Comprando e Vendendo Longform Mercado

Carro seminovo de locadora pode ser um bom negócio $$$

Ainda existe muito preconceito contra carros seminovos de locadoras, mas a compra pode ser um bom negócio para quem pensa diferente. As empresas que trabalham com aluguel de frotas possuem alta rotatividade de veículos, pois é necessário sempre ter automóveis novos à disposição dos clientes.

Isso significa que os veículos seminovos presentes na frota terão de sair do serviço e serem colocados à venda. Algumas locadoras renovam suas frotas a cada 15 meses, por exemplo. Um veículo de locadora em média fica 12 meses ou 40.000 km no serviço e logo depois é colocado à venda.


As locadoras precisam vender seus excedentes e por isso possuem lojas próprias especializadas nisso. Após revisão dos veículos, este são oferecidos geralmente por um valor abaixo da média do mercado. O motivo é que – apesar de ter apenas um único dono, a empresa – um carro de frota passou pelas mãos de muitos motoristas.

É isso que afasta possíveis interessados. Por isso, o valor geralmente tende a ser menor que os de particulares, lojas multimarcas ou concessionários. As locadoras compram volumes enormes para substituição da frota e assim conseguem bons descontos, que também ajudam a baixar os custos na hora da revenda.

No entanto, a lei obriga que a revenda da locadora seja feita somente após seis meses de propriedade, exatamente para que essas empresas não se transformem em revendedores. As locadoras dizem que seu negócio é o aluguel de veículos e não a revenda, mas esta é necessária para desovar os excedentes.


Atenção aos detalhes

Para o consumidor, as locadoras usam preços competitivos em muitos casos como um atrativo, mas não apenas isso. A Localiza, por exemplo, não vende carros com batidos ou com reparações, sendo estes leiloados. As empresas Avis e Locar Alpha fazem pequenas reparações nos veículos, enquanto os com danos mais sérios, são leiloados.

Por isso, é importante o consumidor saber a política de cada locadora. Outro atrativo, no caso da Avis, é alugar o carro desejado pelo cliente por até dois dias, para que o mesmo possa ter uma noção exata de suas condições. Se fechar negócio, as diárias não serão cobradas. Caso contrário, paga apenas por esse período.

Com volumes enormes e pátios geralmente cheios, as locadoras são um atrativo para quem quer um seminovo e não liga muito para a hora da revenda, mais difícil em qualquer caso. Ainda assim, quem considera mais à frente passar o carro, é importante não escolher cores exóticas.

As letras das placas – geralmente das cidades de Curitiba, Belo Horizonte e Palmas, por exemplo, por conta do IPVA menor – denunciam que o carro foi de locadora, o que pode fazer o negócio não ser tão interessante para repasse a revendedores.

Embora boa parte das frotas terem carros populares, geralmente muitos não possuem ar condicionado. Então, escolha sempre com este item de conforto. Mas, para quem prefere veículo de outro segmento, as locadoras oferecem desde picapes a carros de luxo, estes usados em frotas corporativas.

As locadoras possuem sites com ofertas de seus veículos seminovos com preços, fotos e quilometragem, mas o importante é ir ver o carro pessoalmente e avaliar seu estado. Devido à grande oferta, isso pode tomar um bom tempo, mas a observação detalhada faz parte do negócio, pois um veículo sem detalhes vai proporcionar tranquilidade ao novo proprietário por um bom tempo, ainda mais quando o objetivo é conviver com ele por um longo período.

[Fonte: Revista Quatro Rodas]

Carro seminovo de locadora pode ser um bom negócio $$$
Nota média 5 de 2 votos

162 Comentários

Clique aqui para postar um comentário

  • Em geral, os carros são até melhores que os “particulares” que já passaram na mão de cada magal e manolo… O problema é quando fazia parte de frota de empresa, aí passa os 40.000 km até sem troca de óleo, imagina o resto.

  • Melhor comprar usado de conhecidos !
    Acredito que todos possuem amigos ou parentes que cuidam bem do carro e também uns que só sabem detonar sem dó a carroça.
    Como saber o tipo de proprietário se vc não o conhece ???
    Não sendo assim vai ser sempre uma loteria misturada com conversa fiada de vendedor!!!

  • Já peguei carro de locadoras renomadas com mais de 60 mil km. Acredito que não exista uma regra clara, cada caso deve ser avaliado a parte. Oficina de grandes locadoras são especialistas em esconder problemas que seriam facilmente detectados caso você comprasse um carro de particular.

  • Olha, acredito fortemente que qualquer carro de locadora é melhor que o carro utilizado pela minha própria esposa, que só coloca gasolina e fica brava toda vez que precisa fazer alguma revisão (questiona pra que gastar dinheiro com isso, melhor vender e comprar outro). Igual minha esposa existem zilhões de pessoas que sequer enchem os pneus do veículo.

  • Para mim, é usado, nada de seminovo que é um termo usado pelo mercado no qual eu sempre discordei.

    Olha, se depender dos carros da frota aqui da empresa (pertencem a Avis), eu quero distância de carros de locadora.

  • Trabalhei em locadora e posso dizer o seguinte: Com relação ao estado dos carros, tem que ter o mesmo cuidado que se tem com carros de particulares, existem todos os tipos de motoristas.
    A vantagem de se comprar de locadoras sérias é que se sabe que a procedência é boa e em algumas locadoras, os carros passam por revisões preventivas básicas, como olhar água, óleo, pastilhas e pneus, itens que podem comprometer a segurança dos clientes da locadora ao usar o carro, nada mais que isso. Atenção para os carros que mesmo que ainda estejam dentro do periodo de garantia, já não a tenham perdido porque as revisões não foram feitas na css.
    Cuidado com locadoras pouco sérias que baixam o velocímetro, principalmente aquelas que ficam com o carro mais tempo.

      • Na época que trabalhei no rent a car, o mercado de carros novos estava muito aquecido, se chegava a pagar ágio por alguns modelos ou para pronta entrega. A Localiza se aproveitava dessa situação e revendia os carros dela logo após poucos meses, ainda com baixíssima km e em estado de novo. Não sei bem como está o quadro hoje, mas se eu estivesse precisando comprar um carro usado hoje, sim iria na Localiza, ao menos dar uma olhada, nunca ouvi falar de alguma fraude. Apenas analise o estado do carro que for escolher, como se estivesse comprando de um particular. Também veja bem as taxas de juros em um eventual financiamento, elas podem fazer toda a diferença entre um bom e um mau negócio e o valor que estão pagando no carro que está dando na troca. Com o pais em crise, as revendas ganham mais com os financiamentos oferecidos do que com a revenda do carro propriamente dita. O melhor mesmo é adequar a escolha do carro a disponibilidade para pagar a vista. Hoje, á vista, se consegue ótimos descontos, eu diria, surpreendentes.

    • Eu ja comprei um carro de locadora, no caso da própria Localiza. Era um Celta com AC que tinha um ano de uso e 23mil km.
      Era o que eu precisava na epoca: um carro barato, pago a vista e eu ainda não tinha filhos.
      O carro veio com todas as revisões de ccs carimbadas no manual (me explicaram que as revisões eram feitas direitinho para manter a garantia de fábrica sobre o carro), documentação paga do ano seguinte (comprei o carro no fim do ano), mais uma lista de itens revisados pela própria Localiza para venda: alinhamento, balanceamento, troca de óleo, filtros, palhetas e conferencia de freios, escapamento, vedações, etc…
      Nao tive nenhum problema com o carro durante o período que fiquei com o mesmo e quando o vendi também não foi questionado o primeiro dono (nem sei se a pessoa olhou isso direito).
      Hoje eu procuraria veículos de locadoras sim, mas não pra esse segmento de entrada, pois concordo que o perfil do locador é de ralar muito o carro sem do nem piedade, mas para os veículos médios e acima, seria uma opção.

    • Amadorismo do redator da Quatro Rodas, que deve ter sido congelado e passou os últimos dez anos hibernando criogenicamente e não notou que o branco é a corzinha da moda… rs

      • O branco é moda, mas custou a ‘pegar’ aqui em BH,
        pois aqui branco = taxi.

        Hoje já vejo vários carros brancos (sem ser taxi) nas ruas,
        mas não é do mesmo jeito que em outras cidades.

          • Aqui onde moro, zona industrial, muito carros são locados (geralmente placas de MG e PR).
            – Todos os carros são completos e pratas.
            – Sandero/Logan são 1.6 com MediaNav;
            – Ka na versão intermediária tem aos montes, assim como Uno;
            – Doblô, completa, 1.4 de 7 lugares;
            – Hilux e Amarok têm muito também.

            Quando vejo alguém feliz com seu ‘seminovo’, Prata, com placas de MG ou PR, dá uma dó… Não porque comprou o carro sem saber que era de locadora, mas porque as concessionárias de usado daqui, compram carro de locadora e revende a preço de tabela, como se fosse um usado adquirido de um particular… Aí é que me doi.

      • Melhor negócio possível… pega desvalorizado, pouco rodado, geralmente versão completa, imposto e emplacamento pagos, com revisão e sabendo da procedência.

        As vezes tem algum detalhe de pintura, mas coisa simples e geralmente o carro é mega revisado e com possíveis problemas de montagem sanados, pois é vitrine.

        Meu atual peguei assim e veio do jeito que queria custando por baixo uns 5k a menos do que se tivesse tirado 0km – só a cor que não deu pra escolher e é uma que talvez não escolheria se tivesse pego 0km

        • Em 2009 eu comprei um Polo Comfortline de Test Drive com 2.300km rodados em uma CSS VW aqui em SP. Fiquei 3 anos com o carro e cai na burrada de trocar por um Kia Cerato (ufff). O carro não tinha nenhum detalhe, e ainda veio com retrovisor fotocrômico e ar condicionado digital. Paguei na época R$ 41.000,00, se não me engano…

        • Cara, por 5 pilas eu nunca que pego usado. Ainda mais de test drive. Faltou peça e cliente com pressa? Tira do test drive e depois a gente repõe. Fora que todo neguinho que liga o carro sai fritando pneu com motor frio, para ver se o “carro anda”. Acho que eu ainda prefiro de locadora do que test drive.

          • Bem, eu valorizo minha grana, não acho mal negócio, esses 5k me paga uns 2 anos de seguro ou 1 ano de seguro + revisões e manutenção durante uns 3 anos.

            Cada um pensa de uma maneira.
            Como se carro 0km fosse imune de defeito e usados fossem verdadeiras bombas

      • Eu quero saber a sorte que eles têm de achar um bom preço em test drive, porque meu primo tava negociando um fusion titanium 14/15 da ford aqui na minha cidade (era tão mico, que, em um ano, tinha só 600km), e eles pediam o preço da fipe, sem nenhum centavo a menos

          • A Wolks também é bem ruim! To negociando um UP Tsi por 41/42 mil, mesmo sendo 15/15, pois a vendedora mesmo me confessou que o carro tá empacado lá há meses, mas só querem abaixar 1 mil dos 45.

            • Pode ser regional isso… (Ford é à nível Brasil mesmo). Mais acima, o Gabriel Vieira disse que chegou a comprar um Polo numa condição interessante na época.

              Gosto da Ford, já tive um Focus MK1 (1.6 Zetec Rocan, comprado zero) mas tem algumas concessionárias da marca que eu vou te contar, viu…

              • É porque ela não tem concorrentes. O mais próximo é em Teresina, 400 e poucos km daqui de São Luís. Esse carro é tão mico aqui, que vejo mais jetta e tiguan do que ele. É postura de amador mesmo dessas concessionarias.

              • Eu não sei, na VW eu consegui negociar pouco ou quase nada, mas ficou próximo da FIPE da época, cerca de R$ 1.500,00 à menos. No final, compensou bastante pq não paguei o IPVA nem emplacamento e documentação. O único Ford que eu tive foi meu valente Escort Hobby 1996 pelado (com afogador!), meu primeiro carro… depois, nunca mais! kkkkk

    • Sei não hein… um tempo atrás num test drive vendedor me disse o seguinte: “pode passar dentro daquele buraco ali pra ver como a suspensão é boa”. Detalhe, carro de mais de 100k e o buraco não era dos menores. Óbvio que preferi desviar do buraco pq não havia o menor sentido naquilo. Mas fico imaginando quantos clientes não seguiram a instrução do vendedor.
      Pode ter sido um caso isolado, mas prefiro não arriscar.

      • Carro novo pode ter caído da cegonha ou sofrido dano e ser arrumado e vendido.
        Carro de particular pode sofrer da mesma forma…
        Não existe 100% mas obviamente é necessário avaliar o carro antes da compra

  • Já tive dois carros comprados da Localiza, sendo que um deles ficamos quase 6 anos em casa, sem nunca dar problema. Inclusive demos ele de entrada em outro carro da Localiza, e foi muito bem avaliado.
    Carro de locadora está sempre com a manutenção em dia porque não pode parar. Todas as revisões são em concessionária e não fazem gambiarra com os carros, coisa que particular pode fazer e o comprador só descobrir depois.

  • O duro é dar azar e pegar um popularzinho, que foi usado por empresa de telefonia. Esses caras realmente detonam os carros. Só vale a pena, se estiver muito barato.

  • Nesse caso, é importante separar os carros de locadora em dois grupos: os populares e utilitarios e os médios pra cima.

    Os “médios pra cima” pode comprar sem medo. Costumam estar melhores e mais bem tratados que carros de particulares. No final de 2013 eu quase peguei um Focus 11/12 com 30 mil da Localiza que estava perfeito, inclusive com pneus 0km.. Tinha acesso à empresa que cuidava da manutenção dela e esta era bem rigorosa. Nas revisões, trocava tudo que um particular deixaria passar.

    Ja nos populares, que fatalmente ficavam em frota de empresas, to fora!

    • Ou carro médio/grande de frota de empresa que fica com diretores e/ou motoristas – os que ficam na lida do dia dia e que são populares são furada ao meu ver também

      • Conheço 4 pessoas que compraram carros populares de locadora, Um Sandero, um Palio Fire e dois Unos.

        Todos ainda em perfeito estado, assim como o Megane que é do meu avô.

        • Bom saber… eu tenho certo receio com carro de locadora, confesso, mas mudaria de ideia caso me provem que vale a pena.
          Tem que saber onde procurar e qual foi o uso prévio do carro pra não ter surpresas

  • Sei lá… passei várias vezes na frente de lojas da Localiza e, no geral, os preços eram mais caros do que em concessionarias de marca normais.
    Uma vez vi um Novo Uno da Localiza mais caro do que um 0km na própria Fiat

    • também não acho o preço tão bom assim.
      no caso de um conhecido foi vantagem, ele usou um carro de locadora por pouco mais de 1 ano e, quando mesma o colocou pra vender, ele mesmo comprou.
      É interessante, vc aluga alguns carros com mais de 30.000km e ainda estão bons, enquanto que outros com menos de 10.000km já estão com amortecedor e buchas estourados e cheiro de cigarro.
      Depende se algum cavalo dirigiu o carro ou não.

  • Mais uma vez caímos na velha discussão de se adquirir um “seminovo” ou usado. Ao meu ver uma puta de uma loteria… No entanto, a reportagem deixa bem claro, que o “negócio” é vantajoso por causa do preço mais baixo e para pessoas que ficarão com o carro por um bom tempo, ou seja, não estão tão preocupadas com a revenda. De qualquer forma, não deixa de ser mais uma alternativa pra quem precisa de um carro mais novo, mas não necessariamente zero.
    Só posso desejar boa sorte, para quem se aventura nesse tipo de “negócio”.

      • Desculpa, estatisticamente a probabilidade de dar problema em um recém saído da concessionária é menor (Na verdade, se pensar bem carro zero não dá problema. Cruzou o portão da concessionária é usado!) e ainda tem a questão da garantia. Em um carro zero você pode ter problema de fabricação e esse problema fatalmente estará nesse carro quando usado se não for consertado. Já no carro usado, além do problema de fabricação poderá ter o problema de mau uso, possibilidade que inexiste no caso do zero. São duas possibilidades contra uma, sendo que no caso do zero ainda terá a garantia.

        • Realmente, as estatísticas estão a favor do novo. Mas como disse acima, também não deixa de ser loteria.
          Não se esqueça que aqui no Brasil o pós-venda de muitas montadoras dá muita canseira em consumidor.
          Enfim… loteria ;)

          • Eu mesmo estou em um barco muito mais perigoso: Caçando meu carro via OLX, Mercado Livre, Bom Negócio… Porque são nesses lugares que estão os verdadeiros “negócios da China”. Mas o risco é altíssimo. Já vi caso de compradores e vendedores serem vítimas de assalto em uma suposta visita para comprar o carro. Você quer um carro que tem preço de Fipe de 20, você acha razoavelmente fácil por 18? Lá você acha por 15, 14. Pode ser golpe? Pode ser sim. Mas você só vai ganhar de verdade em uma compra em lugares assim ou com alguma situação crítica, como proprietário com doença, indo viajar, pagar fiança para familiar…

            • cara, procure em sites de repasse também.

              Olha esse:

              repassegaucho . com . br/cidade/repasse-de-veiculos

              Vários lojistas do RS compram desses caras, eles são confiáveis, porém é só a vista, financiamento por exemplo tem que ser tirado por fora e geralmente os carros estão bem abaixo da FIPE pois são carros que donos entregam em CCS no Brasil todo.

              • Estou vendo a questão de repasse também. Na verdade é tão “confiável” quanto o esquema que estou vendo (Com uma diferença: Você não tem que se deslocar até um lugar ermo escondido para ver um 206 CC em perfeito estado por 15 mil reais) pois as lojas não dão garantia. Só informam se o carro chegou rodando ou não.

                  • Eu uso a seguinte regra, do mais confiável para o menos confiável

                    -Carro zero de concessionária
                    -Carro zero de estacionamento
                    -Carro usado de conhecido
                    -Carro usado de estacionamento
                    -Repasse
                    -Particular via Webmotors
                    -Particular via Mercado Livre, OLX….

                    O melhor negócio é aquele que não te dará dor de cabeça e suprirá sua necessidade. E isso você pode encontrar em qualquer deles… Mas negócio bom mesmo, onde você levará vantagem e o vendedor saíra satisfeito com a necessidade dele, só no último e antepenúltimo.

                    • Eu uso a seguinte regra, se for usado (não concordo com o termo semi-novo), antes mesmo de saber o preço, pergunto se tem histórico de revisões e peço para levar em mecânico para ver o estado geral, partindo disso estar ok, ai se negocia o valor. Carro 0km a regra é assinar o cheque e rezar pra não ter nenhum problema oculto hehe

                    • O problema é exatamente “levar no mecânico”. Muitos não tem tempo para fazer isso. Eu mesmo estou pensando em ir ver um carro em Santo André, morando em Campinas e trabalhando em São Paulo. E pelo menos nos mecânicos que levo é sempre a mesma história: “Compra, traz aí que a gente vê como está”. Depois que assinou o cheque já era! Mas a supervisão vou fazer questão de pagar. Melhor gastar 150 reais e não ficar com o carro do que gastar dez vezes isso com problemas de documentação.

                    • manda o dono trazer no teu mecânico, ele quer vender kkkk

                      Mas é complicado mesmo, já tive esse tipo de problema, o ideal é mecânicos que funcionem aos sábados. kkkk

                    • Esse é um dos problemas. Meu mecânico em Campinas é presbiteriano (Acho que é essa igreja evangélica que “respeita” o sábado, não é?). E o de São Paulo não sai de onde está. E se eu disser os carros que quero ele não vai querer me ajudar! hehe

                    • é, dai fica difícil, mas de repente leva o carro numa oficina grande na própria cidade e veja o que tem pra fazer, as vezes clientes novos recebem melhor tratamento.

  • Incrível como a QuatroRodas, autora do texto, parou no tempo. Texto fraquinho, fraquinho, cheio de lugar comum, tipo uma “Veja” dos carros.
    Achei legal a possibilidade de “alugar” o carro por dois dias antes de comprar, acredito que dê para levar em oficina ou perícia e ver o estado geral, nenhuma loja dá essa possibilidade.
    De resto, eu acho muito arriscado. Evitaria ao máximo.

      • Não é para menos, a ABril é um típico caso de uma empresa que parou no tempo confiando cegamente num “público fiel” que foi se pulverizando.

        • Abril tentou se modernizar e atuar em outras áreas, mas falhou miseravelmente.

          Talvez a organização como um todo seja morosa, ainda mais com certo poder concentrado na família Civita (que deixa tudo mais mambembe).

          Nem poder de influencia os títulos deles tem, Veja tem uma imagem desgastada e acredito que faturamento publicitário da mesma seja bem aquém de outros tempos

          • 90% não gostam do governo atual, a Veja bate no governo atual toda semana, então ela deve estar vendendo bem. Igual o Pingo nos Is da Jovem Pan, que é líder de audiência. Aliás, falta no Brasil uma emissora tipo Fox News, imprensa no Brasil é 90% com orientação à esquerda.

            • A Veja vende maravilhosamente bem para as secretarias de educação dos governos de SP, PR, GO e MS.
              Sobre a Fox, digite visita de Dilma a Wall Street Journal de propriedade de Rupert Murdoch dono da Fox News, garanto que se revogassem a lei que impede empresas estrangeiras de possuírem canais de TV aberta no Brasil não seria para falarem mal do governo

  • Muito melhor esses de locadora. Grande oferta de carros em ótimas condições. Preço melhor. Na dúvida, uma simples checada de mecânico ou funileiro te dá mais segurança. Já comprei e o carro era perfeito, ótimo por sinal.

  • Não é bem assim. Já tivemos um Prisma 1.4 Maxx aqui em casa proveniente de locadora pequena. Foi um bom negócio pois o carro era bem tratado por ela e meu pai, que tinha loja de usados na época, conhecia a procedência dele.
    Por outro lado, principalmente por locadoras renomadas, deve-se tomar cuidado redobrado, pois já trabalhei em uma concessionária há uns 5 anos e ela firmou uma parceira com, se nao for a maior, é uma das maiores locadoras do país, em que cansei de ver carros (celtas, zafiras e astras) com menos de 15.000km rodados mas com o interior todo acabado. Já vi até um celta com o console central solto e remendado. São carros que, boa parte, são locados por empresas e, quando pra particulares, utilizados pra grandes viagens de turistas. Não estou generalizando!
    Outrossim, uma coisa absurda que notei foi a revisão desses veículos, na qual eram apenas trocados o óleo e filtro de óleo, sendo que o manual obrigatoriamente indicava o filtro de combustível e o de ar pra ser trocados. Se eram trocados fora eu n sei, só sei que nem o 5w30 acdelco era utilizado, mas sim um BR 20w50 por custar pra eles R$ 14,00 e o acdelco era R$25,00.

    • “… São carros que, geralmente, são locados por empresas e, quando pra particulares, utilizados pra grandes viagens de turistas. Não estou generalizando!…”

      Na verdade está sim! heheh

    • Eu parto do princípio de redução de custo por parte das empresas. Se 1 litro de óleo recomendado pelo fabricante custa 20,00 e tem um similar por 18,00 qual deles a locadora vai usar. E outra , se a troca de um filtro não afeta o uso do carro por que trocar ? Empresa grande trabalha com calculadora , quanto mais barato melhor. Ainda mais sabendo que o carro vai ser vendido logo.

      • Seu comentário está certíssimo mas não se adequa ao meu exemplo. No caso citado, NÃO eram trocados os filtros de combustível e de ar do motor. Dois itens de extrema importância nas revisões face à nossa mijolina e poluição dos grandes centros. SÃO ITENS OBRIGATÓRIOS PELO FABRICANTE. Outrossim, o óleo recomendado é o 5w30, quase um suco, enquanto o 20w50 Utilizado parecia um mel de tão viscoso. Motores novos necessitam de óleo de baixa viscosidade, pois ainda não têm folgas mecânicas como os motores velhos, e isso acaba afetando outras peças do motor, como tuchos. Economia sim! Enganar o povo, não! O que fazem com esses carros é de uma irresponsabilidade sem tamanho!
        Abç!

  • Não acho que compense muito, fui dar uma olhada no site da Localiza para ver o preço de alguns seminovos, e não vi uma diferença considerável no preço…na maioria dos casos é uma diferença por volta de 2 mil, e em outros é possível achar de particular e CSS mais em conta até. Nessas condições não vale a pena correr o risco, se a diferença de preço fosse na casa de uns 4 ou 5 mil até valeria a pena.

  • Não existe “seminovo”, isso é invenção de vendedor de carro pra tentar justicar o preço de um veículo com poucos anos de uso. Já vi vendedor cara de pau chamar carro com quase 50.000 km de seminovo.

  • Olha, eu não compro carro para revender. Mas quando chegar essa hora, esse carro não vai valer menos que um que nunca tenha sido ‘de aluguel’? Num check auto da vida é fácil ver isso…

  • fiquei 5 anos com um carro comprado da localiza, sem nenhuma dor de cabeça
    agora peguei um carro que era usado, segundo vendedor, por gerente/diretoria da VW do Paraná, esse também é outro que não tive nenhuma dor de cabeça até agora
    Mas da mesma forma que você paga mais barato você vende depois mais barato, enfim..
    De qualquer forma pra mim está compensando.

  • Os únicos modelos que vejo maior vantagem financeira são os médios… Os populares, além de normalmente estarem mais rodados e mais judiados, os preços praticados não são mais baixos que o mercado…

  • Eu aluguei uma Fiat Strada ontem, 17.000km rodados, eu pensei que estava com 100.000 não tinha cheiro de carro com 17k um e o câmbio parecia solto. Acho uma aventura comprar carro de locadora…

  • Bom, vou me colocar de alvo de pedrada, mas minha oinião é a seguinte:

    Carro de locadora é uma péssima opção. Simplesmente péssima. Quem aluga carro via de regra não está nem aí, anda com o giro no talo a todo momento, brinca de trator com o veículo em valas, lombadas, buracos entre outras anomalias do nosso asfalto. E vale sempre ressaltar, o carro é devolvido abastecido sempre no pior posto possivel. Pior que carro de locadora, só carro de empresa de manutenção (telefônica, de TV a cabo, de água etc).

  • Em 2006 comprei um Palio Fire 2004/05 da Avis, com uns 15.000km rodado, fiquei com o carro um tempão, vendi com 128.000km, e nunca deu dor de cabeça. O negocio é fazer como se faz comprando de um particular, leva no mecânico de confiança, e tem de tomar os cuidados necessários ao se comprar um usado.

  • Eu comprei um fox anos atrás da locadora unidas, com 30 mil km, embora o carro visualmente estava ótimo, passado alguns meses percebi vários problemas que me davam raiva, barulho no motor, consumia óleo igual água, partida em dias frios nem pensar mesmo com o reservatório abastecido, chuvia e entrava água dentro, chave codificada parou de funcionar, entre muitos outros. Nunca mais compro carro de locadora.
    No manual não fizeram nenhuma revisão nele e na propaganda diz que todos os carros são revisados.
    Tudo enganação só pra vender e depois nem adianta levar os problemas na loja que eles não estão nem aí.

    • o problema não era locadora, mas a marca VW.
      Meu pai teve um gol g3 e depois um fox 2008. Ambos tirados 0km mas que deram muita dor de cabeça e gasto de manutenção. VW na casa dele nunca mais.

  • Já comprei um Gol quadrado usado de uma locadora pequena, pertencente ao mesmo grupo de uma concessionária que fechou no Rio e dei uma tremenda sorte. Foi um dos melhores carros básicos que tive.

    Não estava muito rodado e acho que justamente por isso que a locadora acabou… :-)

    Quilometragem alta em carro com apenas 1 ano pode significar que rodou muito em estrada e isso é bom para o carro.

  • Quando eu estava procurando um carro usado eu vi anúncios da localiza e me interessei em um corolla. fui ver o carro na localiza que tem no recreio (RJ). chegando lá vi que tinham vários corolla e entrei para ver alguns deles e o preço estavam coisa de 500 reais mais barato que nas css e lojas.

    o interior dos carros tinham manchas de sujeira nos tecidos dos bancos e teto. e principalmente no modelos “brad pitt”. a tampa porta treco que fica em frete ao cambio eram muito frágeis, a tampa saia na sua mão quando puxava. e resto aparência normal.

    perguntei se esses carro poderiam ter sofrido alguma batida e prontamente o vendedor disse que não. então solicitei para olhar o motor de um deles. abriu o capô e logo de cara vi nas partes plásticas pretas perto dos faróis cheio de respingos de tinta da cor do carro. são respingos de que foram pintar os para-lamas ou para-choque e não cobriram com papel ou jornal o motor então as partes plásticas pegam partículas de tinta e que bastava uma limpeza melhor ou uma esfregada para que esses respingo fossem retirados. pois plástico sem primer a tinta não adere e solta com pouco tempo. ou seja, esse negócio de carro nunca foi batido não me convenceu, agradeci e sai de lá.

    nunca mais entrei em nenhuma locadora para perguntar nada. pois a experiência de tentar pegar um carro que teoricamente era de nível superior foi assim, imagina com frota de empresa.

  • Comprei um prisma de locadora com 60 mil km e vendi com 160 mil e não tive nada mais que manutenção periódica e troca dos materiais de desgaste normal. Um amigo tbm comprou um gol e esta na mesma situação.

  • Eu não teria coragem. Pra quem já viu como um amigo (des) trata carros alugados… E. O povo das Locadoras já são excelentes maquiadores dos problemas. Teria q ser algo muuuuuuuuuito abaixo os preço de mercado e ainda assim pensaria 10x

      • conheço gente da localiza, eles ficam 10 meses com o carro e vendem por exatamente o que foi pago à montadora ( com os gordos descontos que ganham ), o lucro mesmo é o aluguel entre esses meses

        e com no máximo um ano tem que vender, papo de já terem vendido fusion com menos de 1.000 km… tem que saber garimpar

  • Já comprei carro de locadora , um Gol da Localiza e posso dizer que tive sorte, pois apesar de quase 50 mil de quilometragem estava super conservado. Durante 2 anos não me deu nenhuma despesa com oficina e só veio dar problema da embreagem com quase 90 mil rodados. Rodei com ele até 120 mil e ainda parecia novo. Durante 3 anos apenas manutenção preventiva (óleos, fluidos, pastilhas) e nada mais. Depois fiquei sabendo que as locadoras mantem o carro todo revisado durante a garantia e geralmente vendem com até 1 ou 2 anos de uso, sendo melhor do que muito carro “de procedencia” por aí. Podem jogar pedra, mas achei super vantajoso.

  • Estou no meu segundo carro comprado de locadora, o meu ultimo que é um Cobalt comprei com dois anos de uso e 33 mil km da Localiza, e até agora já faz 1 ano e não tenho nenhum problema, todas as revisões foram feitas em concessionária Chevrolet, fora o estado geral do carro que estava praticamente novo.
    Mas isso pode ter sido sorte, comprar carro usado é complicado mesmo, sempre vai existir a duvida de como foi o uso o cuidado do dono anterior, fora quando não aparece os temidos problemas.
    Mas ainda prefiro arriscar.

  • Optei por comprar um Fluence (Dynamique) com 22.000km de uma locadora de renome em Fevereiro deste ano. Na tabela FIPE estava pouco mais R$ 57.000,00. Fechamos por R$ 52.000,00 (À vista) – Preço de venda: R$ 54.000,00. Todas as revisões feitas na concessionária e o carro ainda esta na Garantia de fábrica até Agosto de 2016, informada por Autorizada aqui da cidade quando da manutenção de 30.000km. O carro veio faltando uma peça de acabamento (suporte do cinto de segurança traseiro), mas foi resolvido pela própria empresa ofertante. Outro porém foram retoques na pinturas (oriundas de pequenas colisões/raspões) mas, de uma maneira geral, estou satisfeito.

  • Podiam fazer matéria sobre carros de repasse.

    Há carros sendo vendidos por bem menos da tabela fipe, são carros que donos deixam para troca em CCS e a CCS repassa a vendedores.

    Tenho como exemplo esse site:

    repassegaucho . com . br

    Nunca comprei assim, mas seria interessante o pessoal mais “entendido” explicar o sistema e seus possíveis problemas.

  • To Fora! Tenho dois amigos que compraram na localiza e ambos receberam carros reparados, o primeiro comprou um celta prata que depois de um tempo viu que o para-choque traseira era de outra cor por baixa da tinta prata, o outro foi um voyage que tinha tanto a frente quanto a traseira com para-choques de outra cor repintados pra ficar diacordo com a pintura original. Imagina o que eles devem fazer na parte mecânica. prefiro comprar no particular que tenho confiança.

  • Tem carros que só uma pessoa rodou ex quando uma empresa loca para funcionários que trabalham com vendas e supervisores, e nem sempre rodam muito, mas o grande problema é que a maioria das locadoras fazem a primeira revisão na concessionária e o resto fora isso perde a garantia de fábrica.
    Hoje os carros tem 3 anos de garantia se pegar um carro com 1 anos de uso e a locadora der a garantia dela de 1 anos ainda perde muito pois o carro costuma a dar problema com 2 anos e acima de 60 mil km.

  • Os novos carros a venda nessas lojas até que sao bem cuidados, até fui ver uns 10 dias atrás, mas nao dá, o carro fica marcado pela placa que foi de locadora, da mesma forma que voce paga 3, 4 mil a menos nele, na hora de vender, será a mesma coisa, só que para pior.

    Por fim, prefiro pegar de uma agencia comum e o carro de minha cidade, ou de um particular, se for pra escolher usado.

    Se os carros nao tivessem essa marcação de placas e a desvalorizaçao que se fazem ao saberem que era de locadora, a história seria outra.

  • Eu tive um Gol G4 do grupo Júlio Simões , ano 2012 , peguei com 38 mil kms rodados , vendi com 46 mil kms rodados .. estava em estado de novo , quando fui olhar , tinham mais 4 na loja iguais , esse era o melhor . Os amortecedores ainda faziam barulinho de novo quando vendi . Depois dele peguei uma Strada 2011 de particular que estava soh o caco , tive que gastar 2 mil reais em suspensão pra ela ficar em condições de uso .

  • O que eu mais vejo aqui na periferia que eu moro são Fiestas/Celtas/Palios pratas adquiridos de locadoras, acho que raramente dão problemas aos proprietários.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 12 anos. Saiba mais.

Notícias por email