Finanças Mercado

Crédito farto para financiamentos de carros gera rombo de R$ 23 bilhões nos bancos

comprando-carro-2 Crédito farto para financiamentos de carros gera rombo de R$ 23 bilhões nos bancos

No começo da década, o mundo estava mergulhado na pior crise econômica mundial desde 1929, mas o Brasil estava saindo pela lateral sem grandes danos, assim como poucos no mundo. Juros baixos, corte de impostos e crédito para os bancos, impulsionavam a economia. No mercado automotivo, o País era o novo paraíso em meio ao caos financeiro, com grandes volumes emplacados e promessas de crescimento animadoras.



Nesse ambiente, o crédito para financiamento de automóveis não poderia ser menor. O montante disponível era tal que a grande maioria dos contratos eram aprovados sem muitas delongas. Entre os anos de 2010 e 2011, antes mesmo do boom de 2012 e 2013, o mercado automotivo nadava em crédito fácil.

Sem entrada e planos de até 100 parcelas, o automóvel passou a ser considerado por milhares de pessoas que antes não tinham acesso nem ao carro usado. Praticamente qualquer pessoa, até sem histórico bancário, podia sair de carro 0 km, impulsionados por publicidade e IPI reduzido. Os vendedores faziam a festa, pois perder clientes era bem difícil. Afinal, sem entrada, primeira para meses depois e planos de até oito anos, praticamente era irrecusável para a grande maioria.

comprando-carro-2 Crédito farto para financiamentos de carros gera rombo de R$ 23 bilhões nos bancos

Mas, a conta dessa festança toda não fechou. Pelo menos para os bancos. De acordo com relatório emitido pelo Banco Central, as instituições financeiras amargaram um prejuízo de nada menos que R$ 22,8 bilhões, montante que os bancos já desistiram de cobrar dos clientes inadimplentes. No total, R$ 38,1 bilhões não voltaram aos caixas das financeiras. Todo esse valor é referente apenas ao financiamento de veículos, mas os bancos ainda brigam para conseguir receber pelo menos R$ 15,3 bilhões.

Na época, o volume de dinheiro para financiamento de veículo era recorde. Em 2010 foi de R$ 105,3 bilhões e no ano seguinte, mais R$ 102,5 bilhões foram concedidos para facilitar a compra do carro novo. O cálculo feito com esses valores chega a R$ 3.339,66 aprovados por segundo naquela época. Foi uma verdadeira festa do crédito fácil e o pior, os bancos sabiam dos riscos.

Luiz Montenegro, presidente da Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras, diz: “Tudo o que se fabricou, vendeu. Com a chegada dos novos consumidores, motivados pela emoção e que não tinham experiência com financiamentos, é óbvio que se esperava um aumento da inadimplência”. Porém, a pujança era tanta que todo mundo decidiu fazer vistas grossas diante do potencial problema que estava sendo gerado.

 

 

O primeiro sinal de alerta surgiu em abril de 2011, quando 34% dos contratos acima de 60 meses apresentam problemas. O volume era absurdamente alto se compararmos com os dias atuais. Em todo o ano de 2017, apenas 1% dos contratos foram negativos em algum ponto ante 4,6% de 2016. Então, pode-se notar que se em apenas um mês a coisa desandou para 1/3 dos empréstimos, imagina então o que veio depois.

comprando-carro-2 Crédito farto para financiamentos de carros gera rombo de R$ 23 bilhões nos bancos

 

Por conta disso, o BC exigiu redução nos prazos e entrada para financiamento de veículos, a fim de conter o avanço da inadimplência, mas aí já era tarde. A origem do problema todo era o incentivo do governo ao consumo, que fez a roda da economia girar mais rápido do que devia. Com consumo e crédito fartos, o endividamento geral foi facilitado, visto que as operações não eram sustentáveis. Muita gente que não tinha renda para comprar, comprou se apoiando no impulso federal.

Para conter isso, apenas a inadimplência elevada que forçou uma tomada de atitude do governo, que segurou as rédeas da economia, cortando todo tipo de incentivo que estimulava o consumo desenfreado. Ou seja, acabaram-se carros sem entrada e com prazos de 84 ou 100 meses.

Hoje, os bancos reconhecem o exagero na época, mas dizem que os prejuízos saíram dos balanços e o mercado voltou a operar na normalidade, embora ainda existam muitos contratos feitos no começo da década que estão com pendência. Para todos, a lição foi aprendida: não se apoiar mais em incentivos absurdos quando se sabe que a conta não será paga pelo consumidor.

[Fonte: A Tarde]

COMPARTILHAR:
  • Eduardo

    Política absurda do governo anterior. Não só para automóveis mas para tudo era assim: insustentável!

    • Wise Old Man

      Em termos. Se governo anterior for referente à Sra. Presidentx, concordo.

      Mas o Sr. Condenado liderou um belo governo neoliberal, promovendo a pacificação de conflitos de classes, agradando tanto aos pobres com migalhas, quanto aos mega-empresários com crédito público e desonerações fiscais.

      Governo executivo deve ser assim: pacificador e resolvedor. Inventar revolução (ex: Presidentx revolucionária de esquerda ou Paraquedista aposentado revolucionário de direita) só dá dor de cabeça.

      Veja o Dr. Michel, o melhor Presidento desde FHC. Pacificador, bom-negociador, faz reformas com consenso no congresso e nos moldes do interesse empresarial (que é o segmento que gera renda e empregos). Só não tem a popularidade do falecido Sr. Condenado, mas para ele isso não importa, pois não depende de voto.

      • Mr. Pennybags

        o q vc entende por liberal é liberal no conceito americano?

        • Wise Old Man

          Dentro do âmbito de incidência do conceito americano, no prisma de análise da escola liberal e neoliberal anglo saxã, tendo como base de apoio o pensamento de antigos economistas estadunidenses, entendo que Ingredientes 4 ovos 1 xícara (de chá) de leite 1 xícara (de chá) de óleo (menos 1 dedo) 1 e 1/2 xícara (de chá) de açúcar 1 xícara (de chá) de fubá (o mimoso, aquele fino) 1 xícara (de chá) de farinha de trigo 1 colher (de chá) de erva doce (opcional) 1 colher (de sopa) de fermento de bolo Modo de Preparo
          Coloque no liquidificador os ovos, o leite, o óleo e o açúcar, bata para misturar tudo. Em uma tigela coloque o fubá, a farinha de trigo e a erva doce e misture esses ingredientes secos. Despeje o líquido do liquidificador sobre os ingredientes secos e misture bem. Fica bem líquido mesmo. Acrescente o fermento e mexa delicadamente. Coloque a massa em uma forma untada com óleo e polvilhada com farinha de trigo.
          Leve ao forno médio preaquecido (uns 180 graus). O meu ficou no forno cerca de 35 minutos, mas esse tempo pode variar. Espete um palito no bolo e se ele sair limpo, o bolo já está bom.
          Deixe ficar morno, quase frio para desenformar. Desenformar frio é mais garantido para não quebrar.

          Sem mais.

        • Ⓜ️arcelo

          Nem uma coisa nem outra, ele só entende de culinária, kkk

          • KOWALSKI

            @Wise Old Man Estrangeiro investir no Brasil sai até mais em conta do que nós cidadãos. Vide Volkswagen da vida que tinha abatimento de imposto e ainda dava calote nos fornecedores daqui, e o lucro? Ia limpinho… pra Alemanha.
            Já na questão da propriedade, discordo, hoje um cidadão de bem não pode obter meios (armas) de proteger sua propriedade, se o fizer vai ter grandes dores de cabeça. Propriedade convertida em benefício social?Nunca vi, agora prejuízo já vi de perto: Minha Tia teve sua chácara invadida certa vez, o resultado foi: destruição, prejuízo e dor de cabeça. Vi de perto o que aconteceu com a Araupel, pesquise, e a polícia tomou alguma atitude preventiva ou repressiva? Não.

            • Ⓜ️arcelo

              Enquanto as milícias armadas estão sendo financiadas pelo governo a realidade é esta. Ou o cidadão pede todo dia a Deus para não invadirem dua propriedade ou acontece igual com sua tia.

              • KOWALSKI

                Infelizmente é verdade. Não foi convertida em benefício social no papel, mas na prática já é deles, basta aparecer a oportunidade e você verá que não tem controle algum. Tenho fé que isso mude, se não pra mim pra próxima geração.

          • Mr. Pennybags

            kkkkkk

          • Basil Sandhurst

            hehehehe

      • Ⓜ️arcelo

        Pacificador? Aonde isso, colocou a classe média como culpada de todos os problemas do mundo, criando os grupos de minorias contra os ricos e a classe média.

        Governo do barba foi totalmente comunista, pois em todos estes anos tentou acabar com a classe média nivelando-os aos proletários, num cenário onde só ficariam os ricos, empresários com negócios com o governo e funcionários públicos e os pobres, restante da população que efetivamente trabalha ou recebe auxilio (esmola) do governo)

        • Wise Old Man

          – “colocou a classe média como culpada de todos os problemas do mundo, criando os grupos de minorias contra os ricos”

          Isso é marketing. Eles pegaram os jargões da Marilena Chauí para ganhar votos na USP e demais federais. E deu certo.

          Na prática eles favoreceram os milionários e prejudicaram a classe média e os pobres. Ajudaram um pouco os miseráveis também.

          De comunista não houve nada. Comunismo é extinguir a propriedade privada. A Constituição brasileira de 1988 (que o Condenado ajudou a escrever, pois era deputado — fora o mais votado na época) proíbe expressamente o comunismo, garante a propriedade privada e traz a intenção de “reduzir” as desigualdades, jamais “extinguir” as desigualdades sociais/econômicas (o que tornaria todos iguais).

          • MG

            CF/88 relativiza a propriedade privada.

            Investidores estrangeiros morrem de medo dela. Inclusive é uma dos argumentos pra jogar o Brasil longe em termos de liberalismo, vide o relatório anual da Heritage Foundation.

            • Wise Old Man

              Mentira!

              Investidores brasileiros é que morrem de medo de investir nos EUA! A carga fiscal para estrangeiros é triplicada.

              Investir no Brasil é investir no paraíso. Impostos para estrangeiros são idênticos aos impostos para nacionais.

              E não é a CF que relativiza a propriedade. Todos os direitos são relativos, inclusive a vida, visto que no Brasil e em vários países do mundo existe pena de morte (extinção do direito à vida). Isso é de ordem internacional.

              A relativização da propriedade no Brasil é ínfima. Você já teve sua propriedade convertida em benefício social? Conhece alguém que teve? Mais fácil ver o Saci Pererê.

              Não venha de proposta do Youtube que não cola…

          • KOWALSKI

            Bem comunismo mudou de objetivo ao longo dos anos e sempre foi chamado de comunismo. Para Marx era a classe operária, para Lenin os camponeses, para Mao a juventude. Já para Lukács era outra coisa totalmente diferente. Comunismo só funciona com capitalismo, porque economia planificada não funciona, eles mesmo já sabiam disso na década de 30.

            • Wise Old Man

              Não adianta falar disso, pois não existe, nunca existiu e nunca ninguém tentou implantar comunismo no Brasil.
              E eu acho que durante a nossa existência (nos próximos 100 anos) jamais isso será tentado aqui.
              Eu mesmo sou totalmente contra. Acho que todo mundo é contra abrir mão da própria casa e ir morar em cabanas iguais para todos.
              Sejam camponeses, operários, jovens desempregados etc.
              Qualquer um que está um mínimo degrau acima da pobreza não quer comunismo, pois ela reduziria seu pequeno patrimônio conquistado a duras penas a pó.

              • KOWALSKI

                Bem, implantar já tentaram nos anos sessenta. Comunismo; é possível defini-lo em uma palavra: Poder. Tanto faz como chega até nós, vermelho, extra vermelho ou social democrata. Por incrível que pareça os movimentos de esquerda cresceram exponencialmente após a queda da URSS, um regime padeceu, mas o movimento continuou vivo e mais forte.
                Fora que grandes financiadores de movimentos de esquerda são metacapitalistas, esses sim tem seu patrimônio aumentado. Fora que ele vem fantasiado com outros nomes e slogans, tais como: desenvolvimento e moralidade, como eram as campanhas do PT na década de 90. Tudo com o nome bonitinho de democracia.

        • Djalma

          Ou melhor, criou a nova “crasse” média, aquela em que as famílias tinham renda de 1.200,00 reais por mês.
          Essa turma criou o “nós contra eles”; “os brancos de olhos azuis”, etc, etc…dividiu o Brasil em dois e vai ser difícil juntar os cacos. Se ele realmente participar das próximas eleições, tenho até medo do que possa acontecer. Me conforta saber que de SP para baixo, além do Centro Oeste ele não consegue colocar os pés na rua.

    • Ⓜ️arcelo

      Esta política econômica promovida pelo petralhas foi a mais absurda do mundo.

      O consumo de veículos já estava alto e ele dava cada vez mais incentivo para financiamento.

      Como se não bastasse, ao invés de aumentar impostos para fazer reserva e frear o consumo para promover um equilibrio, ele simplesmente dava ipi 0%, incentivando ainda mais o consumo, só para mostrar pro mundo que aqui não tinha crise e que no governo do pt muitas pessoas tiveram condições de comprar seu primeiro carro novo.

      tava na cara que esta bomba uma hora iria estourar com uma política econômica pra lá de insana.

      • Wise Old Man

        Nada a ver com propaganda internacional …

        O IPI era para favorecer as montadoras e bancos, que lucraram como nunca antes na história deste País.
        O Brasil era o 6º PIB mundial (o sexto País mais rico do mundo), e o próprio povo andava bem das contas, podendo se endividar. O desemprego era baixo.
        É certo, porém, que o povo abusou (bastante), como é burro por natureza.

        Isso significa que, se o condenado voltar, tudo volta às mil maravilhas? Óbvio que não, é outro contexto. Sem contar que hoje ele não goza mais de prestígio e passe-livre no mercado e no Congresso para negociações.

        Mas que o tempo dele foi bom, isso foi. Mérito dele? Não sei, em grande parte foi sorte, pelo legado deixado pelo tucano FHC, um grande líder também.

        Agora é a vez de um gestor das contas públicas, que conserte a irresponsabilidade fiscal deixada de herança pela Sra. Presidentx revolucionária das FARC. Esta sim, uma mulher de esquerda, que promoveu vetos em legislações favoráveis aos ruralistas, segurou a mudança da CLT, da previdência, tentou implementar imposto de banco (CPMF), elevou a luta dos segmentos sociais de minorias (feministas, afrodescendentes), levou ao STF líderes dessas minorias (foram os indicados por ela que aprovaram o abordo, as cotas para negros, etc).

        • Danillo Santos

          Análise sensata, também penso que o céu de brigadeiro onde voou o condenado foi muita sorte (pegou um terreno bem preparado e surfou na onda das commodities valorizadas). Dai veio a Dilma e esculhambou com um país que já vinha capengando. Não deu outra!
          Agora é esperar um candidato que possa unir a direita liberal (claro que milicos surtados sem-noção não se enquadram) para tentar derrotar o fantoche que o condenado vai preparar. Entretanto, a direita parece estar mais interessada em brigar entre si do que se unir contra a vingança vermelha

          • Wise Old Man

            A “direita” (pelo menos a da internet) está preocupada se o vizinho senta no colo do amigo; se a vizinha engravidou aos 14 e quer abortar; se a moça de 19 anos está dando para todo mundo; se os moleques do curso de medicina fumam maconha…

            Infelizmente são essas baixarias que chamam a atenção do povo, assim como no tempo do Condenado não era diferente.
            Como disse o outro ali em cima, ele prometia tirar dos ricos para dar aos pobres, botar empregada doméstica para viajar de avião etc., enfatizava essa luta de classes; puro marketing de campanha.

      • Fernando

        Desculpa, mas aumentar impostos de novo? Sério mesmo? Cara a vida inteira pagamos impostos que nem deveríamos e vc vem falar de aumentar mais? Pelo amor…

        O que acho que tinha e tem que acontecer é ter menos juros em financiamento, preços mais baixos (onde já se viu um popular por 50 mil quando de fato teria que custar 30) é menor prazo de financiamento.

        Máximo de 30 parcelas. Se o sujeito não tem verba pra comprar em 30 meses, q junte mais dinheiro pra comprar daqui um tempo.

        Criar empréstimos de longas datas seja pro que for é um tiro no pé.

        Um monte de apto sendo vendido por 400 mil aqui em sp com 30mts. Sujeito compra porque pode pagar em 30 anos. Se o limite fosse 10 anos, o valor do lucro da construtora teria que ser bem menor e esse apto de 400 não poderia sair por mais de 250 senão nunca iria vender. E ainda seria caro.

        Esse é o problema do Brasil. Credito longo e fácil, aí as grandes empresas cobram caro em algo q poderia ser mais barato.

        • Ⓜ️arcelo

          A carga tributária total aumentou em mais de 10% nos últimos 13 anos. O que eu quis dizer é que a atitude de zerar ipi foi insana pois o consumo já vinha altíssimo com o crédito. Portanto se aumentasse o ipi para o patamar que já estrava era mais que suficiente para o país fazer um pouco de reserva

      • Djalma

        Bem dito. E ele continua defendendo essa tese estapafurdia até hoje, que para sair da crise tem que ter crédito barato e subsidiado pelo Estado. O resultado disso a gente já sabe; estamos a 3 anos nessa nhaca.

      • Luciano RC

        Em 2012 aprovava financiamento com restrição pequena. Lembro de um amigo que tinha protesto por contas de telefone e aprovou sem entrada. Ele foi um daqueles que perdeu o carro pra financeira por busca e apreensão.

    • Thiago K. Galiza

      Dai você vai discutir com um esquerdista com números, e ele te lança o argumento ” Ta vendo, ta incomodado com o pobre andando de carro novo, só o Lula tornou esse sonho realidade, mimimimimi” Começa com esse argumento, não vale nem a pena continuar a discussão

      • Ⓜ️arcelo

        Bem por aí, tirou 400 milhões de pessoas da miséria, mas o país só tem 300 e pouco, ou então, deu emprego para mais de 50 milhões de brasileiros, mas esquece que desempregou mais de 100 kkkk e que eles consideram empregados os que recebem bolsa esmola.

        Nunca na história deste país…

  • 1/2 URSO 1/2 CÃO

    Conheço um sujeito, meu ex vizinho, que nessa época empolgado pela facilidade deu o passo maior que a perna e tirou uma Ecosport sem entrada pra pagar em 72 vezes. Se enrolou todo, deixou parcelas atrasadas e quando quis se livrar do carro não conseguiu vender pois o seu valor de mercado era menor que a dívida. Não sei como acabou essa história, pois, não sei se foi por isso, se mudou.

    • Wise Old Man

      Eu lucrei numa dessas.
      Uma funcionária do local onde trabalho estava apertada com um financiamento de um Peugeot 1.4.
      O carro valia uns R$ 23 mil, e tinha 18 mil de dívida.
      Cozinhei o galo durante uns 3 meses… Esperei ela pagar mais umas 3 ou 4 parcelas, aí arrematei o leãozinho francês por R$ 16 mil à vista quitando com o banco.

      • Samluzbh

        Mérito seu por ter tido paciência e controle, coisa que a maioria não tem.

    • wanderson

      Desafio a qualquer um responder se algum banco gostou quando o governo diminui o crédito bancário para venda de carro. Se algum banco quis ou quer ficar fora.

      • Wise Old Man

        Quem restringiu o crédito foram os próprios bancos.
        O governo não manda tanto quanto o Datena diz que manda.

      • Danillo Barros

        Fico muito feliz em saber que eles tiveram esse rombo…
        Tudo que eu compro eu pago. Meus carros financiados sempre quitei antes do fim. Eu te pergunto: eu tenho algum desconto ao contratar empréstimo? Nunca… Por isso eu falo, bem feito.

        • Louis

          Você, ao financiar alguma coisa, está pagando por esse rombo dos espertinhos. Por isso o spread é alto, os bancos sobem seus juros para cobrir este rombo.

          • Danillo Barros

            Isso é um dos fatores do spread, não o único. Detalhe, se isso fosse tão ruim os bancos fariam o governo mudar as regras, só que a inadimplência ajuda a aumentar os lucros, parece burrice, mas é estratégia.

    • Luciano RC

      Conheço quem tirou carro 0km e perdeu para o banco. Paralelamente, na época surgiu os leilões de financeiras que você achava coisas maravilhosas. Carro pela metade do Preço, porque nunca se trabalhou tanto apreendendo carro por falta de pagamento.

  • Eng Turbo

    Em 2011 eu vi pessoas com salário minimo saindo de lojas com Golf, e na sequencia a pessoa já se gabando pois não iria pagar nenhuma parcela mesmo, iria andar até “tomarem o carro”. E outros tantos que usaram os documentos de parentes (Idosos na maioria) pra comprar o carro e tb deixar de pagar. Era uma farra desenfreada, todo mundo de carrão e sem a minima condição de manter. Na sequencia foi a festa para quem compra carros e motos em leilão (Meu caso) era fácil de se encontrar modelos praticamente zero, com preços ótimos, pois eram tantos carros recuperados que não existia muita concorrência pra comprar, os preços eram ridículos de barato.

    • Luciano RC

      Nessa época do leilão, tinha carro pela metade do preço. Novo, semi-novo mesmo… perfeito estado.

  • CanalhaRS

    Bancos nunca botam para perder. Lucram de 5 a 10 Bi por ano cada um deles. Esse risco foi calculado.

  • Aristeu Junior

    Rombo? Que rombo? 23 bilhões foram o que eles deixaram de ganhar com os juros.
    Nessa onda ai no mínimo faturaram 1 trilhão vendendo carro financiado durante esse período
    E pra cada carro que o banco financia e o esperto não paga, tem 5 otários pagando suas parcelas em dia e o financiamento do esperto tá incluído na conta.

    • FearWRX

      Justamente o que eu ia comentar, coitadinho delas, só o que elas lucraram nesse tempo todo com boletos atrasados, cartão, cheque especial, LIS e afins não dá nem pra contar.
      Não estou falando que é certo dar rombo, mas que eles ganharam mais que esses bilhões, ganharam.

      • Natán Barreto

        Acabei de comentar isso. Os bancos devem 124 BILHÕES à União. Tem que ser muito massa de manobra pra estar usando os argumentos absurdos da galera nos comentários mais acima.

        • Luciano RC

          E ninguém cobra isso… pelo contrário, querem jogar a previdência na conta do povo.

    • Rodrigo

      BANCOS PERDENDO EM FINANCIAMENTOS? NUNCA QUE ISSO VAI ACONTECER.

  • Ricardo

    Hahahaha! Por mim que se fodam os bancos e os caloteiros! Ambos safados!

    • Wise Old Man

      Todo mundo depende de banco.
      Nós pagamos as contas vencidas dos caloteiros.
      Vai dizer que as tarifas bancárias não subiram?
      Dê uma olhada na sua taxa de manutenção de conta.
      E quem é empresário e/ou agricultor está sempre precisando de crédito.

  • Mr. Pennybags

    Rombo? kkkkk
    Tadinho dos bancos, sugiro fazermos uma vaquinha para ajudá-los!
    Além do lucro dos bancos serem estratosféricos esse calote é todinho abatido no imposto de renda.
    Tem um pessoal aí da política que se gaba até hj de ter facilitado o crédito.
    Para completar tem banco dando crédito pra qquer um.

    • Luciano RC

      Qual banco? Porque agora qualquer empréstimo fica com taxa de 6% ao mês.

  • Fanjos

    Muda Mais

    • Retrato do Papai

      Se prepara pois se a democracia desandar o molusco volta ainda esse ano pra ferrar ainda mais a mariola… Francamente é de cair o ânus das nádegas

      • Luciano RC

        Se o 9 dedos voltar, melhor coisa é ir embora do Brasil. O cara vai terminar de acabar com tudo.

  • Retrato do Papai

    Certa vez vi um anúncio de um indivíduo vendendo um gol g5 usado peladaço (não tinha sequer um arzinho), onde o astuto queria entrada + passar um financiamento desses bem longos que no total daria mais de 50 mil hueais (o valor de tabela do carro era mais ou menos metade disso)… Pobre coitado

    • Danillo Barros

      Vi alguns assim é rua bastante das discrepâncias…

    • Eduardo

      solução pra esse vivente? rodar até perder…

  • Wise Old Man

    Coitadinhos dos bancos, deu até pena.

    Eu me lembro dessa época: havia os tais “operadores de crédito”, eram pessoas sem qualificação (mas boas de papo) que perambulavam pelas revendas de usados e concessionárias oferecendo financiamentos de vários bancos até então desconhecidos (Daycoval, Pactual etc).
    Pois bem, esses indivíduos ganhavam até 14% de comissão a cada financiamento realizado. Era bom para os bancos, pois a venda de crédito era imensa.
    Mas eles não contavam com a astúcia do brasileiro: falsidades de todas as espécies eram engendradas para montar cadastros falsos, fazendo Operador de Telemarketing ter renda elegível para financiamento de carro 0km com pequena (ou mesmo sem) entrada.
    Isso sem falar do nicho de mercado de carros “finan” e “não pago”, pra “usar até perder”.

    Quem vai pagar a conta? O bom pagador, o velho medalhão conservador que tem até vergonha moral de ficar devendo na praça.

  • Diego G. de Lima

    Buá buá, que dó dos bancos!
    Eu até entendo que as instituições precisam ter lucro, beleza, mas para mim que estou desde o ano passado indo de Css em Css e ainda não comprei devido aos juros abusivos acho é pouco. Cara, tem montadora que quer lucrar mais de 15 mil reais dando 50% de entrada, QUINZE PAUS, eu pergunto, precisa de tudo isso?

    • Wise Old Man

      É bizarro.
      Mesmo com 60% de entrada é difícil conseguir menos de 1% a.m.
      As famosas “taxa zero” estão na casa de 0,4% a.m.

      Com 50% de entrada é perigoso vc pagar 20 a 25% a.a., sendo que nos EUA, por exemplo, com 10% de entrada é possível conseguir algo como 6% a.a., dependendo do escore de crédito (brasileiros forasteiros, nem sonhem).

    • Louis

      Os juros são altos justamente por causa dos calotes. Por causa dos caloteiros, os bancos sobem os juros para você pagar a conta.
      Se acham que bancos têm lucros abusivos, não entrem em financiamentos, e comprem ações de bancos, qualquer um pode abrir conta em corretora e comprar ações e lucrar também.

      • Luciano RC

        Pra trabalhar com ações você tem que entender bem do mercado ou ter uma corretora séria que faça um excelente trabalho.

  • Jose Alexandre Mendonça Neto

    Créditos e mais créditos, de um governo irresponsável…

  • “Perguntador”

    “Para todos, a lição foi aprendida: não se apoiar mais em incentivos absurdos quando se sabe que a conta não será paga pelo consumidor.” Duvido, logo logo os bancos vão jogar crédito no mercado e as pessoas vão pegar todo dinheiro que conseguirem.

  • wanderson

    Em qualquer empréstimo, os juros no Brasil são altos. É claro que o custo da inadiplência está contida no cálculo do empréstimo. Estão mostrando um bagatela que faz parte do negócio. Coloque ai a receita e o lucro dos bancos com a venda de carros a prazo. Ganharam trilhões e deixaram de receber 28 bilhões que faz parte do risco do negócio.

  • Caulazaro

    A crise toda, foi por causa da corrupção do governo petista e das 4 grandes (VW, GM, Fiat e Ford).
    O mercado de carros estava aquecido e as 4 não queriam repartir o bolo.
    Fizeram lobby para acabar com os carros importados, principalmente por causa do Picanto, que estava chegando para a categoria popular.
    Derrubaram os importados e um ano depois, já era mais de 1 milhão de desempregados por conta disso.
    Eu, que trabalhava com personalização de carros, principalmente com os importados, quebrei também e tive que despedir todos os funcionários.
    Com tanta gente desempregada, o povo parou de consumir e foi uma quebradeira geral.
    No fim, o governo perdeu, as 4 grandes perderam e o povo se lascou.

    • Djalma

      Antes fosse só isso. Na realidade foram vários problemas diferentes, dos quais, o rombo nas contas públicas e aumento do déficit público face a benesses para grupelhos sociais; desoneração de impostos para setores nem um pouco competitivos, incluindo os carros é claro; conluio com grandes grupos nacionais para desvio de bilhões dos cofres públicos. aumentos de funcionários públicos acima da inflação; criação de centenas de milhares de novos cargos públicos; criação de novos Ministérios inúteis; financiamento de governos companheiros, inclusive ditaduras, e vai por aí.

  • Lyn

    hahahaha. Piada isso ne?!

  • Samluzbh

    Banco tendo prejuízo, conta outra que essa foi sem graça!

  • Duh

    É mais fácil encontrar um dinossauro vivo do que um banco ter prejuízo aqui, cobram taxas absurdas.

  • salles

    O condenado condenou o empresário e agora vai pra cadeia carro é para quem pode pagar e não para leitor do nove dedos

  • Joel R Andrade

    Mas ninguém diz que apenas um banco obteve um lucro de 24,9 BILHÕES de reais, mesmo tendo prejuizo com emprestimos .

  • Freaky Boss

    depois reclamam que os juros no Brasil são gigantes.

  • Léo

    Prejuizo onde e como? Emprestaram um dinheiro que nunca existiu, não há como ter prejuízo quando você “cria” o dinheiro. Brasileiro é otário mesmo! Se informem sobre o sistema de reservas fracionárias e parem de ter dó de quem pode “imprimir” dinheiro com as bênçãos do governo. Para fechar com chave de ouro ainda há o abatimento no IR e o lucro com os juros absurdos que aqui se pratica. Banqueiro ter prejuízo? Temos que ler cada uma.

  • Ailton Maschio Gomes

    Conversa fiada… banco no Brasil, quando perde na verdade, está lucrando um pouco menos. Prova: bradescão e itaús da vida, há praticamente 2 décadas, aumentam seus lucros bilionários a cada trimestre .

    • Louis

      Comprem ações dos bancos.

  • hugo aguiar

    Eles so falam do prejuizo…eles podiam informar também quanto obtiveram de lucro no período. Esse lucro vai fazer esse prejuizo parecer nada! Tadinho dos bancos…quase chorei com pena deles!

  • Natán Barreto

    Coitadinhoa dos bancos. Pobrezinhos que não lucraram 10 a 15 vezes mais que isso em cima do seu incentivos e dos juros.

    Aos desinformados que estão defendendo os bancos, saibam que os maiores bancos do país devem 124 BILHÕES de reais pra União.

    23 bilhões é troco de pão pra eles.

    • José Barbosa

      O problema é que estes 23 bilhões foram pulverizados entre os bons pagadores. Por volta de 2006, antes desta política expansionista, cheguei a ter opção de crédito consignado abaixo de 1,2% a.m. Hoje, mesmo com a SELIC muito mais baixa do que naquele período, jamais a taxa chegou sequer perto disto. Cito este como um exemplo, mas existem outros diversos. Apenas no mercado de veículos, condicionados à alta entrada, é que os juros permaneceram mais ou menos nos patamares antigos, isto porque existe forte injeção de recurso por parte das montadoras, e, de certa forma, houve claro aumento na margem de lucro.

  • Fabricio Guassaloca

    Não sei se minha informação é coerente ou não mas, lembro me muito bem quando restringiram o crédito, os bancos ficaram preocupados. Vou explicar, com os juros tão altos dos rotativos e afins, a perda de dinheiro ao financiar já é prevista pelos bancos. Hipoteticamente eles se preparam para ter perdas os juros dos bons pagadores cobrem os inadimplentes ou mais ou menos isso.

    A politica de liberação de crédito não é tão errada assim. Só que da forma que foi, acabou sendo incoerente. Sou a favor do trabalhador poder conquistar seu bem porém restringisse o valor do crédito como sempre foi evitando assim o que aconteceu, de a maioria dar o passo maior que a perna.
    Grande parte dos bens são leiloáveis ou retornáveis ao banco. Será mesmo que perdem tanto assim?

  • Magnamox

    Famosa promoção leve um pague três….já financiei carro anteriormente e me planejo pra nunca mais fazer isso…. Só troco quando tiver o dinheiro a vista…. Chega de encher os bolsos dos bancos.

  • Gutto Morais

    Nenhum banco fecha no vermelho. Ele cobrem o rombo cobrando taxas sem fundamento dos clientes e sonegando impostos…..

  • leitor

    Como é esse rombo? São os juros, o valor emprestado ou os dois? Deveria ser chamado de rombo apenas a parte do valor emprestado. Se empresto 1000 esperando receber 2000 e receber 1500 o lucro foi menor. Se receber 700 o rombo foi de 300. Em termos de mercado não é bem assim, mas com os juros que sempre foram altos no Brasil dizer esses números dessa forma fica vago.

  • Alfredo Araujo

    Taí o “milagre” do governo Lula…
    Infelizmente, a conta chega…

  • Djalma

    É o tal do 8 ou 80. Mudou do vinho para a água.

  • spampolha

    Acreditar friamente nesses números é um pouco de ingenuidade.
    Quantos economistas cada banco desse não tinha pra calcular os riscos? Eles sabiam dos riscos e esse prejuízo já vinha na parcela.
    Quem vocês acham que foi pedir pro ‘companheiro’ pra ele liberar geral? Quantos bancos faliram por aí?
    Quem foram e são os recordistas de lucro, mesmo em período de recessão?
    Gente, estamos num país muito polarizado. E essa polarização interessa pra muita gente… Vamos abrir os olhos e questionar tudo…

  • Ronald

    Dizer que os bancos tiveram algum tipo de prejuízo, mesmo com a inadimplência alta, é forcar demais a barra. Banco NUNCA tem prejuízo. Ainda mais aqui no Brasil, com 95% de todo o dinheiro que circula pelo sistema, nas mãos de apenas 5 bancos. Uma verdadeira excrescência!

  • Gabriel Ferreira

    Ligaram a impressora enfiaram dinheiro pra tudo quanto foi lado, Eai? Deu tudo errado. Porque esse tipo de politica économica é insustentável.
    Os bancos que entraram nessa onda tem que falir mesmo e acabou. Não tem nem como dizer que eles não sabiam já que isso aconteceu várias vezes.

  • Filipe

    Que conversa fiada! Banco não perde NUNCA!!!

  • Joao

    Valores absolutos não dizem nada, 23 bilhões pode parecer muito, mas se você considerar que foram emprestados 207,8 bi somente em 2010 e 2011 eu sinceramente não consigo ver esses 23 bi como prejuízo tão grande assim.

    “Em 2010 foi de R$ 105,3 bilhões e no ano seguinte, mais R$ 102,5 bilhões foram concedidos para facilitar a compra do carro novo.”

    “gera rombo de R$ 23 bilhões”

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 12 anos. Saiba mais.

Notícias por email

receber-noticias Notícias por email