*Featured Híbridos Hatches Preços Toyota

Com atualização visual, Toyota Prius 2019 parte de R$ 128.530

Com atualização visual, Toyota Prius 2019 parte de R$ 128.530

O Toyota Prius 2019 chega em agosto e surpreende ao manter-se por aqui com a proximidade do lançamento do Novo Corolla Hybrid, que terá o mesmo conjunto motriz híbrido, mas abastecido com etanol. O liftback tem preço sugerido de R$ 128.530.


Apesar de ainda ser abastecido apenas com gasolina e ter design que não agrada a maioria, o Toyota Prius 2019 quer manter seu apelo para quem deseja um carro moderno e muito eficiente. Para isso, ficou menos exótico, adotando novos faróis de LED com base da lente retilínea.

Com atualização visual, Toyota Prius 2019 parte de R$ 128.530

Além disso, o para-choque ganhou novas entradas de ar laterais, assim como grade inferior remodelada. Agora, o Toyota Prius 2019 não tem mais rodas de liga leve com calotas metálicas como antes. O conjunto é totalmente novo e tradicional.


Na traseira, mais mudanças com as lanternas remodeladas, que não descem mais até embaixo, adotando um conjunto mais compacto e estendido sobre a tampa do bagageiro, que tem novos vincos na altura da placa. O para-choque adota refletores.

Com atualização visual, Toyota Prius 2019 parte de R$ 128.530

Por dentro, o Toyota Prius 2019 passa a ter painel completamente preto. O banco do motorista tem oito ajustes elétricos. Outra mudança é no cluster digital, agora com alerta de pressão dos pneus.

A multimídia Toyota Play foi atualizada e oferece DVD/CD, TV digital, câmera de ré e espelhamento de smartphones Android e iOS. Porém, continua sem Google Android Auto e Apple Car Play.

Com atualização visual, Toyota Prius 2019 parte de R$ 128.530

Uma alteração importante no Toyota Prius 2019 foi o aumento do tamanho do bagageiro, que ganhou 30 litros e agora tem 442 litros disponíveis. Fora isso, o liftback híbrido mantém sua eficiência energética em dia.

O japonês tem motor de ciclo Atkinson 1.8 Dual VVT-i com 98 cavalos e um motor elétrico de 72 cavalos, totalizando de forma combinada 122 cavalos. O câmbio CVT com gerenciamento eletrônico faz parte do pacote, que ainda tem quatro modos de condução: Eco, Normal, Sport e EV. Isso sem contar o Boost, para uma carga extra de força.

Toyota Prius 2019 – Galeria de fotos

 

 

Com atualização visual, Toyota Prius 2019 parte de R$ 128.530
Nota média 4.8 de 4 votos

Ricardo de Oliveira

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 23 anos. Há 12 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.

  • matheus

    Japonês gosta de uns desenhos esquisitos… dá uma boa dupla com o novo Eclipse.

    • Eclipse Cross é uma obra de arte perto disso.

  • Ítalo Figueirôa

    A sina desse carro é ser feio kkkkk

    • th!nk.t4nk

      Quando o Prius nasceu, pediu pra ser feio e entrou 2x na fila.

      • LSM300C

        Na atual linha da Toyota só

        salva o Corolla, o resto é tudo feio, até a Hilux nova eles estragaram.

        • O_Sabichão

          Quem disser que a SW4 atual é um carro feio, tem um puta mau gosto.

          • LSM300C

            Gosto não se discute, beleza é algo muito subjetivo, mais aqui em casa tinhamos uma SW4 da geração anterior que foi trocada por um F-Pace com uma diferença de pedida de apenas 20K, justamente porque não gostamos do modelo atual e foi unânime entre a família e amigos que pela pequena diferença de preço fizemos um grande negócio.

          • G. de F.

            Tá bom então. Pode ser “diferente”, “tosco”?

        • FocusdaBahia

          O Camry novo é bonito tb eu acho.

  • Jeanphil

    O Corolla híbrido vai matar esse carro…

    • Vai muito do preço. Não estou animado com o que a Toyota vai pedir pelo Corolla híbrido. Estimo coisa na faixa do que a Honda cravou para o H-RV turbo.
      No fim das contas, nem um dos dois modelos será, ao menos no médio prazo, um sucesso de vendas. Corolla vai continuar vendendo bem a versão XE-I. Convenhamos que nem a Altis possui vendas expressivas dentro da linha Corolla.
      Já o Prius, esse nunca vendeu nada muito significativo, mesmo.
      Bem, ao menos o Corolla promete trazer a tecnologia em uma “casca” mais vistosa. O Prius é uma estrepolia estética de rara infelicidade (minha opinião) que visou dar ares de modernidade ao modelo para ressaltar a propensa tecnologia inovadora que traz.

      • O_Sabichão

        Nos EUA, o Prius é mais caro que o Corolla híbrido semelhante.
        E o Corolla aqui vai desfrutar da tributação menor por ser flex.

        • Vamos aguardar, Torço muito para que o novo modelo venha competitivo em termos de preço. Só não acredito muito nisso. Até pelo visual (bem mais unanime que o do Prius) e pela tradição do modelo Corolla em nosso mercado, a tendência é que a marca pese mais a mão em sua precificação.
          Aliás, ao menos em um primeiro momento, enxergo esse Corolla Híbrido muito mais como uma versão de marketing do que uma aposta da marca em vendas propriamente ditas dela mesma. É mais ou menos como a Honda com os Touring (Civic e H-RV) ou o Polo/Virtus com a versão GTS: serve de chamariz para alavancar a atratividade do resto da linha, mas sempre com expectativa de vendas bem reduzida da versão em si.
          Mas… a esperança é a última que morre. Acompanhemos o lançamento da nova geração do best seller japonês.

  • Rodolfo Deo

    Ideal pra quem roda muito, e só.

    • Libertario

      A economia é uma das vantagens desse carro, mas está longe de ser a única.

      Silencioso, confortável, espaçoso,n máxima de segurança no exterior, fabricado no Japão, sistema de som Premium (JBL), preventivas e seguro baratos, baixíssima incidência de manutenção (mais confiável que o Corolla), baixa desvalorização.

      • É caro, e está longe de ter desvalorização baixa. A 4Rodas está testando o modelo na seção de 60 mil km e acabou de fazer a avaliação final de desvalorização: foi bem alta, chegando a 50% em pouco mais de um ano nas piores avaliações. Nas melhores a conta ficou na casa dos 30%, o que é muito alto independentemente da análise que se faça, em especial se considerarmos que o carro do teste tem cerca de um ano e meio de utilização, a despeito de contar com a quilometragem elevada para a idade. Não tem segredo: modelo com vendas baixas no mercado de 0 km tem procura baixa também entre os usados, o que resulta quase invariavelmente em desvalorização acima da média.
        O restante das boas características descritas são reais, mas convenhamos que na faixa de preço em que o Prius é vendido, temos muitas opções com as mesmas características (e até mais equipados) embaladas em um design bem menos controverso.
        No final das contas, é um veículo ainda de nicho e com público bastante limitado. Para um futuro a médio prazo os híbridos devem se tornar mais atrativos.

        • Libertario

          Se levar em conta que o Prius da quatro rodas foi batido na traseira e na frente, conseguiu foi uma oferta muito boa.

          • Vou ter que discordar. O acidente com o veículo do teste causou danos superficiais, restritos a peças periféricas (mais para-choque). Qualquer um com uma pequena vivência no mercado de automóveis sabe que os reparos realizados não tiveram impacto significativo na avaliação, o que pode inclusive ser avaliado pelo próprio texto expresso na revista. Agora, a quilometragem elevada, em especial para a particularidade de o carro ser híbrido, essa sim, tem influência significativa na avaliação, como o próprio texto informa (repliquei essa informação na minha postagem).
            No fim das contas, veículos com baixo volume de vendas quando novos tendem a ter depreciação acentuada com relaçao à tabela FIPE na hora de revender. O Prius pode até ter este aspecto um pouco amenizado por conta da confiabilidade da marca, mas não há milagres.
            Um Prius pouco rodado e com quilometragem mais compatível com sua idade iria obter uma avaliação com desvalorização na casa dos 20% para o primeiro ano, o que é bem alto. Na própria tabela FIPE o carro apresenta uma desvalorização na faixa de 15% para um ano de uso.

            • Libertario

              Não foram somente danos superficiais, principalmente na parte traseira. Qualquer um que conheça carro consegue reconhecer um carro batido de um não batido.
              Com relação a desvalorização, a do Prius é de 11,3%. Acredito que pelo fato da garantia das baterias ser bem elevada.

              • tabela FIPE dele pra 2018 é na faixa de 110 mil. Se comparar com o preço do zero km, praticamente 15%, nível de carros como C4 Lounge. É alto.
                Mas o pior mesmo é procurar vendê-lo tendo a tabela FIPE como referência: as ofertas ficam entre 70% e 80% desse valor, pelo simples fato de que não há procura significativa por ele no mercado de usados.
                Não estou desvalorizando o produto, amigo. Até concordo que tem seus atrativos por ser, de certa forma, um modelo a frente de seu tampo. Mas a procura por Prius usado, seja por preconceito (a esmagadora maioria dos consumidores de modelos usados morre de medo da questão da durabilidade das baterias e de ter que lidar com tecnologias totalmente desconhecidas de oficinas fora da rede autorizada), seja por não se afeiçoar ao desenho do modelo, é muito baixa. Aí é lei da oferta e da procura é incontornável, não tem jeito. Se precisar vendê-lo com rapidez, aí os valores conseguidos em “jacarés” são ainda mais reduzidos.

                • Libertario

                  Me parece uma questão de opinião (e respeito a sua), pois só o tempo dirá.
                  Não vejo muitos anuncios de Prius seminovos, e ainda acho que o nicho de mercado hibridos usados tende a crescer, tendo em vista que o Brasil é o país com maior numero de motoristas de Uber do mundo, sendo esse um carro diferenciado para este tipo de utilização.
                  Com relação a desvalorização da FIPE, até semana passada o valor deste carro era de pouco mais de 125 mil. Portanto a desvalorização na pratica seria algo em torno de 12%.
                  Mas não sei como fica a FIPE com a chegada do modelo novo, agora com reajuste de preços.

                  • Concordo plenamente que a tendência é a de que a aceitação de carros híbridos no mercado de usados vá melhorando com o tempo. É o caminho natural. Só que hoje ainda é complicado, pelos motivos que já listei acima.
                    Com o tempo, a tendência é de que o preconceito a respeito da nova tecnologia vá arrefecendo.

          • More of the punisher

            Foi batido, mal consertado, e já ter 60000 km em curto tempo.

            • FocusdaBahia

              Com certeza um carro com 1 ano de uso e 60 mil km sempre vai perder muito valor

        • Libertario

          Quanto a questão da faixa de preços ter outras opções, eu concordo. Muitas inclusive.
          Mas se colocar na balança as questões que enumerei acima, não vejo concorrentes.

          • O diferencial do carro está na tecnologia híbrida, sem dúvidas. É o único modelo “viável” com a tecnologia atualmente.
            Em termos de conforto, equipamentos e segurança há concorrentes à altura em faixas até menores de preço, foi o que eu quis dizer.

            • Libertario

              Mas ainda faltam as outras questões que considero sem concorrentes à altura:

              Silencioso, preventivas e seguro baratos, baixíssima incidência de manutenção (mais confiável que o Corolla), baixa desvalorização.

              • Edson Fernandes

                Mas dá para enumerar em rivais diretos pontos citados por ti:
                – Silencioso: Se vc encontrar um Jetta, Cruze, Corolla, Civic, cerato que são barulhentos me conte, pq tbm são silenciosos.
                – Preventivas e seguros baratos: É regional. Mas por normalidade do mercado, o Focus por exemplo tende a ser barato de seguro. De preventiva: Lounge (plano 365), Cruze, Corolla, Civic….
                – Manutenção: Nenhum dos citados ao menos novos, tem alta manutenção. E a cesta de serviços é maior no Jetta. Mas num geral e média de preço que inclui o Prius, é por volta de R$3000 até 60000 (sendo mais altos o C4 Lounge, 3400 e Jetta 4100).
                – Baixa desvalorização: O Ubaldir acabou de te dizer que ele tem alta desvalorização real e pessima reputação para liquidez de venda. (ao menos se quiser chegar mais proximo da tabela FIPE).

                • Libertario

                  Concordo.
                  Mas veja: Eu não disse que o Prius é o melhor ou o único com essas características (embora o silencioso do híbrido seja bem diferente do silencioso a combustão).
                  Apenas destaquei essas virtudes, para justificar que ele não é um carro “somente para quem roda muito”, como era o comentário inicial.
                  Se a pessoa quer somente economia, lógico que um carro popular seria a escolha mais racional.
                  Porém, se além dos atributos e confortos de carros na faixa dos 120 mil a pessoa também quer economia, ele passa a ser uma excelente opção de entrar na negociação/disputa.

                  • Edson Fernandes

                    Eu concordo contigo. Quero ver como a Toyota vai vencer o preconceito do brasileiro comum com a historia dos 122cv (que eu nem ligaria e cogitaria o Prius tbm).

                    Mas eu concordo com suas atuais colocações porque é mto valido.

          • Questão de opinião. Pela comparação do número de vendas do Prius e de outros carros compatíveis em utilização e preço no mercado (sedãs médios, principalmente), acredito que a grande maioria dos consumidores ainda discordem de você. Mas acho que muito mais pelo design absolutamente controverso do Prius que por razões mais racionais.
            Se o Corolla híbrido viesse competitivo em preços (ao menos na faixa do Prius), por certo que teria uma aceitação muito melhor por conta do seu design mais usual, digamos assim.

        • Ernesto

          Mas a desvalorização está sendo considerada para venda para lojista/concessionária.
          Bom. Li os comentários seguintes. Na faixa de 15% está dentro do esperado para um importado, não?

          • Sim, mas é alta quando deixada a relatividade (para um importado)de lado, não? 15% na tabela FIPE está na média de C4 Lounge ou Kia Ceratto, carros consagradamente agraciados com a pecha de alta desvalorização.
            Na ponta do lápis, uma desvalorização de 15% na tabela FIPE para o primeiro ano vai significar um preço na venda direta desvalorizado na casa dos 20%, fácil.
            E quanto a ser para lojista/concessionária, a opção é esperar aparecer um comprador PF para o modelo, o que me parece algo bem complexo. Acaba que o parâmetro é esse mesmo. Me parece bem mais provável que o dono de um Prius vá entregá-lo em uma concessionária na troca por um novo do que anunciá-lo no OLX e esperar aparecer um interessado.

            • Ernesto

              Ubaldir, como assim deixando de lado a relatividade de ser importado? Ser importado influencia bastante o preço de um carro no mercado de usados, ainda mais para um híbrido, modelo com mercado mais específico do que um Jetta importado do México ou um 3008 importado da França.
              Por curiosidade, fui dar uma olhada na tabela FIPE de um Ford Fusion Titanium Hybrid aqui em São Paulo (Webmotors, pode conferir). Um modelo 2018 vale R$137.971,00 enquanto um 2019, 0Km está de tabela R$182.990,00. Sabe qual a desvalorização desse carro em 1 ano? Quase 25%! São exatamente 24,6% de desvalorização.

              • O que eu quis dizer com a questão da “relatividade” foi: um carro importado e híbrido tem desvalorização alta. Agora, se você trazer ele para este universo limitado, o dos importados que desvalorizam acima da média de modelos convencionais, aí ele vai ter uma desvalorização, relativamente a esta amostra bem limitada, na média.
                É que a discussão começou se referindo ao Prius como um modelo de baixa desvalorização, ponto. Isso não é verdade. O Prius é um carro de vendas pouco expressivas entre os zero km e de baixa procura no mercado de usados, seja por desinformação, seja por preconceito com relação à tecnologia com razoável grau de inovação, e isso invariavelmente traz a desvalorização para patamares maiores.
                Agora, se a comparação for somente com veículos importados ou outros híbridos, aí pode-se dizer que ele não foge à regra deste universo mais limitado. Mas, objetivamente falando, é um carro que tem percentual de desvalorização bem acima da média do mercado de automóveis como um todo, e que exige paciência na revenda, caso se opte por vendê-lo diretamente a particulares na busca de uma menor depreciação.
                Portanto, a afirmação certa é: O Prius desvaloriza até abaixo da média se comparado ao outros veículos importados, híbridos e de baixo volume de vendas.

                • Ernesto

                  Ubaldir, será que há pouca procura mesmo? O FocusdaBahia comentou que as pessoas compram e se arrependem, que toda loja onde ele mora tem um desses à venda (será mesmo?). Um grande exagero por parte dele que você curtiu o comentário. Aqui em São Paulo, Capital, maior mercado de veículos, fiz uma busca pela Webmotors de Prius 2017 a 2018, sem filtragem de KM, único dono, etc, ou seja, pegando todos os carros anunciados. Sabe quantos tem à venda? 39 carros, incluindo particulares, lojistas e concessionárias. Se considerar o Estado todo, são 49 carros. Pode até ser que haja pouca procura (tenho lá minhas dúvidas pelo pequeno número de anúncios), mas pouquíssimas pessoas compram e vendem rápido como o FocusdaBahia escreveu.
                  Sobre a desvalorização, verifiquei a tabela FIPE do Cruze LT 1.4T 2018. Segundo a FIPE ele vale 79.990,00. O modelo 2019, 0Km, está por 99.290,00. Há uma desvalorização de 20% num carro sem os “inconvenientes” de ser importado (é importado, mas importado da Argentina, o que praticamente não faz diferença para os mais leigos) e ser híbrido.
                  Agora, se você considerar a desvalorização de um Prius frente a um Onix ou Ka, por exemplo, aí não haverá como falar que ele desvaloriza pouco, mas estará fazendo uma comparação injusta, né?

                  • Ok, faça a comparação com um Corolla ou um Civic, então. Já não seria injusta, certo? São veículos de mesma utilização e padrão de requinte, além de compatíveis em comodidades a bordo.
                    É só chegar junto a qualquer “jacaré” da praça e perguntar sobre o carro, Ernesto. Serão unânimes em te dizer que é um carro de mercado complicado, sendo até comum encontrar comerciantes que sequer fazem oferta por ele.
                    Quanto à baixa oferta no mercado de usados, ela é natural, uma vez que é um carro de baixo volume de vendas na ponta dos zero km, e também é um modelo que o proprietário costuma ficar mais tempo, até para diluir a desvalorização inicial e também para “pagar” o investimento extra na tecnologia em detrimento de alguns equipamentos a mais que você teria pelo mesmo preço (até menos) em um veículo padrão.
                    Para a questão da pouca oferta, tem um exemplo fácil: é só procurar quantos Citroen C4 Picasso do modelo novo, ou Toyota Camry, ou Honda Accord, ou mesmo um Fusion Hybrid tem a venda nos anúncios. Vão ser bem poucos, também. Nem por isso serão menos “desvalorizados”. É questão de pouca presença deles na praça, mesmo e não de valorização entre os usados.

                    • Ernesto

                      Desculpe-me Ubaldir, mas a comparação que você quer fazer, com carros com volume muito menor que os dele, não tem nada a ver. E por que você curtiu o comentário do “FocusBahia”? Ele disse que os donos se arrependem e vendem o carro, o contrário que você está me dizendo, que os donos ficam mais tempo para diluir o investimento. No mínimo contraditório, não?
                      E eu não fiz isso de chegar em qualquer “jacaré” para perguntar sobre o carro, você já fez? Creio que não.
                      Nossos pontos de vista são diferentes quanto a este carro; eu levo em consideração dele ser importado, híbrido, enquanto você acha que deve ser comparado com qualquer um do mercado (comparar com Corolla e Civic? Por que não com o Cruze que normalmente está vendendo tanto quanto o Civic?).

                    • Eu curtir o comentário do cidadão não quer dizer que eu tenha escrito a ou concordado com a mensagem dele, Ernesto. Menos.
                      E não tem polêmica em termos de ponto de vista, eu só disse que o carro desvaloriza acima da média do mercado por ter baixa procura, em especial pelo baixo conhecimento do público em geral com relação aos carros com tecnologia que envolve eletricidade como combustível, ponto. Agora, se a questão é dizer “ele desvaloriza menos ou o mesmo tanto da parcela tal do mercado”, aí são outros quinhentos, e não vou entrar nesse tipo de discussão, que no final das contas é vazia e não vai encher o bolso de quem vai revender o carro.
                      Quanto ao “Jacaré”, tenho um primo (na verdade, marido de minha prima), dois tios e um amigo que trabalham exatamente com compra e venda de veículos usados (um inclusive tem loja no Rio de Janeiro). Pra mim é bem fácil essa consulta (dois deles me disseram ser impossível pegarem um Prius para revenda). Inclusive eles me repreendem muito por ter carros da PSA… kkkk.
                      Eu por exemplo, tenho me dado muito bem com os carros da PSA (5 anos de convivência), conseguindo até negócios razoáveis na hora da troca por outro novo, mas não vou ser cavalga dura de querer provar que uma das boas características deles está na baixa desvalorização u na facilidade de revenda para particulares. Eu estaria só sendo teimoso.
                      Portanto, não estou em nenhum momento denegrindo a imagem de um produto, que me parece muito bom. Mas a facilidade de revenda e uma hipotética baixa desvalorização não são atributos para o Prius. Não hoje, ao menos. Torço mesmo para que venham a ser em breve.

                    • Ernesto

                      Ubaldir, eu pelo menos só “curto” um comentário se eu gosto ou concordo com ele.
                      Sobre a pouca procura que você diz haver, talvez por eu morar em São Paulo eu tenha uma percepção diferente.
                      E como disse anteriormente, nossos pontos de vista são mesmo diferentes ao fazer comparações do carro ter ou não desvalorização na média ou acima. Mas claro que podemos divergir que não há problemas. Leio sempre os seus comentários e normalmente gosto deles, mas quando tenho um ponto de vista diferença, eu escrevo.

                    • O mesmo eu digo dos seus comentários, companheiro, sempre muito interessantes. Até por isso deixo de responder quando você faz uma proposição de diálogo.
                      A discordância faz parte. Bola pra frente. Abraço.

            • Libertario

              Voltei aqui somente para citar a materia da QR dessa semana, que o Prius ganhou como a melhor compra (Sedan) até 180 mil, e um dos principais pontos que justificam essa escolha é justamente a MENOR desvalorização dessa faixa de valores = 12%.

              • A mesma reportagem da 4Rodas fala em uma depreciação de menos de 4% para o Tiggo 5X. Bom, acredite quem quiser.
                Acabou de sair outra reportagem de outra publicação dizendo que Ka e Onix são alguns dos hatches que mais desvalorizam no mercado, e que o Yaris é o que menos desvaloriza. Olha, cada um acredita no que quiser, mas há que se ter um pouco de discernimento para interpretar as informações que nos são repassadas.
                Quanto à desvalorização por faixa de valores, aí ok. Carros de 100 a 180 mil naturalmente desvalorizam muito, pois vendem volumes pequenos nas concessionárias e na revenda acabam tendo por concorrência veículos 0km muito bem equipados que dificultam a procura de interessados por eles.
                Mesmo assim, considerando os 12% (bem difícil de acreditar que um proprietário com um Prius com um ano de uso vá conseguir vendê-lo por R$110.000,00 sem uma dose cavalar de paciência, mas vá lá), é sim um valor elevado. Um C4 Lounge (reconhecido por sua depreciação acima do mercado) tem desvalorização na casa dos 14%, para se ter parâmetro de comparação.
                Portanto, acho que no fundo falamos “a mesma língua”. Eu disse que o Prius tende a desvalorizar mais que a média do mercado. Você diz que em relação à faixa de preço dele, a desvalorização é relativamente baixa. Ok, duas informações corretas que, apesar de parecerem conflitantes, são apenas complementares.
                É a mesma coisa que dizer que um BMW ou um Mercedes desvaloriza pouco para a sua faixa de preços. Ok, verdade, mas não significa que desvalorizem pouco em termos absolutos, se é que me fiz entender.
                Abraço, companheiro.

        • FocusdaBahia

          Aqui em minha cidade em toda loja tem um desse a venda. As pessoas compram e se arrependem.

          • Ernesto

            Fico imaginando então os que compraram Focus com câmbio powershift. Rsrsrs

            • FocusdaBahia

              O post é sobre o Prius…

              • Ernesto

                Kkkkk! Não aguenta a realidade? KKKK!

                • FocusdaBahia

                  Que realidade amigo?

                  • Ernesto

                    Quanta inocência…a realidade é que quem compra Focus Powershit é que se arrepende. KKKKKKKK!!!

                    • FocusdaBahia

                      Ah é sim. Volte la pra seu vídeo game.

                    • Ernesto

                      Quando a pessoa não tem argumentos (afinal, o que escrevi é uma realidade), a pessoa faz como você. Chora mais!

    • FocusdaBahia

      Na cidade né… pq na Estrada ele não é lá essas coisas…

  • Mr Tony

    Melhorou bastante, não consigo entender a ausência do Android Auto e Apple Car Play em um carro com tanta tecnologia. E quem diria, Toyota com 5 sedãs: Etios, Yaris, Prius, Corolla e Camry.

    • Libertario

      O Prius é um hatchback.

      • Fernando Bueno

        Liftback…..um meio termo entre Hatch e sedan

        • Libertario

          Exato. É um hatchback com um porta-malas maior e de abertura diferente.

        • Eskarmory .

          Qual a diferença entre liftback e notchback?

    • Guilherme Batista

      O carro não tem isso mas ainda tem leitor de cd/dvd.
      Sabemos bem quem é o público alvo dele

      • Libertario

        O Tiggo 5x tem Android auto.

        Só não pode usar em movimento kkkk

        • Kaian Reis

          serio isso?

          • Libertario

            Tá cheio de reclamação sobre isso no reclame aqui

      • th!nk.t4nk

        Leitor de CD/DVD tem como opcional em qualquer carro decente. Eles capam isso nos carros brasileiros por uma mera questão de redução de custos.

        • Olha, vou discordar. CD’s e DVD’s são mídias que ficara, completamente obsoletas. Não acho que seja lógica a manutenção destes leitores nos modelos mais modernos. E olha que eu tenho quase 50 anos e tinha um monte de cd’s em minha coleção.
          É simplesmente anacrônico carregar os “disquinhos” para ouvir em um carro em um mundo onde você tem serviços de streaming extremamente funcionais e em conta (de graça caso se submeta a ouvir algumas propagandas).
          A bem da verdade, mesmo os computadores pessoais mais novos estão abolindo as entradas para este tipo de mídia.

          • Edson Fernandes

            Que diga meu mais recente notebook (que agora chamam de ultrabook….) que não possui. Até pensei em adquirir um leitor externo, mas justamente pelo que vc disse… a internet consegue fornecer tudo que é necessário, incluso drivers que normalmente são até mais atualizados do que o que costuma vir em discos.

        • Guilherme Batista

          Só se for nos lugares que você mora porque é algo totalmente obsoleto hoje em dia.
          CD já tinha pouco uso, DVD então nem se fala.
          Só Toyota mesmo que mantém por causa dos tiozões, as outras montadoras praticamente aboliram.

          Lembro que a Ford fez uma pesquisa há quase 10 anos mostrando que nem 12% dos consumidores utilizavam essas tecnologias, imagina hoje em dia.

          • th!nk.t4nk

            Olha, veja o que eu disse: opcional. Só pede quem ainda quer usar o disco. Ninguém deveria ser forçado a abandonar sua coleçao de CDs assim do nada. Isso é respeito pelo consumidor. No Brasil o que fazer é enfiar goela abaixo uma mudança dessas, e nao há opçao.

        • fsjal

          Ter é uma coisa… usar é outra. Quem compra/grava CD hoje em dia?

          • th!nk.t4nk

            Muita gente usa, nos países desenvolvidos, onde o consumidor tem liberdade pra fazer o que quer. Tem lojas com seçoes ainda consideravalmente grandes de CDs, DVDs, Blue-Rays, discos de vinil. Cada um usa o que quer, e tem opçoes pra isso. Eu sinceramente nao entendo por que no Brasil aplaudem quando o povo é obrigado a mudar de padrão e jogar sua antiga coleçao de discos no lixo.

          • T1000

            Eu gravo dvds como forma de backup.
            Mas se a pessoa não se importa em perder seus arquivos quando o HD der pau, então é problema dela.

            • fsjal

              Meus arquivos mais importantes estão em hd externos, pen drives, emails e pastas online.

              De qualquer maneira, quando me refiro a gravar CDs, é pra ouvir músicas, e não backup.

        • Jurandir Filho

          Claro que para montadora é uma redução de custos, mas a esmagadora maioria dos consumidores BRASILEIROS não usam essas tranqueiras, o que é melhor? vc carregar trocentos cds dentro do carro ou ter tudo num pendrive ou spotify/deezer? os países desenvolvidos podem ser decentes em muitas outras coisas, mas não nessa em específico

    • th!nk.t4nk

      Android Auto e Car Play são bem importantes em modelos mais baratos, que não têm sistemas online. Mas a partir do momento em que o carro tem conectividade, eles perdem o sentido. No meu carro por exemplo o navegador é totalmente online, mostrando congestionamentos, acidentes, até se tem objetos no asfalto no trajeto. Ele acessa minha biblioteca online de música do Spotify, faz tudo o que os sistemas citados fazem, só que melhor ainda, pois é tudo integrado às telas do carro (com o painel digital, com o head-up display, etc).

      • Bem, a conectividade on-line no Brasil ainda é uma realidade distante para quase 100% dos consumidores, o que faz a ausência no Prius uma falha grave para quem vai utilizar o carro em terras tupiniquins. Essa é uma análise necessária, sem dúvidas.

      • Libertario

        Nem no exterior o Prius dispunha de Apple Car Play ou Android Auto.
        Se não me engano entrará no modelo 2020.

  • Alexandre Aleixo Santos

    Gostei dessas atualizações. Me falta é grana mesmo!

  • Chap

    Corolla híbrido deverá se posicionar um pouco acima nos preços, na casa dos R$ 140 mil provavelmente.

    • El Gato!

      Também acho. O híbrido chega com valor de Gli… e o intermediário 2.0 com preço de Touring.

    • O_Sabichão

      Se seguir a lógica dos EUA, o Corolla híbrido é mais barato que o Prius.

      • Edson Fernandes

        Lembre que aqui p Corolla é caso de sucesso. Eles irão colocar acima.

        • Libertario

          Concordo. O Corolla Hibrido deve chegar entre 140k e 150k.

  • Não adianta, esse carro não foi projetado pra ter linhas agradáveis aos olhos… E nem preço agradável ao bolso. Kkkkk

    • Eduardo 1981

      Acho ele mais negócio do que o Corolla Altis.

      • Marcos Megda

        Sem sombra de dúvidas

      • Edson Fernandes

        Eu escolheria ele no lugar do Corolla citado.

      • Libertario

        Bem mais.

  • delvane sousa

    Gosto do design desse carro e não precisava ter mudado. Questão de gosto.

  • Esse carro me agrada, seja pelo visual exótico, seja pela proposta. Vendo seu preço, ciente de que é importado, já sabemos que Corolla Hybrid será mais barato que ele.

    • Eu não me animaria muito com essa previsão, não. Em especial se você analisar que o atual Corolla Altis com pintura metálica sai por “módicos” 120 mil.
      Pode anotar aí: o Corolla Hibrid vai ficar na mesma faixa do H-RV Touring, ou seja, lá pelos 140 mil.

      • Marcos Megda

        Se eu fosse chutar, colocaria corolinha híbrido a 145k no lançamento, subindo pra 150 após um mês. A vovozada pira kkkk

      • O_Sabichão

        CR-V: R$ 195 mil
        Tiguan RLine completa: R$ 193 mil
        RAV-4 Hybrid completa: R$ 187 mil

        É quase certo que o Corolla híbrido não terá os preços absurdos do Jetta top de linha (R$ 145 mil) e nem mesmo do Civic Touring, que deve subir para uns R$ 130 e poucos mil nos próximos meses.

        • Edson Fernandes

          O Civic Touring irá pular para R$140000. Já foi repassado as concessionarias o aumento na linha 2020.

          • O_Sabichão

            Fake news

        • Esperemos para ver. Preços convidativos nunca foram o forte da Toyota (ou da Honda).
          Mas, quem sabe observando a experiência da Honda com o Civic Touring ela pese um pouco menos a mão. O sedã top da co-irmã foi lançado a dois anos com o mesmo preço que é vendido até hoje, o que demonstra o quanto a Honda pesou a mão na sua precificação inicial.

      • Libertario

        Também acho que o Corolla Hibrido aqui será na faixa dos 140k, destoando do que é praticado nos outros países onde o Corolla é mais barato do que o Prius.

    • fsjal

      Vão jogar o Corolla acima do Civic Touring. Pode escrever.

      • Seria o primeiro caso de, dois carros de mesmo porte e marca, um importado e outro nacional, o nacional ser mais caro. Acho pouco provável que sejam tão ousados assim, mas é esperar para ver.

        • fsjal

          Tem a questão da percepção de valor. A Toyota vai querer lançar seu carro novo mais caro que o Honda que já está há anos no mercado.
          Eles sempre fazem isso… sempre que sai um Civic ou um Corolla novo, eles ajustam o preço acima do rival mais antigo.

      • Fábio A.

        Também suponho isso.

  • El Gato!

    Agora sim, ficou lindo!

    • Sinceramente, tive dificuldades para visualizar as alterações feitas.

      • Marcos Megda

        Pra mim só deixaram o farol mais feio. O exótico era mais legal

  • Chris

    De que adianta essa “economia” se a troca da bateria é uma fortuna? Será que já ajeitaram isso nos híbridos?

    • A garantia das baterias hoje é de 8 anos. Me parece um tempo bem razoável para evitar surpresas de gastos com o aparato.

      • Edson Fernandes

        10 anos no caso do Prius.

        • Libertario

          Vida útil de 10, mas garantia de 8 anos mesmo.

          • Edson Fernandes

            Vc esta certo.

      • Jurandir Filho

        Sem contar que daqui 10 anos o preço da bateria deverá ter baixado bastante e os híbridos estarão bem mais difundidos, visto que o próprio corolla vai tá usando essa tecnologia

  • Yuri Lima

    O anterior eu gostava. Era um “wanna be a” Lexus LFA “Politicamente correto”. Desse jeito ficou mais sem graça…

  • 4lex5andro

    Muito caro esse Prius, haja imposto pra pagar.

    P.s.: Tem foto repetida no ilustra da matéria, NA, convém editar e substituir uma das fotos.

  • Eduardo 1981

    Só eu que acho esse carro bonito?

    Só eu que acho esse carro melhor compra do que o Corolla Altis?

    • Edson Fernandes

      Melhor compra que o Corolla eu tbm acho, mas acho o Corolla mto mais bonito.

    • Libertario

      Eu também acho ele muito bonito.
      As lanternas traseiras em forma de raio são matadoras, principalmente a noite.
      Mas né… beleza está nos olhos de quem vê.

  • Sergio

    Se continuarem mexendo vão bater o recorde do renault twingo dos anos noventa

  • celsomir

    Saiu a cara de Disco Voador. Entrou cara de Carro! As mudanças da lanterna traseira foram muito bem vindas! As rodas também! Ficou devendo Android Auto/Car Play. Pena que o Corolla vai vir mais caro…

  • luiz

    melhorou bastante o desenho e finalmente agora tem rodas proporcionais ao tamanho do carro, além de incluírem sensor de estacionamento dianteiro e traseiro (pois é, n tinha) e monitoramento de pressão dos pneus.
    Agora, $128 mil e ainda assim caparam de novo o toyota safety sense???

  • Guh MDNS

    Gosto não se discute. Ele continua feio!
    A frente MELHOROU drasticamente. O interior preto trouxe sobriedade sem perder o ar modernoso. Mas esse caimento do teto e essa traseira ainda “amarga as vistas”…

  • Lucas de Lucca

    Esse é mais um que vai para minha lista dos que não quero nem de graça.

  • G. de F.

    Tá barato ainda! Põe a duzentão cada um que ainda terá quem compra… É Toyota e pronto!

  • Alessandro Rodrigues

    Ainda uma aberração, mas menos ruim do que anteriormente

  • hinotory O

    Cada vez mais feio esse carro.

  • Emilio

    Um trilhão de vezes melhor que o atual!

  • Robinho

    Toyota e seus carros feios (com exceção do Corolla)…

  • Marcelo Faria

    Continua feio como uma caganeira…

  • Emygdio Carlos

    Carro interessante, entretanto, é muito baixo e raspa facilmente.

  • Marcos Drawer

    Este desenho de facelift não ficou bom. Bastava a Toyota adotar o design do Prius Plug-In, bem mais harmônico e com ferramental já pronto. Bastaria igualar os designs, ganhando em economia de escala.

  • Diego Honorato

    Antes era só monstruoso, agora ta só ridiculo. Carro feio, caro e de pouco conteudo….para ecochatos

  • Ric53

    Tá aí um carro da Toyota com preço razoavelmente justo. Feio por fora porém belo e bem acabado por dentro

  • FocusdaBahia

    Esse carro se bater continua feio…

  • Fábio A.

    Sem Carplay e Android Auto é de lascar…

  • Hodney Fortuna

    Melhor recomendação hj para quem pretende adquirir em termos de carro no brasil por conta do custo absurdo do litro da gasolina e o seu preço ser próximo o de um Corolla Altis.

  • Saulo Souza

    Painel de instrumentos ficou igual o dos Civics G8 e G9

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 13 anos. Saiba mais.

Notícias por email