Fiat Hatches

Despedida do meu Fiat 500 Cult Dualogic

fiat-500-cult-dualogic-vermelho-4-620x465 Despedida do meu Fiat 500 Cult Dualogic

Olá! Eu gostaria de relatar minha última viagem com o Fiat 500 que era da minha esposa e também minhas impressões gerais sobre o carro depois de uma convivência de um ano e meio com o pequeno Fiat. As mudanças nem sempre são fáceis, as despedidas menos ainda.



Ainda me lembro de quando passei um tempo fora do país. Minha vida mudou duas vezes, uma na ida e a outra na volta. Você precisa se readaptar, fazer as coisas de forma diferente, se comportar de forma diferente. Mas você sobrevive e aproveita bem as melhores situações de cada lugar, ou de cada carro. Por mais marcante que os lugares sejam e por mais marcante que seja o Fiat 500, que tem um design arrebatador e que não vai cansar nunca. É um carro que é clássico e moderno ao mesmo tempo, vai ser bonito sempre.

O Fiat 500 é um pequeno carro recheado de itens de segurança e conveniência mesmo nas versões mais simples. Este 500 que tivemos foi comprado por pouco mais de 44 mil reais e possui airbag duplo, ABS, controles de tração e estabilidade, rádio com bluetooth e comandos de voz e câmbio automatizado Dualogic. Ahhh, o câmbio Dualogic. Ele dá tranco? Só quando troca a marcha. Na verdade, se você tirar o pé do acelerador no momento em que o carro vai trocar de marcha você nem percebe a troca.

fiat-500-cult-dualogic-vermelho-1-620x826 Despedida do meu Fiat 500 Cult Dualogic

É um carro manual, com um dispositivo para trocar a marcha pra você. O problema é que nem sempre você sabe quando ele exatamente vai trocar a marcha, nem sempre você quer que ele troque a marcha e muito menos quer ficar pensando nisso tudo quando vai de casa até o supermercado. Você se acostuma com o câmbio? Claro, mas isso não quer dizer que ele é bom, muito pelo contrário.

Mas por que ir ao mercado com um carro com o porta-malas limitado? Na verdade, os 180 e poucos litros dele até que são suficientes para nossas comprinhas semanais, mesmo quando compramos o pacote de água com 8 garrafas e o pacote de papel toalha no mesmo dia. Cabe tudo, pode acreditar.

E o melhor, você consegue estacionar facilmente o carro sem se preocupar se a vaga é muito estreita, porque o carro ainda vai ficar com um espaço bom para o carro ao lado. Essa é a melhor parte do 500: estacionar. Você não consegue ter uma noção exata do tamanho do carro, mas ele sempre cabe em vagas que você nunca conseguiria parar com outro carro e isso ajuda bastante numa cidade como São Paulo quando você quer jantar fora numa noite de sexta ou sábado.

fiat-500-cult-dualogic-vermelho-5-620x465 Despedida do meu Fiat 500 Cult Dualogic

Para o uso urbano, eu acabava escolhendo o Fiat 500, é um carro muito indicado para o trânsito das grandes cidades, tanto pelo seu tamanho como pela direção ultra-leve – é possível movê-la com a força de um dedo indicador. Pena que ele não esteja tão preparado para o pavimento das grandes cidades.

O 500 é confortável como sentar no chão de cimento. Ele sente bastante qualquer imperfeição, qualquer buraco ou desnível. E vem com um sistema que lhe avisa dos buracos e imperfeições: os barulhos. Pra quem elogia a montagem mexicana, fica aqui o alerta. Aprenda a viver com barulhos. Voltando pra suspensão, ela é voltada mais para a esportividade, aliada aos pneus aro 15 nesta versão Cult, ela segura bem o carro em curvas. Só não exagere porque ela não faz milagres.

Minha despedida com o 500 foi numa viagem para Cerquilho, no interior de São Paulo. Saí de Barueri e rapidamente estava na Rodovia Castello Branco, famosa por suas extensas retas. No trecho de pouco mais de 100 km, andei na maior parte do tempo a 120 km/h, velocidade máxima da via.

fiat-500-cult-dualogic-vermelho-10-620x826 Despedida do meu Fiat 500 Cult Dualogic

fiat-500-cult-dualogic-vermelho-3-620x465 Despedida do meu Fiat 500 Cult Dualogic

O motor do 500 dá conta do recado, o desempenho dele não é esportivo, mas você consegue fazer ultrapassagens com relativa facilidade e consegue se manter veloz nas subidas. Recomendo aqui o uso da tecla Sport – ela deixa o motor um pouco mais esperto, o câmbio realiza trocas a rotações mais elevadas e a direção fica mais rígida. Ele faz o contrário que a tecla Econ faz nos carros da Honda – acho que quem define o que o botãozinho vai fazer é o departamento de marketing das empresas, de acordo com o apelo que eles querem que o carro tenha.

Apesar de dar conta da viagem e de contar com um sistema de segurança completo, eu não consigo me sentir seguro com o 500. Ele sofre muito com o vento, balança demais a velocidades mais altas e a rotação fica muito elevada a 120 km/h, já próxima aos 4000 rpm, o que torna o carro bem desconfortável nesta condição. E menos econômico também. A Fiat calibrou a suspensão para a estrada e ajustou o conjunto motor/câmbio para a cidade. Muito bem!

fiat-500-cult-dualogic-vermelho-6-620x465 Despedida do meu Fiat 500 Cult Dualogic

Esta última viagem com ele me mostrou como a presença de diversos itens de segurança pode ser muito relativa. Afinal, não vou usar o controle de estabilidade na cidade a 50 km/h e a presença dele não transmite segurança ao carro na estrada. O controle de tração com frequência é acionado em valetas e lombadas, mas duvido bastante da necessidade dele nestas condições – afinal nunca perdi o controle do carro saindo a 10 km/h de uma valeta… Se um dia isso acontecer comigo não vai ser o controle de tração que vai impedir.

O espaço é interno dele é muito bom pra quem vai na frente. Mas se você levar passageiros atrás com certa frequência, apenas compre o 500 caso você não goste e tenha bastante raiva dos seus convidados que vão atrás – eles irão sofrer! O acabamento interno é simples, com materiais rígidos e bancos de revestimento simples, mas é de muito bom gosto e com detalhes que deixam o carro mais sofisticado do que ele realmente é.

fiat-500-cult-dualogic-vermelho-8-620x465 Despedida do meu Fiat 500 Cult Dualogic

fiat-500-cult-dualogic-vermelho-7-620x465 Despedida do meu Fiat 500 Cult Dualogic

fiat-500-cult-dualogic-vermelho-9-620x465 Despedida do meu Fiat 500 Cult Dualogic

A despedida acabou sendo até fácil. O Fiat 500 tem qualidades, muito carisma, mas o comportamento dinâmico atrapalha em qualquer condição de uso. Mas deixa um pouco de saudade, admito. A garagem não é mais tão bonita, não temos mais tantos mimos tecnológicos e ficou mais difícil encontrar vagas na cidade. Mas o prazer em procurar estas vagas aumentou.

Por Carlos Giovanini

  • dudupruvinelli

    Legal a avaliação, acho que vale mais que um Smart… Agora eu queria saber como anda um Polonês. Parabéns pelo carro.

    • Leandro1978

      Como anda um Polonês? Assim:

      [youtube LhTVjMBdad8 http://www.youtube.com/watch?v=LhTVjMBdad8 youtube]

      rs…

      • msouza91

        Lenhador sempre será um lenhador

      • ZEKINHA71

        Espero que ele nunca venha pra Amazonia.

    • andrevidigal

      Eu tive um Polonês 1,4 16v Sport Dualogic, minha avaliação é bem semelhante, porém o motor é ótimo na estrada. Troquei por um A1, e só alegrias.

      • Edson Roberto

        Nossa…. que mudança! Nesse caso só alegrias mesmo! rs

        O seu A1 também passa essa dureza do 500? Pois me parece um carro mais neutro nesse aspecto. (test drive não conta como no meu caso…rS).

        • macumba_online

          Possuo um 500 e minha esposa faz uso diário dele, e eu uso esporádicamente… Já estamos com 35 mil km no carrinho, e posso dizer que grande parte da dureza se deve ao perfil dos pneus, relativamente baixo (195/55- 15) no caso do cult, e sua calibragem extremamente alta (recomendada pelo fabricante), de 33 na frente e 30 atrás. Quando vou passar por trechos de asfalto mais "quebrado" ou paralelepípedos, acabo calibrando com 31 na frente, e 30 atrás… melhora bastante. O carro tem o motor realmente um pouco áspero acima de 120 ou 130 por hora, pois ele fica com o giro alto… no entanto não entra tanto ruído na cabine quanto em outros veículos que usam o mesmo motor… e a diversão é garantida. No meu caso são só alegrias… adoramos o carrinho.

        • andrevidigal

          O A1 é muito mais duro q o Polonês, mas os pneus sao perfil 45. O Polonês é muito mais duro q o mexicano.

    • dug

      Cara, tenho um polonês, Sport 1.4 de 100cv, 16v, manual (6 marchas)..
      Ja andei aproximadamente 15 mil km com ele (peguei usado com 14) e já fiz duas viagens longas com o carrinho, na ultima delas rodei mais de 2500 km. Posso dizer que ele nao fez feio.

      O polonês é mais baixo que o mexicano e o meu tem rodas 16". Isso, junto com o esp, deixa o carro bem preso no chão (tomadas as devidas proporções, considerando seu tamanho e peso, e tbm o fato de nao ser nenhum audi da vida…). Vc só sente escapar se no meio da curva houver algum desnivel ou remendo mais acentuado. Por ser muito leve vc sente ele pular e ai é bom ter cuidado.
      Neste sentido, o comportamento difere um pouco do relatado na avaliação, porém são carros um tanto diferentes mesmo (ja dirigi o cult manual e o Sport automático mexicanos).

      A única coisa que realmente é necessário abrir mão (concordando com a avaliacao), além do espaco (obvio), é o conforto na buraqueira do nosso asfalto. O carro é bastante duro (ainda mais que o mexicano). Isso chega a incomodar muitas vezes.

      Por outro lado, gosto do cambio manual de 6 marchas. A sexta proporciona melhores níveis de ruído e rotações qnd a 100-120. Falta apenas o controle eletrônico de velocidade, que sei que o mexicano tem, mesmo no manual. Gosto tbm do fato de ser movido a apenas gasolina e de ser 16v (ao contrario do cult mexicano), o que para mim tambem torna o carro mais interessante pois, apesar de ser mais lento em baixas rotações, vc consegue esticar mais cada marcha. Gosto mais da dinâmica dele nesse sentido. E no modo sport, como relatado, o motor fica bem mais esperto.

      Na verdade, acho que um bom carro para o dia a dia na cidade tem que ter suspensão macia e cambio automático (ou mesmo um dualogic ou similar). Mas como nao uso carro no dia a dia, abri mão dessas coisas para ter alguma diversão ao volante, num carro com muitos itens de segurança (incluindo 7 airbags), bastante estilo e, claro, dentro das minhas condições.

      Bom, fiz quase um post aqui haha… Empolgação de primeira participação… Abs

    • DCald

      Cara, o Polones é show… não sei como é o mexicano!
      Aluguei um 500 1.3multijet (diesel) na Italia, e gostei muito do carrinho… rodei mais de 5mil km com ele… o suficiente para discordar totalmente do trecho:
      "Esta última viagem com ele me mostrou como a presença de diversos itens de segurança pode ser muito relativa. Afinal, não vou usar o controle de estabilidade na cidade a 50 km/h e a presença dele não transmite segurança ao carro na estrada. O controle de tração com frequência é acionado em valetas e lombadas, mas duvido bastante da necessidade dele nestas condições – afinal nunca perdi o controle do carro saindo a 10 km/h de uma valeta… Se um dia isso acontecer comigo não vai ser o controle de tração que vai impedir."

      Numa das minhas viagens, levei uma fechada de um bastaaaaarrrrrdo! que cruzou 3 faixas a 80km/h (enquanto todos no trecho estavam a 130km/h ou mais). tive que frear forte e desviar. era uma entrada de tunel… algo errado ali e eu não estaria aqui relatando! o painel por alguns segundos virou uma arvore de natal de tanta luzinha que acendeu… mas o carro respondeu com a trajetoria exata que eu requisitei ao volante.

      • dudupruvinelli

        É.. O Polonês são outros 500! kkkk

    • Daniel Perillo

      dudupruvinelli, tive um Fiat 500 Sport Dualogic 09/10 que comprei logo que foi lançado no Brasil em out/09. Fiquei quase 3 anos com o carro e ano passado o troquei por um Sport Air A/T. Apesar do câmbio ser automátco de verdade e o motor ter 5 cv a mais, não se pode comparar os carros! O Polonês é sem dúvida 1000 vezes melhor, com exceção do câmbio. A qualidade do acabamento e o comportamento dinâmico do carro pioraram demais, foi uma pena a Fiat fazer isso. Honestamente não acredito que esse carro que venha para o Brasil seja o mesmo que vai para os EUA. Apesar disso, gosto muito do carro, mas sinto saudades do velho polaco!

    • Luciana

      Anda muito melhor. O cult tem o motor do uno, o desempenho dos poloneses é semelhante ao dos multiair. Eu tive um polonês por tres anos, realmente não é carro para viajar, a suspensão é muito dura mesmo, mas o motor é sensacional e ele foi vendido, tres anos depois, sem nenhum barulho, nenhum grilinho, mesmo em velocidades de estrada.
      Claro, o veloster é mais luxuoso, mais silencioso e passa uma sensação melhor de segurança (o 500, por ser pequeno, passa a impressão de voce estar muito mais rápido que realmente está, ele passa uma sensação de instabilidade muito grande a altas velocidades), mas em muitos aspectos, eu ainda sinto muita falta do "pikachu"…. :D

  • ViniciusSantoro

    Gostei da sinceridade, muitas pessoas avaliam seus carros como se defendessem a compra que fizeram.

  • bandaxadibar

    E' um carro para 1 ou 2 pessoas…confortável para cidade.cambio duologic e' bom, muito melhor que manual, onde o pé' esquerdo cansa demais nos para anda das grandes cidades.

    • paranaiba

      tenho um Fox imotion, no começo confesso foi dificil adaptar, mas hoje estou acostumado ao seu funcionamento, onde que as marchas você que comanda as trocas delas no pé direito (acelerador), entre um Fox manual e um imotion eu compraria outro imotion, mas diante a nova opção no mercado do New Fiesta Powershift não se se voltaria aos automatizados imotion/dualogic

  • anderson_sp

    Como city car deve ser ótimo mesmo.

  • jfonts311

    Não era para existir Mille e sim o 500 e logo depois o Punto. Parece ser um carro legalzinho de dirigir apesar de alguns pontos negativos.

    • Leandro1978

      O 500 é muito pequeno para ser o carro de entrada da marca. Ele é um carro de nicho mesmo, para duas pessoas, quatro só em viagens curtas. Porta malas pequeno. Muito longe de ser um carro de entrada e, não raramente, o único carro de muitas famílias. Talvez o Panda pudesse ser uma opção melhor, com o 500 ficando logo acima, mas sendo de nicho.

      • jfonts311

        Não acho que os carros de entradas devam ser grandes e sim carros voltados para cidade, mas na realidade do Brasil (credo) fica nisso ai mesmo. Panda pra Uno acho que muda pouco (claro a qualidade construtiva é 1000x superior)

        • Leandro1978

          Infelizmente é a nossa realidade. A não ser que fizessem algo parecido com o que a VW está fazendo com o up! nacional, que será maior. Sem esquecer as portas a mais, item "obrigatório" atualmente. Aí já viu a "gambiarra" que, provavelmente sairia. Em relação ao Panda, ao menos ele tirou 4 estrelas no teste de colisão…

      • macumba_online

        a questão do porta malas é facilmente resolvida, já que dificilmente se viaja com esse carro com mais de 3 pessoas, e sendo assim, o banco traseiro é rebatível em 50/50… então dá pra baixar só um lado, ou o banco traseiro inteiro, e daí o porta malas passa a ser maior que o de uma perua.. Já o espaço pra quem vai na frente, é praticamente igual aos outros hatchs do mercado… e com muito mais glamour.. ahahhaha

      • DCald

        O panda é minusculo tbm… menor que nosso "novo uno"

      • andresluzala

        Só pra comentar, um skate "long" do meu filho NÃO ENTRAVA, isso mesmo, nem entrava no porta malas, um tico-tico da minha filha piorou de vez pois só rebatendo o banco e mesmo assim tinha que ter uma engenharia de logística pra entrar.

        E pra quem acha que é um carro ideal pra uma mulher levar seu filho pra escola, é outro engano, pois dependendo da cadeirinha a mesma não entra (foi discutido no tal cRube), não passa entre o banco dianteiro pro traseiro, e somente pelo porta malas, e pra sair do banco de trás, é outro Deus nos acuda.

        Uma das piores experiencias que eu já tive com um carro.

  • De boa na minha opinião é um dos melhores (senão o melhor) carro da marca, seria o único da Fiat que eu compraria a não ser que chegasse o 500L. Acho muito bonito !

    • macumba_online

      Penso exatamente o mesmo… da linha Fiat, é o único carro que eu compraria, e comprei. Acabo de levar o carro pra trocar uma lâmpada do farol agora pela manhã, e mesmo sendo uma concessionária, não passei a menor vontade de entrar no setor de novos e olhar os carros expostos… Exatamente o contrário da sensação que tenho quando passo em frente de uma concessionária Chevrolet, / Ford e outras, onde sempre tem um carro que te Chama pra entrar… como o Camaro, Fusion, Jetta TSI, Fusca…. na FIAT não tem nada… pelo menos pra mim… nada que interesse…. só mesmo o 500.

      • João Cagnoni

        A Freemont é bonitinha, admita.

  • Carlsson

    Então, esse negócio do Dualogic…
    Realmente, se soltar o pé na hora da troca, fica igualzinho a um automático…
    Mas eu sou meio chato, perfeccionista, e não me agrado [e dá um buraco nas acelerações, daí quando quer sair forte tem que "guentar o tranco"]
    O consumidor mais apurado no quesito técnico, portanto, não se agrada.
    O consumidor menos experiente também não, porque nunca vai aprender a trocar as marchas com maciez.
    Porém, todavia, entretanto, ele dá menos tranco que 90% dos motoristas no câmbio manual; irrita menos no trânsito pesado; poupa o pé de ficar na embreagem o tempo todo [em subidas é irritante de verdade e eu não me sinto bem 'queimando' embreagem pra dar só uma andadinha]; enfim, pras grandes cidades sem vagas e com trânsito parado é uma óóóótima opção, de verdade.
    Aí que está o erro da Fiat: colocar esse câmbio em toda a linha. A Volks põe o dela em Gol, em Fox, em Voyage e em Polo (erradamente neste, ao meu ver), mas reserva para o Golf e Jetta bons automáticos, que quase tiram leite de pedra (sim, estou falando do motor 115HP). A Fiat, por sua vez, insiste no Dualogic para Bravo e Linea, o que é lamentável, pois a Fiat é tão inovadora e perspicaz, lançando motores turbo o tempo todo, multiválvulas desde sempre, hatch médio 2,4L 5-cilindros (!) e tudo quanto é tipo de carro de entusiasta.

    • João Cagnoni

      Pra mim o bravo e linea poderiam ter um de dupla embreagem =/

  • Levinthal

    "Ahhh, o câmbio Dualogic. Ele dá tranco? Só quando troca a marcha."

    Não sabia que câmbios davam trancos que não em trocas de marchas… hehe!

    Carro legal, mas não teria. Mas realmente as vezes falam tanto dos itens de segurança do 500C (inclusive uns justificam a compra dele exclusivamente por causa disso) mas no fundo acho que ele não transmite a segurança que deseja… Abs.

    • macumba_online

      Transmite sim… é só uma questão de impressão.. Esse "sentimento de segurança" vai muito de uma pessoa pra outra, e dos limites que essa pessoa está disposta a sentir, antes do medo… Nosso 500 anda na serra diariamente… faz 100 km por dia, e destes 100, uns 40 são de serra… Antes eu fazia esse caminho com um Vectra elegance 09… e posso te dizer que é bem mais divertido andar na serra com o 500 do que com o vectra… No entanto eu dirijo com o carro esportivamente, já que as vezes faço o mesmo caminho de moto, então te garanto que quando você leva um sustinho, ou mesmo tira o pé numa curva mais fechada.. ainda está bem longe do carrinho sair do trilho..

  • CeloSurf_

    Eu também me livrei de uma bomba dualogic destas, rsss

    • leoalmeida81

      Tive um Bravo dualogic. O dualogic é ruim demais, quem já teve automático, não vai se acostumar nunca…

      • CeloSurf_

        Exato, quem está acostumado com AT e vai pra esse cambio aí, vai odiar o câmbio e se livrar da encrenca.

        A FIAT está comendo poeira neste ponto pois possui muitos carros interessantes porém com esse cambio deficiente.

        Certa está a GM que está colocando o cambio AT/6 marchas até nas linhas mais populares pois o AT de 4 marchas também já foi o tempo…

  • fpfor

    Carro bonito pras mulheres. Minha noiva era doida para trocar o carro dela por um desse, principalmente por ser menor.
    Fomos na FIAT, ela fez o test-drive e eu também… É um carro interessante porque mesmo quem é alto, não sofre tanto quando se vai na frente… diferente de quando vai atrás…
    Mas ainda que consegui ela a trocar pelo Punto Essence.
    Somos jovens e estamos sempre dando caronas para amigos.. Ela não gosta de dirigir meu carro e geralmente quando saímos, eu bebo e ela não, então seria inviável um carro com esse tamanho para levar amigos no banco de trás…
    Mas que o carro é bonitinho, é!

    • Edson Roberto

      Vc falou que para quem é alto ele não é ruim na frente…. eu não posso concordar, já que com 1,87m mesmo na versão sem teto solar, eu raspo a cabeça no teto.

      No que possui o teto solar eu simplesmente BATO a cabeça no teto. Andar no 500 para mim, foi uma tortura, foi sem duvida, o pior test drive da minha vida. Eu achei ele de fato duro, mas o espaço para mim, não foi legal. É um carro que mesmo querendo considera-lo para compra, foge da minha racionalidade. Não adianta ter segurança sem conforto e é nisso que prezo.

      • macumba_online

        você regulou o banco? o Banco do motorista tem regulagem de altura, e eu tenho 1,82, e mesmo nosso 500 tendo teto solar, minha cabeça fica bem longe do teto… pelo menos um palmo…

        • Edson Roberto

          Opa se regulei. Na posição mais baixa e ainda estava ali o teto me lembrando dele.

          • carroca_br

            Muito estranho isso, pois tenho 1,88 com cabelo espetado e nem as pontas do cabelo raspam no teto… :D

      • fpfor

        Bom, eu tenho 1,78m e ainda tinha um bom espaço pra cabeça; Achei que ainda ficasse confortável pra quem fosse até mais uns 10cm mais alto… Ainda mais levando em conta 3 dos outros 4 carros que fiz test-drive: HB20, Kia Picanto e New Fiesta que são ridiculos, pra mim a cabeça já tava no limite… imagine que é mais alto.
        O quarto carro que fiz test-drive e era bem confortável era o C3, ainda que eu ache que com o parabrisa aberto, deve incomodar o quebra-sol na cabeça…

        • Edson Roberto

          O que eu mais gosto no meu C3 (2008) é o espaço para as pernas. Imbativel até mesmo que muitos médios. Mas como o meu não é do atual, não sei lhe dizer se realmente o parasol mais recuado poderia causar isso, pois o C3 tem o teto bem alto.

          Bem… eu não tive dificuldade no HB20 e tbm no Fiesta… agora no picanto, eu preciso rever porque não me lembro.

  • CharlesAle

    "Ahhh, o câmbio Dualogic. Ele dá tranco? Só quando troca a marcha. Na verdade, se você tirar o pé do acelerador no momento em que o carro vai trocar de marcha você nem percebe a troca".Ou seja,o dualogic ainda deixa a desejar para os mais exigentes,talvez um sistema igual ao Ford Fiesta seja realmente o ideal,ou automático de uma vez e pronto.Outra parte que chamou a atenção foi:"O 500 é confortável como sentar no chão de cimento",um carro Fiat mais duro que Fiorino para andar na minha opinião não dá,ainda mais na buraqueira que é minha região e também do resto desse País,no mais o texto foi bem escrito,bem detalhado e dá de 10 à 0 no texto do Punto(fanboy) e do Ka(hater)onde até cor do Painel era defeito……..

  • Alex_cps

    Esse lance da qualidade mexicana não ser lá essas coisas, só se for na Fiat…

    Pois eu tinha um VW Golf mexicano daqueles antigos, e a qualidade de montagem e acabamento era bem superior à dos VW nacionais.

    • João Cagnoni

      Meu pai também teve um Golf mexicano 1998 (por volta de 2000, na época era novo) e era muito bem acabado. Mas os tempos são outros, acredito que todas as marcas regrediram na questão acabamento.

  • nightwishjp

    Que texto bem escrito. Parabéns!

  • andre

    to bem satisfeito com o meu dualogic…. excelente escolha..

    fiz o testdrive do dualogic plus e os trancos tão menores, mas de verdade, não me incomoda nao, como disseram, é melhor q ficar com o pe na embreagem no transito de sp

  • Louis

    O espaço do banco traseiro e do porta-malas me lembra bastante o do Ka 1a.geração (que tive 2).
    Para um casal sem filhos, atende muito bem. Eu teria um desses fácil.

  • Thiagusss

    o 500 deu adeus, e quem tomou seu lugar?

    • carlos_g

      Isso é história pra outro post! Abs!

      • wilian

        historia para outro post? não precisa contar a historia cara só diz assim:
        "Troquei por um fusca… troquei por 1 porsche…"
        Simples assim :)

  • Edson Roberto

    Engraçada como são as coisas: O mundo automobilistico, diz que a preferencia do brasileiro é de carros que copiam o pavimento, mas os donos dizem que preferem carros mais confortaveis. E poderiam aliar conforto a isso: Um amortecedor com maior curso e molas com mais firmeza garantiriam o conforto e comportamento esportivo qdo necessário.

    Bato nessa tecla pois, muitos dizem preferir carros com comprotamento esportivo, mas qdo sentem um modelo assim (ou possuem), percebem que preferem o comportamento neutro ou no minimo mais confortavel. Então a pergunta que faço é… em um país como o nosso, como pode fazer carros SEM PENSAR no pavimento???

    • Marcelo_Machado

      Preferir, a gente até prefere um carro mais "durinho", esportivo. Mas para andar no asfalto.
      Nossas ruas não são de alfalto. São de alguma coisa parecida com isso, com mais remendos do que calça de São João.
      O gosto do brasileiro não condiz com o pavimento que temos, na verdade é o pavimento que não condiz com o brasileiro.

  • MecanicoDigital

    Adorei a matéria! Excelente perspectiva!

    Ah, interessante as mudanças do site! Gostei :)

  • Marcio

    A única coisa que eu me pergunto quando vejo um Cinquecento é "Se o cara tinha 45 mil, por que não comprou uma coisa melhor"?

    • carroca_br

      Tipo um HB20 1.6 "completão" que nem controle de estabilidade tem? Ah, mas pra que controle de estabilidade e tração? Cara, por 45 mil não tem carro zero km com os itens de conveniência e segurança que o 500 tem… se tiver, alguém apresente e eu me retrato aqui…

  • MuriloSoares

    Teria um desses facilmente.

  • drhip

    acabei de me despedir do meu sport air autom,porem para comprar 500 cabrio,adoro este carro ,perfeito para cidade,e o cambio autom melhorou em relaçao ao antigo o meu agora e flex.(apesar de nao usar alcool)
    como segundo carro e perfeito,o cabrio esta com 7 air bags,vale muito a pena.

  • Castle_Bravo

    Texto muito bem escrito, prazerosa a leitura e o relato sincero sobre o carro. :)

    Logo que saiu a versão mexicana em nosso país, cheguei a cogitar a compra, fiz o test drive, mas realmente, não me atraiu pelos mesmos motivos expostos no texto. Falta de espaço atrás e suspensão muito, muito dura! moro em uma rua com paralelepípedo e me passou a impressão igual a do Ford Ka de minha ex-namorada: eu senti cada imperfeição do pavimento, ouso dizer que até a pintura do asfalto!

    Mas o carro, ao menos novo, pareceu-me bem caprichado, sem muitas rebarbas e com boa oferta de equipamentos, mas não me convenceu. O DuaLogic não é tão suave quanto um automático "de verdade", mas sinceramente, não acho tão ruim assim não como muitos dizem, dá uns tranquinhos aqui e ali, mas nada muito diferente de um carro manual por exemplo.

  • Diggo

    Gostei do textodo leitor, está de parabéns, pois tem uns que pelo amor… mas digo o ruim é isso o cara desacostumar com os mimos, por mais que o carro novo seja melhor ou mais potente, mas não tem tudo. É como comprar um Corolla GLi, é um carro ótimo, mas falta muito equipamento e custa R$20mil a mais.

  • PeriJR

    Muito bom o texto, bem melhor que essas novas avaliações de plástico do NA "profissional". É o que nos resta. Saudades, Eber.

  • João Cagnoni

    E as vantagens dos automatizados que as pessoas esquecem de comentar? São bem mais econômicos que os automáticos, não prendem o carro em saídas, são mais baratos e de mecânica tão fácil quanto os manuais.

  • AmmmmmP

    Não suporto carro duro que te faz vibrar feito um telefone antigo…. mas tenho muita vontade de ter um 500 pelo carisma que detem. Tenho um Fiesta e acho a calibração um mistério, dura para pequenas imperfeições, macia em buracos profundos, bem macia em lombadas (sem nunca dar fim de curso)…

  • fabioalisson

    Bom texto. O 500 é um carro interessante, identidade marcante. Acho bem feminino também. Não é o tipo de carro que eu compraria, ainda mais Dualogic. Certa vez dirigi um Punto Sporting Dualogic e a decepção foi grande com esse cÂmbio. Está muito aquém de um automático comum ou CVT.

  • André Luiz Ramos

    Bom sou dono de um Fiat 500 bem parecido com esse da matéria. A diferença que o interior do meu carro é vermelho e marfim e tem teto solar. Não sei se o da matéria tem som Bose ou não, mas se tiver não comentar sobre esse sistema de som é no mínimo um pecado. Esse sistema de som é impecável e com certeza é o melhor sistema de som vindo de fábrica que já tive. Bom, sobre segurança, lógico que ele não transmite tanta como dirigir um sedan (focus, civic ou corolla), mas nem é pra passar.
    No entanto, me sinto bem seguro no carro. Agora num ponto que apoio totalmente a matéria são os ruídos internos. Comprei meu carro zero e ele está com 8000 km e ele tem grilos e ruídos no painel, no teto solar, na coluna da porte e não adianta ir na CSS que eles fingem que não estão entendendo. Outro problema crônico do modelo Cult é o problema na direção que sempre aparece e necessita da troca da coluna de direção, o meu trocou com 5000 km e muitos donos do 500 Cult também tiveram que trocar. A Fiat realmente deveria fazer um recall.
    Em suma, gosto bastante do carro apesar de ter alguns detalhes que realmente deveriam ter mais atenção pela Fiat e acredito que são problemas crônicos dos carros da Fiat, pois sobre os barulhos meu Punto também tinha alguns bem parecidos. Os pontos positivos são que além de lindo, é ágil no trânsito e fácil de encontrar vaga além de ter um bom pacote tecnológico. PS: o meu é manual, n curto esse câmbio Dualogic e acredito que a melhor opção é partir para o câmbio automático (de verdade) que está disponível nos modelos Sport e Cabrio.

  • andresluzala

    Eu infelizmente tive um cult mexicano, e de alegria mesmo não tenho nada, e ao contrário, só ouvia piadinhas do tipo: é o carro da barbie? carro ideal pra um casal de gays… e etc etc etc. E fora as diversas idas pra ccs devido ao problema crônico da caixa de direção…

    Ou seja, não tenho saudades alguma daquilo, e vou mais longe, não sei o que os donos desse carro tanto idolatram ele, a impressão que dá é que é o único carro do mundo, o fanatismo é tanto que nem um dono de uma ferrari paga pau como um dono de um 500.

    Ah!!! e mesmo depois de vender acabei me incomodando pois a dona que comprou ele queria devolver o mesmo depois que descobriu que com apenas 300km o motor teve que ser aberto e retificado e trocada a caixa de direção duas vezes e estava indo pra terceira vez…

    • carroca_br

      Tenho um 500 e nem por isso sou fanático e sei de seus defeitos e suas limitações, assim como suas virtudes. Se você liga pro que os outros falam, um conselho de vida: pare de ligar e relaxe, tenha e seja o que quiser independente do que fala, afinal quem pagas suas contas é você mesmo.

  • ubirajara1000

    Tenho um Fiat 500 1.4 EVO Dualogic com Kit Convenience (Som Bose).
    E tenho um Fusion V6 AWD 2010.
    Tenho prazer de dirigir o Fiat 500 na cidade, mas NÃO tenho prazer de dirigir o Fusion na cidade, pois é certeza que as vagas encontradas não servirão para banheiras americanas.
    O prazer está relacionado, também, com a certeza de que você irá conseguir estacionar com facilidade, sem estresse.
    E o câmbio Dualogic é melhor que o do Ford, pois o da Ford exige que o motorista mude a posição da alavanca do câmbio para as trocas manuais. Já o câmbio Dualogic permite as trocas manuais sem que se altera a posição da alavanca do câmbio.
    Quanto ao barulho nos buracos, culpo os buracos das ruas e não o carro.
    A Garantia é FIAT de 2 anos, o seguro Generalli é barato e o IPVA também é barato, pois tem menos de 100CV.
    O consumo é de 12,5km/l com gasolina na cidade e ar ligado e de 18,50km/l na estrada com ar ligado.

  • Adriano

    Após a leitura minuciosa de todos os relatos sobre o Fiat 500, carro no qual penso em obter acredito que há sempre pontos positivos e negativos independente que modelo e marca. Se avaliarmos bem, nossas estradas brasileiras tem que melhorar e muito suas vias. Outro ponto que devemos ressaltar é o mercado brasileiro que, não exige segurança nenhuma em seus carros mesmo nacionais mais baratos. Penso em optar pelo 500 pelo tamanho e pelos itens de segurança que em muitos carros da sua faixa de preço nem sonham em ter. Já tive oportunidade na França de dirigir o Nissan Micra, aqui chamado de March. Nossa o carro aqui mesmo com itens não chega aos pés do europeu. Fora suas peças ainda não existirem no mercado paralelo brasileiro, pois, tem pouco tempo de uso da marca para este modelo. Penso em optar pelo 500 cult manual, porque ,( não acredito em embreagem automatizada, prefiro os automáticos de série), por se tratar de Fiat as peças podem ser encontradas nas redes autorizadas. Num futuro próximo, os subcompactos tomaram conta do mercado, já que os problemas viários e de transporte público não são resolvidos em nosso país.

  • Patrick

    Poderia me dar uma opinião o que é melhor no total um Fiat 500 Cult Dualogic 2014 ou o HB20 Confort Style Automatico 2014 ? Qual seria melhor no total. Segurança, conforto, agilidade, segurança, consumo ? Em fim o melhor.

  • WCarlos

    Realmente…. Também acho esses controles tecnológicos inúteis em carros de passeio, excessão para a distribuição eletrônica de frenagem nas rodas e o ABS, controle de tração fazem mais sentido em carros com tração traseira…

    • Renato Texeira

      Depende muito do uso e do carro. Por exemplo, no antigo mercedes classe A, a dirigibilidade melhorou bastante após a adoção dos controles eletrônicos (que foi comprovada pelo conhecido “teste do alce”). Além disso, a adoção do ESP serve também para incluir o recurso de assistente de partida em rampa, que faz bastante falta em veículos com câmbio automatizado.
      Com relação ao ASR (controle de tração), concordo que faz mais falta em um veículo com tração traseira (dependendo também da posição do motor). Entretanto, dependendo da aceleração, também é fácil derrapar e perder o controle em uma arrancada em carros com tração dianteira, dependendo da aceleração imposta e do terreno. O próprio NA demonstrou isto no teste com o pálio 1.4.

  • Dito Araujo

    Geralmente quando se dá bye bye para quem ou o que quer que seja, sempre coloca-se para fora as mágoas reprimidas. Acho que esse carro capaz de satisfazer a tudo e a todos ainda não existe, assim com seres humanos perfeitos também não existe.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 11 anos. Saiba mais.

Send this to a friend