Citroen Elétricos Europa

Com elétrico Ami One, Citroën vai buscar a Dacia com carros baratos

Com elétrico Ami One, Citroën vai buscar a Dacia com carros baratos

A Citroën vai buscar a Dacia. O reposicionamento da marca parisiense terá como foco os carros baratos, algo que no passado da empresa, não era coisa de outro mundo, pelo contrário, sendo o 2CV o exemplo máximo da simplicidade e robustez mecânica.


Com foco também na mobilidade elétrica, a Citroën mostrará em Genebra a versão de produção do conceito Ami One, que é bem diferente do antigo (e bem esquisito) Ami. Embora com um nome do passado, a marca pensa num futuro acessível também em preço.

Especula-se que o Ami One custará menos de € 10.000 e baterá de frente com o Renault Twizy, o elétrico em tandem da rival francesa. Para baixar os custos de desenvolvimento e produção, a Citroën foi para o “deserto”, montando sua base em Kenitra, no norte do Marrocos.

Com elétrico Ami One, Citroën vai buscar a Dacia com carros baratos

Tendo produção em torno de 11 mil carros por ano, o Citroën Ami One deve chegar com porte em torno de 2,5 metros, o que permite estaciona-lo em perpendicular nas vagas de rua paralelas, algo comum em alguns países da Europa, mas proibido no Brasil.

Ainda não se sabe de detalhes técnicos do Ami One, mas acredita-se que terá motor elétrico traseiro e baterias sob o assoalho, além de versão de baixa velocidade com 45 km/h como limite, tal como o Twizy. Também se espera por uma versão mais forte, com limite de 80 km/h como o modelo da Renault.

Com elétrico Ami One, Citroën vai buscar a Dacia com carros baratos

O Ami One terá uma autonomia em torno de 100 km, suficiente para seus deslocamentos urbanos. A Citroën deve oferece-lo tanto para clientes comuns quanto para empresas de compartilhamento de veículos elétricos, fomentando a mobilidade.

Com revelação oficial em 27 de fevereiro, o Citroën Ami One deve ser oferecido inicialmente apenas na Europa e não deve chegar tão cedo ao Brasil, onde o Twizy só atua em parcerias público-privadas. Na França, deve ajudar a acabar com os “quadriciclos” diesel.

Ricardo de Oliveira

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 23 anos. Há 12 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.

  • Zé Mundico

    Colocando um engate pode servir de porta-pet.

  • Tiago

    Parece mais utilizável que o Twizy.
    Esse tipo de veículo deveria ser considerado com mais carinho pelas pessoas que fazem trajetos curtos, com no máximo um passageiro.
    Tem muito mais viabilidade de diminuir o CO2 que um tesla model X de 3 toneladas.

    • th!nk.t4nk

      Sim, mas eu diria que não pra comprar. Cairia melhor como car-sharing, restrito ao centro das cidades. Pra quem mora afastado precisa de algo que ande acima de 45 km/h.

  • Rbs

    A nossa sequência será . . .gasolina melhor, motores mais económicos, depois vem os híbridos e por fim os eléctricos!

  • Tripé

    É o futuro do transporte urbano particular esse espécie de veículo.

  • Willie Cicci

    Outro Jhonny Cab

  • no futuro deve baratear, mas pra quem anda sozinho, distâncias curtas, é mais fácil ter um patinete elétrico ou mesmo uma scooter elétrica, que são bem mais baratos.

    • Edinaldo_Tapica

      Até 20km sim (considerando ida e volta), mas a Citroën promete 100km nesse Ami, sem contar a proteção que o teto lhe confere em caso de cidades chuvosas, segurança em caso de acidente, conforto, etc etc etc… Pra mim o futuro é esse: Intermodal com patinetes/Segway, carros como esse Ami para distâncias um pouco maiores, e carros para quem tem necessidade intermunicipal com muita frequência.

    • oscar.fr

      Patinetes elétricos compartilhados estao sendo banidos de algumas cidades. Montreal, no Quebec, anunciou que os patinetes nao irao voltar no próximo verao. Muitos acidentes e furtos. No inverno, nem patinetes nem scooters funcionam em muitos países. Este carrinho da Citroen é uma proposta mais interessante.

    • th!nk.t4nk

      Patinete elétrico foi um fracasso em grande parte do mundo. Eles precisam ser carregados toda noite, exigem uma logística ridícula (e pagam uma miséria pros terceirizados que recolherem e carregam essas tranqueiras). Também causaram muitos acidentes. Aqui na Europa o povo tem um ódio mortal destes patinetes. E como disseram, só funcionam metade do ano, pois no inverno são inviáveis (idem no auge do verão no Brasil: imagina ir trabalhar fazendo 35 graus, em pé, com sol na cabeça e quase sendo atropelado a todo instante).

  • Pablo Henrique

    Desde quando a Dacia tem uma esquisitice semelhante a esta?

    • Sem noção

      Talvez se refira ao twizy, por ser marcas parceiras. Mas o carrinho é bem legal, a porto segura usa alguns aqui em são Paulo

    • delvane sousa

      Nunca dúvidé da capacidade de quem trouxe ao mundo um sandero/ligando.

  • Cromo

    Perceba q … este carrinho não tem painel.

    • Zé Mundico

      Por mim não vejo problema nenhum. É um veículo leve para pequenos trajetos urbanos, praticamente será alugado ou compartilhado por empresas de serviço. Ninguém vai querer perder tempo olhando para painel.

  • Josimar Genm Tavares

    Vai custar caro e vender pouco. Pq não fazem logo um hatch médio com autonomia e potência equivalente aos a combustão?

    • Josimar Genm Tavares

      E importante, parecendo um carro mesmo, e não um pacote de torrada.

    • Luka

      Você já respondeu sua pergunta com a primeira linha do seu comentário. “Vai custar caro e vender pouco”

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 13 anos. Saiba mais.

Notícias por email