Citroën C5 Aircross repaginado é registrado no INPI

c5 aircross

A Stellantis registrou o Citroën C5 Aircross mais uma vez no INPI – Instituto Nacional de Propriedade Industrial – mas as chances do SUV médio parisiense chegar por estas bandas são poucas.


Tendo sido lançado em 2017, o C5 Aircross perdeu o time da Citroën no Brasil ao demorar demais para chegar.

c5 aircross 2023 1.jpeg

Bem diferente da proposta das minivans C4 e Grand C4 Picasso, que por anos tentaram a sorte num segmento que já estava morrendo, o duplo chevron não foi tão inovador ao ignorar seu SUV médio.

Fabricado na França, China e Índia, o C5 Aircross era o caminho a ser seguido acima do C4 Cactus, ainda que importado, mas não veio.

Agora, com a frente renovada, adotando novos faróis full LED, bem como luzes diurnas em LED num formato de barras paralelas, tendo ainda nova grade com filetes cromados.

c5 aircross 2023 2.jpeg

O logotipo do duplo chevron é o mais recente da marca, com o para-choque adotando linhas mais expressivas, com cortes abruptos e grelha inferior com linhas fluidas e radar do controle de cruzeiro adaptativo.

Nas extremidades, entradas de ar e faróis de neblina reforçam o pacote visual diferenciado do Citroën C5 Aircross 2023.

 

c5 aircross 2023 3

Com lanternas traseiras em LED, bem como novas rodas de liga leve, o C5 Aircross 2023 tem bancos em couro com dois tons, além do bom espaço interno e bagageiro condizente com a proposta.

Medindo 4,510 m de comprimento, 1,860 m de largura, 1,705 m de altura e 2,730 m de entre-eixos, o C5 Aircross usa motores 1.2 Puretech Turbo com 110 ou 130 cavalos, além de 1.6 THP com 165 cavalos.

Há também opção PHEV com este propulsor, renomeado Puretech como o 1.2, empregando motor elétrico e entregando combinadamente 225 cavalos.

c5 aircross 2023 4

Também dispõe de duas versões diesel, usando motores BlueHDi 1.5 e 2.0, ainda mantendo a oferta do óleo combustível em algumas regiões.

Virá? Provavelmente não, uma vez que a Citroën aposta no sucessor do (C3) Aircross nacional e num terceiro produto, todos do projeto C-Cubed.

Recentemente essa versão registrada começou a ser feita em Rennes, França.

Autor: Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 26 anos. Há 15 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações.