Citroen Hatches Manutenção Matérias NA

Citroen DS4 – Defeitos e problemas

Citroen DS4 - Defeitos e problemas

Lançado em 2013, o Citroen DS4 foi um hatch médio premium da marca francesa que foi vendido até 2017. Com poucas vendas, o modelo chegou com preço em torno de R$ 100 mil, sendo um intermediário entre DS3 e DS5.


Baseado no Citroen C4 europeu, o Citroen DS4 era um carro com desenho bem esportivo e atraente, tendo quatro portas e com maçanetas embutidas nas portas traseiras.

O DS4 foi vendido em três versões ao longo do tempo e todas elas eram equipadas com motor 1.6 THP a gasolina, que entregava 165 cavalos a 6.000 rpm e 24,5 kgfm a 1.400 rpm.

A transmissão era sempre automática de seis marchas com modos Inverno e Sport, além de tração dianteira. Sofisticado para a época, o Citroen DS4 reunia um bom conjunto.

VEJA TAMBÉM:

Contudo, como qualquer produto, sofreu com alguns defeitos e problemas, entre eles, crônicos oriundos da PSA, apontados pelos donos. A corrente de comando do THP, vazamento de óleo na tampa de válvulas, bomba de alta, coxins do motor, entre outros.

Citroen DS4 – Defeitos e problemas

Citroen DS4 - Defeitos e problemas

Parte dos proprietários do Citroen DS4 reclamam de defeitos e problemas no motor 1.6 THP. São conhecidos os problemas relacionados com esse propulsor da linha Prince e o hatch de luxo não escapa das dores de cabeça.

Um dos problemas mais recorrentes é o desgaste excessivo do tensor da corrente de comando de válvulas do THP. Isso cria uma folga no conjunto, gerando enorme ruído e exigindo a substituição do kit.

Alguns donos relatam que a PSA abriu uma ordem de serviço para as redes Citroen e Peugeot, a fim de executar a troca do kit da corrente de comando, sem custo. No entanto, nem todos os proprietários conseguiram obter essa correção, o que gerou alguns registros em sites de reclamação na internet.

Além do defeito no tensor da corrente, o THP do DS4 também apresentou vazamento na tampa de válvulas do motor, sendo necessária a substituição da mesma. A junta da tampa de cabeçote em alguns carros apresentou vazamento, exigindo sua substituição junto com a tampa.

Outro problema recorrente apontado pelos proprietários é a chamada “bomba de alta” ou bomba de combustível de alta pressão, que apresenta falhas em rotações elevadas, acompanhadas de falhas, redução da potência e engasgos.

Geralmente um alerta no painel indica problemas na bomba de alta, reforçando a necessidade de parada para manutenção corretiva.

O tubo de admissão do motor THP também é outro item mencionado, que pode folgar e até quebrar, podendo gerar detritos que eventualmente são aspirados pela turbina, podendo quebra-la.

O motor THP da DS4 ainda pode apresentar defeito nos coxins, com relatos de rompimento dos mesmos ainda na garantia. Com o esforço do conjunto motriz, os batentes pensados para a Europa não resistem por muito tempo aqui.

Existem ainda relatos de problemas com o sistema de refrigeração, como a válvula termostática, o que pode gerar superaquecimento do propulsor.

Com transmissão automática de seis marchas, o DS4 não sofreu tanto com os defeitos de câmbio, uma vez que os problemas mais graves da PSA se concentravam mais na caixa automática AL4, que equipou os modelos nacionais.

Suspensão

Citroen DS4 - Defeitos e problemas

Alguns donos de Citroen DS4 reclamam que a suspensão não dura o suficiente como um carro manual.

Buchas de balança e batentes dos amortecedores, assim como pivôs e as famosas bieletas.

O sistema de direção também é outro componente que alguns reclamam de defeitos.

O mesmo em relação aos barulhos do conjunto frontal, muitos deles associados com as torres de amortecedores.

Estas geram um barulho enorme a cada freada do veículo, devido ao movimento das torres, que ficam folga.

Existem casos em que todo o conjunto de suspensão e direção foi atualizado ainda na garantia ou mesmo antes de 50.000 km.

Barulhos

Citroen DS4 - Defeitos e problemas

Alguns donos de Citroen DS4 se queixam de barulhos internos, mas não especificaram os detalhes.

O hatch da marca premium da PSA é bastante elogiado no acabamento e montagem das guarnições.

Naturalmente, com isso, os maiores ruídos eram gerados pelo conjunto de suspensão dianteira.

Alguns reclamaram ainda de problemas no compressor do ar condicionado.

Não existe recall listado para o Citroen DS4, embora ordens de serviço relativas aos problemas crônicos do motor, por exemplo, existam.

Ricardo de Oliveira

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 23 anos. Há 12 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.

  • Rafael Morozini

    Um dos carros “ acessíveis “ mais acertados visualmente da década !

    • El Gato!

      Não acho, Rafael. A traseira pra mim não é bem encaixada, sei lá. Acho o DS3 muito mais bem resolvido em termos de design (para ficar na mesma marca/linha). Este sim, na minha opinião, envelhece bem. O visual não cansa.

      • Fanjos

        Vi um esse final de semana com farol Full Led, continua lindão mesmo

      • Rafael Morozini

        Outro grande exemplo , pra mim o único que é datado se trata do ds5 , talvez pela ousadia e pelo porte do carro …

  • Fernando Oliveira

    O problema dos modelos da PSA no Brasil é a reposição de peças. Confiabilidade/durabilidade mecânica e pós venda melhoraram muito na última década.
    Tenho um AirCross 2013 e depois de quase 4 anos que está comigo, usando semanalmente para viagens a trabalho, semana passada veio a apresentar, digamos, um primeiro problema que posso classificar como “mais sério”: propulsor do climatizador do ar condicionado quebrou (código da peça: 6441-ES) deixando de funcionar o próprio ar condicionando e o ar quente(desembaçador do vidro dianteiro). Não havia a peça em estoque na concessionária e nem outras casas de peças que se diziam “especializadas” em Peugeot e Citroen da cidade (Juiz de Fora/MG). Tive que deixar encomendado na concessionária e me pediram um prazo entre 7 e 10 dias úteis para a chegada da peça. Um “pé no saco”, pois em pleno verão ficar sem ar condicionado no carro é complicado.
    Vejam que estou falando de um modelo que poderia ser classificado como um “popular” dentro da própria Citroen e que compartilha peças com outros modelos também “populares” como o C3 e o C3 Picasso. Agora, imaginem um modelo “premium” como o DS4, que vendeu bem pouco e é raríssimo de encontrar nas ruas.
    Triando este problema, teria um outro modelo da Citroen tranquilamente.

    • DODHOP

      Isso acontece em TODAS as marcas, peças que não possuem tanto “giro” não ficam em estoque e precisam ser encomendadas. Não é vantajoso para concessionária ou oficina nenhuma fazer encomenda de uma peça que muitas vezes vai ficar meses parada esperando alguém precisar daquele item. Eu já passei por isso até na Fiat, e olhe que o componente que eu precisava era compartilhado entre praticamente todos os carros da marca (o mecanismo que travava o encosto do banco traseiro do Idea, o mesmo usado também em todos os Palios, Punto, Bravo, Dobló). Até na Honda e Hyundai HMB, os dois melhores pós-venda que eu já presenciei, também tive situações parecidas: esperei quase 20 dias por um limpador traseiro completo de um Fit anos atrás e ano passado a grade dianteira black piano do meu Creta Sport, demorou 5 dias para chegar. Curiosamente com o Peugeot 2008 que tive antes do Creta eu não passei por isso, precisei trocar o filete de leds do break light e tinham em estoque.
      No final das contas pesa muito mais se eles cumpriram o prazo dado e se o serviço foi bem feito, pelo menos para mim.

      • Fernando Oliveira

        Concordo. Entretanto, é inegável que peças para modelos da PSA são bem mais difíceis de encontrar fora das concessionárias e nisso a PSA está “engatinhado” ainda. Vou te dar um exemplo: Certa vez, estava em outra cidade (interior do RJ, mesma UF onde está a fábrica da PSA no Brasil) a trabalho e percebi que uma das lâmpadas dos faróis de neblina dianteiro do Aircross estava queimada. Como sou muito chato com a manutenção do meu carro, fui na “avenida das autopeças” desta referida cidade procurar pela lâmpada e simplesmente nenhuma das autopeças tinha a tal lâmpada para vender. Uma simples lâmpada… Agora, imagine quem tem um Citroen e mora nesta cidade. Vai ter que comprar 100% pela internet e esperar chegar a peça, enquanto isso seu veículo ficará parado. Se for um veículo usado para trabalho, prejuízo na certa. Por estas e outras, a PSA continuará com suas vendas insignificantes no Brasil.

  • Marcio Andriani

    Acho que vou comprar um….carro bem legal….só tem que descer a suspensão, manutenção de THP é mole…

  • loociano

    Único pecado desse carro é a altura do solo. No mais… eu tive um 308 THP por 4 anos que não apresentou nenhum dos citados “problemas crônicos”. Como o meu era 2015, creio que os problemas foram sanados pela PSA ao longo do tempo… comprei o 308 zero como opção a um DS4 seminovo, na época. Acho uma pena que a PSA tenha parado de importar o modelo, toda a linha DS é sensacional.

    • Daniel Deichmann

      Pois é, nunca entendi pq o DS4 é tão alto, principalmente se compararmos com o DS3 e DS5

    • Michel

      já eu …comprei justamente por ser +alto e tava cansado de raspar em tudo com o nfiesta.

  • DODHOP

    Belíssimo carro mas era meio deslocado dentro da linha da Citroën/DS. O DS3 tinha mais apelo esportivo e custava menos, oferecendo basicamente a mesma coisa que o DS4, inclusive com pouca diferença de espaço interno (em que pese o fato do menor ser apenas 2 portas), e quem queria mais espaço já pulava para o DS5, que por uns “trocados” a mais oferecia muito mais luxo e sofisticação.

    • Sedici

      Já falei isso aqui antes e quase fui linchado mas… continuo pensando que esse carro ficaria melhor posicionado no mercado se substituisse o C4 hatch. Realmente essa estratégia da Citroen em vende-lo como sendo da linha DS não funcionou legal.

      • Michel

        Como sendo não! Ele é da linha DS. O carro vendeu cerca de 1250 unidades no Brasil como citroen DS e 170.000 no mundo como citroen DS e DS automobiles.

        • Sedici

          O que quero dizer é que poderia ter existido, pelo menos aqui no BR, uma versão “Citroen” desse carro em substituição ao finado C4 hatch…. sem alguns opcionais de carro “premium” (massageador nos bancos por exemplo) MAS mantendo o mesmo visual da traseira que é bem mais bonita que a do ultimo C4 hatch europeu… uma vez que da coluna B pra frente são praticamente o mesmo carro. O bom é que por sofrer alta desvalorização acaba sendo uma opção bacana no mercado de usados pra quem curte a marca.

  • Michel

    Tenho Um Branco, 25 mil km, preciso até fazer um relato pra entrar no “usado da semana” baita carro, chama a atenção, manutenção normal de THP, se vc tiver tudo feito em concessionária, grande chance de ter algumas peças trocadas em garantia, eu ganhei 100% de kit corrente e tampa de válvulas mesmo com o carro já tendo 6 anos, nada a reclamar da marca nem do carro, é um carro de 2014, trocaria a massagem do banco e farol direcional… por partida sem chave e central touch com apple CarPlay. De resto é um carro mto prazeroso de guiar.

  • Marcelo Amorim

    Um DS5 ainda me enche os olhos e dá vontade de ter.

  • Mayck Colares

    Esse foi o primeiro e único carro zero km que eu tive (todos os outros eram/são usados). Lembro que ganhei um desconto de 16 mil pagando 84k em agosto de 2014. Em um modelo 13/14. Um carro muito à frente do seu tempo, com banco com massageador nos dois da frente e mil configurações, até no barulho que a seta fazia.

    • Michel

      Pagou mto bem pra época!

  • Ricardo Blume

    A linha DS é coisa de Deus!

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por 15 anos. Saiba mais.

Notícias por email