China Ecologia Governamental/Legal Mercado Montadoras/Fábricas

China cortará produção de 553 modelos em 2018

jac-motors-china China cortará produção de 553 modelos em 2018

Reduzir as emissões de poluentes a qualquer custo. É isso o que o governo da China está fazendo e inclui impedir a produção de veículos que não atendem mais a legislação ambiental local. Por isso, a partir de janeiro, 553 modelos e versões deixam automaticamente as linhas de montagem no país.



De acordo com a Bloomberg, não serão apenas carros de marcas baratas, mas até de players globais presentes na China, entre eles Audi, Chevrolet e Mercedes-Benz. A associação chinesa que representa os fabricantes de automóveis de passeio e comerciais leves, disse que, apesar do número parecer elevado para os padrões ocidentais, é pouco diante da enorme quantidade de opções que existem no mercado chinês.

A China Vehicle Technology Service Center compilou uma lista de modelos e versões que sairão de linha no país asiático, sendo essa a primeira vez que o governo chinês relaciona uma quantidade de produtos que ferem as normas de emissão. Segundo analistas de mercado interno, listas como essa serão frequentes nos próximos anos. Pequim quer reduzir cada vez mais os modelos a gasolina ou diesel que não atendem os padrões estabelecidos.

jac-motors-china China cortará produção de 553 modelos em 2018

Do outro lado, a eletrificação da frota é uma ação obrigatória para os fabricantes de veículos, que terão cotas a cumprir anualmente nos próximos anos. Além disso, a China está movimentando-se no sentido de eliminar a comercialização de carros de combustão interna nas próximas décadas. Porém, o caminho que Pequim queria traçar juntamente com alguns países europeus, que é a eliminação do mercado de novos com gasolina ou diesel, contrariou alguns fabricantes mundiais, especialmente a GM.

Mas não é apenas as gamas de produtos que estão sendo reduzidas na China. O corte do governo é bem amplo e atinge do consumidor ao fabricante de veículos. Por exemplo, moradores de algumas cidades são obrigados a participar de loterias de licenças para circulação de veículos. Quem consegue e ainda tem que pagar alto para manter a licença. Lá existem endinheirados que pagam dezenas de milhares de dólares para ter direito à circulação.

jac-motors-china China cortará produção de 553 modelos em 2018

Nas revendas, saem agora 553 modelos e na indústria automobilística da China, a coisa é um pouco mais radical. Pequim está cortando o acesso ao aço, limitando o consumo de carvão – matriz energética do país – e eliminando a produção de veículos acima dos limites de emissão.

Dessa forma, o maior mercado do mundo espera converter as vendas de carros comuns em elétricos nos próximos anos. Se conseguirá, não sabemos, mas mudar a matriz energética para uma fonte mais limpa, como a hidrelétrica, por exemplo, ajudaria na redução geral das emissões de CO2. Atualmente, 65% da energia da China vem de termoelétricas movidos à carvão.

[Fonte: Bloomberg]

COMPARTILHAR:
  • Renato Duarte

    adianta muito converter carros à combustão por modelos elétricos se a maior parte da energia elétrica do país polui mais do que a gasolina dos carros.

    • Diego Lip

      Isso também está sendo trabalhado, mas a poluição dos carros é maior que as usinas juntas.

    • Antonio Di Pietro

      É muitíssimo mais fácil vc controlar as emissões em algumas geradoras de energia do que em dezenas e dezenas de milhões de automóveis.

    • Acredito que esse movimento em prol dos elétricos na China nada tem a ver com emissões de CO2, mas sim com saúde pública. É comum ver nos noticiários os altos índices de poluição atmosférica nos grandes centros chineses que geram grande impacto na saúde da população e prejuízos para o país. No caso das emissões de gases de efeito estufa seria mais interessante investimentos em energias renováveis, mas os elétricos também contribuem de forma menos significativa para uma melhoria, devido à eficiência energética desses veículos.

      • Renato Duarte

        mais de 60% da energia na China provem da queima de carvão,, com a demanda por mais energia pra recarregar esses FUTUROS carros elétricos,, com certeza essa fonte de energia elétrica (poluente) não será substituída tão cedo.

        • Antonio Di Pietro

          O único problema é que a China está fazendo um esforço gigantesco para trocar sua matriz energética.
          Coisa de centenas de bilhões de dólares. Algo que nem os EUA podem fazer.

        • Louis

          A China é um dos países que mais está investindo em fontes renováveis de energia.

        • Cosi fan Tutti

          A China ira construir apenas a maior hidreletrica do planeta, umas 4 vzs maior que Itaipu, na provincia do Norte do país. E eles planejam ter o maior parque de energia solar do planeta tambem isso se ja nao tem, centenas e centenas de placas fotovoltaicas no deserto a noroeste.. Investimento pra eles é o que nao vai faltar!

  • Luís Paulo

    enquanto isso o Huezil encontra-se parado no tempo………

    • Willian Silva

      brasil é movido à propina, quando surgir algum empresário poderoso interessado por algum motivo, dai a coisa anda, enquanto isso fica às favas

      • Antonio Di Pietro

        Aí, chega o sujeito e fala: Tem de isso aí, viu?

    • Ferrari

      É verdade.
      Mas daí quando o governo toma alguma atitude no sentido de obrigar fabricantes a reduzirem emissões ou algo do tipo, acusam o governo de ser esquerdista e interferir na economia.

      Enquanto aqui há grupos brigando para olhar à direita ou à esquerda, o mundo está olhando para frente. O Brasil, obviamente, está ficando para trás.

      • Junoba

        Não é questão de ser esquerda ou direita, quanto mais o governo interfere no mercado, a chance de algo dar errado aumenta. Foi assim com o Inovar Auto.

        • Ferrari

          Eu curti o Inovar Auto.

          E acho que sim, tem um fundo ideológico forte embasando essa escolha.

          • Ricardo

            Inovar Auto fechou o mercado entre alguns players selecionados… que subiram o preço a vontade sem concorrência externa!

            Sobre os Motores, por mais que tenhamos tido alguma evolução recente nos motores, não da pra saber se foi por causa mesmo da Inovar ou se são evoluções que o tempo traz naturalmente.
            Fora isso manteve IPI menor somente para 1.0, ignorando motores excelentes como os 1.2 PSA ou 1.4 TSI.

            De brinde o Brasil enfrenta uma serie de processos na OMC por causa do IPI extra de 30% dos importados.

            • Ferrari

              Ricardo, os preços dos carros aqui acompanham a inflação do país, ou menos.
              Veja, por exemplo, o Ford Ka SE que há anos está 39900. Os carros sofrem reajuste de tabela, mas nas concessionárias está o mesmo preço.
              Olha, eu considero o programa positivo. Veja que diversos carros passaram por mudanças grandes no que diz respeito à eficiência, até mesmo os modelos GM, que sabemos serem pouco preocupados neste aspecto.
              Não acho que tenha sido mera coincidência tantos motores turbo e tantos automóveis ganhando câmbio de 6 marchas justamente neste período.

              Quanto ao processo na OMC desculpe, mas, paciência! O governo brasileiro não fez nada diferente do que outros já não tenham feito.
              Esse pessoal não é imune a lobby ou propina. Falam de nós, mas certamente já fizeram vistas grossas para outros países que fizeram igual ou pior.
              É sempre a mesma história: em países desenvolvidos, governos dão ajudas vultuosas à fabricantes de veículos ( imagine o que seria da Toyota se não fosse o governo japonês ? Da GM, se não fosse o governo americano?), além disso, lá fora os governos colocam regras apertadíssimas de controle de emissão de poluentes que forçam os fabricantes a venderem motores cada vez mais avançados. Aqui no Brasil, por outro lado, o pessoal acha que a mão invisível do livre mercado vai fazer com que tenhamos Golf 1,4 TSI DSG de 18 marchas com 37 airbags sendo vendido a R$45.000.
              Nosso país é pobre é nossa renda é bem mal distribuída. Além disso, somos mal tributados na renda e fortemente tributados no consumo. O resultado é esse: as coisas são impagáveis para quem é pobre (maioria), muito caras para quem é classe média ( poucos) e baratas para quem é rico ( uma minúscula fração do país )

          • Junoba

            ´´Eu curti o Inovar Auto.´´

            O que leva uma pessoa a dizer algo do tipo ? So se tu trabalha pra alguma montadora.

            • Ferrari

              A explicação está no meu texto.
              Fique a vontade para discordar.

  • Antonio Di Pietro

    Esta notícia mostra quem efetivamente dá as cartas na economia chinesa: O Governo.

    • Ferrari

      Claro.
      Tem que ser muito ingênuo para achar que a “mão invisível do mercado” faria os fabricantes de automóveis deixarem os motores a combustão por elétricos / híbridos.

  • celso

    553 modelos ?
    Quer dizer: a cópia da cópia da cópia…

  • Wendel Cerutti

    Esses taxis vermelhos lembram o Fiat Stilo .

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 12 anos. Saiba mais.

Notícias por email