_Destaque Mercado Opel PSA

Com PSA, Opel pode vir ao Brasil sem os carros atuais

opel-astra-2017-biturbo-2 Com PSA, Opel pode vir ao Brasil sem os carros atuais







A expectativa é grande para muita gente no Brasil que aprecia a marca alemã Opel. Com a aquisição da montadora de Rüsselsheim pela francesa PSA, um novo horizonte se abre para o fabricante germânico, que deixa um casamento de quase 90 anos com a GM. Agora, com mais liberdade, a empresa pode alçar voos mais altos e longos, destinados aos mercados onde nunca esteve presente.

Diante da mudança de rumo, criou-se uma expectativa pela chegada da Opel ao mercado brasileiro. A possibilidade anteriormente era praticamente impossível pela sobreposição de produtos com a Chevrolet. Livre de Detroit, a alemã teoricamente não teria empecilhos legais para entrar no Brasil. Porém, existem sim restrições.

Segundo o acordo que permitiu a venda da Opel – e também da Vauxhall – para a PSA, as duas empresas ficam impedidas de cruzar algumas fronteiras imediatamente. Segundo o relatório divulgado pela Reuters, os carros atuais da Opel serão proibidos em novos mercados através de acordos de “não concorrência” com marcas da GM.

opel-crossland-x-3 Com PSA, Opel pode vir ao Brasil sem os carros atuais

Solução: Plataformas da PSA

A questão envolve a atual tecnologia da GM a bordo dos modelos vendidos atuam, com exceção é claro dos mais recentes Crossland X e Grandland X, feitos sobre plataformas da PSA. Da mesma forma, a montadora americana não poderá vender produtos em mercados europeus com plataformas e tecnologias similares aos da marca alemã.

Ainda não se sabe quais serão estes mercados onde não haverá concorrência entre marcas da GM e a Opel. Por conta disso, não podemos afirmar de fato se o Brasil se incluiria nesse tipo de acordo. Se de fato ocorrer, os únicos produtos da alemã que em teoria poderiam ser vendidos de forma mais imediata seriam os dois novos crossovers, que não usam tecnologia de propriedade da americana.

Além da dupla, um terceiro membro já está a caminho e seu nome é bem popular por aqui, o que reforça também a suspeita de que o Brasil poderia de fato estar vinculado ao acordo citado acima. O Novo Corsa já estava em seu desenvolvimento, mas com a compra da PSA, os trabalhos foram paralisados e agora já estão sendo refeitos, segundo Carlos Tavares, CEO do grupo francês.

O Novo Opel Corsa deve surgir em 2020 já com a plataforma da PSA. Como já se sabe, é claro, a base PF1 atual será substituída no futuro pela modular CMP, feita em parceria com a chinesa Dongfeng, que tem 12% da PSA ao lado da família Peugeot e do governo francês. Esta plataforma será feita na Argentina e em outros países, sustentando os futuros compactos da PSA-Dongfeng.

psa-platform Com PSA, Opel pode vir ao Brasil sem os carros atuais

CMP: O futuro dos compactos da PSA

Pensando de forma global, ainda mais que a PSA quer entrar na Malásia pela Proton e quer voltar a crescer na América Latina, ter uma base modular de baixo custo, como a CMP (Complex Modular Platform) para Peugeot-Citroën-DS, é fundamental. Porém, agora mais ainda com a Opel, que deverá também ganhar novos mercados e ser de ajuda importante para ampliar o mercado do grupo francês no “outremer”.

Assim, o próximo Corsa poderia não só voltar ao Brasil, mas também ser feito no país vizinho. Da mesma forma, outros modelos da Opel ganharão plataformas PSA, sendo cinco até 2023. Para retirar o atual lineup desses acordos de não concorrência, o grupo francês deve focar nos modelos tradicionais, tais como Astra e Insignia, além de Adam, Karl e um SUV topo de linha com sete lugares, que atualmente deve ter sido cancelado, pois provavelmente iria compartilhar a plataforma com o GMC Terrain 2018.

A base para Adam e Karl pode ser tanto a PF1 quanto a CMP, enquanto os médios deverão ficar sobre a plataforma modular EMP2 da PSA. Ela permitirá a continuação dos sucessores dos modelos atuais. Por aqui, a única dúvida fica para os nomes Corsa e Astra, que foram comercializados pela Chevrolet durante anos e são extremamente populares entre os consumidores. Então, parece que tudo pode começar daqui a quatro anos.

Leia avaliações, notícias sobre carros e compare modelos em NoticiasAutomotivas.com.br.

[Fonte: Reuters/Auto News]

 




Send this to a friend