Mercado Segurança

Carros caros com freio traseiro a tambor

elantra-700x391 Carros caros com freio traseiro a tambor

Algumas medidas de contenção de custos em automóveis podem passar despercebidas ao consumidor, mas outras ficam bem visíveis. Isso não agrada quem está pagando um valor considerável pelo veículo, pois pode até parecer desleixo por parte do fabricante, que visa economizar ao máximo para ter um bom lucro.



O uso de discos no sistema de freio traseiro geralmente está associado à veículos do segmento médio para cima, devido ao maior custo. No entanto, alguns fabricantes insistem em aplicar o velho tambor nas rodas traseiras, pois é mais barato e simples de montar. A economia fica mais visível quando o produto apresenta uma boa imagem junto ao consumidor, que imediatamente aponta o “defeito de fabricação”.

ford-focus-hatch-20-titanium-NA-53-700x466 Carros caros com freio traseiro a tambor

Um caso clássico era o do Hyundai Elantra. O sedã médio sul-coreano chegou ao Brasil com motor 1.8 de 148 cv (e não 160 cv como dizia o importador) e custando entre R$ 80.000 e R$ 90.000. Caro, o modelo apresentava tambor nas rodas traseiras ao invés dos discos, que só apareceram quando surgiu a versão 2.0. Outro coreano, o Tucson, ganhou discos traseiros muitos anos após ter chegado ao Brasil.

Na Chevrolet, o Tracker é outro que chama atenção nesse quesito. O SUV compacto da GM é importado do México e vendido aqui com motor 1.8 Flex de até 144 cv. No entanto, o freio traseiro ainda utiliza lona para funcionar. Detalhe, ele é vendido em versão única por R$ 80.096.

chevrolet-tracker-2014-4-700x466 Carros caros com freio traseiro a tambor

TR4, EcoSport e Duster também utilizam tambores no eixo traseiro. Pode até ser por causa de projeto de compacto, mas a VW Saveiro agora utiliza discos no freio traseiro, por exemplo, sendo igualmente um modelo compacto. Os chineses Lifan X60 e Chery New Tiggo desde quando chegaram aqui já ofereciam discos traseiros.

Recentemente, o Ford Focus Hatch atraiu a atenção de forma negativa ao oferecer tambores no freio traseiro das versões S e S Powershift, equipadas com motor 1.6, enquanto as demais opções oferecem discos traseiros. Mesmo o Sedan 2.0 S não escapou de ter lonas de freio na traseira. Estamos falando de carros que custam na faixa de R$ 70.000. Enfim, alguns fabricantes poderiam economizar em outras coisas, mas não em itens de segurança.

[Imagens ilustrativas]

Agradecimentos ao Gilvan Finatto pela sugestão.

  • Júlio Câmara

    Considerando: que o freio traseiro é responsável por – em média – 30% da capacidade de frenagem; são muito mais duráveis e baratos de manter, os carros em questão não são esportivos e que não vi nenhum relato de deficiência de frenagem desses modelos (os desempenhos de frenagem se revelam similares), posso concluir que são adequados, representando na verdade vantagem ao consumidor, que pagará menos na manutenção. Em um carro de alto desempenho, os discos seriam justificáveis.

    • cepereira2006

      Freios a disco traseiros respondem muito mais rápido. Mal encostou o pé no pedal já está freando. É outro mundo.

      Além disso, uma pastilha de freio é um item tão barato que não faz o menor sentido em você querer um freio à lona para economizar com manutenção.

      • Dragoniten

        E posso perguntar como você consegue sentir a diferença disco x tambor quando o carro freia mais na traseira? É impossível você “sentir” isso. Freio é freio, a tendência do carro é “empinar a traseira” e jogar boa parte do peso para as rodas dianteiras. Mais o fato de que a maioria dos carros possui cerca de 65% do peso no eixo dianteiro, a frenagem, como nosso colega citou acima, acontece praticamente só no eixo dianteiro. Os carros de porte médio como o Focus, mesmo com sapatas no eixo traseiro, tem um sistema de freio que extrai o máximo que pode da tração do carro na hora de parar. Disco na traseira não aumenta força de frenagem, e mesmo que aumentasse, se aumentar a força de frenagem na traseira, que já tem baixíssima tração por conta da distribuição de peso, como citei acima, as rodas traseiras travariam.

        Freio a disco é melhor pra dissipação de calor, em frenagens contínuas ou extremas, em carros de alta performance ou que participem de algum tipo de competição (nem que seja um track day). Me diga quando na sua vida você ficou sem freio traseiro? E como você sabe que é o freio traseiro? Não tem como saber.

        É economia porca? Concordo, eu acho mais bonito e funcional disco nas quatro, mas dizer que é perceptível a diferença na dirigibilidade? Forçou MUUUUUUITO.

        • Xandy Paiva

          Simples …já tive um Vectra 97 com disco nas quatro, logo após ter um Astra 99 com tambor atrás, e que conhece sabe muito bem a diferença:

          No freio a tambor, quando vc freia o carro praticamente dá aquela abaixada na dianteira e ligeira inclinada na traseira.

          Com disco nas quatro, vc sente o carro “sentar”, na hora da freada, por igual, ou seja diminui a velocidade sem exercer tanto a pressão de te jogar pra frente.

          Tenho um I30 agora e sinto a mesma coisa.

          Esta é minha impressão, mas como aqui as pessoas só criticam as outras, “podem me criticar ”

          PS: Ninguém falou do Golf ainda que milagre…parece que são pagos pra fazer propaganda deste carro…ou todo mundo tem um ….

          • Martini Stripes

            Na vdd… O astra tinha discos de freios DIANTEIROS sub dimensionados para o modelo… Não era o tambor atrás o problema.
            Tbm tive atra, e alguns colegas de trabalho, todos reclamam do freio deste. E acredite, a culpa é do disco dianteiro

            Pode pesquisar.

            edit: por mim todos teriam disco nas 4, fica mais bonito. e talvez tenhamos um ganho na frangem, o que já justificaria a implementação do mesmo, pois ganharíamos em segurança. Mesmo que o ganho seja ínfimo.

          • Alessandro Lagoeiro

            Mas você está comparando carros distintos, com pesos distintos!

          • Eduardo Gregório

            Não Xandy, não é assim simples. O que o Dragoniten falou está completamente correto. Vou tentar falar a mesma coisa com um exemplo.

            Imagine que seu carro é uma caixa com água.
            A partir do momento que você freia, boa parte da água se desloca para a frente, ficando apenas um pouco atrás.
            Agora corte esse seu carro de água no meio.
            A metade da frente estará com quase toda a carga e consequentemente precisa de muito mais força para parar, porém a metade de trás estará bem leve, algo que com pouca força já estará executando a frenagem máxima sem travar as rodas.

            Pode-se fazer o teste indo de ré e puxar o freio de mão. É possível que trave, mas com uma dificuldade muito maior pois a força de atrito entre o pneu e o solo gerada pela carga que está naquele eixo é bem maior do que na cenário normal (puxar freio de mão indo para frente).

            O seu caso Astra x Vectra tem muito mais relação com dimensionamento dos freios e calibragem da suspensão.

            PS: Não sou a favor de tambor na traseira, mas a sua utilização não é essa catástrofe toda que anda se propagando por ai.

          • Zergling

            Você não pode comparar um carro com outro. São muitas variáveis que influenciam no tempo de frenagem. Até mesmo o modelo do Pneu. A comparação correta deve ser o mesmo carro com o sistema e sem o sistema de discos na traseira.

          • CarLoverRS

            O Golf até se tivesse tambor nas 4 os fanáticos por aqui falariam bem… é o melhor carro do mundo, acho até que esta sendo produzido pela Hyundai…kkkk

            • Robinho

              huahauahuahauahauahu

          • Dario

            exatamente isso, tinha um fox com tambor nas rodas traseiras, e agora tenho um Bravo com disco nas quatro, quando freia o carro é totalmente diferente e mais seguro sem duvidas.

          • Marcelo Neto

            É que a discussão é sobre freio a tambor, coisa de carro vagabundo. Quem tel Golf tá preocupado com essa porcaria de freio? Isso é pra quebrados como nós que não temos dinheiro pra comprar um

          • Marcelo Tavares

            Ja tive vectra 2002 CD Disco na 4 Rodas , com EBD e controle de estabilidade e Suspensão MultBraço traseira .e computador de bordo que marca ate uma Lampada Queimada . Era mais bem equipado , Corolla que Custa 90 mil . esse elantra

          • Robson Costa

            Também tive um Vectra 97 com disco nas quatro. Hoje tenho um Vectra 2005 com tambor e sinto a diferença também, meu Vectra anterior era melhor de freio do que esse. Como vc disse, eu sentia o carro “sentar” durante a freada. Meu Vectra atual inclina mais a traseira do que o anterior.

            • Xandy Paiva

              Fala Robson

              Finalmente alguém aqui consegue entender o que fali, não estou desmerecendo os outros mas neste caso não tem como contestarem o carro é o mesmo porém com dois sistemas de freios diferentes.

              Entendo o que o Eduardo quis dizer e isso é física pura, não tem como frear um carro e não sentir a pressão te jogando pra frente.

              Porém quando eu digo que sentia o carro senta, assim como sinto o I30 hoje, significa que o carro ao invés de dar aquela inclinada básica pra frente, simplesmente, reduzia a velocidade de forma mais suave e melhor distribuída.

              Valeu

        • Guilhe

          Excelente comentário, fato que é uma economia desnecessária , mas como dito, o uso da lona no eixo traseiro não prejudica a segurança da frenagem e do carro. Parece que o pessoal ta mais preocupado com a aparência do que com a segurança em si….

        • Tens toda a razão! Quem reclama disso quer mesmo é ver o disco na roda traseira. Eu também acho bem mais bonito.
          Mas falando como engenheiro, sei que não faz a menor diferença na performance em carros de passeio.
          Como a maioria é leiga… nota-se a revolta!

          • Bomdevoz

            Quem já teve um carro com tambor no eixo traseiro e substituiu por um freio a disco sabe que na prática existe sim uma grande diferença. Quanto à questão da manutenção, ambas são equivalentes, pois a pastilha é mais barata que a lona e ainda é comum haver vazamento nos burrinhos do freio a tambor, vazamento este que ainda pode ser difícil de ser notado por usuários regulares.

            • Zergling

              Você já fez esse teste em substituir? Mostra pra gente a diferença dos tempos de frenagem! É claro que você mediu, né?

              • Bomdevoz

                Na época fiz sim, porém, como foi em 2005 infelizmente já não os tenho, mas era algo em torno de 5 metros à 80km/h. Já em pista o desempenho se mostrou de maneira mais significativa.

            • Marcelo Tavares

              Na faz Diferença em freagem . Onde voce tirou isso . até os mecanico do Curso do senai Saca mais que voce . com essa Ideias .

        • Robinho

          Parabéns cara, muito bom comentário.

        • Ubaldir

          Via de regra, os carros que utilizam freio traseiro com tambor apresentam espaços de frenagem significativamente maior que os com freio a disco, o que realmente não é notável no uso diário.
          Mas o principal problema está ligado ao “fading”, em situações em que se exige muito dos freios, como em uma descida de serra, por exemplo. Há perda sensível de desempenho dos freios por superaquecimento, que é muito maior para o caso das “panelas” fechadas.
          Portanto, devagar na defesa do freio tambor. Faz diferença sim, e muita. Distâncias diferentes de frenagem não são perceptíveis por motoristas comuns no dia a dia, concordo. Mas vão fazer grande diferença numa situação de frenagem de emergência. E no caso do “fading”, aí sim, a dirigibilidade é bastante comprometida. Quem, como eu, já desceu a serra Dona Francisca em Santa Catarina com uma Parati com freios tambor na traseira pode dizer isso com propriedade. Descer a serra de Ubatuba com um Jetta com disco nas 4 rodas é completamente diferente. A diferença de dirigibilidade é brutal.

          • Leandro1978

            Bem, neste caso a diferença de dirigibilidade não se resume somente aos freios, convenhamos…

          • Martini Stripes

            Agora vc apresentou uma situação que tinha passado despercebida por mim. Diferentemente do cara ali em cima que dizia perceber diferença nas frenagens dos carros.
            Passo a ser um defensor dos discos atrás com veemência a partir de agora. hahahha.

          • Alessandro Lagoeiro

            Mas aí está comparando descer um lugar com um carro popular e outro com um carro médio! Isso compromete a avaliação!

        • 912mig

          Dragoniten, seu comentário é um completo desserviço!
          O freio traseseiro a disco é mais eficiente sim, e qualquer pessoa que saiba dirigir sente a diferença. O carro pára num espaço mais curto, com mais segurança, junto com o Abs, evita travamentos traseiros na chuva. Tem uma série de benficios.
          Seu comentário foi totalmente desnecessário.
          Pior ainda, e mais triste, é ver outroas pessoas que também devem entender lhufas de carro adimirarem e apludirem o seu comentário, lamentável.
          Qulaquer bom carro que se preze já tem freio a disco nas 4 rodas desde a década de 90.
          Freio a tambor na traseira é coisa de carroça vendida em pais pobre, subdesenvolvido de terceiro mundo.

          • Dragoniten

            O limitante na frenagem de um carro em 99% dos casos é o atrito do pneu com o chão e se você fica sem freio no seu carro, não é por conta dos freios a lona atrás. Eu falei que é menos eficiente. Se você entende tudo o que diz de carro, sabe que numa frenagem forte, em que um sistema anti travamento entre em ação, a distribuição de peso e tração fica em sua maioria nos pneus dianteiros.

            Sem mais.

            • 912mig

              Economia porca, coisa de subdesenvolvido, se voce concorda em construir carros menos eficientes e menos seguros (e cobrar caro por isso) porque o motorista normal “nao sente a diferença”, já pode se candidatar a um emprego em qualquer montadora brasileira e fazer carreira. Sucesso.

              • Dragoniten

                Não falei que concordo, falei que nosso colega acima exagerou e forçou muito a barra quando falou a diferença dos dois freios.

                Não vou ficar replicando infinitamente alguém que acha que disco traseiro é a solução de todos os problemas de segurança e qualidade dos nossos carros.

          • Alessandro Lagoeiro

            Amigo, quanto é esse espaço mais curto? Para mim, “verdades absolutas” tem que vir de números! Não de “impressões”. Ah, e não adianta fazer que nem em cima, onde o cara comparou a eficiência de frenagem da Parati com a do Jetta, que por sí só invalidaria a comparação. E ainda em condições diferentes!
            Tem que ser o mesmo carro, a mesma potência, o mesmo peso.. Se não me engano, no teste de frenagem da Quatro Rodas, o Elantra conseguiu a segunda melhor marca.
            E eu ia falar de outros carros em outros mercados “desenvolvidos” que tem freio a tambor na traseira, mas sua arrogância com o colega do blog torna isso desnecessário. Acho que as pessoas deveriam viajar mais antes de falar que “no exterior é assim, é assado”, sem nunca ter posto os pés fora do país.

            • 912mig

              Eu acho que voce pode muito bem ir pesquisar o quanto esse espaço é mais curto.
              Existem inumeros textos técnicos na internet comprovando essa diferenças e superioridade.
              Eu tenho mais o que fazer do que ficar procurando ou dando resposta pronta para os outros. Quer saber? Vá atrás e pesquise, eu já fiz a minha parte.
              Se não quer acreditar em mim e também não quer ir pesquisar tudo bem, fique com seus pré conceitos e seja feliz.
              PS: Tenho pós graduação e mestrado na Europa. Acho que posso dizer que já “coloquei os pés fora do país”. Também já dirigi o bastante na Europa e América para perceber a diferença do que existe disponivel lá e aqui.

              • Alessandro Lagoeiro

                Olha só, fui pesquisar e descobri que você postou uma MENTIRA aqui. Vejamos bem:

                “Economia porca, coisa de subdesenvolvido”

                “Freio a tambor na traseira é coisa de carroça vendida em pais pobre, subdesenvolvido de terceiro mundo”

                Pois bem, olha o que achei no site da Ford americana:

                Fiesta:

                Front and Rear Brakes

                Disc/Drum

                Disc/Drum

                Disc/Drum

                4-wheel disc with high-performance brake pads (Esse último aqui da versão ST).

                Fonte: http://www.ford.com/cars/fiesta/specifications/view-all/

                Logo, devo acreditar que os Estados Unidos são um país pobre, subdesenvolvido de terceiro mundo?

                Cuidado amigo. Quando postar mentiras, saiba que tem gente mais esperta que você.

              • Alessandro Lagoeiro

                Quando fez esse curso na Europa, não parou do lado de um Fiesta na Inglaterra, ou de um 208 na França? Porque eles tem freio a tambor na traseira.

                • 912mig

                  Garçom, não vamos confundir as coisas. O texto está citando carros de 80 – 90 mil reais. Os automóveis nessa faixa de preço não são veiculos populares no Brasil, são veiculos requintados para uma faixa exclusiva da população.
                  Quando eu falei dos freios a disco melhores, eu não entrei no mérito do valor de veículo, entrei no mérito simplesmente da eficiencia dos sistemas tambor/freio. E nao entrei no mérito do valor do veículo pois o texto não cita carros populares de baixo custo.
                  Agora voce citou uma nova variável, os carros populares, dizendo que Fiesta e 208 tem freio a tambor na Europa.
                  Voce deve saber muito bem, que esses carros que voce citou, na Europa, são carro extremamente simples e baratos para o padrão europeu e não podem ser comparados aos carros citados na matéria que no Brasil são carros de segmento muito superior alguns até ditos “premium”, quiçá “melhor do mundo”. rsrsrs
                  Se 208 e Fiesta oferecem freio a tambor na Europa, esta dentro da proposta de baixissimo custo para o padrão europeu, não porque não faz diferença, faz assim mesmo que o consumidor aceita, e, certamente são menos eficientes na frenagem aos modelos equivalente equipados com disco.
                  A posição que eu estou defendendo em todos os meus comentários é: aqui, colocam o freio tambor num carro caríssimo, para ganhar mais, comprometendo a qualidade/segurança do bem.
                  Na minha percepção de valor, isso não é correto, se pagarei por algo de um segmento top, quero equipamentos top, mas muitos consumidores desse veiculos não pensam assim e as fabricantes se aproveitam.
                  Sendo assim, se lancarem um carro ultra mega popular no Brasil por 5000 mil reais, e ele tiver os 4 freios a tambor, para mim não tem problema nenhum, pois é a proposta do veiculo, se atender a legislação em vigor para vender e tiver compradores muito que bem.
                  Agora, eu duvido que voce realmente acredite que esse carro hipotético de 4 freios tambor terá o melhor sistema de freio mercado né?!
                  Concluindo, comentários do tipo é tudo igual, não faz diferença, é coisa de rachador, é tapar o sol com a peneira, se as pessoas gostam de se enganar, eu não!
                  Uma diferença de meio metro em uma frenagem pode salvar uma vida.

                  • Alessandro Lagoeiro

                    EUA também. Fiesta é vendido com freio traseiro a tambor. E o Focus também (http://www.ford.com/cars/focus/specifications/view-all/)! Você mandou eu pesquisar, eu pesquisei! E vi que não é verdade que só vendem carros assim em

                    “Freio a tambor na traseira é coisa de carroça vendida em pais pobre, subdesenvolvido de terceiro mundo.”

                    E aí? Focus é vendido com tambor lá também? Ainda mantém sua opinião sobre onde é vendido esse carros?

              • Alessandro Lagoeiro

                E corrigindo: O Elantra conseguiu a segunda PIOR marca. Mas cobrar eficiência do freio do Civic eu nunca vi ninguém fazer…

              • Eduardo Gregório

                http://caranddriverbrasil.uol.com.br/carros/comparativo/trio-parada-dura-hyundai-elantra-x-renault-fluence-x-toyota-corolla/829

                Gostaria de ler apenas UM texto técnico que deixe explicito com dados teóricos e práticos que freio a tambor na traseira gera essa diferença absurda que você afirma. Porém não encontrei nenhum.

                • Gustavo Cruz

                  Não entendo. Se não gera diferença NENHUMA, porque as marcas premium usam? Você já viu uma BMW, MB ou Audi com freio à tambor? Se a eficiência fosse a mesma meu jovem, certamente teríamos todos os carros com tambor na traseira.

                  Concordo em número e grau com o comentário do 912mig. Ter um freio à tambor num carro popular está correto e DENTRO da proposta do mesmo. Pagar caro por um carro onde inexiste esse item de segurança é bem absurdo.

                  Como dito e aplaudo:
                  Uma diferença de MEIO metro numa frenagem pode salvar sua vida…

                  • Eduardo Gregório

                    Não entendo. Em nenhum momento disse que não gera nenhuma diferença, pelo contrário, até afirmei para alguém que o único ponto que ele estava certo era que a eficiência do freio a disco era maior – em situações que é muito exigido, como uma descida da serra sem usar freio motor ou num track day. Numa situação de emergência não é o caso, pois nessa situação o dianteiro é muito mais exigido. Sobre meio metro salvar uma vida..?! Não concordo, afinal meio metro (ou um pouco mais) a velocidade do carro já será mínima.
                    Destaco novamente o meu ponto: Sou completamente a favor de freio a disco na traseira, apenas entrei nessa “briga” simplesmente porque estavam falando besteira.

            • Maicon de Souza

              Embora esse vídeo seja com caminhões e um pouco antigo(2008) dá de ter uma noção: https://www.youtube.com/watch?v=v57K1WW41K8

              E quanto ao 912mig, relaxa ai campeão, não vais ganhar nada no berro sem mostrar o que tais dizendo, poderias ao menos ter sido educado com o outro camarada.

          • Eduardo Gregório

            912mig, você está certo apenas em uma coisa: o freio a disco é mais eficiente.
            Mas na prática, NÃO é perceptível pois é muito fácil parar o eixo traseiro.

            Um exemplo prático:
            Numa pista de gelo, as rodas travam com enorme facilidade pois o coeficiente de atrito é muito baixo. Lembre que, Força de Atrito = coef. de atrito * força normal.

            Agora, imagine dois eixos separados rodando numa estrada, um na frente com 800 kg e outro atrás com 200 kg.
            Quando ambos forem executar uma frenagem, o de 800 kg terá 4x mais atrito para fazer com que as rodas não travem, porém o eixo de 200 kg com um pouco de carga já chegará no limite máximo de atrito, no limiar entre travar as rodas ou não.
            Força de atrito é o principal fator numa frenagem e, como temos o mesmo coeficiente nos dois eixos, apenas a carga em cima de cada um é o que determina a força que poderá ser aplicada sem que haja travamento.

            Segue uma imagens que mostra o comparativos de frenagem entre Elantra x Corolla e Fluence:
            http://caranddriverbrasil.uol.com.br/carros/comparativo/trio-parada-dura-hyundai-elantra-x-renault-fluence-x-toyota-corolla/829

            Todas as frenagens do teste são iguais situações de emergência. Tire suas conclusões.

            PS: Tambor também pode ter ABS.
            PS2: Também sou a favor de freios a disco nas quatro rodas.

          • FTRacing

            Agora sim falou tudo, parabéns.
            É coisa de retardado achar que freio á tambor é justo, assim como esses que acham que ainda é justo termos carros com 4 marchas AT… faça-me o favor…

            É por causa do pensamento de alguns amigos nossos aqui que temos essas carroças AINDA fazendo 15 km/l (e acham que é ótimo!), com freio á tambor, AT de 4 marchas e (só agora) com ABS e Air Bag DUPLO. DU-PLO!

            • Alessandro Lagoeiro

              E não seria mais fácil em vez de escolher carro por especificações técnicas escolher pelos números dele? Afinal, você vai andar no carro ou vai jogar Super Trunfo? Em vez de freio a disco vs Tambor, escolha o de menor espaço de frenagem. Em vez de automático de 6 vs 4 marchas, escolha o que achar mais suave ou mais econômico, dependendo do critério que quiser. Em vez de air-bag duplo vs 4 airbags, escolha o de melhor nota do NCap.

          • 912mig

            Eduardo Gregório.
            Eu sou físico e advogado, mas mesmo assim agradeço a sua explicação, assim várias outras pessoas podem ler.
            Não vou entrar no mérito aqui que os carros tem N diferenças entre eles por serem de marcas diferentes. (massa, centro de gravidade, distribuição de poder de frenagem etc…)
            Mas olhando a tabela, o Corolla tem mais massa, e pneus mais estreitos que o Sonata, (mais pesado e menor área de contato para atrito) e mesmo assim ele precisou de 1,5 metros a menos para frear a 100 km/h e 2 metros a menos para frear a 80 km/h. Mesmo a 60 km/h foi melhor, mas por pouco.
            Se diminuir o peso do Corolla e colocar os mesmo pneus essas diferenças vão aumentar mais ainda.
            Voce pode considerar essas diferenças impercetíveis, mas elas podem significar a diferença entre viver ou morrer em determinadas situações.
            Tire suas conclusões.

            O Fluence tem quase 200 kilos a mais que o Elantra, é muita coisa, por isso o Elantra, mas não ganhou nos 80 km/h por exemplo

        • Fábio

          Dragoniten eu não acredito que vc está defendendo freio a tambor. Para uma Brasília, uma Panorama, esses carros que em 100km/h estavam correndo muito pode ser até adequado. Mas para um Elantra? Freio a tambor é bom para quem vende e não para quem compra. Só uma coisa, freio a tambor trava a roda facilmente. E outra, não sou engenheiro, mas como funciona ABS em freio a tambor? Acho que não funciona, fica só nas rodas da frente.
          Pessoal defendam a evolução e não o subdesenvolvimento. Sem mais.

          • Dragoniten

            Não defendi o tambor em hipótese nenhuma, só questionei o quanto o nosso colega não estava exagerando na sua colocação.

          • Alessandro Lagoeiro

            “Acha” que não funciona? Achou errado.

        • Marcelo Alves

          Eu coloquei disco traseiro no meu Polo e percebi a diferença na frenagem na primeira volta no quarteirão. É só encostar o pé no freio e a traseira gruda no chão junto com a dianteira, o carro não levanta a traseira como levantava quando estava com freio a tambor.

          O freio responde melhor, freia mais e mais equilibrado. Até naquele freia e pára de congestionamento a traseira do carro não dá aquela balançada pra cima e pra baixo quando o carro pára totalmente.

          O que eu não gostava nos freios a tambor era justamente isso, só sentia a traseira do carro freiando depois que o pedal já estava lá no fundo.

          Vale lembrar que meu carro tem ABS, e por default o ABS não limita a força de frenagem nas rodas traseiras enquanto não for necessário, então o carro usa melhor os freios traseiros. Vejo essa diferença quando dirijo o Fox da minha irmã (Sem ABS), que esse sim, parece que só freia na dianteira por conta do limitador mecânico que existe no eixo traseiro, tenho que pisar mais forte no pedal para obter a mesma frenagem que teria no meu Polo (mesmo quando usava tambores).

          • Dragoniten

            “Tenho que pisar mais forte no pedal para obter a mesma frenagem”. Mas as pinças são iguais? Os cilindros das pinças tem o mesmo tamanho? O cilindro mestre é o mesmo? São dois carros diferentes e com sistemas diferentes de freio (ABS). Não da pra comparar a força no pedal com o potencial de frenagem. Tenho um Ka que tem o pedal muito sensível, mas o freio é um lixo, enquanto que o Fit que temos aqui em casa necessita de mais força no pedal, mas para melhor. Quer dizer que o Ka é melhor porque responde melhor ao pedal? Não. Até pra melhorar isso eu comprar o par de pinças da Eco para colocar um disco maior e diminuir o tempo de fading, mas como os cilindros das pinças novas são maiores, tenho que pisar mais no pedal do freio para obter uma mesma frenagem, porém agora o freio demorará mais para dar fade. Quem sabe mais pra frente não dou um up nos freios traseiros também. (Disco do Focus).

            • Marcelo Alves

              Sim jovem, o freio do Fox 1.6 é mesmo do Polo 1.6. Discos de 256mm e
              pinças iguais na dianteira, e o mesmo conjunto de tambores na traseira.

              A diferença é que o limitador mecânico da versão sem ABS deixa passar pouca força para os freios traseiros. No ABS com EBD, enquanto não precisar limitar, a pressão nas linhas de freio estará igual nas quatro rodas.

              Então isso dá diferença na frenagem, o que me faz perceber que no Fox o carro freia mais com as rodas dianteiras, eu preciso pisar mais forte no freio e a traseira fica sempre mais “solta”, com aquela sensação que se for preciso freiar com força o carro vai travar fácil as rodas dianteiras.

              Sempre percebi isso, mas a maioria das pessoas não percebe esses detalhes…

              • Dragoniten

                Entendi. Ai é bom pra fazer adaptação. O Ka segura muito na traseira, o que é bom pra entrar em curva com uma pisadinha leve. Ele embica que é uma maravilha, rs.

          • Paulo Reis

            concordo, tenho relatos de focus MK1 que tinha tambor, a após trocar por discos, melhorou tudo o que comentou, faz uma diferença interessante, porém, o tambor não vai te deixar na mão, e é mais barato manter sim, a lona traseira costuma durar 2 trocas de pastilhas da dianteira.

          • Alessandro Lagoeiro

            Espera, você colocou disco no seu carro que original era a tambor e tinha ABS? humm…
            E achei que essa “levantada” de traseira tinha a ver com transferência de peso e suspensão, não com freio.

          • Xandy Paiva

            “É só encostar o pé no freio e a traseira gruda no chão junto com a dianteira”

            Marcelo, é isso que eu quis dizer quando disse que sentia o carro “sentar “, mas não encontrava a s palavras certas, vc definiu perfeitamente minha colocação.

            Parabéns

        • fellipealo

          Dragoniten.

          O concordo em partes com o que foi dito.
          Mas…
          É somente na hora de necessidade de um freio a disco traseiro que vemos que precisamos dele.

          São milionésimos de segundos de diferença entre o aperto de um freio a disco e ação do tambor. Mas essa diferença já foi atestada pela American Insurance há mais de 20 anos e acredite, isso faz toda a diferença, pois um carro que tem o potencial de “dançar” em uma frenagem, não dança com um freio a disco traseiro.

          • Alessandro Lagoeiro

            Achei que os carros dançavam por transferência de peso e pela suspensão, não pelo freio.

            • fellipealo

              Bom, como eu disse, mais de 20 anos atrás atestaram isso nos automóveis pela american insurance. Se um carro frenar primeiro na frente e milésimos de segundos atrás, você pode ter a suspensão mais rígida, a carroceria mais incrível, o final será o mesmo… Pior que freio a disco nas quatro rodas.

        • cepereira2006

          Amigo, tenho dois carros, um com tambor e outro a disco e posso te dizer que tem uma diferença enorme na dirigibilidade. A qualidade de frenagem é outra. Me sinto muito mais seguro. Mas respeito sua opinião, se você não sente diferença, eu sinto. Não compro carro com feio a tambor nunca mais.

        • jjmarcio2

          A vantagem do freio a disco em relação ao tambor é o tempo de parada, veja o caso da saveiro como referencia, a mesma para em menor tempo em relação a versão com freio a tambor na traseira..

        • carroca_br

          Pois é, mas aí um carro desses não dá nem pra colocar controle de tração e estabilidade quem um carro de 44 mil como o Fiat 500 tem… é uma economia porca e tanto colocar freio tambor traseiro, ainda mais absurdo em carros acima de 50 mil, deveria ser crime financeiro isso de tão absurdo!

        • arzanette

          dragoniten teu comentatario e bom mais disco a tambor e muito pre historico
          eu ja tive problemas com meu carro que estorou o cilindro viajando a noite e fiquei horas parado por causa do oleo que vazava e fumaciava a roda.ate chegar um mecanico e isolar a roda e eu poder seguir viajem . freios a tambor e simplesmente um lixo, que so dao lucro para as montadoras e dor de cabeca para os motoristas .Se fosse a disco nao teria problemas nem 1.abraco

      • Thales Sobral

        Resposta do freio nesse sentido que você falou tem muito mais a ver com quanta assistência é dada pelo hidro vácuo do que com a tecnologia do material de atrito.

      • Piantino

        Mal encostar o pé é sinal de boa capacidade de frenagem?? Não entendi… Capacidade de frenagem é feita a plena carga, e isso, tanto o tambor, quanto o disco, se estiverem dentro da capacidade de projeto, cumprirão seu papel.

      • GPE

        Eu defendo até o fim o disco atrás, porém, é necessário reconhecer que as pastilhas duram metade da vida útil de um freio a tambor ou até um quarto da vida útil se o carro for automático.
        Por exemplo, um Civic automático antigo usa lona atrás. Sua pastilha dianteira dura em média 25 a 30mil km (enquanto um carro manual passa dos 45mil km). Vc troca a pastilha entre 3 e 4 vezes pra trocar a lona. Se esse serviço for feito na autoriza, cada troca de pastilha dianteira supera os 250 reais. Ou seja, é um custo altíssimo

        • fellipealo

          GPE, mas o tambor só tem essa vantagem. Durabilidade, de resto ele não apresenta vantagens.

          • sheldonDS3

            Me responde então porque os caminhões usam freios a tambor…..

            Freios a disco tem vantagens e desvantagens também.

            • Lofin

              Cara, acredito que caminhões não utilizam freios a disco apenas porque o custo de implantação de um sistema eficiente para veículos desse porte seria muito alto.

              • sheldonDS3

                Não exatamente…… imagina o tamanho que teria que ser o disco do freio, pra suportar toda a aquela carga durante uma frenagem? Um dos principais motivos é esse.

                • Lofin

                  Aí que tá: talvez exista um material ou tecnologia que permitisse a utilização de um disco menor, mas – caso caso esse material realmente exista – o preço para implementá-lo em veículos “de massa” seria simplesmente muito alto.

            • fellipealo

              Eu descrevi exatamente o motivo de não se usar freios a disco. Preciso achar. Aguarde.

            • fellipealo

              Achei… postei em outro tópico.

              “Usam tambor, porque são pesados. O único tipo de freio capaz de suportar grandes pesos, realizar frenagens suaves(sem travamento de rodas) e distribuir o calor sem causar grandes danos ao óleo do freio(que é diferente em caminhões), é o freio a tambor. Não há outro material mais confiável para se colocar em estradas atualmente.

              Se os caminhões usassem disco, eles teriam menos vida útil, teriam frenagens sem ação(pelo espelhamento do disco), teriam travamentos de rodas idiopáticas e por fim seriam extremamente caros, pois exigiriam freios a disco enormes.”

              • Zetros1833
                • fellipealo

                  Olha, leia o que você está postando antes de dizer que há algo errado. Aparentemente é um grave problema nesse país em Ler e depois exprimir uma opinião, sem ao menos ter conhecimento sobre o assunto.

                  DO SEU LINK> freio a tambor/retarder Voith R 115 HV. Você viu um disco escrito ali no finalzinho e já achou que são freios a disco convencionais… Cara, nem te falo nada, porque tenho que perder meu tempo explicando essas coisas de graça pra nego que vê especificação de INMETRO e da fabricante e já acha que sabe de tudo. É consumidor que merece esses lixos que andam e esse foi um dos motivos de eu sair do NA por tempos… Chega a ser patético explicar isso para pessoal que nem se dá ao trabalho de se informar.

                  Você nem sabe o que é esse tipo de freio. Não sabe o funcionamento. https://www.youtube.com/watch?v=bXai8z99lUg (atenção… tem que saber inglês)

                  Cristo que chatice essa geração nova do NA.

                  Se você for caminhoneiro, por favor, compre um caminhão grande com freio a disco na cabine e faça o seguinte, coloque uma carreta de 45 metros e encha ela de freios a disco, se cubra de gasolina e freia na descida da serra de bertioga…

                  Desculpe se fui grosso, mas pelo amor de deus, tem que saber ler pelo menos para postar algo assim.

                  • Zetros1833

                    Cara, vc é quem deveria aprender a ler, interpretar e depois debater o assunto, com EDUCAÇÃO e sem ARROGÂNCIA.

                    E pelo amor de Deus digo eu, pq vc está sendo o maior exemplo de analfabetismo funcional que eu já vi na vida. Mas isso é assunto pra outro post. O debate aqui é freios a disco e vou te fazer um favor, embora devido a sua falta de educação vc não mereça, mas vou te dar uma segunda chance.

                    Deixe eu te falar uma coisa:esse vídeo que vc postou não tem nada a ver com freios a disco. Esse equipamento é o Retarder, um freio auxiliar que funciona acoplado ou integrado, a depender do modelo, ao câmbio de caminhões e ônibus, para auxiliar na frenagem do veículo aumentando a vida últi dos freios de serviço dos veículos pesados. Ponto.

                    Agora vou te fazer uma segunda revelação:TODOS OS CAMINHÕES MERCEDES-BENZ MODELOS AXOR e ACTROS COM SUSPENSÃO PNEUMÁTICA POSSUEM FREIOS A DISCO EM TODAS AS RODAS COMO ITEM DE SÉRIE E OPCIONAL PARA OS MODELOS COM SUSPENSÃO METÁLICA.

                    Já que vc nem se deu ao trabalho de ler e se leu a ignorância e arrogância não permitiram entender o que estava lendo, vou transcrever aqui pra vc:

                    MERCEDES-BEZ ACTROS 4844 K

                    Freios
                    Comando eletrônico, ar comprimido de dois circuitos, DISCO EM TODAS AS RODAS com EBD, ABS e ASR. Esse comando eletrônico que ele cita é o EBS viu.

                    MERCEDES-BENZ AXOR 2644

                    Freios
                    Ar comprimido de dois circuitos, ABS, DISCO PARA SUSPENSÃO TRASEIRA PNEUMÁTICA. TAMBOR/DISCO* PARA SUSPENSÃO TRASEIRA METÁLICA
                    [*]Item opcional

                    E pra sua informação, os FREIOS A DISCO TAMBÉM ESTÃO DISPONÍVEIS PARA OS CHASSIS DE ÔNIBUS DA MERCEDES, VOLVO E SCANIA.

                    Faça um favor a mim e a você mesmo, leia esta matéria http://www.revistaocarreteiro.com.br/modules/revista.php?recid=391&edid=38 antes de sair falando besteira e sendo grosseiro como se fosse o dono da razão.

                    Agora tenho que concordar com vc em algumas coisas. E faço minhas as suas palavras:

                    “Aparentemente é um grave problema nesse país em Ler e depois exprimir uma opinião, sem ao menos ter conhecimento sobre o assunto.”

                    “Chega a ser patético explicar isso para pessoal que nem se dá ao trabalho de se informar.Você nem sabe o que é esse tipo de freio. Não sabe o funcionamento.”

                    “Cristo que chatice essa geração nova do NA.”

                    Concordo com suas palavras porque vc fez uma descrição de si mesmo.

                    • fellipealo

                      Não vou mais comentar, estou perdendo o meu tempo. Vá atrás de um carreteiro e depois com certeza você não postará nada…

                      Vá de carreta, conforme eu descrevi no meu antigo post.

                      Um forte abraço.

                    • Zetros1833

                      É, falta-lhe humildade para saber que errou. Paciência, continue na ignorância, quem sabe um dia você se atualiza.

                      Não preciso ir atrás de carreteiro ou ir de carreta. Basta pesquisar, pra saber que freios a disco em caminhões existem desde 1997 aqui no Brasil.

                      Para seu conhecimento(terceira chance já viu):

                      “Sirolli acrescenta que a Mercedes-Benz foi bastante ousada ao adotar o FREIO A DISCO para os CAMINHÕES que produz no Brasil e lembra que a empresa desenvolveu o “cocon”, um equipamento de proteção para que o sistema dure mais. “O FREIO A DISCO só tem vantagens em relação ao sistema de tambor. Uma delas é quanto mais quente fica o disco maior é a eficiência”, explica.”

                      Se você não acredita no que diz o fabricante do caminhão, é porque você é mais arrogante do que eu pensava.

                    • fellipealo

                      Se eu vendesse freios a disco para caminhão, eu não falaria que são bons para a economia do caminhoneiro, nem seguros, sério, que hipócrita eu seria se falasse isso, você mora no brasil e está vendo vias sem aclive? Sem declive?. Não vendo, não ganho com isso. Não são bons para caminhão no Brasil. Ponto final… Eu não brinco com a vida alheia. Recomendo que faça o mesmo.

                      Deixei de comentar não porque estaria errado, pelo contrário, quando você começou a copiar e a colar conteúdos da mercedez, eu pensei: “não vou perder meu tempo”. Agora se eu começar a copiar e a colar conteúdo de fabricantes de freio a disco, ou patrocinadores de sites de caminhoneiros, vou parar de ter a minha opinião.

                      Me faça o seguinte favor, retiro o que eu disse quanto a você ir conversar com um caminhoneiro, não fale isso para o caminhoneiro, com certeza vai apanhar dele de cinta.

                    • Zetros1833

                      Cara, não é o que vc acha ou que vc não gosta ou que vc não concorda ou o que você não sabe. O que vale é o fato, porque a realidade é muito diferente das suas opiniões.

                      Colei post da Mercedes, apenas como exemplo, pq as outras fabricantes também fornecem o componente, e de uma matéria de um site especializado, apenas para te mostrar que o que vc estava dizendo não fazia sentido e não condizia com a realidade.

                      E outra, não é porque você não concorda que esteja errado. Você acha mesmo que as fabricantes de caminhões e ônibus no Brasil venderia componentes que são mais caros pondo a vida de passageiros e motoristas em risco por brincadeira?. Ah, fala sério.

                      Quanto ao seu conselho, se estivéssemos em 1930, vc estaria coberto de razão. Mas deixa pra lá, como eu estou em 2014, posso desfrutar das tecnologias presentes nos veículos atuais.

            • Zetros1833

              Nem todos, os caminhões mais caros como Axor e Actros da MB, os FH da Volvo e os Scania usam freios a disco tbm.

              No caso dos ônibus a mesma coisa, na MB e Scania são opcionais e nos ônibus Volvo, mais caros, vem com freios a disco de série.

              E não só freios a disco, mas EBD, ABS, ASR, ESP e o EBS também.

              http://www.mercedes-benz.com.br/resources/files/documentos/caminhoes/actros/dados-tecnicos/Actros_4844_K.pdf

              http://www.mercedes-benz.com.br/resources/files/documentos/caminhoes/axor/dados-tecnicos/Axor_2644.pdf

      • Renato Duarte

        concordo com vc,, é muito mais facil a manutenção de um freio a disco do que a tambor,,, as vezes é arriscado tentar abrir um tambor traseirop/ trocar as lonas pois algumas peças internas são frageis,, no caso do disco basta desparafusar o cilindro das pastilhas, trocá-las e reparfusar.

    • Dico Oliveira

      O fato é que comparando com outros modelos, essas montadoras picaretas lesam o cliente. Ex. Bravo, Fiat 500, etc têem freio a disco na traseira. Já os citados acima…

      • Thales Sobral

        Como que o cliente é lesado? O tamborzão tá lá na cara pra todo mundo ver, e a eficiência de frenagem (que é pra isso que existe o freio) não é prejudicada.

        • Ubaldir

          Chega a ser absurdo se dizer que a eficiência de frenagem não é prejudicada com a utilização de tambores no eixo traseiro. Prejudica sim, e muito. Qualquer um com um mínimo de informação técnica sobre automóveis sabe o porquê de carros de linha superior utilizarem os sistema de freios com disco nas 4 rodas. Primeiro porque sim, eles via de regra reduzem o espaço de frenagem do veículo em condições normais. Segundo (e mais importante), porque em situações de maior solicitação (descida de serra, trânsito congestionado, frenagens de emergência em grandes velocidades, etc), onde os freios são acionados com grande frequência, o aquecimento do sistema de tambor é extremamente maior que no disco, pela simples falta de possibilidade de refrigeração do sistema fechado dentro da panelas de freio, o que quase anula a capacidade de frenagem das lonas nessas ocasiões.
          Abram o olho. Colocar freio tambor na traseira de carros de 70 mil reais é sim, lesar o consumidor. Não se justifica economia de escala neste tipo de item para carros com preço tão elevado.

          • Piantino

            Ninguém compra carro com uma arma na cabeça, se você quer tanto o freio a disco, compre outro modelo. Dizer que é lesar o consumidor beira a burrice.

            • Ubaldir

              Então corre lá na concessionária de um dos modelos acima e pague 80 mil em um carro com freio a tambor na traseira. Aí já não beira a burrice. É a burrice em forma de gente.
              Reposta mal educada merece resposta mal educada.

              • Piantino

                Amigão, vou traduzir pra você.
                Compra carro com freio a tambor na traseira quem quiser, ninguém é obrigado a comprar, inclusive, todas as especificações do carro podem ser consultadas antes da opção de compra, então, NÃO EXISTE LESAR CONSUMIDOR NESSE CASO!

          • Thales Sobral

            Lesar o consumidor é mentir pra ele. Os fabricantes não estão fazendo isso.
            Pegando as distâncias de parada dos carros com tambores atrás, também não tem nada absurdamente diferente. Pelo contrário, alguns com tambor freiam melhores do que os com 4 discos.

    • Douglas Bento

      Freio a disco traseiro com relação ao tambor melhoram cerca de 10% a frenagem!

      • Marcelo Nascimento

        fonte?

        • Alessandro Lagoeiro

          Times New Roman!

    • Piantino

      Perfeito! Os freios são dimensionados e se os tambores estão lá, é porque estão dentro da capacidade de projeto. Só reclama quem não entende.

    • carroca_br

      Opa, opa, opa, é por esse tipo de pensamento que as montadoras pintam e bordam por aqui, esse baixo nível de exigência de nossa cultura é algo que temos de mudar!

      Qual a vantagem de ter uma tecnologia obsoleta num carro de mais de 50 mil reais? E pior, como não tem freio a disco nas 4 rodas não pode ser colocado controle de tração e estabilidade no carro, o que também é um absurdo sua ausência num carro de mais de 50 mil reais!

      É INJUSTIFICÁVEL a ausência de discos nas 4 rodas em qualquer carro em pleno século 21, mas é ABSURDA e QUASE CRIMINOSA sua ausência em carros que custam mais de 50 mil reais! Acorda consumidor brasileiro, vamos ser mais exigentes, se não baixam preços ao menos vamos exigir que o preço absurdo que cobram retorne num produto digno!

  • Vanderley Almeida

    Sabemos que atualmente, há uma infinidade de itens de segurança ativa e passiva que podem minimizar possíveis danos em caso de acidente. Custam relativamente caro e por isso as montadoras, que estão cada vez mais gananciosas, aproveitam da displicência e ignorância do consumidor para vender seus produtos de aparência como rodas 18, telas multimídia dentre outros, em detrimentos de segurança. Nosso maduro e exigente mercado adora itens de aparência. Exemplo é essa Tracker sem controle de tração e estabilidade por esse preço, faça me o favor dona GM.

  • vini_B

    Não sabia que o Tracker estava sendo vendido em versão única por esse absurdo de preço e pior com freios traseiros a tambor, ridículo!

    • Thales Sobral

      Pois é, se eu fossr a GM botava os discos atrás, aumentava o preço uns 5000 reais e botava na propaganda “unico da categoria com freio a disco nas 4 rodas”. Aumenta o lucro, e os clientes altamente informados qur compram esses carros ficam felizes.

      • Lucas Souza

        Claro, pq pagar 80mil em carro sem ESP e controle de tração e ainda com discos a tambor é menos pior.

        • Thales Sobral

          É isso aí!

    • ALVIN_1982

      Pelo porte compacto que cabe na minha garagem eu até estava pesquisando o Tracker… mas ao saber dos aumentos e que um Ecosport top p das galáxias com tudo tudo tudo, é bem mais vantagem nesse sentido. Eu gostaria de pegar um Fiesta Sedan, mas é muito comprido para minha garagem… e a frente é muito baixa… tem que ter no máximo extrapolando 4,43 m… vai ficar a 2cm do portão mas tá bom… mas vou continuar pesquisando…

      • rogeriuslima

        E um Hatch Médio??? Focus, Bravo, 308, Golf já que estava disposto a gastar 80 mil num Tracker.

        • ALVIN_1982

          Hatch médio, a frente raspa muito em valetas ou lombadas, todos esse que você citou… Minha esposa não tem muito “cuidado” com esses obstáculos e uma pseudo-suv já ameniza um pouco esse problema… Acho que uma Ecosport completa ou uma ASX básica vai ser uma de minhas escolhas… assim que eu pegar eu vou fazer um relato. Mas tô pesquisando… quem sabe surge uma Tiguan usada em bom estado, também tá valendo…

  • Leonardo Teixeira

    Será que é tão caro assim colocar disco na roda traseira a ponto de cortar custos? Eu acho que poderia ter em todos os carros, pelo menos ser opcional, acho que fica mais bonito e o mais importante segurança.

  • Cardoso

    Não sei por que o preconceito com freio traseiro a tambor.

    Podemos questionar se pelo valor que pagamos em determinado veiculo deveria estar incluso o freio a disco na traseira, mas quanto a sua eficiência, não há dúvidas.

    Eles apresentam maior vida útil, tem menor custo de manutenção. São adequados em termos de eficiência térmica para o uso no eixo traseiro, já que a porcentagem de frenagem nesse eixo é menor.
    Além disso, a tecnologia existente atualmente se adaptou a esse tipo de freio, uma vez que até mesmo esses carros conseguem ter sistemas de ABS e EBD.

    Falam dos beneficios do freio a disco na traseira para carros de passeio como se fossem pilotos de corrida. São mais eficientes, é verdade, mas para qualquer pessoa que dirija com o minimo de prudência, o uso de disco ou tambor na traseira é imperceptível.

    Quando pegamos por exemplo o uso de disco ao invés de tambor em caminhões, a diferença é enorme. Os equipados com as novas tecnologias de freios a disco para esse segmento levam muita vantagem, tanto em segurança quanto em manutenção, já que os novos discos duram mais, são mais eficientes e levam menos tempo para serem substituidos do que os tambores.
    Porém quando falamos de freios para caminhão estamos falando do limite mais extremo, onde é transportada grande quantidade de carga, em um veículo muito mais pesado.

    Mas no caso de carros de passeio, que utilizam pouca carga de frenagem na traseira, os tambores conseguem cumprir com seu papel a contento.

    • Fábio

      Com relação a manutenção, não é isso que outros sites especializados falam. Veja esse trecho:

      Por conta desta simplicidade, o freio a disco tem uma manutenção mais rápida e barata. Na verdade, o que faz seu preço ser mais alto na hora da compra é o custo de fabricação do próprio disco e do conjunto duplo de freios traseiros, montado com dois sistemas separados; um para o freio de estacionamento e outro para os freios comuns.

      Apesar de a necessidade de reparo do freio a tambor ser menos frequente (a cada 50.000 km, de acordo com o engenheiro Rubens Venosa), seu custo pode ser maior. Segundo a Fiat, a manutenção dos tambores, do jogo de sapatas e dos cilindros de freio de um Punto Essence com freios a tambor sai por volta de R$ 571,66.

      Por sua vez, os freios a disco devem passar por manutenção a cada 30.000 km, ou quando as pastilhas estiverem com uma espessura inferior a 5 mm. Este custo para um Punto T-Jet com sistema ABS é equivalente a aproximadamente R$ 221,72.

  • Hemi426

    A maior vantagem do freio a disco é evitar o fading dos freios pois o disco fica mais exposto a troca de calor e o sistema esfria mais rápido. No Tambor, a troca de calor é mais difícil devido ao sistema ser mais “fechado”.
    Quem nunca sentiu a eficiência dos freios cair devido ao uso, não sabe qual é a diferença e para eles, tanto faz. Não estou falando de uso normal mas sim, de uso esportivo. Já aconteceu comigo de achar que estava sem freio e na verdade o sistema tinha superaquecido e perdeu a eficiência, o carro demora mais para responder.
    Quem vai pagar mais de 60k num carro, quer conforto e segurança e a utilização de freios d disco nas 4 rodas traz mais benefícios do que disco/tambor.

  • Robinho

    Acho que temos muitas outras coisas a reclamar do que o freio a tambor traseiro…

    • cefaf

      Concordo. Cadê o ESP, por exemplo?

    • Thiago Peres

      Concordo…

      Por exemplo crash test, o material empregado nas estruturas da célula de sobrevivência parece que é feito de estanho, índice de combustibilidade dos plásticos e borrachas, que são altamente inflamáveis, enfim, se for falar de segurança mesmo dos carros nacionais, teremos muito tópicos para falar.

  • MrBacon

    O freio traseiro a tambor se fará sentir em situações críticas, p.ex. fadiga ao descer uma serra. No uso cotidiano, o condutor médio pouco ou nada perceberá (tive Punto e Bravo, ambos freiavam bem e havia essa diferença).

    Acho injustificável hoje em dia os discos sólidos de freio na dianteira, como o 206 tinha e acho que ainda existe no 208. Esse sim é bem perigoso, mesmo em carros leves. Economia porca e irresponsável.

  • BentVale

    Pelo Fato de pagar mais de 80k em um veículo com freio de Tambor, concordo que é um absurdo praticado pelas montadoras, igual a VW vender os modelos de entrada UP!, sem contagiros (Poxa, estamos em 1980 ainda? é só uma droga de um sensor).Alias eu Adoro Carros da VW. Mas dizer que é uma coisa fundamental e dizer q sentiu o freio fadigar por ser tambor no traseiro?? Você estava ou em um carro Chinês ou correndo as 24 horas de LeMans…Kkkkkkk

  • Lucas Souza

    Lendo alguns comentários reparei que tem muito engenheiro automotivo desempregado, ou passam a manha toda aqui no NA.

    • rafael del

      como engenheiro mecanico com enfase em automobilistica, aprendi que o importante é o balanço do freio, como no primeiro comentário postado na matéria, não adianta colocar freios a disco de mesmo tamanho se o uso do veículo nao possuir balanço 50/50 nas freiadas.
      estará superdimensionando o sistema e o freio traseiro não será usado na sua capacidade máxima.
      quanto as questões de dissipação e esforços repetitivos, é óbvio que a melhor solução é o disco.
      como em muitos comentários, o foco é ser em veículos caros e isso não faz sentido o uso do tambor.
      Houve comentários sobre utilitários, esses veículos possuem grande variação de peso na traseira(carregado e vazio) e para esse tipo de utilização é recomendado o tambor.

    • sheldonDS3

      Na verdade pelo que li aqui, tem muito cara metido da engenheiro e opina baseado no “achometro” ou que leu na internet.

    • Chronosky

      então se você não é formado em engenharia da computação não pode discutir com seus amigos qual placa de video é melhor para seu computador?

      • Thales Sobral

        Pode, e normalmente como é feito isso? Pegando testes na internet, avaliando o DESEMPENHO. Aqui só tô vendo gente falando “que absurdo”, mas sem olhar pra o que o freio de fato deve fazer.

    • FTRacing

      Só fala groselha

  • Fernando Souza

    Agora só falta fazer a relação de “carros caros com apenas 2 air bags”, “carros caros sem ESP”, “carros caros com faróis mono parábola”…

  • Cardoso

    Talvez tenha muitos Engenheiros mesmo, mas não creio que sejam desempregados.
    O espaço para comentários é livre tanto para os que são apenas entusiastas, quanto para aqueles que possuem conhecimento além do técnico na área da mecânica, como por exemplo em termodinâmica, transferência de calor, dissipação, entre outros que estão relacionados com a questão dos freios.

    • Lucas Souza

      eu falei em decorrência de todo mundo querer dar uma aula no assunto em cada post.

    • Robinho

      Boa

  • Lucas Souza

    Eu só sei de uma coisa. Meu Bravo tem freio a disco nas 4 rodas e é MUITO bom! Não sei se é o freio do Bravo ou se é por ser freio a disco, mas em comparação com outros carros que não tem freio a disco eu sinto uma diferença sim.

    • Lofin

      Eu também tinha um Bravo (vendi há menos de um mês) e posso reforçar seu comentário: belo sistema de frenagem.

    • Marcelo Alves

      Coloquei freio a disco traseiro no meu carro e ta aí um ítem que vou querer ter no próximo carro.

      A diferença é perceptível, mesmo no uso cotidiano o freio traseiro responde melhor. A maioria das pessoas pode até não perceber a diferença, mas eu percebi e para mim valeu a pena cada centavo gasto nisso, e olha que nem uso o carro em track days nem dirijo “agressivamente” por aí…

    • Thales Sobral

      Lucas, os FIAT em geral tem um exagero de assistência de freio: Você pisa um tiquinho e o carro já tá estancando. Dá a impressão que o carro freia pra caramba. Mas capacidade de frenagem é muito mais do que impressão, ela pode ser medida.

      • Lucas Souza

        Saiu um comparativo dos hatchs médios da AutoEsporte, o freio do bravo foi um dos melhores medidos. Só perdeu e por questão de centímetros, pro do novo Golf, que é muito superior. Deu baile em Focus, Cruze, 308, I30. Então não é só impressão, os freios dele são bons mesmo.

  • BentVale

    Acredito que Engenheiros ou Não, as pessoas que se envolvem nas discussões aqui, só tem a ganhar, ganham conhecimento técnico além dos supostamente anunciados nos comerciais e concessionárias, Eu acho importante fazer as “Relações” Pois Assim nós criamos bom senso e nos tornamos mais críticos na hora da aquisição de um automóvel, pois o mercado está lotado de carros caros e ineficiêntes apenas por culpa da ignorância dos consumidores.

    • Lucas Souza

      Mas como que alguém leigo (como eu), vai saber se Xuxinha24 (exemplo) tem conhecimento técnico e está realmente correto. Metade diz que freio a disco faz diferença, a outra metade que é totalmente desnecessário e gasta mais. Eu fico mais em dúvida ainda hahaha
      É como na questão de airbags. Airbag do joelho é necessário ou é só um luxo a mais? Freio a disco não traria um pouco mais de segurança? Mesmo que mínima? Se um airbag a mais é importante pq freio a disco não seria? Não tenho conhecimento técnico nenhum mas prefiro gastar mais e pagar mais e ter pelo menos a sensação de mais segurança do que ir pela opinião dos outros.

      • BentVale

        Concerteza, é por isso que é importante pesquisar diferentes opiniões sobre o mesmo assunto ou carro. e tbm concordo, na ponta do lapis faz diferença, mais não é todo o tipo de pessoa que da 200km/h e freia de uma vez, pq nesse caso faz diferença, agora se for um uso cotidiano, dificilmente vc sentira diferença, e é claro, esse ponto q vc relevou em gastar mais faz toda diferença, mais vc tem q ser consciênte, pois existem coisas que são cobradas q não deveriam…e outras q um carro com um custo alto deveria vir…por exemplo, um carro de 80 mil vc não deveria se preocupar se o carro tem freio a disco na traiseira e controle de tração, pois deveriam, mais ai, algumas fabricantes cobram a mais por isso

  • Rafael Gravena

    E o que dizer das caminhonetes? Que em geral usam freio a tambor mesmo em suas versões mais caras, que chegam a passar de R$ 150.000?

  • Vattt

    São as aberrações do mercado brasileiro!!!

    • Alessandro Lagoeiro

      Acabei de mostrar lá em cima carro vendido no EUA com freio a tambor na traseira. Ô complexo de Vira-latas, hein?

  • driguetto

    Não se faz Copa do Mundo com freio a disco………….

    • Alessandro Lagoeiro

      Hahaha… Nada a ver com o tópico, mas sem dúvida excelente!

  • 912mig

    Comparar, e até mesmo defender os freios a tambor é uma completa falta de senso.
    Na década de 50 a Jaguar introduziu os freios a disco nas competições. Eles eram tão superiores que por causa dessa capacidade de frenagem absurda tornou os Jaguares dominantes em le Mans nessa década.
    Por causa disso também houve aquele acidente que matou mais de 59 espectadores em Le Mans, o Jag ultrapassou um Austin e freio com tudo para entrar no box, o Austin para nao bater na Jaguar abriu de repente e bateu na Mercedes que voou em chamas na arquibancada.
    Freio a tambor na traseira é estritamente questão de economia, coisa de país de 3 mundo ou mercados “emergente” (pobre).
    É só raciocinar, se freio a tambor fosse bom, carros de corridas utilizariam eles, mas já não o fazem desde a década 50.

    • Cardoso

      Falta de senso é comparar o que ocorre em uma corrida, com o que ocorre em uso cotidiano. Em uma corrida os freios são exigidos ao extremo, durante todo momento.
      Ninguem defende o uso absoluto do freio a tambor na traseira, mas diante de quanto o freio traseiro é exigido em uma frenagem, o freio a tambor cumpre a contento.

      Mas você concerteza deve ser um daqueles que entra no carro pra ir ao Shopping e pensa ser o Speed Racer, cortando na Marginal, dando farol, colando na traseira dos outros carros, ai nesse caso o freio a disco faz toda diferença mesmo.

      • 912mig

        Percebe-se pelo seu comentário, que partiu para ataques pessoais, que voce é uma pessoa limitada e de poucos recursos intelectuais.
        Sua falta de recursos e argumentos para responder levam a ataques pessoais. Pode tentar me chamar de feio e bobo da proxima vez, como faz a minha sobrinha se 4 anos.
        O freio nao precisa ser usado no limite para ser mais eficiente.
        Ele simplesmente é melhor, por isso será mais eficiente em qualquer situação seja ela extrema ou cotidiana.
        Repito, qualquer bom carro, de qualquer boa marca, vendido na Europa, Japão, América, Australia tem freio a disco nas 4 rodas desde a decada 90.
        Freio a tambor é para nós, “emergentes”, que pagamos sem reclamar, sem critério.
        hauhaua adoro esse termo, emergente, é patético.

        • Cardoso

          Beleza, piloto da Le Mans, tem toda razão!

          • 912mig

            Seu poder de argumentaçao e retórica é espantoso!
            Brilhante! uhauhauhauh
            PS: Procure no dicionário o que é retórica…..

        • GPE

          Os ataques foram desnecessários. Porém, tenho que concordar com que em competições o freio a disco faz toda a diferença. Mas no uso “normal” em carros leves (até 1200kg), serão pouquíssimas situações que ele será realmente vantajoso frente ao sistema a tambor.
          Agora entendo que acima de 60mil todo carro deveria vir obrigatoriamente com freio a disco atrás independente de ser potente ou não, nem tanto pela função, mas sim pelo valor gasto no automóvel.

    • Angelo_RSF

      Você escreveu bem “….Jaguar introduziu os freios a disco nas COMPETIÇÕES….”…”….se freio a tambor fosse bom, carros DE CORRIDA utilizariam eles….”

      A diferença do Tambor para o Disco só é notada quando o freio é utilizado no limite do limite.

      Num carro de uso “doméstico” não se nota diferença em performance.

  • Rodrigo

    Não vejo mal nenhum em um carro ter freio a tambor na traseira, desde que seu desempenho em frenagens seja condizente.

    Basta ver que muitos carros com freio a tambor conseguem até ser melhor em provas de frenagem (80 a 0 km/h, por exemplo) que modelos equivalentes, com freio a disco.
    Sem contar que a durabilidade é bem maior também…

    • Fábio

      Vc ta comparando carros iguais alterando somente o tambor / disco de freio e achou um que freia melhor com o tambor? Explica isso direito, eu sinceramente não entendi.
      Para a frenagem todo o conjunto faz diferença. Largura de pneus, piso, e o conjunto de freios. Até a roda faz diferença pq roda grande “cabe” conjunto de freios maiores e mais eficientes. Procure um técnico.
      A meu ver freio a tambor é passado. Coisa para carros a carburador – comparando com tecnologias do PASSADO.

      • Alessandro Lagoeiro

        Acho que ele está falando da 4R de Janeiro de 2002, onde o Elantra conseguiu parar em menos espaço que o Civic, por exemplo. O curioso é que li muita gente criticando o freio a tambor do Elantra, mas ninguém cobrando um desempenho melhor de frenagem do carro de Sumaré.

  • zeuslinux

    Não sou engenheiro mecânico mas certamente os freios a disco têm vantagens. Cito esse trecho de uma matéria tirada de outros sites (que não vou citar porque eu acho que são concorrentes) que qualquer um pode entender:

    “A maior vantagem do freio a disco sobre o sistema a tambor é a facilidade de dissipação de calor, pois o conjunto (disco e pastilhas) fica exposto à passagem de ar. O sistema a tambor, por conter as lonas num compartimento fechado (a “panela”), está mais sujeito a perda de eficiência por superaquecimento, conhecida por fading — termo erroneamente traduzido como fadiga por alguns, já que o verbo fade em inglês significa desaparecer.

    Outros benefícios do disco são a regulagem automática de folga (as pastilhas se aproximam dele conforme se desgastam, principal razão para a queda do nível de fluido no reservatório), facilidade de verificação do desgaste e de substituição das pastilhas, menor peso, menor dilatação e melhor equilíbrio das pressões exercidas no disco, reduzindo reações indesejáveis no eixo.”

    “Já no quesito segurança, o freio a disco se destaca em duas situações. Primeiro, não está suscetível a acumular água em seu interior, o que garante maior eficácia em pistas molhadas. A outra vantagem é que ele tem maior capacidade de resfriamento, uma vez que possui um sistema aberto que dissipa mais rapidamente o calor. “Com isso o fenômeno fading – quando o fluído de freio ferve – é evitado, o que garante a qualidade da frenagem”, explica Daniel Lovizaro, chefe de assistência técnica da divisão automotive aftermarket da Bosch Brasil.”

    • Lofin

      Boa.

      Se não me engano, podemos inserir nessa lista também o simples fato do sistema de freio a disco possuir um número menor de peças móveis.

      • 4lex5andro

        outra que o freio a disco responde melhor que o tambor em situaçoes criticas como declives, manobras evasivas bruscas e curvas de estradas;

        nao necessariamente uma corrida , mas há situaçoes que podem ocorrer no dia-a-dia em um páis de rodovias nem sempre bem projetadas ..

    • Thales Sobral

      Freios a disco tem vantagens sim. Demoram muito mais pra chegar ao limite do que os tambores. Agora, se isso vai se traduzir em vantagem de fato para o usuário comum, são outros 500.

  • Henrique de Abreu

    Esqueceram de mencionar o Honda Fit. Na segunda geração, as versões mais caras apresentavam freios a disco nas rodas traseiras. Já na terceira, este item não está disponível em nenhuma versão.

  • Thiago_NCO

    Tão defendendo tambor em carros de 80k (esse é o FOCO desta matéria).
    Brasileiro merece, realmente, todo lixo que lhe é empurrado goela abaixo.

  • Bilugs

    Freio a disco está ultrapassado !!!
    Quero um freio a CD !! (Fontes quentes da BMW falaram que o i8 terá a nova geração de freio a Blu-Ray!!)

  • Leandro Santos

    Paga-se muito, recebe-se pouco.

  • BentVale

    Kkkkkk…os caras andam de carro 1.6 e ficam falando como se andassem na LeMans! Kkkkkkkk

    • Cardoso

      kkkk, boa.
      Esses caras que ficam capotando carro por ai, são todos testadores de freio. Speed Racer da Anchieta é o que mais tem.

      Se achou que pelo valor do carro deveria ter freio a disco na traseira, não compra, simples assim.

      Mas querer dizer que faz falta é demais…facilita nas manobras evasivas, manobras bruscas…é piloto de fuga? Motorista da ROTA?, Viva aos motorista que pensam ser pilotos de teste da Pirelli……usam o carro pra ir na padaria e precisa de freio a disco na traseira..faz me rir.

      • Thiago_NCO

        O foco da matéria são carros caros com sistema a tambor.
        Ironize o quanto quiser, mas um carro de 80k sem disco nas quatro rodas não passa de economia porca das montadoras.
        Compra quem quer? Claro, oras. Mas, repito, não tira o mérito da questão: ECONOMIA PORCA.

  • Wanderson Perin

    A manutenção

    Por conta desta
    simplicidade, o freio a disco tem uma manutenção mais rápida e barata.
    Na verdade, o que faz seu preço ser mais alto na hora da compra é o
    custo de fabricação do próprio disco e do conjunto duplo de freios
    traseiros, montado com dois sistemas separados; um para o freio de
    estacionamento e outro para os freios comuns.

    Apesar de a
    necessidade de reparo do freio a tambor ser menos frequente (a cada
    50.000 km, de acordo com o engenheiro Rubens Venosa), seu custo pode ser
    maior. Segundo a Fiat, a manutenção dos tambores, do jogo de sapatas e dos cilindros de freio de um Punto Essence com freios a tambor sai por volta de R$ 571,66.

    Por
    sua vez, os freios a disco devem passar por manutenção a cada 30.000
    km, ou quando as pastilhas estiverem com uma espessura inferior a 5 mm.
    Este custo para um Punto T-Jet com sistema ABS é equivalente a aproximadamente R$ 221,72.

  • Wanderson Perin

    A segurança

    Já no quesito segurança, o
    freio a disco se destaca em duas situações. Primeiro, não está
    suscetível a acumular água em seu interior, o que garante maior eficácia
    em pistas molhadas. A outra vantagem é que ele tem maior capacidade de
    resfriamento, uma vez que possui um sistema aberto que dissipa mais
    rapidamente o calor. “Com isso o fenômeno fading – quando o
    fluído de freio ferve – é evitado, o que garante a qualidade da
    frenagem”, explica Daniel Lovizaro, chefe de assistência técnica da
    divisão automotive aftermarket da Bosch Brasil.

  • Sandro Araujo

    O TR4 atual 4×4 possui disco na traseira pois minha esposa tem um e verifiquei na hora da compra. Ok!!!

  • William Ribeiro

    Faz diferença sim, reparem em carros como Corolla, Fit, Cruze, carros que contam com freios a disco na traseira, quando param não balançam tanto quanto carros que usam freios a tambor, acredito que o uso de discos fazem sim diferença na frenagem.

  • Fanjos

    Vai ter uma galera falando que disco traseiro é frescura de quem é “rachador de rua” e que esta tudo certo de as montadoras caparem os carros e cobrarem um absurdo por isso.

    • 912mig

      Pior que já teve um cidadão que disse isso!! huahuahau. tétrico.

      • Alessandro Lagoeiro

        Ninguém disse isso. Desafio a você mostrar um comentário de alguém que disse que está certo as montadoras caparem os carros e cobrarem caro. Você está lendo o que ninguém escreveu. Acho que o seu tempo na Europa, onde não viu que 208, Fiesta, Clio, Polo… Tem freios traseiros a tambor, fez você se esquecer um pouco de interpretação de texto em português.

        • 912mig

          Vou colar para voce amigo.

          Os comentários são do Cardoso, procure ai que voce vai encontrar

          “Mas você concerteza deve ser um daqueles que entra no carro pra ir ao Shopping e pensa ser o Speed Racer, cortando na Marginal, dando farol, colando na traseira dos outros carros, ai nesse caso o freio a disco faz toda diferença mesmo.”

          “Esses caras que ficam capotando carro por ai, são todos testadores de freio. Speed Racer da Anchieta é o que mais tem.”

          “Mas querer dizer que faz falta é demais…facilita nas manobras evasivas, manobras bruscas…é piloto de fuga? Motorista da ROTA?, Viva aos motorista que pensam ser pilotos de teste da Pirelli……usam o carro pra ir na padaria e precisa de freio a disco na traseira..faz me rir.”

          Tá ai, desafio zerado!!! uhahuauhauha
          Colei para voce, procure os comentários que vai ver, isso é comentário dizendo que é coisa de rachador e que não faz diferença.

          • Alessandro Lagoeiro

            Desculpa, nenhum deles escreveu que as montadoras estavam certas em capar os carros e venderem mais caros.

        • 912mig

          Ache no texto da matéria alguma referencia a Clio, Fiesta, Polo e 208 e depois me procure.

          • Alessandro Lagoeiro

            Ah, esses carros são vendidos a tambor nos países desenvolvidos. Você falou que isso era uma solução de país subdesenvolvido, o que demonstrou ser mentira. E minha pesquisa foi além. Focus também é vendido com tambor. No EUA.

  • Noova

    somente brasil posso leva essa vitoria[vergonha],,kkkkk

    • Alessandro Lagoeiro

      Escuta, não fala para ninguém não, mas no EUA também vendem carro com tambor na traseira, certo?

  • Eduardo

    Tenho diversão garantida quando o assunto aqui são carros nacionais. Todos são especialistas, seja quando se trata de impostos e ou valores, tecnologia, principalmente ao que se refere a segurança.

  • Guilherme Batista

    L200 Triton também tem, a principio não compromete os freios que são bons, mas fico meio sismado de usar por muito tempo

  • fellipealo

    Freios a disco respondem mais rápido, dissipam calor, trazem maior segurança e são extremamente uteis quando utilizamos os “acessórios” do ABS(EBD e afins).

    A única vantagem do tambor é o tempo de vida útil. Só.

    • zeuslinux

      Ou seja, é solução pobre para carros baratos. Portanto é um absurdo usar em carros médios e SUVs pequenas na faixa de 60 mil reais para cima.

      • fellipealo

        Exatamente.
        A Ecosport e Duster é um exemplo macabro disso. São carros que irão deformar suas suspensões em curvas e frenagens mais bruscas, são carros menos estáveis em todas as situações, além disso são carros sem o mínimo de segurança(leia-se controle de tração e ABSs sem assistentes de frenagens).

        No Século 21, carros lançados sem estes itens, não podem ser considerados carros novos.

        • Alessandro Lagoeiro

          Acho que deveria estuar melhor a ficha técnica da Eco, amigo. Mas só acho.

          • fellipealo

            Ecosport, não digo atual com 4 freios a disco. mesmo porque no caso da ecosport nem com 18 freios a disco ela melhorará a estabilidade.

            • Alessandro Lagoeiro

              Desculpa amigo, mas se você não dirige uma Ecosport com segurança, o problema está longe, muito longe de ser o carro.
              E obviamente você sabe que ela tem controle de estabilidade, não sabe?

              • fellipealo

                Tive que checar a versão 2014 para ver se o seu protecionismo era exacerbado. Não era de fato. O novo Ecosport(carro que era patético em segurança melhorou) está seguro acima da versão básica.
                Dei uma nova olhada na ficha técnica para ver se eu estou tão equivocado em dizer que nem com 18 freios ele melhoraria a estabilidade… nessa infelizmente para ti, estou certo.

                Como de praxe da Ford, eles colocaram o airbag sem SRS e SRP, agora eu aposto(pois gastarei meu precioso tempo com isso) com você que o ESL e o TC que diz estar presentes sejam tão vagabundos quantos os airbags.

                • Alessandro Lagoeiro

                  Bem, não sei se são “vagabundos”, porque geralmente esses softwares são fornecidos por terceiros, que acabam equipando carros de outras fabricantes, inclusive tops. Os componentes mecânicos também são aproveitados de outros carros, como por exemplo, a suspensão traseira do Ecosport 4×4 que era da Ranger Americana. Um exemplo que nem tem a ver com segurança, dentro da própria Ford: Olhe as especificações da Benneton campeã do Mundo com o Schumacher em 94. E olhe a especificação da injeção eletrônica do motor Kent/Endura do Ka de 98. Sim, o módulo de injeção é uma evolução do módulo do Ford Cosworth. Por ser uma questão de software, é mais fácil colocar de um carro de competição em um carro popular.

                  • fellipealo

                    Olha, tenho uma lista de pontos negativos da marca, não é nem por culpa da “segurança”, entro nos méritos de aproveitamento do motor em si. Em breve postarei exemplos disso.

                    • Alessandro Lagoeiro

                      Fico no aguardo. Até porque ao contrário do que acham, sou “fordista” (Ok, acho ridículo torcer para marcar de carro. Pior ter gente fazer dossiê contra carro, trabalhando de graça! heheh). E acho que toda marca tem seu calcanhar de Aquiles. Acho os Fiat mesmo, embora bonitos e mercadologicamente perfeitos (Estou falando do “andar de baixo”), com alguns problemas de qualidade. Chevrolet consegue ter a linha mais completa do país, mas nenhum carro que se destaque em tecnologia (Acho o melhor produto do casa o Ônix). Ford tem na montagem de seus carros seu calcanhar de Aquiles (papel que era da Peugeot). Acho a WV uma das linhas mais equilibradas do andar de baixo, mas eles cobram a mais por isso (Não entrando no mérito de ser justo ou não). Minhas esperanças estão nos franceses, embora ache que a Renault tenha caído muito ao aposentar sua estratégia de se igualar aos locais oferecendo mais por menos.

                    • fellipealo

                      Garçom, seguinte. São defeitos presentes e que não valeram recall… 3 anos atrás, atualmente como mudaram TUDO, não tenho as informações técnicas. Só tenho a de acabemento do New fiesta, alinhamento do Focus e dobramento de chassis, mais nada.
                      1) O eixo frontal(isso inclui tudo) nos carros da FORD até 3 anos atrás possuem um defeito sistemático de fadiga, ou seja, se você estiver andando com o seu ecosport/fiest/ranger/escort em dia ensolarado de domingo, pode fazer uma curva e perder a direção e ter seu lindo carro com as rodas para direções opostas. Este é um defeito de fadiga sem prescedentes.
                      2) A Ranger antiga tem(entre outros defeitos) um bem legal, vazamento de óleo pelo diferencial, pelo carter, até pelo escapamento(sendo um veiculo que não tem 16v, não há motivos para isso).
                      3) Defeito mais proeminente: Só olhar nas ruas quantos carros com motor Zetec estão circulando. Quase em toda a sua totalidade, fundiram, pela falta de troca das velas.

                      Tem mais defeitos, depois posto. Não é para abalar o seu fordismo, mas apenas para fazer você olhar para o mercado americano e daqui pra frente dizer… esses são os carros que deveriam circular aqui. Os fabricados aqui(pela ford) quase 100% não tem um controle de qualidade digno do preço. Pois não defenda drogas, defenda o que é bom.

                    • Alessandro Lagoeiro

                      Valeu pelo levantamento, Fellipe. Na verdade, sempre defendo meu dinheiro! Para você ver, que quando eu peguei o Gol, o Fiesta estava no mesmo preço. Por questões bancárias, eu só poderia comprar carro da VW e da Chevrolet, e como o Corsa e Fox estouravam meu orçamento, sobrou Gol G4, G5 e Celta. O mais barato era o G4, mas o seguro dele era simplesmente QUATRO VEZES maior que do Gol G5. Celta no mesmo preço do Gol, não tinha o que pensar, não? Mas a pergunta que me faço hoje: Se fosse para pegar pelado como eu peguei meu Gol, e não existisse a condição bancária, compensava o Fiesta? Hoje olhando para trás, eu tenho certeza que não. Apesar do que as pessoas acham, o seguro seria praticamente o mesmo valor, com pouca vantagem para o Paulista. O baiano ofereceria mais espaço interno, mas cobraria isso no consumo e desempenho. Claro, se ele tivesse ar no mesmo preço, não teria o que pensar. Mas equipado em condições iguais (Ou desequipados, se é que essa palavra existe), acho o Gol mais negócio que o Fiesta.

    • Lorenzo Frigerio

      A vida útil é semelhante; é óbvio que discos dianteiros sofrerão desgaste mais rápido que tambores traseiros.

  • COMENTARISTA MEDÍOCRE.

    (advogado do diabo)Besteira! Se freio a disco fosse essa marmota toda, pruqué caminhão num tem?!?!?!? Quem já andou em fusca com panelas em todas as rodas sabe do terror que se passava em chuvas fortes…..

    • Lofin

      Se não me engano, os caminhões da Fórmula Truck utilizam freios a disco.

    • fellipealo

      Usam tambor, porque são pesados. O único tipo de freio capaz de suportar grandes pesos, realizar frenagens suaves(sem travamento de rodas) e distribuir o calor sem causar grandes danos ao óleo do freio(que é diferente em caminhões), é o freio a tambor. Não há outro material mais confiável para se colocar em estradas atualmente.

      Se os caminhões usassem disco, eles teriam menos vida útil, teriam frenagens sem ação(pelo espelhamento do disco), teriam travamentos de rodas idiopáticas e por fim seriam extremamente caros, pois exigiriam freios a disco enormes.

      • COMENTARISTA MEDÍOCRE.

        Na verdade, são freios à ar. Se fossem à óleo, pegariam fogo. E olhe que já pegam fogo!

        • Lorenzo Frigerio

          O ar apenas ajuda o pé do motorista. O freio é hidráulico.

        • fellipealo

          Hidráulico… AR é no pedal. Faz tempo que não vejo caminhões, devem ter mudado.

          Mas acho que são assim ainda.

        • Zetros1833

          Não, são freios a disco ou a tambor, só o comando que pode ser pneumático de dois circuitos ou pneumático com assistência eletrõnica, o chamado EBS-Eletronic Brake System.

      • Chronosky

        existe o sistema de freios por indução mas quem disse que vao equipar isso nos caminhões… nunca…

    • Lorenzo Frigerio

      Caminhões obviamente têm freios bem “sarados”. O Fusca sempre foi um carro feito nas coxas, não conta como exemplo. Tenho um Oldsmobile Cutlass 1967; veja bem, esse é um carro de alta compressão e quadrijet de fábrica que JANTA qualquer Dodjão ou Maverick originais… os freios são a tambor nas quatro (com servo-freio), e bem razoáveis (mas agora que foi reformado estou convertendo para disco nas 4).
      A vantagem do freio a disco é a progressividade. O freio a tambor é “violento”, tem uma pegada súbita. Isso é porque ele é feito de modo que a própria rotação do tambor em contato com a lona aplica um “efeito cunha” no sistema, que nada mais é que uma “servo-ação”. É por isso que quando o carro é disco na frente e tambor atrás, a roda traseira tende a travar, ou seja, a progressividade dos dois sistemas é diferente. É por isso que alguns carros e pickups têm ABS só atrás – aliás, parece ser mais barato fazer assim, do que usar discos também na traseira!

    • Magno

      Existem caminhões Scania e Volvo que já saem de fábrica com freios a discos em todas rodas. Logicamente como itém opcional.

      • Zetros1833

        Nos mais caros é de série. Nos Mercedes Axor e Actros tbm é de série, inclusive com ABS, ASR e EBD.

    • Zetros1833

      E quem disse que caminhões e ônibus não tem freios a disco?. Pelo menos nos mais caros?.

  • Vinícius

    Freio a disco teria que ser obrigatório em todas as rodas! São segundos que podem salvar uma vida, sem falar do ESP,cinto de 3 pontos para todos,etc… Claro que não são milagrosos, mas ajudam muito.

  • Bruno Silva

    É importante frisar que o Tucson sempre freio a tambor na versão GL, mesmo a importada. O nacional tem também tambor na GL e o GLS freio a disco.

  • COMENTARISTA MEDÍOCRE.

    O curioso é que mesmo nos freios a disco traseiros as pastilhas de lona continuam lá, mas menores e fazendo apenas a função de freio de mão.

    • Chronosky

      mais heim? só pode ser troll… não é possível alguém falar uma parada dessas seriamente…

    • Marcelo Alves

      Nem todos. Alguns carros possuem um mecanismo na pinça do freio que tem uma alavanca que quando acionada (por cabo de aço), empurra o êmbolo da pinça e faz as pastilhas morderem o disco.

  • Chronosky

    Todo item de segurança que não inviabilize o preço deveria ser obrigatório em QUALQUER veículo… e sem choro… Problemas se vai jogar o preço dos carros pro alto, segurança é prioridade máxima…

  • Wagner Lopes

    Esse é o problema do brasileiro…ainda aparece um monte que consegue justificar o uso de tambores na traseira em detrimento aos discos…ohhhh povinho viu. Nasceu para ser lesado por estas multinacionais que adoram (e lucram muito) toda esta ignorância!

  • O que importa é a tecnologia empregada ou o resultado? Se um carro com freio a tambor para em menor espaço com freios a tambor e outro usa freio a disco e demora a parar, prefiro o primeiro.

    • Alessandro Lagoeiro

      Mas como você vai jogar Super Trunfo com a ficha técnica do seu carro?

  • Sics César

    O preço não é compatível com uso de lonas para frear, alem do que em frenagem de urgência sobrecarrega o abs que neste caso só tem funcionamento nas rodas dianteiras. O ideal msm é o uso do freio motor nos manuais que reduz o gasto das pastilhas e tem muita eficiência em frear o carro.

    • Alessandro Lagoeiro

      Desculpa, de onde tirou que só tem ABS na roda dianteira? Sobrecarregar o ABS? Olha, posso estar enganado, mas Ranger e S10 tinham versões com ABS apenas na roda traseira. Que era tambor. Mas vou pesquisar e depois te confirmo.

      • Sics César

        Amigo há ABS sim em tambores na traseira da S10, Ranger e até na D20 pelo fato de que se a carroceria estava vazia o ABS somente atrás daria uma assistência a caminhonete. Eu mencionei no quesito da eficiência que é muito maior nos freios á disco, pelo fato de não ocorrer fading, acumular água reduzindo o atrito entre a sapata e o tambor etc. O freio á disco tem ventilação pelo simples fato de estar exposto. Ainda no Brasil se coloca ,em muitos carros, o ABS somente na frente o que reduz a eficiência de frenagem.

        • Alessandro Lagoeiro

          Você sabe quais os casos de ABS apenas dianteiro?

  • laguiar

    10cm a mais de espaço para frenagem são suficientes para matar um pedestre, economia porca com segurança é algo que realmente não deve ser aceitável!

    • Alessandro Lagoeiro

      Mas gostaria de ver um teste onde o fato de ter disco atrás faz parar em menos desses 10cm…

    • Fábio

      E tem mais, quem freia melhor na frente com discos e ABS nas quatro, vem outro atrás usando o tamborzão e não consegue parar na mesma proporção. Tá aí o problema. E depois ainda reclama que a pessoa da frente parou de repente.

  • Pomarola

    Aaaaaaaaaaaah mas se fosse um Golf, freiaria bem até com tambor nas 4…

  • CarLoverRS

    Não faz o menor sentido um carro que custa mais de R$50mil vir com freios a tambor. Recentemente visitei uma CSS GM para olhar de perto a Tracker (curiosidade mesmo), já que olhando de longe o carro me pareceu interessante. Decepção na hora quando vi freios a tambor na traseira em um carro (LTZ) que estão pedindo aqui (RS) R$89mil. Sem contar aquele painel de plástico duro, acabamento bicolor horrível, aquele my link que nem GPS funciona se não tiver um smartphone conectado a ele… por esse preço eu compro uma Captiva 2013, infinitamente mais completa e com acabamento requintado.

  • Ricardo

    Não esqueçam….o linea tem freio a disco traseiro…a reportagem fala das carroças chinesas, mas não faz menção ao linea nacional….
    Existe uma certa marcação com o sedan da fiat….
    Melhor custo beneficio entre os sedans médios….

    • From Rivia

      Cara, nunca dirigi um, mas gosto muito dele…interior bonito, bom motor, bem equipado, e normalmente bem conservado, se o carro é usado. Tenho vontade de ter um sedã, e o línea povoa meus pensamentos com alguns outros modelos. A versão T-jet então, nem se fala…Carro clássico, bonito…recém atualizado. Bem legal mesmo. E sobre a “marcação” do brasileiro, bom, quem compra saveiro por 55 mil, a gente vai falar o que, né? O línea é um belo carro.

      • Sics César

        Amigo respeito o gosto, mas falar que este carro foi atualizado é um equívoco nem o motor mudaram, o velho 1.8 cachaceiro com +- novo nome (e-torq) que colocaram num dinamometro aos “10.000 rpm” pra alcançar os 130 cv. Esse frisos dianteiros cromados e outras coisas não mudam o carro. Em alguns países este carro nem é considerado sedã médio e é considerado como um siena, comparando. Concordo que pagar 50 e poucos K numa saveiro é loucura!

        • From Rivia

          Sei lá cara, meu irmão tem uma palio weekend 1.8, a segunda aliás, e a antiga, 2009 acho, já dirigi vááárias vezes levando ele pra campinas, no aeroporto, numa viagem de umas 4 horas, ida e volta. Não sei se é o mesmo motor, mas o da palio anda que é uma beleza, sério mesmo, e não é gastão não. E para mim, que tenho um 1.0 de 70 cv, mesmo que pegasse um de 105 cv já dava um upgrade de 50% na potência. Tudo depende do referencial. Só admiro o carro, por achar bonito e tal, mas nunca compraria sem antes dar uma boa volta nele. Mas do motor 1.8 da fiat só tenho boas lembranças.

          • Sics César

            Amigo nesse caso concordo, depende do referencial, da proposta pessoal, só q eu fico com raiva dessas montadoras q n atualizam os carros e ficam enganando os consumidores. No caso de pegar um sedã médio eu olharia o nissan sentra que tem um preço bem próximo do linea e tem muito mais tecnologia!

  • Joildo Dias

    Sinceramente não sei quem é mais culpado, se o consumidor mal informado ou a sacana ladra da montadora que coloca um carro desse valor sem um mísero freio à dico,”os dois”………………….

    • Fábio

      Os dois são culpados. Mas com mais peso para o consumidor brasileiro que é muito tradicionalista. Imagina que se não fosse por força de lei o mercado estaria absorvendo Kombis com projetos de 50 anos atrás. Isso um dos exemplos.
      Ah, e tem outro culpado tb, o governo que protege a indústria local criando uma reserva de mercado. Esse comportamento mata a concorrência e o prejudicado é o consumidor.

  • Spinelli

    O Honda Fit EXL 2015 também retirou o freio a disco e colocou um a tambor na traseira, do seu lançamento!

  • Spinelli

    Olhando os nossos comentários, acho que o próximo lançamento da Ferrari vai vir pro Brasil com freio a tambor na traseira, e a temporada da fórmula um de 2015, vai vir com uma novidade: freio a tambor na traseira, já que no Brasil constataram que não faz diferença.

  • Rubem

    bom, vou usar um parâmetro antigo, mas se tratando de uma mesma carroceria para tipos de freios diferentes, lá vai: ja tive um monza sl/e disco/tambor e posteriormente um gls disco/disco. para uso no dia a dia a mesma porcaria os dois sistemas nada perceptivel subindo e descendo serra todo final de semana.

  • Magno

    corrigindo amigo , eh vantagem apenas pra Montadora .. consumidor nao leva vantagem nenhuma nisso , pq alem de comprar um carro caro , ainda tem que engolir um freio a tambor na traseira .. economia desnecessaria ..

  • Paulo Eduardo

    Nissan Sentra geração B16, o “pitbull”. O carro sempre veio com discos mas essa geração “escorregou”. Felizmente a Nissan se mancou e voltou com os discos no Novo Sentra.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 11 anos. Saiba mais.

Notícias por email

Send this to a friend