Argentina Chery Mercado Preços Sedãs

Chery Arrizo 5 chega ao mercado argentino e custa quase R$ 61 mil

Chery-Arrizo-5-Sport-2017-1 Chery Arrizo 5 chega ao mercado argentino e custa quase R$ 61 mil

Com passaporte quase carimbado para vir ao Brasil, o Chery Arrizo 5 chega ao mercado argentino, onde os modelos Tiggo 2 e Tiggo 7 já estão prestes a chegar. O sedã de porte médio, mas motor de compacto, chega ao país vizinho com preços a partir de 322 mil pesos ou cerca de R$ 60,9 mil. São três versões, sendo a mais cara por 375 mil pesos ou R$ 71 mil.



Medindo 4,57 m de comprimento, 1,82 m de largura, 1,48 m de altura e 2,67 m de entre-eixos, o Chery Arrizo 5 tem somente à disposição no mercado hermano um motor 1.5 com 115 cv e 14,4 kgfm. Os números já mostram o seu calcanhar-de-aquiles, que é o desempenho. Se ainda fosse turbo com injeção direta, haveria um bom torque em baixa para mover seu porte e peso, que é de 1.229 kg na versão manual. O porta-malas tem 480 litros.

chery-arrizo-5-3-1 Chery Arrizo 5 chega ao mercado argentino e custa quase R$ 61 mil

Por lá, o Chery Arrizo 5 chega com bom conteúdo, apresentando de série airbag duplo, freios com ABS e EDB, controles de tração e estabilidade, assistente de partida em rampa, rodas de liga leve aro 16 polegadas, ar-condicionado, direção hidráulica, vidros e retrovisores elétricos, travamento central elétrico com controle na chave, multimídia com tela de 7 polegadas sensível ao toque, conexões iPod/USB/SD/Bluetooth, câmera de ré, entre outros.

Na opção intermediária, o Chery Arrizo 5 acrescenta bancos em couro, bem como airbags laterais e de cortina, enquanto o topo de linha vem com botão de partida e a transmissão CVT com simulação de sete marchas. Importado da China, o modelo passa a ser vendido junto com o Fullwin 2 (Celer), QQ, Tiggo 3 e Tiggo 5, este último é o modelo que seria lançado pela Chery no Brasil e que chegou a ser exibido no Salão do Automóvel, assim como flagrado em testes.

chery-arrizo-5-5 Chery Arrizo 5 chega ao mercado argentino e custa quase R$ 61 mil

Já vendido no Chile, o Chery Arrizo 5 tem um belo aspecto visual. O estilo é europeu e tem aparência mais jovial que o Arrizo 7, assumidamente mais conservador e para um público de faixa etária maior. Por dentro, o ambiente é moderno, tendo sistema de entretenimento com espelhamento de smartphone e hotspot Wi-Fi, além de cluster com computador de bordo bem completo. O habitáculo é espaçoso, especialmente atrás, assim como o bagageiro.

Por aqui, a proposta anterior à CAOA era de trazer o Chery Arrizo 5 com a mesma motorização do Celer, que é um carro muito menor e mais leve. Na China, o sedã tem – além desse motor – opção do propulsor 1.5 Turbo usado nos Tiggo 2 e 7, que entrega 146 cv e 21,5 kgfm a partir de 1.750 rpm na versão Sport. Este possui rodas de liga leve aro 17 com pneus 205/50 R17 e câmbio manual ou CVT. Este sim, parece bem mais interessante para o nosso mercado.

[Fonte: Argentina Autoblog]

  • Lucas de Paula

    Parece produto de qualidade.

    • Maycon Farias

      Pois é. Acho que nos vamos se surpreender positivamente com a Chery por aqui. Torço para que realmente sejam de qualidade e ganhem espaço.

      • Renato Duarte

        A CAOA vai transformar ela em uma nova “Hyundai”. rsrsrsrs

        • Raul Cotrim de Mattos

          A Chery precisa de um ‘HB20’… Foi depois dele que a Hyundai ficou realmente conhecida pelo grande público no Brasil.

          • Marcio Almeida

            na vdd nao tucson e I30 fizeram o nome da Hyundai e abriram caminho para o sucesso de vendas HB20. a CAOA foi importantissima para cosolidacao da marca, espero que saiba apontar para os chineses os erros, este motor e peso, nao sao condizentes. Se chegar aqui em torno de 60 k com cambio cvt e motor melhor vai pegar, pode ter certeza.

            • Vattt

              Lembrando também do Azera V6 com preço de Civic, Vectra e Corolla na época!!!

            • Bryan Silva

              Os mesmos carros que abriram o mercado da Hyundai também fizeram com que a marca perdesse “certa” credibilidade com o Veloster. Muitos duvidam dos dados técnicos dos próprios carros, seja do HB20, Elantra, e outros.

          • Ricardo

            Mas a JAC tem o J3 e não rolou!

            • Fernando

              a jac nunca acertou a mao no design ainda. Parece bonito olhando de longe, ai vc chega perto e parece q sente no ar que aquele carro nao é bom como os demais, diga-se, chines, balatinho e ordinario que na revenda ninguem dá nada, nem mesmo a propria JAC.

            • Bryan Silva

              O J3 perdeu a fama quando se tornou objeto negado pela própria marca no mercado de seminovos. Muitos compraram, chegaram depois na marca para trocar por outros novos e foram barrados. Uma marca que não quer o seu próprio produto na troca por outro perde credibilidade. Mas entre as importadas, vejo a JAC como a única marca que investiu no mercado brasileiro com entrada do motor VVT para carros populares e cheios de equipamentos, e isso fizeram com que as grandes marcas se coçassem.

    • Renato Duarte

      eu acredito que ele tenha algumas qualidades,,, pena que brasileiro é preconceituoso…

      • Se o carro tiver realmente qualidade, a CAOA vai dar um jeito de vender bem.
        Acredito que o Grupo CAOA vão conseguir êxito.
        Só acho besteira trazer o sedan médio, mesmo sendo belo e tal, pois nesse momento só queimaria o carro e a marca.
        Ao meu ver o negócio é investir em SUVinho com boa propagada, preço, css e pós-vendas. Depois um novo hatch compacto para ajudar no volume e disseminação da marca.

        • Cosi fan Tutti

          A VW e a Fiat tão investindo pesado ainda nesse segmento, pois vende, e pra da imagem e bom.

          • Sao marcas consolidadas. A chinesa alem da desconfianca. Vai enfrentar concorrentes muito fortes. E ainda pesa contra o motor fraco se.vier com preco bem baixo

            • Cosi fan Tutti

              A CAOA não ira trazer esse modelo pra perder, ou ela vai rechear e vender barato, ou vai trazer motor mais potente.

          • Ernesto

            Qual carro sedam médio a Fiat está investindo?

            • Cosi fan Tutti

              Fiat Cronos

              • Ernesto

                Cronos não é médio.

                • Cosi fan Tutti

                  Pode ter certeza que a Fiat tentara vender ele como um.

      • Nicolas_RS

        Coisa nojenta de pessoas como você que falam asneiras… desde quando o brasileiro é preconceituoso ? Esses dias atras vi alguém falando a mesma asneira da JAC, mas se informar que é bom NADA ! No caso da JAC o pós venda é HORRÍVEL. Os carros chineses tem a fama de carros ruins, até alguns anos atras a maioria tirava 0 no NCAP, tinha rebarbas nos acabamentos, dificuldade de achar pecas, pós-venda horrível entre outros. Eu estava de olho no JAC T40, mas pelos motivos já citados foi descartado, agora com a CAOA com certeza vai mudar muita coisa, Isso não é ser preconceituoso e sim RACIONAL !

        • Rafael Lima

          Como se os carros vendidos aqui não fosse algo parecido, aqui os carros a maioria não pega nem meia estrela no NCAP, tem rebarbas, pós venda horroroso, muitos a fábrica pra enviar uma peça demora meses, você fala como se fossemos tratados igual o cliente europeu ou norte americano

          • Nicolas_RS

            Você resumiu a FIAT, e ela não é a única no Brasil, o HB20 tem segurança, acabamento e pós venda bom, o novo Polo é um exemplo melhor, tirou 5 no NCAP.

        • Renato Duarte

          É,,, você tem mesmo razão,, o brasileiro não é preconceituoso,, é apenas racional. Racional no sentido de considerar um carro prata mais valioso que um carro branco ou preto. Racional no sentido de desvalorizar um carro pelo simples fato do mesmo não ter vendido bem na época que era zero km. Racional no sentido de não ir comprar o carro chinês pelo simples fato de ser chinês,,, mas vai lá e compra um zero estrelas em segurança ( Onix e Ka ) por que são de marcas “consolidadas”. Você tem razão,, o brasileiro não é preconceituoso não,,, de onde é mesmo que eu tirei a conclusão de que o brasileiro era preconceituoso né???

          Bem RACIONAL seu ponto de vista….

          • Nicolas_RS

            Acho que eu preciso desenhar…
            Os carros chineses eram tudo que tem de ruim no mercado brasileiro em um só, o Onix tirou 0 no NCAP, mas tem pecas de reposição,

            • Renato Duarte

              Agora eu vi mesmo,, questionar o onix é ser hipócrita… ha ha ha

              • Nicolas_RS

                Tu está defendendo os carros chineses que a maioria tira 0 no NCAP se isso não é hipocrisia não sei o que é.

                • Renato Duarte

                  Hipocrisia por acaso virou sinônimo de gostar de algo que o outro rejeita????

                  • Ernesto

                    Ser preconceituoso agora virou sinônimo de gostar de algo que o outro rejeita?

                    • Renato Duarte

                      Preconceituoso no meu modo de entender é,, comprar determinado produto de uma marca X por acreditar que o produto da marca Y é inferior,, mas que na verdade o X é tão ruim quanto,, mas o Y é bem conhecido no brasil,, aí tá tudo certo….

  • Wagner Lopes

    Realmente muito bonito e bem equipado! Só não gostei da direção não ser elétrica…não há mais espaço para novos lançamentos com direção hidráulica ou eletro-hidráulica.

  • SDS SP

    Só esse conjunto mecânico que complica as coisas.

  • Henrique

    Não esse povo, pra que tanta potencia ? Pra acabar com a suspensão dos nossos carros no lixo do asfalto desse pais ? Ou pra sustentar a industria da multa que as prefeituras fazem questão de investir para arrecadar cada vez mais ????? Lindo… lindo…. lindo, se for 60 paus, aqui ta ótimo !

    • rafael morozini

      Potência também é segurança ! Não estou dizendo que carro bom e só acima de 200 cvs , mas tem que ser condizente com o preço e o peso ! Se não acha isso compre um uno Mille e viaje para a serra paulista …

      • Gustavo Adriano

        Totalmente de acordo, imagine uma ultrapassagem com um carro desses cheio e torque de 14Kgfm numa rodovia… Só fazendo as contas 4 adultos de 70Kg cada = 280Kg a mais, mais bagagem (em torno dos 100-150 Kg?) = 1.659Kg pra um motor 1.5 de 114cv… Quase um suicídio.

        • leomix leo

          Correto, uma vez viajei com o grand siena que meu sogro teve, voltando de Vitória da Conquista, em uma subida, com faixa para carros mais pesados a direita, no meio de uma carreta o safado do motorista resolve que não quer ficar atrás de uma outra carreta mais lenta e me joga para a contra mão, resultado, tive que voltar para o fundo da carreta, pois o carro não tinha torque para poder completar a ultrapassagem e vinha uma fila de carros descendo no sentido contrário.

          • Antonio

            Esse e o dia a dia de quem roda entre cidades brasileiras, tambem passo por muitos sufocos desses, gosto muito de um belo sedan com design moderno, mas primeiro vamos a potencia, estabilidade e principalmente no histórico de segurança de tal veículo.

        • heliofig

          Na época do auge dos Passat 1.6, eles mal tinham 12kgfm e todo mundo achava que andava pra caramba. Esse conceito não mudou. Ainda é um bom valor. Só depende de quantos kg eles estão carregando.

          • Gustavo Adriano

            Passar tinha propulsor 1.6 e 13,2 para 914Kg, olha a diferença pra esse sedan…

            • heliofig

              Exatamente!

            • Rafael Lima

              Isso é peso de Kwid atualmente

          • Rafael Lima

            Mas o peso desses carros? Os carros de hoje são muito mais pesados

            • heliofig

              Sim, esse é o problema. Nos anos 80, ar condicionado não era usual, direção hidráulica nenhum tinha, air bag e outros também não. Mas o Kicks, por exemplo, já rende 15,5 kgfm com 1,6 litro. Nisso esse motor do Arrizo está perdendo.

              • Rafael Lima

                Mas o Kicks pesa pouca coisa mais que o Versa, ele é mais leve que o Argo por exemplo

              • Edson Fernandes

                MAs veja que interessante: Esse Arrizo em que marcha ele ficaria para ter alguma segurança na ultrapassagem? Como esse motor é praticamente proximo do 1.5 da JAC eu te digo: É ruim. Primeiro que Chinês gosta de cambios com relação longa. Então nesse aspecto você já percebe que uma redução de terceira cabe, mas ainda assim, é um motor que entrega pouca disposição pelo peso.

                E a velocidade aumenta devagar. Curiosamente, eu já peguei algumas vezes um JAC J5 e mesmo na cidade, o desempenho dele é bem aquém do que se espera de um produto. Se ele já anda bem mal na cidade, na estrada é pior. Há buracos entre as marchas (a rotação cai muito) e a pessoa não consegue utilizar de forma que seja tão agil no dia a dia.

                Enfim, foi minha impressão. Eu certamente andaria como num 1.0 com esse carro: Não vai te matar, mas vc não terá reserva de potencia e terá de ter mais espaço para ultrapassagens rapidas. Caso não tenha, espere até ter um ponto facil de aceleração para passagem.

                • É isso. Tudo é questão de se ter plena consciência do que tem nas mãos. Maior bobagem que um motorista pode fazer é andar com um carro limitado em performance e querer fazer “estripulias”. É o que aqui em Goiás convencionamos chamar de “heróis”. Receita certa para o desastre.
                  Agora, com uma direção consciente, um carro com esse peso, potência e torque oferece sim uma condução segura. 30 anos atrás em nosso mercado esses números de potência e torque só eram vistos em carros top de mercado.

                  • Edson Fernandes

                    Sem duvida.

                    O que eu quero mostrar é que na realidade de onde esse produto se encaixa, ele irá além de encontrar carros mais potentes, por vezes tem até os mesmos recursos.

                    Porque então alguem teria interesse nesse motor 1.5?

                    Outra, se o ajuste se mantiver como Chines gosta, piorará o resultado. É importante saber os limites, mas é bom também para a fabricante ter bom senso no que tange ao que os produtos desse porte ofertam.

                    Foi como eu disse, não pagaria R$60000 ou mais em um carro com o desempenho aquem do esperado. E tenho certeza que muita gente deixa de optar pelo mesmo fator do que eu tbm penso. Porque em seguida a pessoa roda em um carro mais potente e acaba adquirindo-o.

                    Agora, não tem problema ofertar as duas versões, mas de preferencia se for ter apenas uma delas, que seja a topo de linha.

                    • É aquela coisa, usando a mesma receita do JAC J5, sendo uma empresa de nível de mercado muito semelhante à da coirmã chinesa… fazer tudo do mesmo jeito é de se esperar resultado igual ou pior. Não dá para imaginar o Arizo tendo mais sucesso no mercado que o J5, portanto.
                      Empresas com bem mais nome de mercado, como a Kia, têm produtos bons com motores fracos (Cerato é um ótimo exemplo) por preços até competitivos, mas que acabam por render números pífios em vendas.
                      Portanto, concordo contigo, não há expectativa de vendas sequer razoáveis para o Chery, mesmo com a CAOA no comando das operações.
                      Só não concordo que aja coisa muito melhor no mercado na faixa de 60 mil reais. Ok, dá pra escolher um carro com melhor desempenho, mas com dimensões bem menores. Por 60 mil vamos achar os Up! topo de linha, compactos de entrada em suas versões mais recheadas (Gol, Onix, HB20), “compactos premium” em versões intermediárias, alguns desse sedãs de entrada crescidinhos em versões de nível médio de equipamentos… nada muito além disso. Racionalmente, para um consumidor que não tem “coceira no pé direito”, poderia ser opção pelo preço. Não será por nuances do mercado, mas eu entendi o que um leitor disse aí pra cima de que a potência de 115 cv não é ruim. Pra quem viveu mais que 30 anos já, realmente é uma afirmação correta. Se vive razoavelmente bem com um carro desse nível de desempenho.

                    • Edson Fernandes

                      Se vive sim, mas te pergunto: Você abriria mão de seu sedan médio para adquirir um que seja muito mais em conta por ser um médio espaçoso e no fim vc imaginar que teria um carro sem sobra de potencia com consumo alto?

                      Se sua resposta é não, te digo que esse não será diferente. O cara que tem hoje um carro mais potente, não abre mão para um de mesma categoria inferior . E quando falo isso, é de rodar num carro que lembra carros bem menos potentes e não da mesma categoria em que se opta por um menos potente porém aceitavel.

                      O problema do J5 ao meu ver é que ele está bem abaixo do que é pensado em performance. Eu não quero ter um carro que ande como um Fusca se posso ter um que ande como qualquer modelo 2.0 do mercado e quem sabe até os modelos downsizing. Por isso já havia dito pra ti, um dos motivos de não ter gostado do jetta 2.0 flex era que no automatico ele é ruim de resposta e não se conversa tão bem assim com a transmissão.

                      E o consumo é pessimo. Ou seja, anda pouco, bebe muito e então quala contrapartida?

                      Bem… não a toa estou com um Fluence.

                    • Eu, particularmente, dificilmente me adaptarei de novo a um carro com desempenho mais comedido. Mas esse é o meu caso. Acho que há pessoas sim que se dão bem em um Jetta 2.0 ou em um Ceratto (carros de desempenho muito semelhante), por exemplo. Mas elas já são poucas hoje em dia, sem dúvidas.

                    • Edson Fernandes

                      Então, mas vamos tentar contextualizar o que eu quero dizer:
                      Quando vc comprou o 208 para sua esposa, ela vinha de um Polo certo? Logo, vc entende que um desempenho similar ou até inferior por conta do cambio automatico pode fazer parte.

                      Amanhã se por algum motivo seu interesse seja por um carro mais economico, vc pode optar por um até mais inferior que vc estará ciente disso. Só que aí você decide a compra de um carro superior que a performance dele é bem comedida mesmo com uma promessa de rodar suave e tranquilo. Na primeira necessidade de força vc depara com um carro sem essa sobra. Ou seja, vc acredita que o pulo as vezes de um 1.0 para um carro com motor maior (guardada as devidas tecnologias e procurando citar para vc entender meu recado), pula para um, um pouco mais potente, espera uma resposta mais rapida e não tem… é onde você se assusta.

                      Por isso que eu gosto de avaliar, para não tomar esse tipo de surpresa. Tanto que um colega anda com seu jetta no modo esportivo na cidade porque ele é ruim de retomada em Drive. (mas o curioso é que parece que o modo esportivo foi feito para rodar na cidade pois ele não fica esticando em demasia as marchas).

      • Henrique

        Tá, um carro com 115 cv, e 15kg de torque não da segurança ? Desculpe quem é motorista não precisa de muito, é falta de braço ou barbeiragem mesmo !

        • rafael morozini

          Uma coisa é 115 cvs em um up que pesa 1150 kg carregado ! Outra coisa é em um carro que vai pesar mais de 1650 kg ( que é exatamente o peso do meu carro vazio , carregado vai pra 2050 kg mas com 234 cv e 38,7 kg de torque ) . Além do mais não disse que é um carro seguro … só afirmei que quanto mais potência para mais peso e melhor .

        • Marcelo Martins Ferreira

          Henrique, braço a gente tinha que ter é para fazer baliza nos anos 70, 80 e 90 com carros sem assistência na direção !!

          • Nicolas_RS

            Tirei minha carteira esse ano e peguei um Palio Fire 2007 sem direção, carro tão ruim, que quando entrei no Fox 2013 da minha mãe tive a impressão que era um Audi.

        • Louis

          Na minha juventude, viajei bastante com um Corsa sedan 1,0, devia ter uns 60cv, com 5 marmanjos dentro e entupido de bagagem. Calculando bem as ultrapassagens, dá para ir numa boa.

        • Edson Fernandes

          O problema é que vc nõa compra um sedan médio para rodar parecendo um carro 1.0 né?

          Pelo menos eu iria me incomodar muito com isso. E olha que de longe eu não sou o tipo de pessoa de precisar do carro mais potente do mercado. Mas acho que pelo porte o carro deveria no minimo ter uma potencia ideal para uso do que se espera de um médio.

          Dando exemplos de carros que eu não pegaria:
          – Golf 1.6
          – Cerato 1.6
          – Focus 1.6

          Todos esses, eu teria nas suas versões 1.0 turbo (Golf), 2.0 (Focus e Cerato fora do Brasil que ainda tem uma versão 2.4).

          Isso porque já andei em todos esses e na estrada não me agradou. Pegou uma aclive leve, eles se ressentem e logo precisa de redução de marcha. Não esquento a cabeça qto a um aclive moderado ou intenso… redução de marchas é normal… mas em uma subida onde diversos carros em seus portes com motores 1.2, 1.4, 1.5 e 1.6 vão conseguir vencer sem se esforçar tanto, esse vc precisa de redução. Falo por comparação ao 1.5 da JAC onde andei em um J5. Foi terrível.

          A expectativa é de ter uma performance mediana para vc ter uma sobra de potencia agradavel que uma vez reduzido, vc vai lá acelera e vence o obstaculo.

          No caso desse, ele irá se comportar como um carro 1.0, mas estando em um carro médio. Então pra mim não se trata de segurança, mas da expectativa sobre o produto. Desse eu só aceitaria o 1.5 turbo (que ainda assim tem potencia similar a motor 2.0 na pratica o que seria otimo pra ele).

    • invalid_pilot

      Potência pra não passar raiva de pegar subida com carro carregado e A/C ligado

    • Louis

      Também achei a potência aceitável, desde que seja um carro econômico.

    • Problema é essas potência e torque em um carro que já tem peso significativo e se propõe a carregar família e bagagem.
      Eu também concordo que vai muito de cada consumidor: haverá motoristas que não darão prioridade ao desempenho puro e simples do carro, sendo que não se ressentirá da performance comedida que o modelo deverá entregar.
      De toda forma, é bem claro que o carro terá comportamento dinâmico comprometido, com acelerações e retomadas que deverão “chatear” quem gosta de uma relação mais “íntima”, por assim dizer, com seu carro.

  • Hoffmann

    A nova safra de carros da Chery ficou muito bonita e aparentam ter dado um salto gigantesco na qualidade em relação aos modelos anteriores. Nas mãos da CAOA, mestre em marketing, eles tem de tudo para vender bem e apagar o passado nefasto da chinesa no país, cuja imagem ficou manchada com as porcarias Face, Cielo, S18, Tiggo e QQ antigo, desde que o preço seja competitivo – não dá para transformar a Chery em premium, como fizeram com a Hyundai.

  • Gustavo Adriano

    Como sempre, ainda fico pensando o que dá na cabeça dessas pessoas de comprar um carro de 1.229kg com um fraco propulsor 1.5 16v de meros 114cv. Se pessoas como nós já reclamavam da parca junção do motor 1.4 8v a um carro de 1.100Kg como o Punto, imagine subir uma ladeira com o carro cheio… Pra vir pra cá e não sofrer realmente só com o modelo turbo…

    • Matthew

      A relação peso-potência do Arrizo 5 é um pouco melhor que o do Punto. Poderia ser um pouco mais potente, ok. Mas acho que pra maioria das condições de uso dá conta do recado, sim. O Fire 1.4 sempre foi um motor limitado, pois aumentaram o curso do pistão ao máximo o que deixa a relação r//l bem ruim. Parece um motor de trator. Tem bastante força em baixa, mas quando você pisa mais no acelerador pouca coisa acontece. O Chery por ser multi válvulas e em termos absolutos ter mais potência e torque deve render mais.

      Mesma coisa aconteceu com o Corolla. Numa tocada normal não dá pra sentir muita diferença entre o 1.8 e o 2.0. Só mesmo em situações limites como numa ultrapassagem com carga máxima é que o torque maior do dois litros se faz perceptível. Família II da GM idem. Tanto no Omega quanto no Vectra o pessoal criticava o 2.2 que perdia em suavidade em relação ao 2.0, que quase não compensava o ganho de torque em baixa.

      • Edson Fernandes

        Matthew, vc esqueceu da configuração de como o cambio vem dos carros chineses? Se vier com relação longa como é proprio das marcas chinesas, não é possível mesmo com um motor em teoria girador, fazer milagre.

        Se fosse assim, o J5 seria bem mais agradavel de conduzir e na pratica não foi o que eu vi. Eu sinceramente nõa teria um desses 1.5 aspirado.

  • RBuriti

    Se vier até 60mil na top…eu vou olhar com mais atenção.
    Aparentemente é um carro bom, tinha lido um pouco sobre ele no site da Chery e gostei na época.

    • Gustavo Adriano

      Os Chineses serão os novos Sul Coreanos, só não vê quem não quer. Não estou dizendo que eles irão ser referência no mercado, mas temos que admitir que estão melhorando a cada novo lançamento. É só fazer uma linha do tempo com os lançamentos deles de 5 em 5 anos (Fazer um paralelo com o ano de 2005 por exemplo) e ver as melhorias de um mesmo modelo ou segmento.

  • Rafael Lima

    Só esse motorzinho que tá muito manco, aqui tem subidas demais, tem estradas péssimas, pra ultrapassar com um desses vai ser sufoco

  • invalid_pilot

    Só esse motor que parece ser bem aquém ao veículo

    Poderia e deveria ter versão mais forte

  • Antonio

    Esse pesadão que veio para os argentinos, não e o carro desejado pelo brasileiro, um sedan de peso médio, 1.229 kg, mas com um motorzinho 1.5 com 115 cv e 14,4 kgfm, já temos muitos desses aqui, e que não atende o perfil do condutor brasileiro, brasil um pais de distancias media de 500 km entre cidades, o que se busca são veículos leves, com boa estabilidade em curvas, e um bom motor para uma rodagem segura, não se roda aqui a menos de 100 km/h, com ultra-passagem a menos de 120, sem sofrência, carros que não atendem esse minimo, estão fadados a encalhar nas vendas.
    Esse belo Arizzo será bem vindo, mas equipado ao nosso rodar brasileiro, só por beleza não vai rolar!

  • Hugo Leonardo Dos Santos

    Geralmente em conversão direta os carros na Argentina ficam mais caros que aqui, se lá onde entrada custa o equivalente a 61 mil, deve começar aqui por 55/56 mil e a top nos 65 mil. Seria um concorrente de peso pra prisma junto com Cronos.

  • Natán Barreto

    Tem que vir realmente mais barato que o Virtus e Cronos pra poder vender. Se vier no mesmo preço não adianta.

  • Natán Barreto

    A Chery tem que mirar nos best seller Prisma, Logan, Voyage e Ka+ e oferecer mais por menos. Versão completa a preço das básicas dos citados. Porque senão ninguém arrisca.
    A Hyundai se deu bem pq as pessoas arriscavam no preço baixo com mais conteúdo

  • Fabão Rocky

    Breve nos comerciais: “O melhor sedan já feito… no mundo!”

  • Silvio Vasques

    Se ele vier com esse preço… acaba com o Cronos e o Virtus! Seja esperta CAOA!

  • Tosca16
    • Edu

      Gostei da curva de torque do 1.6, poderia ser a escolha para o BR.

      • Tosca16

        TCI ou TGDI são turbos, se foi esse que vc viu sim.

  • Brasil_MG

    Gostei do design, ficou bacana.

  • Vinícius

    Quando eu vi esse carro pela primeira vez em uma matéria da NA, achei bem bonito e interessante. Acho que o preço da versão de entrada está ótimo, porém acredito que poderia fechar com uma só versão superior atingindo preço de 65-67 ainda na casa dos sessenta pq 71 k está muito próximo do que estao ofertando por alguns sedans médios de entrada.

    • Matthew

      Cara, praticamente não existe mais sedã médio a 71 mil reais, com raras exceções de alguns pé-de-boi da linha Corolla e C4 talvez. Os últimos lançamentos, como Cruze, Civic começam em 90 mil.

      • Edson Fernandes

        Não existe mais Corolla a esse preço. Atualmente a partir de R$92000 apenas.

        • Matthew

          Pois é

  • Erick

    Se viesse para o Brasil, o manual por menos de 60 mil e o CVT por menos de 70 mil, vai fazer estrago na concorrência…

    • Marcelo Martins Ferreira

      Por 70 K compro o Peugeot 408 Business, motor THP, 1.6 turbo, câmbio AT 6 e apesar de não ter multimídia, que não faço questão, é muito mais carro que esse Chery !!

      • Tosca16

        Quase ninguém pensa como vc, os THP tão aí mas as vendas…

      • Erick

        No DF se encontra dele dentro da Peugeot por 65 mil, com menos de 20 mil km rodados.
        408 é muito mais carro que Cruze, Civic, Focus e Corolla.

        • Ernesto

          408 mais carro que esses aí? KKKKKKKKKKK!!!!

          • Erick

            Só quem é dono é que sabe!

  • J_Eduardo

    Como são as coisas, li lá no auto entusiastas uma defesa cara de pau do colunista Roberto Nasser a Chery, quando esta, anunciava que estava passando o controle de suas atividades no Brasil ao grupo CAOA (que segundo o site não representa o pensamento do auto entusiastas, o que duvido no entanto, pq a maioria dos jornalistas ali são provenientes das tradicionais revistas de carros e quase todos eles são ferrenhos defensores das momtadoras). O jornalista, ao defender a marca chinesa, elegia as paralizações do sindicato da região onde fica a fábrica como o grande culpado dos problemas da Chery, no entanto, não dava uma linha sobre os erros da empresa chinesa ao investir em nosso mercado.
    Por que apresento isso, que citei acima? Basicamente, pois a matéria aqui apresenta, nos trás um fato que com certeza seria mais um dos erros da chery ao investir no Brasil que seria a motorização fraca do Arrizo 5, assim como errou com o próprio Celer no mercado nacional.
    É, em parte, pela postura destes jornalistas que temos o país que temos, com todos o seu problema é com os carros mais caros do mundo. Estes senhores não parecem ter compromisso com a informação completa, plural, com varias pontos de vistas, mas representam apenas aqueles os quais são pagos, indireta ou diretamente, para defender. O pior que podemos enxergar o mesmo na área política e econômica e mesmo Cultural….

    • Gilberto DePiento

      A internet mudou muito o acesso à informação, e o povo daquele site parou no tempo. Nem perca tempo com eles e seus discípulos das revistas espalhados por alguns outros sites. Hoje é possível conseguir muito mais informações sobre um carro num clube de proprietários do que em revistas. Gosto do NA por este tentar de alguma forma fazer suas críticas dentro dos limites possíveis do jogo de interesses a que tem de se submeter, e permitir aos leitores manifestar-se livremente neste espaço com relação a este aspecto.

      • Matthew

        Depende do editor. O Bob Sharp é insuportável e é o que fala os maiores absurdos. Teimoso feito não sei o quê, não sei aceita opinião contrária de ninguém, sempre tenta afirmar os maiores absurdos possíveis; certa vez comentei algumas economias toscas que as montadoras fazem, dando o Onix de exemplo, que retiraram a iluminação do porta-malas e o banco traseiro bi-partido mesmo na LTZ, sendo que vinha em todas as versões com motor 1.4 até a linha 2016. Aí o Bobo disse que o meu argumento de economia “porca” não tinha sentido, porque é sempre o consumidor final que pagará pelo carro (jura?). Mas acho que ele nunca ouviu sobre conceitos de margem de lucro, inflação disfarçada (como no pacote de bolacha que não aumenta o preço, mas diminui a quantidade). Já o Juvenal Jorge e o Arnaldo Keller acho menos xaropes e sensatos. O primeiro se concentra mais em questões técnicas e não entra no mérito da parte comercial.

        Mas de qualquer forma acho que todos os meios de comunicação têm seus erros. Aqueles dois garotos do Top Speed têm fetiche por motor turbo de injeção direta. Certa vez avaliariam o Honda Accord eu acho e falaram que o V6 dele já era um motor superado por não ter turbo. Ou seja, o critério deles pra avaliar se uma motorização é moderna ou não é a bendita da turbina. Comando variável, injeção direta, dentre outros detalhes não contam.

  • Gilberto DePiento

    Brasileiro gosta de motor com bastante torque em baixa rotação e bastante potência em relação aos equivalentes no resto do mundo. Na Europa vende-se o Renegade com o E-Torq 1.6, enquanto aqui o 1.8 já sofre uma avalanche de críticas. Acredito ser este um dos pontos fracos da Chery com o Celer, assim como foi com o Cielo (considerado pesado para sua curva de torque). Espero que a CAOA observe este ponto e ofereça um motor mais ao gosto local (como o 1.5 turbo ou um 2.0 16V), sem cometer o erro de deixar o preço próximo dos médios de outras marcas.

    • Rafael Lima

      A topografia aqui é toda irregular, as estradas são de via dupla e mal tem acostamento, motor forte aqui é obrigação, é segurança

      • Gilberto DePiento

        Mas na Europa a maioria das estradas são assim também. O que nós temos de diferente são as longas distâncias entre as cidades. Penso que nosso gosto foi moldado pela história do mercado de automóveis local. Carros zero estiveram ao alcance de uma parcela muito pequena da população até poucos anos atrás. Então os usados eram a opção para quem tinha menos dinheiro. Indo lá para os anos 50-70, isso fez com que muita gente tivesse carros de origem americana com motores grandes, não se adaptando depois a carros zero como Fiat 147 1.0, Gol 1300 ou Monza 1.6. Carros com motores 1.0 só foram se firmar com o Plano Real e o imposto diferenciado, que os tornaram acessíveis à classe média – mas a exigência por potência no Brasil não diminui, pois enquanto tínhamos 1.0 com 60 cv, na Europa os mesmos motores tinham 45 cv em média.

  • Iran Borges

    Traz com um motor aspirado 1.8 e de manutenção simples que será sucesso.

  • Giuseppe

    Aquela cruzadinha de Focus com Cruze. Bonitinho, mas…

  • Cesar

    Aqui esses 115cv vão virar 160cv caoa .

  • Benjamin Machado

    normalmente os preços praticado na argentina são menores que no brasil,se vier mais caro que virtus e o da fiat vai encalhar.não da nem para comparar essa versao com esses carros na versao top de linha

  • eduardo_

    No meu ver, o acabamento interno se parece muito com o do HB20 da Hyundai.

  • Paulino Lino

    Um belo Focus sedan da Chery!

    • Wagner Lopes

      Na segunda olhada que dei vi exatamente um Focus fastback…até as rodas parecem inspiradas nele. Uma coisa é certo, a chinesada tá começando a acertar a mão nos desenhos.

  • Se na terra do Maradona está por 61 mil na do Pelé deve chegar por volta dos 100 mil.

  • Charles Duarte

    O carro é lindo…
    Só o painel dele que está desatualizado em relação a linha atual, principalmente o cluster.

  • Razzo

    Chinês e sua mania de motor 1.5 para tudo.

  • Matthew

    O Leozitor acho simpático até e não fala tanta abobrinha. Mas o Edu lá é xarope mesmo. Talvez o ar mais descontraído e informações técnicas não tão aprofundadas ajuda a atingir um público maior e mais generalista. E independente de nós, auto entusiastas, gostarmos ou não de CMM infelizmente é o que o público em geral quer ver.

    O outro extremo é o canal do Tonella, vídeos extremamente longos e detalhados. Eu particularmente não tenho muita paciência pra ver todas aquelas explicações minuciosas que ele dá, então já é um público mais específico e restrito.

    • Edson Fernandes

      SAbe qual o problema de pessoas que generalizam e falam sem se aprofundar? É que repete o mantra que muitos por aí fazem.

      Lembra da história de motor mais potente? então, tirando a onda de carros turbos, muitos ainda se vangloriam de carro X ter 3cv a mais que carro Y. Isso porque o que se avalia é uma ficha técnica e não as impressões reais de um carro. Tanto que me dar prazer de ler as avaliações do Best Cars por isso: Os caras realmente explicam e dão noção daquilo que estão avaliando.

      Você tem a noção deles e qdo vc o faz no mesmo carro, vc contrapõe algum ponto que lhe agradou mas tira sua opinião. Melhor do que bater no peito e falar que carro X é melhor que Y por ter ou não tal item.

    • Rafael Lima

      Acho que vc não entendeu minha colocação, a gente quer saber como se sente dirigindo o carro, como se fosse um test drive, é só falar se é confortável ou não em imperfeições no solo, se o cambio é preciso, se a direção passa segurança, o publico em geral vai entender, é melhor que 30 minutos de câmera focando neles e eles falando abobrinhas.

  • Allan Marconato Marum

    Eu moro no interior de São Paulo, meu carro anda 90% do tempo com no máximo 2 pessoas e meu percurso é 80% do tempo urbano. Essa motorização me atende tranquilamente.
    A realidade de vocês deve ser muito diferente da minha! Poxa vida, não sei qual foi a ultima vez que coloquei 4 adultos no meu carro + 150kg de bagagem! Acho que isso sequer aconteceu algum dia. E a maioria das pessoas que eu conheço também usam o carro em no max. 2 pessoas a maior parte do tempo.
    Eu compro um carro vendo a minha regra, o meu dia-a-dia (transito urbano com no máximo 2 passageiros) não vendo a exceção (rodovia vicinal com 4 pessoas no carro e bagagem). Nas raras ocasiões em que preciso pegar uma vicinal com o carro lotado, vou sabendo a potencia do meu carro.
    Como disse, não sei o perfil de vocês, falei do meu perfil.

  • Edson Fernandes

    SE o CAOA for inteligente, ele trás a versão turbo. Ela poderia fazer certo sucesso entre 60000 a 80000 (minha aposta de realidade é entre 70000 a 90000).

    Mas se vier o mesmo motor 1.5 que equipa o Celer, não terá grandes vendas. O apelo do motor turbo bate de frente com o downsizing e parece ser um otimo produto. Quem sabe aqui eles acertam.

    • Cosi fan Tutti

      Não poderia ter ambos, pra ter uma versão abaixo dos 60 mil?

      • Edson Fernandes

        Conhecendo a linha chinesa, tenho certeza que nesse primeiro momento trazer as duas versões seria bem dificil. Vou dar o exemplo do que aconteceu no passado:

        A JAC disse que se o J5 tivesse uma boa vendagem, consideraria uma nova versão mais equipada. Nunca chegou.

        A Chery prometeu melhorias no motor 1.6 do Cielo para melhorar respostas e reduzir consumo, o VVT ficou só na China mesmo.

        A Geely com seu Emgrand que trouxe a versão de entrada do E7 tinha como opção uma mais segura, com 6 air bags, ESP, etc. Não trouxe.

        Então pra mim, que queira trazer mais opções, mas que seja primeiro a de topo e se fizer sucesso que traga uma mais barata para ser ainda mais competitiva.

        • Cosi fan Tutti

          Mas eu considero que isso tudo foi mais experimentacao, e outra, agora quem vai toma a frente e a Caoa, e se tiver espaço e se verem mercado eles vão oferecer.

          • Edson Fernandes

            Espero que seja isso. Espero até que se baseiem de como fizeram para a Hyundai. Podem ter versões de entrada e de topo, mas prefiro que se for trazer apenas uma versão que seja a de topo.

    • Cesar

      O mesmo problema do Kia Cerato com o motor 1.6 do HB20. A Kia podia subir de degrau com um motor melhor.

      • Edson Fernandes

        Poderia mesmo. A dureza é saber queo Cerato tem em versões 2.0 e 2.4 (e não pagaria mais imposto por isso).

      • Edson Fernandes

        Quer dizer, do motor 2.0 (desculpe não consegui editar).

    • Edu

      Tem um 1.6 DVVT (deve ser turbo) com uma curva de torque bem melhor. Torque máximo de 21kgfm a 2500RPM, seria ideal para esse carro.

      • Edson Fernandes

        Seria mesmo.

  • Edson Fernandes

    Eu mal consegui assistir 5 minutos dos videos deles. Realmente é complicado.

  • Edson Fernandes

    Bem… eu li alguns comentários a respeito de performance e eu tbm fiz coro a isso.

    Mas vou além: Esse carro apesar de ser um real médio, deve ter itens que um Argo sedan ou Polo sedan possuirá. Então vamos lá;;
    Porque o valor de um produto pode por abaixo pela motorização? Porque sabemos que há produtos com mais racionalidade nos itens. E o motor é um deles.

    EU mesmo iria preferir um Virtus 1.0 TSI a um Arrizo 5 1.5 aspirado. O que mudaria de figura se fosse 1.5 turbo. O negocio não é ter um carro com desempenho de esportivo, mas ter desempenho aliado a economia de um carro de porte médio com um rodar satisfatório. Fator tal que me fez na epoca que troquei de carro, abrir mão de Jetta 2.0, Linea 1.8 e Cerato 1.6. São carros (destaco que dentre esses achei o Linea mais equilibrado ainda que o motor 1.8 Etorq não tenha me agradado em comportamento) mas preferi um carro que me desse mais retomadas e força.

    Além de outros itens. Então continuo a dizer que o CAOA precisa ficar de olho nisso.

    • Ernesto

      Acho pouco provável a CAOA errar na escolha do motor.

      • Edson Fernandes

        Tomara meu amigo, tomara.

  • Breno Leite Brito

    É bonitinho e tem conteúdo.
    Agora se vier com esse motorzinho, pode dizer adeus.

  • Luis Burro

    Sinceramente ele me lembra o atual Focus,principalmente na la teral traseira.
    Ficou bonito,mas será que a qualidade está no msmo nível?

  • Ricardo

    As montadoras ainda não se ligaram que sedans médios de motor fraco não rola!

  • Belo design. Mas com esse motor… acaba se assemelhando demais com o pacote oferecido pelo JAC J5 por aqui. Difícil de conseguir alguma coisa representativa em termos de vendas.

  • Bryan Silva

    O motor 1.5 aspirado não empolga mesmo! O turbo já anima, mas fica muito atrás de motores menores turbinados. Falta tecnologia!

  • FocusMan

    A traseira de lado lembra muito o Focus Sedan.

  • FocusMan

    A Chery no Brasil em breve será como a Hyundai.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 11 anos. Saiba mais.

Notícias por email

Send this to a friend