Matérias NA Mercado

Carros automáticos usados

Carros automáticos usados

O mercado de carros usados possui várias opções de carros com bom preço, entregando conforto, segurança, custo de manutenção adequada e uma performance boa para sua proposta, mas que também oferecem um item importante hoje em dia, o câmbio automático. Para quem quer comodidade, esse tipo de transmissão é fundamental e hoje está em alta.


Mas por que comprar um carro usado automático? Conforto. O câmbio automático é hoje uma alternativa muito boa para quem quer um carro de segunda mão que ofereça um pouco mais de comodidade. Além disso, existe o fator preço. Como os carros novos estão com preços cada vez mais altos, é importante valorizar o dinheiro gasto na compra de um carro, especialmente usado, com um carro mais completo e que torne a opção mais equilibrada.

Mesmo assim, nem todo mundo busca um carro de segmento superior e sim um modelo prático, com bom espaço e motorização adequada. Outros, porém, necessitam de um utilitário esportivo para vencer ruas e estradas esburacadas, alagadas e lombadas enormes, além de precisar de um espaço interno bom, conforto, performance e porta-malas condizente.

O sedã médio também é outra opção considerável de segunda mão, visto que é um tipo de carro que atrai pelo visual, status e dirigibilidade. Um monovolume, hoje raro quando zero km, ainda tem boas opções no mercado de usados. Para famílias grandes, esse tipo de carro é ideal.


Num mar de opções, selecionamos 10 modelos de segmentos diferentes, todos com opção de transmissão automática ou CVT. Variadas, as opções abaixo são muito consideradas pelo consumidor que busca um carro usado com até 10 anos e bons atributos.

Confira então, 10 carros automáticos usados:

Honda Fit

Carros automáticos usados

O Honda Fit é um carro automático usado muito procurado, valorizado e que oferece um bom conjunto para quem busca praticidade, espaço, economia de combustível e uma performance adequada.

O monovolume da marca japonesa ainda pode ser encontrado com até 10 anos de uso na geração anterior, que tem como destaque o câmbio CVT com embreagem de partida, um sistema que torna esse modelo mais econômico que a versão manual, por exemplo. Na segunda, o câmbio é automático, mudando novamente para CVT na terceira, mas com conversor de torque. O banco com sistema ULT e ambiente ergonômico, são destaques.

Honda Civic

Carros automáticos usados

Um sedã médio que está na garagem de muita gente e que é muito buscado no mercado de usados é o Civic. Desde a geração oito, que conhecemos como New Civic, o modelo atrai olhares do consumidor com seu estilo arrojado, linhas sinuosas e boa performance.

Apesar de não ter muito espaço no porta-malas dessa geração, ele tem excelente espaço interno e design que chama atenção pelo painel análogo-digital em dois níveis, além de mecânica com motores 1.8 ou 2.0 (geração seguinte). Tem bom valor de mercado, manutenção aceitável e proporciona boa dirigibilidade e conforto.

Hyundai ix35

Carros automáticos usados

Um dos utilitários esportivos usados mais vistos nas ruas, o ix35 é um carro que ainda atrai interessados quando zero km e não é diferente nos de segunda mão. Seu design é ainda moderno e apresenta um bom nível de conforto, acabamento e equipamentos, tendo ainda bom espaço e porta-malas, assim como uma performance muito boa com o motor Nu 2.0 e a transmissão automática de seis marchas.

Os preços são bem atrativos e a manutenção é adequada. É bastante elogiado pelo conjunto oferecido e se tornou uma das opções de SUV mais importantes nesse mercado de usados.

Chevrolet Captiva

Carros automáticos usados

Outro SUV que é bem interessante, tem bom preço e opção sempre com câmbio automático, é a Captiva. O modelo importado do México ficou muitos anos no mercado nacional e pode ser encontrado tanto com motor 2.4 quanto com V6 3.6.

Trata-se de uma opção para quem quer mais performance no segundo caso e algo mais equilibrado na segunda. Com assistência em todo o país, por conta da rede Chevrolet, o modelo apresenta também bom espaço, porta-malas e acabamento, além de equipamentos em oferta considerável. É outra opção para quem quer ou precisa de um utilitário esportivo com ampla oferta de peças e serviços no mercado.

Chevrolet Vectra

Carros automáticos usados

Um modelo que tem muitos fãs é o Vectra. O antigo sedã médio da GM deixou saudades em muita gente, mas não por causa de seu estilo, mas devido às características de dirigibilidade, conforto e ,especialmente, performance.

Com bom espaço interno e porta-malas, o projeto desenvolvido no Brasil usava a base da Zafira e o design alemão para forjar um produto que ainda hoje chama atenção. Com preços atrativos e manutenção com custo adequado, o Vectra embalou muitos com seus motores 2.0 e 2.4, tendo ainda transmissão automática. Com o Cruze, muitos lamentaram.

Chevrolet Zafira

Carros automáticos usados

Ainda da fase “Opel” da GMB, a Zafira é uma minivan elogiada até hoje e que é a preferência de muitos que precisam de um carro para sete pessoas e não querem ou não podem pagar por um SUV de maior porte.

Focado na família, o modelo tem bom espaço na terceira fileira e quando com cinco, tem bagageiro mais do que suficiente. Provada e atestada pelo mercado, ficou 12 longos anos no país e tem ampla oferta de peças e serviços, não sendo difícil encontrar quem não mexa nela. Robusta, essa minivan é bem versátil, espaçosa e geralmente possui nível de equipamento muito bom. Seu motor 2.0 dá conta do recado.

Kia Sportage

Carros automáticos usados

O SUV da Kia é muito visto nas ruas em sua geração anterior e mesmo na atual. O modelo tem boa procura quando usado e parece ter caído nas graças de muitos, comprovando que o DNA do ix35 lhe serviu muito bem, assim como a garantia longa (5 anos), que certamente movimenta o mercado de usados.

Tem um design alemão e ainda mais atraente que o Hyundai, tendo bom espaço, acabamento e porta-malas, além de conteúdo satisfatório. O motor 2.0 com câmbio automático de seis marchas são suficiente para um desempenho correto. A segunda geração é irmã do Tucson e não tem muito apelo, além de ser menor.

Nissan Sentra

Carros automáticos usados

O Sentra é um carro que na geração atual chegou a ser o terceiro mais vendido em seu segmento, perdendo apenas para Corolla e Civic. Com preços bons, pode-se adquirir unidades usadas dessa geração, que ainda está em produção no México, tendo um bom motor 2.0 e a transmissão CVT “purista”, que confere conforto e economia.

Trata-se de um carro discreto e elegante, tendo ainda bom espaço, porta-malas e suspensão confortável. O acabamento também é bom. Já a manutenção é adequada para esse tipo de veículo, ainda mais por ser importado. É uma opção interessante para quem precisa de um sedã prestativo.

Toyota Etios

Carros automáticos usados

O Etios é um compacto que chama atenção pela dirigibilidade. Tanto no hatch quanto no sedã, o modelo da Toyota se apresenta bem ao volante, tendo boa estabilidade e comportamento geral bem neutro. No visual, ele é apenas prático e discreto, algo que alguns preferem até, por não chamar atenção.

Tem bom espaço e porta-malas, no caso do sedã, além de um painel central que não agrada a todos, mas que ficou melhor após atualização, quando passou a ser digital. Os motores 1.3 e 1.5 são suficientes, com o primeiro se destacando em agilidade. O câmbio automático poderia ter mais marchas, mas atende bem.

Volkswagen Jetta

Carros automáticos usados

O Jetta é outra opção que tem bons preços no mercado, em especial a versão 2.0 8V, que tinha câmbio automático também. Mas, com motor 1.4 TSI, a performance dá um bom salto. O primeiro é mais comedido, mas não ruim.

Tendo procura boa no mercado de usados, oferece manutenção adequada e tem bom espaço interno e porta-malas. É considerado por locadoras como “esportivo”, muito por conta da versão 2.0 TSI, que também tem bom preço e tem bom desempenho.

Carros automáticos usados
Nota média 5 de 1 votos

124 Comentários

Clique aqui para postar um comentário

  • Muito se fala do Honda Fit, mas acho que tenho uma unidade diferente em casa, pois realmente não me agrada nem um pouco, o primeiro de tudo a incomodar é por ser um carro extremamente baixo, pega em tudo quanto é lombada, o motor é muito fraco e no meu ponto de vista bebe muito!

      • Opa, olha eu aqui, defensor do Powershift, tenho um Focus e o mano um Fiesta, ambos Powershift, zero problemas até hoje, carros fantásticos, amo essa caixa e defendo com unhas e dentes, kkkk…

          • Kkkkk, bem assim mesmo, o Fiesta aqui é do mano, mas eu uso bastante ele, e vou contar, que carrinho delicioso, deixo ele na garagem e fico com saudade dele, vontade de pegar ele e dar no pé, deixar um bilhete pro mano dizendo a gente se vê no fim do ano, kkkk…gosto muito do Fiesta, potente, econômico, seguro, confortável, o do mano é hatch, Titanium, o único problema dele é porta malas pequeno e o acabamento interno que está longe de ser como o mexicano sedan, mas não deu problema algum também tipo grilos internos, plasticos com problemas, etc…essas fofocas todas que falam, o carro tá bem integro, bem firme, tipo carro zero km mesmo.

        • Bem isso mesmo, se não me engano as unidades problemáticas são de 2014 pra trás, e nem todas… Não sei se é o seu caso. Também os Peugeot/Citroen AT4 tem histórico de problemas, até que esse câmbio foi substituído pelo atual AT6 que parece bem confiável.

        • Vejo esses relatos positivos sobre o powershift como um idoso dizendo: “fumo desde a adolescência e até hoje nunca tive problemas relacionados ao cigarro”… Resumindo, sabemos que uma hora a casa vai cair hahaha

      • Eu comprei um Focus 2014 Titanium usado com esse cambio e, infelizmente, não tive sorte com ele. Apenas 20 mil rodados e o cambio dando defeito.. mesmo trocando embreagem e atuadores na CSS, dps de dois meses voltou a ter problema.
        Tive que me desfazer da bomba, mas com muita tristeza pq o caro era excelente (com exceção do cambio)

      • Engraçado, minha esposa tem um 2013, e realmente não me agrada, a não ser no ponto de manutenção, pois realmente não dá problema, mas poderia ter uma suspensão um pouco mais alta, um motor mais potente, pois pelomenos a versão 1.4 at é muito fraco, não acompanha 1.0 manual, e com isso o consumo sobe, aqui não passa dos 7.0 no etanol!

        • Hudson, tive das 3 gerações, e o seu (2013) é o pior fit dinamicamente falando, a meu ver, em se tratando das unidades automáticas. Bebe mais e é mais ruidoso. Só o acabamento, no meu modo de ver, é o melhor que o fit já teve. Mas o câmbio do civic não fez bem a ele, tanto que mudaram de novo em 2015. O fit fez fama em cima da primeira geração, que tanto manual quanto automático eram carros econômicos, ótimos de dirigir e com uma versatilidade imbatível. A atual geração tem o acabamento pior das 3, na minha opinião. Dinamicamente melhorou em relação ao seu com o retorno do CVT, mas depenaram o carro de uma forma inconcebível.

        • Lá em casa temos apenas um carro e que fica com a patroa (eu uso moto para locomoção casa/trabalho).
          Eu já gostei do FIT, mas cada vez mais estou de saco cheio dele. Já estamos com ele há 3 anos e acho que já deu.

          Semana passada fui de São Paulo para Angra dos Reis e peguei várias serras. Esse motor 1.4 é uma tristeza, chega a dar raiva.

          Mas o que mais me irrita nele é a dureza da suspensão. Cheguei a levar num cara de suspensão pra trocar alguma coisa e, depois de andar comigo no carro, o cara me diz: “Seus amortecedores estão ótimos, o Fit é assim mesmo”.

  • Nós tínhamos em casa 3 Vectras (um CD 2003/04 2.2 16v auto, um Elegance 2008 manual e um Elite 2010) simultaneamente, isso em 2015, vendemos os dois primeiros e compramos um Focus sedan Titanium Plus em 2015, ficamos com o Focus e o Vectra Elite, em 2016 compramos um Fusion, aí como faltava espaço para 3 sedans grandes eu coloquei o Vectra pra vender, pedi caro nele, raridade o carro, quase novo, ninguém comprou, aí levei o carro pra casa do tio no interior, ficou jogado até mês passado, aí consegui uma vaga aqui e busquei o Vectrão, 2 anos parado, mas analisando, não deve muito para nenhum carro atual, claro que falta tecnologia de Focus e Fusion, claro que não é econômico como eles, mas também não é beberrão não, anda bem, o câmbio auto antigo de 4 marchas até que não faz feio, mas enfim, analisando a fundo o carro, ele é lindo e ainda chama muito a atenção, principalmente o meu, prata, top, com teto-solar, 27 mil kms, zero ainda, tem um porta malas invejavel, boa estabilidade, itens de conforto e muita coisa mesmo, hoje a tabela dele é uns 31 mil, conseguiria agora pelo meu uns 35 ou 36 na hora, mas que outro carro se compra por esse valor?, nada, só carrinho de plástico, fico com ele mesmo, não vendo um carrão desses, ainda tá um bom caldo, não dá manutenção, o seguro e o IPVA baixaram pra ele, o que eu quero melhor né, kkkk…começei a investir, numa central multimidia top das galáxias, câmera de ré, sensor, jogo de pneus novos (pois estão ressecados) e vou mandar vitrificar com cerâmica a pintura, e deu. Carro excelente mesmo para quem quiser um sedan top e não quer gastar, outro dessa lista é o Civic, vale muito a pena, se achar um carro desses bem conservado é só correr pro abraço, melhor que popular pelado e apertadinho.

    • A primeira e segunda gerações dos Vectras ainda não fazem feio não. O problema foi o Vectra “nacional III”….. Quanto a Zafira, pena que usava um Auto de 4 marchas. A mecânica era bem dinâmica e eficiente no consumo.

    • Sai de um Fox 2014 ( Problemático) Para um Civic 2012 (EXS Top de linha). Aconselhei todos meus amigos abandonarem suas carroças, é outro nível de carro. Ainda tive a felicidade de pegar um com 40kkm rodado. revisado em CSS. Gastei na Primeira revisão R$300 reais usando tudo original comprado em concessionária. Agora recentemente gastei R$ 2.300,00 Trocando até água de radiador que era para ter trocado com 100kkm rodado. Hoje o carro tem 50k. Fazendo 7km no Álcool na cidade transito pesado e como moro muito perto do serviço, o carro nem aquece direito. Meu mecânico me passou que se não acontecer nada mais “grave” só troco óleo pelos próximos 3 anos do carro. Considerando uso severo trocas de 6 em 6 meses. Faço menos de 10kkm por ano.

      • Um carro com 50 mil km rodados você não precisa trocar fluido de radiador (a menos que esteja sujo ou com sinais de início de ferrugem). Tenho um Polo 2008/2009 com 53kkm rodados e o fluido do radiador ainda é o original e está em perfeitas condições (só precisei completar 300ml umas 2x nesses quase 10 anos, o que é um consumo natural do sistema, pois demora mais de ano para baixar o nível da água baixar).
        Fluido da direção hidráulica idem, ainda está com a coloração original e não está sujo, então nem vou mexer… A única coisa que eu substituo rigorosamente a cada dois anos é o fluido de freio.

        • Troquei no meu por conta que sou chato e bem rigoroso com manutenção preventiva e não sei como foi a manutenção do outro dono. Como é um carro de + de 5 anos de uso e custo do galão Honda ser baixo, não pensei duas vezes. Não vai danificar o sistema, pelo contrário vai aumentar sua eficiência. ;)

        • Isso não é regra existe N fatores que podem antecipar a troca.

          O meu fator foi disponibilidade financeira e não conhecer histórico do carro. (O radiador dele é original porém já foi trocado). ;)

          • Se vc comprou usado e não tinha certeza se o fluido era original, a melhor coisa que fez foi trocar. Ideal é usar fluido original (evitar aditivos tabajara não homologado por nenhuma montadora – caso dos aditivos de polímeros tão divulgados nos canais de mecanica no youtube).

  • Me esqueci de citar o Jetta, não o modelo atual, mas o antigo, ví esses dias um Jetta 2.5, ano 2010, top, mas top mesmo, com teto, faróis originais de xenon, as rodas raiadas 17, etc…naquele azul marinho lindo da VW, o carro tava quase novo, acho que 50 e poucos mil kms apenas, estepe não rodou, integro, original, bem original, impressão que foi tirado da css hoje, unico dono, e estavam pedindo por ele 38 mil, achei barato, pois era um carro muito top e muito novo, vale o preço.

      • Se vc. olhasse esse Jetta azul marinho que vi, meu Deus, que carro lindo, acho que era carro de uns 80 e poucos mil em 2010 ou mais, e hoje por 38, vale, eu acho que vale, principalmente quando aparece esses exemplares, top, bem cuidados, com revisões feitas, unico dono, bem original (esse nem insulfilm tinha) nota fiscal, manual, etc…, acho que vale a pena um carro desses, um Onix 2013 sai por esses 38 mil também né.

          • Eu acho lindo esse Jetta e anda muito!

            Os dois problemas deles, para o meu caso, é que bebe tão bem quanto anda, já que os 5 cilindros capricham nesse sentido e a outra situação que eu já li e ouvi é que de vez em quando tem que abastecer com gasolina premium, pois ele não lida bem com a nossa péssima gasolina “comum”…

        • Toyota Bandeirantes beira o absurdo pessoa pedindo 40-50 mil em uma… Carro duro, desconfortável, freio ruim, nenhum item de conforto…
          Acho que justamente por isso as SW4 até 95 são tão valorizadas, tem mecânica robusta, econômica, tudo simples nada eletrônico, farta oferta de peças e o mínimo de conforto (Ar condicionado, vidro elétrico, 4 portas).. como disse antes não valem o que pedem, mas se tem quem paga mais por Bandeirantes e Jeep Willys…

  • Comprei um Fit 2016 usado sexta feira e vou te dizer, nunca mais quero colocar meu pé numa embreagem. É outra vida, me preocupo quanto a vida do câmbio, mas graças está cada vez mais acessível até a manutenção.

          • Um câmbio desses (na verdade qualquer câmbio aut.) quando quebra é uma nota para consertar… E se o profissional não for bom e errar alguma coisinha na montagem ou na troca das peças, vai dar problema novamente pouco tempo após o conserto.

            • Há uma tendência em baixar o preço da manutenção tendo vista que está se popularizando cada vez mais. Como você disse o segredo é abrir o bolso e já levar direto em quem entende, não aceitam gambiarra

              • Exatamente, tem que levar em alguém que já tem experiência de longa data com esse tipo de transmissão e gastar o que for necessário para ficar 100%, mesmo que seja caro… Se levar no mais barato e ficar fazendo gambiarra é certeza que terá que gastar 2x para refazer o serviço e no final das contas vai gastar mais e ter muita dor de cabeça.

  • “também tem bom preço e anda muito mesmo.”

    “Seu motor 2.0 dá conta do recado.”
    “O motor 2.0 com câmbio automático de seis marchas dá conta do recado.”

    Quem escreveu isso? Puta texto porco, concordo em termos com a lista, não é ruim, mas foi muito mal escrito

    • Eu não concordo muito com a lista. A câmbio da Captiva tem muitos relatos de problemas e o Etios poderia ter sido substituído pelo Prisma, Cobalt ou HB20S, ambos com câmbio AT6. E não dá pra deixar o Corolla de fora em nenhuma lista de carros usados. Nem é pelo carro em sim, mas pelo estado de conservação da maioria.

  • Já li em vários lugares que o câmbio da Captiva dá muitos problemas e o conserto é mais de R$ 20 mil. Tem certeza que esse carro é uma boa recomendação?

    • Segundo li a incidência é entre os modelos 2009 a 2012, lembrando que as Captiva mais antigas tinham ainda uma transmissão de 4 marchas. Outras versões dessa transmissão AT6 também deram problema em Spin e Cruze que eu soube, mas bem menos, e me parece que com as atualizações minimizaram as ocorrências. De um amigo trocaram o câmbio da Spin em garantia, então varia caso a caso. fato é que sempre há uma margem de defeito em qualquer automático, mas devem ser casos esparsos, e não frequentes. A transmissão AT4 do Vectra e família, por exemplo, em alguns casos dá o mesmo problema que a famigerada AT4 da PSA. Já vi correia metálica de CVT Mitsubishi estourar, e ela é prevista para vida útil inteira do carro. O que deve preocupar são os casos de defeitos frequentes que algumas marcas tem. Nesse sentido concordo que certos anos da Captiva podem ser problemáticos, e acaba prejudicando a imagem do carro no mercado.

      • Então você concorda que eles não deveriam indicar um carro que já teve problemas frequentes em alguns anos, não é? E ainda mais problemas no câmbio, que é a pauta principal da matéria.

        • Pois é, não sei bem se a frequência era no mesmo volume que o Powershift ou AL4, por exemplo, até porque a Captiva mesmo durando bastante mudou a transmissão, e perdeu bastante venda a partir das cotas do Inovar Auto (entre outros motivos), mas concordo que, ao menos para recomendar, poderia ser detalhado as versões.

      • Transmissão de 4 marchas da Zafira-Vectra-Astra é fabricada pela japonesa Aisin. Quando trocado óleo na km correta ela é bem durável (gasta-se menos de 180,00 na troca). Heresia comparar com a francesa AL4…

      • Já li que o problema do câmbio da captiva é uma bendita mola. Em sp tem uns caras que trocam essa mola por outra mais resistente e acaba o problema do câmbio

    • Cuidado com as generalizações. A Captiva, dependendo do ano, teve várias versões, com diferentes motores e câmbios.

      Tive uma 2.4 com 185 cv e câmbio automático já com 6 marchas, da última geração do modelo. Esta não tem problemas de câmbio e o motor é nais econômico.

      As versões V6 3.6 é que são menos indicadas porque esse motor bebe demais e o câmbio de 4 marchas apenas recebe um torque violento, sofrendo mais desgaste.

      • Não generalizei, só acho que eles deveriam especificar o ano e o motor. Não dá pra recomendar nenhum carro com o powershift, portanto, tem que ter sempre essa ressalva quando for indicar um carro da Ford que tenha esse motor.

        • A minha com câmbio de 6 marchas foi pro pau. As 2012 em diante corrigiram o problema de uma peça interna subdimensionada no câmbio foi resolvida.No mais: carrão!!!

  • Vou deixar duas perguntas sobre esta lista até porque eu tenho interesse em pegar um AT este ano.

    1 – Chevrolet Captiva: boatos que o câmbio AT dá boas dores de cabeça. Não é verdade?
    2 – Sentra oferecer conforto, duvido em nada. Mas ouvi falar que ele bebe e muito! Alguém tem/teve e ou sabe a média dele na cidade? Eu ouvi/li que fica entre 7 km/l e 8 km/l na cidade…

    Sportage, Zafira, Vectra, Jetta e IX35 devem sofrer do mesmo mal do Sentra, beberrões.

    • A reportagem podia citar o número de marchas. Na época imperavam os câmbios de QUATRO velocidades. Não dá para esperar bom consumo…ainda mais se levarmos em conta que hoje os automáticos possuem 5, 6 e até oito marchas.

      • Concordo com você @observadorcwb:disqus , mas na lista que eu citei, somente Zafira e Vectra são quatro marchas, os outros ou são 6 ou CVT. Mas o Sentra é o que mais me chama a atenção, porque mesmo sendo CVT, eu li e ouvi que ele bebe muito.

        E com a gasolina passando fácil dos R$4 o litro, não tem como manter um beberrão em casa…

    • Meu chefe tinha uma captiva, cobraram 12 mil pra arrumar o cambio (na css), ele conseguiu arrumar por metade numa oficina e passou pra frente… Quanto ao Sentra, meu primo tá no segundo, ele fazia por volta de 9,5/10 na cidade, enquanto meu antigo 408 fazia a mesma coisa com cambio 4 marchas

    • Tenho um Sentra SE CVT 2012/2013, da geração anterior (que é mais pesado). Considerando que consumo é influenciado por vários fatores, mas vamos lá: o meu com álcool faz 6 km/l na cidade e 9 km/l na estrada, com gasolina faz quase 11 km/l na cidade e já chegou a fazer 14,5 km/l na estrada, na Dutra, com 3 passageiros, porta malas cheio. Considerando trânsito urbano mediano, com ar condicionado em 50% do tempo, e estrada na faixa de 110 km/h, com ar ligado, e normalmente porta malas cheio ou quase, e 3 passageiros. Realmente com álcool não compensa, tenho usado agora porque no preço aqui na região está favorável, mas a autonomia baixa incomoda. Antes tive um Vectra GT que era manual e consumia igual, imagino o automático. Tem um Elite 2.0 de frota que na estrada com álcool nas mesmas condições não chega a 9 km/l, e com gasolina faz 12 km/l, isso só com o motorista. Uma colega de trabalho tem um Sentra 2014 (geração atual), gasta um pouco menos em situações semelhantes.

      • Oi @disqus_3drZlA09Uq:disqus ! Obrigado pelo seu relato.
        Estes número na cidade são em situações críticas do trânsito? O famoso “arranca e para” ou com maior fluidez?

        Me interessei por Sentra, Fluence e Civic, mas com o preço do combustível nas alturas, não tem como manter um carro que não faço ao menos 8.5 km/l na cidade, com trânsito pesado, claro. Apesar de eu normalmente fugir do trânsito pesado, é importante ter em mente o pior cenário.

        Abraços!

        • @disqus_TItw2s8zJy:disqus Leonel, eu consigo fugir um pouco do rush pelos meus horários e trajetos para o trabalho, diria ser trânsito mediano. Em trânsito mais pesado urbano não tenho média correta com álcool, com gasolina fica nessa faixa de 8,5 km/l. Considere que o relevo também não é extremo, nem acidentado, nem plano. Especificamente no Sentra, depois que pega o jeito do CVT, vc aprende tanto dirigir de forma bem econômica (usa o cutt off e ainda o câmbio alonga bastante e fica quase em marcha lenta boa parte do tempo), quanto consegue andar rápido sem aquela sensação estranha de lag entre motor e câmbio. Basta acostumar e ignorar certas avaliações superficiais de algumas publicações. Não conheço outros CVT para dizer, mas no meu caso estou satisfeito. Claro que não é um carro voltado para o desempenho, mas ele está lá sim, é só saber usar.

          • Bacana @disqus_3drZlA09Uq:disqus ! Obrigado pelo relato.
            Nem busco um carro com alta performance e sim que tenha uma economia razoável, seja automático e ofereça bom espaço.

            O meu atual é 1.0 aspirado, então, 1.6 ou superior já apresentaria uma diferença bem sensível de “força”.

      • Então @Wolf_hoffman:disqus eu perguntei mais para confirmar, nunca havia me interessado por ela efetivamente. Eu olhei CR-V e IX35, mas a primeira deu uma guinada nos preços. Mesmo modelo/ano subiu R$5 mil, R$10 mil se comparado há alguns meses atrás, não sei explicar.

        E a IX35 bebe muito. Vi relatos de 6 km/l à 7 km/l na cidade, incabível nas atuais condições do mercado e de projeção de novos aumentos.

        • @disqus_TItw2s8zJy:disqus Sim, imagino pois hoje fazer 6-7 km/l é algo inconcebível. Hoje eu não me vejo longe dos compactos, primeiro pelo preço(motor econômico é muito caro) e depois pelo consumo mesmo.

    • Amigo meu tem a captiva V6, gosta muito do carro, mas o consumo assusta, mesmo tendo a função eco, ele só elogia o carro, única crítica que lembro é do porta malas, ele reclama que é pequeno.
      Ele roda pouco, acho que o carro nem chegou nos 20.000 km.

      • Honestamente @disqus_f1dafUZlqW:disqus, ainda prefiro o Civic ao Corolla. De qualquer modo, o preço do Corolla tem sido bem alto, mesmo usado. Imagina o Camry hehe…manter seguro, IPVA, combustível e etc, não é para o meu bolso, infelizmente (no caso do Camry).

    • Também já tive Sentra 2012, com CVT.
      Fiquei com ele até uns 95.000 km.
      Se voce quiser andar forte com o Sentra ele bebe bastante (menos de 7 km/l na cidade), afinal é um 2.0,
      Mas se você for do tipo tranquilo, que acompanha o fluxo normal do trânsito, consegue-se acima de uns 8.5 km/l na cidade. Na estrada, andando sempre perto do limite das rodovias, o Sentra faz uns 12,5 km/l (uma autonomia de uns 500-530 km até acender a luz de reserva).
      O Sentra é um bom carro. Nunca tive qualquer problema de defeito ou imprevisto, mas o ruim do Sentra para mim era o pós venda que exigia revisões caríssimas e o CVT que nas retomadas mais fortes, como nas situações de ultrapassagens rápidas em rodovias de pista simples, dá aquela desagradável sensação de embreagem patinando (o ponteiro do conta-giros sobe e crava na faixa vermelha, mas a retomada de velocidade não acompanha o ruído do motor berrando nas alturas).
      Não sei se os novos Sentras têm um CVT melhor. Escrevi com base no Sentra 2012.

      • Tive um 2010 que acho ser igual ao seu. Concordo em tudo o que falou. Na estrada cheguei a faze mais até (14,6km/l). Fiquei com ele dos 70 aos 102 mil km. Quando chegou próximo dos 100m km as manutenções começaram a ficar mais constantes e salgadas. Parece que os novos Sentras são equipados com um CVT melhorados ( nova geração ), mais econômicos e com uma tocada melhor. Mas em termos de conforto, era imbatível.

    • Cambio automático convencional (Não CVT e nem automatizados) não tem milagres no consumo (tanto faz 4 ou 6 marchas)… Em cidades como SP e RJ, vai oscilar de 6 a 8,5km/l (consumo mensal – não consumo instantâneo que alguns gostam de fazer – zeram o pc de bordo a cada esquina)

    • 2- Não tive um Sentra, mas tive um Fluence, que é irmão gêmeo do Sentra. Meu Fluence, na cidade, fazia com muito custo em trânsito moderado 7,5 a 7,8 km/l de mijolina. No etanol eu não sei, pois nunca usei. Na estrada fazia 10 a 11 km/l.

    • Leonel,
      tenho uma Captiva 2010 e não tive nenhum problema com o câmbio.
      Se esse problema do câmbio é boato ou não, não sei, mas até o momento está tudo OK

  • Já vou meu terceiro automático (Honda CRV, Peugeot 408 e Mitsubishi Outlander), TODOS comprados usados ou seminovos e nunca tive problema com câmbio automático.
    Deixar de pisar em embreagem e trocar marcha mudou até minha vida sentimental….kkkkkkkkkk

    • Tive 3 Corolas AT.
      Troquei todos eles perto de 100.000 km rodados.
      Nunca troquei fluido da transmissão deles e, olha que fazia todas as revisões nas concessionárias.
      Acho que não se troca o fluido da transmissão do Corolla, pelo menos até 100.000 km..

      • Troquei aos 80 mil km, que é o mais recomendado no caso do tipo dessa transmissão, pois pelo oq que a atual que é CVT precisa trocar já aos 40 mil km.

        • Eu tive 3 Corollas que troquei quando chegaram perto de 100.000 km.
          Sempre faço as revisões nas concessionárias, mesmo depois do fim da garantia e não me lembro de ter pago a troca do fluido da transmissão do Corolla.
          Se trocaram em alguma revisão, não custou valores muito altos a ponto de eu notar a diferença ou reclamar do valor.

  • Tenho um Palio comprado zero, e ficarei com ele o ano que vem todo, para só em 2020 trocar. Minha ideia é achar um Civic 14/15 EXR ou um Golf 14/15 Highline. Carro zero nunca mais!

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 12 anos. Saiba mais.

Notícias por email