Chrysler EUA Jeep Montadoras/Fábricas SUVs

Chrysler investirá uma fortuna em um novo SUV!

jeep-grand-cherokee-2008-1 Chrysler investirá uma fortuna em um novo SUV!







Parece que a Chrysler está indo na contra-mão da tendência atual do mercado americano, a fuga de consumidores de picapes e utilitários esportivos para segmentos de carros compactos, mais economicos e que poluem menos.

A marca pretende investir cerca de US$1,8 bilhão na expansão de uma planta de produção da Jeep de Jefferson North, em Detroit no Estado do Michigan. Esta fábrica irá fazer um novo utilitário esportivo que irá substituir o atual Grand Cherokee, mas ainda em data não divulgada.

Esse novo SUV terá que dar um bom lucro para a marca, pois o valor investido somente na expansão é uma verdadeira fortuna para um segmento que hoje está sob risco.

Realmente uma decisão bem contraditória na atual situação do segmento dos SUV por lá. Como picapes e utilitários são uma característica forte da Chrysler e única da Jeep, o grupo norte-americano não tem dúvidas em investir em um novo produto dessa categoria.

A Chrysler já está se preparando para voltar sua produção e sua linha de produtos para um segmento onde nunca atuou de fato, o de carros compactos, menores, mais baratos e o mais importante, economicos.

E não tem como ser de outra forma, pois o galão(3,785 litros) de gasolina nos EUA está cotado à US$3,80, depois de chegar à ser vendido por US$4,118 em 16 de Julho! Assim, torna-se imprescindível que a Chrysler comece a produzir e vender carros mais economicos para o consumidor americano voltar a adquirir produtos da marca.

Chery e Nissan são duas saídas para a montadora ter produtos que necessita para melhorar sua situação financeira atual e sair bem da crise automotiva americana.

Leia mais sobre Chrysler-Nissan e Chrysler-Chery no Brasil

Fonte: Folha de São Paulo.



  • rvictor

    sempre fui fã de cherokee.
    tomara que eles consigam se recuperar.

  • JDFortuna

    Sem comentar a atitude Chrysleriana, o americano é muito chorão. Lá no caro pagam 1 dollar o litro. Aqui pagamos 1 euro/l faz é tempo!!!

    De boa, vão todos se catar! Isso que é bizarro!
    Petrobrás safada! Cheia de lucro e nem readimite quem foi demitido ilegalmente como tb naum paga indenizações!!

  • JDFortuna

    *re-admite

  • IGAUM

    Isso pode ser chamado de EUTANASIA!

    Ou no bom portugues: SUICIDIO!!!

    :hauhau:

    A gasolina vai subindo, subindo, subindo…as vendas vao caindo, caindo… e a Chysler vai falindo, falindo…

    A Mercedes se livrou da bucha…passou pra Cerberus…e nao adianta…parece q a mentalidade de dinossauro está instalada na Chysler como um cancer…meu Deus!

    Vai precisar falai para aprender? Quem vai gostar disso é alguma montadora chinesa… vai comprara barato mesmo! :banana:

  • LFSP2

    Depois dessa aí não tem outra coisa para a Chrsler, essa montadora merece morrer mesmo, criar um novo SUV é suicídio
    Já vai tarde, montadora dinossauresca como o IGAUM disse, quem mandou não apostar nos compactos e nos mercados emergentes(já saiu três vezes do Brasil)
    De todas as montadoras a mais irracional é a Chrysler, quem vai na contra-mão dessa atual tendência quer acabar afundando mesmo
    Hasta la vista, Chrysler, pagou pela escolha de priorizar unicamente os EUA por comodismo, montadora improdutiva tem de acabar ou ser absorvida
    A diferença dela para Ford e GM está em um único ponto, as duas tem filiais lucrativas que compensam o prejuízo da matriz, a Chrysler não

  • rlaranjo

    mais uma empresa administrada por imbecis que vai afundar…

  • evandro17

    A Chrysler tá se afundando de vez! Tá indo totalmente ao contrário. Não falta mais nada!

    Eu torço de verdade para que ela saia dessa crise, mas não é bem assim que se faz isso!

    Como disseram aí, ela tá pagando agora o preço de se concentrar apenas nos EUA. Tanto ela quanto a Dodge não vendem praticamente nada fora da matriz. Ao contrário da GM e suas 1651651 divisões (seu principal problema – manda Buick e Hummer embora!) e da Ford e sua belíssima filial européia.

  • erom

    A Chrysler surpreendentemente tem anunciado lucro, ao contrário da Ford e GM. Claro que pode ser uma manobra contábil.

  • LFSP2

    [Comentario #96753 sera citado aqui]

    Pois é, a Chrysler não tem mais sobrevida, fora dos EUA quase ninguém conhece as montadoras dela ou enbtão conhece mas não compra pois ela não tem carros em várias faixas de preço
    A GM não deve se desfazer da Buick, é uma montadora histórica para ela, a Cadillac, a Buick e a Pontiac dificilmente serão vendidas, no máximo podem ser encerradas igual a Oldsmobile, o provável é que ela venda a Hummer, talvez a Saab e a parte dela na Suzuki
    Com a Ford acontecerá o mesmo, ela provavelmente depois de se desfazer de Jaguar, Aston Martin e Land rover deve se desfazer de outra de suas aquisições dos tempos áureos, a Volvo, mas a Mazda por fazer com que ela chegue ao (fechado) mercado japonês e a Lincoln e a Mercury, por serem partes históricas da Ford continuarão
    Apesar de que tudo é possível, a Plymouth por exemplo deixou de produzir carros, foi morta pela Chrysler, que porém não mata seus SUVs beberrões e banheirões

  • Cristiano_ferromodelismo

    :clapp: Tolinhos, vocês não imaginam quanto a Chrysler exporta esse carro. Ela precisa competir com Audi, Mercedes, e outras marcas asiáticas, se as outras vendem, porque ela não vai vender estando com um produto ainda melhor que os das concorrentes?

    A queda de venda de SUVs lá é momentânea, e esses carros vendem aos montes no oriente médio.

  • Rafael FM

    ALTO RISCO .. :down: :down: :down: :down:

  • JDFortuna

    [Comentario #96720 sera citado aqui]

    Eu tb gostava da Cherokee, mas da outra. Mexeram muito.

  • boltcrank

    nos tempos de hoje isso é a mesma coisa do que anunciar falencia :nanao: é melhor a Chrysler aprender a fazer carros compactos se não fecha as portas

  • Ciro

    [Comentario #96725 sera citado aqui]

    parece que vc não conhece a história direito: Quando a Daimler comprou a Chrysler ela estava no lucro e as decisões da Daimler foram detonando a empresa. A MB usou o dinheiro do lucro de carros como o 300C para melhorar a qualidade de seus carros (que desde o lançamento da Classe C em 93 caiu bastante). Depois que a Chrysler estava seca, ela foi jogada pra Cerberus.

  • Powerbest

    [Comentario #96802 sera citado aqui]

    Quer dizer que os alemães da MB deram uma pernada na Crysler, assim como os italianos da FIAT deram na GM! O que será que está acontecendo com os estadunidenses? :clown:

    Fora isso queria que ela se recuperasse, pois gosto do Cherokee, Caravan e do 300C!

    A unica coisa que eu queria das montadoras americanas era que a Ford vendesse a Mazda, pois só assim ela poderia voltar novamente ao Brasil!!!

  • Jassa Murtab

    COMENTÁRIO EDITADO, OFENSAS A OUTROS LEITORES

  • Hodney Souza

    Acredito que este projeto dessa nova SUV seja com motor hybrido. Se for assim mesmo é uma boa idéia. :clapp:

  • Hodney Souza

    2008 MidiaSemMascara.org

    O mundo dos negócios assistiu, um tanto estupefato, à divulgação do último balanço da gigante General Motors. Apanhada no contrapé pelos altíssimos preços do petróleo e seus derivados, a GM encerrou o trimestre (abril, maio e junho) com um prejuízo da ordem de 15 bilhões de dólares. Como não poderia deixar de ser, as bolsas de valores despencaram mundo afora; afinal, trata-se da maior fabricante de veículos mundial e uma das maiores corporações do planeta.

    Muitos analistas viram neste resultado um sinal do enfraquecimento da economia norte-americana, que, desde o segundo semestre do ano passado, vem sofrendo reveses por conta dos altos preços do petróleo e da crise das hipotecas. Porém, enganam-se aqueles que pensam assim. Na verdade, tal resultado demonstra exatamente o contrário: o mercado norte-americano vem funcionando da maneira como deveria.

    Uma das grandes vantagens das economias de mercado é justamente a capacidade que têm de adaptar-se às circunstâncias. Focados no “termômetro” dos preços, os agentes econômicos – empresas, consumidores e investidores – estão continuamente se replanejando, em resposta às alterações de temperatura da oferta e da demanda, de forma que cada participante esteja sempre buscando otimizar os seus lucros/benefícios ou, de modo inverso, minimizar as suas perdas. Essa é a maneira pela qual se assegura que cada processo produtivo seja gerenciado de modo tal que acabe colaborando para maximizar a eficiência do sistema como um todo.

    Uma das grandes virtudes das economias de livre mercado é a sua tendência para a alocação eficiente dos recursos sempre escassos. Essa eficiência, por seu turno, depende fortemente dos níveis de competitividade e, principalmente, da sensibilidade dos empresários em compreender os sinais enviados pelos consumidores. Esta é uma característica tão marcante e importante que a punição para o administrador que falha neste quesito costuma ser inclemente, não raro levando a empresa à falência.

    A General Motors encontra-se hoje justamente no meio de um desses turbilhões em que as decisões de seus gestores serão de crucial importância para o futuro da companhia. Já faz algum tempo que o consumidor americano vem transmitindo sinais aos fabricantes de veículos, segundo os quais a preferência, daqui para frente, será por automóveis mais econômicos, no estilo japonês e europeu. Parece claro que a moda dos SUVs, pesados e beberrões, está com seus dias contados, principalmente depois que o galão de gasolina por lá bateu na casa dos 4 dólares.

    Ao contrário de muitos países, como o Brasil e a China, onde os preços dos combustíveis são manipulados pelo governo, nos EUA eles flutuam livremente, ao sabor dos preços internacionais. Enquanto por aqui a preferência dos consumidores é mascarada por conta de um “congelamento branco”, fazendo com que o consumo de combustíveis aumente num momento em que, pela lógica, deveria retrair-se – não por acaso, exatamente como ocorreu durante os dois primeiros choques do petróleo nos anos 70 –, lá os preços ditam uma rápida mudança de hábitos, fazendo com que os consumidores – e, conseqüentemente, o mercado como um todo – se adaptem à nova realidade.

    Só para se ter uma idéia dessa adaptação espontânea, segundo as últimas pesquisas os motoristas norte-americanos reduziram, nos últimos 12 meses, em nada menos que 40 bilhões de milhas as suas viagens pelas estradas daquele país. Junte-se a isso a migração do consumidor para carros mais econômicos e conclui-se que o mercado está fazendo muito mais para baixar o preço dos combustíveis do que o governo de lá, que, entre outras decisões estapafúrdias, ainda insiste, por motivos ditos ambientais, em manter proibidas as prospecções na costa do Alasca. Mas esta é uma outra história.

    A forte redução nas vendas da GM, empresa que montou toda uma estratégia de mercado baseada nas Pick-ups e SUVs, deixando de lado a produção de veículos mais baratos e econômicos, nada mais é do que um claro sinal de que o mercado norte-americano vem funcionando exatamente da maneira que deveria, ou seja, ajustando-se dia-a-dia às novas circunstâncias. É óbvio que há outros fatores por trás do enorme prejuízo havido no segundo trimestre desse ano, como, por exemplo, o grande passivo trabalhista, derivado principalmente da atuação daninha dos sindicatos, cujos tentáculos, há tempos, vêm causando sérios transtornos àquela empresa – especialmente porque muitos de seus concorrentes, por estarem instalados em estados onde as centrais sindicais não têm tanta influência, não sofrem do mesmo problema.

    Ademais, esse prejuízo gigantesco é também a prova cabal de que aquela velha ladainha esquerdofrênica, segundo a qual as “grandes corporações” têm o poder de controlar os mercados e escravizar o consumidor, é pura balela. Caso isso fosse realmente verdade, jamais uma companhia do porte e poder da GM seria tomada por um prejuízo desse tamanho.

    A grande verdade é que os verdadeiros patrões, no jogo do livre mercado, não são os CEOs das empresas, mas os consumidores. São estes, como dizia Ludwig Von Mises, “através das suas decisões de comprar ou não comprar, que decidem os vencedores e os perdedores. São eles que determinam precisamente o que deve ou não ser produzido, em que quantidades e qualidades.”

    Os consumidores, prossegue o grande economista austríaco, “são patrões inclementes e egoístas, cheios de manias e vontades, além de muitas vezes imprevisíveis. Para eles, nada conta além da sua própria satisfação. Eles não estão nem aí para os méritos passados ou interesses legítimos. Se algo lhes é oferecido, que seja melhor ou mais barato, largam seus antigos fornecedores, sem dó nem piedade.” Assim, se os carros da Honda ou da Toyota, embora japoneses, são melhores e mais baratos, ou respondem às suas atuais exigências, pouco lhes importam os trabalhadores da Ford ou da GM que, eventualmente, possam estar com seus empregos em risco.

    O grande desafio dos empresários é exatamente manter satisfeitos os seus consumidores. Qualquer que seja o erro de estratégia, mau julgamento ou ineficiência, redunda em perda de lucratividade. Quando o erro é grande, como parece ser o caso da GM, as perdas são catastróficas.

    Para encerrar, voltemos às palavras do mestre: “Em última instância, os consumidores determinam não apenas os preços dos bens de consumo, mas também dos bens de produção. São eles que determinam a renda de cada membro da economia de mercado. São os consumidores – e não os empresários – que pagam os salários de cada trabalhador, seja ele um faxineiro ou uma estrela de cinema. Através de cada centavo gasto, os consumidores determinam a direção de todo o processo de produção e os detalhes da organização de cada atividade empresarial.”

    O resto, como dizia meu avô, é “conversinha pra boi dormir”.

  • Luis.J.R.

    Caramba?A clsyler não aprendeu, não seria melhor envestir somente em carros compactos mais economicos.Só espero que essa nova suv sejá um carro economico, nada de motores v8. :bate:

  • Ferry.

    No todo esta perdido Iacocca aún vive.

    Put him back on duty! :banana:

  • IGAUM

    [Comentario #96893 sera citado aqui]

    Nossa!!! Essa vc tirou do fundo do baú!!! Mas ta valendo!

    Mas acho melhor chamar o Montezemolo ou o Sergio Marchione. :cool:

  • _Dan_

    [Comentario #96817 sera citado aqui]

    Eu? ler issu tudo?..haushuashus

    :down:

    :banana:


Send this to a friend