Doblo 2010: motor, consumo, versões, detalhes, preço, revisão

Doblo 2010: motor, consumo, versões, detalhes, preço, revisão

A Doblo 2010 chegou ao mercado com modificações no visual, bem como novas versões oferecidas com motorização flex. A multivan da Fiat já estava com quase 10 anos quando chegou a essa época.


Hoje, aos 20 anos, a Doblo continua firme e forte no mercado, mas custando acima de R$ 100 mil… Em 2010, ela apareceu com novos faróis envolventes e com dupla parábola, bem como grade remodelada e para-choques atualizados.

As lanternas traseiras também foram modificadas, assim como nova capa para o estepe, molduras laterais revisadas na versão Adventure, retrovisores com repetidores de direção, entre outros.

Por dentro, o painel recebeu cluster renovado com mostradores de grafismos mais visíveis, além de revestimentos nas colunas e portas traseiras com apoios de braço. O acabamento ainda tem mais detalhes na Adventure.

Esta versão aventureira vem ainda com bússola, medidor de inclinação lateral e frontal, além de bancos personalizados. A Doblo 2010 tinha versões com cinco ou sete lugares, ampliando o conforto dos passageiros.

Projeto antigo, o modelo era associado aqui com a plataforma 178 e com modificações, como estrutura alta e volumosa, grande área envidraçada, porta traseira dupla, portas laterais corrediças, suspensão traseira por eixo rígido, entre outros.

A Fiat Doblo seguia um estilo muito popular em países europeus, mas que aqui não decolou, apesar dos 20 anos do modelo no mercado, onde a marca insistiu até hoje em sua proposta.

Com modelos como Fiat Uno e Fiat Grand Siena, o monovolume tem vida bem estendida além do esperado, tendo sido um concorrente de modelos já desaparecidos, como Citroën Berlingo, Peugeot Partner (agora só furgão) e Renault Kangoo.

Na Doblo 2010, a motorização era composta pelo Fire 1.4 Flex com 85 cavalos na gasolina e 86 cavalos no etanol, bem como motor GM 1.8 8V com 112 cavalos no primeiro e 114 cavalos no segundo, ambos com câmbio manual.

O monovolume de foco comercial – existe a versão Cargo – tem grande espaço interno e teto alto, podendo ser convertido em veículo de carga ou de aplicações específicas, como ambulância, por exemplo.

Disponível nas versões ELX, HLX e Adventure, apenas a primeira tinha opção de motor 1.4, enquanto as demais vinham com o motor 1.8 da GM, bem antes da chegada do E.torQ 1.8 da própria FCA.

Esse é o propulsor que substituiu os outros dois na gama da Doblo, que nunca teve câmbio automático ou automatizado no Brasil. O modelo surgiu em 2000 em sintonia com a Fiat Europa.

Nessa primeira geração, a Doblo foi fabricada também na Rússia, assim como Vietnã e Turquia, tendo ainda sido vendida na Coreia do Norte. Na Europa, chegou a ter motor Fire 1.2 de 69 cavalos e 1.6 Torque, um motor da Sevel.

Usou ainda motor diesel Multijet 1.3 e 1.9, este último em três versões. Nunca teve câmbio automático nesta geração no exterior. Em 2010, a Fiat passou a produzir a segunda geração, feita na Turquia apenas. O Brasil ficou de fora.

Essa geração chegou a ter motor 2.4 Tigershark, bem como diesel Multijet 2.0. Ganhou ainda transmissão automatizada Dualogic e automática ZF 9HP de nove marchas.

Foi vendida como RAM ProMaster e ainda hoje se encontra em produção na Turquia. Não há planos para fazê-la ou importa-la ao Brasil. Aqui, a Doblo inovou ao usar o sistema Locker, que transfere a força de uma roda para outra.

Um projeto já bem pago no Brasil, a Doblo continua em produção enquanto houver demanda, não se importando a Fiat se ele tem 20 ou 30 anos. Hoje, tecnicamente é o modelo mais antigo em produção na marca italiana.

Apenas o Uno de primeira geração durou tanto tempo no mercado, assim como a Strada, que ficou 23 anos em uma única geração, enquanto o hatch quadradinho ficou 30 anos em fabricação em Betim.

Não haverá sucessor para a Doblo, assim como não terá para Uno e Grand Siena, modelos que deverão sair de cena logo mais para a chegada de produtos mais importantes, como o Progetto 363, um SUV compacto da Fiat.

Doblo 2010 – detalhes

Doblo 2010: motor, consumo, versões, detalhes, preço, revisão

A Doblo 2010 tinha um visual antiquado já em sua época, com carroceria alta e volumosa, tinha faróis arredondados e duplos, grade superior preta e tinha logotipo vermelho da Fiat. O para-choque tinha laterais pretas e central em grade.

Os faróis de neblina circulares ficavam na parte inferior, onde havia entradas nas três posições. Já os retrovisores eram verticais e na cor do carro, podendo ter repetidores de direção. As portas tinham barras de proteção e maçanetas pretas.

Com para-brisa grande, a Doblo 2010 tinha vidros rebaixados nas portas dianteiras, enquanto as portas laterais deslizantes tinham vidros corrediços, mas as vigias traseiras eram basculantes. No teto, barras longitudinais e antena.

Na traseira, as portas eram assimétricas e tinham vidros individuais, tendo ainda lanternas verticais redesenhadas em fundo preto, com para-choque na cor do carro. A porta maior tinha limpador e lavador.

Estiloso, o painel da Doblo 2010 tinha cluster analógico com fundo preto e mostradores com conta-giros, velocímetro, nível de combustível e temperatura da água, assim como computador de bordo.

Os difusores de ar eram circulares e o rádio ficava em posição elevada, com a alavanca de câmbio fixada no painel. Havia um porta-objetos grande no lado do passageiro e porta-luvas com tampa.

No teto, porta-objetos sobre a posição de motorista e passageiro. O banco do motorista, assim como a coluna de direção, tinha ajuste em altura. Este ainda vinha com apoio de braço retrátil.

Os bancos da segunda fileira eram individuais e os da terceira, podiam ser adquiridos individualmente, sendo retráteis e removíveis. Com eles, havia 200 litros de espaço, enquanto sem eles, o volume chegava a 665 litros.

Na versão Adventure, o visual era bem diferente. Os faróis tinham máscara negra, enquanto a grade era estilizada e cromada. O para-choque tinha design próprio com dois bumpers e molduras pretas envolventes.

Trazia faróis de neblina e de milha, além de proteção inferior em cinza. A grade central era retangular, enquanto as laterais tinham molduras pretas envolventes em plástico, além de protetor lateral com nome Adventure.

A Doblo 2010 nesta versão tinha estribos metálicos e retrovisores com repetidores de direção. Na traseira, havia um degrau metálico e ganchos no para-choque. O estepe externo tinha cobertura parcial e trava antifurto.

A suspensão era elevada e as rodas de liga leve aro 15 polegadas vinham com pneus de uso misto 205/70 R15. Por dentro, além da padronagem diferenciada, trazia ainda instrumentos auxiliares como bússola, inclinômetro, etc.

Os bancos eram em couro e tecido com dois tons, tendo ainda equipamentos completo. A Doblo Adventure podia ter airbag duplo, ABS e sistema de áudio com Bluetooth, por exemplo.

Os bancos eram individuais e tinha sete assentos, sendo que os da terceira fileira eram rebatíveis para os lados, como na Toyota SW4 7L, por exemplo.

As portas laterais corriam em trilhos externos, enquanto as traseiras abriam para dar acesso aos passageiros da terceira fileira. Ainda assim, a segunda fileira podia ser rebatida para ingresso dos passageiros extras.

A versatilidade da Fiat Doblo permitia cinco, seis ou sete passageiros mesclados com bagagem, ajustando-se às necessidades dos ocupantes ou do proprietário.

A versão Adventure era um pouco maior e, devido à suspensão elevada, exigiu até que o entre-eixos fosse ligeiramente modificado (maior) para admitir o novo curso e pneus maiores.

Doblo 2010 – versões

Doblo 2010: motor, consumo, versões, detalhes, preço, revisão

  • Fiat Doblo 1.4 MT
  • Fiat Doblo ELX 1.4 MT
  • Fiat Doblo HLX 1.8 MT
  • Fiat Doblo Adventure 1.8 MT

Equipamentos

Doblo 2010: motor, consumo, versões, detalhes, preço, revisão

Fiat Doblo 1.4 MT – Motor 1.4, mais câmbio manual de cinco marchas, direção hidráulica, protetor de cárter, porta-garrafa nas portas traseiras, vidros dianteiros elétricos, espelhos no para-sol motorista e passageiro, travas elétricas, retrovisores externos com controle interno, portas laterais corrediças, computador de bordo, console central com porta-copo, Follow Me Home, brake light, Fiat Code de segunda geração, My Car Fiat, porta-objeto sob o teto, bolsas porta-objeto nas portas dianteiras, vidros verdes, para-brisa degradê, para-choques na cor do carro, detalhes externos pretos, entre outros.

Opcionais: ar-condicionado, air bag duplo, freios com ABS, volante com regulagem de altura, banco traseiro bipartido, predisposição para rádio, rádio CD com MP3 e dois bancos suplementares.

Fiat Doblo ELX 1.4 MT – Itens acima, mais ar-condicionado e sexto banco suplementar.

Opcionais: rádio CD com MP3, rádio CD com MP3/Bluetooth/USB, espelhos retrovisores externos elétricos, apoio de braço do motorista, volante com regulagem de altura, banco traseiro bipartido, faróis de neblina, air bag duplo, freios com ABS, predisposição para rádio, rodas de liga-leve aro 15 polegadas, telecomando de abertura e fechamento das portas e sétimo banco suplementar.

Fiat Doblo HLX 1.8 MT – Itens de série acima, mais chave com telecomando de abertura e fechamento das portas, computador de bordo B, calotas exclusivas e tecidos de revestimento diferenciados.

Opcionais: rádio CD com MP3, rádio CD com MP3/Bluetooth/USB, espelhos retrovisores externos elétricos, apoio de braço do motorista, volante com regulagem de altura, banco traseiro bipartido, faróis de neblina, air bag duplo, freios com ABS, predisposição para rádio, rodas de liga-leve aro 15 polegadas e sétimo banco suplementar.

Fiat Doblo Adventure 1.8 MT – Itens de série acima, mais detalhes de estilo exclusivos da família Adventure, rodas de liga-leve aro 15 polegadas exclusivas, pneus de uso misto 205/70 R15, retrovisores com indicador de seta, bloqueio do diferencial do sistema Locker, bússola e inclinômetros, faróis de neblina e de milha, suspensão elevada, estepe fixado na porta traseira com trava antifurto e predisposição para rádio.

Opcionais: air bag duplo, freios com ABS, espelhos retrovisores externos elétricos, rádio CD com MP3, rádio CD com MP3/Bluetooth/USB, bancos em couro bicolor, apoia-braço para o motorista, banco traseiro bipartido e roda sobressalente de liga-leve.

Preços

Doblo 2010: motor, consumo, versões, detalhes, preço, revisão

  • Fiat Doblo 1.4 MT – R$ 48.950
  • Fiat Doblo ELX 1.4 MT – R$ 52.540
  • Fiat Doblo HLX 1.8 MT – R$ 54.670
  • Fiat Doblo Adventure 1.8 MT – R$ 59.680

Doblo 2010 – motor

Doblo 2010: motor, consumo, versões, detalhes, preço, revisão

A Doblo 2010 usou dois motores em sua época, sendo eles das famílias Fiat Fire e GM Família I. O primeiro é uma série de motores da marca italiana que surgiu em 1985, sendo inicialmente feitos em Termini Imerese, na Sicília, Itália.

Na planta da Termolli, fábrica da Fiat já vendida, a série de motores Fire – Fully Integrated Robotized Engine – surgiu com bloco de ferro fundido em quatro cilindros e cabeçote de alumínio integrado.

Com volumes entre 0.8 litro e 1.4 litro, o Fire tinha versões de 2 ou 4 válvulas por cilindros, o que significava dispor de um ou dois comandos de válvulas com acionamento por correia dentada.

Essa linha de motores foi o pior motorizado da Fiat durante 35 anos, gerando versões com carburador, injeção monoponto, injeção multiponto, injeção direta com turbocompressor e intercooler.

Também recebeu a tecnologia MultiAir de acionamento eletro-hidráulico de abertura e fechamento de válvulas, criando assim um variador com gerenciamento eletrônico de alta eficiência.

Mesmo sendo um motor de 1985, ele equipa até hoje alguns modelos emblemáticos da Fiat, como os Abarth 500, 595 e 695, por exemplo. Também teve a versão T-Jet, que não tinha injeção direta, mas sim turbocompressor.

Aqui, o Fire chegou em 2000 para substituir o antigo Fiasa e foi oferecido com 1.0 litro, assim como 1.4 litro. Igualmente teve uma variante 1.25 16V e também um 1.3 8V. Estas duas opções se encerraram há alguns anos.

Mesmo depois de 20 anos, a Fiat continua produzindo o Fire para modelos modernos, como a picape Strada 2021, por exemplo. Muitos modelos da marca ainda o usam, mas alguns carros nem souberam que ele existiu.

Neste, Fiat Argo e Cronos nunca o usaram, assim como o Uno o abandonou em favor do Firefly. Na Doblo 2010, o Fire 1.4 8V tinha 85 cavalos na gasolina e 86 cavalos no etanol, ambos a 5.250 rpm.

Já os torques eram de 12,4 kgfm no primeiro e 12,5 kgfm no segundo, ambos a 3.500 rpm. O câmbio era manual de cinco marchas. No caso do GM Família I, ele é da mesma época do Fire, mas desenvolvido pela alemã Opel.

Lançado em 1982 com a Família II, o I difere do citado por ser menor, desenvolvido para caber em carros pequenos da Opel, no caso o Corsa A de mesma época. Com volumes de 1.0 a 1.8, o último foi criação brasileira.

Com bloco de ferro fundido e cabeçote de alumínio, o GM Família I teve versões com 8 ou 16 válvulas, sempre com um ou dois comandos, acionados por correia dentada. Na Europa, foi até 1.6 16V.

Aqui, ele chegou somente em 1994 para substituir o motor do Chevette, assim como o Corsa fez com este modelo citado. Tinha variantes 1.0 monoponto, 1.0 multiponto, 1.0 16V, 1.6 8V e 1.6 16V, este do Corsa GSi com 106 cavalos.

Com melhoramentos, a linha GM Família I conviveu com a II, que aqui chegou em 1983 com o Monza em versões 1.6, 1.8 e 2.0, mas que depois passou para 2.2 e 2.4, com cabeçotes de 8V ou 16V.

Tecnicamente semelhante ao II, o I é menor e assim pode caber em carros pequenos, sendo que nos anos 2000, surgiu uma variante brasileira, o 1.8 com os mesmos 1.796 cm3 da Família II.

Dessa forma foi possível colocá-lo em modelos como Corsa C e seus derivados, incluindo Montana, Meriva e também compactos da Fiat, num acordo entre os fabricantes. Assim, ele pôde entrar até no Palio. Apenas Uno Mille e Fiorino não.

Com injeção multiponto, o 1.8 da GM entregava 112 cavalos a gasolina e 114 cavalos no álcool, ambos a 5.500 rpm. O torque era de 17,8 kgfm no derivado de petróleo e 18,5 kgfm no combustível vegetal, ambos a 2.800 rpm.

Tendo boa força em baixa rotação, esse motor da GM foi um forte impulsionador da Doblo 2010, mas oferecido nela apenas com câmbio manual de cinco marchas. Ele foi substituído na multivan pelo E.torQ 1.8, usado até hoje.

Desempenho

Doblo 2010: motor, consumo, versões, detalhes, preço, revisão

  • Fiat Doblo 1.4 MT – 15,5 segundos e 151 km/h
  • Fiat Doblo 1.8 MT – 12,7 segundos e 167 km/h

Consumo

Doblo 2010: motor, consumo, versões, detalhes, preço, revisão

  • Fiat Doblo 1.4 MT – 6,0/6,7 km/l e 9,5/10,2 km/l
  • Fiat Doblo 1.8 MT – 5,9/7,1 km/l e 8,4/10,3 km/l

Doblo 2010 – manutenção e revisão

Doblo 2010: motor, consumo, versões, detalhes, preço, revisão

A rede Fiat tem mais de 500 concessionários em todo o Brasil e elas realizam revisões a cada 10.000 km ou 12 meses, o que vier primeiro. Alguns modelos da marca, o que não é o caso da Doblo 2010, fazem parada a cada 12.000 km.

Na rede de revendas da marca, são realizados serviços como pintura, funilaria, alinhamento, balanceamento, cambagem, instalação de acessórios, serviços diversos, recall, higienização, limpeza oxi-sanitária, entre outros.

Não listado no site de serviços da Fiat, o Doblo 2010 tem revisões com troca de óleo do motor, filtro de óleo, filtro de combustível, filtro de ar do motor, velas, correia em V, correia dentada, fluido de freio, líquido de refrigeração, etc.

Também são feitas trocas de itens de desgaste natural, como pastilhas de freio, lonas de freio, discos de freio, pivôs de direção, buchas de balança, molas, amortecedores, batentes das torres, coxins do motor e câmbio, rolamentos, etc.

Nas oficinas, também são realizadas inspeções de motor e câmbio, suspensão, direção, freios, parte elétrica, itens de segurança, entre outros.

Todos os itens necessários da Doblo 2010 podem ser corrigidos na concessionária.

Doblo 2010 – ficha técnica

Doblo 2010: motor, consumo, versões, detalhes, preço, revisão

Motor1.41.8
Tipo
Número de cilindros4 em linha4 em linha
Cilindrada em cm313681796
Válvulas88
Taxa de compressão10,35:110,5:1
Injeção eletrônicaIndiretaIndireta
Potência máxima85/86 cv a 5.750 rpm (gasolina)112/114 cv a 5.500 rpm (gasolina/etanol)
Torque máximo12,4/12,5 kgfm a 3.500 rpm (gasolina/etanol)17,8/18,5 kgfm a 2.800 rpm (gasolina/etanol)
Transmissão
TipoManual de 5 marchasManual de 5 marchas
Tração
TipoDianteiraDianteira
Direção
TipoHidráulicaHidráulica
Freios
TipoDiscos dianteiros e tambores traseirosDiscos dianteiros e tambores traseiros
Suspensão
DianteiraMcPhersonMcPherson
TraseiraEixo rígidoEixo rígido
Rodas e Pneus
RodasAço ou liga leve aro 14 polegadasAço ou liga leve aro 14 ou 15 polegadas
Pneus175/70 R14175/70 R14 ou 205/70 R15
Dimensões
Comprimento (mm)4.2524.252 ou 4.478 (Adventure)
Largura (mm)1.7221.722 ou 1.768 (Adventure)
Altura (mm)1.8581.957
Entre eixos (mm)2.5662.566 ou 2.583 (Adventure)
Capacidades
Porta-malas (L)665200 (7L) 665 (5L)
Tanque de combustível (L)6060
Carga (Kg)545545 ou 490 (Adventure)
Peso em ordem de marcha (Kg) 1.300 1.455
Coeficiente aerodinâmico (cx)NDND

Doblo 2010 – fotos

https://www.youtube.com/watch?v=a3ze3dPtizw

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 25 anos. Há 14 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações.