Cobalt 2016: detalhes, motor, consumo, revisão, preços, fotos

O Cobalt 2016 chegou ao mercado com atualização visual, antecipando-se à Chevrolet Spin, que mudaria dois anos depois. Ele chegou pouco depois de Chevrolet Onix e Prisma serem atualizados também.

Este sedã compacto da General Motors recebeu alterações que o deixariam em dia com o mercado. Na frente, ele adicionou nova grade e faróis remodelados, menores em relação ao conjunto anterior, bastante criticado por seu estilo.


Os para-choques também passaram por alterações, assim como as rodas de liga leve de aro 15 polegadas. Na traseira, a GM modificou a parte superior da tampa do porta-malas e também as lanternas, agora horizontalizadas e duplas.

Por dentro, o painel foi repaginado, mas mantendo as formas básicas, onde adicionou contornos mais suaves, destacando mais a multimídia MyLink com Android Auto e CarPlay.

Cobalt 2016 – detalhes

O volante permaneceu o mesmo, assim como o cluster análogo-digital, que lembrava o de uma motocicleta esportiva. Bem equipado, tinha bancos em bom tecido, assim como mesclando com couro marrom e totalmente em couro nessa cor.

Piloto automático, apoio de braço para o motorista e transmissão automática eram um conjunto agradável no Cobalt 2016, que ainda contava com ar-condicionado manual, direção hidráulica, vidros e travas elétricas nas quatro portas.

Com retrovisores elétricos, o sedã da Chevrolet tinha ainda banco traseiro bipartido, amplo espaço interno e bagageiro com 563 litros, que podia ser aberto por dentro ou pela chave-canivete com telecomando.

No portfólio, eram oferecidas as versões LT e LTZ com motor 1.4 litro aos frotistas somente, enquanto LTZ e Elite com motor 1.8 eram disponibilizadas aos clientes comuns. Elas vinham com transmissão automática de seis marchas.

Com cinco versões, duas opções de motor e duas opções de câmbio, o Chevrolet Cobalt 2016 foi um sedã muito apreciável por sua confiabilidade mecânica, robustez estrutural, conforto, espaço interno e porta-malas generoso.

O desempenho só era apreciável com motor 1.8, mesmo com câmbio automático, sendo um produto para quem precisava de mais espaço em comparação com o Prisma da época, que atuava em uma faixa abaixo.

Nessa época, a GM decidiu elevar o nível do sedã compacto “grande” para reduzir a canibalização gerada pelo irmão menor. Assim, criou a versão Elite para adicionar um algo a mais no modelo.

Cobalt 2016: detalhes, motor, consumo, revisão, preços, fotos

Da mesma forma, as versões com motor 1.4 litro deixaram de ser oferecidas ao consumidor comum, ficando assim exclusivas das frotas de locadoras, taxistas e viaturas de polícia, entre outras atividades específicas.

O modelo tem uma boa valorização no mercado de usados por conta de seus atributos e também pela marca Chevrolet. A mecânica longeva é altamente conhecida e com oferta de peças disponível em todo o país.

O Cobalt 2016 tem frente com faróis duplos, tendo piscas e lanternas integradas, além de grade dupla com barra central na cor do carro e logotipo da Chevrolet. Os contornos das duas aberturas eram cromados.

Já o para-choque tinha desenho refeito com grade inferior grande e molduras laterais pretas com faróis de neblina e frisos cromados. Nas laterais, as maçanetas e os retrovisores eram na cor do carro, enquanto as janelas tinham frisos cromados.

Na versão Elite, havia friso cromado inferior e plaqueta com nome da versão no para-lama. Nessa opção, as rodas de liga leve aro 15 polegadas tinham desenho exclusivo, mas a LTZ também tinha rodas do mesmo material.

O Cobalt 2016 tinha novas lanternas em posição horizontal com lentes grandes e cortadas pela tampa do porta-malas. A tampa recebeu atenção na mudança, ganhando extensão na parte superior e desenho diferenciado.

Já o para-choque também foi atualizado, recebendo linhas mais fluidas com o suporte de placa ao centro e sensor de estacionamento, além da câmera de ré. Na versão LT, as rodas eram de aço com calotas e aro 15 polegadas.

Os pneus eram 195/65 R15 em todas as versões, sendo que estes ainda não eram de baixa resistência à rolagem, algo que foi adotado apenas no modelo 2018, com outras modificações, especialmente de motor.

Por dentro, o Cobalt 2016 tinha um painel que havia sido revisto, ganhando linhas mais suaves e contornos arredondados, porém, preservando o formato original. O acabamento com apliques em preto brilhante num fundo preto ou marrom.

Cobalt 2016: detalhes, motor, consumo, revisão, preços, fotos

O cluster análogo-digital tem contagiros com ponteiro vermelho e display digital na cor Ice Blue, tendo ainda computador de bordo e os medidores normais do carro, incluindo o velocímetro e o indicador de marcha, no caso do automático.

O volante tinha acabamento em couro com detalhes em preto brilhante, além de piloto automático e comandos de mídia e telefonia. Na haste do limpador do para-brisa, ficava o comando do computador de bordo.

Ao centro do painel, destaque para a multimídia MyLink com tela de 7 polegadas, tendo projeção para Appple CarPlay e Google Android Auto, bem como sistema OnStar com comandos físicos também (no retrovisor interno) e câmera de ré.

O Cobalt tinha ainda Bluetooth, USB e auxiliar, estes dois no console. O modelo vinha com ar-condicionado e duas bolsas infláveis na frente. Tinha porta-luvas com espaço mediano, assim como porta-copos entre os bancos e nas portas.

Nos assentos, acabamento em tecido na LT, couro e tecido na LTZ, enquanto a Elite vinha apenas com couro. O banco do motorista tinha ajuste de altura, assim como a coluna de direção e os cintos de segurança dianteiros pré-tensionados.

Cobalt 2016: detalhes, motor, consumo, revisão, preços, fotos

Nas portas, o acabamento era em tecido ou couro, com apoios de braço dotados de comandos dos vidros elétricos one touch, enquanto os retrovisores eram ajustados na coluna A da porta do motorista, em posição ruim.

O travamento central elétrico era feito também pela chave-canivete com telecomando, que permitia abrir também o porta-malas. Por dentro, este e o bocal do tanque eram abertos também.

Atrás, o banco era bipartido com dois apoios de cabeça, além de cinto central de dois pontos, enquanto os das extremidades eram de três pontos, assim como os dianteiros.

No teto, alças de teto, luz de leitura e geral, retrovisor dia e noite com comandos do OnStar, além de para-sois com espelhos. O espaço interno tinha ainda sistema de som com quatro alto-falantes e dois tweeters.

Já o porta-malas de 563 litros podia ser ampliado com o rebatimento parcial ou total do banco traseiro, tendo estepe fino aro 16 polegadas sob o assoalho e acabamento geral em carpete, além de iluminação.

Cobalt 2016 – versões

Cobalt 2016: detalhes, motor, consumo, revisão, preços, fotos

  • Chevrolet Cobalt LT 1.4 manual –
  • Chevrolet Cobalt LTZ 1.4 manual
  • Chevrolet Cobalt LTZ 1.8 manual
  • Chevrolet Cobalt LTZ 1.8 automático
  • Chevrolet Cobalt Elite 1.8 automático

Equipamentos

Chevrolet Cobalt LT 1.4 manual – Motor 1.4 e transmissão manual de cinco marchas, mais rodas de aço aro 15 polegadas com calotas, pneus 195/65 R15, para-choques na cor do carro, retrovisores e maçanetas na cor do carro, grade cromada, faróis duplos, antena no teto, vidros verdes, vidro traseiro térmico, para-brisa degradê, direção hidráulica, ar-condicionado, coluna de direção ajustável em altura, banco do motorista ajustável em altura, bancos em tecido, cluster análogo-digital, preparação para som com quatro alto-falantes e dois tweeters, fonte 12V, vidros elétricos nas quarto portas, retrovisores com controle elétrico, travamento central elétrico, chave-canivete com telecomando, alarme, banco traseiro bipartido, cintos de segurança de 3 pontos nas laterais, cinto traseiro central subabdominal, cintos dianteiros com pré-tensionamento e ajuste em altura, airbag duplo, freios com ABS e EDB, maçanetas cromadas, espelhos nos para-sois, retrovisor interno dia e noite, luz de leitura, alças no teto, porta-copos, porta-objetos, controle remoto para abertura do porta-malas, abertura interna do bagageiro e bocal do tanque, entre outros.

Chevrolet Cobalt LTZ 1.4 manual – Itens acima, mais multimídia MyLink com tela de 7 polegadas, projeção para Google Android Auto, Apple CarPlay, faróis de neblina, rodas de liga leve diamantadas, frisos cromados, volante multifuncional em couro, piloto automático, OnStar, câmera de ré, bancos revestidos em couro e tecido, portas forradas em couro, sensor de estacionamento e computador de bordo.

Chevrolet Cobalt LTZ 1.8 manual – Itens acima, mais motor 1.8 litro e transmissão manual de cinco marchas.

Chevrolet Cobalt LTZ 1.8 automático – Itens acima, mais transmissão automática de seis marchas com mudanças manuais por botão na alavanca.

Chevrolet Cobalt Elite 1.8 automático – Itens acima, mais bancos em couro marrom, sensor de chuva, sensor crepuscular e rodas de liga leve exclusivas.

Preços

  • Chevrolet Cobalt LT 1.4 manual – R$ 52.690
  • Chevrolet Cobalt LTZ 1.4 manual – R$ 57.590
  • Chevrolet Cobalt LTZ 1.8 manual – R$ 59.990
  • Chevrolet Cobalt LTZ 1.8 automático – R$ 65.990
  • Chevrolet Cobalt Elite 1.8 automático – R$ 67.990

Cobalt 2016 – motor

Cobalt 2016: detalhes, motor, consumo, revisão, preços, fotos

O Cobalt 2016 foi equipado com propulsor da Família I da General Motors, que possuem uma arquitetura semelhante à da Família II, que veio ao Brasil com o Chevrolet Monza em 1983. Os dois motores foram desenvolvidos pela Opel.

Ambos possuem blocos de ferro fundido e cabeçote em alumínio com tuchos hidráulicos, contendo duas válvulas por cilindro, acionadas por comando único com engrenagem acionada por correia dentada.

No caso da Família I, a diferença é o tamanho, sendo de 1.0 litro até 1.8 litro, enquanto a Família II e seus derivados (ainda presentes em carros como o Chevrolet Equinox, por exemplo), tiveram de 1.6 litro até 2.5 litros.

A bordo do Cobalt, o motor Econo.Flex revisado passou a ser chamado SPE/4 com 1.4 litro, tendo 1.389 cm3 de volume e com taxa de compressão 12,4:1. Com coletor de admissão em plástico, ECM avançada e comando roletado, ele é forte.

Além disso, entregava 97 cavalos na gasolina e 102 cavalos no etanol, ambos a 6.200 rpm. Os torques eram de 12,5 kgfm no primeiro e 13,2 kgfm no segundo, ambos a 3.200 rpm. O câmbio manual tinha cinco marchas.

Já o Cobalt 2016 nas versões LTZ e Elite também tinha o motor SPE/4 1.8, sendo esse o antigo FlexPower, uma derivação criada no Brasil a partir do 1.8 do Família II, mas apenas em volume e tamanho dos pistões, além de seus cursos.

Mesmo assim, ele é menor que o II, sendo então possível montá-lo em carros compactos, como o Corsa, por exemplo. Com 1.796 cm3, o propulsor tinha taxa de compressão de 10,5:1 e as mesmas características técnicas do 1.4 litro.

Contudo, seus números naturalmente diferiam, sendo este com 106 cavalos na gasolina e 108 cavalos no etanol, ambos a 5.400 rpm. Os torques eram obtidos em 3.200 rpm, sendo 16,4 kgfm no primeiro e 17,1 kgfm no segundo.

Além da transmissão manual, o sedã 1.8 tinha ainda transmissão automática GF6-2 com conversor de torque e seis velocidades, bem como mudanças manuais por botão na alavanca de câmbio.

Essa era a mesma caixa que equipava os modelos Onix, Prisma, Spin, Cruze, Cruze Sport6 e Tracker. Com ela, o Cobalt 2016 tinha um bom foco no conforto e prazer ao dirigir.

Desempenho

Cobalt 2016: detalhes, motor, consumo, revisão, preços, fotos

O desempenho do Cobalt 2016 pode ser considerado bom para sua proposta, sendo que os propulsores 1.4 e 1.8, ambos da Família I, eram bem dimensionados para o tamanho e peso do carro.

Apesar da diferença de torque entre os motores, a potência era bem próxima com etanol, o que fazia com que o 1.4 andasse mais ou menos como o 1.8, sendo assim o primeiro indo de 0 a 100 km/h em 10,6 segundos.

Já o 1.8 precisava de 10 segundos para fazer o mesmo e, numa comparação com o 1.4, ambos tinham transmissão manual de cinco marchas. Já o 1.8 automático fazia o mesmo em 10,9 segundos, mesmo com seis marchas.

  • Chevrolet Cobalt 1.4 manual – 10,6 segundos e 170 km/h
  • Chevrolet Cobalt 1.8 manual – 10,0 segundos e 170 km/h
  • Chevrolet Cobalt 1.8 automático – 10,9 segundos e 170 km/h

Consumo

Cobalt 2016: detalhes, motor, consumo, revisão, preços, fotos

No consumo, o Cobalt 2016 ainda não tinha uma boa média, visto que os motores não tinham sido atualizados, o que só aconteceu em 2018. Assim, a média na cidade era de 7 km/l no etanol e 9 km/l na gasolina.

Na rodovia, fazia quase 10 km/l no etanol e quase 13 km/l na gasolina. Ele ficaria mais eficiente na atualização de 2018.

  • Chevrolet Cobalt 1.4 manual – 7,2/9,9 km/l e 9,4/12,9 km/l
  • Chevrolet Cobalt 1.8 manual – 7,1/9,7 km/l e 9,2/12,6 km/l
  • Chevrolet Cobalt 1.8 automático – 6,9/9,5 km/l e 8,9/12,3 km/l

Cobalt 2016 – manutenção e revisão

A rede Chevrolet atende o plano de revisão para o Cobalt 2016, que consiste em paradas a cada 10.000 km ou 12 meses, o que vier primeiro. Até 60.000 km, o sedã da Chevrolet tem custo total de R$ 4.356 para o 1.4 e R$ 4.432 para o 1.8 litro.

Nas revisões do Cobalt 2016, a mais cara é a de 60.000 km, que custa mais de R$ 1,2 mil, um preço bem alto para um carro de sua proposta. Além disso, cada parada tem serviços adicionais, como troca de peças de desgaste natural.

Estes incluem pastilhas de freio, discos de freio, lonas de freio, coxins de motor e câmbio, pivôs de direção, bieletas, rolamentos, buchas de balança, amortecedores, batentes das torres e molas helicoidais, entre outros.

Também são feitos serviços de alinhamento, balanceamento, cambagem, rodízio de pneus, troca de pneus, instalação de acessórios, recall, higienização, limpeza de ar-condicionado, entre outros.

As revisões incluem troca de óleo, filtro de óleo, líquido de refrigeração, fluido de freio, velas, correia em V, correia dentada, filtro de ar do motor, filtro de ar da cabine, filtro de combustível e complemento do câmbio automático.

Revisão10.000 km20.000 km30.000 km40.000 km50.000 km60.000 kmTotal
1.4R$ 320,00R$ 668,00R$ 876,00R$ 644,00R$ 572,00R$ 1.276,00R$ 4.356,00
1.8R$ 328,00R$ 676,00R$ 896,00R$ 652,00R$ 584,00R$ 1.296,00R$ 4.432,00

Cobalt 2016 – ficha técnica

O Cobalt 2016 foi construído sobre a plataforma Gamma II modificada, sendo esta simplificada em um projeto que compartilhou sua base diretamente com a minivan Spin. Onix e Prisma são derivados, mas em menor tamanho.

Fabricado em São Caetano do Sul, o sedã tinha 4,481 m de comprimento, 1,735 m de largura, 1,523 m de altura e 2,620 m de entre-eixos, sendo este o mesmo do monovolume, feito igualmente no ABC paulista.

Seu projeto foi reproduzido no Uzbequistão e na Colômbia, tendo nestes mercados outros motores, como um 1.5 a gasolina de 105 cavalos e 13,6 kgfm, com números intermediários entre os nacionais 1.4 e 1.8 litro.

O Cobalt chegou a ser cogitado para produção na China e Indonésia, assim como na Índia, mas a GM desistiu do intento, que teria ainda a Spin como companheira, o que acabou com a mesma sendo feita na Indonésia e Filipinas.

Adotando o mesmo nome do cupê Cobalt americano, o sedã compacto da Chevrolet chegou a ser vendido na Rússia e até sob outra marca, a Ravon, onde adotou a denominação R4 por algum tempo.

Aqui, ele nasceu em 2011 e chamou atenção por seu porte grande para um compacto, medindo 4,47 m antes do facelift, mas surpreendendo pelo tamanho do bagageiro, que tinha 563 litros.

Usando componentes comuns com os demais, tinha um custo de produção e desenvolvimento diluído com o quarteto. Criticado por seu design, o Cobalt superou a rejeição visual e mostrou seus atributos.

Assim, ele conseguiu conviver com o Prisma, mas não se sustentou diante do Onix Plus, que tinha o mesmo porte, porém, com mecânica muito mais evoluída e nível de segurança muito superior, além de atuar na mesma faixa de preço.

Diante disso, o Cobalt saiu de cena em 2020, deixando a Spin ocupando a mesma linha de montagem, mas esta se sustenta em vendas e ainda terá algum tempo até o sucessor chegar.

Motor1.41.8
Tipo
Número de cilindros4 em linha4 em linha
Cilindrada em cm313891796
Válvulas88
Taxa de compressão12,4:110,5:1
Injeção eletrônicaIndiretaIndireta
Potência máxima97/102 cv a 6.200 rpm (gasolina/etanol)106/108 cv a 5.400 rpm (gasolina/etanol)
Torque máximo12,5/13,2 kgfm a 3.200 rpm (gasolina/etanol)16,4/17,1 kgfm a 3.200 rpm (gasolina/etanol)
Transmissão
TipoManual de 5 marchasManual de 5 marchas ou automática de 6 marchas
Tração
TipoDianteiraDianteira
Direção
TipoHidráulicaHidráulica
Freios
TipoDiscos dianteiros e tambores traseirosDiscos dianteiros e tambores traseiros
Suspensão
DianteiraMcPhersonMcPherson
TraseiraEixo de torçãoEixo de torção
Rodas e Pneus
RodasAço ou liga leve aro 15 polegadasLiga leve aro 15 polegadas
Pneus195/65 R15195/65 R15
Dimensões
Comprimento (mm)4.4814.481
Largura (mm)1.7351.735
Altura (mm)1.5231.523
Entre eixos (mm)2.6202.620
Capacidades
Porta-malas (L)563563
Tanque de combustível (L)5454
Carga (Kg)NDND
Peso em ordem de marcha (Kg) 1.090 1.110 (MT) 1.135 (AT)
Coeficiente aerodinâmico (cx)0,330,33

Cobalt 2016 – fotos

https://www.youtube.com/watch?v=GCMrMnhoyS4

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 25 anos. Há 14 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações.