Citroen Comparativos Mercado Peugeot Preços Renault Sedãs

Comparativo: Os três mosqueteiros – Pallas, 408 e Fluence

pallas-408-fluence1-620x378 Comparativo: Os três mosqueteiros - Pallas, 408 e Fluence

Os franceses estão no Brasil desde a reabertura das importações. Claro, eles também marcaram presença de outras formas ao longo da história do automóvel no Brasil. As três marcas possuem bons representantes no segmento de sedãs médios, mas nenhum deles chega a ameaçar a dupla nipônica, que duela pela liderança do mercado.



Citroën C4 Pallas, Peugeot 408 e Renault Fluence são estas opções dos franceses no mercado e cada um possui atributos interessantes para conquistar os consumidores, a começar pelo preço. Enquanto os japoneses começam após os R$ 60.000, os três mosqueteiros iniciam seus valores abaixo desse patamar.

O Citroën C4 Pallas custa a partir de R$ 59.063, enquanto o Peugeot 408 parte de R$ 57.490. Por fim, o Renault Fluence parte de R$ 58.770. Outra característica dos três modelos é o uso de motor 2.0 desde as versões de entrada. Apesar disso, dois deles já contam com motores turbo. O 408 com 1.6 THP de 165 cv e o Fluence com 2.0 Turbo de 180 cv. Em breve, o C4 Pallas vai mudar e deverá utilizar o mesmo bloco turbinado do irmão 408 na versão top.

pallas-408-fluence-11-620x413 Comparativo: Os três mosqueteiros - Pallas, 408 e Fluence

Dos três, o Citroën C4 Pallas é o mais cansado, pois já sente bem o peso da idade, apesar de seu estilo ainda ser bastante moderno e sofisticado, com destaque para o painel central digital e o volante de centro fixo. O tempo de mercado já se reflete nas vendas, sendo o menos emplacado entre os franceses. Em 2012, o duplo chevron vendeu 3.919 unidades e nesta quinzena apenas 109 foram emplacados.

O Peugeot 408 é o mais novo dos mosqueteiros e inovou ao utilizar um bloco 1.6 turbinado na versão topo de linha Griffe. Assim como o Pallas, o 408 surgiu primeiro na China e depois veio ao Brasil através da Argentina. Em 2012, o leão vendeu 7.712 unidades e nesta quinzena 255 unidades.

Já o Renault Fluence chegou bem depois do Pallas e pouco antes do 408. Tem visual moderno e agrada pelo conjunto. Ele também agrada a Renault em relação às conterrâneas, já que é o mais vendido dos três com 15.336 emplacamentos em 2012 e 726 na primeira quinzena de 2013.

pallas-408-fluence-21 Comparativo: Os três mosqueteiros - Pallas, 408 e Fluence

Com seus 4,77 m de comprimento e 2,71 de entre eixos, o Citroën C4 Pallas tem 580 litros no porta-malas. O Peugeot 408 tem 4,68 m e a mesma base do irmão. Ele oferecer 526 litros no bagageiro. O Renault Fluence tem 4,62 m de comprimento e 2,70 de entre eixos, entregando 530 litros.

Na versão de entrada, a mais completa é apresenta pelo Renault Fluence, que conta com seis airbags, Bluetooth, ar condicionado dual zone, controle de cruzeiro, cartão keyless presencial, sensor de chuva e crepuscular. O Citroën C4 Pallas também oferece ar condicionado dual zone, controle de cruzeiro e sensor crepuscular. O retrovisor interno é eletrocrômico. Ele também é o único que entrega todos os comandos de áudio, cruzeiro, iluminação e programação no volante.

Os demais apostam em comandos nas colunas de direção, praticamente uma tradição francesa, pois está presente nas três marcas e em modelos diversos. O Peugeot 408 apresenta na versão de entrada um pacote mais simples, mas conta com apoios de braço centrais e individuais na frente, além de sistema de áudio com Bluetooth.

pallas-408-fluence-32-620x366 Comparativo: Os três mosqueteiros - Pallas, 408 e Fluence

Quando completos, os franceses ficam muito próximos, sempre apresentam muitos itens de conforto e segurança, mas o mais barato é o C4 Pallas, que custa a partir de R$ 67.142 na versão Exclusive automática. Com faróis de xenon direcionais, ele pula para R$ 69.742. O Peugeot 408 THP atinge R$ 76.990, enquanto o Fluence GT sai por R$ 80.640.

Citroën C4 Pallas e Peugeot 408 contam com os mesmos motores 2.0 16V Flex com 143/151 cv e 20,3/22 kgfm com gasolina e etanol, respectivamente. Já o Renault Fluence tem no 2.0 16V Flex de 140/143 cv e 19,9/20,3 kgfm na mesma ordem. Além de transmissão manual, os dois primeiros oferecem câmbio automático sequencial de quatro marchas, enquanto o Fluence tem CVT Xtronic com seis relações. Gostou de algum deles?

Galeria de fotos dos Citroën C4 Pallas, Peugeot 408 e Renault Fluence:

  • William_R

    Gosto muito dos três carros, acho o 408 super elegante, o Pallas ta cansado mas ainda sim um carrão, o Fluence com certeza a melhor escolha, mas não sei pq eu preferi ficar com o civic mesmo… sou apaixonado por aquele painel.. rsrrs

    • Rafael_rec

      Você fez a mesma coisa que os adoradores do Sentra fazem. Dizem que o carro é perfeito e tem ótimo custo x beneficio, mas no fim acabam escolhendo outra marca. Parabéns pela compra, com certeza você não comprou só um carro, você também comprou um excelente serviço de pós-venda.

      Se fosse pra escolher um dos 3 a minha escolha seria 408 THP.

  • AndredeAzambuja

    Fiquei surpreso do Fluence ser o mais curto dos três, ele parece ser o mais longo, com certa folga até, coisas do design…De qualquer maneira, no meio do ano passado, ficamos em dúvida aqui entre Sentra, Civic, Cerato e Fluence, optando pelo último, por uma série de motivos. Não nos arrependemos, o carro é completo, muito bonito (comecei a achar mais ainda com o tempo), tem uma lista de equipamentos ótima, um consumo excelente pra um 2.0 daquele tamanho (aprox. 9,5 na cidade e 12,5 na estrada), conforto…e não deu nenhum problema até hoje, nem aqueles pequenos problemas que surgem quando você compra um 0km. Enfim, recomendo a compra.

    • Eu acho ao contrário, o C4 parece muito mais longo que os outros.

      • Nyck_o

        c4 pallas é quase uma "banheira"

    • Corvo

      Acho que o Fluence tampouco é tudo aquilo. Se quiser desempenho, sem dúvida ele é melhor que o C4 e 408. Na minha família compramos um Fluence priviliege cvt com todos os acessórios (xenon / lavador de faros, teto solar) e já quebrou uma vez no Litoral (soltou uma caixa embaixo da porta do motorista). Na concessionária onde foi consertado roubaram o estepe (não reconhecido pela Renault) o qual é impossível conseguir. Nem na própria Renault vendem o estepe de Fluence, que é emergencial. O acabamento do carro de longe é o ponto fraco dele. Já tem 2 plásticos do interior soltos que fazem barulhos. A aplicação de materiais deixa muito a desejar. Vejo materiais de acabamento do meu carro também (Sandero), o qual não é nenhum elogio por se tratar de um popular. O farol dianteiro direito já embaçou. Todas essas coisas que estou te dizendo não aconteceram no meu carro que é bem inferior. Não curti muito tampouco da posição de dirigir nem do consumo (6/6.5 km cidade, 7.5/8 km estrada) Pontos positivos ? Motor, cambio cvt, insonorização perfeita (até mais que uma CRV por exemplo que é de uma categoria superior). Não sei se é um carro que recomendaria de novo…

      • Tejolo

        É amigo, seu carro tem problemas… o meu CVT bate fácil 13 na estrada agora que está com mais de 40.000km, e nunca ficou abaixo de 8,5 na cidade nem quando zero. em relação ao estepe, a css não fez check-list de entrada para você assinar? É padrão em todas que fui até hoje, isso elimina qualquer dúvida se tinha ou não estepe, que também não é emergencial, pois trata-se de um pneu com classificação de velocidade V, até 240km/h. Também, este é meu segundo fluence, o primeiro, bem da primeira série, rodei cerca de 70.000km, e também tive números semelhantes de consumo, e nada de problemas. Logo, quando o meu atual chegar nos 70.000km, penso que deverei ir para meu terceiro….

        • Corvo

          Então, o Fluence é um carro muito bom. O que me deixou irritado é que um carro te deixar na rua com 500-600 km é o fim da picada, e o pior de tudo é que trocaram o estepe (colocaram um de Fox usado que logicamente não entra). A CSS fiz um check-list sim, mas o carro quebrou no Litoral Norte de SP e foi trazido até SP a reboque (já consertado). Na recepção na minha casa, ninguém verificou o estepe. O pior de tudo é que não há medida certa para o Fluence, ou seja, precisa comprar o estepe original, o qual a Renault não vende (ou só por encomenda). A gente percebeu da troca após 1 semana. O outro problema é que roubaram o cartão de memória do GPS do painel central, mas isso eles reconheceram e enviaram pelos Correios, não assim o estepe. Sobre o assunto do acabamento, não é condinzente, na minha opinião, se tratando de um carro de R$ 76 mil. Não mais, o estilo dele é bonito e imponente (ainda mais na versão top de linha) e o motor-cambio provavelmente seja do melhor da categoria. Se a Renault haveria caprichado um pouco mais no acabamento, seria melhor ainda

          • Tejolo

            Esses pequenos furtos costumam ser característicos de rebocadores…. já tive problemas com eles diversas vezes. Até a capa do banco de um gol da frota roubaram (!!!), rádios, frente de rádios, controle remoto de som, e estepe de algumas caminhonetes também. é complicado. Em relação ao acabamento, eu realmente acho bastante bom para a categoria. veja bem, também concordo que deveria ser melhor, mas na categoria nenhum tem realmente mérito perante o fluence, tirando o elantra, que é superior em relação à acabamento. O corolla é todo duro, o 408 tem vários desencaixes, o cruze parece de carro popular, o civic (tenho um também) é duro e range tudo, enfim, um pior que o outro.

            • Corvo

              Pois é…como são os bancos de seu Civic (é da atual geração) ? Os do Fluence acho que são bem duros, sobre tudo com banco de couro

              • Tejolo

                O meu civic é 2011, mas da geração anterior, mas fiz o test no novo. Eu acho o meu muito duro, e no test drive do novo não mudou muito, até por isso que para viajar com a familia só o fluence mesmo, que acho extremamente confortável….. Se você acha do fluence duro, faça um test drive no cruze e depois me conte. eu tive a impressão de estar sentado em um banco de tábua….. consegue ser mais duro que o civic.

                • Corvo

                  Nossa, não sabia que o banco do Cruze era tão duro assim. Depois de ler alguns depoimentos vejo que o Fluence não é tão ruim em vários aspectos rs

  • Antonio De Julio

    Isso que eu não entendo. O Fluence com um bom consumo e a Duster bebendo mais que o Lula em dia de jogo do Corinthians

    • KillerBeebop

      O Fluence e a Duster usam motores diferentes. O Fluence usa o 2.0 de origem Nissan, o mesmo do Sentra. A Duster usa o mesmo motor 2.0 Renault do antigo Megane.

      Tenho um Fluence CVT e o carro é muito bom. Na minha opinião, o melhor custo-benefício do mercado nacional de médios. O meu faz 9,5 a 10km/l na cidade, dependendo do pé e do trânsito.

      • marciors01

        Talvez o motor do duster não tenha sido bem adaptado para flex, meu megane 2.0 manual faz aproximadamente 13 na estrada tentando manter 110jn/h e 8.5 na cidade.

        • Corvo

          Engraçado que tenho um Sandero automático e estou achando ele economico, mesmo con etanol (na estrada consigo fazer 12 km com alcool, inclusive em altas rotações do motor, 3500 rpm a 120 km/h e utilizando caminho de serras no trajeto). Não sei porque o Duster 2.0 automático consegue ser tão beberrão. O que li no Inmetro é que o Duster manual de 6 marchas é economico como o seu….

          • CyborgPilot

            O teu Sandero automático está com quantos kms? Vc recomendaria o carro? É Sandero normal ou Step way? Tem boa estabilidade?

            • Corvo

              Então Cyborg, meu carro está com 12 mil km. Já estou no meu segundo Sandero (o primeiro era manual 1.6 da ''primeira geração"). Esse carrinho aqui o considero muito honesto em vários aspectos. Espaço interno, suspensão (o considero o melhor rodar entre os compactos, lembrando a carros um pouco maiores), equipamentos (abs, airbag, computador de bordo, volante em couro, comandos no volante, etc) e manutenção (seguro muito barato, revisões fixas). O pós-venda aqui em SP capital é excelente, não sei de que cidade voce é, mas eu nunca tive problemas.
              Sobre a estabilidade, é um carro que mesmo sendo alto é estável pois a suspensão traseira é dura, neste quesito é muito bom, superior ao Stepway (meu cunhado tem um) em estabilidade que é mais alto ainda.
              O cambio é melhor que seus concorrentes diretos (melhor que os automatizados, e melhor que os da PSA). O motor 16v é elástico e anda muito bem. O que não gosto é que é um pouco barulhento. A insonorização melhorou muito respeito ao anterior, mas ainda não é lá aquelas coisas. Ele grita bastante, até porque trabalha na faixa das 3000 mil rpm. Mas em velocidade constante é relativamente silencioso para sua faixa.
              O consumo vária muito com o transito (consigo fazer 7 km etanol na cidade, com muito transito varia de 5.5 a 6 km, e na estrada consegui fazer algumas vezes excelentes 12 km com o mesmo combustível).
              É um carro que recomendo sim, até porque tenho convívio com Sandero há alguns anos. Se quiser um carro automático para andar na cidade com alguma dose de espaço e conforto e de manutenção barata, pode ser uma opção interessante

              • CyborgPilot

                Corvo, obrigado pela atenção. Pois é, eu e minha irmã estamos querendo em alguns meses trocar os nossos carros atuais por hatchs automáticos e estou estudando os que são fabricados no Brasil. Então temos New Fiesta que entrará no mercado agora, 207 em fim de carrreira, Sandero, HB20, e o Onix automático que está por vir em breve. Apesar de eu gostar do visual interno e externo do Punto, não gosto muito do comportamento do Dualogic, mesmo o Plus e isso vale para os outros automatizados nacionais monoembreagem.

                • Corvo

                  O que eu sempre digo Cyborg, são todas boas opções e cada escolha tem que se adaptar as suas necessidades. Quando comprei o meu, avaliei muitos aspectos tais como seguro, manutenção, combustível, desvalorização, garantia, financiamento, desempenho e não encontrei nada melhor na faixa até os 45 mil (sempre falando de carros zerados) de carros automáticos. Eu sou uma pessoa alta e preciso de porta-malas pois levo muita bagagem e cachorro de grande porte rs e viajo pra praia com frequencia. De cara o Fiesta descartei por não ter opção de cambio automático, pelo porta-malas e por não ter um espaço interno decente, pelo menos assim considero.
                  O 207 custava quase a mesma coisa, mas a garantía só de 1 ano e o espaço interno me fizeram descartar ele de cara.
                  O Punto fui a ver ele e na época ainda não tinha chegado a nova geração, mas o que não gostei foi a garantia de 1 ano também e do comportamento dualogic.
                  Do Fox realmente gostei, mas com os mesmos equipamentos, o automatizado ficava R$ 6 mil mais caro que o Sandero e o porta-malas pequeno e a taxa de financiamento me fizeram desistir (o dobro que no Renault).
                  Depois não encontrei muitas mais opções por esses valores…
                  Hoje em dia tal vez cognitaria, além do Sandero, o HB20 ou Onix…

        • Salvadeo

          O meu Megane também 2.0 Dynamique MT, de 6 marchas, a gasolina, faço 9,9 na cidade e 13,2 (ou +) na estrada.

    • REUSAN

      Pena q a nissan vai aposenta-ló no novo sentra!

      • Antonio De Julio

        E o que vão usar no Fluence? O mesmo da Duster?

      • fkas

        Não deve… O motor tem uma imagem muito boa, e os concorrentes ou tem ou vão ter um 2.0 (Corolla, C4, 408 e Fluence já tem; Civic e Elantra terão logo). Será besteira tirá-lo. E como vai continuar no Fluence, não vai parar de fabricar…

    • ocduarte

      "Bebendo mais que o Lula em dia de jogo do Corinthians." Melhor analogia, impossível!

  • Leandro1978

    Ficaria com o Fluence. É bem melhor ao vivo que nas fotos. Além de ser muito bem equipado. Seu acabamento parece ser bom, na média do segmento. O 408 é bonito nas fotos, mas ao vivo é bem sem-graça. Quando entrei em um, tive a impressão de ter um acabamento pouco melhor que o do Fluence. Agora, nas versões turbo, ficaria em dúvida. Acho que optaria pelo Jetta TSI…rs… O Pallas é interessante, mas está visivelmente cansado frente aos modelos mais novos, não que seja pior que os demais, mas está cansado.

    • metal_sm

      Também acho que esse C4 Pallas com design desatualizado, no segmento só não é menos pior que o Linea

      • Id_Moreira

        Linea nem é desse segmento; falta muito pra ele ser um médio. Como o punto, fica na chamada "compacto premium".

    • Edson Roberto

      Leandro o problema é sempre preço. Enquanto se encontra entre R$73000 a R$75000 o Peugeot, o Jetta que sempre vem com configuração superior ao mais "simples" custa por volta de R$82000.

      Sem contr que a Peugeot é super agressiva paara financiamentos. Talvez esses itens estejam criando interesse nas pessoas. Se fosse o de entrada eu ficaria com o Fluence.

    • Corvo

      Acabamento bom do Fluence ?? Não. É o ponto fraco dele. A insonorização da cabine é excelente, mas a utilização de materiais e arremates não são nada bons. É uma pena porque o motor/cambio são excelentes, mas fica devendo em acabamento

      • marciors01

        Os materiais são bons, o problema do fluence é o design do interior.

        • Corvo

          Então, o único que vejo bem acabado no Fluence (temos um top de linha na família) é a parte frontal do painel (como no Focus) mas as portas deixam muito a desejar. As portas traseiras então, é o mesmo plástico utilizado no painel e portas do Sandero (e outras partes ''cromadas'' presentes nas portas e no painel central).
          O que é elogiável é o silencio interno. Consegue ser superior que em carros de categoria superior que já andei (CRV por ex, e bem melhor que o Jetta TSI)

          • marciors01

            Corvo, então porque o carro não portas traseiras toda em plástico não pode ser considerado mal acabado, as portas dianteiras são superiores ao que se encontra no focus e o painel utiliza materiais de boa qualidade, ele não pode ser considerado um carro com interior de materiais de segunda porque não é.
            E veja, o civic atual é inferior ao fluence, ele é todo em plastico duro assim como o cruze, o cruze utiliza materiais de compacto premium, o seu trunfo é o design do painel que realmente é muito bonito.

            • Corvo

              Marcio, tal vez me expressei errado. Não é somente por isso que considero que o Fluence não tem um bom acabamento. O problema maior é nos encaixes e arremates, e não necessariamente na escolha de materiais. Veja bem, no nosso, o primeiro dia que foi entregue, o botão de regulagem dos fárois já estava solto. Também, depois de alguns dias de uso o plástico cobertor do espelho retrovisor estava solto e um barulho que provém do porta-malas persistente até hoje. Um farol dianteiro já está embaçado. Repare bem que no painel central, onde fica o ar condicionado central, essa peça está como solta. No parachoque dianteiro existe um buraco entre os fárois e o próprio parachoque, o que acho um absurdo. Acabamentos de tinta que não mostram em cuidado..em fim, acho que pelo preço que voce paga não é condinzente o acabamento. Mas acho que o pior é o control de qualidade da Renault nesse quesito.
              Por outro lado, o carro compensa tal vez com outros mimos (conforto) e com um conjunto motor/cambio (e suspensão). Sobre os outros carros médios (Civic, Cruze) desconheço o acabamento pois não tenho convívio com eles. Mas me estão dizendo que tampouco são uma maravilha, então vejo que não é só um mal do Fluence…

              • Leandro1978

                Parece que você foi "sorteado". No modelo que entrei, na concessionária, o acabamento não pareceu ser tão mal assim. Em relação aos concorrentes, cada um tem os seus destaques e defeitos, não existe carro perfeito (por mais caro que paguemos), cabe ao consumidor julgá-los e optar pelo que melhor lhe agrade e atenda às suas necessidades.

            • Leandro1978

              O painel do Civic é de plástico duro, mas de boa qualidade. Nas portas, na parte superior, o plástico é emborrachado, inclusive nas portas traseiras, ao contrário do que ocorre com o Fluence. O maior defeito do Civic, na minha opinião, é acabamento do porta-malas, que não tem um painel recobrindo a tampa (as ferragens são visíveis) e a tampa que fica sobre o estepe é de um compensado da pior qualidade, a impressão que dá é que, se colocar algo mais pesado, partirá a peça ao meio. O porta-malas do 500, que custa R$ 20.000 a menos, é muito melhor acabado. Parece que nesta versão 2014 isso foi melhorado.

              • marciors01

                Leandro, honestamente se o porta malas não danificar as malas estou pouco me lixando para o acabamento, quanto maior contato visual tivermos com determinada peça mais importante será o seu acabamento.
                As portas do civic podem ter acabamento emborrachado, mas o painel sofre, e veja que no antigo o painel era emborrachado, o acabamento emborrachado é superior não apenas pelo tato mas pelo aspecto visual e o painel está no nosso campo visual todo o tempo, as portas não.
                Eu poderia ter um focus tranquilamente, o painel é bonito e bem acabado, as portas são mal acabadas? São, mas só olho para elas no momento de abrir e fechar as portas, se fosse o oposto, painel simples demais e mal acabado com portas muito bem acabadas eu pensaria duas vezes.
                O painel do fluence tem bom acabamento e materiais de qualidade, e para o meu gosto é bonito, gosto de visual clean, não gosto de visual poluído como o é o painel de alguns carros que são cheios de botões e luzinhas, acho cansativo.
                Comparando os dois carros, podemos dizer que o fluence anda mais, é mais confortável, é mais silencioso, tem maior porta malas, tem mais equipamentos de conforto, tem mais equipamentos de segurança e custa mais barato.
                Para o civic sobre o melhor acabamento das portas, maior esportividade (para quem procura esportividade) e uma suposta maior confiabilidade, digo suposta porque já tive quatro carros novos.
                Dois clios, um old focus e agora um megane, com um dos clios fui uma vez na css fora das revisões e com o megane também uma, e nada mais, este é o normal, estes carros problemáticos que aparecem nos fóruns são as excessões, não é o normal
                Então, sendo pessimista, para evitar ir uma ou duas vezes na css fora das revisões eu vou pagar mais caro e receber menos equipamentos de segurança e menos equipamentos de conforto? Nunca, meu dinheiro não é capim e não dá em árvore.
                Eu sei que sai do foco do assunto anterior, mas como ficou uma comparação direta entre os dois carros resolvi colocar aqui a forma como enxergo estes modelos, e lembrando o mesmo vale para o corolla.
                O corolla talvez tenha uma suspensão tão confortável quanto o fluence, até acho que um pouco menos, mas e o resto, até em espaço ele perde, se comparares diversos itens objetivos entre os dois carros o corolla não leva a melhor em nada. absolutamente nada, bom, talvez acabamento das portas.

                • Leandro1978

                  Respeito sua opinião. Eu acho que, pelo preço, o acabamento do porta-malas do Civic deveria ser melhor, inclusive, algo que esqueci de falar, o isolamento para o escapamento é ruim e acaba esquentando parte do compartimento, consequentemente, o que estiver lá. Em relação ao painel ser emborrachado, vejo muitos modelos com o material emborrachado somente na parte superior, que uma região em que pouco toco. Já nas portas, o contato geralmente é maior, assim prefiro um painel de plástico duro e portas emborrachadas. Mas não confunda plástico duro com falta de qualidade, tem painel que possui plástico duro, mas o material utilizado é de qualidade, sem rebarbas, bom de toque. Eu acho que este é o caso do Civic. E tem painéis emborrachados de baixa qualidade, com rebarbas etc. Há até o relato de um colega criticando o Fluence em relação a isso (sinceramente, quando entrei em um não notei isso, mas enfim).
                  O painel "Transformers" que muitos carros possuem hoje, realmente em alguns casos é pouco intuitivo. Eu prefiro um painel mais simples, mas mais intuitivo e de boa qualidade a outro mais chamativo com pouca qualidade no material utilizado.
                  Sim, carros problemáticos são exceções (ou deveriam), mas aqui viram regra… Dependendo da marca, se um tem problema, todos têm…
                  Quanto a optar por um Fluence ou Civic, vai de cada um, cada consumidor deve compara-los (e com outros) e optar pelo que melhor lhe convém.

    • marciors01

      O 408 tem o melhor acabamento do segmento, o interior bate todos os outros da categoria com folga, apenas não gosto da suspensão traseira muito seca, do design da traseira que parece pequena para o porte do carro e da falta de equipamentos da versão básica.
      O fluence é bom folga a melhor compra considerando as versões básicas.

    • Vitão

      Tbm tenderia a ficar com o Fluence, mas se depois atualizarem o C4 Pallas, dae eh outra história kkk…..

  • Fix It Again Tony

    Nenhum dos três é puramente francês. Os PSA são adaptações chinesas e o ultimo é um Renault-Nissan com uma mãozinha sul-coreana.

    • marciors01

      Fix, não viaja.
      O pallas é um c4 sedã, as únicas diferenças para o hatch são a plataforma alongada e a traseira, no restante é um c4, e diga-se, o c4 sedan chinês é diferente do nosso.
      O 408 idem, é um 308 alongado e com porta malas saliente, nada além disso.
      O fluence foi projetado na Europa pela renault, é basicamente um megane hatch com suspensão traseira e motor de sentra, todos são franceses e não foram projetados inicialmente para a Europa porque as três francesas pararam de produzir versões sedã dos seus hatches, mas no final das contas o fluence acabou sendo vendido também na Europa.

  • msouza91

    Acho curioso algo que já me aconteceu com o Fluence. Como a partida é feita por botão e não é obrigatório colocar o cartão no Painel, já aconteceu de eu sair com o carro e esquecer ele ligado, o controle presencial trava as portas, mas não desliga o motor, então o carro ficou umas duas horas e meia funcionando sem ninguém dentro…

    • Leandro1978

      Posso estar enganado, mas lembro de um desses sites que testam os modelos por certo tempo, ao testarem um Fluence, fizeram algo parecido, mas, no caso, ligaram e tiraram o cartão. O carro funcionou bem, mas se desligassem o motor, não pegaria mais.

      • msouza91

        então, o cartão tem que estar dentro do carro pra ligar, eu liguei o carro, dirigi e na pressa, esqueci de desligá-lo, então ele travou e fechou os vidros quando eu saí de perto com o cartão, mas não desligou o motor, se eu tivesse desligado o motor, ai ele só ligava de novo com o cartão dentro

        • MajorAutomotivo

          Não. O cartão tem que está apenas próximo ao veículo. Algo como 1 a 2 metros.
          Veja o blog "quarentena", tem uma postagem somente acerca disso.

          • dougkmt

            Pra complementar o uso da chave-cartão do Fluence:

            [youtube puYpUO3tOlY http://www.youtube.com/watch?v=puYpUO3tOlY youtube]

            Pelo que eu entendi, pra desligar vc precisa apertar o botão START/STOP mesmo com a presença da chave-cartão. Na última volta sem a chave com o condutor (ficou no para-brisa de outro veículo) o carro não desligaria, somente se vc apertar duas vezes o botão (propositalmente).

        • JPaulo10

          Msouza, acho que isso é Nissan: a partida deve ser componente da japonesa, porque um vendedor mostrou para mim a mesma coisa num Tiida e Sentra.
          Você pode sair, travar o carro e o motor continuar ligado.

    • AndredeAzambuja

      hahaha já aconteceu com a gente também, é realmente estranho…tiveram que avisar a gente lá no escritório que o motor tava ligado.

    • ocduarte

      Já tirei a chave-cartão da Grand Tour sem desligar no botão. Como o carro em marcha lenta é silencioso, não é dificil de acontecer.

  • duhehe

    O que mata no Fluence na minha opinião é o painel de instrumentos, uma tradição renault fazer ele inclinado, acho isso pessimo, sem falar na simplicidade.

    Já no 408 o cambio automatico é o que mais vai contra.

    • Tejolo

      Eu também estranhei o painel inclinado, mas é bem fácil leitura, e não reflete nada mesmo com sol à pico, ao contrário do que acontece com o contagiros do meu civic, que se o sol estiver meio reto, não dá nem para enxergar.

    • marciors01

      Gosto muito do painel de instrumentos, gosto do design e da cor, o que falta é um pouco mais se sal no design do painel como um todo, mas acho que ainda assim fica bem melhor na cor preta do modelo básico, não gosto da combinação de cores do privilege.

  • fkas

    O Pallas está bem ultrapassado para o segmento. O 408 é um carrão, mas seu peso excessivo e a ridicula transmissão automática AL4 fazem com que o único modelo realmente bom seja o turbo, topo de linha.
    E fora a simplicidade do acabamento (não é ruim, só é simples demais), eu não consegui achar defeito no Fluence. Por isso tenho um. Até minha mulher, que detesta carros "grandes", adora dirigir ele, de tão bom que é.

  • Por Design eu iria de 408, por melhor CxB eu iria de Fluence, e pelo c4.. nao pera esquece.

  • RafaPinheiro

    Se fosse optar por um deles na versão de entrada compraria o fluence se fosse pegar a top iria de 408 thp

    • LucasSalina

      Foi exatamente meu raciocínio. Excluo o 408 básico e o c4 por causa do câmbio, e o fluence top já não tem um bom custo benefício.

  • projetoscol

    Não só entre os 3, mas de todos os sedãs médios o que mais me agrada é o 408, sou proprietário de um 307 Sed. e é um carro que me agrada muito em todos os aspectos (e olha que eu ja tive carros de categoria superior aos sedans médios, mas precisei baixar um pouco a categoria para sobrar grana para comprar um segundo carro de uso da minha esposa), e ao contrário do que dizem tem manutenção bem em conta.
    Em novembro passado, só por curiosidade pois não ia trocar de carro, fiz um test drive em todos os sed. médios do mercado e novamente o que mais me agradou foi o 408.
    Exceto que apareça no mercado alguma novidade surpreendente, é bem provável que eu troque meu 307 por um 408.

  • raulgodiano

    O que ferra o "leao" é o cambio …, C4 ja precisa de uma renovação igual ao C3, o Fluence um carro que poderia fazer frente junto a dupla niponica, so nao faz porque a Renault sempre consegue estragar tudo, igual ela fez com o Megane.

    • marciors01

      Não consigo enxergar o fluence como inferior ao corolla e civic, pelo contrário, se fizeres um comparativo objetivo ele irá levar a maior parte destes itens, no meu conceito como carro que visa conforto é bem superior ao corolla, e no caso do civic perde apenas se o motorista pretender um comportamento mais esportivo, apesar de andar mais o fluence é nitidamente um carro que visa o conforto.

      • jpmocellin

        O problema do Fluence, contra o Corolla e o Civic, não é o carro em si. É o atendimento na concessionária, digo isso pois meu pai que tinha um Corolla agora tem um Clio, e nunca mais volta pra Renault. Não sei se é a concessionária da minha região que é assim, mas o atendimento aqui é bem inferior ao da Toyota. E sem contar que as peças do Clio custam mais ou menos o mesmo preço das peças do Corolla, e são trocadas com bem mais frequência.

  • LuccasVillela

    Também prefiro o desing do 408, mas o custo benefício do Fluence é imbatível.

  • Felipe_Henrique

    Seria bacana uma matéria como essa depois do lançamento do novo C4.
    Uma outra sugestão, seria entre os três "nipônicos" que temos nesse segmento: Civic, Corolla e Sentra: Mas já avisto os "civiqueiros" na arquibancada da Honda apedrejando os outros leitores…

    • Tejolo

      Esse comparativo ia ser complicado, pois o Sentra ainda precisa chegar no mercado, o civic tá mais ou menos atualizado, e o corolla não sei o que ainda faz no mercado apenas com uma roupa nova. Assim, se comparado com o Sentra atual e com o corolla, o civic dá uma surra fácil neles. Acho isso mesmo tendo um, e realmente não acho que ele seja nada de mais. Inclusive acho meu fluence muito mais carro que o civic, em praticamente todos os aspectos.

      • JPaulo10

        Pelo que sei, o Corolla novo chega no 2.o semestre, com câmbio AT de 6 marchas.

      • Felipe_Henrique

        A sugestão que fiz ao pessoal do NA, seria justamente após a chegada dos novos Sentra e Corolla… Não sei se até o lançamento dos dois, a Honda já vai ter "mexido" no Civic, de qualquer forma um comparativo com todos os modelos "nipônicos" atualizados certamente é mais sensato.

  • Renan21

    Bom texto.
    Em estilo eu fico com o 408.
    Em motor eu fico com o fluence turbo.
    Ou seja, queria o 408 com o motor do fluence turbo.

    • dougkmt

      E qual câmbio?

      • Renan21

        Do fluence, claro. srrssrr
        Mecanica do fluence no corpo do 408.

        • JulienAvril

          como nenhum desses sedans medios estão querendo ser um Lancer Evo X.
          acho que o Motor 1.6 THP com o cambio AT de 6 velocidades da conta do recado!
          não precisa da mecanica do fluence, agora se vc quer esportividade e cambio manual.. um DS3 seria mais apropriado, não ?

          • Renan21

            Eu não gosto de cambio manual, prefiro automático.
            Também nunca que eu compraria um DS3, acho muito feio. Se fosse pra escolher alguem do mesmo tamanho que o DS3, eu ficaria com o Audi A1

  • Y07

    Iria de Samsung, quer dizer, de Fluence sem pensar duas vezes. Mas se tivesse que escolher um sedan médio, a resposta seria: MITSUBISHI LANCER.

    • marciors01

      O lancer é caro, pelado e anda pouco, o motor é forte mas o casamento com o cãmbio cvt foi muito ruim, mas o ponto fraco mesmo é a falta de equipamentos de conforto e segurança, não comprar um carro somente pela estética.
      E mais um detalhe, o fluence não é um samsung, ele é um megane hatch alongado com motor e suspensão traseira do sentra, esta é a descrição básica do fluence.
      Ele não foi projetado na Coréia, foi projetado na Europa mas como a intenção era de um carro para ser vendido em todo o mundo houveram colaborações das equipes dos paises que iriam comercializar o carro, incluindo a equipe de engenheiro da renault do Brasil.

  • ToNemAi_

    Painel fuleiro do Peugeot…

    • luizcrjr

      com certeza, engraçado é que achei o painel do c4 o mais bonito de todos (mesmo sendo mais antigo).

  • JPaulo10

    Eu iria de 408 THP na versão top (o preço do Fluence Privilège é alto) ou Fluence na versão básica (mesmo que digam ser a embreagem muito dura e cansativa).

  • bedotRJ

    Os três são excelentes opções em CxB. Entregam o mesmo ou mais que a japonesada e o Cruze, líderes do segmento, sem apresentar preços surreais.

    Na comparação direta, considerando preços reais no Rio, tanto o 408 quanto o Fluence são "compráveis". Dá prá conseguir o Peugeot entre 53 e 54k e o Renault entre 57 e 58k, ambos nas versões de entrada. Quem quiser o conjunto mais completo, com 6 marchas e os airbags adicionais, leva o Fluence. Quem estiver com menos folga ou for um cliente de uma faixa inferior fazendo esforço prá chegar nos sedans médios, leva o 408 muito bem.

    O Pallas tem um conjunto idêntico ao do 408 e até oferece vantagens em espaço interno e qualidade do estofamento. Mas já chegou naquela idade em que a opção por ele precisa ser mais racional, calcada especialmente no preço. Custando de 5 a 10% a menos do que o 408, ainda seria muito atraente. Mas seu preço real é similar ou até um pouco maior do que o irmão da Peugeot. Então ele acaba não se justificando muito. Vamos ver qual vai ser a facada da Citroën quando chegar o substituto, talvez ainda esse ano.

    • riccorreasp

      Esse seu comentário apenas corrobora a opinião de que o HB20X, bem como o CrossFox, realmente têm preços extorsivos.

      • bedotRJ

        Com certeza, são extorsivos mesmo. É só pensarmos que com 50 e poucos mil, preço aproximado dos citados, é possível comprar EcoSport 1.6 S e Duster Dynamique, carros muito criticados, mas bem mais próximos do verdadeiro conceito SUV do que hatches compactos com suspensões elevados. No momento, somente o Sandero Stepway está com preços, se ainda não competitivos, relativamente aceitáveis dentre estes hatches elevados e plastificados.

  • Landrutt

    Com câmbio manual, dos três, eu iria de 408. Acho o Peugeot um carro muito bonito. Se a Renault enxertasse a frente do Megane europeu no Fluence eu iria nele, nas projeções ficou muito top. Acho o C4 Pallas um carrão, é MUITO confortável e espaçoso, com acabamento impecável, mas é um modelo bem cansado, está absolutamente intacto desde o lançamento em 2007…pra não dizer que não mexeram nele, a Citroën retirou na linha 2011 ou 2012 o conta-giros que ficava acima do volante, o que foi uma involução. Nas versões top de linha eu ficaria na dúvida entre o Fluence Turbo e o 408 THP.

  • TTropicthunder

    São carros de grande desvalorição e sempre com relatos de defeitos tenebrosos sem falar do pós-venda…

    • rodrigomalc

      Defeitos tenebrosos? Pra mim defeitos tenebrosos são motores que param do nada (VW), roda soltando (FIAT)…
      Puro preconceito seu, e da maioria dos brasileiros, tanto que a desvalorização acima da média se dá por isso.
      Bom pra quem espera 1 ou 2 anos, e compra um carrão desse já desvalorizado, e praticamente novo.

      • raulgodiano

        Pois é, brasileiro tem memoria curta, o povo desceu a lenha no Sandero do teste de batida, as nao vi ninguem falando nada nos teste do Celta, Gol , Corsa, Uno … , e daquele recall de 400 mil carros que a VW disse que estava tudo bem e que era exagero ..

    • codmanBR

      A desvalorização do Fluence está na média da categoria(tabela FIPE). Poderia ser mais específico em relação aos defeitos tenebrosos, quais seriam?

  • marciors01

    Rodrigo, precisas te informar melhor antes de falar bobagem, veja este link.
    O fluence ZE elétrico foi apresentado no salão de frankfurt em 2009 e o samsung sm3 foi apresentado também em 2009 no salão de Seul também em 2009, é um projeto renault que objetivava tanto ser utilizado como carro elétrico como também uma versão sedã inexistente na linha megane, que na Europa tem apenas versões hatch, coupe e perua.
    A diferença é que a renault apresentou o fluence depois de o modelo ter sido apresentado na Coréia como sm3, mas veja, a renault nunca entregaria o projeto do seu carro elétrico para a subsidiária samsung, isso não existe.
    O carro foi projetado na Europa como citei anteriormente, inclusive foi primeiramente apresentado como conceito em 2004 pela própria renault, e descontando as linhas exageradas como todo o conceito possui é possível ver que serviu de inpiração para o atual em muitos detalhes.
    http://en.wikipedia.org/wiki/Renault_Fluence

  • W_Costa

    Acho legal comparativos, se fosse em vídeos seria ainda melhor, mas… que tal um comparativo com os populares, tipo: novidades vs campeões de venda, seria interessante de ver. Abraços.

  • Adriano_Silva

    Mudei meus conceitos sobre os francese depois de experimentar C4 e Fluence, fantásticos, no mercado de semi-novos então são verdadeiras joias, comparativo ótimo, pena não ter guiado AINDA o 408 rsrsrsrsr.

  • WolfpackVF1

    Renault Fluence pelo motor 2.0 e câmbio CVT. um conjunto mecânico fantástico, sem dúvidas o melhor custo x benefício do mercado. Se viesse como é vendido na Turquia seria o ideal, muito bonito e me animaria a trocar meu Civic 2010 LXL por um com ESP e teto solar. Torço muito para os franceses e coreanos tirarem o rei da barriga de japoneses e alemães que cobram muito caro por carros pelados no Brasil. A Renault só precisa entender o gosto do brasileiro quanto ao desenho dos carros e parar com os romenos no Brasil.

    • Salvadeo

      Infelizmente isso não vai acontecer (parar com os romenos). A Renault está priorizando a planta de sua fábrica no Paraná para os modelos Duster, Logan e Sandero. Tem demanda aquecida, aja vista o excepcional incremento em vendas que teve em 2012 com estes modelos. O Fluence, com certeza, virá com o novo visual mundial da marca em 2014, o que o deixará muito mais atraente e aliado ao outros predicados que já têm continuará sendo uma opção interessante.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 11 anos. Saiba mais.

Notícias por email

Send this to a friend