Avaliações Hatches Mercedes Benz Minivans

De familiar a descolado: Mercedes-Benz Classe B

mercedes-benz-classe-b-vermelho-23-620x412 De familiar a descolado: Mercedes-Benz Classe B

Bem diferente do antecessor, Classe B fica mais moderninho para atrair consumidor jovem



Sueli Osório

À venda desde outubro do ano passado, a segunda geração do Classe B – compacto que é um misto de monovolume com hatchback de teto alto, mas chamado de Sport Tourer pela marca – ficou muito mais descolada. Afinal, nem sempre um modelo espaçoso, que serve para o uso familiar, precisa ter visual sisudo ou careta.

Com projeto inteiramente novo, o Classe B ficou mais largo, com distância entre os eixos maior do que a versão anterior, graças ao reposicionamento do motor, mais à frente do eixo dianteiro. A altura total, porém, ficou um pouco menor, o que o deixa com mais aparência de hatch do que de minivan, e também melhora o comportamento dinâmico do carro.

Avaliamos a versão B 200 Turbo Sport, que custa R$ 115.900. Com 4,36 metros de comprimento, 2,01 m de largura e 1,56 metro de altura, por fora o modelo tem visual robusto e encorpado. A frente e a traseira têm linhas que enfatizam a largura. A grade dianteira é ampla, ostenta a estrela de três pontas e, na versão Sport, tem dois frisos transversais em prata com acabamento em preto brilhante. Os faróis bi-xenônio têm lanternas em LED. Na traseira, o carro apresenta ampla área envidraçada, lanternas em duas peças e tampa do porta-malas grande, com soleira baixa facilitando a entrada de bagagem.

mercedes-benz-classe-b-vermelho-25-620x412 De familiar a descolado: Mercedes-Benz Classe B

A versão Sport tem ainda retrovisores externos em preto brilhante, difusor traseiro e ponteira dupla do escapamento cromada. As rodas de liga leve com 18 polegadas dão elegância e esportividade ao modelo, e deixam à mostra os discos de freios perfurados com pinças pintadas de cinza ostentando o logotipo Mercedes-Benz.

Por dentro

No interior, o Classe B tem um requinte clean. O material é de boa qualidade, o acabamento é bom, as peças são bem encaixadas, e o design é bonito, sem firulas. A posição de dirigir é boa, os comandos estão à mão. Para quem gosta de deixar o banco mais baixo, é só ajustar de acordo com sua preferência. Aletas no volante permitem a troca sequencial das marchas de maneira mais esportiva. Por outro lado, a alavanca de câmbio fica na coluna de direção e é necessário um tempo até que o motorista se acostume e não confunda a alavanca com a do limpador de para-brisa.

mercedes-benz-classe-b-vermelho-8-620x412 De familiar a descolado: Mercedes-Benz Classe B

Quem senta no banco traseiro, onde há três apoios de cabeça e três cintos de três pontos retráteis, não passa aperto. O teto alto evita que as pessoas de maior estatura batam a cabeça. No entanto, não há saída de ar-condicionado para os passageiros de trás.

Outro item que faz falta num carro deste segmento é o sensor de estacionamento. Segundo a Mercedes-Benz, o item só estaria disponível numa configuração mais recheada e, consequentemente, mais cara, e a opção da marca foi trazer um pacote mais acessível. Pelo mesmo motivo, o modelo não está disponível com o sistema de navegação.

mercedes-benz-classe-b-vermelho-16-620x412 De familiar a descolado: Mercedes-Benz Classe B

O painel tem acabamento em couro sintético e a visualização do quadro de instrumentos é boa. O modelo tem três grandes saídas de ar redondas no meio e seus bocais têm design inspirado nas turbinas de caças a jato. No centro do painel, há uma tela colorida do display multifuncional, mas que não é touch screen.

O ar-condicionado é acionado por meio de botão giratório, e não é de duas zonas. A versão Sport possui revestimento do teto na cor preta, que deixa o interior do carro mais esportivo. Os bancos são revestidos em couro sintético e as molduras têm acabamento em colmeia.

mercedes-benz-classe-b-vermelho-10-620x412 De familiar a descolado: Mercedes-Benz Classe B

Na cidade

Sob o capô, o B 200 esconde o novo motor a gasolina de quatro cilindros com o sistema de injeção direta de terceira geração da Mercedes-Benz – que foi adotado inicialmente nos motores V6 e V8 Bluedirect. Com 1,6 litro, entrega 156 cv de potência e torque máximo de 25,5 kgfm, disponível a partir de 1.250 rpm. Segundo a fabricante, o conjunto permite aceleração de 0 a 100 km/h em 8,4 segundos e a velocidade máxima é de 220 km/h.

Associado ao motor está a transmissão de dupla embreagem 7G-DCT. O sistema de dupla embreagem faz as trocas de marchas serem muito rápidas, sem interrupções na força de tração. Se o motorista preferir, pode fazer trocas manualmente pelos shift paddles junto ao volante.

mercedes-benz-classe-b-vermelho-3-620x412 De familiar a descolado: Mercedes-Benz Classe B

O modelo se deu bem na cidade, com saídas rápidas e demonstrando boa sintonia entre o propulsor e a transmissão. A suspensão absorve bem as imperfeições do asfalto e está bem ajustada, sem ser dura ou molenga demais.

O modelo oferece três modos de condução: Econômico, Esportivo e Manual. Na cidade, optamos pelo Econômico. Poucas vezes o carro deu uns leves trancos nas reduções, mas nada que incomodasse.

Como pegamos muito trânsito, vimos o sistema Start-Stop, que desliga o motor quando o carro para, funcionar bastante. Até se acostumar com ele o motorista entranha o silêncio do motor desligado quando para no farol, por exemplo. Mas a partida ocorre automaticamente assim que o pedal do freio é liberado.

Num trecho de 30 quilômetros rodados, no anda-e-para entre Santo André e o Centro de São Paulo, o modelo fez 8,9 km/l.

mercedes-benz-classe-b-vermelho-35-620x412 De familiar a descolado: Mercedes-Benz Classe B

 

Na estrada

Também rodamos com o Classe B em trecho rodoviário, na Rodovia Anchieta, no modo esportivo, mas como era um dia chuvoso e com neblina, não pudemos ultrapassar os 85 km/h. O consumo indicado pelo computador de bordo foi de 16,6 km/l.

Tanto na cidade como na estrada, o modelo demonstrou estar bem à mão, com boa estabilidade mesmo nas curvas e boa visibilidade. Em alguns momentos, ao passar por piso mais irregular, notamos ruído de plástico batendo no interior do veículo, como se algo estivesse solto. Mas, no geral, o modelo é silencioso.

A manobrabilidade é boa. Durante a condução, a direção elétrica atua de forma progressiva, aumentando a resistência do volante à medida que a velocidade do carro sobe, para oferecer maior segurança.

mercedes-benz-classe-b-vermelho-28-620x412 De familiar a descolado: Mercedes-Benz Classe B

Equipamentos

Entre os itens de série estão air bags frontais, laterais, de cortina e de joelhos, computador de bordo, freio de estacionamento elétrico, freios com ABS e EBD, controle eletrônico de estabilidade, controlador de velocidade, rodas de liga leve de 18 polegadas, aviso de perda de pressão dos pneus, pneus run flat (que permitem rodar por cerca de 80 quilômetros se forem furados), entre outros.

Um importante sistema de segurança de série é o Attention Assist, que detecta mudanças de comportamento do condutor possivelmente por estar muito cansado ou sonolento e sugere uma parada para descanso. O desenho de uma xícara de café no painel mostra que o sistema está ativo pisca ao perceber os sinais de cansaço do motorista.

Mercado

O modelo é oferecido nas versões B 200 Turbo, que custa R$ 104.900, e B 200 Turbo Sport, por R$ 115.900. Entre os concorrentes estão modelos como o A3 Sportback – oferecido com motor 1.4 de 122 cv por R$ 94.700 e 1.8 de 180 cv, por R$ 124.300 -, BMW X1 – com motor 2.0 de 150 cv ou 184 cv e preços de R$ 118.750 a R$ 141.750 -, além do Peugeot 3008, com motor 1.6 THP de 165 cv, que custa R$ 86.990 na versão Allure e R$ 94.990 na Griffe.

Segundo a Mercedes-Benz, foram emplacadas 920 unidades desde o lançamento, em outubro do ano passado, até junho deste ano.

Mercedes-Benz B200 Turbo Sport – Ficha Técnica

Cilindros 4 em linha
Cilindrada (cm3) 1.595
Potência máxima (cv/rpm) 156 a 5.300 rotações
Torque (Nm/rpm) 250 a 1.250-4.000 rotações
Câmbio 7G-DCT
Aceleração 0 – 100 km/h (s) 8,4
Velocidade máxima (km/h) 220

Peso (kg) 1.425
Pneus 225/40 R18
Capacidade do porta malas (L) 488
Tanque de combustível (L) 56

Comprimento 4,35 m
Largura 2,01 m
Altura 1,55 m

5.0

  • guirpc

    muito bom, eu acho o classe B um ótimo carro, será que ele vai ser produzido aqui, igual o classe A, pois a Mercedes quer fabricar no Brasil, junto com a Renault, mais vai ser o classe A e C, sera que o B vai também?

    • Mais fácil a MB fazer: Classe A, CLA, o crossover do A (GLA se não me engano) e o Classe C mesmo.

  • Diego

    Não me impressionei com esse consumo! Mas também com a nossa mijolina deve ser difícil.

  • gabriel8520

    Achei o acabamento meio pobre, poderia ter uma qualidade melhor, mas fazer o que ne em qualquer outro lugar do mundo esse carro e tido como veiculo de entrada, mas aqui e tido como carro de luxo

    • Filipe Augustus

      O Acabamento não é pobre, o design do interior é simples, isso sim, porem muito funcional, o interior é todo emborrachado e muito bem encaixado e construido, porem é simples ;)

      • Leandro1978

        Não sei se é o caso do colega acima, mas vejo muitos confundirem painel simples, com acabamento pobre e painéis mais ousados, com bom acabamento. Como se uma coisa tivesse relacionada a outra. Este painel do B é um exemplo disso, um painel menos ousado, mas de excelente acabamento.

        • fschulz84

          Sim… O pessoal acha que para o acabamento ser bom, o painel tem que parecer uma nave à la DS5, Civic, C4 Pallas ou Hyundais… Eu prefiro um design de interior simples, porém bem acabado do que um monte de botões e acabamento não tão bom assim…

    • netovski

      Quanto exagero, Mercedes não é carro de entrada em lugar algum. Só se for entrada no segmento de luxo.

      Se por 27 mil euros esse carro é considerado de entrada então o Logan a 7 mil euros, custando quase 1/4 do que o B Klasse custa, é o quê?

    • Daniel Goldenstein

      Então voce nunca entrou numa Mercedes, os modelos mais baratos são apenas mais simples, a construção, acabamento e ergonomia são tão boas quanto os carros mais caros. E nenhuma Mercedes é tida como carro de entrada lá fora, seus preços são superiores em qualquer mercado.

    • schneider1979

      Então Gabriel.. como você consegue determinar a qualidade do interior de um veículo por fotos? eu não tenho esse dom. Mas tenho certeza que, em se tratando de MB, qualidade não falta.

      • gabriel8520

        vcs falam isso so pq e um Mercedes queria ver se fosse uma marca "nacional" como vw, gm, ford e fiat se o assunto e diferente mas como e uma marca premium o papo muda, pelo valor do carro se espera algo melhor, painel emborrachado ate o golf tem

    • mgbalbo

      "em qualquer outro lugar do mundo esse carro é tido como veículo de entrada"

      Não.

  • fpfor

    Acho esse veículo muito bonito. Mesmo sendo uma minivan e com cara de carro de tiozão ou mãe de família, eu o teria, pois é "esportivo" ao mesmo tempo que conservador.

  • Jason

    Bela perua! Curti bastante o design, e também parece confortável pra caramba!

  • Louis

    O desenho deste carro é tão "esportivo" quanto de uma Meriva SS…

    • netovski

      Pra titia fazer um pega na autobahn depois de deixar as crianças na escola…

    • mgbalbo

      Tão descolado quanto um fiat ideia…

  • Poderia aí estar custando uns 50 mil e vendendo mais do que Gol. Os caras realmente não sabem ser empresários.

    • sheldonmendes

      Mas pra vender a 50000 reais, teria que vender o dobro pra ganhar a mesma coisa….. além de saturar a fábrica pois terá que produzir o dobro…. É por isso que custa 100 e não 50….

    • netovski

      Se esse carro custa 27 mil euros na alemanha vai custar 50 mil reais aqui como tendo que pagar taxa de importação entre tantas outras?

      Só pra constar a cotação de hoje 1 euro = 3,14 R$.

      Cada uma…

      • granrs78

        Desde quando o Euro é moeda para comparar? Então por esse pensamento, em outros países que não tem o euro como moeda, os carros são baratos, como Eua, Canada, Japão, Chile etc, como se explicaria isso?.

  • FabioRuimDeRoda

    Ví um ao vivo ontem e me passou a imagem de esportivo. Nada tiozão.

    Só achei a frente demasiadamente baixa. Vai ser ruim sair de garagem e passar pelos quebra-molas

  • Rafael_rec

    O famigerado tablet também está lá. E o pior é que sem sem GPS e câmera e ré, ou seja, inútil.

  • schneider1979

    Se for para ter um carro familiar, eu iria de fusion; se a preferência for pela marca, prefiro o classe A.

  • Caulazaro

    Eu acho o Classe B com cara de carro velho :/

  • zeuslinux

    Eu compraria esse Classe B em vez do Classe A, que achei pequeno quando vi de perto.

    O Classe A pode ser um pouco mais bonito e jovial, mas para quem tem família ou quer um carro com mais espaço interno, o classe B é uma compra melhor, até por ter a mesma mecânica que o Classe A.

  • Josénum

    Quanto bom, boa e bem… Enfim né rsrsrsrs

  • João Cagnoni

    Que carro lindo, acho que combina muito comigo…

  • Murilo

    Classe A para o povo classe B… Classe B para o povo entre B e A… classe C para o povo classe A… classe E e S para o povo classe S… esportivos para o eike batista… SQN

  • baiguma

    Fiz o test drive deste carro em Campos do Jordão. Ele tinha sensor de ré, você olhava ele no reflexo do retrovisor. O câmbio responde muito bem, o carro é uma delícia de guiar, sem diferenças do Classe A.

  • DanielPiccoli

    Todo carro importado no Brasil começa nos 100 mil.

    Acho que as montadoras se reuniram e falaram "Não vamos canabalizar o mercado altamente lucrativo, deixem a faixa de 0 – 99mil intacta gerando $$ e caixa. Vendam lá no preço que quiserem… se colar, colou…. Acima disso tudo importado começa em 100mil"

    tenho certeza.

  • granrs78

    Não entendi os concorrentes do Classe B. Como pode uma X1 ou mesmo o 3008 concorrer com ela? O mesmo vale para o A3, que concorre com a A200. Que eu saiba, a Classe B é uma mini van, não é um Crossover ou Suv.

    • Então… Acho que aquele método dos 3 Ps do Best Cars bons por isso, é complicado só porque tá na mesma faixa de preço comparar: um hatch médio, uma minivan, um crossover e um Sedan ou pickup, vai saber né.

    • zemarreta

      Pois é… mas era minivan. Nessa última geração a intenção da Mercedes foi fazer o classe B virar mais hatch que minivan

      • granrs78

        Sim, mas será que não acaba roubando vendas do A200, pois como vc mesmo disse, o Classe B hj está mais para um hatch de que para uma minivan.

        • Edson Roberto

          Pois é…. mas não deixa de ser isso. Ele rouba sim, até mesmo por ter mais itens (a depender do modelo de ambos) e terem preços proximos.

          Na minha opinião, os Classe A deveriam ter preços pelo menos R$10000 a menos que o Classe B.

  • Freaky_Boss

    Posso estar enganado, mas o motor e câmbio desse série B é igual ao do série A vendido no Brasil.

    Bom carro. Porém eu acho que o preço de mercado real desse carro deveria ser uns 100mil, e não 115mil.

  • Esse B é bonito, mas realmente passa uma sensação mais de requinte do que esportividade.
    Só acho que para uma MB da vida, tem umas falhas bem toscas, como falta do sensor de ré e GPS.

  • zemarreta

    Consumo muito bom para um trânsito xexelento. Podia até ser melhor, mas fazer 9km/l nessas condições, e com motor de sobra, é uma virtude.

  • 4lex

    antes do clas. B , bem que a mercedes-benz poderia fabricar uma CLA "station"..

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 11 anos. Saiba mais.

Notícias por email

Send this to a friend