China Elétricos Governamental/Legal Mercado Montadoras/Fábricas

China pode liberar marcas de elétricos estrangeiras sem parceria local

Denza-400-1 China pode liberar marcas de elétricos estrangeiras sem parceria local

O governo chinês pode liberar os fabricantes estrangeiras para que estes criem marcas de carros elétricas próprias sem parceria com sócios locais, numa tentativa de acelerar o processo de introdução desse tipo de veículo naquele mercado. Atualmente, as empresas internacionais precisam ter sociedade com montadoras chinesas se quiserem produzir seus carros localmente, medida que existe no país desde os anos 90.



De acordo com fontes locais, o governo de Pequim estuda mudar as regras, o que pode acontecer já em 2018. O fim da imposição de joint-ventures significará uma enorme mudança na política industrial chinesa no setor automotivo, atraindo empresas como a Tesla, que ainda não possuem parcerias locais.

Mas, antes dessa decisão, vários fabricantes estrangeiros estão firmando parcerias locais para produção de mais modelos elétricos. A Ford se uniu à Zotye, enquanto a Volkswagen assinou uma parceria com a JAC Motors. O governo de Pequim já emitiu um comunicado em que diz que abrirá o mercado de carros elétricos, além disso, permitirá o ingresso de investidores estrangeiros ao processo produtivo, facilitando assim a aquisição de ações e empresas chinesas do setor.

A China busca desesperadamente elevar as vendas de carros elétricos e até já impôs cotas para os próximos anos, a fim de que os fabricantes sejam obrigados a cumprir. Desde julho de 2016, fabricantes estrangeiros de motocicletas e baterias podem estabelecer empresas próprias no país sem a parceria com locais, um relaxamento na política, que foi instituída em 1994, a fim de garantir a transferência de tecnologia e a criação de empresas nacionais no setor automotivo.

A política se baseia no limite de 50% de participação de empresas estrangeiras, ficando a outra metade com capital nacional chinês. Mas, recentemente essa regra têm sido criticada, pois protege as montadoras estatais da concorrência e as incentivas a não criarem marcas próprias no mercado, o que faz com que as marcas estrangeiras se sobreponham, fazendo de suas sócias apenas produtoras. Ainda assim, há quem diga que a regra permite ao fabricante chinês ter escala de produção e desenvolvimento de tecnologia para não ficar à mercê da concorrência estrangeira.

De qualquer forma, muitos fabricantes estrangeiros não pensam em ter que assumir suas operações em joint-venture na China por conta dos custos, amortizados com as parcerias locais. Já para empresas que ainda estão fora do mercado chinês, a nova regra, se imposta, facilitará sua introdução local e sem ter que compartilhar suas tecnologias, muitas delas sensíveis para as futuras tecnologias, especialmente de condução autônoma e inteligência artificial.

[Fonte: Exame]

 

  • AntonioReis

    Chineses não são fáceis. Será que vão conquistar o mundo?

    • Maycon Farias

      Já conquistaram, só não vê quem não quer!

      • Mario Souza

        Engraçado é brasileiro bater 👏 👏 para um mercado comunista, extremamente nacionalista e protecionista, quando pensam que para o brasil isso é péssimo. Sem querer polemizar nenhum assunto.

        • Thales

          A China já não é comunista a muito tempo, só no nome, assim como a república democrática popular da Coreia do Norte.

          • Mario Souza

            Hum. Ironia heim, quase não percebi. Qual o regime de governo da China que é para que eu me atualize?

            • Thales

              Capitalismo de estado, espero ter ajudado.

              • Mario Souza

                😂😂 gosto do seu humor irônico. China ainda é um país comunista que pratica o socialismo e forte controle da liberdade do povo. Parece que não funciona não é mesmo. Contradição para os “especialistas” de sistemas de governo e de economia do Brasil!

          • AntonioReis

            O fato é que o Governo chinês interfere diretamente na economia como descrito acima. Ou seja, o Governo dá uma certa liberdade empresarial, mas sob forte controle e sob metas do Estado. E parece que esse sistema está sendo amplamente vitorioso.

            • AntonioReis

              Inclusive com milhares e milhares de empresas estatais. Se não me engano (corrijam-me se estiver errado) a gigante de eletrônica ZTE pertence ao Exército chinês.

            • Mario Souza

              Claro que é sucesso, pode tudo dentro das normas deles e com disciplina e punição na infração das normas. Brasil é a casa de festa. Mudaram uma lei para beneficiar um país. Procure saber o porque da lei da terceirizaçao. Comprada pela China. Tenta fazer isso lá. Povo não tem muito conhecimento e nem procura ler artigos independentes. Jornais e revistas andam conforme a maré. Conveniência do momento.

        • ObservadorCWB

          MAs para você abrir sua empresa lá demora umas 72h….então não são tão “nacionalista e protecionista” assim…..

          • Márcio Motta

            vai abrir uma empresa no brasil p vc ver!

          • Mario Souza

            Esta confundindo com burocracia. Não segue as normas para ver o que acontece.

            • ObservadorCWB

              Cara…o mundo se rende à normas (veja as últimas décadas a procura pelas várias ISO da vida). O que falta para nós são regras CLARAS e de preferência IMUTÁVEIS. Os chinas as possuem. E há incontestável sucesso sendo assim. (veja índices de crescimento, as empresas que os figuras estão comprando mundo afora etc e tal). Há problemas ? Claro que há. Graves e enormes. Alguns criados pelos próprios ocidentais (Ex. a migração em massa de fábricas para aproveitar a mão de obra barata). Mas isto está mudando. Carreiras “superiores” estão com salários semelhantes a média mundial…e superiores às do Brasil, para nossa infelicidade. Quanto ao “chão de fábrica” não posso afirmar com convicção. Lemos de trabalho escravo, bilhetes, etc e tal…. mas me faltam fontes seguras para confirmar isso. Sou capitalista, antes que pergunte.

              • Mario Souza

                você se confundiu de novo. Eu disse que no brasil existe burrocracia. Na China existe uma coisa chamada disciplina, se lá você não seguir as regras toma ferro, aqui é a casa da mãe Joana!

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 11 anos. Saiba mais.

Notícias por email

Send this to a friend