China Finanças Governamental/Legal Mercado Montadoras/Fábricas

China: coronavírus já afeta montadoras de automóveis no país

China: coronavírus já afeta montadoras de automóveis no país

Imagine uma cidade do tamanho de São Paulo, com “apenas” 1,2 milhão de habitantes a menos que a capital paulista, fechada totalmente. Essa é Wuhan, uma das maiores metrópoles da China, que enfrenta um surto do coronavírus, considerado altamente mortal.


A crise que se abateu sobre Wuhan já está ameaçando a economia chinesa como um total e, logicamente, um dos setores que serão atingidos é o automotivo. A cidade possui diversas fábricas de automóveis, autopeças e sistemas para a indústria automobilística.

Considerada uma “motor city” chinesa, Wuhan tem 11 milhões de habitantes e um mercado altamente desenvolvido, mas não apenas isso. De lá, saem milhares de carros para atendimento da demanda nacional e exportação a outros países. GM, Nissan, Renault, Peugeot, Citroën, DS e Honda são algumas das marcas que possuem modelos feitos no local.

Só a GM (Shanghai-GM-Wuling) tem em Wuhan 10% de sua força de trabalho na China, envolvendo 6.000 pessoas. Para escoar a produção, as montadoras locais contam com um complexo de modais, especialmente o rodoviário, porém, as imensas e famosas cegonhas chinesas (que desafiam até a lei da gravidade) não podem circular livremente.

China: coronavírus já afeta montadoras de automóveis no país

Muitas estradas de Wuhan estão fechadas, assim como linhas ferroviárias e os aeroportos. Com queda progressiva nas vendas de automóveis, a China entra num momento perigoso para a vida humana e também nos negócios, uma vez que o setor vem brigando para manter o desempenho de antes, mas enfrenta barreiras físicas por conta da epidemia.

Capital da província de Hubei, Wuhan é o centro de uma região de 30 milhões de pessoas com alto nível de consumo de veículos e outros bens. Com as restrições, a indústria automotiva sofrerá um grande impacto se a situação se manter. No país, as vendas de automóveis caíram 2,3 milhões de unidades em 2019.

Antes do coronavírus, o governo de Pequim já havia alertado para uma nova queda em 2020, o que deve levar bem para baixo dos 23 milhões emplacados no ano passado. Por lá, o temor geral (em termos econômicos, é claro) é de queda de 1,2% economia do país por conta das restrições para evitar a propagação do coronavírus.

Na região, só a Renault produziu 180.000 carros no ano passado e emprega 2.000 pessoas. Por causa da crise em Wuhan (e seu impacto nas vendas), as ações da montadora francesa caíram 7%, chegando a 14% com o efeito da crise de Ghosn. A PSA vendeu 55% menos em 2019 e agora vê sua fábrica fechada temporariamente por causa do vírus.

Na Honda, que em Wuhan tem 11% de sua receita global, mantém fechadas suas três fábricas até 2 de fevereiro. A GM, por ora, ainda não parou, apenas mandando para casa os empregados que não estão bem.

[Fonte: CNN]

Ricardo de Oliveira

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 23 anos. Há 12 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.

  • globo nao tem japa

    Vai afetar economia mundial

  • Luconces

    Chineses já fecharam rodovias e proibiram o tráfego de carros. Estão construindo um hospital em tempo record com capacidade de 1000 leitos e estão construindo outro hospital para 1300. Converteram 24 hospitais para serem “especializados”. Bloquearam estações de trem e portos. Província de Hubei com 50 milhões de habitantes fechou todos os aeroportos.

    Está séria a coisa.

    • Cesar

      Tudo por conta do batman

    • SDS SP

      Só lembrando que provavelmente é um hospital de campanha (estrutura temporária) que normalmente vemos em épocas de pandemias. Pelas manchetes, deixa aquela impressão de ser um hospital como qualquer outro.
      Mesmo assim é algo impressionante pelo tempo e tamanho.
      Coisa tá feia e não da para confiar nos números passados pelo governo chinês.

      • Luconces

        Sim são aqueles hospitais modulares mesmo!

        É o que eu tenho ouvido de quem tem familiares por lá também, não dá pra confiar nos números divulgados.

    • BlueGopher

      Realmente pode ser um sério problema, mas aproveitando o gancho, veja como há 2 pesos e 2 medidas:
      Provavelmente inúmeras pessoas vão cancelar viagens para a China, apavorados com a possibilidade de contágio, mas por outro lado, anualmente morrem 47.000 (QUARENTA E SETE MIL) pessoas em acidentes de trânsito aqui no Brasil, e ninguém deixa o carro ou a moto na garagem por isto.
      Vai entender o ser humano…

      • Julio Alvarez

        comparação sem pé nem cabeça, carro não é contagioso…

        • BlueGopher

          Não é comparação, é informação.
          Ações são tomadas de imediato para evitar uma possibilidade, mas ninguém faz nada sério para evitar milhares de mortes certas por aqui.

      • Cesar

        O problema é a possibilidade disto sair de controle e virar uma pandemia. Aí não serão somente 47 mil. Não que estes 47 mil não sejam importantes. Toda vida é.
        Pense que isto tem a possibilidade de virar uma pandemia como a Peste Negra (50 milhões de mortos), Gripe Espanhola (20 milhões de mortos). etc.
        E se pensar direito, verá que o problema pode ser muito pior uma vez que quando destas pandemias, as pessoas não circulavam pelo mundo na velocidade que circulam hoje.

        • BlueGopher

          É sem dúvida preocupante, mas espero que não saia do controle.
          Hoje em dia os recursos são muito mais sofisticados do que nos anos de 1350 (até 200 milhões de vítimas) e 1918 (100 milhões).
          A medicina evoluiu muito.
          Já a influenza A (H2N2) de 1958 (época ainda sem os recursos atuais), matou 70.000 pessoas até a vacina ser descoberta e produzida.
          O que preocupa é que vírus congênitos de animais cada vez mais podem infectar os humanos, seja por invasão dos habitats naturais destes animais, seja pelo fato de que certos animais estão sendo indevidamente transformados em alimento (morcegos, por exemplo)
          Outra grande preocupação é que com o derretimento do permafrost, antigos corpos humanos infectados por antigos virus e bactérias podem ser outra vez expostos ao ar.
          Já imaginou ressurgir uma antiga cepa de virus da peste bubônica?
          Mas viver é sempre uma aventura…

          • Mike Milankovic

            Peste negra foram 75 milhões pro saco e a gripe espanhola 50 milhões,a peste bubônica é causada pela bactéria Yersinia Pestis.

      • leitor

        São 2 pesos e duas medidas e também 2 balanças. Lá é China e aqui é Brasil. Não ande de carro. Você corre sério risco de morrer, mais que se ficar em casa.

      • Toyo_Highlander fan

        Comparação sem sentido. Vc comparou o fator de acidente com fator de disseminação de doenças. Nada haver em absoluto. Por ano morrem mais de 60 ,milhões de pessoas pelo Mundo por causas diversas.

        • BlueGopher

          Fatores diferentes que causam o mesmo resultado final (no caso a morte) SEMPRE podem ser comparados.
          É só olhar as estatísticas do IBGE, que comparam no mesmo gráfico doenças, acidentes, violência, etc.

  • Pedro

    Unica forma de combater o surto do coronavirus é bloquear a transmissão no inicio, assim medidas drásticas são importantes. Depois que espalhou não ha muitas opções, pois ela passa a circular livremente, 5~10% vem a óbito e nåo ha tratamento ou vacina. Uma vacina pode demorar pelo menos um ano para ser aprovada, isso se conseguirem, pois nunca foi desenvolvido uma vacina para esta familia de virus.. A epidemia de SAR, similar a essa foi contida logo no inicio. Vamos torcer para o sucesso dessas medidas de contenção e evitar mortes.

  • Sino Weibo

    Wuhan é sede de uma das maiores montadoras da China, não citada na matéria, a DongFeng.

  • Pedro Henrique

    sinceramente? f#$@ as fabricas, fecha, proíbe qualquer exportação sem uma desinfecção antes
    de nada vai adiantar a economia com um surto de vírus mortal por aí, ainda mais com a velocidade de propagação que tem (mesmo com tamanho controle do governo chines)

    • Douglas

      Na verdade a opinião dos especialistas é de que esse controle chegou tarde.
      Os primeiros casos ocorreram no início de dezembro, mas só foram fechar o mercado de animais vivos (onde surgiu a doença) em 1 de janeiro e isolaram a cidade há poucos dias, quando o vírus já tinha chegado a vários outras países.

      • Pedro

        Parece que o virus não se transmite facilmente, normalmente esta propagando entre familiares ou quem atende o paciente, precisa ter um contato proximo. Um problema é que descobriram é que a pessoa infectada começa a transmitir mesmo sem apresentar os primeiros sintomas, preocupante pois quando começa a ter sintomas ja infectou muitas pessoas.

        • Pedro Henrique

          é um vírus de transmissão aérea como uma gripe, através de espirros, mucosas e contato direto com alguém contaminado, uma pessoa encubada com o vírus por 7 dias passeando por uma cidade de milhões de habitantes tem potencial de transmissão elevadíssimo, acredito que só não seja tão mais elevado que nos países ocidentais pelo costume oriental de usar mascaras e evitar contato direto como abraços e beijos.
          agora não é hora de ficar se preocupando com número de vendas e sim de fechar qualquer possibilidade de contaminação.
          certa vez por conta de uma epidemia destas o japão simplesmente fechou todas as fronteiras e declarou quarentena no país, evitando assim a contaminação pra outros países e com a quarentena evitando inclusive a propagação dentro do país, são 10~15 dias de caos, mas é melhor esses 15 dias do que 1 ano, 2 ou quem sabe mais e com muito mais danos.

      • Murilo Soares de O. Filho

        Gente esquisita, comem de tudo, não respeitam nada, a natureza dando o troco.

  • MarcosGojira

    Já dizia meu pai: Uma coisa é morrer, outra coisa é procurar a morte.
    Comer morcego?? Com pelo e cabeça??

    • Pedro Henrique

      na verdade morcego foi a causa da epidemia anterior, em 2003..
      essa de agora pelo que vi de declarações seria oriundo de uma cobra que estaria ainda viva no mercado. O que torna as coisas mais alarmantes pois foi transmitido de um organismo de sangue frio pra um mamífero e ambos ainda vivos?

      • Jr

        Isso é muito preocupante, vejo uma evolução nesse tipo de epidemia se compararmos com as primeiras surgidas por aquelas bandas

  • leitor

    Tudo fechado como? Só para produção ou ninguém entra e ninguém sai?

    • Pedro Henrique

      tudo fechado, sem linha de ônibus, sem metro, sem avião pousando ou decolando, apenas alguns táxis funcionando, rodovias fechadas, comercio fechado (com exceção das farmácias e talvez alguns mercados). farmácias inclusive que estão sofrendo falta de abastecimento pela demanda por medicamentos.

      • leitor

        Então deve haver um tratamento intensivo com a população local. Uma triagem pra ver quem se trata e quem se previne. Quem não tiver suspeita deve sair logo.

        • Cesar

          Acho que tu não conhece a China.
          Não tem esse negócio não.
          No melhor estilo Capitão Nascimento:

          Ninguém vai sair.

          • Pedro Henrique

            exatamente kkkk galera custa a entender a china
            melhor pensar nela como uma monarquia, se o governo diz que ninguém sai, ninguém sai e ponto final e não tem órgão internacional que diga o contrário.

            alguns países vão enviar aviões pra retirar cidadãos da área, o governo chines aprovou, não tivesse aprovado não ia sair ninguém.

            • Cesar

              Arrisco a dizer que se os morros do Rio de Janeiro fossem na China, das duas uma:
              Ou não ia ter morro ou já tinham trago dois bombardeiros pesados para terraplanar tudo aquilo.
              Lá não é igual aqui que a polícia não pode atirar no coitado do bandido.

          • leitor

            Se quem não está contaminado ficar, tem grande chance de ser mais um para receber um tratamento caro depois.

            • Pedro Henrique

              se tu procurar pelas noticias vai ver imagens da cidade, não tem ninguém na rua… a cidade ta parada.
              os hospitais, lotados e em nenhuma foto recente de noticia deu pra ver alguém sem mascara.
              e não é só wuhan, todas as fotos de outras cidades, ninguém sem mascara.(normalmente já tem bastante gente com)
              esse é o nível de cuidado de uma população que sabe quando um problema é problema….

              agora imagina se isso fosse aqui? agora perto do carnaval tu acha que vão cancelar algo? que alguém vai usar mascara?

              os cara lá fecharam os eventos na época mais movimentada que é o ano novo chines…

        • Pedro Henrique

          e onde vc vai entucar 40 milhões de hab potencialmente perigosos (total de habitantes das áreas trancadas)?
          não esquece, estamos falando do país mais populoso do planeta, mais de 6x a população do brasil.(fora os turistas)

  • delvane sousa

    Deve ter vacina em breve. Aliado com as medidas de controle deve ser o suficiente pra não virar uma pandemia mundial, mas vai haver mais mortes ainda. A esperar pra ver. Creio que depois disso vão repensar essa coisa de comer certos animais como cobras e morcegos, pelo menos ter um melhor controle sanitário sobre o processo. Vale lembrar que o virús da HIV surgiu da mesma forma, no caso humanos se alimentado de macacos muito possivelmente.

    • Cesar

      A Sars e a Mers até hoje não tem vacina.
      E não. Não é tão fácil assim.
      Vão continuar comendo uns trem esquisitos.

    • Jr

      Pelo que ouvi a transmissão foi feita por meio de uma cobra viva no mercado de animais local, ou seja, foi feita de uma cobra para um ser humano, ninguém comeu a cobra, como isso ocorreu ninguém sabe ainda, mas isso é muito preocupante, mostra uma evolução na transmissão do vírus

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 13 anos. Saiba mais.

Notícias por email