Etc

Carros que não emplacaram: uma visão mercadológica do insucesso de alguns modelos

800x800-Fiat-Linea-1-620x465 Carros que não emplacaram: uma visão mercadológica do insucesso de alguns modelos

Se já é difícil idealizar um produto, imagina fazê-lo ter sucesso custando no mínimo 25 mil reais e ainda batendo de frente com uma série de concorrentes. É o que acontece no mercado automotivo, onde recebemos dezenas de lançamentos a cada ano.



No Brasil, como em todos os outros países, acontece de vez em quando o fato de alguns desses automóveis não conseguirem “engatar a marcha correta” na hora das vendas, isso é, passam por todo o processo de pesquisa de aceitação, testes, fabricação ou importação, e quando finalmente chegam às concessionárias, ficam por ali, estagnados.

Mas por que isso acontece? Veremos alguns modelos quem parecem ter entrado na “lista-negra” do brasileiro e o motivo que os levam a ocupar posições tão desconsideráveis no ranking de vendas da sua categoria.

Fiat Brava: um exemplo mais antigo

fiat-brava-brasil-620x465 Carros que não emplacaram: uma visão mercadológica do insucesso de alguns modelos

Não foi culpa dele, e nem tanto da “mãe” Fiat. O estilo sóbrio do Brava poderia ter feito mais sucesso na substituição do Fiat Tipo. Mas a crise de 1998/99 bateu com força, e o hatch acabou se atrapalhando nas vendas. Tanto que só fomos conhecer pessoalmente um carro nacional com o nome de Bravo em 2010, a versão de dez anos antes (o Bravo era a versão duas portas do Brava) não chegou ás concessionárias.

E a italiana ainda ficou com a imagem manchada no país, já que prometeu dois carros (ambos foram os grandes sucessos do Salão do Automóvel de São Paulo de 1998) e só pôde lançar um. A qualidade fazia jus aos outros modelos da marca, mas muito se perdeu, pois teve que ser barateado a fim de que fabrica-lo valesse a pena, e o plástico de pouca qualidade tomou conta da parte interna. Resultado: vendas fracas. Serviu mesmo pra promover o irmão Marea.

Chevrolet Sonic hatch: quando o valor fala mais alto

chevrolet_sonic_sedan_th-spec_1-620x465 Carros que não emplacaram: uma visão mercadológica do insucesso de alguns modelos

Compacto com preço de médio. Design moderno, com tecnologia interessante para o segmento, mas o pequeno guerreiro da Chevrolet não emplaca fácil. Vendendo em média de 500 a 600 unidades/mês, menos que a versão sedã, ele vê os principais concorrentes Polo, New Fiesta, Tiida e Punto roubarem uma bela fatia do mercado. Preço alto e estilo que não agrada a todos parecem ser os inimigos principais daquele que é um dos carros mais vendidos de seu segmento nos Estados Unidos.

Renault Kangoo: atrasado como os irmãos

renault_kangoo_9-620x465 Carros que não emplacaram: uma visão mercadológica do insucesso de alguns modelos

Ele veio para brigar com a Doblò, mas nunca deu tanto trabalho para a concorrente da Fiat. A principal causa foi um problema que a Renault brasileira só começou a mudar agora: o design atrasado de seus carros.
Os velhos faróis foscos divididos da Kangoo permaneceram até 2008. Hoje mais moderno, mas longe de ser o que é na Europa e vendido aqui só na versão furgão, o modelo sobrevive graças à economia e simplicidade, vendendo 400 unidades/mês, cerca de 20% do que vende a Kombi.

Citroën C3 Picasso: pequenos defeitos, grandes concorrentes

citroen_c3_picasso_br-spec_9-620x465 Carros que não emplacaram: uma visão mercadológica do insucesso de alguns modelos

Ele é bonito por fora e por dentro, bem equipado, e segue o preço dos concorrentes do momento da venda á manutenção. Mas juntando ou não com o irmão aventureiro Aircross, o C3 Picasso deveria vender mais, bem mais. A falta da terceira fileira de bancos faz muitos optarem pela Spin ou Gran Livina, outros acabam no EcoSport que é mais robusto, ou no Idea, que mesmo na versão Adventure é mais barato, ou no queridinho de todos Honda Fit, enfim, todos vendem mais que o modelo francês. Outro problema é que seu desempenho não é lá essas coisas. Mas, trocando em miúdos, o problema não está tão focado nele – a concorrência que foi bem trabalhada mesmo.

Peugeot Hoggar: dentro de um segmento já não muito fácil de vender

peugeot_hoggar_xr_5-620x465 Carros que não emplacaram: uma visão mercadológica do insucesso de alguns modelos

Se a Renault não aprovou a picape Sandero por que previu que não faria frente às veteranas Strada, Saveiro e Montana, em um segmento que já não é o maior de todos, a Peugeot provavelmente errou em não seguir o caminho da arquirrival. A Hoggar, com um design atraente e uma lista de qualidades herdadas do irmão 207, vende por ano em média, o que a Montana, que seria sua concorrente mais direta, vende por mês. O motivo do insucesso? A falta de uma versão com cabine estendida, o pouco dom para o trabalho pesado, e os eternos problemas da marca: manutenção cara e desvalorização alta.

Fiat Linea: o exemplo ideal

Para encerrar, um dos casos mais modernos e que melhor representa esse texto. Propagandas televisivas em horário nobre, campanhas publicitárias com o maior piloto de Fórmula 1 dos últimos tempos, Michael Schumacher, boa relação custo-benefício, além de uma expectativa enorme da fabricante, não foram suficientes para que o único sedã médio (ou compacto, como alguns preferem) da líder de vendas do país alavancasse nas vendas.

O motivo: o design não agradou… e nada mais. Quem tem, não reclama, já que a qualidade segue a dos outros modelos da Fiat. E o irmão maior do Punto até vale a pena ante parte da concorrência, mas não consegue levar a menor preocupação a Civic, Cruze, Corolla e companhia.

Mas afinal, por que um modelo é lançado para vender tão pouco? Será que falta pesquisa de aceitação pela fabricante, ou talvez o carro desagrade tanto que fica abaixo até das piores expectativas? Bem, nem sempre é tão ruim quanto parece.

Muito se fala, por exemplo, que o próximo a integrar a lista acima é o Toyota Etios, e seu estilo simples para a concorrência. Porém não se deve esquecer que daqui ele vai para dezenas de países, em especial os latino-americanos, onde Toyotas vendem muito mais que Chevrolets, Volkswagens e Fiats, e que no Brasil ele se apoiará no forte nome de sua fabricante para emplacar algumas unidades por ano e mostrar que beleza não é tudo.

Outro que está bem, mas não como se esperava, é o Ford New Fiesta. Detalhe: ele veio só para preparar o terreno – o modelo chegará renovado e “mais barato” (espera-se) em 2013, quando será nacional e deverá dar uma chacoalhada maior no segmento.

O fato é que o brasileiro pode não ser agraciado com os melhores carros que existem, mas sabe bem o que quer dentro das opções que têm. Agora vai de cada marca saber administrar seu potencial e relaciona-lo á essa aceitação. Nosso mercado automotivo pode estar em formação, mas nossa opinião está muito bem formada, e é ela que vai nos fazer levar um novo carro pra casa.

Por Gilberto Belin

  • Louis

    Acho que o Linea vende pouco por ser associado ao Punto. Muitos o consideram de categoria inferior aos médios líderes. E também a falta do legítimo cambio automático.

    • PONCIO PILATOS

      pura verdade… e o acabamento dele segue ao do uno e não dos rivais que pretende encarar…. tive um, carro muito bom, mas acabamento sofrível.

      • mjprio

        desculpe, mas não concordo, eu acho o acabamento do Linea bom. Ele pode não ter a SOFISTICAÇÃO dos modelos com quem deveria concorrer, mas perto de Cerato, Polo, J5, está muito bem. Pensdo que o estigma dos médios da FIAT, associado a imagem de derivado do Punto, isso sim prejudique as vendas do modelo

        • PONCIO PILATOS

          prezado mjprio89p, entendo o seu posicionamento, tive um linea, por um ano, olhe o acabamento do aro dos relogios, veja o buraco que tem, alinhamento de portas e frisos, olhe de longe, a lateral do carro, depois olhe isso, num civic, num corolla e num cruze, so pra citar como exemplo, depois entenderá onde quero chegar. abs.

          • flaviomm

            Nooosssa… disse tudo. O carro, principalmente mt, não é ruim… e o preço é mais baixo. Mas o acabamento não está no mesmo nível dos demais… até porque muito vem do Punto (que é compatível na sua categoria).

          • Filipe Augustus

            Isso é verdade, meu tio teve um HLX Essense 1.916V Dualogic, vinho, muito bonito, mais ele deixava a desejar nesses mínimos detalhes, os materiais usados não são ruins,são até macios ao toque, mais os encaixes não são bons e possuiem algumas rebarbas, além de diferenças no tom das pinturas do parachoque, isso em um carro zero, não é muito aceitável entre outras coisas, porem isso não faz dele um mal carro, só que a concorrencia é melhor.
            E mais uma coisa, quem tem Stilo Hatch médio e quem tinha o Marea, sabe muito bem que o Linea não bate de frente com eles.

        • diogo_rs6

          Sim, a associação do desenho do Linea com o Punto é inevitável, o painel é o mesmo – além disso muitos dos detalhes estéticos são semelhantes o que não ajuda a agregar valor ao sedan.

          Mas o pior de tudo é a falta de uma transmissão automática de verdade

      • RafaelPimenta

        o acabamento do corolla só é bom nas versoes mais caras. A xli tem um acabamento porco demais para um carro de mais de 60mil

        • GT4

          Você está zoando com o queridinho dos brasileiros: o Vovôrolla. rsrs
          Mas isso é a pura verdade, nas versões baratas, o acabemento dele é bem de um popular. Mas ninguém pode falar mal dele, porque é um carro que brasileiro acha que dá muito Status. Acho o Linea muito mais bonito em Design do que o Vovôrola.

          • PONCIO PILATOS

            beleza por beleza, o ELANTRA é mais bonito de todos, mas, beleza não se põe em mesa…hehehehe, estamos discutindo conjunto, e não só "beleza". O LINEA é lindo, mas….

            • RafaelPimenta

              pow eu acho o optima bem mais bonito que o elantra

          • RafaelPimenta

            conheço muita gente que deixou de pegar bons carros, inclusive o linea, pra pegar corolla só por causa da status. muitos nem estao pagando IPVA e seguro, rodam com o carro todo irregular, mas tao ai tirando onda de corolla

      • joniocosta

        Discordo da sua opinião do acabamento. Sou proprietário de um e acho o acabamento excelente, bem como a posição de dirigir. O maior problema também não é o design, mas sim a associação ao Punto, dando a idéia de que é um carro menor, bem como outras questões como o navegador sem mapa e a falta de um câmbio automático de verdade.

        • PONCIO PILATOS

          amigo oniocosta é um direito seu achar o acabamento do LINEA "excelente", coisa que na minha opinião nem o corolla é. tive LINEA HLX, por um ano, e tenho o vovorolla ha um. acho o acabamento do corolla bom, e do linea regular… é um carro, na minha opinião, feito, pra brigar com os menores, diria CITY e cia. mas cada qual com seu cada qual né?

          • Matheus_P

            Vc acha o acabamento do corolla bom? Issomse vc estiver falando apenas dos encaixes, pq o plastico duro em boa parte do painel e nas portas eh de qualidade de plastico de carro popular 1.0

    • mmcinza

      Exatamente.

      O Linea não tem o "porte" de um sedã médio. Uns podem dizer que as dimensões dele são de um sedã, mas lembra e muito o Punto.
      Se colocar lado a lado com um Marea, fica fácil entender.

      Se a FIAT quer ser um player de destaque neste mercado (sedãs médios) tem que dançar conforme a música. O padrão é ter cambio automático, de verdade. Estes cambios "tipo automático" (automatizado) só enganam aqueles que nunca tiveram um carro automático.
      Agora se querem conquistar clientes que já tiveram Astra, Vectra, Civic, Focus e Corolla, tem que oferecer um cambio automático de verdade.

      Quem se dispões a gastar R$60mil em um sedã, quer algo genuíno e não um "tipo NET"

      • Eugenio C.

        A questão do câmbio automático é uma das mancadas da Fiat. O Marea até chegou a ter uma caixa importada (Aisin, corrijam-me se me enganei), mas foi uma escolha infeliz colocá-la somente com motor 2.4 cinco cilindros, considerado gastão e de manutenção cara pela maioria. Nunca entendi o por quê de a Fiat não importar uma caixa para o Linea…

        Além do câmbio, há a questão da motorização. A Fiat vendia os primeiros Linea com motor batizado de 1.9 (era 1.8 na verdade), algo que causava estranheza ao brasileiro acostumado a médios 1.8 ou 2.0. A mecânica dos médios da Fiat sempre despertou rejeição nos brasileiros, que julgavam a manutenção cara, o torque fraco… Ela poderia ter feito como outras montadoras, trabalhando em cima dos pontos criticados para aperfeiçoar os motores, mas preferiu trocar e trocar motores a fundo perdido (dos 2.0 do Tempra foi para os 5 cilindros do Marea, passando pelo 1.8 16V de Brava, Marea e Linea e hoje nos ETorq 1.8 16V…). Até hoje, a coisa mais acertada comercialmente que ela fez foi usar o 1.8 da GM no Stilo…

        Por fim, o Linea tem a frente curta e a traseira parecendo mais longa, o que torna seu design bastante estranho para o gosto brasileiro, que prefere traseiras curtas.

        • Concordo totalmente, falta um cambio AT.
          Pena também com essas mudanças de motores, eu mesmo só comprei um Stilo usado pq o motor é GM, pois se não fosse teria escolhido outro modelo.

        • granrs78

          Complementando o que o Eugenio disse, uma mancada tremenda em relação ao Linea, foi logo no lançamento, pois a Fiat quiz cobrar os preços do Civic e Corolla, só que em um modelo que não é concorrente direto deles, pois ele deriva de um compacto, o Punto. A falta do cambio automatico é outro problema grave, pois somente com o automatizado fica muito dificil vender bem. A Fiat teria que ter desenvolvido um sedan médio, na base do Bravo, aí sim teria um modelo para brigar de igual para igual com os japas e o Cruze.

        • Danilo Fróes

          “Até hoje, a coisa mais acertada comercialmente que ela fez foi usar o 1.8 da GM no Stilo…” e no Doblo nos idos de 2007…

    • Leandro1978

      A resposta está no próprio texto da matéria: "a qualidade segue a dos outros modelos da Fiat", ou seja, esse é o maior problema do Linea…rs… (Brincadeira fanboys)

      De qualquer forma, acredito que poderia fazer mais sucesso seria o Viaggio, modelo derivado do novo Dart. Embora li, recentemente, que a Fiat prepara um sedan derivado do Bravo para o país, ao invés de trazer o Fiat/Dodge (que deve vir como Dodge mesmo).

    • bedotRJ

      É só pensarmos: hoje tem Punto Essence 1.6 anunciado no jornal por R$ 41.690,00. Lancem um Linea com o mesmo motor e mesmo pacote por R$ 3mil a mais prá ver se não vende.

      O problema quase sempre é o posicionamento equivocado que a marca dá ao carro. Se botar no preço certo, vai vender. Restaria saber o que cada marca entende por "preço certo".

      • brugin

        Tem Linea anunciado na Webmotors por 44 mil. Bom, é zero, mas é 2011… Claro que esse preço não é regra, sendo que o normal é vc encontrar o modelo básico a partir de 50 mil. O Linea está com preço compatível com o Honda City, que era o lugar que ele deveria ocupar desde o lançamento.

    • BlueGopher

      Um problema também foi o preço na época do lançamento, muito elevado.
      A Fiat tentou vender o carro numa classe superior e como se fosse parte de um pacote de serviços, com gerente de serviços e parte das concessionárias dedicados exclusivamente a ele, entre outros mimos, e tentou cobrar por isso.
      Se deu mal, baixou os preços mas a má fama C/B estava feita.

      • Pedro_Rocha

        Reaproveitando um comentário que fiz: para quê vender Linea barato se o pessoal compra Grand Siena pelo preço que ele deveria ter? Em outras palavras, melhor vender Grand Siena caro a Linea com preço razoável.

    • MecanicoDigital

      Disse tudo. Pra mim o Linea além de não ter um acabamento à altura da concorrência, é barulhento (isolamento acústico ruim do motor e materiais internos de baixa qualidade), e não dispõe de um câmbio automático á altura da concorrência.
      E pra finalizar, ele é o único sedã que eu conheço que bate o tampão traseiro (atrás dos encostos do banco traseiro) pior até do que um hatch. Nunca tinha visto isso na minha vida inteira, e na boa, a FIAT só sabe fazer carro pequeno, e olhe lá.

      • CharlesAle

        nossa!!tive um velho verona 91 por dois anos,bem zuado,mas não batia nada a traseira…

        • MecanicoDigital

          Pois é … vc pode andar em um Corcel 73 que também não bate … Pode andar de Monza … de Santana… de Del Rey … isso nunca vai acontecer…
          Até hoje o único sedã capaz dessa proeza é o Lix… ops, Linea.

    • Mc_

      Linea é o carro mais vendido na Turquia. Projeto pra país emergente, sedã honesto pra família classe média. E aqui? Como são os slogans dos comerciais do Linea na TV? O preço praticado? A Fiat JURA que é um carro pra executivo… É mais um exemplo de um ótimo carro que a fabricante faz questão de acabar por querer cobrar um preço que não condiz.

      O problema é que o consumidor deixa de comprar o Linea e acaba comprando um Grand Siena. Quer dizer, pra que a fabricante vai se preocupar em baixar o preço se basta colocar qualquer porcaria que custe um pouco menos no lugar?

      Posso parecer radical, mas odeio de todo coração essa nova tendência das marcas em criarem uma dezena de pequenos sedãs meia-boca como modelos de entrada e o único sedã que presta fica lá no topo, com o preço inflacionadíssimo, como se fosse um prêmio a ser conquistado.

    • brugin

      Acho o grande problema que a Fiat tem é não honrar a tradição nos segmentos superiores, como ela faz com o dos populares. Explico:
      Hatch médio: entra Tipo, sai o Tipo, entra Brava, sai o Brava, entra Stilo, sai Stilo, entra Bravo… (na Itália vai sair fora, e aqui??)
      Sedã "médio": entra Tempra, sai Tempra, entra Marea, sai Marea, entra Linea… (Viaggio? Ou um novo remendo?)

      Aí quer competir com:

      Honda Civic : lançado em 1973, chegou no Brasil em 1992 e está no Brasil até hoje…
      Toyota Corolla: lançado em 1966, chegou no Brasil em 1998 e está no Brasil até hoje…
      VW Golf : lançado em 1974, chegou no Brasil em 1995, e está no Brasil até hoje…

      Neste segmento, tradição conta, e muito.

    • Cil

      Por mim, pode vender o mínimo possível. Pelo menos aqui em Aracaju, parece que todos os motoristas deste modelo tem predileção por atrapalhar o trânsito. Eheheheheheeh

      O Sonic é feio. Ponto. Não dá pra comparar com um New Fiesta. E se levando de lavada até do Tiida é porque a coisa tá feia mesmo. Eheheeheh. Aqui em Aracaju, o sedã vende muito… para taxistas.

    • CanalhaRS

      O Linea é uma punto, não precisa nem de associação para saber. A fiat quis dar uma de esperta e colocar um sedã compacto para vender entre os maiores e quebrou a cara. Simples assim.

      • Veronez

        Isso mesmo, é um punto sedan e nada mais, médio seria um sedan do Bravo. Será que a FIAT acha ou tem certeza que brasileiro é idiota? :D

    • CharlesAle

      Seja o motivo que for,e são vários,o fato é que o linea mostra,mais uma vez,que a FIAT é muito fraca no segmento de carros não populares…

    • SilenceBass

      Na verdade, acho que quem vai pra levar um Linea, não vê tanta diferença assim se acabar levando um Grand Siena.

    • Dudu Pimentel

      Mas lembre-se que as pessoas tb não veem a Fiat como uma fabricante de médios…isso tb é algo que contribui negativamente para as vendas do carro. Eu sou do seguinte: com exceção dos carros chineses, se o carro me agradar, pq não comprar? Eu não sou todo mundo, e se todo mundo vai pelo que os outros flam sem nem investigar prá saber a vdd, não posso fazer nada…eu prefiro ter a prova real para só então ter alguma opinião.

  • chicojose

    Meu carro não é dos mais vendidos.
    Mas não acho isso ruim. O fato de não ter tanto exemplares na rua como os populares dá até aquele "ar" de exclusividade.
    Na concessionária nunca faltaram peças (todas que precisei tinham no estoque – inclusive o comando de abertura da tampa do tanque- que é algo que dificilmente dá problema).
    Além do mais, o seguro fica mais barato e é mais fácil de encontrar no estacionamento, hehe.

    • Antonio_Sergio

      Você tocou num ponto interessante.
      O fato de não ser dos carros mais vendidos, o Linea, como os outros tantos outros que não fizeram/fazem sucesso nas vendas, também não é um carro "querido" pelos ladrões, exatamente por não ser querido pelo consumidor.
      Isso dá a quem é proprietário de um desses (in)felizes indesejados, uma certa tranquilidade.
      E não é, como você disse, só pela facilidade de encontrá-los no estacionamento, não.
      É também pela certeza de que SEMPRE vamos encontrá-los no estacionamento.

  • Marciomaster

    Acho que é muito cedo para falar do sonic, que tem características peculiares e tem na mira o new fiesta, que não vende tanto assim tambem.

    • Outro ponto é que a GM não pode forçar a venda do modelo. Pois ainda vem da Coreai, então a marca está subsidiando o modelo até que possam trazer do México e aí entra no problema das cotas. Resumindo, não sei como a GM vai resolver essa gangorra. As duas versões do Sonic, se produzidos aqui e custanto 5 mil reais a menos, teriam condições de vender umas 4-5 mil unidades mensais.
      Uma falha que acho terrível nessa barreira à importação que o governo fez, é que deveriam ter cotas diferenciadas para quem produz aqui e mais ainda para quem exporta.
      Acho que as empresas que exportam deveriam ter cota diferenciada fica desigual nivelar assim.

      • rvieria

        Vai ficar difícil pra GM, colocando 3 carros mexicanos a venda (Trax, Capitiva e o Sonic).
        Mas acho que eles vão reduzir um pouco a Capitiva, dando prioridade ao Trax e o Sonic.
        Podemos esperar uma baixa dos preços do Sonic pro ano que vem.
        Pessoalmente, achei o Sonic um bom carro. Não é bonito, mas é estiloso ao vivo, algo como a ideia que o Kia Soul passa: "Feio mas estiloso".
        Além de ter um interior bem acabado e ergonômico.

        • Rapá e vai continuar apertado.
          Veja que a VW só traz o Jetta e já tá faltando carro desde o fim de setembro, imaigna o ano que vem trazendo o Fusca também.
          Acho que o Captiva devem parar de trazer, mesmo assim ainda vai ficar apertado, trazendo o Tracker/Trax e o Sonic, sem muito esforço a GM vai ficar engessada com as cotas mexicanas.

    • Ivan_Correia

      Eu acho que o Sonic tem muito potencial pra disputar a liderança do segmento. Na minha opinião ele é bonito tanto por dentro quanto por fora, bem equipado e tal.O problema é que ele veio para substituir o louvado Astra. E todos sabemos, Astra é Astra. Na minha opinião o Sonic teve apenas a má sorte de ter um antecessor tão forte e consolidado.

  • ASF

    Quanto ao próximo mico poderia ser o vw gol, sei que é impossível, mas pagar R$32.000,00 num carro só com ar e direção e 1 ano de garantia… mas se fusca foi bom numa época, tudo que for produzido por esta firma sempre será. será?

    • icarothomas

      Gol? Mico? Tá bom.

  • pauloc1980

    Falar que um Punto Sedan tem ótimo custo/benefício é brincadeira, hein?? Ainda mais levando-se em consideração que o alvo dele era a dupla Civic/Corolla…
    Ou seja, colocaram o substituto do Uno na Europa pra concorrer com dois médios japoneses. Sem contar que todo ano muda de motor… 1.9, 1.8, 1.6…. já nem sei mais o motor que essa porcaria tem.

    • anderson_sp

      Então, os primeiros modelos do Linea com o 1.9 16v argentino ninguém quer, ele só fica interessante com o E-Torq 1.8 16v nacional, e o problema dele foi a Fiat querer botar pra brigar com cachorro grande como o Civic e Corola, se colocasse pra brigar com Polo Sedan poderia ter sido mais feliz nas vendas, infelizmente acabou com carro e mais um médio dela que virou mico.

    • harleyeugenio

      Linea é o fiat com preço de toyota

  • dudupruvinelli

    Achei que o Tiida fosse um hatch médio…

    • Edu_SBC

      E é, tá classificado errado nessa reportagem.

      • GTcar2

        o Linea que usa plataforma do Punto é classificado como Compacto agora o Japa que usa plataforma do Clio é considerado médio rsrs

        • Eugenio C.

          O Grand Siena tem as mesmas medidas do Tempra e é um compacto… O Cobalt é do tamanho do Cruze… posicionamento de mercado não tem mais a ver com tamanho, como na Idade Média (brinks).

        • Dragoniten

          Pelo menos sabemos que, mesmo utilizando a plataforma do Clio, o Tiida é um carro seguro :)

          • GTcar2

            Linea não é???

            • Dragoniten

              Você já viu algum crash test do Linea vendido no Brasil? Eu (ainda) não.

              • tiago90j

                jah vi o do palio e foi bom, o do linea eh de se esperar que seja melhor.

    • fabritch

      Acho que colocaram com base no preço

    • RPKell

      Na verdade aqui ele é posicionado como médio, mas no resto do mundo ele compete com os "compactos premium" mesmo: Fiesta, Sonic, Fit, Yaris etc.

      Não sei se isso ocorre pq ele é feito em uma plataforma B ou se por conta dos preços (ou provavelmente ambos por consequência rs).
      Eu considero como um compacto premium grandinho rs (assim como o Sandero é um compacto grandinho, alias Tiida e Sandero utilizam a mesma plataforma).
      Acho que por conta do tamanho que gera essa dúvida pq o preço até que fica no mesmo patamar de Fiesta, Sonic e Fit.
      Aliás o espaço interno que a Renault-Nissan consegue com essa plataforma é o grande trunfo dela no nosso mercado (onde o povo da muito valor pra tamanho e tal, talvez por ser o unico carro de uma familia e etc etc etc…), vide o Sandero – Tiida – Duster como se destacam por conta do espaço (infelizmente o Duster pelo preço cobrado só se destaca no espaço mesmo, pq o resto…. Podiam pelo menos dar um "up" no interior e faze-lo parecido com o do Tiida).

      Segue um exemplo de comercial dos EUA:
      [youtube pj4hLOCmO8Y http://www.youtube.com/watch?v=pj4hLOCmO8Y youtube]

  • GTcar2

    Faltou o VW Bora

    • anderson_sp

      Este é um "Das Auto" e por pior que seja e não venda, ele é um VW e é imune a crticas, rs. xD

    • Odilon

      Acho que ele não esta aqui por que ele vendia muito bem para os taxistas haha

      • TDRamos

        Eu discordo,
        Aqui no Rio eu consigo contar nos dedos quantas vezes eu vi um Bora Taxi

      • Eugenio C.

        Nunca vi um Bora táxi. Nunca.

      • blindzector

        Nao so eles… mas os " Boiys " ama um bora com rodão! Ainda mais se for usado! Com aro 19/20 e tudo q eles qerem!

        • xam72

          Logico. Ele eh um mini passat assim como os dazauto fans chamam o voyage de mini jetta.
          Se esse eh o raciocinio, o chevette eh um mini camaro

  • HumbertoRR

    É um excelente carro, acredito que a matéria já falou tudo, só peca pelo design!

  • Renato_Dantas

    Disse uma vez e digo de novo: assim como a Mercedes-Benz não sabe ou não quer fazer carros populares, a Fiat nunca soube fazer sedãs com certo Luxo para concorrer com os nipônicos e o Cruze ainda mais com cara de Punto, se a Fiat pedir emprestado a sua controlada o Dodge Dart e lançá-lo como Linea talves tenha algum sucesso.

    • GTcar2

      Nunca soube fazer sedãs ??? Desculpa mas Marea a Tempra é a prova que vc esta errado. só lembrando que o Dodge Dart usa plataforma da Fiat e motor Fiat kk ou seja ela não precisa pedir nada alem de ser dona da Chrysler a plataforma é dela tb

      • Odilon

        Marea e Tempra são exatamente a prova que ela não sabe fazer sedãs, os dois carros apesar de alguns fans do carro, uma negação em termos de manutenção e até hoje estigmatizam a fama de elefante branco. são poucos mecanicos hoje em dia aceita fazer manutenção nesses carros.

        • GTcar2

          São poucos mecânicos bons hoje vc quis dizer neh?? Marea e o tempra não tem culpa por ser ser sofisticado, burra foi a Fiat de colocar esses carro com mecânica complexa na Terra do AP Treskklimei dA FaVeLA VIdA Loka ta Ligado kk

          • Odilon

            Não, são carros ruins mesmo. para ter uma ideia, uma das principais reclamações é o tamanho do cofre do motor, existe coisas simples de se fazer nele que para tal é necessário retirar o motor fora do cofre porque fica inacessível embaixo do mesmo aumentando o custo da manutenção.

            E a eletrica? é a coisa mais porca que eu já vi. Voce por acaso já viu uma simples troca de cdplayer afetar toda a eletrica do carro? Pois é, no marea isso é possivel.

            Palavras de um dono de um Marea 1.8 e filho de um ex-dono de um tempra esquentadinho.

        • MajorAutomotivo

          Realmente, um carro grandes avanços mecânicos e tecnológicos não dava para manter e consertar em qualquer oficina "boca de porco".
          Não vejo, portanto, como possa ser afirmado o fato de que a Fiat não sabe fazer fazer sedãs.
          OBS.: meu carro é Renault e jamais tive um Fiat.

          • Odilon

            Não se trata de qualquer oficina boca de porco, já fui em grandes oficinas com meu Marea 1.8 e ele foi recusado pela manutenção dificil e peças raras e custosas. E o tempra do meu pai não ficava um mês sem aparecer na concessionária autorizada que não conseguia arrumar o problema dele.

            OBS.: Eu tenho um Marea 1.8 ELX e meu pai teve um Tempra beeem problemático.

        • blindzector

          Descordo… o problema era a FALTA de manutenção das proprias OFICINAS q faziam tudo de mau jeito, acostumados com motores VW com uma plataforma mais simples, chega um com uma P de um motor… o cara nao sabe nem por ond mexer!

          • Odilon

            Cara, eu não vou responder isso pra todo mundo. O Fiat Marea É um carro de manutenção ruim independente do tamanho e especialização da oficina, Eu tenho um a quase 10 anos já, eu sei o que estou falando! Não esta convencido? Então leia esse artigo feito por especialistas então.
            http://revista.webmotors.com.br/direcao-sustentav

            abraços.

            • blindzector

              Odilon,

              Sempre me foi e muito bem recomendado o Marea 1.6 16v, motor ja conhecido, tanto q muitas peças do mesmo são " dividas " com outros modelos como balança traseira e enfins!

              Acho q assim… fico com minha opnião por tres motivos!

              ****Carro q e carro qebra pq e uma maquina, onde existem N atrtitos e N situações q forçam o mesmo a qebrar!

              ****Existem carros q vem de fabrica com defeito cronico!
              Tenho um Corolla, q tem DEFEITO ( ohhhhhhhhhhhhhh sera q nenhum dono revelou q a toyota tem defeito?!? ) é um defeito cronico no freio, onde o mesmo ja trocou todo o sistema de freio e NUNCA foi solucionado! Continua com Toc-Toc ao passar por buracos e valetas!

              ****E outro… e ainda mais leva a colocar mais enfase… muitos carros importados ate mesmo da "Argentina " nao sao totalmente " Tropicalizados!"
              Ou seja, motores com temperatura alta ( Ex.: Motores Renault, ( dos imports ) Peugeot e Citroen, Alguns Fiat ) sao motores em q a temperatura é mais alta nestes " Sangue " qentes… e com isso manutenção e muito maior de seus componentes!

              • Odilon

                Claro que quebra por ser maquina, mas existem maneiras de minimizar isso. Dificultar o acesso a items basicos do carro tendo que tirar o motor fora não é uma delas, e deixar uma eletrica tão sensivel a ponto de ser afetada por uma simples troca de cd-player também não é definitivamente uma delas.

                Quando falamos que um carro é "bom", temos que levar tudo em conta e algo que deve ser bem contado é como o carro foi planejado e montado. O Marea não foi um carro planejado e montado para o Brasil.

                • blindzector

                  "O Marea não foi um carro planejado e montado para o Brasil. "

                  Ai sim, falou minha lingua! E um carro q nao foi " tropicalizado" ! Mesma coisa quando vc compra um Alfa Romeo 164 … lindo motor anda MUUUITO… mas … nao foi feito para andar no Brasil! So se ficar na garagem!

                  Aqui no Brasil, por mais q eu odeie falar isso, mas os carros qe " prestam " sao akeles… Gols, Unos, Palios, Celtas, Onix, rs… sao feitos para " nos " brasilenos loucos suicidas!

                  ( Pq comprar um carro sem segurança para mim hoje e suicida! )

                  • XandeeM

                    E essa tropicalização é simplesmente a troca por um motor mais antigo por ser de manutenção mais fácil e barata,rodas menores e amortecedores modificados para as nossas ruas estilo "solo lunar",além da depenagem dos itens de série.O Brasil não merecia o Marea…país onde a maioria das pessoas compram um carro e nem se dão o trabalho de ler o manual.

                    • blindzector

                      E isso mesmo ''XandeeM'' sem contar q alguns modelos perdem akelas borrachas das portas duplas… qe fazem uma diferencas na acustica e na temperatura do interior do veiculo…

              • RafaelSumy

                Aqui em casa temos um Alfa Romeo 156 Sportwagon 2.5 V6 com 100 mil Km, um Marea HLX 2.4 com 140 mil Km e o meu que é um Mitsubishi Galant VR 2.5 V6 com impressionantes 198 mil Km! Infelizmente tenho que admitir que apesar da tecnologia, beleza e engenharia, o Mitsubishi foi o único que nunca deixou na mão e o que deu menos manutenção, diga-se de passagem só trocas de peças por desgaste natural. O Alfa Romeo é muito frágil pra andar no dia-a-dia, muito baixo (raspa a frente e o meio do carro) e manutenção caríssima, no entanto não existem palavras pra descrever a emoção de dirigí-lo, muitos concordarão comigo! O Marea é bom pra usar no dia-a-dia, econômico, mas costuma ter desgaste de peças acentuado e probleminhas elétricos (no Alfa também, pois usam muitas coisas em comum), já o Mitsubishi é de longe o mais sensato, gasta pouco pelo motor/câmbio e tamanho do carro, manutenção corretiva nula, peças com bom preço se procurar bem (correia dentada importada do Japão por 90 reais!).

                • blindzector

                  RafaelSumy … Me fez lembrar do meu Ex Lancer … 97/97 Economico, gostoso de guiar… e nunca me deu problema… maaaassss… agora uma Xsara Break 01/01 Ahhhh neim …. so me deu problema…. Ateh pensei em comprar o Galant, porem, qeria o 2.0 16v… ou entao o Accord 06/06 V6 muito bom!

                  Mas e aguardar mais um tikin, afinal dindin nao e td momento!

        • mariostefa

          meu amigo discordo da sua opinião.ja tive tempra tive 3 mareas, alias, tenho uma turbo.que espetaculo de carro.obviamente,tem que ter manutenção como manda o manual.Oleo tem que ser SINTETICO, nao adianta colocar oleo de 10 "reaus" que o motor da pau mesmo.

  • figado

    Achei que o Bravo estaria na matéria. Vende menos que o Golf de 200 anos atrás e não chega nem perto dos líderes.

    • Edu_SBC

      Chegar perto dos líderes é difícil para o Bravo, pois i30, Focus e Cruze HB vendem quase o dobro, mas os recentes investimentos da Fiat deram uma melhorada nas vendas dele, com o câmbio Dualogic Plus e a versão Sporting ele ficou bem melhor. Pode dar uma olhada no ranking de vendas do 1º semestre e as vendas atuais, houve uma melhora significativa. Eu achei bom, gostaria é que o Golf atual virasse um mico pra geração 7 vir logo pra cá, vendendo o que vende hj, a VW não irá se mexer tão cedo !!!

      • blindzector

        So acho q todas as mudanças… nao levam a pena ao Bravo! Carro BOM porem , poderia ter motor mais forte! o 1.8 tem meros 130cvs! Sou mais Focus!

  • O_Corsario

    Essa coisa de "mico" para mim é a maior bobagem, é coisa de gente que gosta de seguir a manada e é incapaz de fazer uma escolha por sí próprio. Aí acaba comprando o carro que os outros falam que é bom para ele ao invés de se dar ao trabalho de avaliar se vale a pena ou não.
    Aliás, achei um pouco simplista como no caso do Linea, as coisas naõ são tão simples assim, e dizer que o tipo era grotesco, bem…

    • mjprio

      Gostei do seu comentário. Afinal, tem muita gente que tem Gol porque vende pra caramba, sendo que é um carro horroroso e tosco. Alguns vivem com seu carro na css, mas "arrota" que o carro é uma beleza. Isso ocorre porque no Brasil o carro é visto (erradamente) como investimento. Portanto o brasileio compra o que dá pra revender, não importa se o carro é uma porcaria. veja o exemplo da Renault: O Logan é super elogiado pelos taxistas, O clio é um carrinho muito bom de dirigir e tem um bom acabamento e o Fluence representa a vanguarda em termos de mecânica por custo razoável, ams o pessoal prefere comprar um Jetta com motor de santana pelo mesmo preço de um Fluence CVT completo com Xenon e teto solar, porque é Das Auto

      • Gustavo73

        Desculpe mjprio o Fluence não é vanguarda( A frente do seu tempo) em nada. Sim ele é muito bem equipado principalmente em segurança, mais que qualquer concorrente pelo menor preço. Mais sua mecãnica é a mesma do Sentra sem tirar nem por. Acho o Logan uma boa opção levando em conta quanto se pega pelo espaço que se leva. Quanto ao Jetta 2.0,sim ele tem um motor antigo. Mas não é o do Santana, é o mesmo do Golf IV. E não é a mesma coisa nem parecido, nenhuma peça que serve em um motor cabe no outro. Se formos levar em consideração o preço do Fluence completo seu unico concorrente seria o 408THP, e eu ficaria com o segundo. Mas acho que o Fluence merecia uma posição melhor no mercado.

      • O_Corsario

        Não acho o gol horroroso e tosco. No fim, as fabricantes mais novas por aqui chegaram de forma desastrada e por isso ainda enfrentam tanto preconceito. Aos poucos a Renault está conseguindo reverter este quadro, mas não é fácil. Não dá para negar que um "consumidor típico" se sente mais seguro com um jetta 2,0 fabricado aqui do que com um Fluence com motor nissan.

    • Edu_SBC

      Concordo com sua opinião, tb penso assim. O problema é que carro no Brasil é mt caro e a maioria dos brasileiros compram carro pensando na hora da venda, e daí se o carro tiver fama de mico, o valor vai lá em baixo e a diferença pra comprar outro fica pior, mais caro ainda. Quem não liga pra isso, leva pra casa um bom carro e que se dane se os outros não gostam dele. eu fiz isso !!!

    • fschulz84

      Concordo plenamente.

      Papinho de mexânico da esquina.

      Eu compro aquilo que me atende pelo preço que quero pagar, não ligo do carro ser considerado mico. Já tive Old Focus, agora tenho um Megane.

      Eu que compro usados que agradeço essa história de mico! Peguei por 29k um Mégane 2009, se fosse nessa linha talvez pegasse um popular 1.4 pu 1.6 do mesmo ano no máximo com AR + DH e me desculpa, não tem nem comparações.

      O seguro também agradece… Seguro do meu Old Focus eu pagava R$ 800,00 por ano e do Mégane aumentou um pouco mas não muita coisa, enquanto isso, nos compactos, algumas cotações de seguro chegaram a custar mais do dobro do Mégane.

      • ocduarte

        Minha Grand Tour comprada 0 km em junho/12 teve seguro fechado em R$ 1.136,00 com tabela FIPE + 10% para perda total. Considerando que comprei por CNPJ a R$ 43.900,00 ela ainda está valendo mais que paguei! Se tivesse comprado um dos campeões de vendas, populares até, pagaria bem mais pelo seguro.

    • Concordo. Qualquer carro deixa de ser mico desde que o dono cuide dele e conheça suas particularidades, coisa que TODO carro tem. Inclusive na manutenção.

    • XandeeM

      Até gosto desse tal "mico",é ótimo pra quem prefere comprar carros seminovos!

  • mademg

    Para mim, o Linea é tão bom (ou tão porcaria como preferem alguns) quanto Corolla e Civic, excluídos desta comparação Linea T-Jet e Civic Si, infelizmente extintos, que dão banho no Corolla.

    • PONCIO PILATOS

      amigo, não é todo consumidor que gosta de carro turbo, isso é uma preferência sua, por exemplo, não minha. Esportivo é esportivo, e carro de uso "normal", é carro de uso normal… Nessa senda temos fluence turbo e 308 turbo. Pro dia a dia, trabalho pesado mesmo, a mecanica turbo nao é tão interessante assim.

      • Gustavo73

        Vc acha que motor turbo é sinonimo de esportivo?
        Então espere os proximos 2 anos e os lançamentos no mundo. Não há uma montadora que não vá usar motores turbinados e com menor cilindrada e menos cilindros para os ditos carros do dia a dia…

        • PONCIO PILATOS

          amigo Gustavo73, vc foi um pouco genérico demais… eu não disse isso. veja bem, devagar que o santo é de barro. se esse seu pensamento fosse verdadeiro, caminhão e ônibus seriam esportivos. AGORA, NO BRASIL, PARA NÓS POBRES CONSUMIDORES, CARRO TURBO É SINÔNIMO DE ESPORTIVO, a começar pelas seguradoras. Aqui quem anda num 308 1.6 turbo, acha que tá andando de lamborghini, e aí bota pra espirrar…aliás, quem aqui não conhece alguém que colocava um turbo virtual, só pra espirrar e intimidar os outros?

          • Gustavo73

            Rsrsrs,
            Entendi…

        • Rbs

          Diz aí os números da próxima mega sena e quando minha mulher engravidar . . . Vai ser menino ou menina? rsrsrsrs

      • reuelrp

        Só pra constar, Civic Si não é turbo e os motores modernos dotados de turbocompressor são simplesmente a constatação de que motores menores sobrealimentados são muito mais eficientes que as jacas aspiradas. O problema é que no Brasil temos a cultura que turbo é esportivo. 408 e 308 não são esportivos. São carros totalmente voltados para o conforto com um motor moderno. Se essa cultura não mudar, nunca vamos ter modelos "downsized" com seguros e desvalorização normais.

      • JokerCrow

        É com pensamento que turbo é sinônimo de esportivo que as seguradoras jogam os valores lá em cima.

        • Gustavo73

          Esse papon das seguroadoras é outro que deveria ser discutido nos blogs. Em 97 comprei um GolTSi 2000. Quando fui avaliar na seguradora do meu antigo carro vieram com essa estória de esportivo blablabla. Tem taram me cobrar quase 20% ao ano de seguro. Mas vejamos, quando questionei o preço o corretor falou mais esse é esportivo o risco é maior. Ai eu pedi ara ele cotar o A3 Turbo- na época com 150cv e ainda importado, resultado o Seguro do Audi era metade do preço do pedido pelo TSi que custava a metadade do A3, e tinha uns 35cv a mais. As seguradors metem essa e se colar colou. Veja uma Ferrari um verdadeiro Esportivo e vc verá que o seguro dela gira em torno de 3%. E não me venha com essa que o dono da ferrari tem mais cuidado pq não é oque vemos nos noticiários.
          assim como tudo referente a carro no Brasil o seguro tb é exorbitante …

          • rvieria

            Não só o fato do carro ser “esportivo” que altera o valor do seguro.
            No caso do Golf, um dos carros mais visados para furto/roubo no Brasil, é justamente a alta procura criminosa que estupra o valor do Seguro.
            “AH, mas o A3 é mais caro e o seguro menor”, justamente pq as seguradoras calculam que segurar o Audi é mais calmo, visto que não é um carro tão comum e visado.
            Assim, é mais fácil cobrar menos do dono do Audi, visto que de cada 100, uns 8~9 terão que acionar o seguro, do que segurar um Golf que, de cada 100, uns 30 terão que fazer sinistro.
            O mesmo se aplica à colisão. Se existirem 10 Golfs pra cada 1 A3, a chance de m… rolar no Gold é MUITO maior do que no A3, dai o seguro do VW sai mais caro.
            Some-se nisso a idade dos condutores, que no Golf são, geralmente, inferiores a 25 anos, bingo, temos um seguro caro. =)

            • Gustavo73

              Desculpe-me mais discordo. O seguro é uma coisa em grupo, mesmo que vc faça sozinho é um grupo de pessoas que seguram o seu carro. Então se existem mais Golf's no mercado mesmo que ele seja mais roubado ele terá um numero maior de pessoas para dividir o prejuízo, ao contrário de um carro com menos vendas e peças mais carras como o A3. Outra falácia é esse negócio de idade tenho carro e seguro desde meus 18 anos e hj com quase 40 nunca vi essa tal redução. Se a seguradora quisesse faria como lá fora a minha avaliação dependeria do meu prontuário, e não de uma média. Moro no Rio e quando a UPP do Alemão foi instalada o roubo a carros caiu uns 20%. Ná época disseram que isso se refletiria no seguro dos carros e não aconteceu. Mais se houver um aumento dos furtos/roubos garanto que irão aumentar o seguro mesmo que eu não more em uma área afetada.
              Assim como se vc possui o mesmo carro por um periodo de 4 a 5 anos verá que apesar da desvalorisação do mesmo o seguro ficará na mesma faixa de preço. Se vc começou pagando R$1000,00 de seguro por um carro 0K que custou R$40.000 continuará pangando na mesma faixa mesmo que com 4 anos seu carro valha R$25.000 e vc nã0 tenha usado o seguro.

      • shdn2010

        Vc está equivocado, com certeza carros turbos são interessantes, são muito mais economicos com cilindradas menores, poluem menos, gastam menos e andam muito mais (Entenda! Andar mais nao significa correr.). Poderiamos ter motores 1.4 turbos ou 1.6 turbo que seriam muito, mas muito mais economicos que as merd*** bi combustiveis 1.8 e se bobear até seria mais economicos que os 1.6 aspirados.

  • pcdecarvalho

    A questão do Linea, é que não há como não enxergá-lo como um Punto sedã, e isso rebaixa o status do carro para um concorrente de Polo Sedã!
    Para fazer sucesso, o distanciamento teria que ser maior, bem maior! Eu não compraria um sedã de 70 mil com aparência de um que poderia custar 50!

  • fabio_augusto

    Descordo em vários pontos! "Grotesco Fiat Tipo"? O importado chegou a ser mais vendido que o Gol na época! O que ferrou ele foi a produção nacional e o caso dos incendios! O Importado fez muito sucesso! Ainda na Fiat, o design do Linea não tem nada haver! Ele é bonito! Os problemas é que a Fiat foi com sede demais ao pote e o posicionou errado. O motor tb não era dos melhores comparado ao Civic e Corolla. E finalmente o câmbio dualogic. Se a Fiat posicionasse no segmento do City as vendas seriam melhores. Sonic e New Fiesta estão com dificuldades de emplacar por causa das cotas do México. Fui na CC na Chevrolet e não vi nenhum Sonic exposto. O Sonic é um ótimo carro e nem o design o faz vender pouco. O problema são as cotas mesmo. O New Fiesta é do mesmo caso, mas vende muito bem, apsar do preço! Aposto que a Ford está bem satisfeita com vendas dele!
    Achei a análise do autor meio superficial e parcial.

    • MajorAutomotivo

      O Tipo 1.6, 16 válvulas com duplo comando era o sonho de qualquer amante do automóvel.

      • zambarigood

        o tipo era 1.6 8v de simples comando, igual ao da uno 1.6R, porém com injeção monoponto. O 16v era o 2.0 de duplo comando, com 137cv declarados, porém na europa o mesmo carro tinha 145cv.

        • jaderf

          e nao sei se tu ja andou nesse 2.0…mas era uma delicia de dirigir, andava muito!!!!!

    • Supramagnus

      Disse tudo. O Tipo chegou a ser o carro mais vendido do Brasil durante alguns meses. E o design era um dos pontos fortes de venda. Dizer que era "grotesco" é clara falta de conhecimento. O Linea nunca teve bom custoXbenefício (se tivesse, venderia bem mais).

    • blindzector

      Entendo seu comentario e faço a seguinte situação …

      O maior problema e quando uma pessoa compra um carro MultiValvulas, e nao faz a manutenção EXATA! Tudo começou assim! Ateh hoje muitos tem o " trauma " dos carros multivalvulas… mas nunca fizeram a manutenção adequada ao tipo de Veiculo. Se por exemplo todos fizessem manutenção periodica em seus carros concerteza nao teriam problemas com nenhum, assim, comprando peças originais ou de BOA procedencia… Tudo começa assim!

    • Marciomaster

      Só uma correção Fabio, o tipo que ferrou tudo era o primeiro mesmo, com injeção monoponto e auto-inflamavel, o tipo bom era o 1996 1.6 mpi com injeção bosch monotronic (mesma do vectra na época), e esse não vendeu quase nada, porque o antecessor ja havia queimado o filme.

      • codmanBR

        O Tipo 1996 tinha os mesmo motor e cambio do Uno 1.6R.

  • anderson_sp

    Que eu lembre agora, faltou o Symbol, Soul, Megane GT, Tiida, Polo Sedan, Vectra GT, não que sejam ruins, mas podem se enquadrar aí nesta lista.

    • Louis

      KKK, verdade o Symbol!!!!!
      Quando alguém avistar um Symbol, faça um pedido que seu desejo será realizado !

      • greicemari

        kkkkkkkkkkk e eu quase comprei um symbol o bichinho tem um custo beneficio bom…mas colocaram o preço do meu clio no chinelo e aumentaram o preço de tabela dele por conta de dar um usado na troca…ai parti pra citroen..

    • fschulz84

      Não vejo a Mégane GT como mico, depois do reposicionamento dela, passou a ter grande aceitação.

    • rvieria

      O Soul não seria um mico de vendas.
      Agora pode ser, visto que a Kia cobra absurdos 70mil por ele, mas em meados de 2011 ele saia por 58mil por ai.
      Vendia muito bem, menos que o Cerato, mas vendia bem. Todavia, como toda a Kia, o Soul caiu nas tabelas devido ao preço e os sucessivos aumentos do IPI.
      O Vectra GT podia estar na lista mesmo, mas vejo muitos dele aqui em Porto Alegre.

    • ocduarte

      A Grand Tour vendia, antes de anunciarem sua morte, mais de 1000 por mês com frequência. Não vejo isso como um mico.

    • doctor_house

      Esses e alguns outros… Mas os citados realmente se deram muito mal!!

    • AntonioCarn

      Verdade… por isso ainda não entendi o mercado brasileiro… Sou daqueles talvez do contra (ou nopto por pagar menos para quem me oferece mais) Tive um Tiida Sedan… que delícia de carro… Agora comprei um Symbol e estou muito satisfeito… Diante de pouca opções de pronta entrega em minha cidade, ficaram Symbol e Voyage… Uma certa diferença mecânica e de acabamento (Symbol melhor é claro) mas gigantes de Preços (TOPs : R$ 42.000,00 x R$ 51.000,00) Adivinha o mais caro???? OBS: É o meu sétimo carro e nunca tive problemas com revenda..,.

      • anderson_sp

        Não é porque o carro não vende que é ruim, é coisa do mercado mesmo, da aceitação dele, Gol por exemplo vende muito, mas não gosto dele e não compraria um, prefiro um March, mas como não vende tanto quanto o Gol que é referencia e líder do segmento, para muitos acaba sendo um "mico".

    • Marciomaster

      Vectra GT?????, Pô vendeu muito e era carissimo….

  • EDGAR__RJ

    Symbol, Sentra, Clio , Etc…. Carros bons que também nnão emplacam !!!!

    • blindzector

      Sentra!? Vejo em toda esquina!

    • DougSampaNA

      o Symbol foi mal mostrado e mal vendido, entre numa ccs Renault e veja onde o carro está exposto…sempre nos cantos ou fundos..a ccs tambem mata um carro..

    • JoinhaI

      99% dos Renault, são ruins de revenda, feios, inseguros, plataformas antigas…tudo de ruim um Renault tem, então compra mesmo se for burro !

  • baiguma

    O Linea é um carro que não convence, eu particularmente não gosto de carros da Fiat. O Sonic é bizarro mesmo. Agora o New Fiesta está num preço "justo", hoje por R$ 50k você pega o top dele, com 7 airbags, todos os controles eletrônicos, luz diurna de leds, o som completo, couro, rodas aro 16 etc. A versão 2013 que estava no salão é a importada, e tenho certeza que a nacional vai decair MUITO no padrão de qualidade, se equiparando a do novo Ecosport que há reclamações de mal acabamento.

    • Gustavo73

      As pessoas preferem pagar 50k no Fit para ter roda de aço e não ter abs e nem rádio. Fazer oque…

  • jvjv

    O Linea nunca deixou de vender por não ser bonito. O único problema real dele é o preço.

    • blindzector

      Preço!?

      Acho q nao… vendem ele completo por meros 53 mil, tem um conforto relativo… acho q o defeito dele e apenas o acabamento By Fiat… q deixa a desejar nos carros mais caros!

      • tiago90j

        o que eh muito caro, pois tem sentra a 49.000,
        o linea devia custar uns 2.000 a mais que o punto, uns 47.900 tava otimo pra ele.

        • blindzector

          Uai… conseguem vender um carro Chines, J5 – por 53990 e nada mais! rs

          Se vendem outro medio a preço de BANANA… o Jetta… 60 pauladas! E o Corolla… puffs… 63 versao de ENTRADA! por isso nao acho caro!

  • JulioCMO

    Sempre adorei o fato do Focus ter vendido pouquíssimas unidades e ser bem menos "da moda" que Golf e Stilo. Por que disso? Preço do seguro =D

    • figado

      Focus vender pouco? Cuma?

      • Marcelo_Machado

        Ele refere-se ao sedã

      • JulioCMO

        Nacionalmente o Focus teve dois picos de vendas, agora com a segunda geração e após o face-lift da primeira, mas depois o Golf e o Astra sempre iam atrás e igualavam. Atualmente a realidade é outra… ainda bem. O problema é que assim como o Stilo, o Focus depreciava muito mais que os concorrentes, coisa que faz diferença nas metrópoles. O VW se valorizava por… ser um VW e o Ford ficava atolado nas revendas.

        Aqui em Goiás é bizarra a diferença nas vendas, aliás, Ford – em geral – tem baixíssima procura na região centro-oeste, basta ver a diferença de preço de carros usados como Fiesta, Ka e o próprio Focus daqui do centro para o sudeste. Curiosamente… o inverso vale para Honda, aqui se paga valores impraticáveis em SP, mas ai é outro assunto já rsrs'

    • DougSampaNA

      Nunca procurei o Focus porque o acabamento era pobre pelo preço do modelo, então talvez mais alguns milhares pensem como eu e não ajudem o modelo a decolar…pode até ser…

  • Odilon

    O Linea não vai pra frente porque ainda sofre sobre a sombra dos estigmatizados tempra, tipo e Marea. Todos carros problematicos que deixaram cicatrizes na marca fiat.

    • blindzector

      Nao sao tao " Problematicos " como falei, sem a manutenção adequada, qualqer carro para na oficina facil facil!

      • Odilon

        São problematicos sim, poxa, ouça quem ja teve um tempra e tem atualmente um Marea cara! Que teimosia. Mesmo a manutenção preventiva é custosa e problematica.

    • MarcoBucko

      Tempra, Tipo e Marea não eram carros problemáticos, o problema eram seu donos que não faziam manutenção… esses carros tiveram grande desvalorização e cairam na mão de quem não tem dinheiro, como a manutenção não era tão barata, foi deixada de lado…

      O problema da Fiat é que ela vive matando seus carros… enquanto a VW continua vendendo golf desde 1995, a Fiat teve Tipo, Brava, Stilo e Bravo… e quando o carro sai de linha o preço do usado cai… e o carro cai em mão erradas…

      • mariostefa

        cara vc falou tudo. são carros com belos motores,é so fazer a manutenção correta.tive tempra e tô na 3ª marea.uma MWT

  • Readgis

    O insucesso do Fiat Linea se deve mais ao alto preço pedido por um sedâ derivado de um Hatch médio. Algo que poderá ocorrer com o novo "Grand" Siena se a italiana não abrir o olho. Já os Daewoos sempre micaram por aqui, e não vai ser a troca do emblema coreano pela gravatinha da Chevrolet que vai ajudar a deslanchar essas carrancas.

    • rvieria

      Sem contar que a Fiat também sofre com a imagem de "carro de pobre".
      Apesar do Bravo atual ter um motor e design ótimos, e o Punto vender muito bem pro mercado jovem, a Fiat é famosa pelos carros populares.
      Isso espanta, e muito, os compradores do mercado em que o Linea está introduzido: Normalmente classe média alta maior de 30 anos, cujo interesse no carro é o destaque e status que, inegavelmente, Honda/Toyota/GM gozam no ideário popular.
      (Incluo a GM no quesito "status" pois, querendo ou não, sempre teve tradição no mercado de sedãs mais carros, vide o sucesso que fazia o velho Vectra).

  • Renato_DF

    Faltou o Renault Symbol

  • PKuster

    O Linea não passa de um Punto três-volumes, com um "design" não muito feliz, além de caro. Quem tem dinheiro para comprar um Linea, compra logo um Corolla ou Civic – é um claro êrro de estratégia da marca italiana. A Fiat parece que só se dá bem com carros pequenos no Brasil, se lançar modelos um pouco maiores é mico na certa. O atual Bravo brasileiro – que tem uma plataforma meio Frankenstein, é um forte candidato. Na Argentina a Fiat importou para lá o modelo Europeu, por qual motivo ? Micou aqui vai micar lá também ?

    • rogerrosato

      O Bravo brasileiro e o Bravo europeu só se diferem por alguns ítens de série e o motor, que no caso deles têm opções menos potentes e mais econômicas.

      • Gustavo73

        Na verdade não tanto Bravo quanto o Punto/Linea usam uma plataforma alongada do Idea, que não é a mesma utilizada na Europa.

    • GTcar2

      Explica melhor aonde vc tirou que o Bravo brasileiro é diferente do Europeu

    • TecoPadaratz

      Fortíssimo candidato depois que começarem as vendas dos novos i30 e Focus.

      Se hoje já pena pra vender 900 unidades por mês, vai sofrer mais ainda depois do lançamento destes 2 modelos no Brasil.

      Mas isso pouco importa……cada um compra o carro que gosta, independente se vende muito ou vende pouco.

  • MajorAutomotivo

    Mais dois para a lista: o Nissan Sentra (injustiçado pelo mercado) e o antigo Renault Megane sedã.

    • rvieria

      O Sentra pode ter caído, mas não é MICO.
      Mico é o carro que não vende, o Sentra vende tão bem que não tem mais nas concessionárias.

    • DougSampaNA

      Major, o que mata o Sentra são 3 coisas…preço do seguro, preço da manutenção e valor de depreciação( decorrente das 2 primeiras); a NIssan tem preço competitivo mas quer tirar depois na manutenção…aí o preço do seminovo vai pro brejo…e puxa as vendas do novo pra baixo por causa destas famas…o0/

  • rogerrosato

    As tentativas de crase, novamente, são um show à parte.

  • RafaelPimenta

    Otima lista. sobre a Hoggar, das concorrentes atuais dela, nenhuma aguenta serviço pesado. A saveiro depois da G5, ficou uma pickup pseudo-esportiva com pouca caçamba e pouca resistencia ao serviço pesado. Monstrana nunca aguentou serviço e a Strada se sai bem apenas em estradas boas. Uma boa opçao do mercado atual é a courier. O unico uso dela é para trabalho mesmo, ja que tem um visual muito passado e nao servindo para carro de passeio e nem para chamar atençao. Tem uma das maiores caçambas da categoria e só tem motorizaçao 1.6 zetec. A unica coisa que falta nela é a ford abaixar os preços, pois numa pickup que nao muda praticamente nada desde 1998, ela esta com um preço bem salgado

    • Pedro_Rocha

      Para serviço rural não recomendo a Courier. Meu pai comprou uma (ano 2000) para trabalhar no sítio e ela é muito baixa para estradas de chão.

      • RafaelPimenta

        sim eu tambem ja reparei isso. O nosso maior problema, é que das opçoes de mercado, quem nós vamos colocar num serviço rural? sao todas despreparadas pra isso. Strada parece de plastico(nas versoes adventure ela é mesmo), saveiro nao aguenta serviço pesado, Hoggar tambem nao, courier é baixa demais. Pra lugares de estrada ruim compensa pegar uma pickup maior como uma ranger ou S-10 usada.

  • bedotRJ

    Que fazer o Linea vender bem? Rearranjo das opções:

    – nova versão Essence 1.6 16v (ar, direção, trio, ABS e airbag) por R$ 44.990,00;

    – versão Essence 1.8 16v MT com preço reduzido p/ R$ 47.990,00;

    – versão Essence 1.8 16v c/ câmbio AT de verdade (5 ou 6 marchas) por R$ 50.990,00.

    – versão Absolute completíssima c/ câmbio AT por R$ 54.990,00;

    – versão Tjet por R$ 56.990,00.

    Nesses preços, perfeitamente aplicáveis mesmo com o Grand Siena no portfólio, muita gente que hoje torce o nariz pro Linea sairia correndo prá comprá-lo.

    • zambarigood

      São preços perfeitamente possíveis devido ao que já se cobra pelo punto, e percebe-se que já haveria um conflito com o recém lançado Grand Siena, o qual compartilha a plataforma.

    • Pedro_Rocha

      Mas para quê vender Linea barato se o pessoal compra Grand Siena pelo preço que ele deveria ter? Em outras palavras, melhor vender Grand Siena caro a Linea com preço razoável.

    • codmanBR

      Concordo, se houvesse a versão Essence 1.8 16v c/ câmbio AT de verdade (5 ou 6 marchas) por R$ 50.990,00, acho que venderia bem.

    • RafaelPimenta

      Seriam preços justos, mas eles estariam proximos ao punto e ao grand siena, o que torna bem impossivel de esses preços serem praticados

  • DirceuFragoso

    Como estudante de Marketing eu posso afirmar pra vocês:

    Não existe "receita de bolo" para as vendas emplacarem. A partir disto, faltam informações mais relevantes nas informações do texto. Existem "N" psicológicos e mercadológicos que podem levar um ser humano a adquirir tal produto ou não. Não tem como afirmar com precisão todos os erros e acertos cometidos pelas empresas.

    Talvez, esses que não emplacaram, não foram percebidos da forma como os fabricantes planejaram. Se você produz um carro com o Hoggar, que deve passar a imagem de um carro voltado pro trabalho, o design, a comunicação e vários outros fatores tem que estar de acordo com a imagem que se pretende passar e que seja percebida pelo consumidor.

    Creio que não conseguiram passar essa imagem e/ou o mercado não estava propenso aos produtos.

    Ps: é claro que o fator preço também conta bastante.

  • geoshina

    Nossa opinião é bem formada? Discordo. Ela é mal formada.

  • blindzector

    Mas o Agile, vende bem, sustos e mais sustos na concorrencia! hahahahaha

    Vamos ver se o Agile nao sera morto com a vinda do Onix! ^^

  • zambarigood

    Fiat, vai a dica: o Linea não emplacou por três motivos:

    1 – o porte do carro: até o mais leigo quando entrava numa concessionária da Fiat, entrava no Stilo e depois no Linea sabia que o primeiro era bem superior tanto em espaço quanto em acabamento, são carros de níveis diferentes. Então só havia duas coisas a se fazer: ou levava o Stilo, ou se quisesse um sedã, procurava em outro lugar. Até o marea era muito superior em espaço e acabamento.

    2 – Motorização: O carro já foi lançado sabendo que a motorização seria trocada posteriormente. O exclusivo motor 1.9 foi trocado pelo etorq 1.8 que não possui retífica, ou seja, você não sabe o que é pior. O 1.4 TJET deveria ter os pés mais no chão: 152cv não assustam ninguém, ainda mais para quem há 10 anos atrás já fabricava carro com 30 cavalos a mais que isso. Deveria ser somente uma motorização (e flex, se quisessem fazer um seviço decente), não uma versão.

    3 – Preço: Mesmo na contramão em categoria e motorização, o Linea cobrava mais por um carro de categoria inferior. Mesmo que houve uma adequação dos preços, ainda existe uma diferença muito grande de preço para o seu irmão Punto, que compartilha a plataforma. Pelo o preço de um Linea, se o porta-malas não é problema, dá pra pegar um Punto Sporting com sidebags, ar digital e outros mimos pelo mesmo preço, isso se o sujeito gostar de Fiat.

    Pensando assim, meteram os pés pelas mãos não só Fiat com o Linea mas a VW com o Polo, Ford com Fiesta Sedan (menos mal pelos equipamentos) e GM com Sonic. Mas de qualquer forma quem sai perdendo é o consumidor.

  • autoamante

    O mais incrível é que as montadoras estão cientes dos problemas. As concessionárias são as primeiras a chiar já no primeiro mês de vendas, quando se tem a noção exata do problema – em sua maioria erro de posicionamento do carro no mercado. O caso do Linea foi emblemático, mas quando a Fiat resolveu tomar uma atitude, o fez de forma equivocada. Lançou versão pelada a preço mais em conta, depois simplificou a gama de versões com uma leve redução no preço da top…enfim, o estrago estava feito e a fama de mico já tinha pegado. E porque não sai de linha? Porque a margem na indústria automobilística é tão alta que vender apenas 1 mil unidades/mês equivale ao lucro da venda de 2 mil a preços mais em conta, como sugerido por bedotRJ. Por isso eles não baixam o preço.

    O Etios caminha a passos largos nessa direção…e a Toyota tem que agir logo para evitar que a fama de mico se torne sinônimo do seu feiosinho. Os loucos que estão pagando R$ 42 mil na versão top do hatch e R$ 44 na versão top do sedan vão se arrepender da graça. Se considerarmos que esse carro vai ter o mesmo percentual de desvalorização do Corolla (estamos sendo generosos heinn…), daqui a 3 anos os preços dos usados hatch e sedan vão estar por volta de R$ 32-R$34 mil….quem vai comprar um usado por esse preço – ainda mais sendo um Etios???? Com mais R$ 1-3 mil, se compra compactos e sedans mais equipados, bonitos e modernos…e, mais importante, zero km!!??? Parece que os consumidores estão vendo isso, vide a baixa venda desses carros.

  • carmanbhz

    Na verdad a Fiat vive dos populares mesmo, como o colega postou a classe média mais alta tem preconceito com a Fiat. Isso tem mudado aos poucos com carros mais de nicho , tipo o Freemont e o 500. A fiat deveria lançar carros no segmento mais caro sempre abaixo do preço da concorrência, fato que ela não fez com o Linea.

    • gcarlos

      Perfeito! O cara q tem mais dinheiro não vai comprar um carro q seja associado a marca do popular UNo, Só por exemplo o Corolla o leva a um maior ´´Status´´.

  • Rodrigo

    Alguns pontos aqui:

    1) O Fiat Tipo era feioso, apresentava muitos problemas quando importado (tive um, inclusive), inaugurou a era "fire" da FIAT (hehehe, essa foi podre), mas com o câmbio favorável e as importações em alta, teve meses que chegou a vender mais que VW Gol e isso é um fato a ser reconhecido. O problema do Bravo / Brava (geração anterior) foi realmente uma patinada da Fiat. Primeiro que entre 95 e 2000 teve alta abrupta do dolar, o que acabou inviabilizando a importação. Segundo que num movimento de mercado para veículos de 4 portas, não fazia o menor sentido trazer um médio familiar com 2 portas (no caso do Bravo) enquanto a Brava não era produzida. E por último, o foco da Fiat era o sucessor do Tempra (Marea), logo, como disseram, relegaram o modelo hatch para um segundo plano.

    2) New Fiesta: eu já acho que é um carro que só não vende mais pq vem do México e a fila de espera é longa. Vejo muitos New Fiestas em SP (tanto a versão hatch quanto a sedã) e a marca inspira certa confiança.

    3) Polêmica do Linea: design é uma questão subjetiva. Eu mesmo acho o design do Linea mais harmonioso que o do Marea, por exemplo, e muito mais harmonioso que o do Sentra (por exemplo). Aqui a questão, do meu ponto de vista, recai no conjunto motor-câmbio (exceto versão 1.4 T-Jet) e no porte… Ele não deveria concorrer com Civic, Corolla, Vectra / Cruze e outros, pois é um sedã compacto… Ainda que a Fiat esteja convencida de que suas dimensões sejam semelhantes, todos os atributos o fazem concorrer diretamente com City, New Fiesta, Polo e cia. ltda. Nesse aspecto acho que, diante desses concorrentes, é uma ótima opção…
    Pra concorrer com os médios, só mesmo os Lancia ou Alfas, ou o novo Dart se for o caso…

  • blindzector

    Sonic… carro caro por um painel de moto! =x

    Nao e feio, mas tbm nao e bunito… o Onix sai na frente! Por q a traseira lembra Gol xD

    • tiago90j

      verdade, muuuuitooo parecida, vi um e fiquei surpreso. eh muito parecido com gol g5

  • rdcotta

    acho o Linea bem legal, mas falta qualidade por exemplo na pintura. o meu vizinho tem um 2011 e ja esta descancado todos os apliques cromados dos parachoques, o apoio interno do braço os botões do volante e principalmente os botoes do radio, esta tudo descascado o que da uma aparencia horrivel por dentro. este problema da tinta tambem acontede no Punto.

  • osolamaalua

    Sou proprietário de um linea T-jet, e acho que este carro foi um injustiçado no mercado. Acho que a Fiat errou na seguinte estratégia: Não deveria existir a versão mais barata e a mais cara T-jet concorrer com o Civic inicial. Tive o New Civic e o Golf antes do T-jet. Nenhum dos dois é melhor que ele. Vi testes de um programa estrangeiro em que fazem testes com os seguintes modelos: Jetta, Lancer, Civic, Corolla, Mazda e Subaru e nos testes o Linea ou foi o primeiro ou segundo.

    • DougSampaNA

      falta Tjet AT 5 ou 6 marchas…com Dual não dá, nem de graça! Dual plus ainda iria nos carros até 1.6 sem Turbo, mas de 1.8 acima ou o Tjet, tinha que ser AT.

  • rcm88

    O Línea não vende porque parece um Pálio gigante…

    • GTcar2

      Se fosse assim o Jetta nao venderia nada rsrs

  • lexbh

    O unico motivo que eu nunca vou ter um linea é devido a falta de um cambio automatico de verdade. Esse duallogic PLUS quem sabe pode ser uma saida, mas ai tem que ser 0km, e comprar um linea 0km só se for muito louco suicida rs.

  • jpmocellin

    Estilo sóbrio do Brava? Acho que não. O Brava foi uma revolução em termos de design, sendo que na minha opinião permanece atual até hoje. Quantos carros tiveram aquelas lanternas traseiras?

  • Tal como em roupas, sapatos, joias, artigos esportivos, produtos de consumo em geral, beleza é fundamental, porém, o "appeal" é importantíssimo, principalmente no meio automotivo.

    Se a Fiat ainda não sabe, ela não tem appeal algum de luxo ou para o mercado de luxo, e me surpreende o grupo italiano tentar passear por essas bandas tendo Lancia, Alfa e agora a Chrysler para isto… foi assim com o Croma, igual para o Marea e está acontecendo o mesmo com o Linea. Se a Fiat tivesse feito exatamente um Punto sedã, teria sido mais feliz, o forte da Fiat é ter um visual jovem, descolado, levemente esportivo e só. Grande falta fez também um Stilo sedã, que figuraria com algo mais esportivo que o Astra e mais jovem que o Focus, teria tido uma participação quem sabe, mais forte que o hatch.

    Talvez com o Viaggio a Fiat consiga alcançar seus objetivos…

  • Kleverson_G

    Falar de motorização nem justifica, até pq o Jetta tem um motor 2.0 de 120 cv (Grand Santana)
    Acho q o line deveria ir para uma categoria tipo, Compacto Premium, pq n é tão grande um médio, mas tmb é bem superior ao nível dos compactos-médios q tem ai!

  • MuriloSoares

    O único problema do Linea é seu posicionamento de mercado, mas acho difícil mudar agora, e um câmbio automático ajudaria muito, e o carro é Bonito, elegante e harmonico.

  • edsontak

    Adicionando Prisma, 408, Fluence, Symbol, Bravo, Gran Vitara, Elantra….

    • codmanBR

      Acho que você poderia tirar o Fluence desta lista, vende em media 1.300 por mês e atualmente é o quarto sedan médio mais vendido.

  • Jason

    Sempre haverão alguns carros com indíces pequenos de venda, mas com alguns pontos positivos a seu favor. Vectra GT, citado em alguns comments acima, é um bom exemplo disso. Um carro que tem um design legal, baseado no Opel Astra, com bons atributos, mas que aqui no Brasil é um carro que não vendeu muito. O Linea é outro exemplo, quem sabe seu valor sendo melhor ele agrada.

    O Sonic até se esforça, mas é um carro feio. Não há como ter sucesso assim. O Etios, parece tr saído dos anos 90, tem tudo pra ir pra lista dos micos.

  • marciomvo

    Na minha opinião o brasileiro já sabe o que quer: quer carros bonitos, modernos, equipados e com preço justo. As fábricas é que não sabem, ou fingem não saber e seguem em sua exploração cega até as últimas consequências.
    Aí é o que estamos vendo: carros dito feitos para emergentes, com preço um pouquinho mais razoável mas que são verdadeiras aberrações sobre rodas, e reestilizações de modelos tradicionais, lançados como premium a um preço exorbitante.
    Eu, particularmente, sempre achei o linea um dos mais belos sedans que temos em nosso mercado. Mas acho que a fiat deveria lançá-lo como sedan compacto. Com certeza, faria um enorme sucesso.
    Mas não. Num segmento que já não tinha tanta tradição, lança-o como médio a preço semelhante aos l´deres civie e corolla. Só podia micar.
    Agora, não adianta mais seu bom CxB. O carro já não empolga mais.
    Outro exemplo, o sonic. Eu também acho o modelo atraente, bonito, exótico, diferente, gostaria, sinceramente de tê-lo em minha garagem. Mas no preço que estão pedindo pelo compacto, pode apodrecer no páteo da montadora.
    Outro, o new fiesta, acho o mais belo hatch que temos atualmente em nosso mercado, mas deveria custar o preço normal de um hath compacto que é, substituindo, inclusive, aquela aberração do fiesta rocan.
    Com certeza, quando vier a ser fabricado no Brasil, mesmo com preço normal de mercado, o fator novidade, o impacto do lançamento já terá passado, e seu sucesso, que poderia ter sido estrondoso já terá sido perdido. Fazer o que. Ganância excessiva dá nisso.
    Quanto ao ET-ios, quem não sabia que seria um mico, tamanha porcaria que é. Só a montadora não devia saber ou acha-se grande de mais para imaginar que poderia vender qualquer m… em cima do nome que tem.
    E acho que a Honda vai pisar na bola também, se trouxer para o Brasil o seu primor de compacto, o brio.
    Acho, assim, que estes carros micaram por incopetência ou exploração excessiva das montadoras.
    De nossa parte, devemos ser cada vez mais maduros e exigentes para tentarmos mudar este quadro lamentável que é a nossa indústria automotiva, oórfãos que somos de nossos governantes.

  • Adriano_Silva

    O Sonic vende mal por dois motivos básicos, custo beneficio e não é superior ao carro que pretendia substituir.

  • zeuslinux

    O Linea faria sucesso se fosse vendido na categoria de sedã compacto "espaçoso" (Logan, Versa, Cobalt, etc), com preços semelhantes a estes.

    Mas a Fiat optou pela aberração que é o Grand Siena, e aí acaba não vendendo bem nenhum dos dois. O Linea pelo preço do Grand Siena venderia bem melhor.

    O Linea não tem como competir com os demais sedãs médios de verdade.

    O Sonic só vende mal porque a Chevrolet está cobrando caro por ele, a meu ver propositalmente para não vender muito mesmo, já que é importado da Coréia e não deve ter muita margem de lucro por isso. Se fosse feito no Brasil, Argentina ou México e vendido por preço similar aos concorrentes, venderia muito mais.

  • thebestguesty

    No brasil as montadoras ganham tanto dinheiro que até o insucesso gera sucesso…. Leia-se R$$$$$$$$ ganharam muito dinheiro com esses micos podem ter certeza

  • RPKell

    Assim, tem gente que gosta de generalizar tudo e por exemplo nesse caso das plataformas, só pq modelos dividem esse mesmo componente, já saem falando que é tudo a mesma coisa. Eu discordo disso aí, cada projeto tem seu foco, no maximo terão algumas caracteristicas semelhantes.

    Nesse caso não da pra comparar o Sandero (projeto de baixo custo) com o Tiida que é muito mais trabalhado e de construção mais cara.
    No caso do Sandero no NCAP dava pra ver que faltou um reforço estrutural ali (no video a lataria deformou em vários pontos críticos, parecia uma latinha de breja rs). E isso acontece com esse fabricado aqui no Brasil, já que na Europa ele teve um resultado bem melhor que isso. Foi semelhante com o que ocorreu com o March (que usa uma variação dessa mesma plataforma mas foi mto bem nos testes europeus), quando chegou ao Brasil tiraram vários reforços estruturais importantes para baratear o custo e deu no que deu no Latin NCAP.
    O nosso Tiida é feito no México, quee tbm abastece os EUA portanto, além de ter o AirBag teve seu projeto devidamente realizado com os padrões de segurança de primeiro mundo.

    E digo mais: o Duster, que é feito no BR, duvido muito que se sairia muito melhor do que o Sandero. Acho que pra ter um maior lucro a Renault deve ter barateado ele tbm. Já a nova Eco faz propaganda pra tudo quanto é lado que colocou reforços e que segue um padrão mundial de segurança (no Salão eles mostraram uma Eco cortada e com os reforços). Tenho muita curiosidade pra ver esses testes!
    O ruim é o se o Duster continuar lider e a Ford capar a Eco pra ficar no mesmo nível e baratear. O consumidor comum não se importa muito com essas coisas, e se acabar optando por um projeto mais simples, só vai fazer as outras montadoras copiarem as características de um produto menos evoluído. Mais ou menos o que aconteceu quando o Clio chegou no Brasil oferecendo um nível de segurança impensável para o segmento popular, daí como não vendeu nada a Renault foi capando pra deixar no mesmo (baixo) nível dos concorrentes, já que era isso que vendia.

    Abs!

  • Marco_Aurelio

    Pena o Linea não ter emplacado como deveria, pois trata-se de um dos mais bonitos e confortáveis sedãs vendidos em nosso mercado. Penso que se a Fiat baixasse um pouco seu preço e tivesse para oferecer um legítimo câmbio automático, resolveria o problema, pois é um carro muito bonito, principalmente a frente que é bem imponente. Quem me dera ter um … Foi um dos melhores carros que já tive a oportunidade de dirigir. :)

  • Yusks

    LINEA – Muito confortável e bonito, tenho um e posso dizer que é um ótimo automóvel. Muito espaço interno e grande porta malas. Sem dúvida é o sedan com melhor custo benefício do país. O câmbio Dualogic funciona perfeitamente. Antes de tecer algum comentário, dirija um e contate que é um carro que pôe respeito. Sem puxa saquismo, se fosse ruim falaria mesmo! Considere tb a rede de concessionárias pelo país. Comparar com o que??

  • Roberto

    Faltou o Up e o Mobi

  • Gian

    É muito superficial dizer que a causa do Linea não ter emplacado seja “design”
    O design, se não agrada, também não ofende. É neutro, discreto.

    Sob meu ponto de vista, os verdadeiros motivos para o insucesso do Linea seriam:

    1) O Linea veio posicionado como um sedan médio, coisa que não é. Depois a Fiat corrigiu o posicionamento, mas já era tarde: o mercado ja tinha criado antipatia pelo modelo.

    2) O Linea nunca teve câmbio automático, coisa que todos têm (e corresponde a ~80% do seg). Dualogic é bom? É ruim? É mediano? Não importa: o consumidor desse segmento quer pagar por um automático (seja o convencional, seja um CVT, seja um DCT). Tanto que vários modelos são 100% automáticos.

  • Diogo Oliveira

    Também acho que o Linea vendeu pouco por causa do Design, o que eles estavam pensando na hora de colocar uma dianteira estilo Hatch em um sedan??? De primeira vista parece que pegaram um Punto e esticaram a ”bundinha”.

  • Marcelo Henrique

    “Conteúdo protegido!”?

  • Ricardo Amaral

    O Linea sempre vendeu mal, mas se a FIAT lançar o novo Tipo com motor de 95 cavalos, como tem aparecido nas revistas especializadas, vai ser outro mico gigante. Mico não! Um king kong! Sedã médio com 95 cavalos de potência é sacanagem (para não dizer burrice!). Aguardemos…

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 11 anos. Saiba mais.

Notícias por email

Send this to a friend