CrossFox 2008: fotos, motor, consumo, ficha técnica, revisão

O CrossFox 2008 chegou com novidades e com preço sugerido na época de R$ 43.990, ostentando mudanças no visual e alteração de soluções para torná-lo mais versátil no dia a dia.

O hatch “altinho” em modelo aventureiro, manteve o propulsor EA111 ainda sem atualização, apesar da tecnologia TotalFlex, herdado do Volkswagen Gol, que combina etanol e gasolina em qualquer proporção, algo que virou o carro flex.


Esse propulsor de quatro cilindros e 1.6 litro entregava até 103 cavalos e 14,5 kgfm, números menores que o do VHC, atualização do EA111 feita na década seguinte.

Com câmbio manual de cinco marchas MQ-200, o CrossFox 2008 adicionou faróis auxiliares e barra de impulsão integrados ao para-choque, assim como lanternas “Cool Blue”.

Também foram inseridos refletores no para-choque traseiro e faixas laterais, além de um novo suporte para o estepe externo com sistema de travamento elétrico retrabalhado, permitindo manuseá-lo com apenas uma mão.

Leia também sobre todos os anos do CrossFox e o CrossFox 2010.

Por dentro, o CrossFox 2008 recebeu painel de instrumentos diferenciado com iluminação em LED. O interior se manteve personalizado com acabamento preto e detalhes específicos, como bancos com cores e costuras únicas e pedais esportivos.

O hatch aventureiro tinha ainda bancos elevados, com gaveta sob o assento e banco traseiro deslizante, que permitia ampliar o diminuto porta-malas de 260 litros. Ainda com cluster compacto, ele tinha ar-condicionado e direção assistida.

Vidros elétricos, travamento central elétrico e retrovisores com ajustes elétricos também estavam disponíveis, e sistema de som com CD player e USB, mas ainda não havia Bluetooth disponível.

O CrossFox tinha opção de freios com ABS e EDB, airbag duplo com cintos de segurança dianteiros com pré-tensionamento. As rodas de liga leve eram opcionais e tinham aro 15 polegadas, enquanto as de aço eram texturizadas.

Por fora, o modelo chamava atenção pela suspensão elevada, pneus de uso misto e para-choque pretos, assim como pelas saias de rodas e estribos laterais igualmente na mesma cor.

Para-choques exclusivos com faróis auxiliares, faróis de neblina e bumpers se apresentavam, e faróis duplos e lanternas escurecidas. Estribos laterais, barra dianteira e suporte do estepe eram em cor cinza.

Também chamava atenção pelo rack duplo no teto, retrovisores e maçanetas pretas, defletor de ar na traseira, protetores em cinza nos para-choques e faixas laterais decorativas.

O projeto do CrossFox 2008 surgiu a partir do Volkswagen Fox, que surgiu em 2003 como um desenvolvimento brasileiro, finalizado na Alemanha e que quase foi cancelado pela direção da matriz, mas acabou sendo feito com êxito.

Hatch, porém, com carroceria alta, o Fox criou um conceito que fusionava elementos desse segmento com espaço de minivan, incluindo a posição de dirigir elevada. Isso atrai a atenção do público, mas não virou tendência a ser seguida.

Usando o mesmo entre-eixos padrão da VW, ou seja, quase 2,47 m, o Fox tinha pouco mais de 3,80 m, além de porta-malas com 260 litros, banco traseiro deslizante e gaveta no assento dianteiro.

Com duas ou quatro portas, o Fox – que herdou o nome dos Voyage e Parati de exportação americana dos anos 80 – foi criado sobre a plataforma PQ24, surgindo bem antes de Gol, Voyage e Saveiro com a mesma base, porém, simplificada.

Tendo motor e câmbio em transversal, o Fox logo chamou a atenção para a possibilidade de ter uma opção aventureira, assim como a Fiat emplacava com sua Palio Adventure, por exemplo.

Assim, foi criado em 2005 o CrossFox, que seria vendido como um modelo separado, apesar de ser o mesmo carro. A suspensão elevada e os pneus de uso misto seriam diferenciais, assim como seu visual descolado.

O estepe externo ajudava a promover o veículo, fazendo alusão ao clássico Jeep da Willys Overland, mais tarde um Ford e hoje da Stellantis. O rack duplo no teto facilitava o transporte de pranchas ou caiaques para os aventureiros de plantão.

Com uma atmosfera de jovialidade, o CrossFox 2008 era a receita para quem enfrentava a dureza do dia a dia de trabalho e no final de semana se libertava para curtir praia ou campo, longe da cidade grande.

Esse perfil de consumidor surgiu a partir da linha Adventure da Fiat e ampliou-se por vários segmentos de mercado e chegou mesmo a ser empregado em carros de luxo. A ideia era ter um carro que enfrentasse estradas de terra e o urbano.

Tendo modificações visuais e também na suspensão, mais alta, o CrossFox atendia bem em sua época, mesmo que as marcas não tenham percebido que o futuro estava no segmento do Ford EcoSport, solitário na ocasião.

Contudo, o próprio CrossFox 2008 esteve ameaçado internamente. O motivo é que um ano antes, a VW criou um conceito de SUV compacto para brigar com o EcoSport no Brasil e usando a plataforma do Fox.

O estilo do crossover proposto não teve apoio interno e muito menos da matriz alemã, o que levou a ideia com o designer criador da proposta para a Kia Motors, onde pouco depois surgira o Soul, que hoje está na terceira geração.

Decerto, este produto acabaria com o CrossFox, uma vez que era exatamente o que o mercado quer hoje, um crossover com bom espaço e preço abaixo do T-Cross. É bem possível que, a exemplo do Fox, ainda estivesse em produção.

Aqui, o hatch aventureiro evoluiu com duas atualizações visuais posteriores, sendo que a primeira adicionou o motor EA111 VHC com 1.6 litro, porém, dispondo de até 104 cavalos e 15,6 kgfm a somente 2.500 rpm.

Depois, o modelo recebeu modificações extensas, incluindo interior baseado no Golf e tendo multimídia com tela de 6,5 polegadas com Android Auto, CarPlay e MirrorLink.

O CrossFox alcançou o ápice por volta de 2016 com o motor EA211 1.6 MSI, com bloco de alumínio e cabeçote de 16 válvulas, tendo assim até 120 cavalos e 16,8 kgfm, além de câmbio manual de seis marchas.

Na primeira mudança após o modelo 2008, recebeu o câmbio automático I-Motion (ASG) com cinco marchas e paddle shifts. O modelo foi retirado de linha em 2018, quando se imaginava que o Fox não duraria mais que um ano.

Entretanto, o hatch altinho continuou em produção até hoje, mas limitando-se agora somente nas versões Connect e Extreme, já sem o 1.6 16V, mantendo o 1.6 8V de até 104 cavalos e esperando o fim certo.

CrossFox 2008 – detalhes

CrossFox 2008: fotos, motor, consumo, ficha técnica, revisão

O CrossFox 2008 tinha um visual simples, porém, a personalização dava ao modelo um aspecto diferenciado. Na frente, os faróis arredondados eram duplos e incorporavam repetidores de direção, bem como lanternas.

Para-choque e grade eram integrados e pintados de preto, tendo o protetor duas molduras estilizadas que imitavam barras de impulsão (já proibidas por lei), contendo elas faróis auxiliares, enquanto os faróis de neblina ficavam mais abaixo.

Havia ainda um protetor de cor cinza na parte inferior do para-choque, ampliando a imagem de robustez. Nas laterais, as saias de rodas eram pretas, assim como os estribos laterais, porém, estes tinham um aplique em cinza.

As portas portavam adesivos com o nome CrossFox e o desenho da raposa estilizado, símbolo do modelo, bem como retrovisores e maçanetas em cor preta. No teto, duas barras transversais ajustáveis marcavam o visual do carro.

Já na traseira, o suporte do estepe tinha novo desenho com a parte central em cinza com o nome CrossFox, além de braços em preto brilhante, envolvendo a lanterna, que ganhara (bem como a outra) luz de ré circular.

A tampa do bagageiro tinha defletor de ar, próxima da antena no teto, além de vigia com limpador e lavador, dispondo ainda de desembaçador. No para-choque preto, refletores, suporte de placa e protetor central em cinza.

Originalmente as rodas do CrossFox 2008 eram de aço texturizado com aro 15 polegadas e pneus de uso misto 205/60 R15, porém, havia opção de liga leve com cinco raios e acabamento cinza.

Por dentro, o CrossFox tinha um painel moderno com níveis diferentes no conjunto, apresentando um espaço para objetos na parte superior, e barra superior com difusores de ar horizontais e airbag do passageiro.

O console pronunciado criava outro porta-objetos, enquanto abaixo ficava o sistema de som 1din com CD player, MP3 e USB. O ar-condicionado tinha comandos duplos e modulares. Abaixo do painel e do porta-luvas, havia mais espaço útil.

O volante tinha ajuste de altura e assistência hidráulica, além de centro “meia-lua” com comandos de mídia e volume, mas não era revestido em couro. No cluster compacto, o velocímetro grande tinha computador de bordo e fundo branco.

Nas laterais, ficavam conta-giros e nível de combustível em mostradores menores, sendo ambos com ponteiros vermelhos, e o marcador de velocidade.

De desenho moderno, as portas tinham comandos dos vidros elétricos nas quatro portas, também como dos retrovisores. Os bancos eram altos e os dianteiros tinham gavetas sob os assentos, enquanto o traseiro era bipartido e deslizante.

Isso permitia ampliar o espaço para bagagens, que tinha somente 260 litros. O hatch também portava cintos de segurança de três pontos nas laterais e traseiro central subabdominal. Apenas os dianteiros eram pré-tensionados com airbag duplo.

No teto, alças de mão, assim como espelhos nos para-sois e retrovisor interno dia e noite, além de acabamento escurecido e iluminação com luz de leitura. Apoios de cabeça para quatro pessoas estavam presentes, tal como alarme.

No porta-malas, havia iluminação e forração em tecido em todo o compartimento, que podia ser ampliado. Ele tinha 260 litros e, mesmo sem o estepe interno, ainda era pequeno para família, mas suficiente para solteiros ou casais sem filhos.

CrossFox 2008 – versões

  • Volkswagen CrossFox 1.6 MT

Equipamentos

CrossFox 2008: fotos, motor, consumo, ficha técnica, revisão

Volkswagen CrossFox 1.6 MT – Motor 1.6 litro e câmbio manual de cinco marchas, para-choques pretos e personalizados, faróis duplos, grade preta, barra cinza com nome CrossFox, protetores inferiores, faróis de neblina, faróis auxiliares, saias de rodas pretas, estribos laterais pretos com apliques cinza, maçanetas e retrovisores pretos, colunas das portas pretas, adesivos decorativos, rack no teto, suspensão elevada, rodas de aço texturizado aro 15 polegadas, pneus 205/60 R15 de uso misto, suporte articulado com estepe externo, lanternas estilizadas, defletor de ar traseiro com brake light, lavador e limpador do vidro traseiro, desembaçador traseiro, vidros verdes, para-brisa degradê, bancos com acabamento em tecido personalizado, direção hidráulica, coluna de direção ajustável em altura, vidros elétricos nas quatro portas, travamento central elétrico, chave-canivete com telecomando, alarme, retrovisores externos com controle elétrico, retrovisor interno dia a noite, ar-condicionado, sistema de som com CD player/MP3/USB, volante com comandos de áudio, gavetas sob os bancos dianteiros, banco traseiro bipartido deslizante, luz de leitura, alças no teto, cintos de segurança de 3 pontos nas laterais, cinto traseiro central subabdominal, apoios de cabeça para quatro passageiros, antena no teto, sistema de som com quatro alto-falantes e dois tweeters, porta-copos, porta-luvas iluminado, porta-objetos, travas de segurança nas portas traseiras, trava de segurança nos vidros traseiros, computador de bordo, entre outros.

Opcionais: airbag duplo com cintos dianteiros pré-tensionados e ajustáveis em altura, freios ABS com EDB e rodas de liga leve aro 15 polegadas.

Preços

  • Volkswagen CrossFox 1.6 MT – R$ 43.990

CrossFox 2008 – motor

CrossFox 2008: fotos, motor, consumo, ficha técnica, revisão

O motor EA111 era o usado pelo CrossFox 2008 e veio de um projeto da Audi, liderado pelo engenheiro alemão Klaus Lutte em 1972. Tratava-se de uma versão menor do propulsor EA827, que chegou ao Brasil com o Passat.

No entanto, o EA111 fora desenvolvido para o Audi 50 e, consequentemente, foi usado no VW Polo. Com volumes que iniciaram em 0,8 litro, o motor chegou até 1.8 litro, que nunca veio ao Brasil, mas foi usado no hatch alemão.

Apesar da similaridade inicial, o EA111 atual é bem diferente do EA827 e do seguinte EA113. Com bloco de ferro fundido e cabeçote de alumínio com câmaras individuais, lembrando um motor diesel pesado, ele chegou aqui em 1997.

Sua missão era substituir o AE-1000 e também o AE-1600, que eram na verdade os CHT 1.0 (desenvolvido aqui) e CHT 1.6, ambos da Ford. Bem mais moderno, o EA111 1.0 chegou com comando acionado por correia dentada.

Ele tinha injeção multiponto e cabeçote 8V. Mais tarde, ele ganhou cabeçote 16V, o que acelerou a saída do AE-1600. Como a VW dispunha do AP 1.6, então, não ficou órfã com a saída do CHT da Ford.

Em 1998, a Volkswagen iniciou a produção do EA111 1.6 com cabeçote 8V, sendo este motor direcionado ao Golf e seu irmão Audi A3, feitos no Paraná. Com cabeçote de fluxo cruzado, ele permitia seu emprego, diferente do AP.

Tendo 101 cavalos e 14,3 kgfm, o 1.6 8V da família EA111 só foi ampliado em 2003 com a chegada do Fox, dada a plataforma PQ24 ser feita com a PQ34 na fábrica de São José dos Pinhais.

No CrossFox 2008, já com tecnologia flex empregando tanquinho de gasolina, ele entregava até 103 cavalos a 5.750 rpm, assim como 14,5 kgfm a 3.250 rpm, com os números originais de 1998 na derivado de petróleo.

Esse motor usado no modelo tem 1.598 cm3 e taxa de compressão de 10,8:1, além de câmbio manual de cinco marchas MQ-200. Ele foi atualizado alguns anos depois, passando para o VHC.

Nesse caso, o EA111 ganhou novos pistões, bielas, anéis, junta do cabeçote, válvulas, virabrequim reforçado e mudanças na ECM, assim como também na taxa de compressão e injeção multiponto, passando assim a ter mais torque em baixa.

O 1.6 VHC manteve os 101 cavalos na gasolina, mas o torque subiu para 15,4 kgfm, enquanto no etanol chega a 15,6 kgfm, porém, ambos obtidos a apenas 2.500 rpm, uma redução importante em rotação.

Na história do CrossFox, ele ainda recebeu o EA211 1.6 MSI 16V com 110 cavalos na gasolina e 120 cavalos no etanol, além de 15,8 kgfm no primeiro e 16,8 kgfm no segundo, só que a 4.000 rpm. Foi o último motor empregado pelo modelo.

Nessa época, o aventureiro tinha câmbio manual de seis marchas e automatizado de cinco marchas. Mas, foi o EA111 que mais tempo durou a bordo do CrossFox.

Desempenho

CrossFox 2008: fotos, motor, consumo, ficha técnica, revisão

  • Volkswagen CrossFox 1.6 MT – 0 a 100 km/h – 10,9 segundos
  • Volkswagen CrossFox 1.6 MT – Velocidade máxima – 177 km/h

Consumo

CrossFox 2008: fotos, motor, consumo, ficha técnica, revisão

  • Volkswagen CrossFox 1.6 MT – Cidade – 6,2 km/l e 8,8 km/l
  • Volkswagen CrossFox 1.6 MT – Estrada – 9,1 km/l e 12,3 km/l

CrossFox 2008 – manutenção e revisão

CrossFox 2008: fotos, motor, consumo, ficha técnica, revisão

A rede Volkswagen tem 535 concessionários onde a revisão atualmente é feita a cada 10.000 km ou 12 meses, o que vier primeiro, porém, antes era de apenas seis meses, o que mudou após 2018, com o lançamento do Polo.

No caso do CrossFox 2008 as revisões incluem troca de óleo, filtro de óleo, filtro de ar do motor, filtro de combustível, filtro de ar da cabine, fluido de freio, velas, correia dentada, correia em V, líquido de refrigeração, entre outros.

Nas revendas VW, é possível fazer ainda serviços em peças e componentes de desgaste prematuro, mas desde que com pagamento adicional, por não estarem inclusos no plano de revisão de preço fixo, consultado nas concessionárias.

Assim, pastilhas de freio, lonas de freio, discos de freio, rolamentos, pivôs de direção, buchas de balança, coxins de motor e câmbio, molas e amortecedores, batentes das torres, bieletas da suspensão, entre outros.

O serviço de pós-venda inclui ainda inspeção de itens de motor e câmbio, suspensão, direção, freios, sistemas de segurança e análise eletrônica. Além disso, a rede VW faz atendimento de recall com agendamento prévio.

Também são realizados serviços de troca de pneus, rodízio e cambagem, alinhamento, balanceamento, funilaria, pintura, instalação de acessórios, higienização, limpeza oxi-sanitária, entre outros.

CrossFox 2008 – ficha técnica

CrossFox 2008: fotos, motor, consumo, ficha técnica, revisão

Motor1.6
Tipo
Número de cilindros4 em linha
Cilindrada em cm31598
Válvulas8
Taxa de compressão10,8:1
Injeção eletrônicaIndireta
Potência máxima101/103 cv a 5.750 rpm (gasolina/etanol)
Torque máximo14,3/14,5 kgfm a 3.250 rpm (gasolina/etanol)
Transmissão
TipoManual de 5 marchas
Tração
TipoDianteira
Direção
TipoHidráulica
Freios
TipoDiscos dianteiros e tambores traseiros
Suspensão
DianteiraMcPherson
TraseiraEixo de torção
Rodas e Pneus
RodasLiga leve aro aro 15 polegadas
Pneus205/60 R15
Dimensões
Comprimento (mm)4.066
Largura (mm)1.689
Altura (mm)1.639
Entre eixos (mm)2.469
Capacidades
Porta-malas (L)260
Tanque de combustível (L)50
Carga (Kg)440
Peso em ordem de marcha (Kg) 1.120
Coeficiente aerodinâmico (cx)0,36

CrossFox 2008 – fotos

https://www.youtube.com/watch?v=wZk8LysQpQo

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 25 anos. Há 14 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.