Manutenção Matérias NA Segurança Tecnologia Trânsito

Como rebaixar carros?

Como rebaixar carros?

Carro rebaixado é para alguns um símbolo de status e estilo. Os jovens, em especial, adoram esse tipo de veículo modificado, cuja suspensão tem sua altura reduzida e que, em alguns casos, chega bem próximo do solo.


A prática é popular em diversos países e aqui no Brasil não é diferente, com proprietários incrementando seus carros com dispositivos de ajuste de altura, luzes de neon ou LED, rodas de grandes dimensões, cromados, entre outros.

O assunto chegou até mesmo ao Denatran que, por conta da segurança, chegou a determinar que essa modificação na suspensão era ilegal, mas depois criou regras para que fosse liberada novamente.

A onda surgiu nos anos 80, na Califórnia, onde os carros rebaixados virarem febre e esse estilo de vida se espalhou rapidamente por todo o mundo, mas tal como lá, o Brasil também viu as autoridades fiscalizando forte esse tipo de modificação automotiva.


Como rebaixar carros?

Legislação sobre carros rebaixados

Antes de mais nada, o que diz a lei sobre o carro rebaixado? Para certificar esse tipo de modificação, a fim de que estivesse dentro das regras de segurança, o Contran (Conselho Nacional de Trânsito) publicou em 29 de agosto de 2008, ou seja, há quase 10 anos, uma nova resolução que alterou o Código de Trânsito Brasileiro (CTB). A Resolução Nº 292/2008, diz no Artigo 6°:

“Na troca do sistema de suspensão não será permitida a utilização de sistemas de suspensão com regulagem de altura
Parágrafo único: Para os veículos que tiverem sua suspensão modificada, deve-se fazer constar no campo das observações do Certificado de Registro de Veículo – CRV e do Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo – CRLV a nova altura do veículo medida verticalmente do solo ao ponto do farol baixo (original) do veículo.”

Mas havia um problema. Na mesma resolução, o Contran entrava em contradição com o Artigo 8º, mas no Inciso IV:

“Ficam proibidas:
(…)
IV – A alteração das características originais das molas do veículo, inclusão, exclusão ou
modificação de dispositivos da suspensão.”

Como esse detalhe começou a gerar problemas para quem queria rebaixar carro dentro da lei, as autoridades tiveram que mexer mais uma vez. Em realidade, duas vezes. A primeira ocorreu em 5 de junho de 2009, quando surgiu uma nova determinação do Contran com a Resolução 319/2009, que altera a 292/2008 ao dizer:

RESOLVE:

“Art. 2º Alterar o inciso IV do artigo 8º da Resolução CONTRAN nº 292/2008, que passa a ter a seguinte redação:

Art. 8º Ficam proibidas:
I -……………….
II -………………
III -……………..
IV – A adaptação de 4º eixo em caminhão, salvo quando se tratar de eixo direcional ou autodirecional.”.

Ou seja, a questão envolvendo a suspensão de automóveis foi retirada do texto. Na mesma resolução, foi divulgada uma tabela onde consta a exigência do CSV, que é o Certificado de Segurança Veicular. Por fim, a Resolução 479 de 20 de março de 2014, definiu por completo o assunto:

RESOLVE:

“Art. 1º Esta Resolução altera o art. 6º da Resolução CONTRAN nº 292, de 09 de agosto de 2008, que passa a ter a seguinte redação:
Art. 6º Os veículos de passageiros e de cargas, exceto veículos de duas ou três rodas e quadriciclos, usados, que sofrerem alterações no sistema de suspensão, ficam obrigados a atender aos limites e exigências previstos nesta Resolução, cabendo a cada entidade executora das modificações e ao proprietário do veículo a responsabilidade pelo atendimento às exigências em vigor

§1º Nos veículos com PBT até 3500 kg:
I – o sistema de suspensão poderá ser fixo ou regulável.
II – A altura mínima permitida para circulação deve ser maior ou igual a 100 mm,
medidos verticalmente do solo ao ponto mais baixo da carroceria ou chassi, conforme anexo I.
III – O conjunto de rodas e pneus não poderá tocar em parte alguma do veículo quando
submetido ao teste de esterçamento.”

Então, nesse caso, a suspensão pode ser regulável ou fixa, bem como a altura mínima deve ficar em 10 cm, sem que as rodas toquem na carroceria. Dessa forma, ficou mais fácil rebaixar o carro dentro da lei e obter o CSV, mas apenas após autorização do Detran e inspeção por órgão ou instituição certificada pelo Inmetro. O CSV vai incluído nos CRV e CRLV com a altura especificada para a modificação, lembrando sempre do limite de 10 cm.

Maneira correta de rebaixar o carro

Como rebaixar carros?

Mas, como fazer a alteração de maneira correta, de forma a não só oferecer segurança, mas também garantir conforto ao dirigir? Após o pedido de rebaixamento junto ao Detran e sua autorização, a primeira recomendação é usar peças e componentes novos. Isso é fundamental, pois foram desenvolvidas especificamente para essa finalidade. Molas e amortecedores, por exemplo, são menores que os originais.

Porém, se a opção não for um sistema fixo de molas e amortecedores, devido às características do carro, pode-se obter alguns sistemas alternativos e igualmente específicos para o rebaixamento no mercado de tuning. Nesse caso, o negócio é partir para os sistemas ajustáveis.

Antes, deve-se lembrar que algumas empresas comercializam molas e amortecedores destinados ao rebaixamento veicular e dentro das especificações determinadas pelo Contran. Muitas dessas empresas dão garantia e assistência técnica, o que confere ainda mais segurança tanto na compra como no pós-venda. Além disso, por terem reconhecimento no mercado, fica mais fácil passar na inspeção para obtenção do CSV.

Suspensão de rosca

Como rebaixar carros?

Nos casos de sistemas ajustáveis, um dos utilizados é a suspensão de rosca. Este consiste em uma flange e um tubo rosqueado, que pode ser fixado no próprio eixo traseiro do veículo ou nos amortecedores, possibilitando que a altura seja regulada através de rosqueamento manual.

Como se faz a regulagem? Basta levantar o veículo com um macaco mecânico ou hidráulico, afastar a mola e ajustar a altura da rosca manualmente de forma simples e rápida. Não é necessário ferramenta ou pressão que não seja a força das próprias mãos. Não se muda nada na suspensão, exceto molas e amortecedores, que vêm no kit de rosca. Também é possível manter apenas a suspensão traseira levantada e a frente rebaixada, por exemplo. Tais kits geralmente atendem a legislação com altura mínima de 10 cm.

Suspensão a ar

Como rebaixar carros?

Outra opção para rebaixamento com regulagem de altura é a suspensão a ar ou pneumática, se preferir. Trata-se de um sistema onde os amortecedores são menores e mais duros, mas que basicamente funciona através de bolsas de ar ou foles pneumáticos.

Bem conhecidos em ônibus e caminhões (nessa ordem), esses dispositivos permitem basicamente ajustar a altura da suspensão, mas também garantem conforto extra ao rodar. Alguns carros de luxo ostentam esse sistema de fábrica, mas é possível colocar isso em um carro muito mais barato.

No mercado de tuning existem diversas opções com esse sistema, variando de acordo com os requisitos exigidos pelos clientes, mas da mesma forma, atendendo ao limite de 10 cm de altura livre do solo.

Nesse caso, o kit é composto basicamente por bolsas de ar, amortecedores específicos, dois compressores para cada conjunto de suspensão, válvulas, cilindro de ar ou alumínio, mangueiras, conexões, sensores, controlador (manual, controle remoto ou joystick) e manômetro. Geralmente a estabilidade original é ampliada entre 10% e 75%. O custo varia de R$ 1,5 mil a mais de R$ 4 mil, dependendo dos itens que forem escolhidos ou adicionados. Assim, pode-se ajustar de forma manual ou remota a altura do veículo.

Como rebaixar carros?

Maneira errada de rebaixar o carro

Como se trata de uma modificação que exige custos adicionais, nem todo mundo quer ou pode custear a modificação. Por isso, tem gente que apela para práticas erradas e perigosas para rebaixar o automóvel, entre elas retirar as molas do veículo, o que compromete o conforto, o controle e, de forma geral, a segurança do carro.

Outra coisa errada que geralmente se faz é o esquentamento das molas para unir os elos. Isso altera as propriedades do material e deixa as molas mais fracas, correndo o risco de provocar um acidente em caso de quebra.

Alterações desse tipo resultam em multa e apreensão do veículo… No caso do corte das molas, o mesmo deve ser feito por um profissional e não de forma amadora sem conhecimento, pois a alteração desequilibra o veículo se mal feita. O importante é manter a originalidade o máximo possível, a fim de que o carro não perca todas as suas característica de condução e ainda ofereça conforto, prazer ao dirigir e segurança.

Como rebaixar carros?
Este texto lhe foi útil??

  • rodrigosr

    Rebaixar o carro já é uma prática errada e perigosa. Acho inacreditável que ainda façam isso

    • Luis Burro

      Hj a lei já permite,mas com regras.É q pra mim o carro tem uma lógica q é movimentar sem se arrastar.
      Fosse por isto ñ teria desenvolvido tantas melhorias ao longo do tempo pra diminuir o atrito.

      • Unknown

        Suspensão rebaixada não aumenta o atrito… a não ser que for um serviço muito mal feito. Pelo contrário, costuma diminuir o arrasto aerodinâmico.

        • Luis Burro

          No raspar do chão com o fundo do carro.

    • Leonel

      O que há de perigoso em rebaixar um carro se for realizado de forma correta? Você acha que é mais perigoso dirigir um Sandero RS ou um Onix, HB20, Ford Ka…?

      • Punta-tacco

        Exato, se feito corretamente ele pode ficar mais seguro do que original. No original a montadora precisa calibrar em um meio termo entre conforto e estabilidade. No casso de rebaixar um veiculo, vc diminui o centro de gravidade e tbm o deixa mais firme dando mais estabilidade principalmente em curvas. Eu por exemplo gosto do rebaixamento suave apenas pra remover aquele vão entre o pára lamas e o pneus e deixar o carro mais firme, já aqueles carros socados com para-lamas engolindo os pneus, que enroscam nos quebra molas e atrapalham o fluxo do transito não acho legal.

        • Leonel

          Por isso eu digo para o pessoal não generalizar @PuntaTacco:disqus .
          Há milhares que não rebaixam o carro mas são extremamente imprudentes…então né.

        • Elton Lopes

          Concordo, e também acho legal.

        • José Barbosa

          ah, claro. Os engenheiros que passaram milhares de horas no projeto não sabem de nada, o cara da oficina que vai chutar um valor empírico é muito mais confiável para dar maior “estabilidade”. Aí me pergunto, sempre, como fica o comportamento do carro que corre e, sem mais nem menos, pega alguma imperfeição na pista que vai além do curso reduzido?

          • Punta-tacco

            José Barbosa, seu comentário é interessante. Primeiramente vamos no principal, reduzir o centro de gravidade deixa o carro mais estável (não vamos discutir com as leis da física). Segundo, citei no comentário anterior o “feito corretamente” isso significa que a pessoa colocou Molas menores (provavelmente com maior carga para evitar fim de curso muito fácil) e um amortecendo dimensionado para essa nova mola, com isso temos um conjunto de suspensão mais firme e como cansamos de saber carros com suspensão mais firme são mais estáveis. Agora o principal “como fica o comportamento do carro que corre e, sem mais nem menos, pega alguma imperfeição na pista que vai além do curso reduzido?”, quando se comprime uma mola, ela tende a devolver essa força e como os amortecedores são calibrados para dar conforto, quando o carro original passar em uma irregularidade do nível que vc citou e em alta velocidade a mola vai receber uma grande força e devolver em seguida e o amortecedor não dará conta de absorver toda essa foça e com isso o carro vai balança bastante gerando grandes chances de uma perca de controle do motorista, já no conjunto de curso reduzido, ele terá uma batida mais seca, porem o carro vai oscilar menos e assim reduzir as chances de perda de controle. Melhorando seu comentário, os engenheiros passam milhares de horas encontrando uma melhor proporção entre segurança e conforto para cada carro, e isso da trabalho. Quando se opta por modificar uma suspensão automotiva vc tem uma linha onde um extremo é a segurança e o outro extremo é o conforto, ai vc escolhe em qual ponto dessa linha vc vai querer a sua suspensão.
            Lembrando que não sou o rei da verdade, isso é apenas minha opinião, baseado nos meus conhecimentos.

        • Raul Pereira

          cara, isso funcionaria em um terreno ideal de rodagem, mas na grande SP onde as pistas tem um asfalto lunar cheio de crateras e remendos, isso é atraso de vida. Ja andei no SUbaru WRX de um amigo e na Mercedes A40 dele na marginal. Realmente aquela suspensão baixa de corrida gera uma estabilidade surral que nunca vou ter no meu Onix. Com o SUbaru não, mas quando a Mercedes entra no bairro, ele tem que dirigir muito devagar pra praservar a suspensão do carro. Mesmo na Av. Europa eh dificil pros donos de esportivos conseguirem manobrar os carros fora das lojas.

      • Ⓜ️arcelo

        Resumidamente, quando um carro é projetado existem centenas de engenheiros pensando no produto, milhares e milhares de quilômetros de rigorosos controle de qualidade, etc e quando você vai numa loja e adapta qualquer tipo de peça que não foi projetada para um determinado veículo, você é o cobaia no teste se vai funcionar ou não.
        Pode acreditar que muitas vezes o carro vai te trazer menos segurança. Ou você acredita que do nada uma Porsche Carrera GT, como a que Paul Walker estava, sai de sua trajetória numa reta, ou até mesmo o Range Rover do que o Cristiano Araujo estava, mesmo que em alta velocidade?

        • José Barbosa

          No caso do Cristiano Araújo a causa foi divulgada: trocou as rodas originais por aro 22. E aí fizeram furação e solda meia boca para ficar compatível com o cubo do veículo.

      • Unknown

        O Sandero RS, com certeza! Por ser um carro mais potente, te instiga a correr mais, aumentando os riscos! rsrs

        • Leonel

          hehe de fato!

  • Bruno Rodrigues

    O nivel de rebaixamento é proporcional ao QI

    • Leonel

      Que comentário preconceituoso…
      Eu já tive carro rebaixado e nunca foi um problema para terceiros. Nunca precisei andar a 20 km/h porque o carro era “baixo”. Se isso aconteceu, pode ter certeza que a culpa era da via. Digo isto com propriedade pois os dois carros seguintes ao rebaixado que eu tive não alterei em nada a velocidade que ando nas mesmas vias que transitava com o rebaixado.

      A bem da verdade é aplicar esta questão de forma correta. Os que simplesmente “arrancam” as molas ou anda com seus carros arrastando, literalmente, no chão, sim, são um problema. Aos outros que buscam melhor estética (meu caso e opinião) e estabilidade de forma coerente, não vão prejudicar em nada a fluidez no trânsito.

      • Luis Burro

        Acho q vai depender da grana,pq se fosse possível todos q gostam do estilo colocariam o sistema pneumático q é bem prático e lógico descendo e levantando conforme o gosto.
        O problema é qm não tem grana e faz no convencional,aí fica no meio do caminho estorvando em cada lombada ou diferença de nível.

        • Leonel

          Perfeito @luisburro:disqus . Por isso eu esperei ter condições de instalar mola esportiva e preparar tudo como deveria ser preparado ao invés de simplesmente arrancar a mola ou algo parecido. Os que ficam estorvando, como mencionado por você, também me irritam bastante, principalmente em pontos que tu não consegue realizar uma ultrapassagem…

      • kirig

        A afirmação está com duplo sentido, não disse diretamente nem inversamente proporcional.
        Veste a carapuça quem quer!

    • Daniel dos Santos

      Melhor comentario do ano

  • Paulo Henrique Monteiro Gabrie

    Interessante forma de conseguir mais visualizações para o site ultimamente…colocando as matérias com o título em forma de pergunta…assim, quem busca no Google, consegue encontrar conteúdo de qualidade. Parabéns.

    • Lzu

      Verdade! Pegou mal, NA!

  • Dod

    Mlk Zika V1D4 L0K4 socado na fixa

  • Wellington Myph13

    É isso ai mano!

    Pelo amor né, já não basta a nova leva de condutores horríveis fazendo uma k-gda atrás da outra, tem que aguentar esses aí parando em cada mini ondulação no asfalto, cruzando a via toda pra passar uma lombada ou depressão…

  • Rodrigo Ponce

    Os “chora boys” adoraram a matéria. Gosto bastante do NA, mas ultimamente essas matérias de “cunho técnico” estão extrapolando os limites do bom senso, primeiro foi aquela matéria de como dirigir carros, agora isso, só espero que não façam uma matéria ensinando a fazer ligação direta.

    • Discorra sobre como uma matéria sobre rebaixar um carro extrapola o limite do bom senso.

      • Geraldo Xavier

        O site é noticias automotivas. o site está falando sobre automóveis e mesmo assim vem uns bonitos pra reclamar do site. na boa administrador como você aguenta uns malas como esse?
        não gostou do texto da matéria nem lê. Mas não, infelizmente eles aparecem só pra reclamar.
        Parabéns por mais uma matéria.

        • Opa obrigado Geraldo!!

        • Punta-tacco

          Tem pessoas que não conhecem o significado e função dos títulos das matérias. kkkkkkkkkkkkkkk

    • Ricardo

      Esta matéria foi bem útil e legal, mas algumas outras realmente estão forçando a barra.

      • Luis Burro

        O site é lido por pessoas dos mais diferentes gostos.Eu até entenderia qm escreve ou o mantém ficar com assuntos ligados ao redor do seu gosto pessoal,mas nunca concordaria com isto.
        Ficaria restrito e sem poder reclamar da perda de leitores pra sites concorrentes e mais completos,assim como alguns patrocinadores.
        Cada um faz como acha melhor,mas no meu ver qnto mais informação mais capacidade temos de embasar nossas idéias.O máximo q perderemos são alguns minutos de leitura.

      • Luis Burro

        Ultimamente tenho lido pouco os textos,só opino pelo título msmo.A ñ ser q seja um assunto q tenha total interesse,mas este nem cheguei a ler ainda!

    • Luis Burro

      Seria bom e aproveitável tbm.O problema é o uso q alguns leitores podem fazer deste conhecimento.

    • Lareiro

      Percebi que o site mudou bastante nos últimos meses.
      Antes ele faziam mais avaliações dos carros, análises etc. Agora fazem mais matérias de cunho técnico ou do dia-a-dia mesmo. Acho que é falta de dinheiro, fator este que tem sido recorrente em qualquer mídia.
      Antes eu considerava o site como concorrente do Motor1, mas agora ele me lembra mais o Autopapo.

      • Muito pelo contrário, é uma opção de investir no que dá retorno. Uma avaliação ou comparativo feita por um jornalista renomado, com fotos de um fotógrafo profissional custa mais de R$ 1.000, mas não dá retorno nenhum a longo prazo, apenas um retorno razoável a curtíssimo prazo.

        Um site automotivo ter equipe grande com gente renomada é sinônimo de folha de pagamento super inchada e lucros baixos. Os resultados do NA de um ano para cá atestam que a cada dia que passa acertamos mais e mais no conteúdo que publicamos, passamos de 100.000 para 250.000 visitantes por dia.

        Se o preço a se pagar para ganhar o dobro de dinheiro todos os meses for deixar de ser considerado concorrente de sites bonitinhos, estou mais do que feliz com isso.

        • Lareiro

          Legal, parabéns pelo caminho acertado!
          Mas eu sinto falta das avaliações de carros que vocês faziam.

          • Obrigado amigo… mas as avaliações ainda estamos fazendo… em torno de 2 a 3 por mês… https://www.noticiasautomotivas.com.br/categoria/avaliacao-na/

            É claro que as montadoras primeiro emprestam pros sites mais renomados né, portais como UOL, R7… revistas, jornais… mas logo depois a gente vai pegando os carros.

            Mas eu entendo seu lado que o que os frequentadores costumazes dos sites querem é avaliação e comparativo mesmo.

  • Leonel

    Bacana! Eu já tive carro rebaixado e nunca prejudiquei a fluidez do trânsito, haja visto que o fiz de forma coerente, sem arrastar no chão ou qualquer coisa parecida. O carro ficou muito mais estável, seguro em curvas e com um nível de conforto muito similar ao original.

    Uma pena que nenhum seguro (até onde eu sei) aceita carros rebaixados, salvo os que já possuem esta característica de fábrica (um Sandero RS, por exemplo). E infelizmente, neste país, é praticamente inviável andar sem seguro.

    • Unknown

      O Sandero RS não é “rebaixado” de fábrica. A altura dele do solo é pensada para o uso um pouco mais “esportivo”.

  • Cincinato

    Antes até que era legal, hoje em dia acho zuado.

  • Louis

    Os Manu da favela pira.

  • Marcondes Barroso de Oliveira

    Deu saudades da antiga sessão de preparação do bcws.

  • Ricardo

    Status! Hahaha! Só se for entre os vileiros e manos!
    10 cm do chão acho muito pouco, deveria ser mais!
    As alturas exageradas que os carros nacionais saem de fábrica além de deixarem os carros menos seguros, os deixam mais feios, carros americanos e europeus já saem de fábrica com uma altura legal.
    Curto carros um pouco rebaixados, com molas esportivas, uns 2 dedos acima dos paralamas, menos que isso é ridículo e coisa de mané.
    Tentei regularizar no documento do meu carro, mas por causa dessa burocracia de ter que fazer vistoria no Inmetro desisti, iria pagar uns R$ 500 para colocar no documento e depois R$ 500 para tirar e quem não entende de carro nem percebe que o meu está rebaixado com molas esportivas, carros como BMW já saem de fábrica mais baixos que o meu.
    Acho que para facilitar, se cair numa blitz e o guarda desconfiar, bastava apresentar uma nota fiscal de um mecânica que realizou o serviço cadastrada no Inmetro e Detran, mas como no Brasil adoram burocracia, fodem e dificultam com tudo.
    Um carro rebaixado com molas esportivas de qualidade além de o deixar mais belo, o deixa mais seguro, isto é fato!

  • Lucia C.

    ZIKA!

  • Lucas086

    Tive todos meu carros rebaixados com molas e amortecedores preparados dos 18 até os 25 anos e nunca tive problema com manutenção, seguro etc… gosto do rebaixado leve, que o carro fique mais firme e gostoso de guiar, o problema é o que estão fazendo hoje, cortando o carro pra caber a roda, andar literalmente arrastando. Mas enfim, cada faz o que gosta né.

  • REDDINGTON

    Duas coisas que NUNCA mexo em carro: suspensão e escapamento/motor.

    • Lareiro

      Por que não mexe em escapamento/motor? Acho que mexer no escapamento não danificaria o carro.

  • aletp

    Coitado de quem compra isso depois.

    • REDDINGTON

      “VENDO CARRO CONSERVADO, SEGUNDO DONO, A PRIMEIRA DONA ERA DE UMA PROFESSORA APOSENTADA QUE SÓ IA NA IGREJA E NO MERCADO”

      • Ou aquela clássica, “carro era de um senhor aposentado que só ficava na garagem”. (o carro, não o senhor kkkk)

        • REDDINGTON

          Sim clássico kkkkkkk

    • Leonel

      Haha…não sei aí, mas aqui o que mais tem de rebaixados são Clio, Gol, Saveiro e Montana.
      Estes se for comprar é bom revisar toda a parte de baixo do carro, molas, suspensão, amortecedores e etc…rs

      • aletp

        O complicado é não contarem a história do carro, dificilmente o rebaixador de carros é sincero e fala a modificação que foi feita apresentando o que ela pode causar no carro e os desgastes que isso traz, o cara ergue o carro e tenta passar pra frente como se não tivesse sido feito, se a verdade fosse contada dificilmente um cara que não fosse rebaixador ia querer.

        • Leonel

          Pois é @disqus_W1h48kp2X6:disqus , mas aí vai de quem compra levar a um local de confiança para verificar as condições do veículo. Na realidade, muitos escondem problemas, como embreagem, elétrico, necessidade urgente da troca de uma correia dentada e etc. Itens que sequer mencionam e se o comprador não estiver bem atento, passa despercebido.

          É complicado, com certeza vendas mais transparentes trariam uma maior confiança aos futuros compradores.

  • Luis Burro

    Nossa nd a ver!Pra mim sempre teve a ver com os manos de Hip Hop ou LowRiders.
    Acho q qm rebaixa msmo é pra ser diferente do resto.Pq sem ser Hot ou Rat rod ñ curto muito!

  • 🅰🅽🅳🅴🆁🆂🅾🅽 – 🆂🅿® ✅

    Tá aí uma coisa que nunca vi graça.

    • SDS SP

      É desconfortável. Se o cara faz isso para “tirar onda” nos finais de semana (como segundo carro), é uma coisa, mas para usar no dia dia, não rola.

    • cepereira2006

      Chegou a dar um arrepio ver aquela foto do Audi rebaixado. A montadora gasta horas de engenharia e testes para projetar uma suspensão perfeita para o manolo vir e cortar um pedaço da mola. Triste demais e ainda por cima atrapalha o trânsito.

      • 🅰🅽🅳🅴🆁🆂🅾🅽 – 🆂🅿® ✅

        O fim destes carros é esse infelizmente, estão fadados a sofrer nas mãos dos manolos no seu fim de vida.

  • Geovane Grimauth

    Boa matéria, infelizmente ainda existe uma grande maioria com preconceito de carros com suspensões modificadas manolizando quem às possui. Houve um bom avanço nesse mercado e grandes variedades para se usar tanto importadas quanto nacionais de ótima qualidade.

  • Guilherme Galante

    Acho que a pergunta correta deveria ser: “Por que rebaixar carros?”

    • ObservadorCWB

      Concordo.

    • Eng Turbo

      Posso opinar nesse caso: Sempre pensei a mesma coisa, até começar a preparar um carro Turbo pra rua….ele ficou simplesmente impossível de ser controlado com a suspensão original, pois nas acelerações ele “batia asas”, a suspensão dianteira subia e os pneus tocavam o solo com a parte externa, resultado, ele andava pra qqr lado, menos pra frente.
      Priorizei a preparação de freios, motor, cambio, etc….e me negava a rebaixar….porém fui vencido. Depois de muito trabalho e com uma suspensão FEITA pra isso, o carro se tornou outro, estável e com “chão”
      Agora rebaixar sem necessidade (Potencia) realmente não faz sentido

      • Esse é um ponto que quem é preconceituoso de forma geral com o assunto se recusa a enxergar. Rebaixamento pode ser feito de leve, com uma altura apenas um pouco mais baixa, como a de modelos esportivos alemães por exemplo, trocando os componentes por outros de qualidade, resultando em uma suspensão mais firme para um carro forte demais. Não são todos que rebaixam que deixam o carro daquele jeito ridículo que fica precisando passar de lado em lombada e raspando em tudo que vê na frente.

        Eu mesmo tenho um Dodge Dart com a suspensão dianteira mais baixa um pouco justamente por dar mais estabilidade a um carro que é relativamente potente e tem a suspensão meio mole. Não para pagar de gatão com carro raspando no asfalto (se bem que a suspensão original do Dart é regulável, vc gira um parafuso 19 que tem de cada lado do carro, pra um lado que vc gira a suspensão baixa, para o outro lado, ela sobe.)

        • toninho

          E QUEM FAZ ISSO? os manolos traficantes?
          aqui é Brejil infelizmente aqui segurança é coisa que não existe.
          você fez certo mas a manolada só faz porcarias e ainda causam acidentes.

  • IPZ.4

    Carros rebaixados tem a tendência de serem carros frágeis, frescos, quase precisam “levantar a saia” apenas para conseguir passar por um quebra mola. E atrapalham todo um mundo pra isso. Carro do dia a dia tem que ser útil e prático, sem enrolação.

    Agora fazer para exposição, track day etc, é de boa.

  • SDS SP

    Já dirigi carro rebaixado e não curti. Tira o conforto do carro, ainda mais em vias esburacadas ou com pavimento irregular.
    Talvez em situações em que o carro é só utilizado nos finais de semana (como segundo carro), até vai. Mas para usar no dia dia, esquece.

    Pior de tudo é ver carros que nasceram projetados para serem altos rebaixados. Meio non sense.

    • Guilherme Galante

      Dá vontade de chorar ver F250 rebaixada….

  • Luis Burro

    Já vi estudo q os rebaixados levam a pior nas colisões em relação aos outros.

    • Fanjos

      Tomara

      • Luis Burro

        Mas se for pensar é lógico pq um carro leva a pior batendo numa caminhonete e esta a pior batendo num caminhão.
        É q o parachoque q tem amparo da longarina fica abaixo da linha do parachoque de outro veículo e acaba entrando por baixo numa colisão.

  • Alfredo Araujo

    “Como rebaixar carros?”
    .
    Primeiro: Bata a cabeça na parede até começar a babar…
    Segundo: Ai sim vc já pode começar a destruir o seu carro.

  • Luis Burro

    Pior dos carros rebaixados não é o veículo em si,mas os donos deles!Não dava pra ser um pessoal bacana?
    A maioria q conheço pesa mais pro lado boçal,ainda mais qndo estão em grupo e acham q podem fazer tdo o q querem.E geralmente tem um mega som q deixam num volume ensurdecedor,ainda se as músicas fossem boas,mas é sertanejo ou funk!

  • Luiz Pereira

    NA chegando ao fundo do poço…

  • Rafael

    Nada contra, o carro é seu!
    Mas pelo amor de Deus, dê passagem ou então saia da faixa da esquerda..

  • Roberto C. K. Dos Santos

    Carro rebaixado e segundo grau é impossível ter os dois.

    • Mike

      Corrigindo: carro rebaixado OU segundo grau, impossível ter os dois.

  • Guedes

    “Carro rebaixado é para muita gente um símbolo de status e estilo”.

    Pra mim é sinônimo de ausência de ensino médio.

  • Rodrigo

    “Carro rebaixado é para muita gente um símbolo de status e estilo.”

    Pra mim é símbolo de babaquice.

    • Fanjos

      Troféu Aba Reta!

      • Rodrigo

        Prefiro o troféu Chavoso

    • toninho

      estilo imbecil com estradas porcas cheias de lombadas para arrebentar o carro
      E COMO NO BRASIL SER IDIOTA ESTA NA MODA se vê os trouxas por ai
      As oficinas agradecem.
      EU QUERO UM TANQUE OU UM MONSTER CAR COM RODAS DE 42″

  • Ricardo Almeida

    Todos os carros que eu tenho e tive eu coloco molas Eibach…
    Melhora a dinâmica, em alguns casos conforto, além de melhorar a estética do carro…

  • Daniel

    @carrosdebaiano Os Braia e os gandula.

    • mattgearhead

      “o pessoal fica tudo oiando”

  • afonso200

    a depender, carro sedan de luxo, tem que deixar a cambagem totalmente errada pra ficar certa.

  • Alvarenga

    Muito bom e depois sai na rua rebaixado aplainando tudo que é lombada e valeta e embaçando o transito. Ja vi até colisão traseira acontecer porque o carro quase parou pra passar em uma lombada.

  • Daniel dos Santos

    Enquanto uns torram grana em rebaixar, eu troco por um carro melhor…

  • Ronaldo Prado

    Só serve para empacar o transito. Pior que quanto mais esburacado é o bairro mais carro rebaixado tem.

  • Ⓜ️arcelo

    quer acabar com o carro rebaixe-o

  • Léo Dalzochio

    Não, obrigado. Prefiro erguer o jipe mais uns 10cm.

  • Alcindo Gandhi

    Sugestão ao site: dada as condições de nossas vias, sugiro a matéria “Como elevar carros”.

  • Lorenzo Frigerio

    Os únicos carros que faz sentido rebaixar são aqueles feitos “para as condições brasileiras”. P. ex., Toyota Corolla. Instalam-se as molas do modelo vendido nos EUA e pronto. Mais, não se deve rebaixar.

  • Enquanto uns rebaixam eu fiz um lift de 4cm no meu carro…

  • KOWALSKI

    Suspensão esportiva é MUITO diferente de ‘rebaixado’. Alterar a altura também altera os ângulos de trabalho da suspensão, isso os entendidos só sabem que existe cáster e cambagiii. Será que conhecem Geometria de Ackermann? Handling, momento de yaw, regime transiente, graus de liberdade, alavancagem, transferência de massa, etc. Pegue um carro original em perfeito estado e outro do mesmo modelo modificado pelo tião da esquina, os dois a 120 km/h, ambos acionam o freio no mesmo momento, veja quem para antes.

  • leomix leo

    Quando tive celta em 2010/2012, eu utilizei molas cortadas ( horrível, saiam do lugar, sempre davam trabalho) molas esportivas, mão deixou o carro na altura que eu queria, rosca não vale nada, as empresas utilizam amortecedores recondicionados, não tem o mesmo retorno que o original, fixa, o carro ficou mais confortável, mesmo assim a pneumática foi a melhor, deixava o carro sempre na mesma altura, não ficava levantando e abaixando toda hora. Por experiência própria, vale mais investir Em uma a AR…

  • ViniciusF

    Nossa, não existe nada entre uma Ferrari e um Corsa Wind? Pega qualquer THP ou TSI pra ver como fica bonito o barulho.

    • REDDINGTON

      Se vc gosta paciência, EU não gosto…simples assim.

  • Jefferson

    Como rebaixar carros? Não termine o Ensino Médio.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 12 anos. Saiba mais.

Notícias por email