Híbridos Matérias NA Tecnologia

Carro híbrido: Como funciona? Quais são as diferenças?

Carro híbrido. Algo que está ficando cada dia mais comum ao redor do mundo.

O que você acha mais importante ao comprar um carro: potência ou economia?


A maioria talvez responda que prefere um meio termo entre os dois, especialmente num país onde economizar combustível não é uma opção, mas sim uma necessidade.

Carro híbrido: Como funciona? Quais são as diferenças?

Para aliar os dois lados, um número cada vez maior de pessoas pensa num carro híbrido quando decide comprar um modelo novo.


Mas o que são os carros híbridos? Quando o carro híbrido surgiu, e como funcionam? E quais diferenças são importantes em sua condução?

O primeiro carro híbrido

Carro híbrido: Como funciona? Quais são as diferenças?

Muitos imaginam que o primeiro modelo híbrido foi o Toyota Prius, mas a realidade é bem diferente (e bem mais antiga).

Existem algumas versões sobre qual foi realmente o primeiro, mas todas datam de uma época quando os próprios carros convencionais ainda estavam se popularizando.

A mais antiga é de 1896, quando surgiu o modelo Armstrong Phaeton, da foto acima.

Ele foi feito a partir de uma encomenda da Roger Mechanical Carriage Company ao engenheiro elétrico Harry E. Dey, que ainda teve que recorrer a uma terceira empresa, a Armstrong Electric, para criar o primeiro protótipo.

Apesar de parecer uma charrete com volante, o Armstrong Phaeton foi uma das maiores inovações da indústria automotiva, especialmente para sua época.

Com um motor a gasolina de 6,5 litros e 2 cilindros e outro propulsor elétrico, o híbrido podia rodar apenas com um dos dois.

Ele também tinha uma bateria que era recarregada por um dínamo nos freios (pensou nos modernos carros de F1 e seu sistema KERS?), além de uma ignição que usava a energia acumulada da bateria, eliminando a necessidade de uma alavanca para dar a partida.

E o detalhe mais impressionante: restaurado depois de sofrer com uma enchente, ele ainda funciona! Mas não se empolgue muito, pois a única unidade produzida foi leiloada em 2016 por US$ 483.400, o equivalente a R$ 1,6 milhão.

Voltando aos tempos modernos, é claro que o Prius tem uma parte importante na história dos híbridos, pois foi o primeiro modelo a ser produzido em massa.

Lançado pela Toyota no Japão em 1997, ele chegou aos outros mercados em 2001. Desde então várias gerações já foram lançadas, e o Prius segue como o modelo mais popular e mais vendido entre os híbridos.

Como funciona um carro híbrido

Carro híbrido: Como funciona? Quais são as diferenças?

Um carro híbrido é aquele que funciona com duas fontes de força e não apenas uma, como os carros convencionais que estamos acostumados a ver.

Ou seja, além do motor a combustão, que pode ser a gasolina (mais comum), diesel ou etanol, o carro ainda tem outro propulsor, que é elétrico.

O objetivo principal dessa mistura é combinar as principais características positivas de cada um. Como assim?

Quando falamos de modelos convencionais, com motor a combustão, vemos que sua principal função é gerar o melhor desempenho possível.

Eles ainda contam com uma boa autonomia, o que significa que podem rodar grandes distâncias sem ter que abastecer novamente.

Por outro lado, conforme a potência aumenta, o consumo aumenta também e mais poluentes são lançados no ar.

Um motor elétrico, por outro lado, não emite nenhum poluente, e tem um custo por km rodado muito mais baixo.

Só que isso também tem seu lado negativo, pois esses modelos costumam ter uma autonomia baixa, e ainda demoram mais para voltar a rodar, pois recarregá-lo obviamente demora mais do que parar para abastecer um modelo convencional.

É aí que entra o principal ponto positivo de um carro híbrido: ele combina a boa autonomia e potência do motor a combustão, com a menor emissão de poluentes e economia do propulsor elétrico.

Para atuarem juntos, o sistema de ambos foi aperfeiçoado, obtendo o melhor resultado possível. Basicamente, esses modelos podem ser divididos em três tipos:

Híbrido em série

Nesse tipo de funcionamento, os motores atuam ligados em sequência, ou em série, sendo que a saída de um alimenta a entrada do outro.

Normalmente é o motor a combustão que alimenta o motor elétrico, sendo que apenas esse último atua sobre as rodas, deixando o primeiro apenas para gerar eletricidade.

Exemplos de modelos desse tipo: Chevrolet Volt e o Opel Ampera.

Híbrido em paralelo

Aqui os dois propulsores são usados para gerar a força necessária, mas apenas um deles atua, sendo que o outro o auxilia para melhorar seu desempenho.

Exemplos de modelos desse tipo: carros da Honda, como Civic Hybrid e Insight.

Híbrido misto, ou combinado

Sistema mais comum entre os modelos híbridos, esse tipo de funcionamento usa os dois motores, de forma separada ou simultaneamente, e os dois podem atuar sobre as rodas.

Se eles atuarem juntos, um se encarrega de fazer o carro andar, enquanto o outro gera a energia elétrica, tudo sendo definido instantaneamente por um computador.

Exemplos de modelos desse tipo: modelos híbridos da Toyota (como o Prius), da Lexus (como o CT200h) e o Ford Fusion Hybrid.

Carro híbrido: diferenças ao dirigir

Carro híbrido: Como funciona? Quais são as diferenças?

É bom entender qual a proposta dos modelos híbridos, o que vai permitir ao condutor aproveitar ao máximo as suas características.

Independentemente do tipo de sistema usado, o principal objetivo sempre é a economia. Isso é visto, por exemplo, no tamanho do motor a combustão geralmente usado, menor do que em outros modelos convencionais de mesmo porte, e também no seu ciclo de funcionamento.

O motor elétrico também tem características importantes que contribuem para isso, como a frenagem regenerativa.

Toda vez que o freio é acionado, ou mesmo quando o acelerador é aliviado, o motor elétrico funciona num modo reverso, mandando energia de volta para as baterias.

A aerodinâmica do carro e o uso de pneus com menor resistência também fazem o consumo cair consideravelmente.

Mas tudo isso não terá o efeito desejado se o modo de condução não for apropriado. Como a proposta é a economia de combustível, nada de acelerações bruscas sem necessidade.

O modo totalmente elétrico desses modelos também funciona até uma certa velocidade (por volta 40 ou 50 km/h). Se for possível ficar dentro dela, principalmente em trajetos curtos, a economia será maior.

Um cuidado que todo motorista deve ter quando dirige um modelo híbrido, e que todas as montadoras alertam, é exatamente o fato de que em modo elétrico ele não faz nenhum barulho.

Por isso é preciso dirigir com a atenção redobrada, pois pedestres e ciclistas não vão ouvir o carro se aproximando.

E quais são as desvantagens do carro híbrido?

As desvantagens dos modelos híbridos estão ligadas ao valor de seus componentes (como as baterias), de sua manutenção e ao preço do carro em si.

Além disso, o desempenho destes modelos obviamente ficará abaixo dos convencionais. O que contribui para isso, além de sua proposta voltada para a economia de combustível, é o peso final maior, já que mais componentes são necessários em sua construção.

Quando falamos sobre o cenário do carro híbrido em nosso país, ainda pesa muito o fato de que o governo não dá tantos incentivos para a sua compra.

Isso pode mudar em breve, já que em janeiro desse ano foi anunciada a possibilidade de diminuição da alíquota de IPI para carro híbrido e elétrico, que cairia de 25% para 7% (o mesmo dos modelos 1.0).

Quais são os carros híbridos mais baratos no Brasil?

Hoje, os carros híbridos zero quilômetro mais baratos à venda no Brasil são o Toyota Prius (R$ 126.600) e o Lexus CT 200h (R$ 135.750).

Carro híbrido: Como funciona? Quais são as diferenças?
Nota média 5 de 1 votos

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 12 anos. Saiba mais.

Notícias por email