Governamental/Legal

CRLV: certificado de registro será digital até o final de 2018

crlv CRLV: certificado de registro será digital até o final de 2018

Primeiro foi a CNH – Carteira Nacional de Habilitação – que ganhou uma versão digital a partir de fevereiro. Agora é a vez do CRLV ou Certificado de Registro de Licenciamento de Veículo. Através da resolução 720 do Contran (Conselho Nacional de Trânsito), publicada nesta quarta (13) no Diário Oficial da União, passa a ser criado o CRLVe, que é a versão digital do documento do veículo.



Com esse formato, será possível ao proprietário acessa-lo através do smartphone e da mesma forma, ser consultado pelo agente de trânsito no momento da fiscalização. Além disso, o CRLVe possibilitará ao condutor não portar o documento em papel, não resultando assim em multa.

A introdução do CRLVe nos Detrans ocorrerá num prazo de um ano, mas os órgãos de trânsito dos estados terão 180 dias para alimentar o banco de dados do Denatran (Departamento Nacional de Trânsito) com informações de todos os veículos emplacados em suas jurisdições, entre eles débitos, multas, tributos, encargos, entre outros.

crlv CRLV: certificado de registro será digital até o final de 2018



A liberação do CRLVe também não ocorrerá para qualquer veículo. Somente os que tiverem pendências jurídicas ou tributárias quitadas é que poderão ter acesso ao formato digital do documento, que provavelmente será disponibilizado através de um aplicativo dedicado, como ocorre na CNH. Também não se sabe se o certificado online será emitido de uma vez em todo o país e se será gradual, como ocorre na CNH digital.

Mas quanto isso vai custar? A notícia ruim – para proprietários de veículos em certos estados – é que a cobrança e seu valor serão definidos pelo Detran de cada região. Ou seja, haverá disparidade de preços entre os estados. No entanto, a digitalização do CRLV evitará também alguns transtornos, especialmente em caso de perda ou roubo do documento do veículo.

crlv CRLV: certificado de registro será digital até o final de 2018

 

 

A versão que será disponibilizado aos proprietários de veículos no Brasil ainda está em desenvolvimento no Denatran e conta com a ajuda do Serpro, que é o Serviço Federal de Processamento de Dados. Ainda não se sabe quando o formato digital será apresentado ao público. Com mais essa ação, o smartphone ganha ainda mais importância a bordo do veículo, não só em termos de fiscalização dos órgãos competentes e comodidade para o proprietário, mas também de segurança.

Com os dois modelos digitais, que espera-se que sejam unificados num mesmo aplicativo, o Contran abre a possibilidade de no futuro as pessoas também passem a ter um documento único para identificação, reservista e eleitoral, bem como um futuro com vale-transporte, cartão único de saúde e outras funcionalidades.

 

COMPARTILHAR:
  • Tochio

    la vem mais uma forma de extorquir o povo !!!

  • Pipo pipo

    Será que é seguro? Não seria possível falsificar? Algum entendido no assunto pode me esclarecer?

    • Luis Eduardo Bueno

      É possível falsificar SIM, assim como o papel.

    • Zé Mundico

      Tudo nesse mundo e nessa vida pode ser falsificado.
      Basta querer.

      • Ⓜ️arcelo

        Depende só como é feita a fralde, se for na ponta talvez, no mais continua tudo como está.

    • Ⓜ️arcelo

      Os próprio funcionários do detran´s possibilitam a fraude de registros e consequentemente documentos impressos, para os bandidos, violando dados cadastrados na bin, desta forma as fraudes irão fluir normalmente para o sistema digital assim como hoje fluem para o sistema impresso. Ou seja, com relação a proteção do contribuinte nada irá mudar. Com relação aos tributos é só mais uma taxinha obrigatória.

  • Cesar

    Quero só ver: O guarda te para no meio do mato e… Não tem internet.

    • Alexandre Viotto

      Não precisa de rede para abrir, pois fica gravado no aplicativo…

      • Cesar

        Mas o guarda precisa conferir a autenticidade ou não?

        • Alexandre Viotto

          Ah, se por problemas técnicos o policial não conseguir conferir a autenticidade, o problema é dele… Kkk

          • Eduardo

            Não o problema é seu.

            Isso (digital) é para facilitar quando tudo dá certo. Melhor é estar sempre com o papel na mão, evita dissabores desnecessários.

        • IPZ.4

          Ou ele pode ter uma cópia off line local da base no Pc da viatura, numa versão mais enxuta, apenas pra conferir pendências ou não de um veículo (RENAVAM, modelo e pendências).

    • José Barbosa

      Na verdade, mostra um processo muito mal pensado: ao invés de nós portarmos um papel, hoje a polícia já tem toda a informação necessária para fiscalizar. Ou seja, bastaria um sistema que o policial busca a placa e vê as informações cadastradas do veículo a partir da base de dados dos detrans, o que por sinal é muito mais seguro do que uma eventual falsificação.

      • Cesar

        Exatamente. Qual o sentido de se andar com um pedaço de papel no bolso?

  • Zé Mundico

    Não deixa de ser interessante, pois vem facilitar a vida do cidadão.
    Vai ter custo? Claro que vai! É uma conveniência quer tem preço e que vai exigir um super banco de dados que deverá ser mantido e atualizado com equipamentos, pessoal e rotinas de funcionamento. E tudo isso tem preço, gente.
    O lado negativo da coisa é o risco de você ter todos os documentos num só lugar e um dia perder o celular ou ser roubado. Aí quem achar vai estar com sua vida toda nas mãos.

    • Alexandre Viotto

      Só colocar senha para acesso ao aplicativo!

    • José Barbosa

      É muita inocência acreditar que dados estão protegidos. Então, posto que públicos, pelo menos que sejam convenientes.

    • Edson Fernandes

      Super banco de dados?
      Para guardar…. dados da pessoa além do numero do documento?

      Quantas vezes esse banco de dados seria acessado em um ano?

      Olha, acredite você ou não, mas para esse fim, parece fichinha viu. Pode colocar reconhecimento por QR Code, leitura de biometria…. ainda assim é leve. Pensa que esse cadastro EM TEORIA, seria unico, ou seja, sofreria apenas atualizações com o tempo… logo, para um banco de dados é tranquilo.

      Obviamente se bem dimensionado e com alta disponibilidade nesse caso. Mas não é de longe o cenário mais pesado. Há empresas que precisam registrar segundo a segundo suas operações, gerar comprovantes, fazer espelho e backup a cada 1 hora… tem coisa que além de fazer isso, ainda tem que mover de tempos em tempos o bacno inteiro para outros locais… (replicação), isso sim é ambiente ruim! Esse ambiente para essa finalidade parece ser até mais facil que a entrega de obrigações…

  • pedro

    No Brasil tudo é torto. O governo federal cria uma regra, mas quem tem que cumprir são os estados, gastando o seu próprio dinheiro. A e-CNH foi assim, aqui em Santa Catarina não funciona porque o governo estadual não fez nada.
    É aquela história, fazer gentileza com o chapéu dos outros.

    • invalid_pilot

      Por isso sou a favor de descentralização do Brasil, cada estado deveria se adequar da forma e possibilidade de cada um.

      Duro exigir que Roraima tenha mesmo nível de digitalização de São Paulo, por exemplo.

    • Edson Fernandes

      É bem por ai. Ao invés deles criarem algo para os outros apenas informarem o que precisa, eles TE OBRIGAM a você a montar as coisas e tbm entregar. E ainda acham que as empresas tem braço para lidar com tudo isso.

  • Louis

    O mais importante, que é fiscalização de carros irregulares, não ocorre.

    • IPZ.4

      Uai, mas agilizando a fiscalização dos regulares, fica mais fácil de sobrar condições pra ir atrás dos irregulares. Reduzindo o esforço de conferência de um regular sobra mais pra ir atrás dos irregulares, até mesmo pra identificar se um indivíduo está, ou não, irregular.

    • José Barbosa

      As raras blitze que vejo aqui em Goiás são da Secretaria da Fazenda, que faz leitura de placa e só param veículos em que deve ser apontada algum tipo de pendência.

  • zekinha71

    Vai ser igual a NFe que existe há 8 anos, ela é eletrônica, mas tem que se andar com DANFE que é papel pra provar que a NFe existe.

  • Danilo

    Podia acabar com essa babaquice de placa no Brasil tambem.
    Tinha que ser como aqui por exemplo. Voce compra a placa e ela é sua, voce troca o carro e tira sua placa.
    Ai essa mafia de placa, lacracao, troca tarjeta, é tudo pra ganhar dinheiro.
    Muito mais facil pessoa comprar a placa e vincula ao chassi do carro, numero de CNH e seguro etc e tal. Quando vende o carro é so desvincular de um e vincular ao outro.

    DETRAN é comum ao brasil todo, entao a taxa deveria ser igual em todos os estados. Muita punhetisse isso de cada estado ter uma taxa.

  • Schack Bauer

    É inexplicável que com os recursos de OCR, internet móvel e o escambau os Detrans ainda não consigam fazer uma fiscalização mais eficiente do licenciamento, digo, em vez de aporrinhar o proprietário com esses papelinhos e mesmo esse crv eletrônico, bastava uma mecanismo automático de consulta da regularidade do veículo.

  • Mauricio

    Em breve todas as informações estarão no cú (Cartão Único)
    Vc é parado na blitz e o guarda vai querer ver o seu cú kkkkkkk

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 12 anos. Saiba mais.

Notícias por email

receber-noticias Notícias por email