrigados a viver no passado, junto com elas.

      E viver no passado costuma ser uma péssima ideia. É só olhar o que ocorre com as empresas que fizeram isso na era de transição de câmeras digitais e smartphones, por exemplo…

      • FrankTesl

        carro meu…
        I see what you did there…

      • TunAV

        Vossas energumecidades só sabem repetir essa mesma ladainha de resistência às mudanças. O que o QI de vocês não alcança é que há obstáculos que a mídia e o governo omitem na popularização dos elétricos. Não há apego, da minha parte em específico, a motores a explosão, pelo contrário.
        O que não te contaram ou você não teve a capacidade intelectual de assimilar é que os elétricos são, a preço de hoje, inviáveis economicamente, e passam longe de serem “ecologicamente” sustentáveis. A Tesla perde dinheiro a cada carro que vende. A GM também. Isso porque recebem gordos subsídios para mascarar os preços 50-100% maiores do que os automóveis convencionais. Se fossem vender pelo preço cheio os carros mofariam nas ccs. As baterias têm vida útil medida em ciclos de eficiência; o preço da troca delas é tão alto que não compensa trocar . O lítio das baterias é um metal relativamente raro na natureza (bem mais que o petróleo) e a previsão é que o uso massivo em meios de transporte (que demandam baterias bem maiores que as de smartphones) tende a acabar com as reservas bem antes do óleo negro. O descarte das baterias também gera impactos ambientais significativos e ainda por resolver.
        Continuem com suas analogias toscas com carroças, VHS, DVD – todos substituídos por produtos e serviços melhores e mais baratos. Estão passando vergonha.

        • Danillo Santos

          Poderia expor argumentos sem ofender os participantes do debate, só um toque

          • FrankTesl

            ele não sabe (ou não quer) fazer isso, pois aí ficaria sem ter o que falar.

        • th!nk.t4nk

          O problema TunAV, é que você está olhando pra hoje. Em 5-10 anos a situação será outra, e todas as montadoras estão olhando pro futuro. Trabalho em P&D na área e acompanho desenvolvimentos que vão revolucionar o setor, os investimentos em eletromobilidade são enormes. Só em novas tecnologias pra baterias de estado sólido, são bilhoes. Como o custo e a capacidade das baterias são a chave pros elétricos deslancharem, esse é o caminho pra tornar os subsídios desnecessários nos próximos anos.

          • TunAV

            Vou discutir com você porque pelo visto não é um fanático lobotomizado como os outros comentaristas.

            Nós não podemos prever o futuro da tecnologia; tudo que hoje é protótipo pode simplesmente não se mostrar viável na prática comercial. Se e quando os elétricos se mostrarem viáveis não há problema algum no abandono dos motores à combustão. O que não dá para aceitar é empurrarem o conceito sobre falsas premissas e usarem o dinheiro dos pagadores de impostos para mascarar as deficiências dessa escolha. Toda tecnologia disruptiva – streaming, automóveis, lâmpadas, economia compartilhada… sepultaram os conceitos anteriores porque se mostraram superiores de fato; sem incentivos, só foram lançados quando tecnologia se mostrou viável para à época. Muitos outros conceitos foram pensados e eram tidos e havidos por muitos como os deflagradores de uma nova era, mas naufragaram porque eram incapazes de concorrer no livre mercado.
            PS: eu sei que você mora na Europa. Nos países nórdicos há uma discussão importante e nem tão recente sobre os subsídios. Como os elétricos até hoje são caros e , portanto, restritos aos mais abastados, muitos discutem hoje que os mais pobres estão subsidiando os carros dos mais ricos!

          • Felipe Gomes

            Baterias de estado sólido já são bem mais potentes e de recarga ultra rápida. Também irão se popularizar.

        • Julio Alvarez

          “Tesla perde dinheiro a cada carro que vende”. Mostra o seu profundo desconhecimento a respeito. A Tesla tem lucro alto tanto no Model S qto no Model X. Como empresa, reinveste todo esse lucro na sua expansão. Mas você não sabe disso.

          Lítio é extremamente abundante. Escasso é o cobalto, mas você não sabe disso.

          E o carro elétrico está caido de preço, cada vez mais se aproximando do ICE, daí todo esse investimento mas montadoras para correr e ter competitividade. Mas você não sabe disso.

          • TunAV

            “Tesla ganha dinheiro com os carros que vende”.
            “Lítio é extremamente abundante”.

            Pessoal, temos um “J”ênio @qui. Hahahaha

            • Julio Alvarez

              Provavelmente seu cérebro não comporta mais de um idioma, mas vou colocar as respostas mesmo assim:

              Sobre o lítio:

              “The U.S. Geological Survey produced a reserves estimate of lithium in early 2015, concluding that the world has enough known reserves for about 365 years of current global production of about 37,000 tons per year”

              fonte: https://www.greentechmedia.com/articles/read/is-there-enough-lithium-to-maintain-the-growth-of-the-lithium-ion-battery-m#gs.4VVYjKA

              O lítio é extremamente reativo, fora as reservas citadas acima, já exploradas, no oceano tem cerca de 230 bilhões de toneladas. Tendo demanda, é questão de abrir novas fontes de exploração.

              Sobre o custo de produção do Tesla Model S:

              “That appeared to be confirmed by SpaceX’s Chief Technology Officer Tom Mueller earlier this month. During a Skype call with a group from the New York University Astronomy Society, Mueller claimed that Elon Musk told him the marginal cost to produce a Model S is $30,000. The base-level Model S starts at $68,000.”

              https://www.inverse.com/article/31597-tesla-secret-profit

              • TunAV

                Pode olhar por você mesmo; a Tesla é uma companhia de capital aberto, obrigada a divulgar seus balanços. Não se preocupe, é só olhar, não vai precisar tentar somar ou subtrair.

                http://financials.morningstar.com/ratios/r.html?t=TSLA&region=USA&culture=en_US

                • Julio Alvarez

                  Interpretação de texto, meu caro. Vou repetir um trecho do meu primeiro comentário:

                  A Tesla tem lucro alto tanto no Model S qto no Model X. COMO EMPRESA, REINVESTE TODO ESSE LUCRO EM EXPANSÃO.

                  Daí a explicação da TSLA, a empresa, não apresentar lucro. Estão investindo tudo, feito doidos, na produção no Model 3 e na expansão da rede de Super Charges.

                  Mas sobre seu argumento inicial, que a Tesla tem prejuíso na venda, não é verdade. Além de não fazer o menor sentido uma empresa que tem um produto só, ter prejuízo ano após ano a venda sobreviver. O que não é o caso da imcompetente GM, que ao que parece, tem prejuizo com o Bolt, pois este é praticamente todo terceirizado para a LG. No caso da GM o Bolt é só mais um carro, então não importa muito se dá lucro ou não.

                  • TunAV

                    Não, Júlio. Eu li bem seu comentário, e ele é de um ser lobotomizado pela propaganda do Ellon Musk. O caixa para os novos investimentos vem do lançamento de novas ações, que também cobrem os prejuízos das vendas. Em nenhuma empresa investimentos levariam à reversão de lucro em prejuízo. É básico na contabilidade de custos. O que a Tesla faz é “fuga para a frente”, está investindo forte na expansão da produção na esperança de ganhar volume rapidamente e assim passar a lucrar (como qualquer energúmeno sabe quanto maior a escala, mais os custos fixos se diluem e os variáveis tendem a diminuir também). Por isso Ellon “lança ” tantos mockups de carros que provavelmente nunca sairão das pranchetas. Para manter tolos iludidos com a aura de inovação comprando mais ações de uma empresa que queima milhões por dia. Se a roda do mercado de ações parar de girar a empresa quebra no mesmo dia . Aliás, foi o que aconteceu com seu negócio de painéis solares, fundido à montadora californiana depois de seguidos prejuízos que levaram os investidores ao descrédito quanto à sua viabilidade. Mais uma atochada nos acionistas minoritários da Tesla hehehe.

              • TunAV

                Mas em um ponto você está certo e eu errado: as reservas de lítio são bem maiores do que eu havia pensado. O problema são outros minerais mais escassos. Fui dar uma pesquisada e as maiores reservas de lítio estão na Bolívia.

                • FrankTesl

                  depende da forma em que se encontra o lítio na natureza. O lítio é abundante na Bolívia e no Chile, nas regiões dos grandes salares, mas como o colega Julio Alvarez apontou, há diversas outras fontes, como os próprios oceanos.
                  E como já disse, lítio não é o único material para utilização de baterias, várias outras tecnologias estão surgindo.
                  Serve até mesmo células de combustível de etanol, como a nissan demonstrou no Brasil.

            • FrankTesl

              troll ludita é um ludita troll, e como todo ludita, só precisa fechar olhos para os fatos, ser catastrofista e espalhar desinformação.

              • TunAV

                Ludita? Hahaha
                Que zé ruela. Fi, tá passando muita vergonha.

        • FrankTesl

          Troll ludita é um ludita troll, e justamente por ser um ludita nem sequer imagina o tamanho do vexame e da vergonha que passa…
          Baterias estão só no começo de sua evolução. Apesar de usarem lítio, já usaram outros materiais, e a todo momento surgem novas tecnologias e inovações em materiais, com ou sem lítio, como batérias de sódio, ferro etc e até mesmo novas formas de projetar as baterias, como baterias com eletrólito sólido, baterias associadas com supercapacitores.
          O descarte e recuperação de baterias está sempre evoluindo, faz muito mais sentido, não só para a indústria automotiva ou elétrônica a recuperação e reciclagem do material de uma bateria do que simplesmente jogar fora.

      • RPM

        Ótimo comentário…..

    • TunAV

      Quantos de subsídios do governo foram necessários para que os automóveis se estabelecessem? Quantas regulamentações proibindo as carruagens e carroças surgiram antes que seus sucessores dominassem o mercado? O que aconteceria com os elétricos se os consumidores tivessem que pagar a fatura cheia pelos seus carros?

      • SDS SP

        Muita calma nessa hora. Só foi um exemplo para às mentes mais resistentes.
        Sou a favor da eletrificação, mas também sou contra empurra-los goela abaixo na base da canetada estatal.
        Fato que já tem muita empresa trabalhando em projetos de eletrificação. Na empresa onde trabalho, eles vão dedicar certas regiões (Europa e EUA) para desenvolvimento de propulsores elétricos e países periféricos (como Brasil e Índia) no desenvolvimento dos ICE, que ainda vão fazer parte de nossas vidas por um bom tempo ainda. Pode ficar tranquilo.
        Quem não começar agora, pode morrer na praia no futuro.

        • TunAV

          Interessante sua afirmação de que ninguém quer mais depender de combustíveis fósseis. De onde vem a maior parte da eletricidade no mundo?
          Você sabe as limitações que uma matriz “renovável” impõe ao fornecimento contínuo de energia? Que por isso elas só podem ser consideradas complementares, nunca substituindo as matrizes convencionais?

          Eletrificação até seria bem vindo, sim. Eu particularmente fiquei tentado no projeto Limewire da Harley Davidson e seu ronco de turbina de avião. Mas a tecnologia atual inviabiliza a sua massificação.

          • th!nk.t4nk

            Você mesmo disse: a tecnologia atual. Cara, tem que pensar adiante. Todo o investimento bilionário que está sendo feito agora é pra dar retorno em 5-15 anos. Ninguém está dizendo que tudo tem que mudar imediatamente. Veja quantas termoelétricas a carvão estao sendo construídas, e quantas estao sendo desativadas. Em 2017 foi o ano da virada no setor, a partir de agora é ladeira abaixo pro carvão. Quanto a um fluxo contínuo de energia, é lógico que energia solar dependerá da disseminaçao de acumuladores (que devem baratear muito nos próximos anos), mas a eólica é muito mais estável nesse aspecto, e a hidrelétrica também. Um mix dos três pode ser explorado pra gerar a maior parte da energia tranquilamente, com termoelétricas tradicionais apenas complementando a matriz. Tem estudos de sobra a respeito no setor.

            • TunAV

              Pode não parecer, mas eu torço para que esteja errado! Só quero que meu dinheiro não seja usado para subsidiar grandes corporações que vendem a ilusão de um mundo distópico.

              • BillyTheKid

                Então a sua preocupação é o subsídio que as empresas recebem, é isso? E se eu te dissesse que as petrolíferas, empresas antigas e já com muita grana, recebem US$ 5 trilhões por ano em subsídios (o equivalente a 6.5% do PIB mundial), qual seria sua próxima desculpa para não querer carros elétricos?

                Não me leve a mal, mas eu sinto que seu discurso de ódio aos carros elétricos pouco está ligado aos possíveis problemas que eles podem enfrentar/ter. Você realmente acredita que carros a combustão não possuem defeito algum?

                • TunAV

                  Esses subsídios são a maior lorota. É discurso de um bando de ecochatos sem embasamento algum. Acreditar nisso te coloca no mesmo barco dos esquerdopatas que falam em “auditoria da dívida”. O petróleo extraído no mundo é pesadamente tributado – o BR é um exemplo, mas talvez o caso mais emblemático seja o da Noruega, com as maiores reservas da Europa e a gasolina mais cara do mundo. USA (maior produtor) tributa pouco, mas isso é inerente ao país que tem uma das menores participações do estado na economia entre os países desenvolvidos. Os países da Opep nacionalizaram há muito suas reservas e petrolíferas estrangeiras além de pagar pesados tributos ainda tem que se associar com as petrolíferas nacionais. De onde voce acha que sai dinheiro para tantas guerras no Oriente Médio?

                  O uso de hidrocarbonetos gera problemas terríveis. Poluição local (mais difícil de controlar em automóveis individuais que em termoelétricas produtoras de energia para os carros elétricos); instabilidade na geopolítica mundial, com a dependência de uma região inerentemente instável como o OM e a Venezuela; etc. O que eu discuto é que os elétricos não são a panacéia que propagam e dependem de inovações tecnológicas para serem viáveis econômica e ambientalmente QUE NÃO ESTÃO DISPONÍVEIS ATUALMENTE. Os comentaristas acéfalos acima já tocam as trombetas anunciando o Eden na terra, mas esquecem desses obstáculos – que nada garante serão ultrapassados em 10-20 ou 30 anos.

                • FrankTesl

                  o clone do mr.car fala em subsidios, mas se esquece convenientemente que um dos setores que mais receberam subsídios e dinheiro governamental à rodo são os usineiros e o setor petrolífero, vide as últimas medidas que perdoaram pesadas multas tributárias e ainda concederam regimes especiais e outras benesses que vão aliviar em dezenas de bilhões impostos e outras taxas de empresas do setor petrolífero.
                  E ele continua usando de ofensas pessoais. Moderação precisa agir urgente contra esses clones de banidos.

  • Handlay P.B.

    Com esses investimentos bilionários e com o afã dos engenheiros das montadoras, as marcas podem superar os óbices que tornam os carros elétricos inviáveis como o tempo de recarregamento e autonomia. Os automóveis 100% a energia podem ter um futuro auspicioso no primeiro mundo, mas no Brasil isso pode demorar muito mais. É bom o Elon Musk já estar em alerta uma vez que as montadoras não lançarão carros elétricos com problemas de montagem e com softwares autônomos beta que matam pessoas. O dono da Tesla precisa urgentemente superar todos os problemas que sua companhia enfrenta se não quiser definhar no mercado mundial.

    • TunAV

      O que a Tesla precisa é começar a ganhar dinheiro! E deixar de queimá-lo mais rápido que uma fogueira…

  • Mario

    Antes de carros elétricos, deveríamos ter casas geradoras de energia elétricas, através d energia solar! A compensação deveria vir daí! Quanto de energia aerá necessário para abastecer tantos veículos? Essa conta ninguém apresentou ainda!

    • FrankTesl

      sempre a velha questão de “primeiro isso, depois aquilo, para só depois ter carros elétricos”. Aí caí sempre naquela pegadinha “vinte anos atrás disseram que em vinte anos os carros seriam elétricos” que se repete num ciclo infinito.

      se fosse assim, nem era para termos automóveis, pois ainda há muitas estradas e rua em péssimo estado e péssimos motoristas por aí. Sem falar que não esperaram que construíssem postos de gasolina em todas as esquinas para depois lançarem no mercado as “carruagens sem cavalo” no começo do século 20. Os primeiros motoristas tinham que comprar galões de gasolina nas lojas e estocar em casa…

      Muita gente já pode HOJE ter carro elétrico sem qualquer impacto no Sistema Elétrico. Parques eólicos, Microgeração doméstica e outras fontes crescem a cada dia, e as próprias empresas de distribuição disseram que uma frota de 1 milhão de carros elétricos causaria um impacto de menos de 1% de aumento de demanda no sistema elétrico nacional.

      Sem falar que, com os carros elétricos se disseminando no mercado após o governo pelo menos IGUALAR a carga tributária do elétrico ao 1.0 flex (hoje elétrico é cobrado em 25% do IPI por causa de uma lei imprecisa, e os flex 1.0, são tributados em 7%), quem se interessar pelo carro elétrico com certeza vai buscar investir também em microgeração distribuída para gerar energia para sua casa e para o carro elétrico também.

      Da mesma forma, com mais carros elétricos rodando, empreendedores privados e também o setor público vão implementar gradualmente os “tais postos de recarga”, apesar de eu não os considerar como fator crítico, pois os carros elétricos HOJE são oferecem autonomia em torno dos 400 km, e quem roda menos que isso por dia pode recarregar em casa durante à noite. Muitos rodam menos de 400 km por semana…

      Quem roda mais do que isso por dia ou precisa cumprir longos trajetos por locais sem tomadas que continue com o carro à gasolina, a eletrificação não vai ser um passe de mágica onde PUFF, todos os carros amanhecem elétricos.

      E mesmo se algum motorista abastecer só em tomada, sem possui qualquer fonte de energia solar ou eólica, mesmo assim já vai estar gastando menos e poluindo menos. Mesmo que a energia seja originada de termoelétricas, o gasto de combustível na usina para gerar energia, o custo e perda de transmissão/distribuição, é muito menor que os custos, perdas, desperdícios e ineficiências do combustível do poço ao posto e do posto ao tanque do carro.

    • Louis

      Eu só estou esperando conseguir comprar um elétrico, para instalar placas foto-voltaicas na minha casa. Agora, não vai ficar esperando o governo fazer isso por você, senão espera reclamando sentado.

      • Mario

        Concordo! Não espero governo não! Quero instalar as placas aqui em casa e penso num carro elétrico, porém os impostos são muito altos, pois é tudo importado! Fiz um orçamento e devo gastar por volta de $30mil para gerar aproximadamente 400kwh, que é meu consumo! Então, acho que se o governo baixasse os impostos, para promover esta energia, teríamos condições de evitar as usinas a diesel, por exemplo! Considero o carro eletrico uma ótima opção para as cidades!

        • João Holmes

          Achei caro esse orçamento. Paguei 30 mil no meu sistema, mas gera 620 kwh por mês. Quantas placas e qual a potencia das placas desse orçamento? Se você me passar esses dados mais a sua cidade eu consigo fazer uma simulação aqui para saber se bate essa geração.

        • FrankTesl

          Acho que está caro. O que você cotou é um sistema com inversor de 3 kW e 12 placas?
          veja mais fornecedores em:
          http://www.portalsolar.com.br

          • TunAV

            Ah, agora esta explicado. Voce trabalha com isso. Entendemos seu desespero para passar adiante tanta desinformação. $$$$

            • FrankTesl

              Não trabalho com fornecimento de equipamento fotovoltaico, projetos ou qualquer coisa do tipo.

              Se V.Sa. se desse ao trabalho de ver o site, verá que não é de uma empresa de fornecimento em específico, mas sim um portal para informar quais empresas estão mais perto do interessado em cada região, além de agregar diversas informações sobre o assunto.

              A moderação tem que tratar com urgência esses clones de usuários banidos que voltam aqui para escrever mentiras e ofensas gratuitas.

              • TunAV

                Men… tiroso

                ————————————————–

                Transtorno de Personalidade Paranoide segundo o DSM-IV:

                Segundo o DSM-IV, a característica essencial do Transtorno da Personalidade Paranoide é um padrão invasivo de desconfiança e suspeita quanto aos outros, de modo que seus motivos são interpretados como malévolos. Este padrão tem início no começo da idade adulta e está presente em uma variedade de contextos. Geralmente se manifesta no início da idade adulta e para ser diagnosticado, segundo o DSM-IV, precisa de no mínimo quatro dos seguintes critérios:

                Os indivíduos com o transtorno supõem que as outras pessoas os exploram, prejudicam ou enganam, ainda que não exista qualquer evidência apoiando esta idéia (Critério A1). Eles suspeitam, com base em poucas ou nenhuma evidência, que os outros estão conspirando contra eles e que poderão atacá-los subitamente, a qualquer momento e sem qualquer razão.

                Estes indivíduos costumam acreditar que foram profunda e irreversivelmente prejudicados por outra(s) pessoa(s), mesmo que para tal não existam evidências objetivas. Eles preocupam-se com dúvidas infundadas quanto à lealdade e confiabilidade de seus amigos ou colegas, cujas ações são minuciosamente examinadas em busca de evidências de intenções hostis (Critério A2).

                Qualquer desvio percebido na confiabilidade ou lealdade serve para apoiar suas suposições básicas. Eles sentem-se tão perplexos quando um amigo ou colega lhes demonstra lealdade que não conseguem confiar ou acreditar. Quando enfrentam dificuldades, esperam ser atacados ou ignorados por amigos e colegas.

                Os indivíduos com este transtorno relutam em ter confiança ou intimidade com outras pessoas, pelo medo de que as informações que compartilham sejam usadas contra eles (Critério A3). Eles podem recusar-se a responder a perguntas pessoais, afirmando que as informações “não são da conta de ninguém”.

                Eles lêem significados ocultos, humilhantes e ameaçadores em comentários ou observações benignas (Critério A4). Por exemplo, um indivíduo com este transtorno pode interpretar um engano genuíno cometido por um balconista como uma tentativa deliberada de enganá-lo no troco, ou pode interpretar uma observação bem-humorada e casual feita por um colega de trabalho como um sério ataque a seu caráter.

                Elogios frequentemente são mal interpretados (por ex., um cumprimento por uma nova aquisição é interpretado como uma crítica a seu egoísmo; um elogio por uma conquista é interpretado como uma tentativa de forçá-lo a um desempenho maior e melhor). Eles podem interpretar uma oferta de auxílio como uma crítica por não estarem fazendo o suficiente por conta própria.

                Os indivíduos com este transtorno guardam rancores persistentes e relutam em perdoar os insultos, ofensas ou deslizes dos quais pensam ter sido vítimas (Critério A5).

                https://www.ufrgs.br/psicopatologia/wiki/index.php?title=Transtorno_de_Personalidade_Paranóide

        • Louis

          Que é caro e tem muitos impostos, isso é verdade, mas o desgoverno de m… não tem interesse nenhum em ter pessoas gerando sua própria energia. Imagina as pessoas migrando para os elétricos e deixando de pagar CIDE e os outros impostos da gasolina. Certamente criarão mais impostos, o gordo nojento Heráclito fortes já disse ter intenção de cobrar royalties da energia eólica.

        • FrankTesl

          As placas fotovoltaicas, fototérmicas, equipamentos eólicos já são isentas de ICMS na importação, de imposto de importação e também de IPI.
          O preço está baixando rapidamente. Em comparação com o ano de 2012, quando o sistema grid-tie foi regulamentado para as distribuidoras de eletricidade, para os dias atuais, os preços para consumidor final caíram mais da metade, mesmo com o dolar quase dobrando de cotação.

      • João Holmes

        Se você tem condição de comprar um elétrico deveria por geração solar logo que é um investimento bem menor e já vai economizando na conta desde logo. Coloca um sistema que gere mais que o seu consumo e já vai acumulando créditos de energia para gastar quando comprar um elétrico.

        • Louis

          Para mim ainda não compensa, gasto muito pouca energia elétrica, e com a taxa mínima que eu teria que pagar, economizaria só entre 30% e 50% na conta. Por isso torço para conseguir comprar um elétrico logo, para “justificar” o investimento, já que eu deixaria de gastar com gasolina.

          • FrankTesl

            É possível compartilhar créditos acumulados com outra unidade consumidora, desde que as contas tenham o mesmo CPF. Se você tiver parentes próximos (pai, mãe, irmão) com quem possa compartilhar o excedentes mensais, basta colocar as contas de luz no mesmo CPF e indicar o endereço que não tem o kit instalado para receber os excedentes e abater na conta deles.
            Fiz isso aqui em casa, nos próximos meses os excedentes que acumulei (quase 1 MWh em menos de 9 meses), já serão usados para abater da conta de eletricidade da casa de minha mãe.

  • Catucadao

    carro elétrico pra não gasta tempo e dinheiro com essa bestera so esquecer isso, carro elétrico não é tão limpo quanto dizem e nunca sera melhor que um carro a combustão, alem do mais que gosta de carro elétrico é famoso modinha… acha que vai ta ajudando o planeta se liga.

  • Cosi fan Tutti

    Mach 1, se não me engano ja tiveram um carro com esse nome, mas vão lançar em parceria com a Gillette? E vai ter aquela grade frontal de 3 lâminas (agora são 5 ou 7 parece)??? [ironic on]

  • zekinha71

    Depois de Fox e Focus, Gol e Golf, teremos March e Mach.

  • Jose Alexandre Mendonça Neto

    Por enquanto no caso da Ford (11 bilhões), acho que o passo está maior do que a perna.

  • FocusMan

    Olha eu não sei como vão ter tantos carros nas ruas.

    Na cabeça dos “Eletrificados” o carro também deixará de ser um bem usado somente como transporte particular e será compartilhado.

    Um carro elétrico compartilhado é tudo que o mercado não precisa.

    Imagina ai, todos os carros brancos, sem design algum e porque não, sem marca também.

    Todos os carros serão da marca ACME.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 12 anos. Saiba mais.

Notícias por email

receber-noticias Notícias por email