*Destaque Governamental/Legal Mercado

Contran começa a aceitar cartões e parcelamento para pagamento de multas

multa-de-transito-infraçao Contran começa a aceitar cartões e parcelamento para pagamento de multas

O Conselho Nacional de Trânsito (Contran), anunciou na última quarta-feira, 18, por meio de uma regulamentação da Resolução 697, que vai começar a aceitar cartões de crédito e débito para o pagamento de multas de trânsito e também de débitos relacionados ao veículo, o que inclui IPVA (Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores), licenciamento e seguro obrigatório. Com isso, os condutores poderão parcelar os valores pendentes.



A resolução já está valendo, mas ainda depende da implementação por cada órgão de trânsito (Detran e prefeituras, por exemplo), que devem adaptar seus sistemas e adotar operadoras de cartão. Porém, o serviço pode não ser oferecido em alguns órgãos, já que se trata de uma regulamentação e não de uma resolução com força de lei (ou seja, não é obrigatório).

De acordo com o ministério, a medida quer reduzir a inadimplência desses pagamentos e também o número de veículos irregulares em circulação em nosso território. O número de parcelas será definido por cada órgão local e a responsabilidade do pagamento das parcelas à operadora do cartão será do próprio cidadão. O órgão responsável vai seguir recebendo o valor à vista e a regularização do veículo será imediata.

“Antes dessa norma, alguns órgãos de trânsito adotaram o parcelamento das multas de trânsito diretamente por meio de documentos de arrecadação. Muitos proprietários de veículos buscavam o parcelamento como forma inicial de regulamentar a situação do veículo e obter o documento de licenciamento ou possibilidade de transferência, sem arcar com o compromisso de quitar as demais parcelas”, explica o diretor do Departamento Nacional de Trânsito e presidente do Contran, Elmer Vicenzi.

No Rio de Janeiro, o parcelamento de multas e débitos de veículos já está sendo aceito pelo Detran. A quitação da dívida pode ser realizada em até 12 vezes por meio do site do órgão. Os juros cobrados na operação correspondem à taxa Selic acrescida de 1% ao mês, conforme determinação do Departamento Nacional de Trânsito.

 

  • Zé Mundico

    Sei não, mas agora é que o povo vai se endividar mesmo…….

    • Jose Antonio

      Concordo plenamente

  • Paulo Roberto Steindoff

    O juro do cartão de crédito é mais alto. Melhor não pagar com cartão de crédito.

  • Eduardo Sad

    Bacana! Agora o Governo vende crédito (Selic + 1%) para o coitado do assalariado pagar os autos de infração emitidos pelo mesmo. Bora arrecadar! Podia lançar um consórcio de uma vez! O sujeito paga todo mês e quando for contemplado, liquida as multas de uma vez só! rsrs

  • Silvio Vasques

    Bacana! Depois da CNH digital, agora essa! Estão facilitando a vida do cidadão! Parabéns!

  • ObservadorCWB

    Governo+Bancos 1 X 0 Povo … e começa a partida.

    • klaus

      7×1

  • Henrique12

    Imaginei aqui se houvesse um comercial do governo… “Desconto à vista, parcelamos em 12x!” “Leve sua multa agora mesmo, não perca essa chance!!”

  • Sandro

    Parcelamento de multa eu sou contra visto que brasileiro tem a mania de só seguir o que lhe dói diretamente no bolso e facilitar o pagamento de multas só fará que os absurdos já vistos no Brasil cresçam exponencialmente. Deviam é aumentar substancialmente o valor das multas para os infratores e instituir um desconto de 30 a 50 por cento no IPVA dos veículos sem multas na seguinte proporção: 1 ano sem multa, 30% de desconto, 2 anos, 35% e assim até chegar a 50%. Se houver uma única multa retorna a contagem inicial. Mas como só fazem leis para favorecer infrator esse tipo de coisa não irá acontecer.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 11 anos. Saiba mais.

Notícias por email

Send this to a friend