*Destaque Elétricos Finanças Governamental/Legal Híbridos Mercado

Carros elétricos e híbridos: Medida Provisória deve baixar IPI de 25% para 7%

volkswagen-e-golf-42 Carros elétricos e híbridos: Medida Provisória deve baixar IPI de 25% para 7%

Trata-se de uma notícia muito boa para os carros elétricos e híbridos no mercado brasileiro. De acordo com o jornal O Globo, citando fontes do governo, uma Medida Provisória deverá ser publicada em breve com uma importante redução na carga tributária que incide sobre estes dois tipos de veículos.



Antes de apagar a luz da sala principal do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, o atual ministro Marcos Pereira dará uma última cartada em benefício do mercado automotivo nacional após não ter conseguido aprovação do Rota 2030, nova política automotiva barrada pelo Ministério da Fazenda e empurrada pelo presidente para fevereiro.

volkswagen-e-golf-42 Carros elétricos e híbridos: Medida Provisória deve baixar IPI de 25% para 7%

Já tendo pedido demissão do cargo, Pereira preparou uma Medida Provisória que reduzirá o IPI de 25% atualmente para 7%, o mesmo percentual cobrado dos carros com motor até 1.0 litro. Considerados como “outros”, os carros elétricos e híbridos pagam o mesmo que os veículos com motor acima de 2.0 e mais que os veículos diesel no geral, lembrando que veículos de chassi com essa motorização voltaram a pagar 15% de IPI.

Ou seja, os carros movidos totalmente ou parcialmente com energia elétrica pagam mais para poluir menos, quando na realidade deveria ser o contrário. A expectativa do governo é que a oferta desses tipos de carros aumente no País, mas como ainda se trata de um nicho bem pequeno – apenas 1.872 elétricos foram vendidos no Brasil em 2017 – não haverá um impacto significante na arrecadação fiscal, pelo menos inicialmente, o que funcionaria como uma forma de fomentar a tecnologia no país.

volkswagen-e-golf-42 Carros elétricos e híbridos: Medida Provisória deve baixar IPI de 25% para 7%

Segundo um técnico do governo, a ideia é aumentar a importação de forma geral, passando de 10% para 20% do mercado nos próximos anos. No entanto, o MDIC não acredita em uma invasão de importados, pois os custos ainda serão altos para os fabricantes nesse caso, por isso Brasília observará a reação das montadoras à redução até o final do mês para ter uma noção de como será o impacto nas importações.

O intuito final é estimular a inovação, especialmente no que diz respeito à ecologia. Mas, como se sabe, alguns produtos dessas categorias possuem produção limitada e uma eventual demanda ampliada obrigaria o fabricante à produzi-lo por aqui. A MP já foi editada com autorização do próprio presidente Michel Temer, mas a data da publicação ainda é incerta. No entanto, pelo que o técnico do governo mencionou, provavelmente ocorrerá nos próximos dias.

volkswagen-e-golf-42 Carros elétricos e híbridos: Medida Provisória deve baixar IPI de 25% para 7%

Mesmo sem a divulgação de uma MP para reduzir o IPI para elétricos e híbridos anteriormente, algumas montadoras já haviam confirmado lançamentos do segmento para o Brasil, começando a iniciativa em 2018. A Volkswagen não só confirmou um, mas dois produtos, sendo eles derivados híbrido plug-in e elétrico do mesmo modelo: Golf GTE e e-Golf.

A Nissan também confirmou o Novo Leaf, enquanto a Renault falou de um Kwid elétrico. A GM igualmente mencionou a chegada de um elétrico para este ano, sem confirmar exatamente o Chevrolet Bolt. A Toyota tem o Prius e fala em híbrido flex nacional, que pode ser o próximo Corolla. A BMW já vende o i3 e o i8, assim como outras marcas de luxo. A Jaguar tem até reserva aberta para seu crossover I-Pace, por exemplo.

[Fonte: O Globo]

 

COMPARTILHAR:
  • André Lima

    Se realmente a Renault produzir um kwid elétrico irá estimular as outras a produzir seus próprios elétricos de baixo custo!

    • Luciano RC

      Olha… na onda de cagada e na gestão horrível da Renault, eu não acredito que ela tenha a intenção de produzir a versão elétrica aqui.

      • PEDAORM

        Gestão horrível? A Renault Nissan vai muito bem, obrigado, com o Ghosn no comando.

        • Ernesto

          Aqui no Brasil eles cagaram no Kwid com problemas de qualidade (freios, por exemplo) tendo até que atrasar as entregas. E em relação ao Captur ter um interior tão pobre e na versão top (2.0) ter câmbio automático de 4 marchas. Estes são exemplos de cagadas recentes da Renault.

          • PEDAORM

            Falo da marca como um todo. No Brasil teve esse problema da entrega de fato e concordo sobre o Captur, mas a marca se fortaleceu muito com a gestão do brasileiro e um Kwid elétrico, debatido acima, não seria um projeto apenas nacional.

            • Ernesto

              Sim, levando em consideração a Renault no Mundo sim, ela vai muito bem.

        • Lucas maoam

          Vejamos:
          Kwid, fracasso total. Vende bem menos que Up e menos da metade do Mobi.
          Captur, Duster e Oroch somados vendem menos que HRV ou Compass.
          Fluence saiu de linha. Único carro que me fazia ter algum respeito pela marca. Desistiram do segmento.
          Logan vende menos que ka sedan.
          Sandero é o único que salva as vendas da marca, mas ainda assim perde até para o jurássico Gol.
          Ou seja, gestão está horrível sim.

          • PEDAORM

            Saindo do mundinho Brasil É mais fácil ver o que um dos maiores executivos do mundo fez pela Nissan-Renault. Gestão excelente e mundialmente reconhecida.

            “For the time being, Ghosn wants it. Over the years he has built Renault-Nissan into the fourth-largest carmaker in the world, after Toyota, GM, and VW.”

            https://www.google.com.br/amp/amp.timeinc.net/fortune/2014/12/29/renault-nissan-carlos-ghosn

            • Lucas maoam

              Concordo , mundialmente a conversa é outra, basta ver o exemplo da Volkswagen. Inegável que a gestão é eficiente. Refiro-me ao Brasil, mercado no qual a Renault decidiu focar no segmento de baixíssimo custo, mas precisaria ganhar em volume, e atualmente nenhum modelo está atingindo as metas de venda.

        • Luciano RC

          Vai bem o grupo mundial. Agora no Brasil só faz cagada. Vai dizer que o lançamento do Captur foi um acerto?

  • Pedro Evandro Montini

    Carros elétricos e híbridos deveriam ter IPI e IPVA zerados por alguns anos. Isso sim seria um bom estímulo. Mas…

    • Deadlock

      E ICMS também.

    • Luciano RC

      Em SP já tem isenção do IPVA e fica livre do rodizio.

      • Daniel

        Na cidade de SP tem isenção dos 50% de IPVA que cabe a cidade de São Paulo desde a época do Haddad. O Alckmin não abriu mão da parte referente ao governo estadual.

        • Eduardo

          Paga 75% do valor total então.

          • FredBarros

            O Estado fica com metade do IPVA.
            O municipio de circulação com outra metade.
            O municipio abriu mão da parte dele.
            O contribuinte só paga metade do imposto.

            • Ygor Soares

              Igual aqui no RJ, aonde pagamos a metade do dobro de tudo:/

            • Daniel

              Vi umas reportagens de que a prefeitura de SP não estava mais devolvendo a metade do IPVA…
              Não sei como está agora na pratica

    • Pedro Cunha

      Discordo sobre o IPVA, mas IPI e ICMS deveriam ser isentos.
      Além disso, deveria haver algum plano de incentivo para estimular empresas á investir em sistemas de conversão para carros mais antigos.

    • FrankTesl

      Em alguns estados o IPVA já é zero para carros elétricos: Maranhão, Piauí, Ceará, Pernambuco, Sergipe Rio Grande do Norte e do Sul. RJ tem alíquota de 0,5% ou 1%; SP a alíquota é de 3%. MS também é menor do que 4%.
      Na capital de SP,a prefeitura devolve a metade o IPVA, desde que o carro tenha preço de até 150mil.

      • Victor Porto

        O problema aqui do CE (não sei em relação aos demais), é que a legislação é “mal feita”, já que dá isenção de IPVA a veículos movidos por motor elétrico (não fala em “exclusivamente”), mas não considera os Híbridos como tal.

        • L. COM

          Putz, que legisladores burros, muito mal feita. Desatualizada TOTAL!!!

        • FrankTesl

          em SP acontece algo semelhante. carros movidos a gasolina, seja exclusivamente, ou não, recevem a aliquora maxima de IPVA. um carro importado movido somente a gasolina, um flex ou mesmo um hibrido como o prius e o fusion hybrid tem IPVA de 4%.
          Se fosse um hibrido de etanol e eletrico, teria 3%.

      • L. COM

        Muito pouco, deveria ser norma nacional. E esses híbridos estão caros, vou continuar com o meu burner bom tempo ainda, até tomarem vergonha e reduzirem esses preços injustificáveis.

      • afonso200

        problema que essas leis nao acompanham a inflação nem aumento de valores, ou seja 150mil nao é nada

    • Rafaelprado

      Não por anos, mas digamos o primeiro carro elétrico ser isento

    • L. COM

      EXATO, povo burro esses legisladores. Ganham muito, fazer lei sem lógica. Burros.

  • Samluzbh

    Se isso acontecer, duvido que a Toyota abaixe o preço do Prius

    • leandro

      Japunes manda é aumentá pleço do Colóla

      • leomix leo

        Rsrsrsrsrs

      • Osni Duarte

        Japonês diria “Corôra”. Chinês diz “Colola”.

        • Renan

          Imagina um Corolla híbrido hein , quanto sairia mesmo com esse IPI menor?
          Chuto uns 195.000 reais , e com fila pra comprar kkkkk

          • Ernesto

            Cada uma que temos que ler…
            Isso tudo é para ganhar likes dos haters, né?
            Pois a nova geração provavelmente virá híbrida e com IPI reduzido poderá sim ser bem competitivo.

            • Samluzbh

              Vai vendo e depois me conta!

              • Ernesto

                Já trabalhei no setor automotivo e mantenho amizade com pessoas ligadas à ele que dizem que isso ocorrerá.
                Se não ocorrer, então a Toyota do Brasil fugirá do que ela sempre fez em relação ao Corolla.

    • Victor Porto

      Vai baixar pra em torno de 100k, de acordo com fontes internas.

  • FrankTesl

    Já é um bom passo.
    Tomara que não ocorram as costumeiras pressões de última hora

  • Mario Souza

    Então quer dizer que a Toyota poderia vender o Prius com desconto de 18% cobrando o veículo por 105k? Alguém acredita que isso aconteceria nesse país?

    • delvane sousa

      Nao. Tudo dessa marca e mais caro pq brasileiro acha chic pagar mais por menos.

      • leomix leo

        Acho que o Fusion não aproveita esse benefício não. Uma pena, imagia ai um Hybrid por 129k. Só louco para pagar 120k num corolla.

    • Luciano RC

      Prius mais equipado e barato que o Corola? Acho que não hein.

    • Acho que. Os híbridos pagam o imposto referente ao motor a combustão, portanto o prius é igual a um 1.8, que é menor que os 25% de um elétrico. Porém terá sim uma redução no imposto. Não sei o percentual para essa faixa.

      • Ernesto

        No título diz que carros elétricos e híbridos deverão ter o IPI reduzido.

    • celso

      Não! Quer dizer que ela poderia lucrar ainda mais.

  • Nando Carreira

    No braziu nada dá certo. Parem de ser tolos. Voltem para seus 1.0 de 45 mil reais consumindo gasolina adulterada a R$4,90.

    • FearWRX

      Triste porém verdade…

      • Wellington Myph13

        Sad, but true…

  • RPM

    Excelente notícia…..vontade ZERO de comprar carros com motor à combustão novamente,uma geringonça antiga e obsoleta…

    • João Holmes

      Comprar carro zero à combustão hoje, ainda que motor turbo, é como comprar um toca-disco sofisticado quando o mercado começou a vender CD player, um video-cassete com 6 cabeças quando começou a vender DVD player ou um celular com teclado qwerty quando começou os touch.

      • RPM

        Exato!!!

      • PEDAORM

        Ainda não. Mas em breve.

  • Ricardo Blume

    Seria um ótimo começo, principalmente se alguns modelos também fossem fabricados dentro do país.

  • Felipe Gomes

    Excelente notícia. Agora os elétricos virão por valores ao redor de R$150.000 . Continua caro , mas menos ridículo que os valores iniciais (BMW I3) R$230.000.

    • Marcio Souza

      Valor honesto (na nossa realidade Brasil) para um elétrico: a partir de 70K. Seria um veículo de entrada no padrão Kwid ou Mobi.

  • Wolfpack

    O problema para veículos totalmente elétricos é a infraestrutura, na geração e distribuição de energia. Com o valor da gasolina nas alturas pode existir uma migração para estes veículos e a pressão sobre a geração de energia será grande. Podemos ter a maioria da população pagando por uma bandeira vermelha de consumo de energia, sem saber a fonte de consumo de tal energia. Uma situação de transferência do dinheiro do pobre para o rico. Um Robin Hood ao contrário.

    • Marcio Souza

      Eu já acho que o consumo não deverá crescer exponencialmente pois o carregamento desses veículos ocorrerão durante a madrugado onde o consumo de energia é muito baixo.

      • th!nk.t4nk

        Exato. Fora que a migração para os elétricos será bem gradual.

    • Louis

      Não haverá uma invasão de elétricos de um dia para outro, o impacto inicial é mínimo. No médio prazo, é de se esperar que seja investido em infraestrutura de eletricidade. Eu mesmo, se conseguir comprar um Kwid elétrico, instalo placas fotovoltaicas em casa.

      • Cássio

        Imagina o custo para instalar isso numa casa.

        • João Holmes

          O custo é bem menor que o preço de um veículo elétrico. Quem te condição de comprar um carro elétrico tem condição de instalar geração solar. Esse seria o ideal, pois não sobrecarregaria a demanda por geração, mas depende da pessoa morar num local onde possa instalar as placas. Daí geraria não só para o carro mas para o seu consumo residencial.

          • FrankTesl

            Verdade. Um monte de gente compra sem pensar carros 1.0 populares de 50mil, SUVs compactos de de 80mil, 90mil, Corollas de 100 ou até 120 mil, mas acham caro comprar um kit solar de 12mil, 20mil, que se pagam em 6 ou 7 anos e duram 25 anos, abastecem a demanda da casa e ainda possibilitaria recarregar em casa o carro elétrico com impacto bem menor nas contas de energia.
            Se for contar que kit fotovoltaico vai abastecer a casa e também o carro elétrico, o tempo de retorno do investimento é ainda menor do que 6 anos.

        • Eduardo

          5 anos estão pagas as pacas voltaicas! Isso sem a demanda de carregar um carro elétrico. Carregando um carro elétrico pode baixar para 3 anos e meio.

        • Louis

          Creio que pelo meu consumo, entre R$ 15k e R$20k. Mas ficaria livre de pagar gasolina.

        • FrankTesl

          com 12 mil reais se instala um kit fotovoltaico de 7 placas numa casa, com serviço de montagem incluso. O investimento se paga em 6 anos e dura 25 anos.

    • Daniel

      Isso só aconteceria se o povo colocasse pra carregar no horario de pico do verão.

      Vc sabia que os chuveiros eletricos são muito mais vilões que os carros eletricos poderiam ser?
      Pra mim deveria ter uma lei proibindo os chuveiros e aquecedores eletricos, tal qual houve para acabar com as lampadas incandescentes!
      No meu apartamento no RJ, pago taxa minima de energia (uso menos que 50Kwh/mês) pois tenho aquecedor a gás.
      Na minha casa em SP, tenho aquecedor solar de agua (uso tbm menor que 50kmh/mês).

      Outra coisa que aumenta desperdicio de energia é instalação eletrica com dimensionamento incorreto… e é o que mais tem por ai, pq acham caro contratar um engenheiro pra projetar a bagaça.

      Se chegar um eletrico com autonomia de 300km em estrada (maxima de pelo menos 130km/h) e preço ate 150mil.. já pode reservar uma pra mim!

      Vou colocar placas fotovoltaicas em casa e carregar o carro a noite.

    • FrankTesl

      Com microgeração nas casas dos motoristas de carro elétrico o impacto de consumo no sistema elétrico é zero.

      E mesmo assim, já foram feitas pesquisas pela CPFL e Itaipu no sentido de que se existissem 3 milhões de carros elétricos na frota nacional, o aumento do consumo seria de menos de 1% no SIN.

      Com os carro elétrico tendo autonomia em torno de 300 km (o i3 tem 160km no modo puro elétrico e mais 150 no modo gerador auxiliar), sendo que a maioria dos motoristas dirige menos que isso por dia, a infraestrutura de recarga não é um fator crítico para a maioria dos motoristas, pois a recarga em casa durante a noite será o suficiente para a maioria dos usos. Quem precisa viajar todo dia RJ-SP ida e volta que continue com o carro normal.

      Não dá para esperar primeiro que construam magicamente a estrutura de recarga para só depois destravar impostos e a burocracia que incidem sobre carros elétricos. Todos esses entraves tributários e burocráticos removidos, os carros começam a surgir e os setores privados e público começam a atuar para atender a demanda que surgirá.

      Com a disseminação deles é que a infraestrutura vai começar a ser implementada. Em garagens de prédios comerciais e de escritórios, nos estacionmento de shoppings etc. A galinha tem surgir antes do ovo, nesse caso.

      Como exemplo, os carros à gasolina surgiram muito antes de existirem postos de gasolina em cada esquina. Os primeiros motoristas de carros à gasolina no final do século XIX e começo do século XX compravam gasolina nos armazéns de ferragens e armazéns de secos & molhados.

      • Wolfpack

        Sou totalmente contra qualquer tipo de desoneração fiscal, incentivo tributário a qualquer tipo de negócio. A regra deve ser igual para todos, do agricultor ao produtor de software, ou indústria automotiva. Com a redução do IPI se exportará impostos, pois todos os veículos elétricos e híbridos são importados. Os veículos elétricos e hibridos devem se tornar viáveis por suas próprias pernas. Chega de incentivo a qquer indústria. Hoje já se fala em retirar incentivos a Tesla nos Esatdos Unidos e inclusive na Noruega.

        • FrankTesl

          Desde o começo dos anos 90 carros 1.0 tem IPI de 7%, quando anteriormente eram de 25% para todos os carros, sendo que durante alguns anos chegou a 0% e depois a 3%.
          Veículos diesel com chassi voltaram a ter IPI de 15% ao invés de 45%.
          Quando os 1.0 tiveram IPI reduzido para ninguém achou ruim, tanto que dura até hoje.
          Na hora de IGUALAR o IPI dos elétricos ao IPI dos 1.0 que sempre foram favorecidos, começam a falar em “andar com as próprias pernas…

        • Rafaelprado

          Wolfpack, a questão é que o veiculo eletrico paga um IPI majorado. A “desoneração” seria para igualar o imposto sobre o veiculo eletrico aos demais? Ou voce é a favor de aumentar os impostos dos outros para igualar o veiculo elétrico?

  • tiago

    Finalmente uma bola dentro, espero que incluam os mild-hybrids 48v, pois esses têm tudo para serem acessíveis melhorando o consumo e diminuindo a poluição.

  • Edu

    É quase nada mas já é um avanço.

  • Marcio Souza

    Veículos elétricos são urgentes, pois é inadmissível ficar refém da Petrobrás com sua política de preços abusivas. Se o Brasil pretende continuar exportando, é bom começar a produção deste tipo, pois a tendência é global.

    • Cesar

      Sai da Petrobras e cai na Eletrobras. Quem puder, tudo bem. Pode fazer um gatinho no sol ou estocar vento. Já ajuda.

      • Marcio Souza

        Sim, mas teremos mais uma opção. E será o inicio, depois com biomassa, hidrogênio, solar…

    • Renan

      Verdade , mas acho que as montadoras daqui quando falam em global dizem que global é exportar para Mercosul,Chile , México e alguns outros países latinos mais atrasados que o Brasil (se é que ainda existe algum , fora a Venezuela), sempre foi assim é pelo que eu vejo vai continuar sendo por um tempo.

  • Wolfpack

    Os modelos Hibridos que dispensam o plug-in e mantém grande autonomia podem ficar muito populares, já os full electrics dependem de infraestrutura cara e legislação própria, pois se eu plugar o carro na rede da empresa, isso sairá de graça ou como cobrar? E o Brasil, como país subdesenvolvido como somos, fazemos as coisas no atropelo, sem planejamento. E o lixo químico e metais pesados quando do descarte ou mesmo sucateamente depois de um acidente, o que fazer? Quem terá responsabilidade no descarte das baterias? Tudo feito nas coxas, sem legislação, sem responsabilidade. País sem regras.

    • FrankTesl

      Com microgeração nas casas dos motoristas de carro elétrico o impacto de consumo no sistema elétrico é zero.

      E mesmo assim, já foram feitas pesquisas pela CPFL e Itaipu no sentido de
      que se existissem 3 milhões de carros elétricos na frota nacional, o
      aumento do consumo seria de menos de 1% no SIN.

      A infraestrutura de recarga não é um fator crítico para a
      maioria dos motoristas, pois a recarga em casa durante a noite será o
      suficiente, em vista da autonomia dos carros elétricos atuais.

      Não dá para esperar primeiro que construam magicamente a estrutura de
      recarga para só depois destravar impostos e a burocracia que incidem
      sobre carros elétricos. Todos esses entraves tributários e burocráticos
      removidos, os carros elétricos se popularizam e os setores privados e
      público começam a atuar para atender a demanda que surgirá.

      Como exemplo, os carros à gasolina surgiram muito antes de
      existirem postos de gasolina em cada esquina. Os primeiros motoristas de
      carros à gasolina no final do século XIX e começo do século XX
      compravam gasolina nos armazéns de ferragens e armazéns de secos &
      molhados.

  • Renan

    Quanto aos híbridos acho que em breve vão dar um jeito de ter etanol, ou seja , gambiarra pra atochar etanol dos usineiros , vejo mais futuro e mais vendas no Brasil de híbridos que de elétricos que demandam mais estrutura, fora que vai ter gente torcendo o nariz achando que consome muito e vai deixar a conta mais cara, quando na verdade já tem alguns que consomem menos que um chuveiro elétrico ou uma lâmpada das antigas.
    Enfim espero que realmente os deixe mais acessíveis , sonhar não custa nada kkkk.

  • FredBarros

    Vai acontecer o que acontece em toda redução de IPI, as montadoras aumentam a margem de lucro e mantem o preço do veículo praticamente o mesmo…

  • Julio Alvarez

    Imaginem um Tesla Model 3 por 130k…
    Coçeira para comprar

  • Pedro Henrique Ramos

    Bla bla bla…CADÊ OS TESLAS???

    Model 3 aqui no Br ia ser uma maravilha mesmo com autodrive desligado!

  • Nickolas Fantin

    Agora o Brasil vai um pouco mais pra frente

  • Johnny Boris

    IPI baixo = preço alto (lucro). Só no Brasil mesmo.

  • Renato Schiavo

    Esta redução de alíquota não chegará para nós consumidores, ou se chegar, será muito pouco. Me refiro ao valor do produto final. As montadoras vão absorver parte disto e aumentar suas já gordas margens de lucro.

  • L. COM

    Tinha que pagar ZERO ou menos que 7. Por qual motivo 7%? Num viram ainda que essa classe é realmente mais especial? E de nada adianta abaixar o imposto e essas montadoras continuarem com os preços de híbrido lá em cima. Prefiro continuar no meu 1.0 se for pra pagar menos.

  • afonso200

    kwid eletrico de 100mil, kkkk

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 12 anos. Saiba mais.

Notícias por email