Dacia Elétricos Europa Hatches

Dacia terá um carro elétrico para atender normas de 2021

Dacia terá um carro elétrico para atender normas de 2021

Em 2021, a Europa terá um novo limite de emissões e esse será de 95 g/km de CO2. Para atender essa regra, evitando multas milionárias, as montadoras buscam mesclar seus portfólios com produtos que sejam mais eficientes, como híbridos leves, híbridos, híbridos plug-in, GNV e, naturalmente, carros elétricos.


A Dacia, montadora de baixo custo da Renault, nunca precisou de um carro elétrico, mas agora a coisa é diferente. Seus carros baratos com motor turbinado já não dão conta do recado.

Além da hibridização na próxima geração de Sandero e Logan, a marca romena  terá finalmente um carro elétrico e este deve chegar nos próximos dois anos, segundo a revista inglesa Autocar.

Dacia terá um carro elétrico para atender normas de 2021

O prazo até parece longo se considerarmos a hipótese mais provável, que é o Renault K-ZE chinês em versão Dacia. Desde o lançamento do Kwid, a Dacia sempre foi envolvida em rumores de que o pequenino teria seu lugar no leste europeu.

Com o Sandero chegando a custa pouco mais de € 5 mil no mercado francês e sendo o mais barato no Reino Unido, um Kwid com motor 1.0 de 65 cavalos sairia por bem menos.

No caso dos carros elétricos, os preços altos são uma dura realidade, mas para a Dacia, um problema ainda maior. Embora a montadora não mencione qual será o produto, ela apenas citou que seria um “carro urbano”.

Dacia terá um carro elétrico para atender normas de 2021

Tendo sempre o preço como limitador, a Dacia não tem outra escolha a não ser o Kwid elétrico, que é o modelo mais barato da Renault-Nissan em qualquer lugar. Com a Renault vendendo o Twingo elétrico, a romena teria seu K-ZE em um nível mais baixo.

Já lançado na Índia, o Renault K-ZE é uma proposta de carro elétrico que está sendo cogitada no Brasil, onde o mais barato é o JAC iEV20 por R$ 124.990. O Kwid é conhecido por ser um carro de baixo preço, mas no caso do elétrico, ele custaria aqui mais que o dobro, exceto se a marca quiser fomentar um mercado onde possa liderar no futuro…

[Fonte: Autocar]

Ricardo de Oliveira

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 23 anos. Há 12 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.

  • th!nk.t4nk

    Lá vem o chinezinho pra cumprir tabela. Na Europa creio que tenha alguma chance com as empresas de car-sharing, mas não muito além. No Brasil é que tem bom potencial. Se o povo tá pagando com sorriso no rosto os 125 mil pedidos no Corolla híbrido que tem aceleração de carro popular, então vão adorar a ideia de poder pagar metade disso num modelo elétrico com desempenho semelhante.

  • Toyo_Highlander fan

    Carro elétrico no Brasil JAMAIS será acessível, mesmo que em outros países tal versão se torne mais barato. Creio que o preço de 150 mil hoje cobrado pelo Renault Zoe seja o padrão futuro baseado para hoje. Achamos pagar 50 mil num Kwid absurdo? Vejamos em 2030 quando os elétricos se tornarem item obrigatório como propulsor no Brasil. É uma tendência: transporte particular não será para todos como hoje, mesmo que os a combustão estejam caros.

  • Rogério R.

    Acho que seja lançado aqui quando o Kwid brasileiro ganhar a fase 2 recentemente lançada na Índia.

  • Na esperança que a Renault venda este k-ZE (Kwid elétrico) no Brasil o mais rápido possível!

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 13 anos. Saiba mais.

Notícias por email