_Destaque Elétricos EUA Veículos Comerciais

Cummins muda estratégia e apresenta caminhão elétrico nos EUA

cummins-caminhao-eletrico Cummins muda estratégia e apresenta caminhão elétrico nos EUA

Enquanto os olhares estão no Tesla Semi, um caminhão elétrico que está sendo desenvolvido por Elon Musk, surge um rival de onde menos se esperava, de um fabricante de motores diesel, justamente uma empresa do setor automotivo que deveria ser a primeira a se preocupar com ações como a do pesado do Vale do Silício.



Ninguém menos que a Cummins, tradicional fornecedores de motores diesel para caminhões, ônibus, picapes e demais tipos de veículos, entre outras áreas, decidiu fazer um caminhão pesado totalmente elétrico, o chamado Cummins Classe 7. Apelidado como “Aeos” referência ao nome de um dos cavalos mitológicos gregos da carruagem de Hélios.

O veículo da chamada classe 7 de caminhões americanos ainda é um protótipo, mas já dá uma boa ideia de como serão os futuros caminhões elétricos. O cavalo mecânico – ou melhor, elétrico – utiliza baterias de lítio de 145 kWh, 45% superior à densidade usada pelo Tesla Model S P100D, por exemplo.

Elas garantem ao Cummins Classe 7 uma autonomia de 160 km puxando um reboque de 22 toneladas. No entanto, por mais uma hora plugado em um carregador de 140 kW, o “Aeos” tem toda sua carga recuperada. Mas, por volta de 2020, a empresa garante que o tempo de recarga vai cair para cerca de 20 minutos.

Ainda assim, o foco da Cummins é oferecer a tecnologia com um extensor de alcance, naturalmente abastecido com diesel. A empresa tem uma gama variada de propulsores que servirão bem como geradores a bordo do Classe 7, que tem PBT de 33,7 toneladas. Com ess alternativa, espera-se uma autonomia de cerca de 500 km com economia de combustível de 50%. Sua potência fica em torno de 475 cv e 345 kgfm, sendo sua aceleração em média 30% superior ao de um caminhão comum.

Ao contrário do que se possa imaginar, a Cummins está focada neste futuro mercado de caminhões elétricos e prevê que a transição do motor de combustão interna para o elétrico ocorrerá em 20 ou 25 anos. Embora tenha iniciado sua trajetória como fabricante de caminhões com este Classe 7, a empresa está de olho nos demais segmentos nos EUA, mas reconhece que a atual tecnologia ainda não atende à Classe 8.

A companhia já vê como concorrentes ProTerra (ônibus), Tesla, Nikola e WrightSpeed, empresas que também estão se concentrando em transporte com energia alternativa. A Cummins também pretende realizar pesquisas com células de combustível e também outras opções derivadas de petróleo, como gás natural, por exemplo. Dessa forma, a fabricante de motores diesel quer atender as necessidades de futuros clientes nessa nova fase da indústria automotiva.

[Fonte: Clean Technica]

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 11 anos. Saiba mais.

Notícias por email

Send this to a friend