Elétricos Mercado

Carros elétricos: veja os modelos vendidos no Brasil

Carros elétricos: veja os modelos vendidos no Brasil
Carros elétricos: veja os modelos vendidos no Brasil

O mercado brasileiro ainda é bastante escasso quando o assunto são carros elétricos. Para se ter uma noção, há somente um modelo movido somente a eletricidade à disposição dos consumidores do nosso País. E para piorar a situação, ele é de uma marca premium e custa a partir de R$ 200 mil, o que o torna inacessível para boa parte da população.

Entre diversos outros fatores, faltam incentivos fiscais por parte do governo para reduzir a alíquota do imposto aplicada sob esses modelos e torna-los mais acessíveis. Afinal, se uma das vantagens dos carros elétricos é o fato de que eles não emitem gases causadores do efeito estufa, porque não incentivar as vendas e aumentar a presença desses modelos nas ruas?


Selecionamos abaixo os carros elétricos vendidos no Brasil com representação oficial ou através de importação independente, além dos modelos que estão prestes a chegar ao País. Confira:

Carros elétricos vendidos no Brasil

BMW i3

Carros elétricos: veja os modelos vendidos no Brasil


A escassez de carros elétricos no mercado brasileiro é representada pelo BMW i3, que se posiciona como o único modelo da categoria em nosso País – os demais exemplares com representação oficial são híbridos. O hatch totalmente elétrico da fabricante alemã está disponível por aqui desde 2014 e atualmente está disponível em configuração única com três opções de acabamento, que inclusive foi renovada recentemente, com direito a mudanças estéticas e técnicas.

Por salgados R$ 199.950 no modelo i3 Rex, R$ 211.950 no i3 Rex Connected ou R$ 239.950 no i3 Rex Full, o BMW i3 oferece um motor elétrico que desenvolve o equivalente a 170 cavalos de potência, com tração traseira, alimentado por uma bateria que consegue entregar autonomia de 180 km. O conjunto inclui ainda o extensor de autonomia Rex, dotado de um motor a combustão de 647 cc que gera energia extra suficiente para ampliar a autonomia em 150 quilômetros.

De acordo com dados da marca alemã, o i3 consegue acelerar de 0 a 100 km/h em 8,2 segundos e atinge velocidade máxima de 150 km/h.

Este modelo é do tipo plug-in e necessita de uma tomada para recarregar seu conjunto de baterias. Ela pode ser de 110V com aterramento ou ainda uma de 220V. Há também a opção da central de carregamento Wall Box exclusiva da BMW, mas ofertada como um opcional de cerca de R$ 8 mil. As baterias podem ser recarregadas também através do sistema de frenagem regenerativa ou ainda pela energia cinética gerada ao aliviar a pressão no acelerador.

Ele se destaca ainda por uma série de outros recursos, como a estrutura feita de alumínio e fibra de carbono, rodas de 19 ou 20 polegadas, faróis totalmente em LED, sistema de estacionamento automático, teto solar duplo, ar-condicionado digital, sistema de som Harman Kardon, alerta de tráfego cruzado, alerta de colisão traseira, aviso de mudança de faixa, prevenção de aproximação frontal, chave keyless, sistema multimídia com tela de 10,2 polegadas, entre outros, sendo que alguns deles são exclusivos das versões mais caras.

Carros elétricos oferecidos sob importação independente

Chevrolet Bolt

Carros elétricos: veja os modelos vendidos no Brasil

Há ainda uma série de carros elétricos que são oferecidos por empresas especializadas em importação independente de veículos. Um deles é o Chevrolet Bolt, que inclusive está prestes a ganhar representação oficial pela própria Chevrolet. O hatch compacto está disponível em estoque de importadoras com preços que variam de R$ 270 mil a R$ 300 mil, sempre com um motor elétrico que desenvolve o equivalente a 202 cv e 36,7 kgfm.

Em sua versão mais completa, ele traz itens como 10 airbags, alerta de ponto cego, sistema de alerta pré-colisão, sistema de frenagem automática com detecção de pedestres, alerta de tráfego cruzado traseiro, sistema de câmeras com visão surround, bancos dianteiros e volante aquecido, sistema MyLink com tela de 10,2 polegadas sensível ao toque, chave keyless, entre outros.

Tesla Model 3

Carros elétricos: veja os modelos vendidos no Brasil

Os modelos da Tesla também são característicos entre as importadoras independentes. O menor deles é o recém-lançado Model 3, um sedã de 4,69 metros de comprimento que é o carro de entrada da marca e tem preço de cerca de R$ 290 mil em nosso mercado. Ele é dotado de um motor elétrico ligado às rodas traseiras, que rende o equivalente a 238 cv, alimentado por um conjunto de baterias com autonomia de até 360 km ou 500 km com baterias de longo alcance (opcionais). A Tesla diz que ele atinge os 100 km/h em 5,6 s.

A lista de recursos do Tesla Model 3 inclui oito airbags, sistema de frenagem automática de emergência, chave keyless, central multimídia com tela de 15 polegadas e navegador GPS, chave keyless, bancos dianteiros aquecidos com ajustes elétricos, sistema de som premium com subwoofer, retrovisores com sistema eletrocrômico, entre outros. Há ainda a opção do sistema de condução semiautônoma Autopilot, que controla a velocidade, permanece o carro dentro de uma faixa de rodagem e estaciona sozinho.

Tesla Model S

Carros elétricos: veja os modelos vendidos no Brasil

O sedã topo de linha da Tesla é o Model S, que é oferecido sob encomenda com preços que variam de R$ 560 mil a R$ 950 mil, nas versões 75D, 100D e P100D. O primeiro oferece uma bateria de 75 kWh, autonomia de 416 km, vai de 0 a 100 km/h em 4,2 s e alcança máxima de 225 km/h, enquanto o segundo tem 100 kWh, 540 km, 4,1 s e 250 km/h, respectivamente, e o terceiro entrega 100 kWh, 510 km, 2,5 s (!) e 250 km/h.

O Tesla Model S em sua configuração mais cara oferece itens como bancos aquecidos para todos os ocupantes, suspensão pneumática que varia conforme as condições das ruas (via GPS), chave keyless, sistema de prevenção de colisão, sistema de frenagem automática, sistema de som premium, sistema de navegação com mapas e tráfego em tempo real, entre outros.

Tesla Model X

Carros elétricos: veja os modelos vendidos no Brasil

Por último, mas não menos importante, o Tesla Model X se posiciona como o crossover elétrico da marca e também está disponível nas configurações 75D, 100D e P100D, sendo que esta última consegue alcançar os 100 km/h em apenas 2,9 segundos. Neste caso, os preços começam em R$ 580 mil e podem alcançar expressivos R$ 970 mil.

Um dos destaques do carro são as portas traseiras conhecidas como “falcon wings” (asas de falcão, em inglês), que se abrem para cima. A lista de equipamentos do Model X também segue praticamente o mesmo padrão do Model S.

Carros elétricos que devem chegar em breve ao Brasil

Chevrolet Bolt

Carros elétricos: veja os modelos vendidos no Brasil

Para a alegria de muitos, há diversos carros elétricos que já foram confirmados para o nosso mercado. O primeiro deles é o Chevrolet Bolt, que deve estrear no fim de 2018 como o primeiro elétrico da marca em nosso País. Ele será oferecido em versões com o motor elétrico de 202 cv e 36,7 kgfm, alimentado por baterias de íon de lítio de 60 kWh, capazes de entregar autonomia de até 385 km. A marca diz que o hatch atinge os 100 km/h em menos de sete segundos.

Porém, um dos empecilhos do carro é o preço. Lá fora, o modelo tem preços que partem de cerca de US$ 38 mil, o que equivale a aproximadamente R$ 145 mil na cotação atual. Com todas as taxas e tributos, este preço passaria para R$ 300 mil, o preço do Chevrolet Camaro, por exemplo.

Kia Soul EV

Carros elétricos: veja os modelos vendidos no Brasil

O Kia Soul EV vem sendo cotados há tempos pela marca sul-coreana, mas ainda não chegou devido à falta de incentivos fiscais para carros elétricos. O modelo nada mais é que a versão totalmente elétrica do atual Kia Soul oferecido em nosso mercado, com um motor elétrico capaz de desenvolver o equivalente a 110 cv e 28,5 kgfm, alimentado por baterias de íon de lítio de 27 kWh. A Kia diz que o veículo consegue rodar até 220 km com uma única carga.

Nissan Leaf

Carros elétricos: veja os modelos vendidos no Brasil

Confirmado em março, o novo Nissan Leaf será lançado não só no Brasil, como também na Argentina, Chile, Colômbia, Costa Rica, Equador, Uruguai e Porto Rico. A segunda geração do carro elétrico da Nissan deverá estrear por aqui em meados de 2019 com preço superior a R$ 200 mil caso não haja incentivos fiscais por parte do governo.

O Leaf oferece um motor elétrico com potência equivalente a 150 cv e torque de 32,6 kgfm. Dependendo do mercado, há baterias de 40 kWh com autonomia de 240 km ou 60 kWh e autonomia de 320 km. A Nissan diz que o carro consegue rodar a até 140 km/h. Ele se sobressai ainda pelos recursos, como o sistema de condução semiautônoma ProPilot, assistente de estacionamento, sistema e-Pedal (que transforma o pedal de acelerador em pedal de freio), entre outros.

Volkswagen e-Golf

Carros elétricos: veja os modelos vendidos no Brasil

Até mesmo a Volkswagen deverá entrar na dança dos carros elétricos. Além do híbrido GTE, a marca irá importar o elétrico e-Golf provavelmente a partir do fim de 2018 ou o início de 2019. Ele conta com um motor que rende o equivalente a 134 cv e 29,6 kgfm, alimentado por uma bateria de 35,8 kWh com autonomia de cerca de 300 km. Com isso, o VW e-Golf acelera de 0 a 100 km/h em 9,6 s e atinge 150 km/h.

Carros elétricos: veja os modelos vendidos no Brasil
Nota média 4.6 de 5 votos

Leonardo Andrade

Leonardo Andrade

Leonardo atua no segmento automotivo há quase nove anos. Tem experiência/formação em administração de empresas, marketing digital e inbound marketing. Já foi colaborador em mais de sete portais do Brasil. Fissurado por carros, em especial pelo mercado e por essa transformação que o mundo automotivo está vivendo.

  • Racer

    Não tem economia ou argumento que valha a compra de um carro destes por estes preços….

    • invalid_pilot

      Aqui em SP se paga meio IPVA e está liberado do Rodízio .
      Ai quem tem grana compra por esses motivos.

      • Racer

        Mesmo que com isenção total de IPVA…. O custo benefício ainda é muito ruim. E quem tem grana pra um destes, já deve ter mais de um na garagem, e faz o seu rodízio no dia do “rodízio”. Um hibrido, como o Fusion, já estaria de bom tamanho.

    • Deadlock

      Existem “carros” chineses vendidos por empresa do PR que custam 45-60k, mas são muito rústicos e a autonomia é baixa, no máximo 120 km. Para uso em cidade deve servir, eu mesmo estou pensando em adquirir um.

      • Marcus Vinicius

        vw pode montar golf elétrico e híbrido por lá

      • Ubiratã Muniz Silva

        o maior problema dos carros da Hitech não é nem a baixa autonomia, é a velocidade máxima de 60km/h.

        Para usar aqui em Brasília,por exemplo, é inviável (trafego por vias de 70 e 80km/h na minha rota diária). Mas não deixa de ser uma opção relativamente acessível.

        Outro atrativo dos carrinhos da Hitech (apesar de rústicos ao extremo) é o tamanho reduzido, o modelo de 4 lugares tem 2,60m, o mesmo tamanho do meu smart fortwo.

        Tem ainda um VUC elétrico bem interessante na linha, ótimo para transporte de cargas em ambiente urbano.

        Tenho quase certeza que os carrinhos deles são baseados no projeto do Open Source Vehicle (OSVehicle).

        • Deadlock

          Em Curitiba, esse carro seria o verdadeiro anti-multas, porque a velocidade máxima é de 60 km/h. Mesmo que a velocidade máxima seja 70 km/h não me importaria em andar a 60 km/h, pois a perda em tempo seria mínima, mas a economia seria máxima.

    • Deadlock

      Mudando de assunto, sabemos que o ICMS é um dos que mais impacta no preço dos produtos, em SP é 18% para carros. Mas, será que é 18% mesmo? O ICMS é um imposto que os especialistas chamam de “por dentro” (o próprio imposto faz parte da base de cálculo!), sem trocadilhos, isso significa que vc está f. A fórmula para calcular a alíquota real de um imposto por dentro é a seguinte: valor da nota fiscal (R$ 100.000) – valor do ICMS (R$ 18.000) = valor da mercadoria = 82.0000. Cálculo da alíquota efetiva = valor do ICMS (18.000) / valor da mercadoria (82.000) = 21,95%. O exemplo é mais escandaloso no caso da energia elétrica. Alíquota de 25%, no caso de uma conta de R$ 100,00, o imposto seria R$ 25,00, a energia elétrica custaria R$ 75,00, e a alíquota efetiva seria: 25/75 = 33,33%. O que justifica uma tributação dessa magnitude sobre um bem essencial à vida moderna? Não custa lembrar que a derrama, que deu origem à inconfidência mineira, era um imposto com alíquota de 20%. Os Estados deveriam adotar a eficiência para diminuir a alíquota do ICMS, pois a preservação do meio ambiente é dever de todos, como reza a Constituição.

      • hinotory O

        Hoje o povo está amaciado..

      • Zé Mundico

        Exatamente, esse cálculo digno de um agiota mafioso é o mesmo no consumo de telefonia/internet, combustíveis e energia elétrica. Na verdade trata-se de um confisco disfarçado de tributação, coisa de gangster mesmo…

        • Deadlock

          Bem lembrado, como arrecada mais, mais é utilizado..

    • Oswald Vegs

      amigo é a mesma coisa de sempre…. quem tem dindin compra e 99.9% das vezes se incomoda menos, tem mais qualidade, é aquela coisa sabe… “din din pra quem tem, só da mais din din”…. nu tem como escapar dessa regra da humanidade…
      ninguem vai assinar q isso é pra noix pobres rss!

  • Bruno Silva

    Não faz sentido pagar 270-300mil num Bolt via independente, tendo o BMW i3 por 199mil. Aliás, se o Chevrolet não vier por menos que isso, sem chance se alguma expressividade. Hoje os melhores números que temos é do Prius, um híbrido, falta um elétrico também que tenha mais volume.

  • hinotory O

    Todos elefantes brancos. Suas caríssimas baterias são de doer. Até o fusion hybrid está a venda pela metade do preço que foi pago e mesmo assim ninguém compra.
    Carro elétrico é uma piada.

    • Marcio Souza

      No Brasil, pois não tem infraestrutura.

    • Daniel

      Tem Prius la fora no ferro velho pela idade e as baterias ainda funcionando perfeitamente.

      • hinotory O

        Bateria então deveria ter garantia de 20 anos.

      • Ubiratã Muniz Silva

        e se precisar trocar uma ou outra célula de bateria (dificilmente o pack inteiro estraga) é só ir no ferro velho e comprar uma (isso lá né? as regras de transporte de materiais impedem importar esses módulos de bateria via correio então ficamos na dependência da Toyota no BR). tem até tutorial no YT de como fazer a substituição e balanceamento das células.

        Do Fusion e Focus é um pouquinho mais complicado (não tem reparo, o pack de baterias é selado) mas mesmo assim lá fora tem bateria de monte nos desmanches.

    • artxin

      Melhor ter uma bateria que seja cara, dure anos e ainda economize combustível (podemos considerar kW como um) do que uma bateria barata que quebra em poucos anos.

  • tiago

    Nesses valores fica difícil. Aguardo os mild hybrids com baterias menores – entre 0,3kWh~1,5kWh, melhoras significativas em consumo/emissões e, principalmente, um valor muito mais acessível.

  • Marcus Vinicius

    bmw e vw tem condições de montarem seus modelos elétricos e híbridos no brasil nem que seja em CKD pra conseguirem incentivos fiscais

  • Marcio Souza

    Na faixa dos 100K seria um custo/beneficio razoável. Mas por esses valores infelizmente continuo no ciclo otto.

    • Ubiratã Muniz Silva

      na casa dos 100k dá QUASE pra pegar um híbrido (Prius). Seminovo (sim, eu sei que zero km se compara com zero km e não com usado) você acha 2016/17 pouquíssimo rodado nessa faixa de 98/100 mil.

      • Marcio Souza

        Excelente alternativa! Principalmente para o Brasil, onde os pontos de recargas são praticamente inexistentes, a solução seria o meio termo, híbrido.

        • Ubiratã Muniz Silva

          é só dar a sorte de achar um carro pouco rodado de alguém que comprou e não gostou (ou mesmo daqueles consumidores que trocam de carro todo ano).

          eu tenho pesquisado bastante esses Prius, tô pensando em pegar um pra minha esposa.

          Com um pouquinho a mais dá pra pegar (também seminovo) o Lexus CT200h, que nada mais é que o Prius com um visual mais palatável.

          • Marcio Souza

            Lexus é sonho de consumo….Quem sabe um dia.

            • Ubiratã Muniz Silva

              o CT200h é aproximadamente 15 mil mais caro que o Prius (zero km). Trata-se de um hatch médio do porte de um Golf. O carrinho não é feio não. Mecanicamente/eletronicamente é um Prius com roupa diferente.

  • Tommy

    Eu tenho esperança que os chineses vão trazer híbridos e elétricos abaixo dos 100 mil, porque das marcas do ocidente vai ser difícil, mesmo pagando o mesmo imposto de um Mobi

    • Ubiratã Muniz Silva

      os chineses estão pulando a etapa dos híbridos.

  • Ricardo Blume

    Elétrico é sonho de meia dúzia somente. O negócio é pagar R$ 5,00 o litro da gasolina e aguardar sentado até o próximo capítulo da novela Eu quero meus incentivos.

  • Jorge Osório Cortese Magalhães

    Nenhuma menção à Zotye que, inclusive, está construindo fábrica em Goianésia, GO e divulgando começar a venda, ainda em 2018, de 2 modelos, inicialmente importados.

  • Mauro Banqueiro

    Não funciona

  • Ricardo

    Não adianta querer ter carro de 1º mundio no sub-mundo!

  • Paulino Lino

    Quem aí deixaria de comprar um BMW i3 ou um Model 3 pra comprar um Bolt? kkkkkkk parece piada essa GM.

    • Emanuel Schott

      Eu.. olha a autonomia porca desse BMW i3, não dá nem pra fazer uma viagem curta.

      • FrankTesl

        mas ele tem gerador à gasolina integrado, que proporciona autonomia extra de 200 km.

    • Mr Tony

      Sou mais o Bolt que o I3. Eita carrinho pequeno e feio!

      • th!nk.t4nk

        Só que o i3 humilha o Bolt. A GM fez um veículo de baixo custo, pra popularizar os elétricos. Já a BMW usou o i3 como vitrine tecnológica na época. Apesar de defasado, ainda é bem mais carro que o Bolt.

        • Eric PB

          Baixo custo lá fora…querem vender ele por 289k (noticias de jul/17) aqui no Brasilzão

    • Eric PB

      Realmente, tentei achar na webmotors algum e não achei. Apenas noticias da metade do ano passado do plano da GM em vende-lo aqui por 289k… e agora com o dólar no preço que está…xúúúú sei lá, eu não compro.

  • Zé Mundico

    Sinceramente, com esse preços não vejo o menor sentido em investir num carro elétrico.
    Se for para levar choque, prefiro enfiar o dedo na tomada.

  • Emanuel Schott

    Elétricos a preços acessíveis só quando Mobis, Kwids ou QQs da vida receberem motores elétricos. Enquanto só tiver carros feitos pra mercados desenvolvidos, vai ser difícil alguém ter um por aqui. Bolt e Tesla são bem caros mesmo pro mercado americano e olha que recebem incentivos fiscais até o talo.

  • julio

    O IPI sobre VE será reduzido, conforme o Rota 2030.

  • Paulo Mena

    Você do NA simplesmente se esqueceu do Jaguar i-Pace, que já está disponível para compra nas concessionárias brasileiras! Falha brava, heim!

  • Ubiratã Muniz Silva

    Ok, vocês estão falando de veículos de “grandes marcas”.

    mas temos ainda:

    1. a chinesa BYD (vende apenas para frotas, os Correios estão usando vans da marca – mas não deixa de ser uma operação “oficial”)
    2. a paranaense Hitech Electric, que vende veículos (provavelmente Made in China e montados aqui) para uso comercial, além de um urbano em versão de 2/4 lugares. Sim, são veículos esquisitérrimos (para não dizer feiosos ao extremo) e com desempenho pífio (máxima de 60 ou 70 km/h se não me engano), mas é uma opção que está aí no mercado, e por menos de 60 mil reais.

    • Eric PB

      Concordo que a Byd tem potencial. Mas esta Hitech parece carro de levar os golfistas pelo gramado. Pensa numa suspensão que te sacode pra todo lado. Aí desembolsar suados 60mil reais pra ter esta sensação…. não dá.

      • Ubiratã Muniz Silva

        Tosco ou rudimentar (ou como quer que queira chamar) o fato é que o foco da matéria é “veículos elétricos oficialmente oferecidos no Brasil”. Por mais tosco que o Eco.tech seja, se enquadra no foco da matéria…que são os elétricos oficialmente disponíveis no País.

  • Mião Eme

    Olá , interessante este site….Estou pesquisando sobre veículos elétricos no Brasil….O benefício é ótimo , mas o custo do veículo elétrico ainda está muito alto, acredito que a falta de incentivo por parte dos governos , provoca a falta de demanda …Mas é observado que muitas empresas estão investindo , e isto é ótimo….E com certeza meu próximo Veículo será um ELÉTRICO!!!

    OBS: SE EU NÃO CONSEGUIR COMPRAR UM VEÍCULO ELÉTRICO, NÃO ANDO MAIS DE CARRO E NEM PENSO EM COMPRAR UM VEÍCULO A COMBUSTÃO, SEJA A GASOLINA, ÁLCOOL OU DIESEL…

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 13 anos. Saiba mais.

Notícias por email