Chevrolet China Sedãs

China: GM adiciona novo motor 1.3 para Onix e híbrido de 48V no Monza

China: GM adiciona novo motor 1.3 para Onix e híbrido de 48V no Monza

A GM China divulgou duas novidades em seu portfólio de sedãs da Chevrolet. A montadora americana no maior mercado do mundo, terá quatro novas versões do Monza e duas do Onix Sedan, que aqui é vendido como Onix Plus.


Scott Lawson, diretor geral da Chevrolet para SAIC-GM, disse: “Os membros mais novos da família de sedãs compactos da Chevrolet oferecem estilo dinâmico, excelente eficiência de combustível e acessibilidade”.

Ele completa: “O lançamento deles demonstra o compromisso da Chevrolet em ouvir os clientes em toda a China e oferecer produtos que atendam às suas necessidades individuais”.

China: GM adiciona novo motor 1.3 para Onix e híbrido de 48V no Monza

Para atender as novas normas de emissão de poluentes na China, o Monza ganha uma opção híbrida leve com sistema elétricos de 48 volts, tendo um sistema de desligamento de motor que possui capacidade para mover o veículo ao mesmo tempo.

Nas desacelerações, o motor é desligado e a linha de combustível é cortado, fazendo com que o sedã compacto “grande” da Chevrolet alcançar média de consumo de 21,2 km/l.

China: GM adiciona novo motor 1.3 para Onix e híbrido de 48V no Monza

Com mais de 140 mil vendidos desde o lançamento, o Monza chinês é equipado ainda com motores 1.0 Turbo, 1.3 Turbo e 1.5 aspirado.

A GM não revelou qual motor opera com o híbrido leve, apenas que este sistema tem duas opções na versão Redline e duas na RS, custando de 108.900 yuans a 122.900 yuans, ou seja, de R$ 88.800 e R$ 100.200.

Onix Sedan 1.3

China: GM adiciona novo motor 1.3 para Onix e híbrido de 48V no Monza

Já o Onix Sedan, que aqui é o Onix Plus, ganha um novo motor na China, sendo este um 1.3 de três cilindros, mas com aspiração natural, sendo a versão mais fraca do propulsor 1.3 Turbo usado no Monza.

O propulsor 1.3 tem 107 cavalos e 13,2 kgfm, sendo equipado com sistema de injeção dupla de combustível (direta e indireta), fazendo assim média de 20,8 km/l.

O Onix Sedan agora dispõe de sensor de pressão dos pneus como item de série e tem preços, com esse motor 1.3, variando de 79.900 yuans e 88.900 yuans, o que numa conversão direta para o real fica de R$ 65.160 e R$ 72.500. Há também o motor 1.0 Turbo de 125 cavalos.

 

Ricardo de Oliveira

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 23 anos. Há 12 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.

  • Raimundo A.

    Esse 1.3 aspirado tem torque bom, mas apesar da dupla injeção, a potência é menor que a do nosso 1.3 Firefly, e suponho o da GM ter duplo comando de válvulas. Poderia render bem mais como estimam o Firefly 1.3 16V com injeção direta, sem turbo, passar dos 120cv.

    • Jorge Castro

      Ja percebeu que na china nao ligam muito pra potencia , que tem varios modelos com motores com poucos cv um exemplo e so ver os carros chineses que vem pra ca que rapidinho dao um jeito de aumentar a potencia deles

      • Raimundo A.

        Eu sei como também sei que potência menor economiza combustível e exige menos do motor. Todavia, rendimento bom é ter alta potência, torque com baixo consumo. É meio óbvio um motor que poderia render mais ser poupado para ter consumo baixo.

        • Potência menor consome menos combustível e exige menos do motor? Que conversa é essa? Com menos potência a pessoa tem que acelerar mais em determinadas situações exigindo mais do motor, uma ladeira por exemplo.

          • Matuska

            Potência menor pode ter consumo menor também. Porém a questão de durabilidade não é diretamente influenciada pois espera-se que a fábrica projete considerando o aumento de potência. No caso do público chinês, os veículos sempre tem potências menores talvez pq naquele mercado isso não seja relevante.

            • Raimundo A.

              Pode ser relevante considerando a emissão de poluentes e sua legislação. Um motor ser bem potente, consumo bom e emissão de poluentes em nível aceitável exige mais tecnologia.
              Outra é o tipo de ciclo de combustão que pode favorecer o torque em detrimento da potência menor. Isso reflete no consumo e emissão de gases.

          • Raimundo A.

            Você elogia o torque e não sabe porque potência menor poupa o motor, economiza combustível e reduz também emissão de poluentes?

          • Paulo Lustosa

            Nessas situações quem determina é o torque, e quem tem o maior torque pra situação do dia a dia, pisa menos no acelerador e acaba tendo menor consumo. Prova viva é o Cobalt em 2012… diferença da potência do 1.4 e do 1.8 era bem pequena, mas de torque era gritante, fazendo o 1.8 andar bem melhor e curiosamente gastando menos.

    • Cromo

      O nosso álcool explica isso, pelo menos em parte.

    • 🅰🅽🅳🅴🆁🆂🅾🅽 – 🆂🅿® ✅

      O Firefly tem uma taxa de compressão bem alta de 13,2:1, esse aí nem deve chegar perto, o atual SP/E 1.4 tem 1cv a menos de potência e mais torque que esse daí graças a alta compressão e uso do Etanol também.

    • Pablo Henrique

      Tem quase o mesmo torque do antigo 1.4 8v, que no etanol tem 13,9kgfm de torque. Acredito que a diferença maior seja a disponibilidade do mesmo – a menores rotações – do quê a quantidade em si.

      • Pablo Henrique

        E além disso, tem praticamente a mesma potência, o 1.4 8v disponibiliza 106cv também no derivado da cana. Agora o que esse 3 cilindros deve ser mais econômico do que ele, não tá no gibi.

    • Paulo Lustosa

      Detalhe que o Firefly rodando na gasolina é 101 cv a 6250 RPM e 13,7KGFM a 3500 RPM, detalhe que este é o mapeamento brasileiro, pois fora daqui o mesmo motor tem 99cv aos mesmos 6250 RPM e 13,2KGFM a 4000RPM. Esse 1.3L de dupla injeção já é usado no Buick Excelle chinês e tem 107 cv a 6200 RPM e 13,6KGFM a 4000 RPM usando dupla injeção de combustível e VVT em ambos os comandos, privilegiando economia. Este motor se com certeza fosse trabalhado pra ficar com 12,5:1 de taxa de compressão e virasse flex com certeza passava dos 110 cv do Firefly e com certeza deve ser mais elástico.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 13 anos. Saiba mais.

Notícias por email